Painel solar fotovoltaico – Balanço Novembro de 2019 (mês 36)




Balanço do mês de Novembro de 2019

Confirmou-se a minha previsão. Novembro é sempre (até agora) o pior mês do ano em termos de produção de eletricidade através de painéis solares. Claro que só posso falar pelo meu (e só tenho um). Mas é o que tem acontecido nos 3 anos.

Dias com muitas nuvens. Apenas isso. Nada de teorias conspirativas.

Os números de Novembro de 2019

O painel solar fotovoltaico de 250 W (só tenho 1 porque até agora considero que basta para os consumos que tenho durante o dia, porque habitualmente a casa está vazia) produziu em Novembro 18,091 kWh. Só para terem um termo de comparação em Agosto, produz sempre 44 kWh. Tem aqui o gráfico dos meses.

A explicação, como apontei acima, é que houve muito dias em Novembro em que ou choveu ou havia muitas nuvens. Tem aqui o gráfico com o dia-a-dia com todo o pormenor. Em alguns dias, a produção esteve próxima do zero.

As contas

O que o painel fotovoltaico de 250 W produziu em Novembro representou 3,33 € de poupança na minha fatura da luz, se tivesse consumido tudo o que o painel produziu no mês passado. O preço do meu kWh atualmente é tarifa simples de 0,1839 (com IVA).

É o valor mais baixo de sempre (desde que o instalei em Dezembro de 2016). Foi mesmo poucochinho. Mas é mesmo assim. Não mandamos no tempo.

Se tivesse consumido tudo o que o painel produziu teria já poupado até agora 240,52 €. Gastei 620 euros no painel e instalação em 2016. O retorno do investimento mantém-se nos cerca de 7 anos e meio. Agora já consegue o mesmo ou melhor por cerca de 500 euros, como pode rever na reportagem que fiz recentemente e que coloco novamente no fim deste artigo para os mais curiosos.

A reportagem

Recentemente, a reportagem do Contas-poupança foi com um outro caso real de um espectador que decidiu comprar 3 painéis solares e que consome praticamente 100% da eletricidade que eles produzem em tempo real, porque a mulher está sempre em casa. É a situação ideal para quem tiver dinheiro e espaço para instalar painéis solares.

Pode ver ou rever a reportagem AQUI. Tem muita informação útil.

Na minha opinião – que vale o que vale –  todos os portugueses com um telhado virado a sul deveriam ter 1 painel solar. Se depois vale a pena ter 2, 3 ou 6, ou 20 é outra conversa, como explico na reportagem.

Faça muitas perguntas num instalador perto de si e informe-se. Não é tão complicado como pensa.

No próximo mês, farei o balanço de Dezembro. Até lá, boas poupanças!



Acompanhe-nos AQUI

NOVO LIVRO “CONTAS-POUPANÇA” 34 dicas para poupar muito mais e fazer crescer o seu dinheiro em 2019. É um livro que se paga a ele próprio apenas com uma dica. Se quiser conhecer também as dicas que demos nos primeiros 5 anos de programa, pode adquirir o livro “Contas-poupança I”. É só clicar AQUI ou nas fotos dos livros.

Registe-se AQUI para receber a Newsletter do Contas-poupança.

(Todas as dicas da semana num só e-mail).

15 comentários em “Painel solar fotovoltaico – Balanço Novembro de 2019 (mês 36)

  1. Avatar
    Horácio Fernandes Reply

    Acho que já percebi. Não é 18 mil mas sim 18 virgula… Certo?

  2. Avatar
    Horácio Fernandes Reply

    Boa noite,
    Tenho uma dúvida que deve ser muito básica. Na minha fatura de eletricidade (Galp On), diz que gastei 291 kWh (estimado) no período de 26 Nov 2019 a 25 Dez 2019.
    Aqui diz que o painel produziu em Novembro 18,091 kWh. Isto quer dizer que se usasse toda a energia do painel, não teria que pagar nada (considerando que produzia a qualquer hora, dia ou noite – sei que não é possível). O que me está a escapar?

  3. Avatar
    Mario Pereira Reply

    E a utilização de baterias para armazenamento da energia que não é consumida durante o dia de forma a utilizar à noite?
    Obrigado.

  4. Avatar
    Artur Reply

    A eletricidade em circunstância alguma pode ser comprada ao mesmo preço que é vendida :
    1° a eletricidade tem percas, em rede e percas estagnadas
    2° o preço de compra de eletricidade, no caso dos domésticos e pequenos negócios, inclui custos de distribuição e demais taxas.
    3° o negócio de compra e venda acarreta sempre uma mais valia pela intermediação, a qual tem múltiplos custos ( controle de consumos, funcionários, manutenção e conservação da rede).

  5. Avatar
    Pedro Azevedo Reply

    Boa tarde
    Que manutenção é necessária?
    Quando diz que o retorno está estimado em 7,5 anos tem em consideração os custos dessa manutenção?
    A noção que tenho é que há necessidade de uma manutenção anual. E só em deslocações do técnico nunca fica menos de 30 /40 €, abusando completamente o retorno do painel.
    Melhores cumprimentos,
    Pedro

    • Pedro Andersson
      Pedro Andersson Post authorReply

      Olá. Não tenho nenhuma manutenção. Vou lá uma vez por ano passar um pano para tirar o pó. Isso sou eu. Podem tentar vender-lhe um plano de manutenção… Isso será decisão sua 🙂

  6. Avatar
    Pedro Alves Reply

    Boa tarde Pedro,
    reparei que escreveu o seguinte: “Se tivesse consumido tudo o que o painel produziu teria já poupado até agora 240,52 €”. No entanto, no gráfico seguinte refere que “poupei até agora: 240,52” Não é muito coerente dizer que por um lado teria uma poupança “se tivesse consumido tudo … teria poupado…”, e no gráfico indicar que já poupou.

    • Pedro Andersson
      Pedro Andersson Post authorReply

      Olá Pedro. Tem razão no que diz. Suponho que tenha sido o primeiro artigo que leu :). Se leu algum dos anteriores costumo explicar sempre que estimo uma perda para a rede de 25%. Mas estou a espera que me instalem um aparelho que mede as minhas perdas. Até lá é só uma suposição. Neste artigo não expliquei isso. Pareceu-me repetitivo demais, mas pelos vistos faltou. Obrigado.

      • Avatar
        Pedro Alves Reply

        Olá! Compreendo, não podemos repetir sempre tudo a pensar nos novos leitores. Existem coisas que ficam para trás e necessitam de algum trabalho de casa. Não podemos simplesmente chegar aqui e pensar que temos a papinha toda feita.

        Obrigado pelo esclarecimento.
        Cumprimentos,

  7. Avatar
    Alice Coimbra Reply

    Em 2009 instalei uma micro produção com 20 painéis e um investimento total de 25.000,00 €.
    Durante os últimos 5 anos a EDP reduziu significativamente o valor de compra da minha produção, de tal forma que em 2019 compro o KWA mais caro do que o vendo!
    Passados 10 anos ainda não consegui amortizar a totalidade do meu investimento.
    Gostaria de saber como posso rentabilizar este grande investimento.
    Posso vender a outra entidade? Posso anular o contrato e utilizar a minha produção para consumo próprio?
    Muito obrigada

  8. Avatar
    Roger Reply

    Eu tenho 12 painéis em casa e não mando nada para a rede. Não fiquem à espera de ajuda do estado. Cabe a cada um de nós aproveitar o que já existe para contribuir para a poupança de CO2 e de alguns euros. A energia que sobra dos painéis vai aquecer a minha casa. Tenho piso radiante e no verão uso o ar condicionado. Força nisso

  9. Avatar
    Nuno Lopes Reply

    Há muita falta de vontade política em incentivar a compra de painéis solares pois a energia produzida pelos mesmos (se em autoconsumo) não paga impostos. Eu tenho 3 painéis virados a sul e em média estou a poupar 300 euros anuais na conta da eletricidade. Tenho tudo elétrico em casa e as máquinas (lavar roupa e louça) estão programadas para trabalhar nas horas de pico do sol (das 11 às 15).
    Se o estado incentivasse a instalação de painéis e “obrigasse” a EDP a comprar ao mesmo preço que vende então seria rentável a sua instalação.

  10. Avatar
    adelino ferreira Reply

    em vez de baixar o iva nos consumos de energia deviam baixar o iva do material constituinte dos kits fotovoltaicos incentivando a produção
    outra medida seria a empresa comprar ao mesmo preço a que vende a energia produzida e que nao e consumida e que vai para a rede

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *