A minha seguradora aceitou baixar o seguro do carro por causa da Covid-19

Escrito por Pedro Andersson

09.08.20

}
8 min de leitura

Publicidade

Uma seguradora aceitou baixar o meu seguro do carro (a outra ainda não respondeu)

Baixou quanto?

Como avisei no blogue assim que a lei foi aprovada, qualquer pessoa afetada pela Covid-19 (por encerramento do estabelecimento, quebra de rendimento, por estar em teletrabalho, etc.) podia contactar a sua seguradora e pedir um desconto. É a Lei 20 de 12 de Maio de 2020 (Descarregue AQUI: Lei 20 de 12 de Maio).

Nela diz que pode solicitar até final de Setembro (Sim, solicitar. Eles não são obrigados a aceitar) que a seguradora faça um abatimento já ou na próxima anuidade se, por exemplo, tinha seguros para o carro com o qual trabalhava, ou para os seus funcionários, e durante 3 ou 4 meses não conseguiu sequer abrir a porta ou trabalhar. E tem ainda outras proteções que pode utilizar. Inclui seguros de acidentes de trabalho, de instalações, etc. Informe-se.

No caso de empresas que encerraram mesmo, o desconto é obrigatório. Mas tem de o pedir. Mas no caso de particulares, se usa o seu carro para trabalhar e está em teletrabalho, muitos tentaram pedir o desconto e conseguiram um desconto adicional na próxima anuidade.

Alguns pediram e a seguradora recusou. Só saberá se tentar. Eu pedi às minhas duas seguradoras, enquanto particular. Uma já aceitou, a outra ainda está a “pensar”.

Eu fiz o pedido às minhas duas seguradoras e a Caravela já respondeu. Baixou o meu prémio de 231,55 € para 217,63€.

No caso da Allianz (onde é que já lá vão os 10 dias previstos na lei…), já passaram quase 2 meses desde que fiz o pedido e continuo a aguardar a resposta. Insisti com eles e responderam-me que o meu pedido estava a ser ignorado porque fiz o pedido diretamente à sede e eles têm por política que têm de ser os mediadores que fizeram os seguros a responder.

Ora o meu mediador não sabia do meu pedido. Eu mandei o e-mail para o apoio ao cliente da empresa. Eles é que têm de se organizar para não haver pedidos (sejam eles quais forem) perdidos. Nestes casos, tem de ser a empresa internamente a reencaminhar estes pedidos para os mediadores. Às vezes acho que têm de ser os clientes a ensinar às empresas como se deve fazer. Enquanto cliente não gostei de sentir que o meu processo estava perdido. Em seguradoras esse “erro” é grave. E ainda não sei como está o processo. Vou insistir.

Voltemos ao meu pedido à Seguradora Caravela.

O meu e-mail com o pedido de “desconto” no prémio do seguro

Assunto: Abatimento do SEGURO AUTOMÓVEL devido à Covid-19

Caros senhores,

Nos termos do Decreto-Lei n.º 20 – F/2020, de 12 de Maio , ”podem ser convencionados… a redução temporária do montante do prémio em função da redução temporária do risco” devido à pandemia da Covid-19.

No que diz respeito à minha apólice XX.XXXXXXXX, informo que entre o dia 15 de Março e o dia 15 de Junho estive limitado a trabalhar apenas 15 dias por mês, por imposição da empresa. Durante os dias em que não trabalhei, a viatura esteve parada na garagem devido ao confinamento.

Esta situação fez diminuir o risco de sinistralidade de forma substancial e solicito que levem isso em conta na próxima anuidade, que acaba de me ser enviada, no total de 231,55 €.

Tendo em conta o espírito da lei, a minha proposta é que o desconto seja proporcional a um mês e meio da anuidade do prémio, ou seja, 28,94 €.

De acordo com a norma da ASF divulgada esta semana, que densificou o Decreto-Lei supracitado, terão 10 dias para responder ao meu pedido.

Fico a aguardar a vossa resposta por carta, por e-mail ou por outro meio escrito à vossa disposição.

Com os meus melhores cumprimentos.

27 de Junho de 2020

O TOMADOR DE SEGURO,

Pedro Andersson

Passados uns dias, sem ter insistido, recebi esta resposta por parte da seguradora.

Como podem verificar, apenas com este e-mail reduziram o meu prémio em 13,92 €. Eu tinha pedido uma redução de 28,94 €. Era o que eu queria? Não. 14 euros é melhor do que nada? Claro que sim. Na moeda do Contas-poupança, representam 29 litros de leite que comprarei de “graça” por ter enviado um e-mail.

Agora falta saber a resposta da Allianz. No caso do carro da minha mulher, a viatura ficou mesmo parada na garagem durante 3 meses (esteve em teletrabalho sem sair de casa, só eu é que saía para fazer tudo). Estou curioso e não vou desistir da resposta mesmo que seja negativa. Se for, depois decido o que fazer com essa apólice. Há tanta concorrência…

Estes momentos servem também para avaliar a importância que as empresas dão à sua relação com os clientes.

Quantas empresas deram descontos e de quanto?

Este relatório acaba de ser divulgado pela ASF (Autoridade de Seguradoras e Fundos de Pensões). Depois da lei aprovada, a ASF “obrigou” as seguradores a dizerem regularmente se estão a cumprir a lei ou não. Relatório de aplicação do DL20F_2020

Um breve parêntesis para dizer que ainda vai a tempo de pedir este “desconto” às seguradoras. Mas o tempo está a escassear. Acaba no fim de Setembro. Ou pede agora ou depois já não tem direito (pelo menos com base nesta lei).

Este texto a seguir é da ASF (pelo meio darei as minhas notas e interpretações):

O Decreto-Lei n.º 20-F/2020, de 12 de maio, estabelece um regime excecional e temporário relativo aos contratos de seguro, com impacto nos consumidores. Na sequência da análise da informação reportada pelas empresas de seguros relativamente ao período de 13-05-2020 a 30-06-2020, foi possível concluir, para os quatro principais segmentos de negócio dos ramos Não Vida, que:

− Cerca de 1,3 milhões de contratos foram objeto de acordo entre as partes com vista à aplicação de um regime mais favorável ao tomador do seguro no que diz respeito ao pagamento dos prémios, a maior parte dos quais no âmbito dos seguros Automóvel (660 mil contratos) e de Doença (400 mil).  NOTA MINHA: Suponho que este número seja sobretudo proveniente das seguradoras que fizeram essa atualização automaticamente para TODOS os clientes. Não acredito que tenha havido 1,3 milhões de pedidos de acordo por parte dos clientes, como verá a seguir. Se fosse assim, estaria orgulhoso dos clientes de seguros em Portugal. Chamar “acordo” parece-me claramente um exagero de linguagem. Se estiver enganado digam. Basicamente o “acordo” será o valor que as seguradoras “ofereceram”. Não me parece que tenha de facto havido uma negociação desse valor entre os clientes e as seguradoras.

− Em aproximadamente 3,3 milhões de apólices (a maioria dos seguros Automóvel, 1,9 milhões, e de Incêndio e Outros Danos, 1,2 milhões) a validade das coberturas obrigatórias foi prolongada em 60 dias. NOTA MINHA: Isto é mesmo obrigatório por lei, portanto não é nenhum “favor” por parte das seguradoras.

− Os prémios foram reduzidos em 42 mil contratos que cobrem atividades que se encontravam suspensas ou que sofreram uma redução substancial, ou cujos estabelecimentos estavam encerrados devido medidas excecionais e temporárias adotadas em resposta à pandemia da doença COVID-19. NOTA MINHA: Aqui sim, já me parece um valor mais real. Dos milhões de apólices houve provavelmente 42 mil clientes conhecedores dos seus direitos que fizeram de facto o pedido de redução do prémio ou que as seguradoras tomaram a iniciativa (algumas fizeram-no voluntariamente – o que é de elogiar) de baixar os prémios face à situação óbvia de estarem a pagar um prémio sobre uma cobertura que não existia por estarem os estabelecimentos encerrados ou outras situações.

Um pouco mais de 1.200 apólices correspondentes às mesmas atividades foram ainda objeto de aplicação de um regime de fracionamento do prémio sem custos adicionais. NOTA MINHA: Parece-me pouco. Acho que haverá muitos estabelecimentos e clientes particulares que poderiam beneficiar desta ajuda e que não pediram por desconhecimento ou inércia (preguiça).

Neste gráfico da ASF tem o número de seguradoras que deram descontos (7 seguradoras não deram) e de quanto. Como podem ver, os descontos dados vão do ZERO aos 30% (duas seguradoras). Portanto, só saberá que desconto lhe vão dar SE PEDIR. Basta mandar um e-mail, como viu no meu caso.

Tem aqui o episódio do podcast que fiz em Junho, a alertá-lo para esta ajuda. Aproveite-a.

https://contaspoupanca.pt/2020/06/28/podcast-18-ja-pediu-o-seu-desconto-nos-seguros-por-causa-da-covid-19/



Acompanhe-nos AQUI

NOVO LIVRO “CONTAS-POUPANÇA” 34 dicas para poupar muito mais e fazer crescer o seu dinheiro em 2019. É um livro que se paga a ele próprio apenas com uma dica. Se quiser conhecer também as dicas que demos nos primeiros 5 anos de programa, pode adquirir o livro “Contas-poupança I”. É só clicar AQUI ou nas fotos dos livros.

Publicidade

Sobre mim: Pedro Andersson

Ir para a página "Sobre Mim"

Siga-nos nas Redes Sociais

Para si | Artigos Recentes 

Eletricidade | ERSE vai fixar tarifas em junho devido à “volatilidade de preços”

Decisão do regulador implica aumento das tarifas a partir de junho A Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) anunciou em comunicado uma proposta de fixação excecional das tarifas de eletricidade a partir de dia 1 de junho. De acordo com o regulador, a...

Autoridade Tributária volta a alertar para e-mails fraudulentos

Contribuintes recebem e-mails falsos sobre "divergências" no IRS A Autoridade Tributária (AT) voltou a alertar os contribuintes para a circulação de um e-mail falso que indica "divergências" na declaração de IRS. Outras mensagens fraudulentas que parecem ter sido...

EURIBOR HOJE | Taxas descem em todos os prazos

Euribor Diariamente, divulgamos aqui na página "Contas-poupança", o valor das taxas Euribor a três, seis e 12 meses. Embora as alterações diárias não tenham um impacto direto na sua prestação do crédito à habitação, são um indicador precioso para perceber a tendência...

PODCAST | #234 – Vamos a contas | Devo investir o meu Fundo de Emergência?

Um ouvinte do podcast começou a pôr as suas contas em ordem e já tem completo o seu fundo de emergência. Mas custa-lhe ver o dinheiro parado sem render nada. A pergunta dele é se não seria inteligente pegar nesse dinheiro e investi-lo. Esta é uma pergunta muito comum....

TOP 10 dos COMBUSTÍVEIS | Quem subiu e quem desceu (semana 22 a 28 abril)

Qual a marca de combustíveis mais barata esta semana? Enquanto consumidor, um dos meus maiores desafios é encontrar uma fórmula eficaz para poupar nos combustíveis. É difícil porque os preços mudam todas as semanas (ou várias vezes por semana), cada posto faz os seus...

COMBUSTÍVEIS | Qual é o preço justo esta semana? (22 a 28 de abril)

Qual deveria ser o preço justo? A ERSE faz semanalmente as contas para o consumidor saber qual é o preço "justo" dos combustíveis face ao preço das matérias-primas e transportes de combustível. Esse preço "justo" já inclui uma margem de lucro de cerca de 10% para as...

COMBUSTÍVEIS | Qual a marca mais barata esta semana?

Qual a marca de combustíveis mais barata esta semana? Há anos que ando para fazer este comparativo. Hoje foi o dia. Enquanto consumidor, um dos meus maiores desafios é encontrar uma fórmula eficaz para poupar nos combustíveis. É difícil porque os preços mudam todas as...

EURIBOR HOJE | Taxas descem em todos os prazos

Euribor Diariamente, divulgamos aqui na página "Contas-poupança", o valor das taxas Euribor a três, seis e 12 meses. Embora as alterações diárias não tenham um impacto direto na sua prestação do crédito à habitação, são um indicador precioso para perceber a tendência...

EURIBOR HOJE | Taxas descem a três meses e sobem a seis e 12

Euribor Diariamente, divulgamos aqui na página "Contas-poupança", o valor das taxas Euribor a três, seis e 12 meses. Embora as alterações diárias não tenham um impacto direto na sua prestação do crédito à habitação, são um indicador precioso para perceber a tendência...

PODCAST | #233 – Quanto é que vou poupar com os novos escalões do IRS?

Conheça a nova tabela dos escalões do IRS O Conselho de Ministros da passada sexta-feira decidiu reduzir as taxas de todos os escalões de rendimento até ao 8.º escalão. Só o 9.º escalão (quem ganha mais de 81 mil euros por ano) fica de fora. Quanto é que isso vai...

Publicidade

Artigos relacionados

16 Comentários

  1. João Santos

    Tenho uma apólice na Allianz, escrevi ao mediador que reencaminhou para a Allianz mas ainda não tive resposta (estou a aguardar há umas 2-3 semanas).
    Não por acaso, a Allianz é conhecida por gostar muito de receber mas levantar inúmeros obstáculos quando se trata de pagar alguma coisa. O montante até pode ser pouco mas está em causa a postura de gigantes milionários perante a situação dramática que muitas famílias estão a atravessar. Provavelmente será a minha última apólice na Allianz.

    Responder
  2. Pedro Silva

    No meu caso , tentei negociar tudo o que era possível . Num seguro , a seguradora aceitou baixar o valor . No entanto enquanto aguardava a resposta , tive tempo para examinar a concorrência e achei um seguro com condições muito melhores do que as que eu tinha e muito mais barato do que o seguro com o desconto que a minha seguradora me deu . Como estava na altura da renovação da anuidade é claro que mudei para a nova seguradora . Portanto ao pedirmos desconto , estamos também a pressionar a concorrência a baixar os preços para que os preços das novas apólices sejam mais baixos do que os preços com desconto das apólices actuais !

    Responder
  3. Carla

    Concordo com o comentário do Sr. João Santos. Também tive uma má experiência com a Allianz, mas por causa do seguro multirriscos habitação. Quando precisei accionar o seguro, aplicaram-me uma franquia que não estava mencionada nas condições particulares que indicavam no ato da adesão. Vieram sempre com uma arrogância com a conversa das condições gerais e foram até à exaustão. A postura foi: ou aceitas o que indicamos que pagamos ou não recebes nada!

    Responder
  4. Patrícia Carvalho

    Boa tarde Sr. Pedro.

    Muito obrigada por mais uma informação super útil.
    Acabei de fazer o pedido ao meu mediador da Tranquilidade, agora resta aguardar.

    Responder
  5. Carla

    Boa noite, Sr. Pedro Andersson

    Recebi ontem a resposta ao meu pedido, após insistência, dado que ao primeiro email nem responderam. A resposta dos Seguros Continente foi a que transcrevo:
    Em resposta ao seu e-mail, que mereceu a nossa melhor atenção, esclarecemos, antes de mais, que do artigo 2.º, n.º 2, do DL n.º 20-F/2020, de 12 de maio, não decorre qualquer obrigação de redução de prémio, mas apenas a possibilidade de as partes – seguradoras e clientes – estabelecerem um acordo relativamente à redução excecional e temporária do montante do prémio de seguro, em função da redução temporária do risco.
    Assim, informamos que registámos o seu pedido e iremos analisar a possibilidade de atribuir este benefício aquando da renovação da apólice supra citada, não nos sendo, no entanto, possível fazê-lo antes dessa data.

    Agradecemos, desde já, a sua compreensão e esperamos poder continuar a contar com a sua confiança.
    Com os nossos cumprimentos.

    Provavelmente, será também para não renovar. Enfim…

    Responder
    • Pedro Andersson

      Olá. Comece a procurar na concorrência. Ter simulações dos outros faz milagres :). Se ficar à espera da renovação fZdm o que querem. Tem de decidir um mês antes da renovação.

      Responder
  6. Nuno Ricardo

    As Seguradoras, no geral, são do piorio em eficiência e respeito pelo cliente, se não for o cliente a “mover-se” nunca agem proactivamente e perdem demasiadas vezes documentos; a Zurich é das piores, “perdeu” vários pedidos de anulação de seguros entregues no mediador e a resposta deles é pedir o comprovativo dos pedidos, que nunca entregaram nem entregam. E levaram 1 ano a alterar a morada na base de dados, um ano de coprrespodência que foi parar a outra morada, por “motivos técnicos”.

    Responder
  7. Ricardo Peralta

    Obrigado pela dica sr Pedro, já tinha ouvido no seu podcast a semana passada. Vou tratar de mandar um mail ao meu mediador.
    Infelizmente vou estar 14 dias confinado, e a minha mulher já teve a bastante tempo durante o ponto alto da pandemia.

    Responder
  8. pedro solipa

    Boa tarde,
    Estava parcialmente a par da situação. Não sabia que tinha que fetuar o pedido até Setembro, pois como o meu seguro automóvel renova em abril de 2021 estava a aguardar…
    Muito obrigado pela utilidade desta e das outras informações que vai disponibilizando.

    Responder
  9. JELBA

    Enviei mail para a Allianz por causa do seguro da mota e a resposta é que o DL 20-F/2020 só se aplica a empresas e a trabalhadores independentes.

    Pensava que os particulares também tinham direito ao desconto!

    Responder
    • Pedro Andersson

      Umas aceitam outras não. Ou fica assim ou muda de seguradora 🙂

      Responder
  10. Jéssica Franco

    Obrigada pela ajuda Pedro !
    No meu caso pago mensalmente o seguro à BMW BANK, tendo obtido a seguinte resposta:

    De acordo com a análise efetuada, informamos que não existe possibilidade de redução do prémio de seguro, uma vez que já se encontra a usufruir da tarifa mais baixa devido ao tipo de contrato celebrado.
    Aproveitamos para informar que o nosso protocolo com a Seguradora já garante o que no Decreto-Lei está espelhado, isto é:

    – Pagamos o prémio anual da Apólice diretamente à Seguradora, debitando de forma fracionada mensalmente ao segurado sem custos adicionais associados;
    – No caso de incumprimento de pagamento por parte do segurado, a Apólice continua ativa mantendo todas as suas coberturas, sem risco de cancelamento da mesma o que só sucederá por rescisão da relação contratual.

    Assim sendo, consideramos que o modo de pagamento e gestão do Seguro contratado, já engloba as condições agora preconizadas pelo referido Decreto-Lei.

    Responder
  11. Cátia Alves

    Exma. Senhora Cátia Alves,

    Após ter consultado a Allianz sobre o seu pedido abaixo, reencaminho a resposta que obtivemos:

    “O regime previsto no DL 20-F/2020 de 12 de Maio apenas se aplica a empresas ou empresários em nome individual, que desenvolvam determinada actividade económica, e apenas a seguros que cubram riscos dessa actividade, sempre na condição dessa mesma actividade estar suspensa ou ter sofrido uma significativa redução em resultado das medidas de combate aoCOVID-19.

    Este caso não tem enquadramento direto no DL, apenas o poderemos aceitar no caso do Tomador comprovar que exerce uma atividade:

    a. que se encontra suspensa (indicar período) ou em regime de layoff

    b. cujos estabelecimento ou instalações ainda se encontrem encerradas

    c. cujas atividades se reduziram substancialmente, em decorrência direta ou indireta das medidas excecionais e temporárias adotadas em resposta à pandemia da doença COVID-19.”

    Esta foi a resposta da minha seguradora.

    Responder
    • Pedro Andersson

      Olá. E está uma resposta correta e legal. Agora vê a concorrência e vê se continua com eles ou se muda 🙂

      Responder
  12. Manuel Silva

    Boa tarde, desde ja agradeço a partilha de info acerca da negociação do prémio de seguro.
    Venho apenas colocar uma questão, contactei a Caravela Seguros para pedir a negociação do prémio de seguro devido ao impacto covid19. A resposta que obtive da seguradora e passo citar ” as decisoes em matéria de ajustamento das condições contratuais, conforme aprovado pelo dec 20 F /2020, são implementadas nas datas de renovação de apólice.”
    Estive a consultar o Dec lei 20, e não me pareceu que fosse imperativo que o pedido de redução do prémio possa apenas acontecer na altura da renovação de apólice. Posto isto, é possivel dizer se o mesmo aconteceu com alguém? é que a data de renovação de apólice é apenas para Novembro o que vai muito para além do Setembro como data limite de pedido e não sei como é que posso oficialmente fazer o pedido de modo a que fique registado até Novembro.

    Responder
    • Pedro Andersson

      Olá. O meu desconto foi na renovação. E é o que faz sentido. Se não renovar é que podem fazer o estorno já. E é só se quiserem… Não são obrigados.

      Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Partilhe o Artigo!

Partilhe este artigo com os seus amigos.