A lista de produtos GRÁTIS que a Segurança Social pode dar a quem tem 60% de incapacidade


Apoios da Segurança Social que poucos conhecem

Todos os anos há milhões de euros disponíveis no Orçamento do Estado para pagar equipamentos de apoio aos cidadãos com mais de 60% de incapacidade. O problema é que milhares de pessoas que não sabem e por isso não pedem.  E pagam centenas ou milhares de euros do seu bolso sem necessidade.
Pode ver ou rever a reportagem desta semana do Contas-poupança onde lhe explicamos o que tem de fazer para ter de graça o que precisa. O link para a página da SIC Notícias está no fim do artigo.

O primeiro passo é pedir o Certificado de Incapacidade Multiuso

Esta informação só para quem tem um certificado de incapacidade multiuso com mais de 60%. Se tem um documento como este, esta informação é importantíssima. Caso tenha um problema grave de saúde (ou um familiar seu) e  ainda não pediu este documento no Centro de Saúde, trate disso com urgência. Tem muitos benefícios.
Um deles é ter produtos ou tecnologias de apoio financiados a 100% pela segurança social. Estamos a falar de camas, colchões, cadeiras de rodas, até pratos e talheres, passando por computadores ou carros e elevadores em casa. Tudo de graça. Mas as pessoas como não sabem, não pedem.

A lista

Vamos então à lista do que pode pedir. Basta ir ao google e pesquisar “lista produtos homologados segurança social” e vai encontrar toda a informação que precisa. Leia porque pode fazer muita diferença na sua qualidade de vida. Agora ou no futuro.
Este é o despacho com todos os equipamentos. São centenas de ajudas técnicas que pode pedir de graça à segurança social.
Tem aqui o link com a lista completa:
Cadeiras de rodas normais ou elétricas, colchões e resguardos, próteses, cabeleiras, dentaduras, calçadeiras, peças que ajudam a vestir, equipamentos de higiene, balanças, bengalas, andarilhos, carros adaptados, tabuleiros e talheres, utensílios de cozinha adaptados, candeeiros, camas, elevadores para casa ou rampas e muitos muitos mais. Tem de consultar a lista e ver o que lhe faz falta.
E atenção não depende do seu IRS. Basta ter 60% de incapacidade. Há muitas informações erradas sobre este apoio dadas até mesmo por profissionais.
O problema é que quase ninguém sabe isto…

Uma sugestão

Sempre que um Certificado Multiuso fosse passado a alguém devia ser obrigatório informar por escrito que direitos essa pessoa passa a ter. Depois pedia quem quisesse. Como o Certificado Multiuso é passado pelo Ministério da Saúde, bastava haver um protocolo com o Ministério do Trabalho e Segurança Social para que fosse entregue à pessoa um documento com os direitos que passa a ter. Fica a sugestão.
O detalhe que é importante sublinhar é que todos podem pedir estes apoios e não apenas quem tem rendimentos baixos.

O que tem de fazer

Cada pedido tem de ser analisado e aprovado pela equipa da Segurança social. Se for aceite, tem de pedir 3 orçamentos em lojas e o Estado dá-lhe o dinheiro para comprar o mais barato.
Se precisa de algum dos aparelhos da lista, deve ir a um Centro de Saúde ou a um centro prescritor (já lhe explico o que é e digo-lhe quais são).
Só depois do centro de saúde ou do centro prescritor lhe passar a receita com o produto que precisa é que vai à segurança social fazer o pedido de financiamento. Há cerca de 30 centros no país que passam estas receitas.
Na internet tem um guia prático de atribuição de produtos de apoio. No final do documento tem essa lista de centros. Estão espalhados por todo o país. Basicamente funcionam nas Associações de pessoas portadoras de deficiência como a ACAPO, por exemplo que tem várias delegações no país ou então em centros de reabilitação.
Tem o GUIA aqui:
(a lista de centros está nas últimas páginas)
Contacte o que estiver mais perto de si e peça o que precisa. Se não tiver nenhum perto, vá ao Centro de saúde mais próximo.
A equipa faz a avaliação e se concordar dão-lhe a receita ou receitas para os equipamentos que precisa. junta os documentos todos e agora sim entrega na segurança social. Quando for aprovado, põem-lhe o dinheiro na conta. O equipamento fica para a pessoa, não tem de o devolver.
Neste momento, pedidos estão a demorar cerca de 1 ano a serem aprovados. Porque a Segurança Social tem poucos meios e porque às vezes as pessoas não entregam os documentos todos. Os cidadãos também têm de aprender a preencher bem as requisições e entregar tudo a tempo e horas.
Se não percebeu nada disto e precisa de ajuda, faça uma marcação num balcão de inclusão da Segurança social (é assim que se chama). Há um em cada capital de distrito. E não saia de lá sem perceber tudo timtim por timtim.
Se quer ver a reportagem em vídeo tem aqui o link para a SIC Notícias:
A Segurança Social só financia produtos de apoio prescritos pelos Centros de Saúde e pelos Centros Especializados.

Tem aqui o LINK para a página de internet do Instituto Nacional para a Reabilitação com mais informações sobre este tipo de ajudas.

Acompanhe-nos AQUI

NOVO LIVRO “CONTAS-POUPANÇA” 34 dicas para poupar muito mais e fazer crescer o seu dinheiro em 2018. É um livro que se paga a ele próprio apenas com uma dica. Tem também o livro de 2016 ( dicas com terapia de choque para as suas finanças).

Registe-se AQUI para receber a Newsletter do Contas-poupança.

(Todas as dicas da semana num só e-mail).

 



Acompanhe-nos AQUI

NOVO LIVRO “CONTAS-POUPANÇA” 34 dicas para poupar muito mais e fazer crescer o seu dinheiro em 2018. É um livro que se paga a ele próprio apenas com uma dica.


57 comentários em “A lista de produtos GRÁTIS que a Segurança Social pode dar a quem tem 60% de incapacidade

  1. Avatar
    Luz Machado Reply

    A minha mãe está num lar não subsidiado pela Segurança Social. Tem 60% de incapacidade mas pedi a revisão pois encontra-se totalmente dependente, nem sequer anda.
    Também tem direito a estes tipos de apoios?
    Obrigada

  2. Avatar
    Victoriano Nazareth Reply

    “Caso tenha um problema grave de saúde (ou um familiar seu) e ainda não pediu este documento no Centro de Saúde, trate disso com urgência”. Esta afirmação induz em erro quem a lê ou ouve. Na verdade, não chega ir ao Centro de Saúde porque depois é obrigatório ir à Delegação de Saúde, inscrever-se na lista de pedidos e aguardar bastantes dias até que seja chamado.

  3. Avatar
    Hugo RDM Reply

    Boas Pedro Andersson. Faço hemodiálise há mais de 21 anos (tenho 60% de incapacidade, ao principio era 90%, mas disseram me que agora só podiam por no multiusos 60%!!) e gostava de saber se me podia informar em algumas coisas. Derivado à doença e após a 7 anestesias gerais, os meus dentes foram quase todos à vida e gostava de saber como tenho de fazer para ter direito a que a segurança social me pague o “tratamento”. Já me informei em alguns lados e não me informaram bem! E também gostaria de saber se agora com estas mudanças na lei, poderei ter ajudas em comprar um carro (sei se quiser comprar casa, tenho direito). Desde já, obrigado pela atenção e ajuda.

  4. Avatar
    Maria Silva Reply

    Boa tarde .Tenho 73% de incapacidade
    315 € de reforma,disseram-me para requerer o atestado de inclusão o que fiz no balcão da segurança social de Leiria foi deferido,mas junto vinha uma folha com umas contas ao qual não percebi nada a dizer indeferido.
    Dirigi-me ao balcão a pedir explicação é a resposta foi que eu já recebia.
    Respondi como recebia se nunca tive qualquer aumento na minha reforma a não ser as pequenas esmolas que o nosso governantes nos teem dado.
    SERÁ QUE TENHO DIREITO AO COMPLEMENTO DE INCLUSÃO????
    QUEM ME PODE DAR UMA RESPOSTA.DESDE JÁ OS MEUS AGRADECIMENTOS.

  5. Avatar
    manuel da silva Reply

    tenho 64% incapacidade definitivo qual valor euros chamado PSI sou estou receber 34 euros mes

  6. Avatar
    Ana Reply

    O meu pai tem incapacidade de 83%. Será que tem isenção de pagamento de medicamentos. A taxa moderadora já tratei.

  7. Avatar
    João Casqueira Reply

    Boa tarde Pedro Andersson,
    Obrigado pelo seu artigo.
    Sou responsável por uma Casa de Repouso privada em Portalegre e tenho interesse em que os meus clientes não paguem fraldas, pensos, e outros produtos de modo a minimizar custos pesados para estes.
    Tenho residentes com incapacidades acima dos 60% mas com reformas a rondar os 800€ e 2500€.
    Em pedido de esclarecimento à Segurança Social esta informa que com reformas acima dos 526€ já não é permitido apoio independentemente do grau de incapacidade.
    Pode por favor, informar-me se neste contexto de ajuda, qual o valor máximo reforma que suporta o SAPA?
    Muito Obrigado
    João Casqueira

  8. Avatar
    João Casqueira Reply

    Boa tarde Pedro Andersson,
    Obrigado pelo seu artigo.
    Sou responsável de uma Casa de Repouso privada em Portalegre e tenho interesse em que os meus clientes não paguem fraldas, pensos, e outros produtos de modo a minimizar custos pesados para estes.
    Tenho residentes com incapacidades acima dos 60% mas com reformas a rondar os 800€ e 2500€.
    Pode por favor, informar-me se neste contexto de ajuda, qual o valor máximo reforma que suporta o SAPA?

    • Pedro Andersson
      Pedro Andersson Post authorReply

      Olá. No caso do sapa pelo que me foi informado e li não depende dos rendimentos. Leia por favor o guia e a legislação. Está na internet e tem o link em vários artigos no blogue.

  9. Avatar
    Rui Andrade Reply

    A MINHA SOGRA TEM 86 ANOS, É DOENTE DE PARKINSON, ESTÁ ACAMADA E IMOBILIZADA COM INCAPACIDADE DE 100% E VIVE NO PORTO.
    DEPOIS DE PERCORRER DIVERSOS DEPARTAMENTOS PARA SABER QUAL O CENTRO PERSCRITOR, ACABAMOS POR TER A INFORMAÇÃO DE QUE O ÚNICO COM “CAPACIDADE” PARA PRESTAR ESSE SERVIÇO NO NORTE É EM ARCOZELO, VILANOVA DE GAIA.
    ENTRÁMOS EM CONTACTO COM ESSE CENTRO E FOMOS INFORMADOS DE QUE SÃO OS ÚNICOS EXISTENTES A DAR COBERTURA A TODO O NORTE DO PAÍS DESDE CAMINHA ATÉ AVEIRO E AS CONSULTAS ESTÃO EM LISTA DE ESPERA COM MAIS DE UM ANO. TAMBÉM INFORMARAM QUE A LISTA DE ESPERA É TÃO GRANDE QUE SOMENTE PODEM TOMAR NOTA DO NOME, MAS NEM SEQUER ENTRA TÃO CEDO NA LISTA DE ESPERA.
    CREIO QUE SERIA ÚTIL TORNAREM PÚBLICA ESTA SITUAÇÃO, UMA VEZ QUE OS SENHORES ESTÃO A INFORMAR MAL, DIZENDO QUE EXISTEM MAIS DE 30 CENTROS PERSCRITORES (PROVAVELMENTE TODOS À VOLTA DE LISBOA).
    AGRADECEMOS NOS INFORMEM ONDE É QUE ELES ESTÃO SITUADOS, UMA VEZ QUE, MESMO A SEGURANÇA SOCIAL NÃO SABE INFORMAR, OU ALIÁS, INFORMA MAL. DISSERAM QUE HAVIA UM CENTRO EM VILA DO CONDE QUE SÓ FAZ FISIOTERAPIA, NÃO PRESTANDO SERVIÇOS DE PERSCRIÇÃO
    PARECE-NOS QUE OS SENHORES SE DEVERIAM TER INFORMADO CONVENIENTEMENTE SOBRE ESTA SITUAÇÃO, ANTES DE “FAZEREM NOTÍCIA” QUE AFINAL A NINGUÉM APROVEITA E SÓ CRIA CONFUSÃO.
    SUGERIRIA UM NOVO PROGRAMA DE ESCLARECIMENTO

    • Pedro Andersson
      Pedro Andersson Post authorReply

      Olá. Tem a lista nos centros no guia dos apoios. Está num dos artigos ou pesquise no Google. Obrigado pelo relato. Isso é importante. Pode mandar-me o seu contacto por mensagem privada?

  10. Avatar
    Helena Reply

    Boa noite tenho 78 % devido a ter AMS-MSA (Parkinson plus) , alem disso tenho hipermiopia, síndrome tensão ortostatica e incontinencia urinária mas nao consta no atestado.
    Tentei requerer uns óculos progressivos e disseram que não era abrangida, é verdade?
    Será que devo pedir uma nova avaliação?
    A informação que me foi dada é que só yerei direito a equipamentos relacionados com a locomoção?
    Quem terá direito a um computador e ao telemóvel?
    Parabéns pelos esclarecimentos dados no seu programa.

  11. Avatar
    Maria Luiza Ferreira Almeida Paredes Reply

    Boa noite senhor Pedro Andersson
    A minha mãe tem uma incapacidade de 78% reconhecida pelo atestado multiuso. A segurança social diz que a minha mãe não tem direito à atribuição de fraldas porque os valores do IRS são superiores ao estipulado. Podia esclarecer essa dúvida e em caso da minha mãe ter direito às fraldas o que devo fazer?

  12. Pingback: Produtos GRÁTIS que a Segurança Social comparticipa para quem tem 60% de incapacidade. – Tem de ver isto

  13. Avatar
    Silvia Gonçalves Reply

    Boa tarde
    Eu com com 38anos e uma incapacidade de 65% e que ando constantemente de baixa derivado á minha doença vi a reportagem e hoje fui a segurança social por causa do apoio a um veículo, pois preciso de um com caixa automática e até com relatório médico do centro de reabilitação de Alcoitão disseram me que tinha que ser outro tipo de declaração e que a segurança social só ajuda nos carros com baixa cilindrada (a que chamam carros dos velhos secalhar a dar só 80 a hora) o que acho mal tenho três orçamentos de carros e a nível de preço baixo e afinal o que me deu a entender é o carro que eles querem… Eu gostava de saber se é mesmo assim se não posso escolher um carro que até ando a ver os mais baratos ou se tenho que modificar o meu para ter uma ajuda.
    Silvia Gonçalves

    • Pedro Andersson
      Pedro Andersson Post authorReply

      Olá. Sugiro que marque uma consulta num balcão da inclusão. Se derem a mesma resposta em princípio será assim. São os que estão melhor informados.

  14. Avatar
    Adelina Paula Alves de almeida Reply

    A pessoas que tenham casas em seu nome e com grau de incapacidade pelo que sei não teêm direito ao p.s.i

  15. Avatar
    Miquelina Dias Reply

    Bom dia o meu marido teve um AVC em 2011, com uma incapacidade de 78% neste momento está num lar de idosos, porque tive uma neoplasia na mama e sem recursos, andou descompensado teve internamentos psiquiátricos, porque não teve resposta competente em termos de humanidade, andava há deriva eu doente a fazer tratamentos de quimio, e ele completamente alucinado, mas foi quase tudo em virtude da minha doença porque ele nunca teve problemas psicológicos, depois de muita insistência entrou para um lar de idosos: 55% da reforma vai para o lar, fraldas e medicamentos há parte, ainda tenho que por linhas do bolso, sou administrativa na função publica, e com a minha incapacidade de 78% do multiusos não me deram a reforma, os srºs doutoures da ADSE assim que o meu marido foi internado deram me alta para ir trabalhar, com as despesas todas a meu encargo, pois nem a habitação ficou paga com a deficiência do meu marido, a seguradora alegou que ele tinha feito uma cirurgia em 2005.
    cumprimentos
    miquelina Dias

  16. Avatar
    maria isabel branco nabiço Reply

    boa noite tenho lupos sorjem artrite ramatoide estou farta de andar s voltas e não consigo insençao das taxas moderadoras por isso deixei de ir a médicos e não faço exames há anos

    • Avatar
      Maria Correia Reply

      Só tem direito à isenção de taxas moderadores se lhe for atribuída uma incapacidade superior a 60% e para isso tem de ir a junta médica para lhe passarem o atestado multiusos. No entanto, tem direito a adquirir os medicamentos comparticipados gratuitamente, desde que o médico lhe coloque nas receitas a portaria que dá isenção de pagamento de medicamentos comparticipados – Desp. 11387-A/2003 de 23/05 (os doentes com lúpus têm esse direito)

  17. Avatar
    Alberto santos Reply

    Ainda hoje fui ao centro de saúde, a minha mãe tem 73%de incapacidade no atestado multiusos e o que me foi dito é que não tinha direito

  18. Avatar
    Maria do Carmo Toga Reply

    Boa tarde meu marido teve um enfarte com paragem cardiorespiratoria vai para 10 anos, ficando com dependência quase toral na percentegem de 96%.
    Perdi o meu emprego, desde aítem sido uma vida desesperante.
    Cheguei a ir a segurança Social pedir ajuda para fraldas, disseram me que não tinha direto.
    Fiquei com 4 filhos menores na altura e se não fosse a família ajudar não consegueria aguentar.
    Atualmente além da doença do meu marido, também eu e meus filhos estamos psicológicamente doentes.
    Até hoje nunca tive ajuda nenhuma por parte da Seguranca Social
    Ai longo destes anos na verdade é tudo teoria porque na prática não se aplica.
    Só quem passa vive estas situações é que sabe o quanto existe dificuldade.
    Neste momento vivo sobrevivo com um agregado de 4 pessoas com menos do salário minimo Nacional.(COMO)
    Abismo……

  19. Avatar
    Paulo Cardinho Reply

    a vossa e mais informação não é correcta.
    Fui à segurança social e a assistente social informou-me que não é como noticiam.
    A segurança social não subsidia tudo.
    Deram-me um impresso de complemento solidário para idosos e mais nada.
    Gostaria de mais informação.
    Paulo Cardinho

    • Pedro Andersson
      Pedro Andersson Post authorReply

      Olá Paulo. É só imprimir os guias na internet da própria segurança social. Tem o link no artigo. Tem lá tudo o que precisa. Mas não diga logo assim que a informação que demos é incorreta. Tem de ser mais específico :). Há muitas informações de assistentes sociais que também estão incorretas.

  20. Avatar
    Emilia maria gonçalves do nascimento Reply

    Bom dia a minha mão tem o atestado multiusos de 76% ela é doente oncológica tem vários problemas de saúde e agora, tem uma doença rara auto imune tem um esclarodema ela neste momento está a precisar de uma prótese mamaria e uma cinta para segurar a prótese,pois durante muitos anos ela comprou sempre as duas coisas sem ter qualquer tipo de comparticipação ,mas agora com o atestado já pesquisei e ela tem direito . eu já foi a uma casa que vende produtos artopedicos pois era lá que a minha mão comprava a prótese e a cinta e eles diseran me que não sabião de nada . neste momento não sei o que fazer , temos que lutar pelos nossos direitos é o mínimo. obrigado

    • Pedro Andersson
      Pedro Andersson Post authorReply

      Olá. Agora já sabe o que fazer. Ir a um centro de prescrição e pedir financiamento para o que precisa. Prepare-se para esperar vários meses (muitos). Mas consegue.

  21. Avatar
    Maria Silva Mendes Reply

    Boa noite…. tenho73% de incapacidade já tive 60% da primeira vez.o que me disseram era que tinha isenção do imposto de circulação,dos juros caso tivesse empréstimo do Banco para comprar casa e uma percentagem no i.r.s.
    Ter secenta ou setenta e nove os direitos eram iguais,só a partir de 80% é que já era diferente
    Precisei de uma prótese tive de pagar na totalidade.entreguei a factura aos serviços sociais,mandaram esperar um Ano para me reembolsar 73%
    do valor que paguei.Ainda estou a espera.
    Sei que saiu um lei que quem tivesse o atestado multiusos antes dos 45 anos ou seja antes de 2005 tinham mais um pequeno subsidio de inclusão tratei de tudo disseram que tinha sido diferido,mas como tinha umas migalhas amealhadas com muito custo nos certificados correios já passou a ser indeferido.gostava de os ver a viver com uma reforma de 313€ por mês.
    Para além de tudo isto ainda me roubaram no valor da minha reforma fui ref por doente oncológica e não me foi atribuído o decreto lei 90/2009 Agosto .já fiz várias reclamações por escrito mas nem uma resposta me deram já lá vão 4 anos. É assim é o país que temos.

  22. Avatar
    Ana Carina Soares Reply

    Olá. Tenho um filho com autismo e com um grau de incapacidade de 60%,ele tem miopia e todos os anos precisa mudar de óculos.
    A médica de família sabe porque já vem de família. Será que tem algum apoio nos óculos?

    • Pedro Andersson
      Pedro Andersson Post authorReply

      Olá Carina. Vai ter de perguntar ao médico ou num centro de prescrição. Mas teoricamente os apoios são para apoiar na incapacidade registada no certificado multiuso. Mas quase de certeza que pode pedir apoios a nível de computadores, software, e outros. Veja a lista completa. O médico tem de concordar que ele precisa mesmo, claro.

  23. Avatar
    Maria Reply

    Tenho o Certificado de Incapacidade Multiuso, onde consta uma incapacidade 60% fui ao IMTT para pedir o cartão e foi-me negado, mesmo mostrando o Atestado Médico de incapacidade Multioso

  24. Avatar
    Ana João Reply

    Bom dia.
    A minha mãe era da PT, e agora todos os serviços de saúde e sociais foram encaminhados para uma seguradora.
    A minha mãe sempre descontou para os serviços da PT. Já me disseram que nunca terá direito a apoio pela Segurança Social. É verdade?
    Parace-me que ela estará em terra de n ninguém…. que frustração, que revolta.

  25. Avatar
    fernanda ferreira Reply

    ola bom dia!
    gostava de saber se pela ADSE os procedimentos são idênticos.
    a nível de cabeleiras para doentes com cancro como se processa?
    tenho 81% incapacidade há 25 anos
    obrigada

    • Pedro Andersson
      Pedro Andersson Post authorReply

      Olá. A segurança social paga o que a ADSE não comparticipar. Marque uma consulta presencial num balcão da inclusão. Tem o link para marcar a reunião num dos artigos mais recentes.

  26. Avatar
    Paulo Ribeiro Reply

    O pedido do Atestado Multiusos, não é no Centro de Saúde, mas sim na Autoridade de Saúde, que é diferente. Não tem nada a ver com a Segurança Social, pois o Atestado Multiusos é para todos os portugueses, como bancários, funcionários públicos, que pertençam à ADSE, etc… e é passado pelo Ministério da Saúde.

  27. Avatar
    Paulo Ribeiro Reply

    O pedido do Atestado Multiusos, não é no Centro de Saúde, mas sim na Autoridade de Saúde, que é diferente.

  28. Avatar
    Angelina Maia Reply

    Boa tarde gostava que me fala-se mais deste assunto, porque meu marido tem 95% de incapacidade visual. eu mal posso trabalhar só em part-time porque não posso deixar muito tempo sozinho, e para isso não dão apoio social.
    Tenho de trabalhar para o sustento da casa, só dele não dá para viver.
    Obrigado.

  29. Avatar
    Helena Botelho Reply

    Bom dia,
    Agradeço os temas abordados neste programa. Se não resolvem pelo menos alertam para o que se pode averiguar, perguntar e pedir. Verdade que a ajuda devia ser imediata. O pedido devia ser aprovado pelo Médico de família, entregue no Posto Médico de residência para beneficio imediato.
    O que ouvi na peça é que existem “alguns” centros onde se pode entregar os documentos pedidos para apreciação e depois aprovação. Muitas pessoas não têm possibilidade de deslocação e ninguém que trate desses assuntos. É preciso também pedir pelo menos 3 orçamentos???? Porque não vem uma pessoa da Segurança Social a casa para observação e aprovação imediata?
    Todos estes entraves fazem com que as pessoas desistam. Talvez seja essa a ideia…
    De qualquer forma estas informações são de louvar. É preciso ultrapassar as burocracias.
    Ás pessoas que têm essa incapacidade devia ser dado imediatamente um cartão para poderem adquirir o que precisam.
    Obrigada
    Helena Botelho

  30. Avatar
    nuno Reply

    gostei da peça e não compreendo como é que depois de passarem o atestado de incapacidade multiuso não informam os direitos que têm , mais, deviam dar seguimento e apoio a essas pessoas , mas estamos em Portugal o tal pais á beira mar plantado um pequeno paraíso para banqueiros e corruptos onde é mais fácil injetar dinheiro em bancos falidos do que devolver o dinheiro aos professores , vou contar uma historia , a minha mãe sofre de demência tem 75 de incapacidade , na rua onde mora tinha uma passadeira á porta com os passeios rebaixados para a cadeira de rodas , como estamos perto das eleições andaram a arranjar a avenida 25 abril em Massamá ficou bonito com ciclovia passadeiras e tal mas os passeios não estão rebaixados em certos locais , o meu pai alertou os engenheiros os chefes da obra todos e mais alguns mas já era tarde para alterar o projeto , como ele sabe fazer de tudo um pouco disse lhes que partia o passeio e fazia a rampa ficaram calados , agora anda a chatear o presidente da junta mas não tenho duvidas que vão arranjar vai demorar como tudo no nosso pais mas vão arranjar .
    pelos comentários ao programa parece que as pessoas tem direito o tempo para o ter é que é longo , é muito triste depois de uma vida a cumprir com os deveres a pagar impostos para tudo e para nada no fim quando se pede ajuda e reivindicam os direitos eles não aparecem , é triste muito triste esta corja que comanda este lindo país .

    • Avatar
      Carlos Almeida Reply

      Caro amigo Nuno, tenho um familiar com incapacidade de 65%, infelizmente só passado 2 a 3 anos é que soubemos por terceiros em conversa de café que tinha vários direitos, como disse e bem se fosse para a (Corja Politica) pensões antes dos 50 anos, subvenções vitalícias, apoios de deslocação em vários casos em base de falsas declarações, aí sim é tudo pago e bem informados, ou seja os mecanismos funcionam em plena Democracia, quanto ao País, eu recomendo aos meus, se puderam que procurem alternativas porque eu já há muito tempo deixei de acreditar, se fosse mais novo eu sabia o que fazer sem a mínima duvida.

  31. Avatar
    gil martins Reply

    Tenho actualmente 78% de incapacidade, mas demorei cerca de 3 anos a a conseguir esse certificado, entretanto já perdi alguns direitos, entre juntas médicas recursos etc. ultrapassei os 55 anos.
    A Instituição não alerta para nenhum procedimento após o deferimento e a informação não existe ou é limitada, se interrogamos? ou não temos direito a nada ou não sabem, é a melhor forma de se descartarem, talvez porque tem ordens de cima para não informarem nada.
    Ouve engano nas contas pagaram a mais culpa minha, não foi erro administrativo, de 400 tiram 70 todos meses e eu que me aguente, não sei por quanto tempo pois nem dignaram a enviar um plano de pagamentos.

    bem haja

  32. Avatar
    Liliana Barros Reply

    Boa tarde, agradeço os assuntos abordados pelo seu programa, que se revestem de muita utilidade.
    Quanto a este assunto em particular, infelizmente, tenho um familiar muito próximo que por causa de um AVC ficou à dois anos completamente dependente. O que nisto realmente lamento, foi de que tivemos algumas reuniões com as assistentes sociais que em vez de nos informarem destes apoios, quase nos “impuseram” tudo aquilo que teríamos que adquirir ou mudar na habitação para que o familiar pudesse regressar a casa.
    Nem estas, nem a médica de família nos informaram de que era possível obter o complemento de dependência, quando nesta situação todas as ajudas são poucas, até porque de uma pensionista com baixo rendimento.
    Ao pedir agora o dito certificado, é possível reaver os valores gastos com cama articulada, colchão, cadeira banho, etc? E com as fraldas, pomadas e pós gelidificantes?
    Obrigado.

  33. Avatar
    armenio Reply

    boa tarde, quero dar os parabéns ao jornalista, mas perante a segurança social, vossa excelência é mentiroso, pois perguntei como ,onde mais perto poderia entregar os documentos e ,o que me disseram ,é só para os pensionistas da segurança social .
    Agora pergunto quem esta a mentir ,e porque estão a dar falsas esperanças a quem não tem carro para se deslocar de cadeira de rodas, perda de dinheiro e receber o não , e que e´ falso, não têm informação disso, e para irmos a uma assistente social, andamos no jogo do empurra . ai nisso a segurança social e um AS

  34. Avatar
    José Carvalho Reply

    Bom dia. Obrigado pela reportagem Sr Pedro. Para mim foi bem elucidativa… Votos de bom trabalho e… Obrigado. Cumprimentos

  35. Avatar
    Henrique Castanho Reply

    Boa noite.
    Antes de mais parabéns pelo programa e obrigado pela criação deste espaço simplificado dedicado ao cidadão/consumidor.
    Relativamente a esta assunto creio que nas intervenções e questões levantadas junto dos responsáveis ou representantes institucionais e neste caso junto do Instituto de Segurança Social i.p devem ser colocadas questões pertinentes relativamente às informações divulgadas.

    O que se verifica no terreno é muito diferente do publicitado pelos responsáveis de segurança social. Deveria haver o direito contraditório para que não restassem dúvidas.
    É verdade, verifica-se uma demora de cerca de 1 ano e em alguns casos mais no deferimento da atribuição do apoio (os tempos divergem de centro distrital para centro distrital de segurança social, no caso de lisboa a santa casa da misericórdia de lisboa).
    Se conforme foi divulgado na peça quase ninguém sabe deste tipo de apoio e os tempos de espera são desta “grandiosidade” com um ligeiro acréscimo de pedidos a situação não vai piorar?
    Não deve o estado dar resposta e em tempo útil ao cidadão?

    Outras das situações que se divulga são, incluindo no portal da segurança social e nos guias práticos disponibilizados, é de que o balcão de inclusão e os serviços de atendimento de segurança social dão informações sobre estas situações. Efectivamente é uma meia verdade. Na realidade as informações prestadas não são transmitidas por técnicos especializados em áreas de deficiência e inclusão ao contrário do que é divulgado. Os atendimentos são assegurados na sua grande maioria por técnicos sem ou com muita pouca formação sobre estas áreas/temáticas. Normalmente vão buscar a informação aos guias práticos e limitam-se a receber documentos. A grande diversidade de assuntos que são tratados nos informativos, a alteração constante de legislação e a falta de formação dos funcionários faz com que o erro de resposta seja muito superior nos assuntos de menos procura.
    Esta matéria documental e técnica é na sua maioria tratada administrativamente pelos departamentos de Acão Social dos diversos centros distritais do Instituto.

    O cidadão deve conhecer e ter conhecimento dos diversos serviços/apoios que pode e deve usufruir. No entanto é necessário criar mecanismos eficientes de informação que passam obrigatoriamente pelo Ministério da Saúde, uma vez que as situações de incapacidade atribuídas com base no atestado médico de incapacidade multiusos são atribuídas por esse organismo e pelo Instituto de Segurança Social que determina o direito ao complemento por dependência. A salientar que os serviços de ação social (assistentes sociais) quer do ministério da saúde, quer da segurança social devem ter uma intervenção mais proativa na divulgação destas respostas.
    Verifica-se também que as empresas que fornecem estes produtos não estão muito interessadas em divulgar este tipo de apoios/comparticipações, quer pela quantidade de orçamentos que são solicitados, quer pelo facto de os seus preços serem suprimidos por concorrentes na captação dos clientes, quer pela demora na decisão da segurança social.

    Ficam aqui algumas perguntas aos responsáveis da segurança social.
    Como pedir Produtos de Apoios Consumíveis (ex Fraldas)
    Todos os serviços de segurança social (Atendimento/informativo) estão capacitados para receber cidadãos com mobilidade reduzida em cadeiras de rodas?
    Porque não posso efetuar marcação para o balcão de inclusão pela linha de segurança social uma vez que não tenho internet?

    Dirigi-me à sede do centro distrital de segurança social do Porto conforme indicado no portal
    “Para mais informações:
    • Consulte o Guia Prático – Sistema de Atribuição de Produtos de Apoio (SAPA), disponível na coluna lateral direita.
    • Consulte o Portal do Instituto Nacional para a Reabilitação
    • Dirija-se a um dos nossos Balcões de Inclusão em funcionamento em cada uma das sedes de Distrito.” mas constatei que não dispõem de balcão de inclusão, só funciona por marcação na rua Miguel Bombarda?
    É obrigatório ter a situação contributiva regularizada para este tipo de apoios?

  36. Avatar
    Francisco Machado Carvalho Reply

    Boa noite
    Tenho 60% de incapacidade, tenho problemas respiratórios, tenho dificuldade devido ao cansaço, ando 50 metros e tenho de parar, mas o maior problema, é que vou a um hipermercado, e em estacionamentos cobertos eu não posso respirar devido aos gazes, e já tive problemas devido a essa situação. Pedia pelo favor se me informavam se tenho direito ao cartão de estacionamento ? e caso tenha o que devo fazer? muito obrigado. cumprimentos Francisco Machado Carvalho.

    • Avatar
      João Ginja Reply

      Bom dia SR
      Pelo conhecimento pessoal que tenho pois tenho uma filha deficiente que é possuidora desse cartão. O cartão de estacionamento de deficientes é passado pelo IMTT e pode ser pedido numa loja do Cidadão e qualquer deficiente que tenha o Atestado Multiusos actualizado tem direito, mas nada melhor que ir a uma loja do Cidadão informar-se. Esse cartão “azul” é passado em nome da pessoa com deficiência para que se possa deslocar em qualquer carro e desde que coloque esse cartão tem direito a estacionar nos lugares destinados a deficientes. Espero ter sido esclarecedor e que tenha sido útil a informação.

    • Avatar
      Luis Pires Reply

      Boa tarde
      Quem passa esse cartão é o IMTT tente ir la e informe-se mas duvido muito que lhe passem, só dão o cartão para estacionamento a pessoas com deficiência motora mas nada melhor que se informar.
      Um abraço Francisco Machado Carvalho!

  37. Avatar
    Francisco Esteves Reply

    É o que esta mencionado. No papel o apoio existe mas a partir do momento em que demora um ano para a ajuda ser atribuída o apoio passa a ser inútil e não é utilizado por quase ninguém pois para nada serve.
    O meu pai esteve internado devido a um AVC e necessitou quando saiu da reabilitação de ter imediatamente alguns produtos (bengala etc), a urgencia era imediata não um ano depois.

  38. Avatar
    António Conceição Reply

    Porque não disseram o essencial na reportagem, que até está escrito acima: “Neste momento, pedidos estão a demorar cerca de 1 ano a serem aprovados.” (!)
    Porque é este atraso, esta ineficiência, que leva, muitas vezes, à impossibilidade de utilizar a “benesse”…
    Vê-se que, felizmente, esta peça jornalística foi construída por quem não conhece, de facto, esta realidade… Reparem: há uma necessidade, tem que comprar um produto de apoio, é prescrito, e agora… espere pelo menos um ano! E, quantas vezes, é essencial para a reabilitação, que não pode esperar… um ano!
    Imagine um medicamento: o médico prescreve, mas… só seria aviado na farmácia dentro de um ano!
    E há muitos destes produtos de apoio que são equivalentes aos medicamentos, com custo equivalente! Porquê a espera?
    É este paradigma que interessa mudar, e que é urgente que se fale!
    Desculpem, mas o “facilitismo” da vossa reportagem, as pessoas é que são “burras” em não recorrer, “esconde” o essencial: o porquê de as pessoas se verem impossibilitadas de recorrer, o porquê de os próprios médicos não incentivarem o recurso, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *