VÍDEO – Não se deixe enganar com falsas informações sobre as Contas de Serviços Mìnimos

Quer deixar de pagar comissões de Manutenção de Conta?

Se está farto de pagar comissões bancárias, pode aderir a uma Conta de serviços Mínimos Bancários. Paga no máximo 4,28 € euros POR ANO. A única condição é só ter uma conta à ordem em Portugal. Não pode ter mais nenhuma conta em outros bancos. Mas muitos funcionários bancários estão a dar informações erradas aos clientes para os convencer a não mudar. Porque, obviamente, isso implica deixarem de receber comissões de manutenção de conta. E as comissões já representam metade ou mais das receitas dos bancos.

Quem segue este blogue sabe que há muitos anos que tenho vindo a falar das Contas de Serviços Mínimos Bancários. E irrita-me profundamente o despudor com que muitos clientes são tratados quando vão ao banco para pedir que a sua conta seja transformada numa conta deste tipo que é perfeitamente suficiente para todas as suas necessidades do dia a dia. E deixam de pagar comissões ou pagam no máximo os tais 4,28 € por ano.

O caso de Celeste Monteiro

Na reportagem desta semana (tem o link mais à frente) mostrei-lhe o caso de Celeste Monteiro. Ela só tem uma conta à ordem. Há muitos anos que pagava cerca de 10 euros por mês por um serviço do tipo “Cliente Frequente” porque lhe disseram que era vantajoso. Isto não tem nada de errado. Quando assinamos, concordamos. Mas o salário de Maria Celeste entretanto baixou para metade e os 120 euros por ano começaram a pesar. Foi ao banco perguntar se havia alguma alternativa para ficar a pagar menos. Disseram-lhe simplesmente que tinha de continuar a pagar e ninguém lhe falou da Conta de Serviços Mínimos.

Ficou convencida de que não havia nada a fazer. Os 10 euros faziam-lhe falta mas continuava a pagar porque aparentemente não tinha alternativas. Entretanto, ouviu falar no Contas-poupança da Conta de Serviços Mínimos Bancários em 2016.

E foi ao banco perguntar outra vez. Voltou a sair de lá sem esperança porque lhe responderam que tinha de pagar anuidades e que não compensava.

Entraves atrás de entraves

Muitos clientes bancários queixam-se do mesmo. Há funcionários de vários bancos que colocam entraves atrás de entraves para as pessoas não aderirem à Conta de Serviços Mínimos.

No Facebook do Contas-poupança há dezenas e dezenas de casos de espectadores que foram ao banco porque queriam mudar para a Conta de Serviços Mínimos Bancários e saíram de lá a pensar que afinal não podiam.

Por exemplo, à Diana Oliveira disseram que era só para desempregados; Cinda Gama foi avisada de que não podia ter Via Verde; No caso de Jorge Lourenço foi mais radical, disseram-lhe que não podia e pronto. À Mafalda Sanchez disseram que não podia porque tinha um cartão de crédito… À Nicole Ferreira explicaram que era só para pessoas reformadas e que recebem subsídios do governo. Todas estas informações estão ERRADAS.

No caso de Maria Celeste, terão dito também que tinham de pedir primeiro autorização ao Banco de Portugal. Se disseram é falso.

Depois de uma luta que durou meses, Maria Celeste Monteiro finalmente conseguiu transformar a conta dela numa conta de serviços mínimos bancários. Já passaram entretanto 2 anos e não nota nenhuma diferença no dia-a-dia, excepto que poupa agora cerca de 120 euros por ano. Ainda agora recebeu um novo cartão multibanco que já dá para usar no estrangeiro.

A Conta de Serviços Mínimos Bancários existe de 2000

As contas de serviços mínimos bancários existem desde 2000, mas têm vindo a evoluir. Antes tinham algumas limitações, que agora são cada vez menos. O único critério obrigatório é que só pode ter essa conta à ordem em Portugal, com algumas exceções. Por exemplo, se os pais têm mais de 65 anos ou têm 60% de incapacidade, os filhos podem fazer parte dessa conta e ao mesmo tempo terem também a sua própria conta de serviços mínimos.

Tem AQUI um artigo onde respondo às principais dúvidas que me colocaram.

Se está interessado em experimentar uma Conta de serviços mínimos basta ir ao balcão do seu banco e pedir e preencher o formulário. Este é o documento que tem de preencher por exemplo na Caixa geral de Depósitos.

Na CGD fica a pagar zero euros por ano pela conta e pelo cartão multibanco. Se for ao Comparador de comissões do Banco de Portugal fica a saber quais são todos os bancos que oferecem esta conta rigorosamente de graça. Todos os outros cobram no máximo 4,28 € por ano. Tem AQUI o comparador e explico como funciona.

Portanto, se lhe disserem que não pode ter esta conta, peça para falar com o gerente do banco e preencha o livro de reclamações. Peça para ver o Cartaz que eles são obrigados a ter visível ao balcão e leia-o juntamente com o funcionário.

Lembre-se, a única coisa que não pode ter com esta conta é Conta-ordenado, aquela que lhe adianta um salário antes de o receber. O cartão multibanco também é mais simples (pode não ser contactless ou ter outros pequenos luxos), mas tem todas as funções normais que precisa no dia-a-dia.

Pode ver AQUI a reportagem desta semana do Contas-poupança com as respostas claríssimas do Banco de Portugal. Veja ou reveja:

https://sicnoticias.sapo.pt/programas/contaspoupanca/2018-11-28-Farto-de-pagar-comissoes-de-manutencao-de-conta–Este-video-pode-ajuda-lo

Reclame

Em resumo, se só tem uma conta à ordem pode ficar a pagar zero comissões ou no máximo 4,28 cêntimos por ano. Se suspeitar que lhe estão a dar informações erradas ao balcão do banco, peça o livro de reclamações. E se por algum motivo se arrepender, é só voltar a pedir ao banco para ficar tudo como estava e voltar a pagar comissões. Simples.

E claro que tem imensos bancos que não cobram nada de comissões por contas normais (que não são contas de Serviços Mínimos). Isso já foi outra reportagem.

Acompanhe-nos AQUI

NOVO LIVRO “CONTAS-POUPANÇA”

34 dicas para poupar muito mais e fazer crescer o seu dinheiro em 2018.

É um livro que se paga a ele próprio apenas com uma dica.

Registe-se AQUI para receber a Newsletter do Contas-poupança.

(Todas as dicas da semana num só e-mail).

Se quiser um resumo claro e prático das dicas que demos nos primeiros 5 anos de programa, pode adquirir o livro “Contas-poupança I”.

É só clicar AQUI abaixo.

 


16 comentários em “VÍDEO – Não se deixe enganar com falsas informações sobre as Contas de Serviços Mìnimos

  1. Neusa Ferreira Silva Reply

    Olá novamente Pedro!
    Mas este mês debitaram “imposto selo s comiss” e “disp cartao debito” na conta do meu filho.
    E normal?
    Obrigada.

  2. Neusa Ferreira Silva Reply

    Olá novamente Pedro!
    Mas este mês debitaram “imposto selo s comiss” e “disp cartao debito”
    Obrigada

  3. Neusa Ferreira Silva Reply

    Olá Pedro, boa tarde!
    O meu filho tem 19 anos e tem uma conta a ordem, aqual também faço parte, e outra a prazo na mesma entidade bancária. Ele pode mudar para a conta serviços mínimos bancários?
    O que tem de fazer para mudar?
    Obrigada

  4. Marta Reis Reply

    Bom dia.
    No meu caso só tenho uma conta à ordem mas está associada ao crédito da casa. dá para pedir a conta de serviços mínimos? Obrigada.

  5. LUIS PINTO Reply

    Não se deixem intimidar e caso dêem informações erradas, reclamem. Só de falar em vou escrever isso no livro ou apresentar queixa no banco de Portugal, eles até “tremem”.

    Eu partilhei há umas semanas atrás o meu caso, referente a conversão para SMB para os meus pais. (https://contaspoupanca.pt/2018/11/14/conta-de-servicos-minimos-nao-se-deixe-intimidar/)
    No meu caso, já está em resolução. Bastou ir munido em argumentação, depois da ajuda do Pedro nas respostas que me deu, e de alguma documentação retirada do Banco de Portugal sobre SMB, bem como ou mudam ou reclamação no Banco de Portugal, e a conversa da gestora que atendeu naquele dia do balcão, já foi outra completamente diferente do primeiro gestor.
    Só ainda não foi convertida porque primeiro o meu pai tem que se desfiliar da conta conjunta com a minha avó, isso requer que ela se desloque ao banco para assinar a documentação. Em breve iremos fazer isso, e assim o espero que os meus pais poupem quase € 100 anuais.

    Também pelo que vejo neste novo artigo que o Pedro publicou, a situação é generalizada por todo o país. Talvez e por sugestão, podia emitir novo programa no Jornal da Noite da SIC sobre a conta de SMB a denunciar os “bons” exemplos (ironia) que fazem às pessoas para que estas não convertam as contas e deixem de pagar comissão.

    Obrigado ao Pedro 🙂
    p.s. no Natal irei oferecer o seu livro a familiares. um bom guia para a poupança 😉

    • LUIS PINTO Reply

      Só depois do comentar é que vi que tem vídeo no post e nova reportagem do Contas-Poupança sobre SMB, e onde relata o caso da sra. Celeste.
      Muito bem. Quanto mais houver informação sobre isto, menos somos enganados.

  6. Marta Reply

    Boa noite Pedro Andersson,
    Tenho 1 conta a ordem e o meu filho tem uma conta onde é titular mas eu também faço parte da conta dele pois ele é menor…. Será que posso aderir a conta de serviços mínimos? Obrigada

  7. Cirilo Alexandre de Brito Cavaco Reply

    Bom dia Pedro.
    No meu caso tenho aoenas uma conta à ordem só no meu nome e mais duas em conjunto com os meus filhos, menores.
    Sou também sócio de uma empresa e temos, como é óbvio, contar para a empresa.
    Com estes dois “pormenores” poderei requisitar os serviços mínimos para a minha conta pessoal?
    Desde já agradeço e felicito pelo excelente trabalho.
    Obrigado

  8. Raquel Reply

    Sr. António Conceição, pode sim.
    Assim que a conta esteja aprovisionada é retirado o valor em atraso e na data habitual é feito o débito da prestação desse mês, mesmo que seja 2 no mesmo mês ou até no mesmo dia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *