Pode trocar as botijas de gás – Mas e os redutores?


Trocar de marca de botija de gás é mais fácil a partir de hoje

A ERSE anunciou hoje mudanças para quem usa botijas de gás. Já sabíamos que a mesma marca e a mesma botija pode ser vendida preços MUITO diferentes até dentro da mesma cidade. É mesmo assim. Cada loja pode vender ao preço que quiser. O consumidor é que tem de saber escolher e comparar sempre.

Neste artigo AQUI, expliquei quais são as grandes mudanças.

Assim que publiquei o artigo no blogue, comecei a receber dezenas de observações e perguntas sobre a utilidade desta medida, uma vez que cada marca tem o seu redutor (há quem diga rotor; não sei qual está correto) específico. Ou seja, teoricamente posso mudar de marca mais facilmente (para a mais barata), mas só a trabalheira de mudar os redutores trava qualquer processo. Ainda mais se tiver de ser feito por alguém especializado. Confesso que em casa da minha mãe sempre fui eu que mudei os redutores. É só uma braçadeira e uma mangueira.

Se há alguma legislação sobre mudança de redutores apenas por técnicos especializados e certificados digam. Se assim for, há milhares de “criminosos” neste país.

A resposta da ERSE

A ERSE é a Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos, logo inclui o gás, para além da eletricidade. Fiz-lhes a pergunta que me fizeram.

4 marcas têm o mesmo redutor compatível

Esta informação é oficial e estou autorizado a citar a ERSE. Há um redutor no mercado, que se chama “LPG Jumbo” (não é vendido pelo Jumbo Hipermercado, OK? Chama-se Jumbo em todo o mundo). Este modelo é compatível em Portugal com as botijas da CEPSA, REPSOL, Rubis e Prio. Ou seja, quem tiver este modelo de redutor pode usar sem problemas de segurança (dito pela ERSE) qualquer botija do mesmo modelo destas 4 marcas sem ter de mudar o redutor. Ora, isto é uma informação nova para mim e talvez o seja também para vocês.

Quer dizer que, se tiver este redutor específico, entre estas 4 pode sempre escolher nesse mês qual vai usar usando como critério o preço, se quiser dar-se ao trabalho de comparar entre lojas e marcas. Não tem de trocar de redutor.

Quem tem Galp, Oz e Tuti gás tem de usar o redutor deles. Se quiser trocar de marca, terá de trocar de redutor. Presumo que continue a ser gratuito quando troca de marca. Mas há a questão do trabalho que dá e se sabe trocar o equipamento em segurança. Não me vou meter nisso nem sugerir que faça algo com que não se sente confortável para poupar alguns euros. Avalie.

Claro que, na minha opinião, o ideal era haver um redutor universal para todas as marcas. Isso sim ia fomentar a concorrência. Mas tudo o que é universal cria dificuldades porque mexe no mercado. Veja-se o que se passa com os carregadores de telemóvel “universais”. Cada um quer ter o seu para manter os clientes “fidelizados” através do equipamento. Fica a sugestão para a ERSE.

A facilidade está na troca

Se lerem bem a informação dada pela ERSE (tem o link no princípio deste artigo) a “novidade” é que todas as lojas são obrigadas a aceitar as botijas da concorrência quando muda de marca (e de redutor, se for o caso). Não tem de as devolver na marca respectiva e receber uma caução ou algo do género.

Espero que me perdoem alguma incorreção porque já não uso botijas há décadas (literalmente). A minha mãe ainda usa. Se identificarem alguma falha, digam que eu corrijo. Quero perceber o que se passa porque até pode dar uma boa reportagem do Contas-poupança.

O que muda

Vai a uma loja da marca que quer, entrega a velha da concorrência e leva a nova marca com o redutor (volto a sublinhar – se não for daquele compatível com 4 das marcas) e tudo sem ter de pagar nenhuma “diferença”. Essa é a alteração. Esta informação pode ser útil para milhões de portugueses que dependem diariamente de botijas. Se puderem ter o mesmo gás por menos dinheiro é uma informação útil.

Portanto, dirijam-se aos vossos abastecedores de botijas de gás e se forem das 4 marcas mencionadas acima, perguntem se o redutor que têm em casa é o tal “LPG Jumbo”. Se for, já têm mais margem de escolha sem terem trabalho nenhum.

Não faça nada com dúvidas. Aconselhe-se junto do seu revendedor antes de mudar o que quer que seja. Mas compare com as informações dadas pela ERSE. Não se esqueça que ele quer continuar a vender-lhe a marca dele e não a marca mais barata para si. O que é normal.



Acompanhe-nos AQUI

NOVO LIVRO “CONTAS-POUPANÇA” 34 dicas para poupar muito mais e fazer crescer o seu dinheiro em 2019. É um livro que se paga a ele próprio apenas com uma dica. Se quiser conhecer também as dicas que demos nos primeiros 5 anos de programa, pode adquirir o livro “Contas-poupança I”. É só clicar AQUI ou nas fotos dos livros.

Registe-se AQUI para receber a Newsletter do Contas-poupança.

(Todas as dicas da semana num só e-mail).

 



Acompanhe-nos AQUI

NOVO LIVRO “CONTAS-POUPANÇA” 34 dicas para poupar muito mais e fazer crescer o seu dinheiro em 2018. É um livro que se paga a ele próprio apenas com uma dica.


9 comentários em “Pode trocar as botijas de gás – Mas e os redutores?

  1. Avatar
    diogo Reply

    um acrescento.. hoje ao meterem o redutor para a botija da rubis vi que meteram da SRG jumbo.. fiquei logo intrigado se daria como a LPG jumbo. E tive a ver online.. JUMBO é a válvula na botija.. logo ai qql redutor jumbo dá para as botijas cepsa, rubis, prio e repsol. 🙂

  2. Avatar
    diogo Reply

    muito obrigado por este artigo. foi fundamental para a minha decisão. Estou num novo sítio que já tinha duas garrafas de gás. Uma da OZ (que estava a ser usada) e outra da RUBIS (no canto, nao sei porq). Ora quando terminou a OZ vi que o redutor não encaixava na rubis (de realçar que a rubis parecia ainda com gás). E com isto vim à net e dei d caras com este artigo.. e já me decidi. Gás dessas 4 marcas.. assim posso ver preço e qual a mais barata.. e têm distribuidores na minha zona! Mt obrigado pela informação.

    E nem sabia da especificidade do redutor. Defendo completamente o redutor universal.

  3. Avatar
    Joao Reply

    É pena notícias destas serem escritas por pessoas ignorantes sobre o assunto e poucos profissionais, porque mesmo sendo ignorante poder-se-ia ter informado sobre o assunto em vez de escrever “estupidezes”. Mas é o país que temos.

    • Avatar
      Armando Reply

      Felizmente temo-lo a si, que veio aqui esclarecer todos os leitores. Bem haja João pelo brilhante serviço prestado.

    • Avatar
      Miguel Caetano Reply

      Sr. João. Já que na matéria de gás não é ignorante pode informar os leitores quais as “estupidezes” que foram ditas e como devemos proceder. Fico-lhe desde já muito grato.

  4. Avatar
    Olinda Reply

    Paleativos, para continuarem a iludir os clientes.
    Baixar o preço do Gás para valores perto dos valores de Espanha, é que nada…
    Essa é que deveria ser a nossa luta…Agora mudar de marca de Gás, sempre se pode…e com jeitinho, redutores, tb sempre se arranjava…
    Nada de mais..

  5. Avatar
    António Fernandes Reply

    Boa noite,

    Utilizo Bp a alguns anos com o preço da botija sempres a subir, numa outra zona não muito longe +ou- 15 Km ficava mais barato por volta dos 5€ e que não posso comprar porque não é da minha zona. Como cada um tem de olhar pela nossa carteira, andei a ver o mercado á algum tempo para outras marcas e cheguei à Tutigás qual o meu espanto para a mesma botija mais barato +ou- 15€. Que diferença!!!!!!! Mas gostava de saber, não sei se me pode ajudar, mesmo sendo de marcas diferentes a mesma botija, se porventura tem a mesma durabilidade?
    Aguardo o seu comentário para breve e muito obrigado pela ajuda.

    Com os melhores cumprimentos.

    António Fernandes

  6. Avatar
    Elsa Ferreira Reply

    Há 30 anos já era possível mudar de marca e de redutor sem pagar mais por isso, a pessoa só pagava a botija de gás. Os meus pais tinham uma mercearia e vendiam gás de garrafa da “BP”. Sempre aceitamos uma botija e respectivo redutor de outra marca e cobravamos só o conteúdo da botija. O redutor era trocado, sem custo para a pessoa. Mas por norma as empresas mais “familiares” ou aquela mercearia do vizinho, têm sempre alguém que pode fazer a ligação.
    A nível de legislação sobre segurança, a ERSE (infelizmente) não faz o mesmo que faz com o gás natural, em que só alguém devidamente credenciado pode alterar instalações de gás e converter aparelhos, por exemplo. Resumindo, não existe nada a impor regras de segurança ao mexer em instalações que têm gás de garrafa. Se bem calha ainda há iluminados que para verem se está tudo ok, após mudarem a botija, ainda acendem o fósforo “para ver se não deita gás”…
    O preço praticado na venda de gás de garrafa é vergonhoso e pena é o gás natural não chegar a todo o Portugal (mesmo com iva a 23%).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *