PPR | Quanto estou a ganhar (ou a perder) com os meus PPR (Março de 2023)

Escrito por Pedro Andersson

28.04.23

}
11 min de leitura

Publicidade

Vale a pena fazer um PPR como investimento? (Mês #29)

Ainda não foi este mês (de março) que a recuperação chegou. Mas também não desceram muito mais. Resumidamente, foi um mês de estagnação.

Desde Setembro do ano passado que globalmente estou a “perder” dinheiro com os meus PPR. Apenas dois estão acima da linha de água; os outros 6 estão negativos, mas cada vez mais próximos de zero. O meu investimento em PPR chegou a desvalorizar cerca de 20% em 2022.

Em Março, “só” estou a perder 332 euros (já estive a “perder” quase 600 euros). Como sabe, só perco dinheiro na realidade se resgatar quando estão negativos.  Nunca o deve fazer, a menos que esteja em necessidade absoluta. Caso contrário, é manter ou reforçar.

Para quem chegou de novo, relembro que tenho 8 PPR com 1.000 € cada um, para comparar publicamente convosco e subscrevi também 1.000 euros em Cerificados de Aforro para ter um termo de comparação entre o melhor produto com capital garantido e os melhores PPR do mercado (no sentido de mais rentáveis historicamente). Tenho reforçado alguns deles nestas quedas, mas neste artigo mensal não levo em conta esses reforços para terem uma noção da evolução de cada um ao longo do tempo.

Se isto dos PPR que estão sempre a valorizar e a desvalorizar lhe faz confusão é porque tem um perfil conservador e o melhor que tem a fazer é colocar o seu dinheiro em Certificados de Aforro. E isso não tem nada de mal. Nós não somos todos iguais e lidamos com o risco e as oscilações do nosso dinheiro de forma diferente. O importante é dormir bem à noite.

Recordo-lhe este episódio do Podcast para perceber melhor do que estou a falar.

PODCAST | #110 – O meu PPR está negativo. É normal?

Vamos ao balanço de Março de 2023. Veja os gráficos com todos os detalhes mais abaixo.

NUNCA SE ESQUEÇA DE QUE NUNCA DEVE INVESTIR DINHEIRO QUE LHE FAÇA FALTA PARA O DIA A DIA. Se pensar a um prazo de 10, 15 ou 20 anos, esta queda atual vai ser – esperamos – apenas um tropeção no caminho, como foi a Covid-19. E RENDIMENTOS PASSADOS NÃO GARANTEM RENDIMENTOS FUTUROS. São apenas indicações.

INFORMAÇÃO PERMANENTE: Muitas pessoas, ao longo de décadas, sempre pensaram que os PPR eram apenas para a reforma e que servia para ir buscar entre 300 ou 400 euros ao IRS pela dedução fiscal, ou para baixar o spread do crédito à habitação.

Foi só há cerca de 3 anos que percebi que não é (só) assim. Desde que eu não coloque este valor no IRS, posso levantá-lo quando quiser (ver as condições do banco ou corretora) sem qualquer penalização. Em 2023, tem ainda mais duas exceções que deve aproveitar para “fazer” dinheiro.

VÍDEO | As duas formas de resgatar o seu PPR sem penalizações

Foi por isso que decidi, em novembro de 2020, fazer um PPR para cada um de nós aqui em casa, incluindo para os meus filhos (de 16 e 8 anos, na altura). Mensalmente, faço aqui o balanço de quanto estão a crescer (ou a desvalorizar) para partilhar convosco mais alguma literacia financeira completamente isenta de influência de bancos, marcas, publicidade, etc. É o que é, com valores absolutamente reais (os meus) e depois você tira a suas próprias conclusões.

Faço reforços sempre que posso, mas não os estou a incluir nestas contas para não alterar os resultados comparativos.

O facto de ser PPR é importante por causa da fiscalidade mais favorável do que nos restantes tipos de investimento. No final, após 8 anos, faz toda a diferença (paga 8% de mais-valias em vez de 28%).

Coloquei 1.000 € em cada um. Subscrevi os PPR em 8 instituições diferentes e com componentes diferentes de ações e obrigações. Uns são mais arriscados do que outros. Fiz de propósito para perceber como cada um deles reage perante os mesmos acontecimentos. Neste artigo expliquei os meus critérios.

Quanto estou a ganhar (ou a perder) com os meus PPR?

Como lhe expliquei acima, tenho 8 PPR diferentes para que juntos acompanhemos quanto rendem de facto estes produtos de investimento/poupança e de que forma seguem ou não o desempenho das bolsas mundiais. Fiz estes (podiam ser outros, mas tenho por princípio ser o mais transparente possível convosco, por isso digo os nomes):

  • PPR Alves Ribeiro (Banco Invest)
  • PPR Stoik (SGF – Sociedade Gestora de Fundos)
  • PPR Optimize Agressivo (Optimize –  Sociedade Gestora de Fundos)
  • NB PPR (GNB) Pode subscrever em vários bancos (Activobank, Best, Novo Banco)
  • Save & Grow (Casa de Investimentos)
  • Mega TT PPR (Bankinter)
  • Smart Invest PPR Dinâmico (Banco Invest)
  • PPR Doutor Finanças (SGF)
Neste artigo AQUI expliquei porque escolhi estes especificamente. Não estou a “vender” nenhum produto ou instituição bancária/corretora. Só quero que perceba como funcionam os Fundos PPR.

Balanço dos meus PPR – Mês #29

PPR STOIK

Depois de alguns meses em valores negativos, o PPR Stoik mantém-se há 5 meses em terreno positivo. Este mês regressou ao primeiro lugar do meu ranking, ultrapassando o PPR Alves Ribeiro (ver abaixo).

Como poderá ver no gráfico, está a recuperar bem, mas pode perfeitamente voltar a cair. A guerra e a inflação continuam a fazer mossa. Esta queda da guerra (no seu total) já é maior do que a da Covid. Esperemos que 2023 seja o ano da recuperação. Mas depende muito da guerra na Ucrânia e das suas consequências.

Os valores atuais continuam a ser bons para iniciar um investimento num PPR ou para reforçar. Se investir agora, é como se ganhasse cerca de 2 anos em relação a alguém que tivesse investido antes da Covid.

Subscrevi 1.000 euros neste PPR STOIK e neste momento se resgatasse, teria um ganho de 30 euros. Vou manter.

PPR Alves Ribeiro (Banco Invest)

O meu PPR AR desceu para segundo lugar no ranking. Se o resgatasse hoje, ganharia 19 euros brutos. Em Janeiro estava a ganhar 40.

As contas que estou a partilhar convosco ao longo do tempo será sempre em relação aos 1.000 euros originais subscritos no dia 2 de Novembro de 2020, com o valor de subscrição da unidade de participação nessa data específica. Devo sempre relembrar que rendimentos passados não garantem rendimentos futuros. As suas contas começarão no dia específico em que começar a investir.

Smart Invest Dinâmico

Tenho um segundo PPR no Banco Invest que é o Smart Invest Dinâmico. Também desceu bastante. Neste momento está a valer apenas 971 euros. Desceu um pouco mais em Março. Vou igualmente aguardar que recupere.

PPR Optimize Agressivo

O PPR Optimize Agressivo continua a recuperar há 3 meses consecutivos, mas ainda está em terreno negativo. Se o resgatasse hoje, teria um prejuízo de cerca de 5 euros, em vez 65 euros em Setembro. É um dos que está sempre no TOP 3, mas neste caso foi o que quebrou mais com a crise. Veremos qual a rapidez ada recuperação. Este é o mais “nervoso” dos meus PPR. Quando sobe, sobe muito, mas quando desce, desce muito.

Este é um PPR com uma enorme percentagem de ações no cabaz (cerca de 90%). Daí o nome “Agressivo” na descrição. Esta corretora também tem PPR menos arriscados. Depende do seu perfil.

O que vai ganhar no fim disto tudo é o que o seu PPR estiver a valor no dia em que o resgatar. Não interessa se já esteve a ganhar 500%. Se no dia em que que resgatar estiver a ganhar só 1%, é 1% que leva para casa. Daí a importância de ter um objetivo bem definido para saber o que fazer e quando deve resgatar.

NB PPR

O NB PPR continua também negativo. Estou a “perder” cerca de 88 euros. Tal como nos outros, resta-me aguardar que a situação no mundo recupere. Está negativo -7,74%.

Se não estiver satisfeito com o seu PPR, transfira-o para outro que considere melhor, depois de pesquisar a concorrência. Não o mantenha, só porque sim. Não perde os benefícios que ganhou entretanto. Se trocar de um fundo PPR para outro Fundo PPR não paga rigorosamente nada. Se mudar de um seguro PPR para um fundo PPR tem de pagar uma penalização de 0,5%. Muitas corretoras suportam essa despesa por si. Informe-se. Mas não o faça quando estiver a perder dinheiro. Nestas situações deve esperar pelo menos que fique positivo.

O Save & Grow continua negativo. Os meus 1.000 euros desvalorizaram cerca de 25% em Dezembro, mes neste momento já “só” está a perder 14%. Se resgatasse hoje, perderia 150 euros.

Este PPR tem quase 100% de ações, e está assente numa estratégia de valor. Ou seja, só tem no cabaz empresas consideradas muito seguras que reforçam quando estão a preço de saldo.

O PPR da “Casa de Investimentos” (é assim que se chama a Gestora de Fundos) foi subscrito por mim vários meses depois dos outros, por isso tem de levar isso em conta no comparação no gráfico ” porque quando o subscrevi já os outros levavam um grande avanço. Mas faço assim porque quero que percebam isso mesmo. A data em que subscrevem é importante. Vou continuar a aguardar e esperar pela recuperação. Gosto da coerência da estratégia deles, independentemente do que acontece conjunturalmente nos mercados.

Bankinter MEGA TT

O Bankinter “Mega TT” também continua negativo. Se resgatasse hoje, receberia menos 107 euros em relação aos 1.000 € que subscrevi. Já esteve a ganhar quase 7% há um ano e agora está -10% negativo. Tem de estar sempre preparado para suportar com paciência estes momentos que podem demorar semanas, meses ou anos.

PPR Doutor Finanças

Aproveitando o preço de saldos da maior parte dos PPR, subscrevi em Novembro um novo PPR: o PPR Doutor Finanças. Este PPR está a ser promovido como o Plano Poupança Reforma com comissões mais baixas em Portugal. Veremos de é de facto assim e se isso se vai refletir na rentabilidade.

Subcrevi 1.000 euros no dia 9 de Novembro de 2022 e em Fevereiro está negativo -2,14%. Perderia 23 € se os resgatasse hoje.

Para comparar com os Certificados de Aforro, subscrevi os dois praticamente no mesmo dia (também exatamente 1.000 €). Nos certificados de Aforro tenho agora 1.004,49 €.

O gráfico

Acredito que visualizar o crescimento dos PPR com estas linhas vai ajudar a perceber como cada um deles se comporta quando os mercados (bolsas) estão em alta e em queda. Em Março de 2023, o PPR Alves Ribeiro e o Stoik eram os meus únicos PPR em terreno positivo. Todos os outros 6 estão a “perder” dinheiro.

 

A linha preta são os 1.000 euros que subscrevi em cada um dos PPR.

Feitas as contas, com 8.000 € (8 PPR de 1.000 € cada um) após 29 meses estou a “perder” 332,78 euros (744 € de lucro máximo em novembro de 2021), se os regatasse esta semana. Nestas situações, é esperar que passe a “tempestade”. Caso fossem 80 mil euros, estaria a “perder” neste momento 3.320 € em relação ao que investi.

A ideia dos PPR é investir, reforçar regularmente e não mexer até que precise do dinheiro (muito lá para a frente). Pode duplicar, triplicar ou até quadruplicar o seu dinheiro. Até lá, vai passar por muitas situações destas.

Como pode ver no gráfico abaixo, o total das minhas mais-valias mudou radicalmente desde que a guerra na Ucrânia começou. De bons lucros passei a perdas. E isto ainda pode piorar se a guerra se mantiver mais este ano e se houver um recessão económica global.

Já lhe expliquei que não me interessam os Seguros PPR com capital garantido. Quero arriscar ter ganhos maiores em vez de simplesmente garantir o que tenho, com ganhos mínimos. Quando chegar aos 60 anos (ou quando atingir o valor que tenho como objetivo) será altura de transferir para um PPR com capital garantido.

Mas respeito muito quem opta por produtos com capital garantido. É uma decisão pessoal. Cada um tem o perfil que tem. Mas ganha historicamente muito menos. A diferença é que não perde nunca nada do que lá tem. Mas também nunca ganhará nada de muito significativo e que faça diferença na sua vida. É a diferença que faz pôr o dinheiro a trabalhar para si.

De certa forma, fico contente por poder estar a partilhar consigo uma temporária “má” experiência com os meus investimentos. Quero que perceba – com o meu dinheiro real e não com teorias – que tudo isto é normal acontecer. E que não deve entrar em pânico quando isto acontece.

Enquanto alguns vêem as notícias e veêm nuvens negras, outros vêem oportunidades de investimento. É a diferença entre conhecer e interpretar os acontecimentos ou andarmos à deriva sem rumo.

Se quer testar produtos sem capital garantido, sugiro estes passos:

  1. Fazer um bom Fundo PPR (veja rendimentos e comissões, e defina o seu perfil – defensivo, moderado ou agressivo)
  2. Subscrever ETF
  3. Subscrever Fundos de Investimento
  4. Investir em ações (em plataformas com baixas comissões)
  5. Arriscar em plataformas de crowdfunding
  6. Investir em imobiliário (quando perceber no que se está a meter)
  7. Reinvestir os ganhos em novos investimentos

Publicidade

Sobre mim: Pedro Andersson

Ir para a página "Sobre Mim"

Siga-nos nas Redes Sociais

Para si | Artigos Recentes 

CRIPTOMOEDAS | Estou a ganhar ou a perder dinheiro? (Mês #26 – Fevereiro 2024)

O meu investimento em Criptomoedas - Balanço de Fevereiro de 2024 Cá estou eu para fazer mais um balanço do meu "investimento" em criptomoedas. Tenho algum dinheiro em Ethereum, que comprei através da plataforma Binance. Quero antes de mais relembrar que está em ampla...

Prémio Salarial | Formulário para fazer pedido já está disponível

Jovens têm até 31 de Maio para fazer o pedido de devolução de propinas, mas tempo de espera é elevado Contas-poupança | Inês de Almeida Fernandes No final do ano passado, o Governo anunciou uma medida que previa a devolução de propinas aos jovens que tivessem entrado...

EURIBOR HOJE | Taxas descem a três meses, mas sobem a seis e 12 meses

Euribor desce a três meses, mas sobe nos prazos de seis e 12 meses Contas-poupança | Inês de Almeida Fernandes Diariamente, divulgamos aqui na página "Contas-poupança", o valor das taxas Euribor a três, seis e 12 meses. Embora as alterações diárias não tenham um...

COMBUSTÍVEIS | Preços na próxima semana (26 de fevereiro a 03 de março)

Preços dos combustíveis na semana que vem A informação dos preços dos combustíveis é baseada nos cálculos que têm em conta a cotação nos mercados internacionais e outros fatores considerados na formação do preço dos combustíveis em Portugal. São dados que recolho...

EURIBOR HOJE | Taxas descem a três e seis meses, mas sobem a 12

Euribor Contas-poupança | Inês de Almeida Fernandes Diariamente, divulgamos aqui na página "Contas-poupança", o valor das taxas Euribor a três, seis e 12 meses. Embora as alterações diárias não tenham um impacto direto na sua prestação do crédito à habitação, são um...

Cheque + Digital | A Lista das entidades que têm cursos de formação digital “grátis” (até 750 €)

A lista das entidades certificadas elegíveis para o apoio dos 750 € Antes que comecem a chover as críticas, relembro que coloquei "grátis" entre aspas porque vai ter de pagar primeiro o curso, ou cursos, do seu próprio bolso, mas depois esse dinheiro é devolvido pelo...

Painel solar fotovoltaico – Balanço Janeiro de 2024 (Mês #86)

Balanço de Janeiro de 2024 Janeiro foi um mês anormalmente baixo. No que diz respeito à produção de eletricidade, os primeiros meses do ano já são de recuperação e de aumento progressivo até atingir novamente o pico no Verão. Enfim, houve apenas uma maior sucessão de...

PODCAST | #216 – Vamos a contas | Quase não fiz descontos para a Segurança Social, qual vai ser a minha reforma?

Esta ouvinte do podcast (que quer ficar anónima) tem apenas 29 anos de descontos para a Segurança Social. Trabalha muito e recebe o seu salário, mas os "patrões" recusam-se a fazer descontos para a Segurança Social. Ela tem 64 anos e está muito preocupada com a...

Arrendamento | Rendas acessíveis alargadas a quem tem rendimentos mais altos

Limite de rendimentos máximos anuais para aceder a apoios ao arrendamento foi alargado para abranger mais cidadãos O valor máximo de rendimento anual para aceder ao Programa de Apoio ao Arrendamento foi aumentado, de acordo com uma portaria publicada em Diário da...

EURIBOR | Taxas sobem a três e 12 meses, mas baixam a seis

Euribor subiram hoje a três e 12 meses, mas recuaram no prazo de seis meses Contas-poupança | Inês de Almeida Fernandes Diariamente, divulgamos aqui na página "Contas-poupança", o valor das taxas Euribor a três, seis e 12 meses. Embora as alterações diárias não tenham...

Publicidade

Artigos relacionados

22 Comentários

  1. Isabel Chaves

    Boa tarde, acabei de ler o seu artigo sobre PPR, devo dizer que não estou nada satisfeita com o meu, recebi a informarão por escrito do meu banco (que é o Santander) onde pude constatar que perdi 1.397,80 em um ano, quando eu só poupei 600,00 no mesmo ano. Reparei então que tenho vindo a perder a vários anos. Pois do valor investido ao longo dos anos estou a perder duzentos e tal euros. Foi um choque, pois é dinheiro que eu tinha como garantido. Não sei como agir,pois o banco arranjou maneira de me prender, nunca esperei lucro, (ou muito lucro) por isso tenho um plano conservador há anos. A pensar na magra reforma que terei. Enfim é um desabafo de quem não entende nada do assunto e achava que era melhor. Comprimentos Isabel Chaves

    Responder
    • Pedro Andersson

      Ola. Tem de saber o que contratou. Obviamente nao é um PPR garantido. Estar a perder em alguns meses ou anos é perfeitamente normal, mas a expectativa é que recupere. Se resgatar é que perde mesmo.

      Responder
      • Julio

        Resgatar não mas transferir para outro PPR poderia uma solução. Estar presa a um PPR mau é que não vale a pena. Sim, porque há muitos PPR fracos.

        Responder
      • José

        Boa noite!
        Também sou cliente do Santander e também estou a perder dinheiro com um péssimo fundo PPR que fiz e ainda mais com um fundo de obrigações que me venderam qd eu não percebia nada de Finanças pessoais..
        Não volto a confiar nesta instituição para gerir o meu dinheiro..
        Não volto a confiar nesta instituição

        Responder
  2. Carolina Félix

    Estou a adorar acompanhar esta partilha 🙂
    Subscrevi este mês o meu primeiro PPR com o objetivo da reforma e quero acompanhar a evolução da mesma forma que o Pedro tem feito (e comparar “virtualmente” com outros 2). Mas tenho uma dúvida: conto reforçar o meu PPR todos os meses, por isso não sei se devo acompanhar a evolução dele tendo como base o valor da primeira subscrição, se lhe devo somar os reforços ou fazer um gráfico/acompanhamento por cada reforço :s
    Qual seria a melhor (ou mais correta) estratégia?

    Responder
    • Pedro Andersson

      Ola Carolina! Cada reforço vai ter um comportamento diferente. Se quiser comparar virtualmente com outros ou só compara o primeiro ou tem de comparar virtualmente cada reforco dos outros dois. Para simplificar eu compararia so o primeiro reforço, na medida em que os seguintes seguiram necessariamente a mesma tendência, mas com datas e valores diferentes.

      Responder
  3. Elisabete

    Boa tarde Sr. Pedro acabei agora de ler o seu artigo e como sempre gostei muito do que li. Queria no entanto partilhar um assunto em relação aos meus PPR, é o seguinte tenho 2 PPR um de perfil conservador outro de prerfi menos conservador o primeiro já tenho à pelo menos 16 anos o segundo à menos ,consigo ver quando estão os valores se estão mais ou menos a ganhar, à dias questionei o Banco neste caso o Montepio ,para ver se conseguiam fazer ao dia de hoje e se eu tivesse 60 anos uma simulação de quanto dinheiro viria a receber. Como deve calcular e depois de muita conversa não me disseram nada pois segundo eles é a política do banco. O que eu lhe pergunto a si será que a minha questão é impossível de ser esclarecida ou é mesmo assim?. Obrigado pela atenção dispensada

    Responder
    • Pedro Andersson

      Ola. Ninguém pode dizer o que acontecer no futuro. O maximo que pode fazer é multiplicar o que ja teve no passado pelos anos que quer para a frente…

      Responder
  4. Rui Andrade

    Viva Pedro. O último livro é fantástico. Fiz agora uma viagem Coimbra – Lisboa e reduzi o consumo em 1,5 lts 😁. Estou muito curioso é com a comparação entre os PPR e os ETF porque fico com a sensação que os ETF têm maior potencial de crescimento. O pior é que perdem na fiscalidade. Decisões difíceis 😁

    Responder
    • Pedro Andersson

      Ola. Obrigado! Quanto aos ETF vs PPR resolvi pondo metade em cada uma das ferramentas 🙂

      Responder
  5. Marcelo Gomes

    Olá Pedro.
    Espero que estejas bem.
    Meus parabéns pelo seu trabalho. Saber lidar com dinheiro não é fácil, mas é preciso.
    Gostaria de enviar um questionamento. Qual o melhor meio para isso?
    Grato pela atenção.

    Responder
    • Marcelo Gomes

      Complementando meu post anterior, com um questionamento que pode ser público, e talvez útil.
      No Brasil temos a empresa Autem Investimentos (https://auteminvestimentos.com.br/).
      Existe alguma empresa semelhando aqui em Portugal?

      Responder
  6. José Gonçalves

    Olá Pedro! Acho extremamente interessante este fórum à volta dos PPR. Já algum tempo era para entrar neste debate, mas por este ou por aquele motivo não o fiz.
    Tive um PPR (não era de capital garantido) comercializado por uma determinada instituição financeira e resgatei-o quando completei as 60 voltas ao sol. Tive as minhas mais valias, mas ficaram aquém daquilo que eu desejava. Durante os anos que o tive fiz as subscrições que me permitiram as deduções no IRS que também ajudaram a potenciar a rentabilidade. Mas, hoje gostaria de falar de um outro “PPR” que eu tenho e que comecei a fazer na década de 90, para ter dinheiro para as minhas “fraldas”… claro que vou falar nos Certificados de Aforro! Já sabemos que não é um PPR (o produto financeiro que estamos a falar), não tem deduções e benefícios fiscais. Mas, tem algo muito interessante, não está sujeito à volatilidade dos mercados financeiros, tem garantia do Estado e não cobra comissões. Para lhe dar um exemplo, fui fazendo poupanças irregulares ao longo dessa década (CA serie B), que totalizaram 35 397 euros e que hoje se os resgatasse teria 84 796 euros, ou seja uma valorização de 139,5%…sei que não é muito, mas dá para refletir! Ainda continuo a fazer CA, agora os da série “E”, enquanto a minha vida biológica assim o permitir…Um bem haja!

    Responder
    • Pedro Andersson

      Muito obrigado por ter partilhado a sua experiência. Muito interessante.

      Responder
  7. João Belo

    Bom dia,
    Entre o o Stoik e o Alves Ribeiro qual lhe parece o PPR mais competitivo em termos de comissões e taxas de gestão?

    Obrigado pela ajuda e pela partillha.

    Responder
    • José

      Boa noite!
      Se for a ver o PPR da sgf poupança dinâmica tem melhores rentabilidades anualizadas a 3 e 5 anos do que o Stoik.. Contudo parece haver uma grande promoção a volta deste último.. além de que o Stoik tem comissão variável de 10%.. Que ainda não percebi se é bom ou mau..
      Eu tenho o AR e estou satisfeito! Boa rentabilidade para já..
      Eu tenho o

      Responder
  8. José Gonçalves

    Atenção às comissões! Estas incidem sobre o montante global que a entidade gestora está a gerir. É obrigatório a entrega antecipada da informação sobre o produto, neste caso PPR que se está a subscrever. Para estes casos é a IFI (Informação Fundamental ao Investidor). Ler bem a parte dos encargos e depois comparar.

    Responder
  9. João Silva

    Boa noite Pedro,
    Desde já os meus parabéns pelo seu trabalho no Contas Poupança que tem sido precioso para muitos portugueses que alheios a estes assuntos.
    Também eu sou novo nestes assuntos e tenho tentado acompanhar as suas dicas e explicações. A minha primeira aplicação foi em Certificados de Aforro no início deste ano. Contudo gostaria de avançar com outros produtos financeiros como PPR embora tenha algumas dúvidas que tentarei deixar aqui para tentar ajudar.
    1- caso invista num PPR, e pretenda ter benefício fiscal no IRS, deverei reforça-lo mensalmente ou aguardar pelo final do ano? Digo isto na perspectiva de que este PPR possa ser contabilizado em cada ano para efeitos de IRS, ou se terei de fazer novo PPR em cada ano.
    2- tendo em conta a atual conjuntura qual acha que seria um eventual momento certo para iniciar investimento em PPR e/ou ETF?
    Obrigado e continuação deste excelente trabalho!

    Responder
    • Pedro Andersson

      Ola. Obrigado!
      1) é igual
      2) ontem era tarde
      Abraço

      Responder
    • José

      Bom dia!

      Deve aplicar o valor total para ter o incentivo de uma só vez e já.. Se for um fundo PPR, em princípio, no final do ano vai estar mais “caro” e pode haver atrasos e já não conseguir fazer o PPR.. Eu apliquei o valor logo no início do ano..
      Quanto ao ETF não vale a pena estar a espera.. é muuuito mais importante o “time in the market” do que fazer “timing the market”…

      Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Partilhe o Artigo!

Partilhe este artigo com os seus amigos.