Aceito os termos e condições.

Email Marketing by E-goi

PPR | #1 – Estou a ganhar ou a perder com os meus PPR (1 mês depois)

Escrito por Pedro Andersson

03.12.20

}
11 min de leitura

Balanço mensal #1 dos meus Fundos PPR (Novembro 2020)

É oficial. Subscrevi pela primeira vez na vida um PPR. E outro para a minha mulher e mais dois para os meus filhos (com 8 e 16 anos). Andava a adiar, mas em Novembro decidi avançar com mais um tipo de investimento. Mais uma vez, a minha ideia é fazer dinheiro com o meu dinheiro em vez de ficar numa conta à ordem ou num depósito a prazo qualquer a render quase zero. Aproveito, pelo caminho, para contribuir para a nossa literacia financeira.
A partir de agora (subscrevi os PPR em 4 instituições diferentes), vou partilhar convosco a evolução de cada um deles.
O quarto PPR (subcrevi-o hoje) é o NB PPR, por sugestão de alguns de vocês. Na altura em que pesquisei na internet pelos mais rentáveis, esse apareceu-me, mas como tinha o nome “Novo Banco” (NB) fiquei erradamente com a ideia de que só era subscrito através do Novo Banco e como não sou cliente e não quero pagar comissões de manutenção de conta, tirei-o da ideia.
Em conversa com alguns de vocês fiquei a saber que esse PPR é gerido pela GNB (Grupo Novo Banco) e que pode ser subscrito em vários bancos como por exemplo o Activobank ou no Best (dos quais sou cliente). Subscrevi-o no Activobank porque estive a comparar e o mesmo PPR tem comissões mais baixas no AB do que no BEST. Só por isso. Tem os print screen abaixo.

Os meus PPR – mês a mês

Em resumo, vou passar a partilhar convosco mensalmente quanto está a render cada um dos meus 4 PPR para que possam perceber quanto rende um fundo PPR (estes têm risco, ou seja, não têm capital garantido, ao contrário dos seguros PPR) ou então para que você possa comparar com o rendimento dos seus PPR.
Para além destes 4 PPR há dezenas e dezenas de outros PPR. Não é minha intenção “promover” estes em detrimento de outros. ISTO NÃO É PUBLICIDADE. Você é que tem de fazer a sua pesquisa e decidir o que achar melhor. Estes foram os que eu achei melhores para mim (tenho um perfil arriscado). Não têm de ser os seus critérios.
Vou passar a comparar os 4 PPR sempre com base no valor único de 1.000 euros. Assim as contas ficam mais simples de perceber para todos. Não quer dizer que seja esse o valor que tenho lá. Terá de fazer as contas ao que você poderia lá colocar, sendo que a partir de 20 ou 50 euros já pode começar um PPR destes.
Subscrevi em Novembro de 2020 estes PPR:
PPR Alves Ribeiro (Banco Invest)
PPR Stoik (SGF – Sociedade Gestora de Fundos)
PPR Optimize Agressivo (Optimize)
NB PPR (GNB) Pode subscrever em vários bancos (Activobank, Best, Novo Banco)
Vou começar por fazer este balanço mensalmente, mas note que o valor de cada um destes PPR varia diariamente. Se eu notar que há um dia em particular que é marcante nestes meus investimentos darei conta disso. Haverá de certeza momentos no futuro em que terei valores NEGATIVOS. Se tiver um Fundo PPR tem de estar preparado para isso. É perfeitamente normal. Depende do desempenho das bolsas.
A percentagem de ações no “cesto” de cada um destes PPR é o que vai marcar a diferença de crescimento/depreciação deles e é isso que quero mostrar-lhe com mais esta iniciativa de divulgação de literacia financeira. É muito importante o PPR que escolhe porque cada um deles vai ter um comportamento diferente.
Apenas mais duas notas: Estou a investir com o meu dinheiro. Isto não é teoria. Direi quando estiver a ganhar e direi quando estiver a perder. Os valores das subidas e das descidas são exatamente o que são, com toda a isenção e independência. Segundo, não quero receber as deduções fiscais destes PPR no IRS. Quando lá aparecerem no Modelo3 do IRS vou retirá-los completamente. Sei que estou a perder 350 euros por ano, mas quero estar livre para levantar este dinheiro sem qualquer penalização no dia em que eu quiser sem ter de dar explicações ao Estado. Se a sua intenção é levantar este dinheiro só na idade da reforma, então pode e deve usar este benefício fiscal, OK?

PPR Alves Ribeiro (Banco Invest)

Abrir conta no Banco Invest exige o montante mínimo de 5 mil euros. Não quer dizer que tenha de fazer um PPR nesse valor. É só para abrir a conta, depois pode tirar o dinheiro todo se quiser, OK? Atenção às eventuais comissões de manutenção de conta e aos vários tipos de conta que pode ter. DEVE LER ATENTAMENTE as condições da conta e da subscrição do PPR para ver se é exatamente o que quer. Está tudo na página deles e pode e deve ligar para o apoio ao cliente e fazer todas as perguntas que quiser (foi o que eu fiz). Este processo de consulta e de tira-dúvidas no meu caso demorou semanas.
Os sócios da DECO têm um protocolo especial que dá juros melhores e que permite abrir a conta com valores muito menores e sem comissões (escolhi esta). Tem de ir à página do banco e ler todas as condições de uma situação e de outra.

Há vantagens muito boas se for associado da DECO. Como me fizeram essa pergunta – e eu próprio a fiz antes de subscrever – se um dia por algum motivo deixar de ser sócio da DECO, confirmei que não perdem os benefícios do protocolo.

Fiz os PPR mesmo em nome dos meus filhos menores (não no meu). Tive de abrir conta presencialmente e eles também são titulares da conta. Só poderão mexer nesse PPR quando fizerem 18 anos. Até lá mexo eu.
Subscrevi este PPR no dia 2 de Novembro de 2020 e passado cerca de 1 mês já estava a ganhar 5,29%. Ou seja, em menos de 1 mês, com 1.000 euros já estou a ganhar cerca de 53 euros.
Para que tenha a noção da diferença para um depósito a prazo, para ter este resultado (bruto) teria de ter 53 mil euros no banco e esperar um ano. Neste caso nem um mês passou. Alerto que isto não será sempre assim. Haverá momentos em que os meus 1.000 euros valerão 700 ou 600 €. Perfeitamente normal. É só não fazer nada e aguardar.

PPR Stoik (SGF)

Como expliquei neste artigo descobri este PPR quase por acaso, porque falei durante uma reportagem com um gestor de fundos que tem muitos anos de experiência nesta área e que, depois de ter criado com sucesso um dos melhores Fundos de Investimento em Portugal, decidiu criar o seu próprio PPR em parceria com a SGF.
Ele sugeriu-me este para comparar e eu aceitei o desafio. O gráfico do Stoik não me pareceu mal.
Explicou-me, por exemplo, que durante a crise em Fevereiro/Março por causa da pandemia o Stoik aguentou-se melhor (desceu menos) do que o Alves Ribeiro, e que em alturas de crescimento (como tem maior exposição a ações) tem tendência a subir mais do que o PPR Alves Ribeiro.
No primeiro trimestre de 2020, o PPR SGF Stoik caiu 11.4%, o AR caiu 12.6%, o NB caiu 11.9% e o Optimize Agressivo caiu 13%.
Como espero que a economia dentro de 1 ano esteja muito melhor do que agora, decidi arriscar. Vamos ver como é. Estou curioso.
Tem aqui a distribuição dos ativos deste PPR:
Como viu acima, este PPR Stoik pode ter até no máximo 75% em ações. Eles vão gerindo as percentagens de cada uma destas categorias ao longo do tempo. É para isso que lhes pagamos a comissão de gestão.
A somar à comissão de gestão de 1%, o Stoik tem ainda uma taxa de desempenho de 10% sobre os lucros de cada ano em relação ao ano anterior. É um contra, em relação aos outros PPR. No entanto, vou arriscar. É uma motivação extra para que eles tentem que o PPR renda o mais possível. Se eu não tiver lucro, eles também não terão este “prémio”. Desde que isto seja claro desde o princípio, não vejo problema. Daqui a um ano faço contas. Se não compensar, é só transferir os PPR que não me interessam para os que me interessam mais.
Passado menos de um mês, estou a ganhar no PPR STOIK 4,62%. Se investisse 1.000 euros estaria a ganhar hoje 42,62 € brutos.

PPR Optimize Agressivo

Este PPR é um dos muitos PPR comercializados pela corretora Optimize (tem protocolo com a DECO também, com várias vantagens). É importante que perceba que cada instituição tem pelo menos 3 PPR (um defensivo, um moderado e um agressivo). Eu estou a escolher moderados e agressivos. Ou seja, mais expostos às ações nas bolsas. Posso ganhar mais e também arrisco perder mais em alguns momentos.
Chegados a esta parte, deve estar a perguntar como é com as comissões. Deve ter em atenção se o PPR que lhe interessa tem comissões de subscrição e/ou de resgate. Se têm, eu fujo a 7 pés. Ou seja, “tiram-lhe” dinheiro quando entra e tiram-lhe dinheiro quando sai. Tudo legal, se concordar.
Agora, também deve perceber que TODOS têm uma comissão de gestão. É o negócio deles. Normalmente anda à volta de 1,50 ou 2%. Esta comissão está incluída no rendimento do seu PPR. Se lhe aparecer no homebanking que está a ganhar 4% é porque ele cresceu na realidade 6 (se a comissão é de 2%). Não tem de pagar mais à parte, para além dos seus lucros. Se, por outro lado, estiver a perder 6% é porque a sua perda seria “apenas” de 4%, se não fosse a comissão.
É o preço a pagar pelo trabalho deles de estarem a gerir os seus interesses financeiros.
Subscrevi este PPR Optimize Agressivo só no dia 10 de Novembro (ou outros foram no dia 2 de Novembro). O processo burocrático demorou um pouco mais. Não tive de abrir conta, só transferi o dinheiro para o IBAN deles (aliás, o processo é exatamente igual ao do Stoik do IGF). Não corre o risco de ficar a pagar comissões de manutenção de contas e coisas do género.
Como subscrevi este PPR numa semana em que as bolsas estavam no “pico”, com valores muito altos, entrei numa altura “má”. Passados 15 dias, só estou a ganhar 0,69%, ou seja, 12 €. Aguardemos pelas próximas semanas, como tem uma parte gigante em ações (quase 90%) espero que recupere rapidamente.

NB PPR

Subscrevi hoje. Mas posso desde já adiantar que, lendo a IFI (Informação Fundamental ao Investidor), trata-se de um Fundo PPR de grau de risco 4 (risco moderado).
Não tem encargos de subscrição, de transferência (se quiser transferi-lo para outro PPR “melhor”), nem de resgate. Se for gerido diretamente pela GNB tem uma taxa de encargos de 1,2225% por ano. Ou seja, é o que lhes pago para gerirem o meu PPR. Este valor é descontado na taxa de crescimento do PPR. Se crescer 4% é porque já descontaram estes 1,22%.
Para perceberem o trajeto deste PPR, em 2018 teve um resultado negativo de -0,51, mas em 2019 cresceu 11,98%. Veja como se portou nos anos anteriores na foto acima.
No dia 30 de Novembro cada UP (Unidade de Participação) custava 31,53 €. Ou seja com cerca de 30 euros já pode ter um PPR.
Normalmente, no homebanking do seu banco, basta clicar no “+”, coloca o valor que quer subscrever e já está.
Abrir conta no Novo Banco para subscrever um PPR para mim está fora de questão. Não quero comissões de manutenção. Assim, sobrava-me subscrever o NB PPR no Activobank ou no Best. Fui comparar as comissões do mesmo PPR nos dois bancos.

Como podem observar acima, as comissões de gestão eram mais baixas no Activobank. Se fossem mais baixas no Best teria optado pelo mais barato. Para mim não faz nenhuma diferença ser num ou ser no outro. O segredo é comparar sempre e escolher a opção em que o meu dinheiro rende mais.

Isto aplica-se como estratégia de poupança e gestão financeira a tudo na nossa vida: Primeiro, escolher o que quero; depois descobrir todos os locais onde está à venda; terceiro, fazer a compra onde for mais barato ou que me ofereça melhores condições ou garantias. Com os PPR é a mesma coisa.

Como só subscrevi o PPR hoje, não faço a mínima ideia de quanto irei ganhar ou perder. Fica para o próximo balanço. Nessa altura já terei dados reais.

Deve ter em consideração que subscrevi os vários PPR em dias diferentes do mês. Basta isso para a comparação não ser perfeita ao cêntimo. Mas foram todos subscritos no mesmo período de 30 dias. Dentro de 6 meses essa diferença já terá sido esbatida, digo eu. Logo verei.

Já vos falei em outros artigos sobre o fantástico produto financeiro que é o PPR, desde que seja muito bem escolhido. Se tiver curiosidade, pode ler ou reler estes artigos:
Como escolher um bom PPR
YOUTUBE – É uma boa altura para fazer um PPR?

Publicidade

Sobre mim: Pedro Andersson

Ir para a página "Sobre Mim"

Siga-nos nas Redes Sociais

COMBUSTÍVEIS | Preços na próxima semana (8 a 14 de março)

Preços dos combustíveis na semana que vem A informação dos preços dos combustíveis é baseada nos cálculos que têm em conta a cotação nos mercados internacionais e outros fatores que são considerados na formação do preço dos combustíveis em Portugal. São dados que...

Os meus fundos de investimento – Balanço da semana #34 (4 de março)

Fundos de investimento - Balanço semanal Depois das perdas da semana passada, esta foi uma semana de recuperação. Sim, subscrever fundos de investimento é mesmo assim. Todas as semanas o valor muda.  Recuperei 3% (pontos percentuais) dos quase 10% que perdi na semana...

Com pelo menos 60% de incapacidade, troque uma linha e pode receber mais centenas de euros no IRS (VÍDEO)

Troque uma linha no IRS e receba mais algumas centenas de euros Esta dica é absolutamente fundamental para quem tem uma incapacidade de pelo menos 60% no Atestado Multiuso, ou tem alguém na família com essa situação. O limite normal em Saúde é 1.000 euros Está quase...

Trocar uma linha no IRS pode fazê-lo receber mais algumas centenas ou milhares de euros

Se tem uma incapacidade igual ou superior a 60% tenha isto em atenção Basta trocar uma linha e praticamente duplica a dedução em algumas despesas de saúde e nas de educação deixa de ter limites a essas deduções. É uma das "descobertas" mais impressonantes que...

Prestação da casa desce em março para contratos com Euribor a 3 e a 6 meses

Prestação da casa desce em março para contratos com Euribor a 3 e a 6 meses A prestação paga pelos clientes ao banco no crédito à habitação vai descer em março nos contratos indexados à Euribor a três e a seis meses face às últimas revisões, segundo a simulação da...

ELETRICIDADE | Famílias numerosas podem pedir desconto no IVA da luz a partir de hoje

Famílias numerosas podem pedir desconto no IVA da luz a partir de hoje As famílias com cinco ou mais elementos podem pedir a redução do IVA da eletricidade ao seu fornecedor a partir de hoje e têm de comprovar a sua condição de família numerosa. Em causa está a...

(Atualização EXTRA) PPR | Estou a perder dinheiro num dos meus 4 PPR

Tenho um PPR a dar "prejuízo" Como vos tenho vindo a dizer, quando estiver a ganhar dinheiro, digo, quando estiver a perder, também. Estou a fazer este exercício convosco em tempo real para que percebam a vantagens e desvantagens dos Fundos PPR. Têm os Seguros PPR que...

Pensão na Hora já disponível na Segurança Social Direta

Já pode pedir a reforma de velhice e ser aprovada em 24 horas É uma medida esperada há muito. A medida "Pensão na Hora", que permite um deferimento (aprovação) automático da pensão de velhice, já está disponível na Segurança Social Direta. Com a publicação do...

Mais 15 dias de confinamento e plano de desconfinamento a 11 de Março

Os pontos essenciais do confinamento nos próximos 15 dias Resumidamente, fica tudo exatamente como até agora com todo o comércio e restaurantes fechados (com as exceções conhecidas), fronteiras semi-fechadas e livros podem ser vendidos nos hipermercados. O Governo...

COMBUSTÍVEIS | Preços na próxima semana (1 a 7 de março)

Preços dos combustíveis na semana que vem A informação dos preços dos combustíveis é baseada nos cálculos que têm em conta a cotação nos mercados internacionais e outros fatores que são considerados na formação do preço dos combustíveis em Portugal. São dados que...

Publicidade

Artigos relacionados

60 Comentários

  1. André

    Caro Sr. Pedro Andersson, antes de tudo o meu sincero agradecimento pelo serviço público que presta com as suas publicações, a forma simples e imparcial numa linguagem fácil de entender ao comum cidadão. Obrigado.
    Permita-me que apenas coloque aqui uma dúvida em relação a este tipo de “produtos” financeiros relativamente a taxas de encargos. Como sabe recentemente a título de exemplo, o Novo Banco alterou as condições definidas na FIN de um produto conta poupança programada 10 anos, basicamente é uma conta prazo que não depende de nenhum fator externo dos mercados financeiros, simplesmente apenas o cliente teria que depositar o mínimo de 10 euros mensais, com possibilidade de reforços até ao máximo 24k€ anuais, para que a taxa de juro subisse até ao valor final no último ano 5.25% iliquidos. Mas como é do seu conhecimento, alteraram as condições e impossibilitam agora de fazer reforços e ja nem o depósito mensal que era obrigatório é efetuado.
    As reclamações ja sao mais que muitas por escrito, desde o Novo banco, provedor de justiça, banco de portugal e a sensação que fica é de uma impunidade total… tudo continua igual…
    Resumindo, a minha dúvida é a seguinte, que segurança ou garantia tem o detentor de um PPR de que de futuro aumentem o valor de encargos deste tipo de produtos ao ponto de que num cenário negro seja superior à rentabilidade do mesmo?

    Obrigado e saúde!

    Responder
    • Pedro Andersson

      Olá. É uma excelente questão. Vou perguntar às minhas fontes :).

      Responder
  2. Nuno Silva

    Boa tarde Sr. Anderson. Qual o valor que se tem de meter por mês?
    E obrigado pelo seu trabalho.

    Responder
    • Pedro Andersson

      Olá. Cada por tem os seus mínimos. Mas só reforça se quiser.

      Responder
      • Helia Santos

        Bom dia,

        Muito obrigada pela partilha de informação, excelente trabalho.

        O que acontece no caso de os bancos irem à falência? Existe alguma entidade/seguradora que cubra o dinheiro que investimos naquele banco? Como por exemplo existe o FDIC nos EUA?

        Obrigada

        Responder
  3. Rui Fonseca

    Boa tarde,
    O NB PPR exige 250€ no montante de subscrição.

    Responder
    • Pedro Andersson

      Certo. Cada PPR tem os seus mínimos. Mas menos que isso também não vê nada a crescer. Fiquei sem perceber se acha muito. Há PPR a partir de 20 euros.

      Responder
      • Rui Fonseca

        Não acho muito e claro que precisamos de estar dispostos a investir de forma a potenciar o crescimento. Só coloquei essa observação porque na publicação dá a entender que basta começar com 30€ (“No dia 30 de Novembro cada UP (Unidade de Participação) custava 31,53 €. Ou seja com cerca de 30 euros já pode ter um PPR.”).

        Fica apenas o reparo e também o agradecimento pelo serviço público que presta.

        Cumprimentos,
        Rui Fonseca

        Responder
        • Pedro Andersson

          Obrigado Rui. Confesso que não sei qual é o mínimo do NB PPR porque subscrevi um valor superior a esse, mas por exemplo posso fazer o PPR da Optimize a partir de 20 euros. Portanto, o ter pouco dinheiro não é impedimento para começar um PPR. Espero ter percebido bem a sua questão. Peço desculpa se percebi mal o seu comentário…

          Responder
      • Ana

        Olá boa noite, seria possível dar mais pormenores sobre as comissões de subscrição, transferência e resgate do PPR Stoik? Qual a percentagem? Também é zero como nos outros que mostrou? No site deles não consegui encontrar nenhuma referência. Obrigada pela informação. Ana

        Responder
  4. Gonçalo Santos

    Ola Pedro Boa tarde, um esclarecimento o valor aplicado no ppr é incrementado com a rentabilidade do mesmo ao fazer um ano ou existe uma data fixa em que lhe é adicionado a rentabilidade?
    Obrigado

    Responder
    • Paula

      Os PPR sob a forma de fundos têm uma cotação diária, ou seja, todos os dias o valor do investimento sobe ou desce conforme a evolução desta cotação. No caso dos PPR sob a forma de seguros, confesso que não sei.

      Responder
      • Gonçalo Santos

        Boa tarde Paula, Obrigado pela sua resposta,

        ok, entendo o que disse mas a minha questão é quando o valor será creditado.

        Responder
        • Paula

          Bom dia. Só realiza o ganho, ou perda, quando vende. Estes são fundos de acumulação, não há distribuição de resultados. Há alguns fundos que distribuem rendimentos periodicamente. Pode procurar no seu banco ou corretora.

          Responder
  5. Luís Mendes

    Boa noite Caro Pedro, e mais uma vez obrigado pela sua ajuda nas nossas finanças. Gostaria a sua opinião sobre este produto
    Ontem subscrevemos um Seguro de Vida PPR Evoluir da Caixa Geral de Depósitos. Pelo que percebi é um produto que se divide em duas partes:
    – 44% em Proteção – Seguro de capitalização
    • Com Capital e rendimento variável garantidos;
    •Taxa de Juro anual bruta – 0,05% (durante o 2º semestre de 2020);
    • Taxa revista semestralmente, que corresponderá, no mínimo, a 80% da Euribor/6 meses, devendo ser superior a 0% e não exceder 4%.
    -56% em Dinâmico – ICAE de Ações
    • Sem capital nem rendimento garantidos;
    • Rendibilidade do investimento reflete a evolução do valor da Unidade de Participação do Fundo de Investimento Autónomo Dinâmico PPR;
    • Composição do Investimento: Ações – entre 20-50%; Obrigações – entre 20%-70%; Fundos de Investimento Mobiliário – entre 25%-50%; Imóveis ou Fundos de Investimento Imobiliário: entre 10%-50%; Outros2 – entre 0-35%.

    Subscrevi com o minimo de 150 euros e reforços mensais de 100 euros. Qual a sua opinião?

    Responder
    • Pedro Andersson

      Olá Luís. Não sou opiniões sobre fundos específicos. Não sou profissional da área. Sou um cliente exatamente como o Luís. Leio, pergunto, tenho dúvidas e avanço ou recuo também confirme a minha intuição. Limito-me a partilhar as minhas escolhas para que possa comparar com as suas. E se as suas forem melhores, vou querer corrigir as minhas :). Há centenas de PPR. Daqui a 6 meses já terá uma noção se é o que esperava. Aí ou mantém ou muda. Essa é a minha estratégia. Não tem de ser a sua. Eu nesta fase vou por tentativa e erro tentando usar o meu bom senso e equilíbrio. Imagine que lhe aconselhava um produto e corria mal. Já viu?

      Responder
    • Mickael

      Boa noite caro Pedro,
      Antes mais obrigado pela sua transparência e informações aqui partilhada
      Hoje tenho também 4 PPR subscrito, no entanto mensalmente tenho alguma dificuldade em geri-los.
      Ou seja perceber se estou a ganhar e a perder e o histórico.
      Utiliza alguma aplicação que sugere para gerir os PPRs?
      Obrigado mais uma vez.
      Cumps
      Mickael

      Responder
      • Pedro Andersson

        Olá. Vejo o saldo na página pessoal do banco ou corretora. E recebo um e-mail mensalmente com os saldos e se está a crescer ou decrescer… Não preciso de uma APP… 🙂

        Responder
      • Pedro Andersson

        Ah. Mas tenho uma folha de Excel onde coloco os valores para ir controlando o saldo total. São 5 minutos por mês para fazer isso.

        Responder
  6. Hugo Ferreira

    Boa tarde Sr. Pedro.
    Obrigado pelo seu balanço semanal.
    Não é mandatório reforçar mensalmente o PPR, correcto? Portanto a finalidade de efectuar reforços é simplesmente ir aumentando o valor investido e consequentemente a possibilidade de ter um retorno maior. É isso?
    Obrigado desde já.

    Responder
    • Pedro Andersson

      Olá. Correto. Só reforça se quiser. Mas a ideia é reforçar… Caso contrário não mexe muito nas suas finanças pessoais.

      Responder
  7. Pedro

    Viva Pedro!

    Estive a analisar no Activbank a informação do NB PPR.

    No separador: Condições – Regime de fiscalidade, diz o seguinte o que me deixou confuso:

    “Os detentores de UPs (Unidade de Participação) destes fundos que sejam sujeitos passivos de IRS residentes em Portugal ficam sujeitos a tributação, com retenção na fonte em sede de IRS à taxa de 28%, que incide sobre os rendimentos de capitais distribuídos pelos fundos (apenas nas classes de distribuição). No caso de resgate, os rendimentos positivos ou negativos auferidos concorrem para o saldo anual entre as mais e menos-valias de partes sociais e outros valores mobiliários e instrumentos financeiros, o qual, quando positivo, se encontra sujeito a tributação à taxa especial de 28%. As taxas de 28% referidas são liberatórias salvo opção pelo englobamento, caso em que o rendimento é adicionado para efeitos de determinação da matéria tributável e sujeito a IRS a taxas progressivas que podem atingir 48%, a que acresce uma taxa adicional de 2,5% no penúltimo escalão (rendimento tributável superior a EUR 80 000) e 5% no ultimo escalão (rendimento tributável superior a EUR 250 000) e uma sobretaxa de 3,5%. Mediante englobamento, o saldo negativo relativo a menos-valias pode ser reportado ao saldo positivo da mesma categoria obtido nos cinco anos subsequentes. As taxas são de 35% e têm natureza liberatória quando os rendimentos distribuídos sejam pagos ou colocados à disposição em contas abertas em nome de um ou mais titulares mas por conta de terceiros não identificados ou respeitem a rendimentos distribuídos devidos por entidades domiciliadas em país, território ou região sujeitas a um regime fiscal claramente mais favorável, constante da Portaria n.º 150/2004, de 13 de fevereiro, ou ao resgate de unidades nestas entidades.
    (*) Comissão cobrada pela sociedade gestora do fundo de investimento. Inclui Imp. Selo art.17.3.4 TGIS à taxa de 4%, exceto em caso de isenção. ”

    Tem ideia do que se trata?

    Desde já obrigado pela atenção.

    Responder
  8. Vítor Barbosa

    Bom dia.
    Ao ler à parte respeitante à subscrição do NB PPR fiquei com uma dúvida:
    Uma vez que o preço de subscrição do PPR é o mesmo nos dois bancos, onde é que é reflectida esta diferença de custos? é no valor “à saída” depois do resgate?
    Obrigado
    Vítor Barbosa

    Responder
    • Pedro Andersson

      Olá. É na comissão de gestão anual. Escolhendo a mais baixa lucra sempre mais.

      Responder
  9. Daniel

    Bom dia Pedro,
    Novamente um obrigado pela literacia financeira que presta aos portugueses, e a partilha que faz dos seus investimentos, contribuindo para desmistificar o tabu do investimento em Portugal.
    O meu comentário prende-se com esta sua frase : “Daqui a um ano faço contas. Se não compensar, é só transferir os PPR que não me interessam para os que me interessam mais”.
    Na minha opinião, 1 ano é pouco tempo para avaliar a performance destes produtos. Agora claro que o dinheiro é seu, mas com uma percentagem tão elevada de acções, é normal haver uma volatilidade também elevada, que tende a ser “diluída” no longo prazo.
    Ou seja, ao fim de um ano pode haver um que está a -10% e outro a +5%, mas se calhar a 5 anos isso já seria diferente.
    Então se fizer reforços mensais, convém mesmo deixar mais tempo.
    Claro que é só uma opinião.
    Continuação de bom trabalho!

    Responder
    • Pedro Andersson

      Claro. Foi só um exemplo para mostrar que os nosso investimentos não são imutáveis.e que temos de os acompanhar, como acompanhamos os resultados dos nossos filhos na escola. Alguns dos nossos investimentos podem estar a precisar de “explicações” ou de mais atenção… 🙂

      Responder
  10. Ricardo Lourenço

    Olá Caro Pedro Andersson,

    Em primeiro lugar quero agradecer o seu papel importantíssimo para a sociedade, que infelizmente não cultiva a poupança nem a adequação do nível de vida aos ganhos de cada um.

    Em relação aos PPR, estou indeciso na escolha de um de fundos de investimento, e queria avançar ainda este ano para aproveitar o benefício fiscal.
    A minha dúvida é, se eu investir em 2 (ou 3) PPR já e apenas declarar um deles no IRS, poderei daqui a 1 ano por exemplo, transferir o valor de um deles para outro, seja do declarado para o não declarado ou inverso?
    Uma vez que a penalização do estado só se aplica em caso de levantamento do capital, no caso de transferência, seja para um já existente ou não, deveria ser livre de custos e tributação.

    Obrigado desde já e continuação de bom trabalho.

    Com os melhores cumprimentos,
    Ricardo Lourenço.

    Responder
    • Pedro Andersson

      Olá. Pode ter de pagar 0,5 de comissão pela transferência. Mas só pagaria penalização se resgatasse. Enquanto for um PPR está a preencher os requisitos legais. Confirme junto das instituições onde subscrever os produtos.abraco

      Responder
      • Ricardo Lourenço

        Obrigado pela resposta caro Pedro.
        Mas em relação aos PPR de fundos de investimento a legislação proíbe as comissões de transferência.

        Responder
  11. José Porfírio Teixeira

    Boa tarde Pedro,
    Sou cliente do NV e acabei de pesquisar no NBNET e consta a seguinte informação:
    Encargos cobrados ao Investidor antes ou depois do seu
    investimento
    Encargos de subscrição 0%
    Encargos de transferência 0%
    Encargos de resgate 0%
    Este é o valor máximo que pode ser retirado ao seu
    dinheiro antes de ser investido e antes de serem
    pagos os rendimentos do seu investimento.
    Encargos cobrados ao FUNDO ao longo de um ano
    Taxa de Encargos
    Correntes 1,2427%
    Encargos cobrados ao FUNDO em condições específicas
    Comissão de gestão
    variável
    Este FUNDO não suporta
    comissão de gestão
    variável.

    Ou seja, o valor dos encargos aumentou.

    Responder
    • Pedro Andersson

      Ok. É legítimo. Por estranho que pareça, o PPR do novo banco é mais barato no ActivoBank :). Com base nos documentos que analisei…

      Responder
  12. Inês Soares

    Caro Pedro Andersson,
    Antes demais quero manifestar a minha gratidão pelas suas partilhas cuidadas e críticas. Sou bolseira, tenho 26 anos e sou leitora assídua do blog por procurar constantemente soluções fiáveis para fazer render as minhas poupanças. Li o post em que deu como exemplo o investimento da Raquel Maravalhas (o da garagem), que achei uma excelente alternativa para quem tem poupanças suficientes para investir e ainda ficar com uma parte para uma necessidade, que para já não é o meu caso, quem sabe no futuro.
    Relativamente às PPRs, tenho ponderado bem esta questão, inclusivamente tentei informar-me com a DECO, que me sugeriu o PPR Alves Ribeiro e depois deste post estou ainda mais inclinada para o fazer, contudo, continuo com incertezas sobre investir no PPR sem capital garantido. Para quem tem poucas poupanças não se torna muito arriscado?

    Uma excelente semana e muita saúde!

    Responder
    • Pedro Andersson

      Olá, a prioridade é fazer um fundo de emergência com 6 a 12 meses das suas despesas mensais. Só a partir daí é que deve investir em produtos de risco. Um fundo PPR é um excelente começo, de acordo com todos os especialistas. Mas só depois do fundo de emergência. Não vale a pena pôr o carro à frente dos bois, se quiser fazer tudo com a maior segurança. É como querer ganhar um corrida de carros. Primeiro o cinto de segurança e acerta os espelhos, com o depósito cheio. Só depois é que começa a acelerar, ok?

      Responder
  13. Lúcia Campos

    Boa noite Sr Pedro,
    Agradeço desde já o excelente serviço público em literacia financeira que nos proporciona.
    Gostaria de perguntar se depois de termos declarado o PPR durante 2 anos no IRS, podemos a partir de agora não declarar e, quando quisermos, levantar se sem penalizados? Ou uma vez declarado já não dá para “voltar atrás” ?
    Um bem haja!

    Responder
    • Pedro Andersson

      Olá. Ao resgatar resgata sempre a partir do primeiro. First in, first out. Logo, esse PPR já está “marcado”. Pode é fazer outro diferente e esse já não coloca no IRS. Confirme junto da instituição onde tem o PPR.

      Responder
  14. Messias Pires

    Bom dia.
    Deixe-me agradecer o seu trabalho e disponibilidade em elucidar e ajudar os outros.
    Queria apenas dizer que face ao PPR Alves Ribeiro, o mesmo só está coberto pelo protocolo com a Proteste Invest (serviço pago extra na DECO), e não pela DECO Proteste.

    Responder
  15. Bruno Monteiro

    Otimas dicas amigo. Mas você sabe me dizer algum tipo de
    renda extra para quem tem quase zero experiência com pc e
    internet? Obrigado.

    Responder
    • Pedro Andersson

      Olá Bruno. Há mais vida para além da internet. Depende daquilo que o Bruno sabe fazer 🙂 tem de ser bom naquilo que fizer e ter disponibilidade para o fazer

      Responder
  16. João S.

    Boa tarde Pedro.

    Antes de mais, obrigado pelos excelentes artigos e partilha de conhecimento.

    A minha questão é a seguinte:
    Na situação de existir algum capital no banco e tendo as opções de:
    1) amortizar parte do crédito à habitação em valor da dívida e encurtamento do prazo;
    -ou-
    2) investir num PPR;

    Qual, na sua opinião (e já agora, nos demais leitores), seria a melhor opção?

    Na amortização e redução da vigência do crédito à habitação não ganho, mas existe um valor de juros considerável que sei que não terei de pagar no futuro;
    No investimento no PPR se calhar o que ganharia suplantaria este valor que pouparia na opção 1, mas não é garantido.

    Olho para isto como custo de oportunidade… e gostava de uma opinião mais fundamentada.

    Muito obrigado
    João S.

    Responder
    • Daniel Pais

      Depende do spread / TAEG do crédito à habitação, e depende do rendimento esperado do PPR. se for com capital garantido ou não por exemplo.
      Se tiver taxas baixas de crédito à habitação, se calhar mais vale canalizar o dinheiro que ia usar para amortizar para investir; se as taxas forem altas, mais vale amortizar.
      Mas no final é sempre uma decisão pessoal. É boa ideia procurar online opiniões de outras pessoas, para perceber diversos pontos de vista, mas no fundo são sempre opiniões, e o dinheiro é seu claro.

      Responder
    • Pedro Andersson

      Olá. Terá de decidir por si. Eu invisto para ganhar dinheiro para ter um bolo maior quando decidir amortizar. Neste momento o banco paga-me por ter um crédito à habitação. Iria amortizar porquê? Mas sendo um fundo PPR posso também perdem dinheiro.

      Responder
    • João S.

      Pedro, Daniel,

      Muito obrigado pela vossa opinião e contributo.

      De facto, com a TAEG do crédito habitação atualmente baixa os potenciais rendimentos provenientes de um investimento vs amortização serão mais volumosos (mas assumindo que existem, o que é uma incógnita).

      Creio que irei apostar na vertente do investimento a longo prazo, mas com uma fatia de capital menor.
      Tenho lido sobre outras opções, com menos taxas de gestão, mas ainda me sinto muito leigo nesta matéria para gerir eu próprio.
      Além disso no PPR existe a vantagem do IRS (desde que não mexa no dinheiro fora das condições previstas) e a taxa de retenção vantajosa no ato de resgate. E estou inclinado para os fundos PPR mais baseados em ações.

      Mais uma vez, obrigado.

      Cumprimentos.

      JS

      Responder
  17. Cláudia Martins

    Caro Pedro Andersson,muito obrigado pelos seus sempre completos artigos.Ao ler o seu texto fiquei com dúvida de como o Pedro com contas em 10 Bancos diferentes,só está a pagar custos de manutenção de apenas uma conta.Pode por favor explicar como isso é possível?Agradeço imenso.Obrigado Pedro e continuação do bom trabalho.

    Responder
  18. Tomé Sousa

    Caro Pedro,
    Subscrevi agora em Dezembro ao PPR AR pela primeira vez com o valor de 2000€ e a rendibilidade está em 183% nestes primeiros dias.
    Ou seja, já lucrei cerca de 3 600€. Tendo em conta que é o meu primeiro e único PPR, seria lógico resgatar o dinheiro todo (pagando as taxas de resgate ~50€ + imposto de 28%), lucrando assim cerca de 2600€? Depois em Janeiro poderia subscrever novamente ao PPR?

    Obrigado pela atenção.

    Responder
    • Pedro Andersson

      Olá Tomé. Lamento ser mensageiro de uma má notícia. Mas a conta que está a fazer está muito longe da realidade. A sua máquina de calcular está a precisar de um arranjo :). Veja a rentabilidade outra vez… No máximo dos máximos, talvez 8,3…

      Responder
  19. Avelino Oliveira

    Boa tarde Sr. Pedro Andersson.
    Como funcionam os juros anuais do Alves Ribeiro, ou seja, a rendibilidade é transformada em unidades de participação? Quando é feita essa actualização?

    Desde já muito obrigado pelos excelentes artigos e atenção prestada a esta questão.

    Responder
    • Pedro Andersson

      Olá. Não há juros anuais. Resgata o que as unidades de participação valerem no dia em que resgatar. Amanhã ou daqui a 30 anos.

      Responder
      • Avelino Oliveira

        Desde já obrigado, certo, então não existe nenhum mecanismo anual equivalente a acumular de “juros, não necessáriamente monetário” anualmente, se num ano tivesse rendibilidade positiva actualizava o valor das unidades de participação significando que o património aumentava, etc? tinha a ideia que sendo um ppr iam acumulando ganhos ou perdas anualmente.

        Obrigado.

        Responder
        • Pedro Andersson

          Eu tenho fundos PPR. Os seguros PPR têm características diferentes. Tem de analisar a ficha de cada um deles. Cada PPR é como se fosse um carro diferente: motorização, consumos, extras, etc 🙂

          Responder
          • Avelino Oliveira

            certo 🙂 mas estava a falar dos fundos 🙂

            Obrigado na mesma, vou ver as fichas.

            Obrigado.

          • Pedro Andersson

            Então nos fundos isso não acontece Pelo menos nos meus não 🙂

  20. Maria João Santos

    Caro Pedro, muito obrigada pela informação e serviço que presta regularmente. Estou neste momento a ponderar transferir o meu PPR atual (Santander) para o Activo Bank. Tendo já passado um mês desde a publicação deste artigo, já conseguirá dar uma ideia da rentabilidade desse PPR em particular?

    Muito obrigada e continuação de um excelente trabalho!

    Responder
    • Pedro Andersson

      Olá. Sim já tenho. Estou a escrever o artigo #2 🙂

      Responder
  21. Brigida Brazao

    Olá,
    A semana passada subscrevo o PPR evoluir da CGD/ Fidelidade, por 16 anos.
    Coloquei pouco capital, porque a minha literacia financeira não é por aí além, e tive algum receio.
    Apenas coloquei 200 euros, mas com entregas mensais de 50 euros.
    Aqui é que lhe coloco a questão: seria mais vantajoso, ou mais seguro optar por fazer entregas não programadas (em que o mínimo é 100euros) ?

    Estou aqui a pensar se volto atrás e desisto do produto ou não.

    Obrigada!

    Responder
    • Pedro Andersson

      Olá. Quanto mais regular e automático melhor :). Fazer um PPR é uma excelente opção para começar a ganhar dinheiro com o seu dinheiro. Se um dia encontrar um PPR melhor é só transferir. Mas isso é lá mais para a frente…

      Responder
    • Pedro

      A melhor e mais rentável forma de poupar e investir é a regularidade com que o fazemos e o fator tempo, ou seja, começar-mos o mais cedo possível!
      Nesse sentido é mesmo aconselhável manter entregas regulares/mensais.
      Outra questão é o produto que escolhemos. No seu caso penso que refere-se ao PPR evoluir com capital e rendimento variável garantidos e nestes caso escolheu um PPR conservador, que por norma oferecem rendabilidades muito baixas. Este oferece Taxa de Juro Anual Bruta – 0,15% (durante o 1º semestre de 2021) mais hipotéticos resultados, o que é realmente muito pouco, tendo em linha de conta que existem outros igualmente com capital garantido que oferecem Taxa de Juro Anual Bruta – 1,5% (portanto 10 vezes mais), a que acrescem hipotéticos resultados (TANB 3,5%) em 2020.
      Penso que o que deve fazer, desde já, é pensar em transferir o seu PPR para um mais rentável.

      Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Partilhe o Artigo!

Partilhe este artigo com os seus amigos.