Aceito os termos e condições.

Email Marketing by E-goi

Só 3 em cada 10 portugueses ganha dinheiro com o seu dinheiro

Escrito por Pedro Andersson

30.05.21

}
5 min de leitura

CMVM divulga estudo sobre literacia relativa ao mercado de capitais em Portugal

Este estudo é um retrato muito realista da literacia financeira dos portugueses. Não tenho de concordar ou deixar de concordar com os resultados, mas bate certo com o que tenho verificado ao longo dos últimos anos. Os portugueses têm pânico de investir o pouco (ou muito) dinheiro que têm.

Só para vos dar um exemplo, um leitor do blogue contactou-me porque recebeu um valor muito elevado sem estar à espera (Atenção: nunca queiram receber este tipo de valores, foi devido a uma situação dramática) na ordem dos 100 mil euros e não sabia o que fazer ao dinheiro. Perguntou-me se o devia pôr num depósito a prazo ou nos Certificados de Aforro.

Amigos, se eu tivesse 100 mil euros o meu objetivo natural seria daqui a 5 anos ter duplicado esse valor. E daqui a 10 já ter 400 mil euros e depois 500 mil e depois começar a viver dos rendimentos anuais desse património.

Num depósito a prazo, 100 mil euros dão 100 euros brutos de juro. É verdade que não o perde, mas também não ganha nada que mude a sua vida.

– Ah! Mas pelo menos não perco esse dinheiro. Se o arriscar, posso perdê-lo.

Pois, é aqui que você escolhe o lado do dinheiro em que quer ficar: ou fica no lado dos 7 em 10 que ficam quietinhos à espera que não aconteça nada, ou do lado dos 3 em 10 que arriscam fazer diferente.

E depois ainda há o lado do equilíbrio e do “nem 8 em 80”. Ninguém o obriga a investir tudo o que tem. Não deve. Se tiver 10 mil euros, o que o impede de investir 2 mil?

Claro que tudo isto tem de ser feito com cabeça e com conhecimento. Vai ter de ler muito, fazer muitas perguntas, queimar pestanas e saber o que faz. Não se deixe levar por “banhas da cobra” nem “amigos” que lhe dão dicas fantásticas sem eles próprios saberem o que estão a fazer. Sobretudo, não se precipite nas suas decisões.

O importante é conhecer as várias ferramentas de investimento no mercado e escolher aquela ou aquelas que mais se adequam ao seu perfil. Só não deve é ter medo de coisas que não conhece só porque não as conhece. Se você fosse sempre assim, nunca tinha deixado de ter medo do escuro, certo?

O estudo da CMVM

A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) fez um estudo sobre a literacia financeira relativa ao mercado de capitais em Portugal, que caracteriza o perfil do investidor e do não investidor nacional, nomeadamente as suas atitudes, comportamentos e conhecimentos financeiros.

“O conhecimento financeiro tem vindo a aumentar ao longo do tempo” havendo uma melhoria na generalidade “desde o último inquérito em 2015, incluindo nas questões genéricas e no conhecimento sobre investimento”, é referido no estudo “Financial literacy for investors in the securities market in Portugal”.

O estudo envolveu uma amostra total de 15.173 indivíduos e decorreu entre 2020 e início de 2021, já no contexto da pandemia.

Os resultados revelam que:

  • Apenas 28% da população portuguesa é investidor (8% já foi investidor) e 64% nunca investiu. Note que, embora pareça dramático, é uma boa melhoria em relação aos anos anteriores. O caminho é longo.
  • Existe uma correlação positiva entre as habilitações académicas e a propensão para investir (no entanto, apenas 14% da população tem nível de educação superior);
  • Quanto maior o rendimento auferido, maior a probabilidade de o inquirido ser ou ter sido um investidor no passado (no entanto, cerca de 1/3 tem rendimentos inferiores a 1.000€ mensais). Nota minha: Quem está disposto a investir normalmente sabe lidar melhor com o dinheiro e aproveita melhor as oportunidades.
  • A população feminina está sub-representada no grupo de investidores (57% são do género masculino).
  • Mais de um terço dos entrevistados não poupou nos 12 meses anteriores e a percentagem da poupança permanece abaixo da média EU (7% em Portugal vs 11.96% EU).
  • Liquidez e disponibilidade de rendimento são as razões para deixar de investir e começar a investir, respetivamente (31% e 63%)
  • Quase um quarto dos respondentes indicam que não leem os documentos contratuais, porque confiam no consultor financeiro ou funcionário do banco (13%) ou porque não os consideram muito importantes (11%).
  • 18% dos inquiridos responderam corretamente quando questionados sobre o que é capital garantido na maturidade.
  • Programas de formação (49%), workshops e seminários (35%) são as iniciativas que os inquiridos mais recomendariam para aumentar a perceção dos concidadãos sobre os investimentos.
  • A TV ou rádio (46%) e a internet (43%) são os meios onde os respondentes maioritariamente procuram informação sobre assuntos financeiros (sendo que o recurso à internet decresce com a idade).
  • Quanto aos investidores, apenas 14% dos investidores consulta relatórios divulgados por emitentes enquanto que 60% consulta informação na internet.

Este inquérito é um dos mais completos já realizados à literacia específica sobre o mercado de capitais, e constitui uma ferramenta importante para o desenvolvimento de iniciativas de literacia financeira focadas em dar resposta aos principais desafios, num momento marcado por maior participação de investidores de retalho no mercado de capitais e pela acelerada digitalização das relações de investimento.

Em que perfil se insere neste retrato dos (não) investidores portugueses?

Publicidade

Sobre mim: Pedro Andersson

Ir para a página "Sobre Mim"

Siga-nos nas Redes Sociais

PPR | Mês #8 – Quanto estou a ganhar (ou a perder) com os meus PPR (junho 2021)

Fazer PPR como investimento? Muitas pessoas, ao longo de décadas, sempre pensaram que os PPR eram apenas para a reforma e que servia para ir buscar entre 300 ou 400 euros ao IRS pela dedução fiscal, ou para baixar o spread do crédito à habitação. Foi só há cerca de 2...

Como comprar 22 bolos e salgados por 3 euros e lutar contra o desperdício

Como lutar contra o desperdício alimentar e poupar ao mesmo tempo Acabo de passar por uma pastelaria perto de minha casa, a poucos minutos dela fechar, para ir buscar uma caixa com pães, bolos e salgados que iriam literalmente para o lixo. Paguei 3 euros através da...

COMBUSTÍVEIS | Preços na próxima semana (21 a 27 de junho)

Preços dos combustíveis na semana que vem A informação dos preços dos combustíveis é baseada nos cálculos que têm em conta a cotação nos mercados internacionais e outros fatores que são considerados na formação do preço dos combustíveis em Portugal. São dados que...

As exceções para entrar e sair da Área Metropolitana de Lisboa durante os fins-de-semana

Quem pode entrar e sair de Lisboa durante o fim-de-semana Como expliquei neste artigo ontem, a partir das 15h desta sexta-feira, dia 18 de junho, e até nova ordem está proibida a circulação de pessoas de e para fora dos concelhos da Grande Lisboa. Acaba de ser...

ÚLTIMA HORA – Proibição da circulação de e para fora na área metropolitana de Lisboa este fim de semana

Proibido circular de e para fora na área metropolitana de Lisboa este fim de semana O Governo acaba de anunciar que a partir das 3 da tarde de amanhã (sexta-feira) não é possível entrar e sair da área metropolitana de Lisboa. A proibição termina às 6 da manhã de...

Os meus fundos de investimento – Balanço da semana #47 (17 de junho)

Fundos de investimento - Balanço semanal Passou mais uma semana. Estou praticamente a voltar a tocar no máximo que já tive até hoje, na média dos 3 fundos. Estou a ganhar uma média de 26% com os 3 fundos que subscrevi em julho do ano passado com o dinheiro que poupei...

JUNHO – Tarifa indexada de eletricidade continua acima do mercado regulado

Este mês é MAU para aderir à tarifa indexada de eletricidade Este mês de junho está a ser o mês mais caro dos últimos 3 anos no mercado OMIE (onde as empresas vão comprar a eletricidade para lhe vender a si). É, portanto, um mau mês para começar um contrato de tarifa...

ELETRICIDADE | Preço da eletricidade sobe 3% em julho para famílias no mercado regulado

Preço da eletricidade sobe a 1 de julho para famílias no mercado regulado As tarifas da eletricidade vão subir a partir de 1 de julho para os clientes domésticos em mercado regulado, refletindo a subida dos preços da energia nos mercados grossistas, anunciou ontem a...

Painel solar fotovoltaico – Balanço de maio e junho de 2021 (mês #53 e #54)

Balanço dos meses de abril e maio de 2021 Olá! Acabo de verificar que não fiz aqui o balanço da produção do meu painel solar em abril. Peço desculpa se estiveram à espera dele. Mas não se perde pela demora. Ficam aqui os dois juntos.  Entrámos nos melhores 4 meses do...

As taxas Euribor continuam muito negativas

Taxas Euribor continuam muito negativas São boas notícias para quem tem crédito à habitação associado às taxas Euribor. Todas as 3 taxas (3, 6 e 12 meses) continuam a rondar os -0,50% (sim, negativos). O que é que isso significa? Significa que o seu banco lhe está a...

Publicidade

Publicidade

Artigos relacionados

12 Comentários

  1. Cfsh

    “Pois, é aqui que você escolhe o lado do dinheiro em que quer ficar: ou fica no lado dos 7 em 10 que ficam quietinhos à espera que não aconteça nada, ou do lado dos 3 em 10 que arriscam fazer diferente.”

    Da maneira que escreve, até parece que quem não quer investir devido ao alto risco das ações, é um analfabeto ou um atrasadinho.

    Eu não invisto porque o mercado das ações é muito especulativo e não estou para perder dinheiro quando basta alguma noticia que saia num jornal que mande abaixo o que durante anos lá metemos.
    Basta ver o que se passou com a gamestop para percebermos o quanto o mercado é manipulável. É muito bonito quando sobe, sim senhor, mas quando desce…

    Já alguns artigos que tenho lido sobre os fundos de investimento em que é muito critico sobre quem não investe e prefere ter o dinheiro em segurança. Não devia fazê-lo.

    Responder
    • MV

      Concordo consigo Cfsh, dinheiro que não custou a ganhar e que caiu do céu, até pode ser investido. Agora, dinheiro fruto de trabalho de anos e de muitos sacrificios….só um louco estaria disposto a perdê-lo! Mais vale um pássaro na mão do que dois a voar!

      Responder
    • Pedro Andersson

      Olá. Não é uma crítica. É partilhar uma oportunidade que obviamente tem riscos. Um PPR não é um produto de altíssimo risco… Ter tudo na conta à ordem é na minha opinião perder oportunidades de ganhar dinheiro com o seu dinheiro. Investir em ações diretamente é só no fim do campeonato, depois de correr muitas outras ferramentas financeiras. Só digo que não investir por medo não é a melhor justificação. Se depois de ler, investigar e compreender decidir não investir, estou plenamente de acordo. Não deve ir contra o seu perfil. Não vendo nenhum produto ou serviço. Só quero partilhar informação. Depois cada um faz o que quiser :). Obrigado pela sua crítica. Não é minha intenção chamar “analfabeto” ou outra coisa qualquer a ninguém. Se dou essa impressão peço desculpa.

      Responder
      • Cfsh

        Não precisa de pedir desculpa.
        Não me ofendeu apesar de o meu texto não transparecer isso.
        É apenas uma critica construtiva.
        Como respondi á Fatima Ramos, respeito o seu trabalho e fez bem em obrigar os portugueses a “mexer” nas próprias finanças.
        Apenas peço que não generalize tanto.

        Cumprimentos

        Responder
      • Micael Morgado

        Boa tarde senhor Pedro Andersson.
        Quero investir. Nem me importava, por exemplo para começar, investir o subsídio de férias. Pode, por favor, sugerir-me um livro/webinar/ formação ou algo do gênero por forma a abrir um pouco mais o meu conhecimento nesta área.
        Desde já agradeço-lhe todo o seu bom trabalho até ao momento.

        Grato pela atenção

        Com os melhores cumprimentos

        Micael Morgado Agostinho
        918699640
        micaelmorgado89@hotmail.com

        Responder
    • Fatima ramos

      Grata pela sempre boa ajuda e colaboracao… Tenho aprendido e vou estar sempre atenta, pois já ganhei em saber um pouco mais do q sabia antes. Tem dado bons ex, mas infelizmente até há quem não goste disso e use expressões que não devem. Continue, acredito q há mais pessoas a ganhar do que a o ofender. Bem haja👍🙏💗

      Responder
      • Cfsh

        Não é disso que se trata. Sempre respeitei o Pedro apesar de o texto do meu comemtário nao o dar a entender.
        Ele sabe bem disso e basta ler publicações anteriores minhas.

        Daquilo que li em algumas publicações anteriores relacionadas com investimentos, pareceu-me que o não querer investir em produtos de risco seria (não sei de uma expressão correta) parvo, por assim dizer.
        Sempre respeitei cada opinião mas peço que também respeitem a minha, pois nem tudo é maravilhas e quando as coisas correm mal, pode correr mesmo mal a serio, ou já se esqueceu do BES e outros?

        Talvez grande parte dos portugueses prefiram poupar porque não confiem nos bancos para investir, dado o que se passou em 2008, já pensou nisso?

        Responder
  2. lois

    A melhor maneira de investir é em bens tangíveis , o resto é como jogar no casino .

    Algum desse investimento tem valor garantido por 10 anos ? 20 anos ? — Nao !

    No entanto existem investimentos com essa garantia . Alguns até teem valor garantido ha mais de 2.000 anos !

    Responder
  3. silvio

    no artigo so faltou um exemplo pratico de investimento, os index founds ex. o sp500 sao investimento seguros, desde que existe, tem tido um aumento medio de 10% (este ultimo ano por acaso ate foi de 50%), bem mais seguro do que investir am acçoes isoladas.

    Responder
    • Pedro Andersson

      Obrigado Sílvio. Os ETF têm sido efetivamente uma boa ferramenta de investimento, se olharmos para o passado.

      Responder
  4. Antónia Teixeira

    Vivemos num país onde bolsa é palavra suja, investir é para os exploradores super ricos etc.etc. Assim, com os camaradas da Esquerda, vamos conquistar o último lugar na UE em termos de rendimentos e nível da vida. Nunca estivemos tão perto.

    Responder
    • Pedro Andersson

      Olá Antónia. Como repito muitas vezes não trago política para o meu blogue. Acho que a literacia financeira não é de direita nem de esquerda. Eu pensava que a bolsa era só para os ricos. Só descobri que não há 2 anos 🙂

      Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Partilhe o Artigo!

Partilhe este artigo com os seus amigos.