Viu o Contas-poupança… ganhou uma casa (é a primeira vez que escrevo isto)!

O Daniel tem a casa paga

Estou muito contente! Mesmo muito contente.
É a primeira vez, em 8 anos de reportagens, que digo isto: Um espectador “ganhou” uma casa porque viu uma reportagem do Contas-poupança. Acredito, muito sinceramente, que há muitos mais casos semelhantes a este de pessoas que têm a casa paga pelo banco – através do seguro – e ainda não sabem. Já falei destas situações em várias reportagens mas é a primeira que realmente se confirma. O banco acaba de lhe transferir para a conta 92 mil euros.

Acabei de receber esta mensagem:

Bom dia Sr. Pedro Andersson. Estou a enviar-lhe esta mensagem para lhe agradecer o facto de ter a minha casa paga por causa de um programa seu de 2016 sobre o spread. Em Setembro desse ano, decidi ir a uma loja da Decisões e Soluções de Telheiras para tentarem renegociar por mim o meu crédito à habitação. Ao chegar lá apresentei os papéis que me foram pedidos, mais o atestado de incapacidade de 80%. O senhor Luis disse-me logo que com aquela percentagem tinha a casa paga, e assim foi.

Demorou dois anos porque, infelizmente, tive que me reformar para me pagarem a casa. Penso que seria interessante fazer uma reportagem sobre o atestado de incapacidade e alertar as pessoas sobre o benefício dele. Praticamente ninguém sabe que é possível. Até porque fui ao Millennium para passar o crédito para bonificado e não me fizeram nada, andei a pagar a casa 3 anos sem desconto nenhum, mas finalmente pagaram-me a casa. Quero agradecer do fundo do coração. Parabéns pelo programa. Um Grande Bem Haja!!!! Daniel

Resultado de imagem para seguro paga a casa

Vamos aos pormenores e veja se se aplica a alguém que conheça:

Obviamente, não fui eu nem o Contas-poupança que deram a casa ao Daniel. Fizemos a nossa parte, que é continuar a insistir convosco para que arregacem as mangas e MEXAM-SE pelas vossas finanças pessoais e pelos vossos interesses e bens. O Daniel percebeu que tinha uma oportunidade de baixar a prestação ao banco e tentou. Ao tentar perceber se a situação se aplicava ao caso dele, foi alertado para que o seguro de vida (que era ITP e não IAD – lembram-se desta reportagem que catapultou o Contas-poupança?) a partir de 66% pagava-lhe a casa.

Incapacidade de 66% PODE pagar a sua casa

Não deveria ser necessário que outras pessoas o alertassem para isso. Mas muitas pessoas ainda não se aperceberam disto. Recordo-lhe que se no seu caso ou no caso de alguém que conheça, tem uma incapacidade definitiva superior a 66,6% provavelmente o seguro paga a sua casa ao banco e ela passa a ser sua. Sublinho que esta incapacidade só pode ser acionada se estiver DE FACTO reformado com essa incapacidade. Não basta ter o relatório porque tem de ser uma incapacidade para a sua profissão.

Para que perceba melhor, posso ter perdido um dedo mindinho e continuar a exercer a minha profissão de professor com uma incapacidade mínima, mas se for um pianista a incapacidade passa a ser total. Com 70% de incapacidade uma pessoa pode ser reformada e outra não, conforme afete ou não a sua capacidade de se sustentar. Um piloto que fique ferido num olho tem a casa paga, um jardineiro que tenha a mesma percentagem de incapacidade não. Creio que compreenderam.

Seja como for, ter o Certificado de Incapacidade permite-lhe ter vários benefícios que milhares de pessoas desconhecem.

O Daniel teve de esperar 2 anos até o reformarem. Demorou imenso tempo, mas insistiu, nunca desistiu e conseguiu. Há quem tente anos a fio e não consiga. Não desista.

O Daniel podia ter visto a reportagem e pensado: “Ah, são só balelas. Era bom, era…” e continuar sentado no sofá.

O Daniel ainda é relativamente novo. Ainda não tem 40 anos. Ele não imaginava sequer que podia reformar-se tão cedo devido à incapacidade por doença. Andava de baixa em baixa. E esperava andar nisto anos a fio.

Mandou-me hoje a mensagem acima porque agora é oficial. Já está reformado, já tem a casa paga pelo seguro e só lhe falta ir ao Notário passar a casa para nome dele. Porquê?

Porque um dia, em 2016, viu um Contas-poupança e decidiu agir. Foi só um pequeno primeiro passo que fez, no caso dele, toda a diferença. Já falei pessoalmente com ele e já lhe expliquei que o mérito foi dele e de quem o aconselhou, mas ele insiste que foi “graças” ao Contas-poupança. Se o programa não existisse, e ele não tivesse visto AQUELA reportagem estaria a pagar a casa até ser velhinho com sacrifício porque já não consegue trabalhar há vários anos.

É por histórias destas que sinto um privilégio enorme em ser jornalista e usar a minha profissão para mudar (muito ou pouco) a vida de algumas pessoas. Talvez um dia o Contas-poupança também o possa ajudar em alguma coisa. A mim tem ajudado muito, mas eu sou suspeito…

Felicidades, Daniel.

Acompanhe-nos AQUI

Novo livro Contas -poupança

Pode espreitar AQUI (e encomendar, se quiser) o novo livro ou clicando na foto abaixo.

Registe-se AQUI para receber a Newsletter do Contas-poupança. Assim não perde nenhuma dica.

YouTube (Subscreva o canal)

Facebook do Contas-poupança

 Pergunte no Grupo “Contas-poupança – As suas dúvidas”

Instagram

Twitter  

As melhores dicas de poupança dos primeiros 5 anos de programa estão no primeiro livro “Contas-poupança”. É só clicar AQUI abaixo.

11 comentários em “Viu o Contas-poupança… ganhou uma casa (é a primeira vez que escrevo isto)!

  1. Sérgio Cordeiro Reply

    Obrigado, Pedro Andersson. É o que me apraz dizer-lhe. O que faz, Chama-se sabedoria. Sabedoria que existe para ser comunicada, transmitida. E o sr. fá-lo de uma forma aprazível, cativando todos os que o escutamos. Decerto, com a sua visão atenta e transparente, que alcançamos uma maior vigilância à nossa vida financeira, e logo ao nosso bem estar.

  2. Pedro Reply

    Caro amigo Pedro Dr. Faz falta mais empenho das instituições públicas para que o Zé povo possa exigir olé fazer valer os seus direitos.
    O Sr faz um excelente trabalho público, e merece no meu entendimento muito bem.
    Agradecia que um dia fizesse um levantamento sobre os tribunais arbitrais ou mesmo da justiça em si.
    Se não confiar num tribunal nada funciona.
    Um abraço

  3. Ricardo Barata Reply

    Bom Dia Pedro

    O banco (BPI) é obrigado a aceitar eu querer mudar o seguro de vida de IAD para ITP ?

    Obrigado

  4. José Reply

    Muitos parabéns por ajudar o povo a conseguir os seus direitos num país em que tudo se complica para que as pessoas não consigo resolver a sua vida!
    Foi graças a um programa seu que avancei para o crédito habitação, à poucos meses transferi o crédito para outra instituição bancária, sendo que daqui a uns meses irei voltar a fazer, sempre a baixar o spread!
    O tipo de seguro, também sempre tive atenção depois de aprender com os seus programas!
    Aprendi também com os seus programas como comprar um carro em 2• mão de forma mais segura!!
    Resumindo…. não perco um programa, porque sinto me seguro a ve-los e percebo que é feito para o povo e não para complicar.
    Obrigado e parabéns pelo seu trabalho!
    Cumprimentos

  5. André Sousa Reply

    Parabéns Pedro Andersson, tem feito um excelente trabalho pelo dinheiro do zé povinho.
    É melhor não fazer muito alarido disto porque eles podem lembrar-se de alterar as regras… bancos e seguradoras são tudo farinha do mesmo saco… Um abraço

    • Pedro Andersson
      Pedro Andersson Post authorReply

      Olá André. Nunca seguirei o seu conselho :). Nunca deixarei de fazer alarido dos nossos direitos. Se mudarem as regras, cá estaremos. A ignorância é pior do que a pobreza. Abraço. (Obviamente, percebi o sentido do que escreveu)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *