Painel solar fotovoltaico – Balanço Março de 2020 (mês 40)




Balanço do mês de Março de 2020

Março de 2020 foi um mês bom. Mesmo assim abaixo de Março do ano passado. Mas quem tem um painel solar sabe que não vale a pena fazer comparações porque é irrelevante. Nós não mandamos no tempo, quando muito poderíamos mudar a posição do painel solar ao longo dos meses, mas a diferença seria tão mínima que não daria para o trabalho. Ainda o estragávamos com tanto aparafusar e desaparafusar.

Como pode ver no gráfico, o painel começa a produzir cada vez mais todos os meses desde Janeiro até chegar a Agosto e a partir daí começa mensalmente a descer outra vez.

Recordo a quem chegou agora ao blogue que instalei um painel solar fotovoltaico (que produz eletricidade) em 2016. Gastei na altura 620 euros (painel mais instalação completa) e estou mensalmente a fazer as contas para perceber se foi ou não um bom investimento.

Partilho estas minhas contas porque sei que há muita falta de informação sobre o tema dos painéis solares (muitos acham que é muito caro ou que é muito complicado) e sobre as contas que devem fazer para avaliarem se compensa no vosso caso. Assim têm contas reais (e não as que fazem nas publicidades e as dos vendedores).

Os números

O painel solar (só tenho um) produziu em Março 36,687 kWh (mais 10 kWh que em Fevereiro). Para perceber como funciona a sua fatura de eletricidade, 1 kWh são 1.000 W. Como exemplo, se o seu aspirador é de 1.500 W significa que por cada hora de utilização paga cerca de 30 cêntimos de eletricidade (com IVA e taxas). 1kWh custa cerca de 20 cêntimos.

Portanto, como a sua casa gasta primeiro o que o painel produz (e o meu produz no máximo 250 W por segundo) posso ter um desconto de 25% em cada 1.000 W que gastar durante as horas de pico do sol.

Voltemos ao que interessa:

Aqui pode ver o dia a dia de Março. Quase todos os dias foram excelentes em termos de produção de eletricidade.

O que o painel fotovoltaico de 250 W produziu em Março representou 6,64 € de poupança na minha fatura da luz, se tivesse consumido tudo o que o painel produziu no mês passado. O preço do meu kWh baixou mais uma vez porque renegociei com a Endesa. Tinha tarifa simples de 0,1839 (com IVA) e agora estou a pagar 0,1810 €. Como sabe, não tenho medo de mudar de empresa se encontro mais barato. A consequência é que poupo mais na fatura da eletricidade, mas poupo menos com o meu painel solar. Isso não me incomoda nada porque a parte do painel é ínfima em comparação com os meus gastos mensais.

O que não gastar, oferece

Devo sublinhar (como faço sempre em todos os artigos) que tem de compreender que tudo o que eu não consumir no exato momento em que o painel produz a eletricidade, é oferecido à rede elétrica nacional a custo zero.

A minha porta HAN

No artigo do mês passado, expliquei que pedi à EDP Distribuição que me instalasse uma porta HAN (é assim que se chama) no meu contador para colocar um aparelho que me transmite para o telemóvel o que a minha casa está a consumir e o que está a “oferecer” à rede elétrica nacional. É este fio preto.

Foi gratuito porque fui dos primeiros a pedir (demorou quase 6 meses desde o pedido até à instalação) mas agora já custa 14 euros ou perto disso. Deve ser para não começarem agora todos a pedir indiscriminadamente sem precisarem.

Pedi esta porta (têm de tirar o selo, instalar, e voltar a colar o selo) para verificar pelos meus próprios meios se as medições estão a ser bem feitas ou não e se batem certo com os meus consumos reais, para fazer gráficos, receber alertas de consumo e para saber FINALMENTE a minha percentagem de desperdício de energia que o painel produz e que eu não consumo.

Entretanto já me chegou pelo correio o aparelho que pedi para fazer essas medições. Para os mais curiosos, custa 74,79 €. Mas só paga uma vez e não tem mais mensalidades. Eu tenho estes aparelhos por razões profissionais e pessoais. Sublinho que não tenho nenhuma ligação a nenhuma empresa, nem recebo um cêntimo para falar do que quer que seja. Partilho aqui as minhas experiências. Boas e más. Até ao momento não encontrei outro aparelho que pudesse ligar à porta HAN. Se encontrar diga.

O desperdício do meu painel solar

Agora que já passou um mês completo e com este aparelho consigo saber ao cêntimo quanto estou a “atirar” para a rede de graça já posso fazer contas reais em todos os aspectos. Por exemplo reparem na diferença que faz estar em casa ou não.

Desde o dia 14 de Março, como estamos a gastar eletricidade desde que o sol nasce até que se põe o desperdício tem sido zero ou no máximo cerca de 2 cêntimos por dia. Escreverei um artigo detalhado só sobre isto.

Por isso é que é tão importante que não compre uma quantidade de painéis que produzam mais eletricidade do que aquela que consome durante as horas de sol. Se não tem ninguém em casa a essas horas ter mais do que um painel pode ser um desperdício absoluto.

Se vai perguntar porque não tenho baterias, repito que são muito caras (cerca de 5 mil euros) e que para recuperar o investimento demoraria décadas. Não estou disposto a isso.

As contas à poupança

Abaixo tem a evolução da produção ao longo dos últimos meses e a respectiva poupança.

 

Se tivesse consumido tudo o que o painel produziu teria já poupado até agora 259,17 €. Volto a sublinhar que gastei 620 euros no painel e instalação, em 2016. O retorno do investimento continua estável em cerca de 8 anos. Agora já consegue o mesmo ou melhor por cerca de 500 euros. Como não gasto tudo o que produzo, tenho um desperdício de 18%, agora confirmado com o aparelho que instalei. Assim, no meu caso o retorno do investimento será em 9 anos e meio reais.

Na minha opinião – que vale o que vale –  todos os portugueses com um telhado virado a sul deveriam ter 1 painel solar. Se depois vale a pena ter 2, 3 ou 6, ou 20 é outra conversa, como explico nesta reportagem. Faça muitas perguntas num instalador perto de si e informe-se. Não é tão complicado como pensa.

Até agora não estou nada arrependido. Mas tem de fazer as contas ao seu caso. Se não percebe nada disto explico-lhe apenas que é só instalá-lo no telhado e ligar o fio que sai do telhado a uma tomada lá de casa, como se fosse um frigorífico.

Tem aqui o vídeo com a instalação do meu painel, caso ainda não tenha visto.

Até ao próximo mês.



Acompanhe-nos AQUI

NOVO LIVRO “CONTAS-POUPANÇA” 34 dicas para poupar muito mais e fazer crescer o seu dinheiro em 2019. É um livro que se paga a ele próprio apenas com uma dica. Se quiser conhecer também as dicas que demos nos primeiros 5 anos de programa, pode adquirir o livro “Contas-poupança I”. É só clicar AQUI ou nas fotos dos livros.

27 comentários em “Painel solar fotovoltaico – Balanço Março de 2020 (mês 40)

  1. Avatar
    Miguel Reply

    Boa tarde. Estou a pensar adquirir 2 painéis de 295w cada um. Comecei a pesquisar e li vários depoimentos de pessoas que o excedente de energia que era injectada na rede por não a consumirem era debitada como consumo próprio. Esse contador que mostra nesta pagina é igual ao meu. Já está preparado para autoconsumo? Obrigado

    • Avatar
      Nelson M. Reply

      Miguel, se é para ser você a montar e não tem carteira para registar o melhor é optar apenas por 1 painel de 350W, porque até 350W, desde que tenha alguns conhecimentos pode fazê-lo sem ninguém chatear. Se é uma empresa, porque não opta logo por painéis com mais potência porque a empresa fará o registo…
      Compare os preços, por vezes as eléctricas, mesmo a prestações não fica mais barato que a outras empresas.
      Quanto ao contador, é quase certo que está apto e não precisa de nada, mas para estar descansado faça como eu… Ligue para a EDP Distribuição que é a empresa responsável pelas linhas, instalações e contadores, eles através dos seus dados sabem como está o seu contador e se está apto ou não.
      Não ligue para a EDP, esses só querem vender, é EDP Distribuição
      https://www.edpdistribuicao.pt/pt-pt

  2. Avatar
    Luis Sousa Reply

    Boa tarde Pedro,

    já tenho instalado o 4º painel (1140W em painéis) e faz hoje 2 anos que instalei os 2 primeiros.

    Fiz as contas com base no que os painéis produziram menos o que é desperdiçado nestes 2 anos e paguei a menos à minha fornecedora de luz até ao dia de ontem 310€ , a rentabilidade dos paineis estão nos 80,4%.
    Cumprimentos

  3. Avatar
    José Reply

    Boa noite.
    Alguém tem recomendações de empresas que vendam e instalei painéis fotovoltaicos no distrito de Coimbra?
    Obrigado

  4. Avatar
    carlos amado Reply

    Olá boa-tarde.

    Gostaria de ser informado, acerca de qual o melhor aparelho para medir os consumos, assim como o que é produzido pelos painéis.
    Já mandei colocar a porta HAN. Como resido numa vivenda, não sei se será conveniente colocar lá fora o aparelho dos 74 euros.
    Agradecia que me esclarecessem por favor, e desde já os agradecimentos ao Srº Pedro, pelo excelente trabalho de serviço publico que aqui presta. Bem Haja.

    Atenciosamente

    Carlos Amado

  5. Avatar
    Nelson Reply

    Bom dia Pedro A.
    Sigo os seus trabalhos atentamente.
    Já questionei a DGEG e a ERSE sobre a recente alteração na lei do auto consumo no seguinte ponto:
    1 Para instalar um painel até 350W não é necessário recorrer a empresa ou técnico, mas será só instalar e ligar?
    2 Não será necessário comunicar a nenhuma entidade?
    3 Acho estranho não o ser, uma vez que ainda existem muitos contadores antigos rotativos e sem dar conhecimento a nenhuma entidade, a empresa fornecedora de energia ficará prejudicada.
    4 Como obter lista dos técnicos habilitados para fazer apenas instalações na zona de Alcobaça, deveria haver esse registo para se encontrar que fazer o trabalho em caso de necessidade?

    Cpmts

  6. Avatar
    Ricardo Reply

    Boa tarde Pedro
    Desde já dou-lhe os meus parabéns por esta rubrica. Sigo estas publicações com algum gosto e em Fevereiro montei 2 painéis fotovoltaicos no meu telhado. Tenho 550W instalados e cerca de 500W(max) útil por causa das perdas no inversor. Na realidade tenho menos porque a orientação não é perfeita .
    Como quase todos os micro-produtores tenho ‘perdas’ para a EDP, mas no meu caso tenho sorte porque o meu contador mede os KWh que injeto na rede no tal contador ‘2.8.0’ o que me permite estimar um desperdício de aprox. 10% do total produzido.
    A minha questão é , no seu caso consegue agora ter uma estimativa quase real das perdas para a EDP tirando os dias de isolamento. Consegue recalcular o tempo de retorno do investimento com esse dados?
    Já agora aproveito para deixar algumas dicas para quem não quer gastar muito em contadores sofisticados. Comprei um medidor da broadlink (SP3S) para medir a potencia produzida pelos painéis. Também tenho um contador (ref amazon B07CZZZ8M4) à entrada do meu quadro elétrico. Mesmo que o meu contador EDP não medisse a potencia injetada na rede com os estes 2 medidores mais o consumo medido pelo contador EDP daria para saber quanto seriam as perdas.

    Desculpem o testamento.

    • Pedro Andersson
      Pedro Andersson Post authorReply

      Olá. Tenho 18% reais de perdas reais para a rede. Com 1 painel. Desde 24 de março será menos porque estão sempre pessoas em cada. O desperdício é mínimo. Cerca de 2 ou 3 cêntimos por dia.

    • Avatar
      Pedro Carvalho Reply

      Caro Pedro,
      Muito agradecido pelo contributo que tem dado a mim e à sociedade pelas suas experiencias e análises.
      Gostaria só de o corrigir no que toca a análises de unidades: Uma coisa é Potência (normalmente expresso em Watt, ou W, ou múltiplo do mesmo, kW (=1.000 W) ou MW (=1.000.000 W) e é equivalente a Joules/segundo, ou J/s) e outra coisa é Energia, que neste caso em concreto corresponde a consumo da mesma (normalmente expresso em Joules, ou J, ou calorias, ou cal, ou Watt.hora, ou Wh, ou multiplos dos mesmos, kJ, MJ, kcal, Mcal, kWh, MWh. Para converter um nos outros temos de ter em conta que: 1 cal = 4,18 J e 1Wh são 3600 J.
      O seu painel produz 250 W, ou seja 250 J/s. Em 1 hora ele irá produzir (em teoria) 250 Wh, ou seja 0,25 kWh, que para converter em Joules (J) terá de multiplicar pelo numero de segundos que uma hora tem, ou seja, 3600. Se tem um aspirador cuja potencia é de 1500 W = 1,5 kW, em 1h ele gastará 1,5 kWh. O painel suportará 0,25 kWh (se produzir sempre no pico) e os restantes 1,25 kWh terá de os comprar à rede.
      No seu texto, 1kWh sao 1000 Wh e nao 1000 W e o seu painel produz 250 W, ou 250 J/s e nao 250 W/s. Para um engenheiro isto faz diferença na leitura.
      Um bem haja para si!

      Cumprimentos,
      Pedro Carvalho

  7. Avatar
    Leandro de Sousa Reply

    David Pereira com o equipamento que referi Wibeee pode ter ambos através de um sensor tipo abraçadeira que se coloca a volta dos fios a monitorizar. Pode ter acesso no telemóvel ou web à plataforma e também é compra única. Em relação aos dados extraídos aqui pelo Pedro os do Wibeee são muito mais detalhados.

  8. Avatar
    David Pereira Reply

    Bom dia Pedro,

    O equipamento EOT permite medir em simultâneo a energia produzida, a energia consumida pela rede e a energia excedente injetada na rede?

    Cumprimentos,

    David Pereira

  9. Avatar
    Carlos Martins Reply

    Boa tarde,
    Como se pede uma porta HAN á edp distribuição ?
    Tenho contrato com a Endesa

    Obrigado
    Carlos Martins

  10. Avatar
    Leandro de Sousa Reply

    Vou deixar aqui a minha experiência que também já deixei em meses anteriores aos quais o Pedro nunca respondeu. Tenho uma moradia em que o contador está no muro exterior logo esse tipo de ligação de nada serviria, pois não conseguiria ligar lá o leitor. Comprei desde à um ano um Wibeee e as suas leituras são muito fiáveis. A cada Wibeee podemos ligar 3 sensores cada um a um fio do QE assim tenho um ligado ao geral medindo todo o fluxo de energia que entra ou sai de casa (é biridecional) e outro ligado ao fio que vem diretamente do painel. Assim tenho informação ao segundo da minha produção e gastos. Ele até deteta o consumo de alguns aparelhos em casa e poderemos inserir as tarifas para relatar também os movimentos económicos. Medições são mt corretas. Em relação à pergunta do Sr. Carlos Nunes a corrente que sai dos paineis é de facto DC mas ou tem um microinversor localizado nas costas do painel ou um inversor central que faz a conversão de DC para AC e assim basicamente vem um fio com corrente AC que poderá ligar a uma ficha que tenha em casa por exemplo.

  11. Avatar
    Márcio Cordeiro Reply

    Boa tarde caro Pedro.
    Nesta altura de Quarentena, não estará a ponderar a aquisição de um segundo painel? Não sabendo quanto tempo durará o isolamento e estando sempre em casa, seria a altura ideal para esse “upgrade”.
    Cumprimentos e continuação do excelente serviço público.

  12. Avatar
    carlos nunes Reply

    Olá PEDRO ANDERSSON , como a energia sai do conversor é corrente alternada logo tem fase e neutro ; portanto como é uma fonte de energia e não um aparelho receptor passivo ;como é que fez a ligação na tomada? fase com fase e neutro com neutro? e se for a tomada solta ?

  13. Avatar
    João Gouveia Reply

    Bom dia Pedro,
    creio que as instalações efetuadas pela EDP solar, por exemplo, já têm esse equipamento. Ou mesmo a solução re:dy, que permite a monitorização da instalação em tempo real

    • Pedro Andersson
      Pedro Andersson Post authorReply

      Certo. Mas eu estou sempre a mudar de empresa de eletricidade. Quero um medidor que dá para todas. Na altura que investigue o o re:dy era pago mensalmente.

  14. Avatar
    Luis Monteiro Reply

    Boa noite Pedro.
    Eu vou agora instalar 5 painéis Fotovoltaicos de 350W cada, com inversor hibrido já para aplicar 1 ou 2 baterias assim ke possa é ainda uma bomba de calor para águas quentes.
    As contas ke fiz foi o total de faturação anual em luz e Gaz, cefca de 2500 euros, sendo ke entre painéis e bomba de calor vou gastar na ordem dos 5000 euros (sem as baterias).
    Ora se eu gasto cerca de 2500 wudos/ano em luz e Gaz, assim por alto parece-me ke rapidamente recuperares o investimento.
    Ou não?!
    Obrigado

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *