Já pode trocar as suas botijas de gás pela marca que quiser


ERSE aprova regras de trocas de garrafas de gás para aumentar a concorrência

Eu sei que provavelmente tem gás canalizado e que isto não lhe interessa, mas peço-lhe que pense nos seus pais ou avós ou familiares que vivem em zonas em que se usa ainda “botijas” de gás. É que quem vive na cidade não tem noção de que mais de 3 milhões de pessoas ainda vivem de botija em botija sem outras opções.

Avise-os disto e peça-lhes que façam “Gosto” na página de Facebook do Contas-poupança porque tenho verificado que 90% dos seguidores desta página estão no litoral. Parece que o resto do país não existe e a informação está disponível. É como se fosse um deserto em termos de informação.

Pode trocar de marca de garrafa de gás todos os meses

Acabei de ligar para a ERSE e garantiram-me que já está em vigor. Portanto se hoje for trocar a sua botija de gás vazia da Galp, BP, etc e pesquisar e descobrir que na loja ao lado a da concorrência está mais barata pode entregar a “cara” e levar a “mais barata” sem qualquer entrave ou problema. É só entregar e depois eles que façam as trocas que tiverem de fazer. É UM DIREITO SEU A PARTIR DE AGORA.

Se lhe disserem que não pode ser peça o Livro de Reclamações. Ou mostre-lhe este artigo no Blogue do Contas-poupança que cita do Comunicado da ERSE. Também vem nos jornais de hoje (30/8/2019). O dono da loja que pesquise no Google antes de começar a dizer que nunca ouviu e que não pode, e tal.

A Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) anunciou hoje que aprovou o regulamento do processo de armazenagem, recolha e troca de garrafas de gás de petróleo liquefeito (GPL), para “fomentar a concorrência na comercialização”, de acordo com o comunicado.

Este regulamento, aprovado depois de uma consulta pública, determina que “os comercializadores retalhistas — postos de venda — e os comercializadores grossistas — empresas que fornecem os postos de venda de gás engarrafado — estão obrigados a receber em troca garrafas de gás de marca comercial diferente das que comercializam”.

A ERSE explica que, assim, “o consumidor final poderá, no mesmo posto de venda — seja comércio tradicional, grandes superfícies ou postos de abastecimento de combustível — comprar uma garrafa de gás cheia e devolver uma garrafa usada equivalente, mesmo que seja de outra marca comercial”.

Estas são as marcas que comercializam gás em garrafa em Portugal.

Segundo o regulador, o objetivo deste regulamento passa por “fomentar a concorrência na comercialização de botijas de gás” através de uma estratégia que permite “a troca, a recolha e a armazenagem de garrafas usadas e posterior levantamento pelos respetivos proprietários, de uma forma transparente e não discriminatória, independentemente das marcas comercializadas”.

Se sentir algum problema faça queixa no site da ERSE. Portanto, a partir de agora, para além de comparar os preços entre distribuidores da mesma marca, passe a comparar também preços de marcas diferentes. Porque é que haveria de pagar mais pela mesma quantidade e qualidade de gás? Ao fim do ano pode ser uma poupança grande, sobretudo para idosos com reformas pequenas ou famílias com rendimentos baixos.

(ATUALIZAÇÃO)

Posteriormente a este artigo, face às perguntas sobre os redutores, pedir esclarecimentos à ERSE. Têm a resposta neste artigo AQUI.

 



Acompanhe-nos AQUI

NOVO LIVRO “CONTAS-POUPANÇA” 34 dicas para poupar muito mais e fazer crescer o seu dinheiro em 2019. É um livro que se paga a ele próprio apenas com uma dica. Se quiser conhecer também as dicas que demos nos primeiros 5 anos de programa, pode adquirir o livro “Contas-poupança I”. É só clicar AQUI ou nas fotos dos livros.

Registe-se AQUI para receber a Newsletter do Contas-poupança.

(Todas as dicas da semana num só e-mail).



Acompanhe-nos AQUI

NOVO LIVRO “CONTAS-POUPANÇA” 34 dicas para poupar muito mais e fazer crescer o seu dinheiro em 2018. É um livro que se paga a ele próprio apenas com uma dica.


9 comentários em “Já pode trocar as suas botijas de gás pela marca que quiser

  1. Avatar
    Francisco Gomes Reply

    Claro que nada disto é sério…neste País acho que ainda estão todos a dormir….esta gente toda desde a ERSE a Anacom e outras ….isto é para rir…..essa gente sabem lá o que é a vida das pessoas? eles sabem sim é a boa vida deles.. concorrência…onde e como? se estas empresas uasam e abusam deste povo…onde está a justiça? onde param as pessoas sérias e honestas? já lá vai o tempo…esse tempo já não volta mais…disso eu tenho pena…

  2. Avatar
    Paulo Rosa Reply

    Uma pergunta que se faz também é como mudar para gás canalizado existindo infraestrutura já montada e clientes nas ruas adjacentes? Quem paga o ramal para haver gás naquela rua que ainda não tem gas canalizado? Há alguma maneira de fazer este pedido? Tem custo directo para o futuro utilizador?

  3. Avatar
    Armanda Reply

    Já existe fornecedores de gás que fazem essa troca e também trocam os redutores mas nova lei talvez novos preços!!!

  4. Avatar
    Sandro Santos Reply

    O problema são os redutores de caudal de cada marca, que não são compativeis entre si e tem custos variaveis entre os 7 e os 15 EUR. Antes eram gratuitos e depois disto já não se trocam de forma gratuita.

    A menos que queira andar a trocar o redutor nas tubagens e ter uns 7 redutores (x o numero de bilhas) esta lei serve essencialmente para ZERO. Tanto mais que os preços variam entre sitios de compra (os supermercados são normalmente mais caros do que os agentes), mas pouco entre marcas. Onde compro a OZ é a mais barata, 1 EUR que a Galp e Repsol. A Cepsa anda pelo mesmo preço (atenção aos kg de gás por botija) e a Rubis é mesmo a mais cara.

  5. Avatar
    Sónia Pinto Reply

    Cuidado com a informação “sem qualquer entrave” porque habitualmente os chamados redutores – as peças que ligam as mangueiras às garrafas de gás não são universais, ou pelo menos não eram antigamente – não sei se já são agora;
    A informação que tinha é que não podem ser usadas botijas de marcas diferentes do redutor que está instalado no equipamento onde a botija vai ser utilizada por questões de segurança

  6. Avatar
    Paulo Reply

    Boa tarde Pedro
    Mais uma vez obrigado pela abordagem a um novo tema de interesse público!
    Coloco uma questão importante e que não me pareceu esclarecida, que se refere aos adaptadores da botija.
    Pelo que me é dado perceber, cada comerciante utiliza um tipo de adaptador (redutor) próprio, por isso não será suficiente trocar a botija, mas também será necessário trocar o adaptador.
    Ou será que esta questão já não é atualmente assim?
    Cumprimentos!

  7. Avatar
    Anibal Reply

    Boa tarde, a lei até pode ser positiva, mas normalmente o adaptador das garrafas são diferentes de marca para marca, ou seja, fica sem efeito essa troca! Obrigado

  8. Avatar
    Paulo Picaluga Reply

    Boa tarde
    Pois o problema são os “rotores” de cada marca, as trocas não incluem os mesmos e assim esta possibilidade de troca de garrafas de gás fica esvaziada de beneficio.
    A entidade reguladora devia éra implementar o mesmo tipo de bico de garrafa e ai sim este assunto éra importante.

    cps
    Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *