PodTEXT Vamos a Contas | Como posso deixar de pagar comissões bancárias?

Escrito por Inês de Almeida Fernandes

30.03.24

}
10 min de leitura

Publicidade

O podcast de sempre, agora mais inclusivo!

Como a literacia financeira é um aspeto fundamental para a boa gestão das finanças pessoais, os podcasts do Contas-poupança tornam-se agora mais inclusivos e passarão a ser publicados também em texto, nomeadamente para incluir a comunidade surda, pessoas que – não sendo surdas – têm dificuldades auditivas e, claro, todos os que ainda não perceberam como funcionam os podcasts ou que simplesmente preferem ler. Estamos também a trabalhar a possibilidade de traduzir o podcast para Língua Gestual Portuguesa, mas essa vai demorar mais tempo.

É o seu podcast de sempre, mas a partir de agora pode escolher lê-lo ou ouvi-lo. Aguardo as vossas criticas e sugestões.

Uma jovem prestes a fazer 26 anos quer saber como pode deixar de pagar comissões bancárias. Compensa aderir a uma conta de serviços mínimos?

[Introdução]

[Pedro Andersson]

Olá! Sou o Pedro Andersson, jornalista especializado em finanças pessoais e este é o Vamos a Contas, o episódio bónus, especial e semanal, do Podcast Contas-Poupança. Aqui respondo às vossas perguntas em áudio que enviaram para o número de Whatsapp que é o 92 775 3737. A sua pergunta é muito importante, por isso, vamos à dúvida desta semana.

[Alexandra, ouvinte do podcast]

Boa-tarde, Pedro. Espero que se encontre bem. Queria, primeiro, agradecer-lhe pelo serviço público de literacia financeira que presta através deste podcast. Sou uma ouvinte regular e isso tem mudado a forma como olho para o dinheiro.

A minha dúvida é relativamente às contas de serviços mínimos. Como funciona, será uma boa opção, há desvantagens ao nível de investimentos e quem as pode ter? No meu caso, vou fazer 26 anos e vou começar a pagar comissões ao meu banco, por isso, estou a equacionar trocar de banco ou recorrer a esta conta de serviços mínimos.

Também tenho uma conta Revolut, que uso essencialmente quando viajo, por isso nem sequer sei se é possível, no meu caso, ter uma conta de serviços mínimos na Caixa Geral de Depósitos. Muito obrigada!

[Pedro Andersson]

Obrigado, Alexandra. É bom saber que o nosso trabalho está a ser útil para ajudar as pessoas a perceber que o dinheiro não é um bicho papão e que podemos viver muito melhor do que vivemos se gerirmos o dinheiro que ganhamos, seja muito ou seja menos, de forma inteligente.

Respondendo à sua pergunta, de facto, aos 26 anos acabam as isenções de comissões de manutenção de conta na maior parte dos bancos. Portanto, foi bom enquanto durou, mas agora acabou esse benesse e os bancos vão começar a cobrar-lhe o máximo de comissões que conseguirem.

Faz parte do modelo de negócio deles e isso não tem nada de mal. Nós continuamos lá e eles pedem para pagar, se quisermos lá ficar, pagamos. Se não quisermos pagar e tivermos essa possibilidade, no meu caso, por exemplo, tenho crédito à habitação na Caixa Geral de Depósitos e, portanto, não posso sair de lá enquanto lá tiver o crédito porque não quero perder as condições que tenho. Tenho de pagar, mas tento pagar o mínimo possível.

Contas-poupança

O que é uma conta de serviços mínimos?

Mas a pergunta é muito específica. Ora, para quem não sabe o que é uma conta de serviços mínimos, está na lei que qualquer português ou portuguesa, independentemente da idade ou dos rendimentos que tenha – atenção, não é para pobrezinhos, não é para desempregados, não é para sem-abrigo, é para qualquer pessoa –, incluindo se for uma pessoa muito rica. A condição é que só tenha essa conta à ordem em Portugal. Portanto, essa é a condição obrigatória: só ter uma conta à ordem em Portugal.

Depois, há algumas exceções. Por exemplo, para o caso das pessoas que têm mais de 65 anos ou têm uma incapacidade, ou seja, que precisam que os filhos também estejam nessa conta. Basicamente, é para esse tipo de situações, quando as pessoas têm alguém que cuida delas e que tem outras contas. Essas pessoas podem ter outras contas e estar nessa conta de serviços mínimos bancários. Enfim, são exceções.

Mas, de forma genérica, e se só tem uma conta à ordem em Portugal, que foi o que percebi, basta ir ao balcão e dizer que quer o formulário para pedir a conta de serviços mínimos bancários, assina, entrega e eles têm de tratar. Agora, atenção, porque há pessoas que acham que só têm uma conta bancária, mas depois têm mais. Por exemplo, basta estar na conta dos seus pais ou ter uma conta com os seus filhos, para contar como titular noutras contas. Portanto, já não se aplica.

Mas para quem tenha essa oportunidade é ótimo, porque é uma conta perfeitamente normal e só paga cerca de cinco euros por ano. Dá cerca de 30 cêntimos por mês e o cartão multibanco é gratuito. Portanto, não paga anuidade do cartão multibanco e não está a pagar cinco, seis, sete ou oito euros por mês mais as transferências que faz – que podem ou não estar incluídas, depende do seu banco –, em vez disso, paga só 30 cêntimos por mês.

Portanto, é claramente uma opção fantástica para pessoas que não precisem de uma conta XPTO, podem lá receber o ordenado sem problema, pode ser jovem, é uma excelente opção. E sobretudo para idosos ou reformados, veja com os seus pais, com os seus avós, se não estão a pagar comissões desnecessárias no caso de terem uma única conta à ordem.

É possível ter mais contas à ordem se forem de bancos estrangeiros?

Quanto à Revolut, não há problema nenhum, na medida em que seja cliente na parte internacional. Como é que sabe isso? Basta ver o IBAN dessa conta. Qualquer outra conta que tenha noutro banco, se o IBAN começar por PT50, é porque é uma conta bancária à ordem em Portugal. Se for Revolut, mas tiver um IBAN estrangeiro, pode ter mil contas noutros países europeus, porque isso não afeta a conta de serviços mínimos bancários.

Por exemplo, eu sou cliente de um banco espanhol que está em Portugal, mas o IBAN é espanhol. Portanto, eu podia ter uma conta de serviços mínimos na Caixa Geral de Depósitos e ter também essa conta num banco espanhol e gerir no meu dia-a-dia, porque esse IBAN é de Espanha.

Ou seja, teria uma conta à ordem em Portugal e uma em Espanha, pelo que podia perfeitamente ter uma conta de serviços mínimos bancários. Isto aplica-se a qualquer conta em qualquer banco fora de Portugal. Pode ter sem qualquer impedimento.

Que alternativas tem além das contas de serviços mínimos?

Agora, o que lhe quero dizer é que há dois bancos em Portugal – e isto não é publicidade –, que são completamente gratuitos. São o AtivoBank, ligado ao Millennium BCP e o Moey, ligado ao Crédito Agrícola. No fundo, são os bancos digitais desses dois bancos e são mesmo gratuitos, ou seja, não paga comissões de manutenção de conta, não paga pelas transferências que faz, não paga anuidade do cartão multibanco e não paga anuidade do cartão de crédito.

Portanto, confirme isso junto desses bancos e se conhecer mais algum assim, por favor partilhe. A ideia é dizê-los todos. O Banco CTT, em tempos, já foi completamente gratuito, mas depois começou a cobrar pelo cartão multibanco e, portanto, fechei a conta.

Eu tenho conta em dez bancos e só pago comissões de manutenção de conta na Caixa Geral de Depósitos. Mas porque é que não pago? Porque não quero ter cartões multibanco desses bancos, porque se quisesse teria de pagar a anuidade desses cartões. Ou seja, o que faço é que trato de tudo através da internet e do telemóvel.

Portanto, se esse for um critério para si, basta fazer domiciliação de ordenado ou fazer uma transferência específica mensalmente para um determinado banco e está isento de comissões. Isso acontece em relação a um dos bancos em que tenho conta, mas, portanto, tem é de descobrir junto dos bancos.

Ou seja, vai aos bancos que lhe interessam e pergunta que requisitos precisa de preencher. Vê que condições lhe apresentam e se lhe interessar faz. É tão simples quanto isto. Portanto, conta de serviços mínimos bancários, sim, força, seja qual for o banco, porque todos em Portugal são obrigados a prestar esse serviço aos clientes. Informe-se sobre isso.

Não se esqueça que só pode ter uma conta à ordem em Portugal, mas fora isso tem dois bancos completamente gratuitos em Portugal e tem as contas bancárias no estrangeiro. Há uma conta bancária que rende 4% à ordem, que é do Trade Republic, creio que é um banco alemão que está registado e é supervisionado pelo Banco Central Alemão. Há muitas pessoas que estão a aderir a essa poupança e a esse banco, mas lá está, pode fazer alguma confusão utilizar para o nosso dia-a-dia um banco alemão. A mim, particularmente, faria alguma confusão. Mas se a si não lhe fizer, ótimo.

Já tem aqui várias opções, agora é só escolher. Mas estar a pagar comissões de conta sem necessidade nenhuma, isso é que não.

Muito obrigado por ter estado desse lado em mais um Vamos a Contas. Não se esqueça de subscrever este podcast, de o partilhar com outros, de ativar o sininho, de dar as estrelinhas que entender e de enviar as suas perguntas em áudio para o Whatsapp do Contas-Poupança, que é o 927753737.

Ao deixar a sua pergunta está a autorizar que ela seja utilizada publicamente. O objetivo é que a resposta seja útil não apenas para si, mas para todos os outros que nos escutam.

Boas poupanças!

O que é um podcast?

Aproveite a minha boleia financeira (gravo em áudio uma “conversa” no carro enquanto faço as minhas viagens e faço de conta que você vai ali ao meu lado) e veja como pode aumentar-se a si próprio. São uma espécie de programas de rádio para escutar enquanto faz outras coisas. Subscreva o podcast na plataforma em que estiver a ouvir para ser avisado sempre que houver um episódio novo. Não estranhe ouvir o motor do carro, buzinadelas e o pisca-pisca. Faz parte da viagem.

Aprenda a gerir melhor o seu dinheiro

Boa viagem e boas poupanças!


Um livro com 5 passos simples que vão mudar a sua vida

Finalmente, um livro que ensina tudo o que a Escola, o Estado e as famílias não ensinam sobre Dinheiro. Em apenas 5 passos, tem o caminho com a estratégia mais eficaz para criar riqueza com o seu salário.

   

Publicidade

Sobre mim: Pedro Andersson

Ir para a página "Sobre Mim"

Siga-nos nas Redes Sociais

Para si | Artigos Recentes 

COMBUSTÍVEIS | Qual é o preço justo esta semana? (22 a 28 de julho)

Qual deveria ser o preço justo? A ERSE faz semanalmente as contas para o consumidor saber qual é o preço "justo" dos combustíveis face ao preço das matérias-primas e transportes de combustível. Esse preço "justo" já inclui uma margem de retalho de cerca de 10% para as...

Casas colocadas em Alojamento Local perdem redução de IMT

As regras do IMT preveem a atribuição de uma isenção parcial desse imposto nas casas que se destinem a habitação própria e permanente e também de uma redução de taxas nas casas de habitação. No entanto, como veio esclarecer a Autoridade Tributária (AT), há regras a...

Fundo Ambiental já começou a reembolsar beneficiários

Pagamentos deviam ter começado em janeiro Os beneficiários do programa Edifícios mais Sustentáveis de 2023 do Fundo Ambiental vão finalmente ser reembolsados, segundo anunciou o Ministério do Ambiente e Energia numa nota de impresa enviada à Agência Lusa. Os...

Taxa de juro na habitação voltou a baixar em junho

Trata-se da quinta descida consecutiva da taxa de juro A taxa de juro implícita no crédito à habitação tem vindo a cair lentamente depois de ter atingido um pico em janeiro de 2024, atingindo uma média de 4,657%. De acordo com o Instituto Nacional de Estatística...

EURIBOR HOJE | Taxas sobem em todos os prazos

Euribor Diariamente, divulgamos aqui na página "Contas-poupança", o valor das taxas Euribor a três, seis e 12 meses. Embora as alterações diárias não tenham um impacto direto na sua prestação do crédito à habitação, são um indicador precioso para perceber a tendência...

PODCAST | #259 – O que já fez para melhorar a sua vida financeira?

Estamos a meio do ano - O que já fez até agora? Chegámos a meio do ano. Normalmente, em dezembro ou janeiro decidimos uma série de coisas e traçamos objetivos que depois desaparecem como que por "magia" à espera do ano seguinte. Porquê, se hoje é um bom dia para...

Se quiser investir é melhor um PPR ou um ETF? (Mês #34 – Junho 24)

PPR vs. ETF: Qual é melhor para investir a longo prazo? Nos últimos anos, com o aumento da literacia financeira (e aqui no Contas-poupança orgulhamo-nos de fazer paret desse percurso), milhares de portugueses descobriram que os PPR podiam servir para ganhar dinheiro e...

FRAUDE | Fisco alerta para e-mails falsos com imagem da AT

Fisco alerta para e-mails fraudulentos com recurso à imagem da Autoridade Tributária A Autoridade Tributária e Aduaneira emitiu um alerta de segurança sobre mensagens de correio eletrónico fraudulentas, pedindo que sejam ignoradas. "A Autoridade Tributária e Aduaneira...

PodTEXT | Quantas vezes posso trocar de Crédito à habitação e de seguro de vida?

O podcast de sempre, agora mais inclusivo! Como a literacia financeira é um aspeto fundamental para a boa gestão das finanças pessoais, os podcasts do Contas-poupança tornam-se agora mais inclusivos e passarão a ser publicados também em texto, nomeadamente para...

EURIBOR HOJE | Taxas sobem a 3 e 6 meses e descem a 12

Euribor Diariamente, divulgamos aqui na página "Contas-poupança", o valor das taxas Euribor a três, seis e 12 meses. Embora as alterações diárias não tenham um impacto direto na sua prestação do crédito à habitação, são um indicador precioso para perceber a tendência...

Publicidade

Comentar

Siga-nos nas redes sociais

Artigos relacionados

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Partilhe o Artigo!

Partilhe este artigo com os seus amigos.