Está farto de pagar Comissões de Manutenção? Uma solução

Contas de Serviços Mínimos Bancários com mais serviços

Entrou em vigor esta semana a Lei n.º 21/2018, de 8 de maio, que altera o regime de serviços mínimos bancários. A nova lei vem facilitar o acesso dos clientes aos serviços mínimos bancários, alargar o número de transferências interbancárias incluídas e permitir as ultrapassagens com cartões de débito.

Para quem não sabe o que são estas contas, resumidamente é ter uma conta grátis (ou paga no máximo cerca de 5 euros por ano) e não paga rigorosamente mais nada por ter a conta aberta, nem pelo cartão multibanco. A única condição é ter apenas uma conta à ordem aberta em Portugal.

POUPE 100 EUROS COM A CONTA DE SERVIÇOS MÍNIMOS BANCÁRIOS

Todos os bancos são obrigados a ter contas de serviços mínimos bancários. Basta o cliente pedir por escrito no respectivo balcão.

Se está farto de pagar comissões só por ter dinheiro no Banco e por usar o cartão multibanco, tem a partir de agora uma alternativa. Qualquer pessoa pode pedir uma Conta de Serviços Mínimos Bancários (CSMB).

Os bancos estão a apertar tanto nas comissões que há clientes bancários que têm prejuízo ao fim do ano por ter o dinheiro no banco. Há quem pague 100 euros ou mais por ano só em comissões de manutenção de conta e em anuidades dos cartões de débito. Vamos a um exemplo real. Claro que depende de banco para banco – e há muitas situações em que os clientes estão isentos – mas são muitos os casos de clientes bancários que pagam, por exemplo, 15 euros de 3 em 3 meses apenas para manter a conta aberta. Com o imposto de selo, são 62,40 € por ano. Para ter cartão multibanco, pode ter de pagar mais 20,80 €. Ou seja, só para ter uma conta e movimentá-la precisa pagar aos bancos pelo menos 83,20 € por ano. Se for um casal, ultrapassa os 100 euros só para o banco guardar o seu dinheiro. E ainda tem de somar comissões por transferências e outros movimentos.

Uma conta por 5 € por ano (ou nada) em qualquer banco

Leu bem. Uma conta bancária normal, com multibanco incluído, por 5 euros por ano. Mas há bancos que nem sequer cobram nada pela conta de serviços mínimos bancários. É grátis no caso da Caixa Geral de Depósitos, do BPI, Banco Popular, BPA, Caixa de Crédito Agrícola de Leiria, no ActivoBank e o Banco Best (Fonte: Banco de Portugal).

A primeira coisa que tem de perceber é que os bancos não fazem isto voluntariamente. São obrigados por lei. Por isso é que a divulgação é pouca ou nenhuma. Mas são obrigado a ter um pequeno cartaz A4 afixado em todos os balcões com esta informação.

Em segundo lugar, como diz o nome da conta, são serviços mínimos. Ou seja, tem algumas limitações. A condição principal é que só pode ter uma conta. Se tiver contas noutros bancos vai ter de as fechar e deixar só essa aberta. O cartão Multibanco também tem menos funcionalidades que o MB “normal”. Informe-se no seu banco sobre o que pode e não pode fazer com esse multibanco, mas atenção que alguns funcionários “pintam” esse multibanco como uma “desgraça” e não é bem assim. Peça uma descrição por escrito do que pode e não pode fazer com ele. Tem essa informação também no site do Banco de Portugal.

Portanto, se neste momento só tem uma conta bancária e paga comissões, basta-lhe ir ao balcão do seu banco e pedir para a converter numa conta de serviços mínimos bancários. E são obrigados a fazê-lo. E fica a pagar zero (ou quase) pela conta e pelo cartão multibanco. O marido ou a mulher, se também só tiver essa conta também tem direito ao cartão multibanco de graça ou pelos tais 5 euros, conforme os bancos.

A outra condição principal era que a conta nunca podia ir a negativo. Com a lei aprovada esta semana, já pode.

Em resumo, se lhe basta uma conta e se não quer um conta-ordenado (a chamada facilidade de descoberto), basta-lhe ir ao seu banco e pedir para ter esta chamada “conta simples”. Não é só para pessoas com pouco dinheiro ou reformados. Qualquer pessoa pode pedir para deixar de pagar comissões bancárias, desde que aceite estas duas condições. Os bancos não podem recusar. Se lhe pedirem documentos com certidões e declarações das finanças faça o favor de lhes dizer que estão mal informados. Atenção: se tem Crédito à Habitação nesse banco, verifique se o seu spread aumenta se deixar de ter conta-ordenado (é aquela conta em que pode gastar mais do que lá tem e no mês seguinte descontam com juros. Pode não compensar se lhe aumentarem o spread. Faça as contas.

Com a conta de serviços mínimos, pode depois pedir um cartão de crédito ou manter os que tem desde que não estejam associados a outras contas bancárias, pode pedir cheques, ter crédito à habitação, pedir empréstimos e tudo o resto. Mas por tudo o que quiser a mais tem de pagar as respectivas comissões, como já acontece agora. Nesse aspecto não muda nada.

Com este tipo de conta, todas as transferências dentro do mesmo banco são grátis e os levantamentos ao balcão também (em número ilimitado), mas se fizer transferências para outros bancos pode ter de pagar. Isso resolve-se se fizer as transferências através do multibanco. Nunca paga nada de comissões, por enquanto.

A lei foi alterada recentemente para facilitar a vida aos mais idosos e incapacitados. Se tiver mais de 65 anos ou 60% de incapacidade, os filhos ou não familiares podem fazer parte desta conta de serviços mínimos bancários mesmo que tenham contas noutros bancos. Para que possam ajudar essas pessoas a movimentar o dinheiro, se necessário.

Estas contas são só para particulares, não se aplicam a condomínios (foi uma das perguntas que mais fizeram na página de facebook do Contas-Poupança (facebook.com/contaspoupanca). São pessoas coletivas e por isso ainda não encontrei forma de acabar com essas comissões de manutenção e de transferências.

Como já lhe disse, com esta alteração pode poupar 100 euros por ano em comissões. Se acha que não é muito, deixe-me recordar-lhe que com esse dinheiro pode comprar 200 litros de leite ou compra os manuais escolares do primeiro ciclo e ainda lhe sobra dinheiro. Dá que pensar.

Veja se esta informação se aplica ao seu caso ou a um familiar ou amigo.

As mudanças da nova lei

No que respeita às novas condições de acesso às contas de serviços mínimos bancários, as pessoas singulares passam a poder ser titulares de uma conta de serviços mínimos bancários mesmo que já sejam contitulares de outra conta de serviços mínimos com pessoas com mais de 65 anos ou com um grau de invalidez permanente igual ou superior a 60%, desde que não tenham outras contas de depósito à ordem.

Quanto aos serviços incluídos nos serviços mínimos bancários, a nova lei vem aumentar de 12 para 24 o número máximo de transferências interbancárias nacionais e na União Europeia passíveis de serem realizadas por homebanking em cada ano civil. Duas por mês. Gratuitamente.

A Lei n.º 21/2018 altera também as regras aplicáveis às ultrapassagens de crédito (deixar a conta ir a negativo) em contas de serviços mínimos bancários, estabelecendo que podem existir ultrapassagens em operações realizadas com o cartão de débito. Assim, as instituições de crédito podem permitir a movimentação, com cartão de débito, da conta de serviços mínimos bancários para além do seu saldo, nomeadamente quando os sistemas de pagamento não estão a funcionar em tempo real (o que pode suceder, por exemplo, no caso do pagamento de portagens ou em alguns pagamentos efetuados no estrangeiro).

Explicita ainda que as instituições de crédito não podem impedir o cliente bancário, com fundamento no facto de o cliente ser titular de uma conta de serviços mínimos bancários, de adquirir outros produtos e serviços bancários (como por exemplo, produtos de crédito) aos custos praticados pelas instituições de crédito e cujos valores máximos estão previstos no preçário.

Após a entrada em vigor desta lei, as instituições de crédito têm 30 dias para adaptarem os cartões de débito associados às contas de serviços mínimos bancários às novas regras.

Lei revista das CSMB 2018 em PDF

O que são os serviços mínimos bancários?

Os serviços mínimos bancários são um conjunto de serviços bancários considerados essenciais, aos quais os cidadãos podem aceder a custo reduzido. Incluem a abertura de uma conta de depósito à ordem – a conta de serviços mínimos bancários – e a disponibilização do respetivo cartão de débito.

Os serviços mínimos bancários devem ser prestados e divulgados por todas as instituições de crédito autorizadas a receber depósitos do público, ou seja, bancos, caixas económicas, caixa central e caixas de crédito agrícola mútuo e que disponibilizem ao público os serviços incluídos nos serviços mínimos bancários.

O que é a ultrapassagem de crédito?

A ultrapassagem de crédito é um descoberto aceite tacitamente pela instituição e que permite ao cliente dispor de fundos que excedam o saldo da sua conta de depósito à ordem ou o limite máximo acordado para a facilidade de descoberto.

A possibilidade de ultrapassagem de crédito deve estar prevista no contrato de depósito à ordem ou no contrato sob a forma de facilidade de descoberto.

Se a ultrapassagem de crédito for significativa e se prolongar por mais de um mês, o cliente deve ser informado sobre essa ultrapassagem, o montante excedido, a taxa de juro nominal e eventuais sanções, encargos ou juros de mora aplicáveis.

A instituição de crédito não pode cobrar comissões pela ultrapassagem de crédito, mas pode cobrar juros, os quais estão, no entanto, sujeitos a limites máximos.

Esta informação acima foi prestada pelo Banco de Portugal.

Recordo que já fiz várias reportagens e artigos sobre as Contas de Serviços Mínimos Bancários. TODOS os bancos são obrigados a ter estas contas. E qualquer pessoa pode pedir para transformar a sua conta atual numa conta deste tipo. Repito que a única condição é só ter essa conta em Portugal. Não pode ter conta noutro banco. Leia os outros artigos que escrevi sobre o tema porque estas contas têm (ou tinham) algumas limitações.  Com estas alterações já pode fazer muito mais coisas.

Se está farto de pagar comissões de manutenção de conta e anuidades de cartões multibanco, avalie.

Acompanhe-nos AQUI

Registe-se AQUI para receber a Newsletter do Contas-poupança. Assim não perde nenhuma dica.

YouTube 

Facebook do Contas-poupança

 Pergunte no Grupo “Contas-poupança – As suas dúvidas”

Instagram

Twitter  

Se quiser um resumo muito claro e prático das dicas que demos nestes anos todos, pode adquirir o livro “Contas-poupança”. Escrevi-o com esse propósito.

É só clicar AQUI abaixo.

49 comentários em “Está farto de pagar Comissões de Manutenção? Uma solução

  1. Costa Reply

    Alguém que saiba me possa responder à minha dúvida
    Depois de hoje me dirigir ao balcão da CGD para pedir para passar a minha conta para uma conta de serviços mínimos, apresentaram-me dois problemas
    Um era que por ter algum dinheiro investido numa poupança não era possível ter os serviços mínimos.
    E o outro é que recebendo o meu ordenado nessa conta também não é possível ter esta conta…
    Nunca li isso em lado nenhum e depois a senhora de tanto procurar também não encontrou essa informação em lado nenhum e lá me deu os papéis para preencher. Mas alguma dessas situações pode ser impeditiva de não ter os serviços mínimos!?

  2. Gonçalo Reis Reply

    Boa tarde
    A lei permite ter Seguros de capitalização/PPR ou outras poupanças associados a uma conta de serviço mínimos bancários?
    Obrigado

  3. Gonçalo Madureira Reply

    Boa noite, a minha esposa dirigiu-se a nossa agência bancária, CGD balcão de Almeirim para passar a nossa contam a ordem para conta de serviços mínimos e o funcionário que atendeu diz que não podia porque a conta não suporta alguns serviços que temos actualmente sem explicitar o que era depois de muito insistir diz então que se trata de informação registada no banco de Portugal de créditos, o que não percebemos visto que actualmente temos o crédito da casa e do carro sendo que o primeiro é deste banco e o de carro por débito directo nesta conta depois temos pagamentos através de planos de pagamentos por entidade e referência de um cartão worten que já foi anulado e um cartão Barclays, porque entretanto ficamos desempregados e tivemos de negociar para fazer os respectivos pagamentos a medida da nossa capacidade financeira. Ora como refere no artigo e como pode verificar pela lei e através site banco de Portugal a única condição é não termos outra conta a ordem, e isso nós cumprimos apenas temos a dita conta no dito balcão da CGD.

  4. Pingback: Estás farto de pagar Comissões de Manutenção ao banco? Aqui está a solução.

  5. Consuelo Reply

    tenho uma conta ordenado no Montepio geral, que o plafond é de 350.00 euros, fiquei desempregada pois em 3 anos tive que ser operada 3 vezes ao mesmo pé, ate que a firma me despediu, pois o contrato assim o permitia pois deram como termo de campanha, sem subsidio de desemprego(subsequente) em março de 2017, ficando o plafond da conta em negativo no permitido, ainda recorri de um seguro que eu pagava mensalmente, mas fui informada de que não cobria nada, só em acidente de trabalho, ser mutualista tambem de nada valeu, agora há 3 meses fui chamada a pagar a uma empresa recuperadora de creditos do montepio geral, para pagamento do cartão de credito ao qual uma divida de 250 euros passou a ser de 500 euros, está pago, 2 meses depois sou de novo incomodada so que agora é com o plafond ordenado,paguei a entidade que recupera os creditos do montepio os 60 euros excedentes dos 350, fui pedir um acordo de 25.00 por mês e se pudesse um pouquinho mais colocaria para abater a divida, isto até começar a receber a pensão, qual o meu espanto, quando verifiquei que assim que começou a entrar o dinheiro das prestações acordadas, era retirado aos quase 5.00 euros de comissões e mais o imposto de selo, o que eu pensava que estaria ja a abater está a passar de novo os 350.00 euros, mandei mail para o gerente da conta que autorizou as prestações, pediu-me para começar a pagar por referencia bancária para não interferir na minha conta. E depois que faço à conta? ja não sei que fazer, ou a quem me dirigir ou se posso pedir para ser usada a lei 21/2018???

  6. Pingback: ¿Está harto de pagar Comisiones de Mantenimiento? Hay una solución | 25 Minutos

  7. Vitor Reply

    Se na minha conta houver um segundo titular associado (não é conta conjunta), nao posso pedir a conta serv. mínimos? Na CGD estão-me a exigir reabrir uma nova conta sem mais nenhum titular para então mudar para a de serviços mínimos, mas que iria ter custas adicionais.
    E também me ia implicar fecho da actual conta, histórico e demais registos, bem como os cartões de débito e o Webuy.

    Ou estão-me só a tentar dificultar o pedido?

  8. CÁTIA Reply

    Na CA pedem-me recibos de remunerações e outros documentos.
    é correcto? Como fundamento que não é necessário?

    • Pedro Andersson
      Pedro Andersson Post authorReply

      Olá. Não tem de entregar nada. Só preencher o formulário do banco. Insista. Peça o livro de reclamações que resolvem logo.

    • Marco Lopes Reply

      Impressionante como os bancos são burlões!!! Cruzes canhoto!
      Estive numa demanda com a CGD pois queria fechar DUAS contas, e em uma delas exigiam um VALOR, sabe-se lá vindo de onde, para poder fechar a conta!
      Muita gente PAGA o que eles pedem… mas vamos la ver… eu vou pagar algo que não foi lançado na minha conta??? Disparei para todos os lados… e fecharam-me a conta.
      Semanas depois enviam-me uma carta a dizer que posso ter problemas por ter deixado algo por pagar (como por exemplo, informação de devedor no banco de portugal!)
      Então agora os bancos podem ter um saldo em SACO AZUL só do conhecimento deles, que podem exigir quando um cliente vai fechar a conta?
      Era o que faltava!
      Peçam o livro de reclamações! SEMPRE!

  9. Catarina Fernandes Reply

    Boa tarde,
    Os meus pais aderiram a essa conta. São ambos titulares, mas apenas podem ter um cartão. É correto?
    Obrigada

    • Pedro Andersson
      Pedro Andersson Post authorReply

      Ola. O segundo acho que se paga, mas como ambos só têm essa talvez não pague. Terá de perguntar no banco ou então no banco de Portugal.

  10. Maria Jose Ferreira Reply

    O meu banco diz que mesmo que mude para serviços mínimos ficarei a pagar as despesas de manutenção assim como a anuidade do cartão porque tenho crédito à habitação. Será assim ? Não serão só às comissões ? De outra forma não faria sentido ser possível ter serviços mínimos se não traz vantagem!

    • Pedro Andersson
      Pedro Andersson Post authorReply

      Olá. Estão a dar-lhe informações erradas. Só tem de ver se perde algum serviço que lhe dá vantagens no spread. Peça o livro de reclamações que provavelmente resolvem logo. Depois diga como correu

  11. Luís Antunes Reply

    Quero dar os parabéns a este artigo pois fui ter com 4 funcionários do banco CGD e nenhuma informou desta solução!! Finalmente vou parar de pagar comissões!!

    • Marco Lopes Reply

      Não informam porque não lhes convém! Com a CGD nunca mais quero nada… É uma pena que as pessoas não fechem as contas e mudem para outro banco sem terem de andar atras de contas de serviços mínimos…

  12. Joao Resende Reply

    No Santander não aceitaram passar a conta da minha mãe (+65) para conta simples pois eu era co-titular e tinha menos de 65 anos e outras contas.

    É mesmo assim ou eles estão errados ?

      • Joao Resende Reply

        Bom dia obrigado

        é a Lei n.º 21/2018

        4 — Sem prejuízo do previsto nos n.os 1 e 2, em caso
        de contitularidade de conta de serviços mínimos bancários
        com uma pessoa singular com mais de 65 anos ou
        dependente de terceiros, a pessoa singular com menos
        de 65 anos ou que não seja dependente pode continuar
        a aceder individualmente à conta de serviços mínimos
        bancários.

        Eles alegavam com isto no prospeto deles

        Não ser titular ou contitular de Contas de depósito, nos termos da declaração que deverá subscrever, excluindo os casos em que o outro contitular da Conta a abrir seja uma pessoa singular com mais de 65 (sessenta e cinco) anos ou dependente de terceiros(1), em que seja titular de uma única Conta de depósito à ordem a converter em Conta de Serviços Mínimos Bancários, ou em que tenha sido notificado de que a outra Conta de que é titular irá ser encerrada

        (1) Considera-se dependente de terceiros a pessoa que apresente um grau de invalidez permanente, devidamente comprovado pela entidade competente, igual ou superior a 60%

    • Marco Lopes Reply

      João, quando me dão respostas dessas a minha resposta é sempre a mesma: então feche a conta e vamos lá abrir uma nova!!! Sinceramente, fazem das pessoas parvas??? Livro de reclamações, NA HORA!

  13. Maria de fatima alves costa pereira Reply

    O meu marido recebe a pensao pela caixa geral de depositos e todos os meses descontam lhe as tais comissoes de conta mas qual foi o meu espanto que ao receber o reembolso do irs tambem lhe fizeram o tal desconto,agora vai receber no dia 19 e vou ver se lhe tiram outra vez e ainda por cima ele tem mais de 65 anos e dizem que estes têm regalias

  14. Marco Lopes Reply

    Deixo aqui mais uma BOA DICA para poupar: fartei-me de pagar ao banco por um CARTÃO de DÉBITO que apenas usava nas caixas MB… ANULEI o cartão e fiquei apenas com um de CRÉDITO (que também tem vertente MB – nem todos são assim, mas este é!) isento de anuidade…

    Para além disso, ADERI ao cartão de crédito COFIDIS, que, por 12 euros de anuidade (1 EURO / MES) nos DEVOLVE 2% SOBRE TODAS AS COMPRAS EFECTUADAS e 1% sobre pagamentos de serviços (até 200 EUROS por ano) e nos ISENTA DE TODAS AS COMISSÕES COBRADAS por CASH ADVANCE e/ou PAGAMENTOS em Portugal e no ESTRANGEIRO (em TODO O MUNDO!). Quantos cartões fazem isto??

    Não posso estar mais satisfeito. Sempre tive receio de optar por cartões que não fossem do meu banco… não poderia estar mais errado! Recupero 200 euros (menos a comissão de 12 euros) por ano, e ainda estou isento de taxas de 4 EUROS + 4% sempre que faço levantamentos cá ou no resto do mundo.

    Coloquem os “bancos” a trabalhar para vocês… e não ao contrário.

    • Celso Reply

      Certo, mas se por acaso for como algumas pessoas que, infelizmente recebem pouco e o dinheiro na conta anda quase sempre a zeros, se descuida com uma compra que não tenha dinheiro na conta para o cartão retirar, já vai pagar juros, e não são assim tão baixos. Um cartão de CRÉDITO pode ser um pau de dois bicos!

      • Marco Lopes Reply

        Bem… se a conta à ordem tiver os “tostões contados”, então mais vale usar um cartão de DÉBITO… assim teremos a certeza que nunca iremos gastar mais do que o que temos no momento…

        Quando temos certeza que no dia do pagamento teremos sempre saldo disponível, então o cartão de CRÉDITO, principalmente um como o COFIDIS, torna-se um grande aliado! (SEMPRE com o pagamento a 100% – importante! Nada de pagamentos em prestações… isso seria entrar na vertente de JUROS e não é disso que falo)

        1) Temos um controle sobre todas as despesas “não fixas” que efetuamos todos os meses (na conta à ordem apenas cai o TOTAL do mês gasto com o cartão e os DÉBITOS DIRECTOS / despesas fixas mensais)

        2) Poupamos 2% sobre todas as compras!

  15. Fernando Boavida Reply

    Não percebo porque a CGD anda a cobrar comissões , se o Estado a capitalizou com 7000 milhões.? Agora que tem os descobertos devedores regularizados, querem -nos por em pelotas ?

    • Marco Lopes Reply

      Feche a conta na CGD! Abra uma conta num banco que não cobra comissão de manutenção nem cobra pelos cartões de débito / crédito! (Ex: ActivoBank, BancoCTT)

  16. Oliveira Reply

    Tenho Conta à Ordem com custos de manutenção no Novo banco por causa do crédito Habitação. Tenho direito a mudar este tipo de conta para conta de Serviços Mínimos no mesmo banco?
    Os meus agradecimentos.
    LJO.

  17. Fernando Francisco Reply

    A conta dos serviços minimos bancarios tem direito a cheques?

  18. Herculana Velez Reply

    sendo que a conta/ordenado que tenho é a mesma do crédito à habitação posso pedir que passe a ser uma conta de serviços mínimos? basta chegar ao banco e pedir a alteração baseada na lei 21/2018? é só isto? as condições contratuais do crédito ficam na mesma?
    tenho 65 anos

  19. JOANA MARTINHO Reply

    Boa Noite tenho uma conta no novo banco e sou 2ª titular na conta do meu pai noutro banco. Não poderei então activar os serviços mínimos na minha conta??

    • Pedro Silva Reply

      Eu tinha a mesma situação .
      A minha mãe tinha direito aos serviços mínimos , mas eu não .
      Então resolvi de forma fácil , fechei a conta na Caixa Geral de Depósitos , e abri uma conta no edifício ao lado , o Banco CTT , onde tenho tudo igual , algumas coisas até melhor ainda , e tudo de graça . E é uma conta a 100 % , não apenas de serviços mínimos !

      • Marco Lopes Reply

        Não é TUDO de graça!!! Manutenção e cartões sim… (bem como transferências), mas existe um PREÇARIO de serviços que o banco presta! O banco não trabalha de borla!

        • Pedro Silva Reply

          Quando disse , tudo de graça , obviamente no contexto em que estamos a falar .
          Ou seja , as operações básicas do dia a dia .
          Entretanto , também verifiquei o seguinte :
          Em outros bancos , eu e a minha esposa , tínhamos apenas uma conta , para evitar duplicação de despesas de manutenção .
          No Banco CTT , como não há despesas de manutenção , podemos ter duas contas , e cada um de nós ser segundo titular na conta do outro .
          Assim , duplicamos as operações gratuitas a que temos direito !
          Claro que se pedirmos algo fora do comum , no dia a dia , temos que pagar , mas essas coisas tem que ser pagas em qualquer banco . Mas se alguém conhecer um banco , onde não se pague rigorosamente nada , qualquer que a operação solicitada , por favor apresente-o , que é muito bem vindo …

  20. Alexandre Reply

    Numa conta de serviço mínimos possuo usufruir de produtos de bancários como depósitos a prazo ou conats poupança?

  21. Filipe Reply

    Tenho conta na CGD mas tenho o credito do carro de outra instituição, posso assim pedir a xonta de serviços mínimos??

  22. Marta Melo Reply

    Tenho conta aberta na CGD mas também tenho no BPI o que posso fazer para reduzir as despesas associadas à conta da CGD por exemplo?

  23. Oliveira Reply

    o problema vem em forma de represarias, no meu caso tenho a prestação da casa negociada.
    sinceramente tenho receio, sabe que se cortarmos a eles, eles cortam com a gente,

  24. Ricardo Reply

    Informaram-me na CGD que o cartão de débito desta conta de serviços mínimos, não dava para efectuar alguns pagamentos de baixo valor, como por exemplo portagens. É verdade?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *