Painel solar fotovoltaico – Balanço do 1º ano (2017)

Painel solar – Mês 12  (Novembro 2017)

Pois é. Parece que foi ontem que instalei o meu primeiro painel solar fotovoltaico. Foi quase numa de “brincadeira” que decidi instalá-lo. Primeiro, porque moro num prédio. Logo, tive de pedir autorização aos outros condóminos. Era uma dificuldade que adivinhava, mas ninguém se opôs. Pelo contrário.

Depois, era uma “aventura” porque não percebo nada de painéis solares. Mandei vir pelo correio e entregaram-me tudo em casa. Um amigo que instalou painéis solares em tempos ajudou-me. E lá está o painel há 12 meses. Faz agora 1 ano completo.

Todos os meses coloco aqui o balanço da produção energética e os incidentes que vão acontecendo, como a sombra da chaminé que me tapa um terço do painel durante o Verão e que só me apercebi tarde demais.

Vamos a contas

Recordo – para quem chegou agora ao blogue Contas-poupança – que para perceber se compensa ou não investir num Painel solar fotovoltaico comprei um em Dezembro do ano passado. Produz até 250 W de eletricidade para consumir em casa em tempo real, sem baterias.

Quanto produziu em Novembro?

Como podem ver, como estamos no Outono, a produção é cada vez menor. Até Fevereiro vai ser sempre  a descer. Diria que nestes meses é que compensa ter 2 painéis para vencer o sol mais “fraquinho” e os dias de chuva/nublados. Em 2018 avaliarei se compro um segundo painel ou não.

Para já, os números são estes: Em Novembro, o painel produziu 27,211 kWh, o equivalente a 5,42 €, caso consumisse em tempo real tudo o que o painel produziu.

Quanto tempo para amortizar o painel solar?

(Repito isto em todos os posts) Como sei que estão sempre a fazer esta crítica, relembro mais uma vez que sei muito bem que não estou a poupar tudo o que o painel solar produz. Como não tenho baterias, tudo o que não consumo instantaneamente é oferecido à rede sem qualquer retorno. Mas faço as contas com este total para que cada um possa usar estes valores para adaptarem ao vosso caso. Eu não sei se gastam ou não o mesmo que eu. Sempre que saio de casa desligo todos os standby, pelo que durante o dia sobra sempre muita energia produzida pelo painel. (Fim da nota)

As contas de Novembro

Dos 11 anos de retorno iniciais (dados de Dezembro 2016) para pagar os 620 euros que investi, com a produção muito boa do Verão, o tempo para recuperar o investimento é neste momento de 7 anos certinhos. O painel fez-me poupar num ano 88 euros na fatura da eletricidade. Ou seja, um mês grátis de eletricidade e ainda sobra um bocadinho. Será que fiz mesmo essa poupança?

Não! Não fiz. Porque como já referi, se não consumir imediatamente o que produz essa eletricidade é oferecida à rede. A EDP agradece. É o contrato que temos.

Então vamos fazer duas contas:

Se simular um desperdício mensal para a rede de 30%, o retorno passa para 10 anos.

Se simular um desperdício de 50% mensal para a rede (que acho absurdo) o retorno será apenas aos 14 anos.

Estes valores são apenas para compensar ter gasto 620 euros no painel (inclui instalação e todo o material opcional que eu decidi colocar por comodidade e estética). A partir dessa data será apenas “lucro”. A previsão é que o painel dure 25 anos. A garantia é de 20 anos com 80% da eficácia.

Mas não é dinheiro empatado?

Vamos imaginar que tinha deixado os 620 euros num depósito a prazo num banco. Quanto me estariam a render neste momento? A 0,5% de juros, renderiam 2,23€ líquidos por ano. O painel pode render-me 88 €.

Se pensarmos nos Certificados do Tesouro Poupança Crescente, que no último ano rendem 2,25 %, nesse sétimo ano o máximo que rendem 1000 euros é 22,50 € (mais 40% do PIB). O painel, mesmo que só aproveite metade, gera uma poupança de 44 euros por ano. Ao fazer estas contas fico com poucas dúvidas de que compensou ter instalado o painel.

Ajudem-me para ver se não estou aqui a errar em algum cálculo ou raciocínio. A mim parece-me claro, passado um ano, que vale a pena instalar um painel solar fotovoltaico. A minha “guerra” vai ser decidir agora se compro o segundo face ao desperdício que dou à rede. Este, para já, está a valer a pena.

Se quiserem saber mais sobre a instalação e os meses anteriores basta pesquisar  no motor de busca do blogue na página inicial “painel”.

Acompanhem aqui no Blogue e no Facebook esta pequena aventura fotovoltaica. A ideia é ajudar os curiosos a perceber se no vosso caso é um investimento útil ou não e como funciona. Registe-se com o seu e-mail no blogue para receber a Newsletter.

82 comentários em “Painel solar fotovoltaico – Balanço do 1º ano (2017)

  1. Carlos Campos Reply

    Cara Fernanda;
    Esqueci-me de responder em relação à duração média de vida útil dos restantes equipamentos e acessórios de conexão.
    Microinversores, Inversores de rede, têm garantias de 5 a 10 anos, só algumas marcas, em geral são atribuídos só 2 anos, garantia obrigatória para equipamentos electrónicos, linha castanha e linha branca.
    Cabos, fichas, têm 6 meses a 1 ano. Mas quando de qualidade podem durar mais de 10 anos, desde que não estejam sujeitos a intempéries e demasiado expostas aos UV (raios solares ultra violeta).
    Mas para termos este espaço temporal de vida útil dos equipamentos, é necessário apostar na qualidade!
    Como é hábito dizer-se, “o barato sai caro!”
    Mas este ditado não é só para os equipamentos principais e acessórios, também para os técnicos instaladores, que de técnicos, nada têm, e será uma grande maioria!
    Já agora fica o Alerta para a questão das baterias;
    Os fabricantes vs marcas atribuem cerca de um ano de garantia, mas só com comprovados defeitos de fabrico.
    Alguns modelos e marcas atribuem dois anos.
    Neste caso em concreto, não é obrigatório os 2 anos de garantia, porque é um componente considerado de desgaste rápido, e tanto mais rápido quando não é bem utilizado vs dimencionado.
    Em relação a algumas marcas vs modelos, começa a haver por aí (em Portugal, Espanha, …) indicações e Marketing, que dizem atribuir 10 anos de garantia.
    Dizem, mas muita atenção, se algum dia tiverem de optar por algo idêntico, perguntar sempre, “o que é atribuido em termos de garantia, são os 10 anos, ou o número de ciclos que se consumiram vs desgaste da bateria?”
    Sim, porque haverá situações em que irão existir mais que 2 a 3 ciclos de carga e descarga diários, logo, a bateria nunca poderá durar os 10 anos previstos de duração média e mínima!!
    Em caso de respostas invasivas, perguntar opinião a quem sabe.
    No entanto, as garantias são por vezes consideradas de pouco esclarecedoras.
    Além disso, “valem o que valem”, porque a marca pode fechar as portas, algo que, cada vez acontece com maior frequência!
    Empresas que abrem falência, ou criam fusões, etc.
    Considerar sempre adquirir marcas com muito bom nome, e, em funcionamento à muitos anos, mas mesmos estas estão sujeitas a fechar portas.
    Agora sim, respostas completas e um alerta adicional para todos.
    Cumprimentos,

  2. Carlos Campos Reply

    Boa tarde;
    A amortização do sistema fotovoltaivo do Pedro Andersson, está bem documentado, todos os meses nos informa, através da sua introdução sobre a produção, etc.
    Quanto à duração do módulo Fotovoltaico, se for de qualidade média alta, ou alta qualidade, pode durar mais de 50 anos, perde é eficiência, normalmente a partir do sexto ano até ao décimo primeiro, depois perde mais uma pequena percentagem até cerca dos vinte a vinte cinco anos, dependendo sempre do fabricante, modelo, condições de exposição solar, temperatura ambiente, etc.
    Em suma, um óptimo módulo Fotovoltaico pode ter uma duração muito longa!
    Quanto a questões de vandalização, fenômenos da natureza, tais como granizo, chuvas demasiado ácidas, etc., podem levar a que um Módulo possa funcionar só 6 horas, 6 dias, …2 anos!?
    E não têm reparação, para isso servem os seguros de risco.
    Se o módulo avariar, e estiver abrangido com garantia, “Com comprovados defeitos de Fabrico”, pode sempre reclamar através da marca vs empresa que instalou, sendo que, quem instalou, poderá e deverá revelar os contactos, para onde deverá dirigir a reclamação e demais informação, esta sempre com um relatório do técnico instalador, ou outro, desde que com conhecimentos.
    Depois o módulo deverá ser enviado por conta e risco do consumidor final, para análise e testes, isto se o vidro, caixa de ligação dos cabos, fichas, não mostrarem visíveis danos a “olho nú”.
    Se tiver garantia, enviam outro novo, mas os custos de transporte são sempre suportados pelo cliente consumidor final.
    Ao preço que os módulos estão actualmente, não justifica enviar um Módulo por transporte, por vezes para fora de Portugal para análise, os custos são superiores ao de um Módulo novo.
    Espero ter ajudado.
    Cumprimentos,

  3. Fernanda Reply

    Não sei se foi já referido aqui, e se foi peço desculpa, mas creio que falta ter em conta a amortização do equipamento. Qual a sua duração estimada? 10 anos? E tenho uma outra duvida que se prende com a hipotese do painel avariar. Se isso acontecer é possivel reparar ou é mesmo para deitar fora?

  4. Carlos Campos Reply

    Caro Sr. Eng. Rui Pinto;
    Os meus comentários foram meramente e só de “alerta”, não foram de forma nenhuma depreciativos!
    Folgo em saber que o Sr. Engenheiro sabe muito destas questões.
    Ainda bem para o Senhor.
    Quanto ao meu “tempo”, é o mesmo que o do Senhor Engenheiro, porque ainda há muitos inversores com uma ficha de isqueiro.
    Já agora, para todos ficarmos a saber, qual foi o preço do regulador de carga e qual a sua amperagem?
    E ainda o preço aproximado dos acessórios de corte e protecção, by-pass automático, para o sistema isolado vs RESP, ou Gerador a combustível, etc.
    Em suma, só em equipamentos, cablagem, etc.
    Quanto pagou?
    Uma vez mais as desculpas se o ofendi.
    Não foi nunca a minha intenção.
    Votos de muita saúde e sucessos.
    Saudações Solares,

    • Rui Pinto Reply

      Respondendo concretamente à sua pergunta, a linha de 12 V tem um fusível de 10 A do regulador e inversor para as baterias. Coloquei no inversor um fusível rápido de 1,6 A em cada linha, para se houver curto ou um dos 2 relés inversores encravar e misturar as 2 redes exista corte, além das proteções eletrónicas do inversor. A rede 230 V pública tem o disjuntor e diferencial do quadro elétrico. O circuito comutador é alimentado por uma fonte comutada de 12 V com proteção eletrónica e ligada a disjuntor e diferencial da rede pública. É um sistema simples e barato que não prevê todos os possíveis riscos, mas para esses outros riscos é preciso haver asneira. Estamos a falar de um inversor de 300 W, é a 2a. gama de potência em inversores. Peço desculpa se se sentiu ofendido com as minhas respostas mas sou assim e até a minha esposa já me disse para mudar. Cumprimentos.

  5. Carlos Campos Reply

    Caro Rui Pinto,
    Devo dizer que os profissionais não trabalham desse modo!
    Bem, dizendo a verdade até há por aí alguns instaladores que, de profissionais nada têm!
    Em suma, o Senhor Rui Pinto, fez uma instalação com “arames”, o que os técnicos chamam de “teia de aranha”.
    Esse Inversor que adquiriu, é um Inversor simples, e de Onda Modificada, não é de Onda Sinusoidal Pura!
    É um Inversor que NÃO precisa de sincronizar com a rede eléctrica pública, (RESP) logo, em termos de protecções não é seguro.
    E terá de ter um “Polícia” a tempo inteiro, porque quando deixa de ter energia acumulada nas baterias, terá de ir ligar novamente o quadro eléctrico principal, (e vice verso) se não, ficará com os produtos alimentares do seu frigorífico estragados!
    E os restantes equipamentos desligados.
    Além disso, o dimensionamento do seu sistema, para alimentar tudo o que diz, não chega, em termos de produção, acumulação vs consumos.
    É meramente uma experiência que lhe poderá sair cara em termos de segurança, desejamos todos nós que não!
    Mas também lhe saíu caro em termos de investimento, baterias em fim de ciclo de vida, o Inversor, é daqueles tipo que têm uma ficha de isqueiro na entrada dos 12V, uma tomada universal na saída de 220V, que são portáteis e servem normalmente para recarregar os PC portáteis em viagem, através da ficha de isqueiro do automóvel, aqueles (carros) que ainda têm este acessório.
    Não nos perguntou nada, também não lhe respondo nada em concreto, mas sugiro-lhe que tenha muito cuidado com esse tipo de instalação.
    Não é NADA suguro em termos eléctricos.
    Além disso, nem todos nós somos o Macguiver. 😉
    Cumprimentos,

    • Rui Pinto Reply

      Sr Carlos, não perguntei nem perguntarei. Está a classificar uma instalação que nunca viu. As baterias de ciclo profundo que fala custam 600€, eu gastei 45€ em baterias que estão a funcionar. Como disse, o sistema que tenho aguenta 105 watt desde as 9h até às 19h, caso haja sol. E como disse também, face ao baixo investimento precisarei de 3,1 anos para só pagar o sistema o que acho muito. Quanto à comutação rede para solar e inversa, esta é automática, pois para alguma coisa há-de servir o curso de engenharia eletrotécnica – ramo mecatrónica que concluí. Quanto à segurança também não se preocupe pois tem os devidos fusíveis e os inversores atuais, com proteções eletrónicas, já não são como no seu tempo da ficha de isqueiro.

    • Rui Pinto Reply

      Sr. Carlos, não sou um vaidoso que ostenta o título de engenharia. O regulador de carga e o circuito comutador fui eu que os desenvolvi, com os meus humildes conhecimentos, em placa de circuito perfurada e de ferro de soldar na mão, pois o que gosto é de meter a mão na massa e não de assinar e carregar papéis inúteis que se vão perder no tempo. Neste momento o circuito comutador está finalizado e comuta para rede ao fim do dia aos 10,7 V e de manhã comuta para solar aos 13,2 V, para que o inversor e as baterias aguentem o pico de corrente inicial e não fique em comutação sucessiva sem atracar num dos lados.

  6. Rui Pinto Reply

    Boa noite, investi 190€ num painel de 12 V 150 w, 40 € num inversor 12 V 230 V 300 W, comprei 3 baterias usadas na sucata por 45 € (têm de saber escolher), 30€ para fio 1,5 mm2 e acessórios, e fiz uma instalação elétrica paralela (não conto tempo e trabalho que um instalador profissional cobraria ou as baterias apropriadas de 400 €) para: frigorifico A+++, modem, router, telefone, PC portátil, 4 câmaras CCTV e 2 luzes led de presença. Com o frigorífico a trabalhar dá um consumo máximo de 105 watts. Com 9 horas de sol mais baterias, se frigorífico sempre on, deixo de pagar à fornecedora de energia 8€ por mês. Vou precisar de 3,1 anos para só pagar o investimento se nada avariar (baterias) entretanto. Com os preços atuais é esquecer o solar.

  7. Carlos Campos Reply

    Caro Francisco Fonseca;
    A minha sugestão para indagar o eventual porquê de o seu diferencial de rede eléctrica se desligar, com isso não invalida a resposta do Pedro Andersson.
    Pergunto-lhe;
    Será que adquiriu um equipamento eléctrico recentemente?
    Tais como, termoacumulador de águas quentes sanitárias (AQS) com apoio eléctrico, …?
    Se sim, tem temporizador (relógio) para ligar a uma determinada hora, neste caso às 07:00ham?
    Teve por acaso recentemente a mudança de contador de electricidade, por um outro, chamados de “Contadores Inteligentes”?
    Se o contador está no exterior, o mais provável é terem-no substituido, e, sem ainda o saber!?
    Se o contador estiver dentro de casa, então o Sr. Fonseca já sabe!
    Se forem por acaso a conjugação destes 2 exemplos, então o seu problema já está à vista.
    Só há uma solução, ou pede à eléctrica que tem contrato com o Sr. Fonseca, para alterar a potência contratada para mais>, ou gerir bem os seus consumos, de modo a evitar que o diferencial se desligue a essa hora.
    Não quer dizer que necessite efectivamente de mais potência, (kW) mas o facto de poderem existir picos elevados e apesar de rápidos, fazem com que o contador inteligente os regeite por completo, originando o corte no diferencial.
    Espero ter ajudado.
    No entanto, o Pedro Andersson, comentará o seu caso particular.
    Cumprimentos,

  8. Francisco Fonseca Reply

    Boa tarde
    Gostaria de lhe colocar uma questão se me permite, menciona que o quadro eléctrico ( diferencial) se desligava e que resolveu o problema recorrendo a um electricista, o meu quadro eléctrico também se desliga e o que é mais engraçado é que se desliga por volta das 7 horas da manha todos os dias, quando ainda não há qualquer consumo adicional, poderá me dizer qual era o problema.

    desde já obrigado
    Francisco Fonseca

  9. Carlos Campos Reply

    Caro Pedro,..
    Resposta ao Pedro que sugeriu e perguntou se já se falou aqui desta tecnologia!?
    Desta em concteto, com este tipo de telha, (banha da cobra,..) ainda não! Já se falou sim de baterias Lithium da marca Tesla.
    Chamo a particular atenção de não irem na conversa do bandido!!!
    Depósito de 930€, … Que nunca mais irão ver!!
    Existem fabricantes internacionais, nomeadamente no Japão, onde a tecnologia está mais avançada e testada.
    Mas as telhas necessitam de ser encaixadas umas nas outras através de conectores, (fichas macho e fêmea) por forma a efectuarem o somatório da energia produzida, e converte-la de DC em AC., …..
    Fica aqui este AVISO!!!
    Os Bloogues do Pedro Andersson, servem para isto mesmo, serviço público e ALERTAS!
    Cumprimentos, … e olhos bem abertos!! 😉

  10. Carlos Campos Reply

    Caro Pedro,…
    Pergunto-lhe; irá continuar a publicar os resultados da produção mensais do seu módulo Fotovoltaico, ou só quando adquirir um outro módulo (conforme disse “estar a ponderar”)?
    Cumprimentos

    • Pedro Andersson
      Pedro Andersson Post authorReply

      Olá Carlos. Desculpe. Não percebi a sua questão. Estou a publicar os consumos mensais para estimar o retorno do investimento. Temo ter um desperdício muito grande com um segundo painel. Espero ter valores reais quando o contador “inteligente” me permitir ter essas leituras. Até agora não consegui. Só tenho estimativas minhas.

  11. Daniel Sousa Reply

    Olá Pedro

    Porventura elaborou alguma projecção baseado num aumento do valor da electricidade nos próximos 8 anos?
    Sei que é especulativo e difícil de encontrar um coeficiente de variação, mas o simples exercício é capaz de fazer pensar.
    Eu por exemplo, sou dos do que acredita que o valor da electricidade vai aumentar devido as transformações do sector automóvel

  12. simao Reply

    Boa tarde em tempos ja tentei lhe dizer que nao compensa investir pois o mercado está em grande expancao o que torna a desvalorizacao de produto superior ao beneficio ou seja todo o produto na fase de expansao nao é muito vantajoso recorrer á compra mas pelo que vejo voçe acha que compensa e ate pondera um novo investimento em outro painel algo está errado , pois eu acredito que a unica coisa positiva que teve desse investimento foi a pesquisa,informacao ,conhecimentos e claro a falsa sensacao de bom amigo do ambiente, porque na realidade nao poupou nem um centimo alias perdeu dinheiro, nao foi amigo do ambiente pois apesar de consumir uma pequena parte de energia”limpa” na verdade para produzir esses paineis e todo o processo polui mais que a producao da mesma quantidade de energia produzida pelas barragens nacionais, pegando no seu texto((Vamos imaginar que tinha deixado os 620 euros num depósito a prazo num banco. Quanto me estariam a render neste momento? A 0,5% de juros, renderiam 2,23€ líquidos por ano. O painel pode render-me 88 €……………O painel, mesmo que só aproveite metade, gera uma poupança de 44 euros por ano. Ao fazer estas contas fico com poucas dúvidas de que compensou ter instalado o painel.))
    ou seja isto é tudo muito bonito mas é tudo “falso” ou seja voçe está a ser iludido pela falsa poupança.
    o que voçe devia dizer era investiu 620€ num equipamento que hoje no mercado valerá quatrocentos e pouco mas numeros redondos vamos dizer 500€ ou seja teve uma desvalorizacao de 120€mas como produziu 88 teve uma perca total de 32€(na realidade perdeu bem mais pois sabemos que nao poupou 88 mas vamos acreditar que sim pois sempre o fizemos)
    se tivesse investido os 620€ num banco hoje tinha os 620+2,23(segundo as suas contas) ou seja hoje tinha 622,23€
    ou seja ao ter investido hoje a soma de poupança com o valor do activo dá menos que o capital inicial. mas claro se nao formos falar so de €€ ganhou muito em conhecimentos , aventura etc… na vida nao é so €€ mas mais uma vez digo um dia será um bom investimento quanto o mercado estabilizar de modo que a desvalorizacao do activo nao seja superior á poupança. ate la é um mau investimento que deve ser adiado.
    cumprimentos

    • Carlos Campos Reply

      Caro Simão;
      Com esse pensamento de investidor, eu ainda estaria a dormir em casa de meus pais, (feliz de quem os tem ainda!! …) ou na pior das hipóteses na rua, a aguardar que o mercado imobiliário esteja em baixa!
      O dinheiro ganha-se/adquir-se para duas coisas:
      Gastar, sempre em função da disponibilidade e na base do bom senso, e para se INVESTIR!
      Para mais nada!!
      Claro que, é sempre razoável ter um backup, (como nós normalmente chamamos de “pé de meia”)!!
      O que o Pedro Andersson fez, para além de prestar-nos um serviço PÚBLICO, e, por sua conta e risco, foi exactamente um Investimento, nada mais que um investimento!
      Agora cada um de nós decide o que pretende fazer, investir ou simplesmente seguir a “Aventura” do Pedro Andersson, e não criticar quem investe por sua conta e risco, certo!?
      Cumprimentos,

      • Eduardo Parente Reply

        Não sei onde coloco um gosto, nesta resposta…
        De facto nem sei, como alguém pode ter um pensamento tão redutor ao ponto de pensar em não fazer nada e receber juro de 0,5% ao ano.
        Que a consciência ambiental é uma falácia, que os painéis para serem produzidos têm impacto no ambiente, como se as barragens fossem feitas sem recurso a enormes quantidades de cimento, de veículos e maquinaria e não tivessem impacto na vida marinha e áreas circundantes do rio correspondente…
        O futuro será eléctrico e será fotovoltaico…

  13. Nuno Fernandes Reply

    Viva! Gostava de saber também a melhor opção mas para algo diferente… aquecimento sanitário… tenho um esquentador a gás com possibilidade de usar um adaptador que permite usar um painel solar… Já vi que existem de vários tipos mas provavelmente o que teria de optar seria do tipo termofissão com depósito 200 litros??
    Pelo que li a água no depósito é aquecida pelo painel, e só nos casos em que a água não atinga a temperatura desejada acciona o gás do esquentador é assim?
    A dúvda está no tipo de painel/marcas boas que possa considerar e custos máximos… o esquentador é da Junkers que também comercializada painéis…
    Agradeço algum feedback obg nuno.mtf083@gmail.com

  14. Flávio Reply

    Boa tarde Pedro. Posso estar enganado, mas penso que fez mal as contas. O Preço do KWh que meteu na tabela, já é com a taxa de 0,01€/KWh + iva? É que se não for, a poupança foi ligeiramente maior. Pelo menos penso que é assim que devemos fazer as contas.
    Abraço

    • Carlos Campos Reply

      Olá Pedro Andersson, …
      Vou/Vamos desmistificar os valores reais dos principais equipamentos;
      1 inversor (microinversor) de 250Wp
      1 módulo fotovoltaico de 250;255,265,285Wp
      1 kit completo com estrutura para coberturas inclinadas de fixação do módulo + cabos AC e DC + fichas AC e DC, até máximo de 10mts. comprimento.
      Preço de Revenda 385,00€ incluí o IVA à taxa de 23%.
      Se for adquirido com um inversor (microinversor) de 500Wp, já contando com a optimização para a instalação futura de mais um módulo fotovoltaico; o preço têm uma diferença;
      415,00€ IVA incluído.
      A estes preços não estão incluídos os valores de mão-de-obra qualificada, deslocação, nem eventuais custos acrescidos de necessários materiais e acessórios para a sua boa funcionalidade do sistema (diga-se, grau de dificuldade).
      Nota importante:
      Os preços indicados, são para equipamentos de média qualidade, não alta qualidade!
      Se forem equipamentos de qualidade inferior vs menos eficiência de produção de energia, então os preços de Revenda podem ser ainda inferiores!
      Cumprimentos,

        • Carlos Campos Reply

          Caro Pedro,
          Podem adquirir em:
          http://www.eurosisnergia-norte.com
          Os valores indicados são meramente indicativos como de Revenda, acontece que as empresas do sector compram normalmente às caixas fechadas de origem, ex.: módulos = 20 ou 35 unid. Inversores/microinversores = 10 a 15 unid. . Depois é normal ainda existir mais um desconto financeiro adicional.
          Mas só para empresas, e, não para particulares.
          Aos valores indicados não incluí o transporte nem seguro de risco, entenda-se, o seguro só para o transporte.
          Se pretenderem levantar o kit pessoalmente na morada da empresa em cima indicada, podem fazê-lo!
          Nota final:
          Não menosprezando os ilustres bloguistas, … se o Pedro Andersson pretender adquirir algo para si, com toda a certeza que terá um preço melhor, atendendo a que; Para além de utilização particular, o Pedro está a prestar-nos um serviço PÚBLICO!
          Se bem me faço entender!?
          Cumprimentos para todos, e votos de Sucessos para 2018.

  15. Pedro Oliveira Reply

    Sendo instalador, a minha opinião pode ser suspeita, mas tenho verificado que fica mais económico e com várias vantagens, garantias, etc a instalação feita por um profissional em vez do “faça você mesmo”.
    É impensável para um profissional, o custo de 400€ por um módulo solar 250w.
    Um Kit 250W instalado não deve nunca custar mais de 500€ c/iva (comigo ou muitas outras empresas), sendo que quanto maior o sistema, menor o custo por módulo.
    Um Kit com acumulação e potência de 3 Kwh em baterias poderá custar 4000€ c/iva

    • simao Reply

      ora á está a questao que eu falo da desvalorizacao pois hoje todos dizem que o mesmo kit com montagem nao fica a mais de 500€ mas o senhor PEDRO ANDERSSON nao o comprou hoje mas sim á um ano.

  16. Carlos Campos Reply

    Caro José Pinto,
    A pergunta vs afirmação foi dirigida ao Pedro Andersson, …
    Mas não poderia deixar de responder-lhe, …
    Vejamos, parece-me que prevê o futuro, … quem lhe garante que os 620 Euros, estão ao fim de 20 anos disponíveis? Não se esqueceu das comissões para “guarda” do dinheiro, e eventual “choque de crise vs falências”, e demais consequências, a que não estamos nunca livres.
    88 Euros vezes 7,5 Anos, dará os tais 620 Euros, logo está mais que pago, isto se o módulo Fotovoltaico só dura-se os tais 20 Anos, mas os bons módulos duram mais de 50 anos, se forem de boa marca vs qualidade, os 20 Anos a que é normal referirem-se os demais menos informados, são relativos às percas de eficiência do módulo, que poderá ir até ao máximo de menos 5% a 9%, (se for um módulo de pouca qualidade).
    Mas o módulo Fotovoltaico que o Pedro Andersson comprou, é de muito boa qualidade, é da marca S-Energy, marca fabricada na Koreia do Sul, com I&D da Samsung, com experiência há mais de 19 anos.
    Desculpem a publicidade, mas para quem segue desde o início, (como eu sigo, …) a instalação e a boa iniciativa e “Aventura” que o Pedro Andersson se dispôs a concretizar, sei, e TODOS podem saber quais as marcas dos equipamentos, sendo bem visível no vídeo, a caixa de cartão do módulo Fotovoltaico, onde está impressa a Marca.
    Além destes pormenores que fazem toda a diferença, quero referir, que as contas do Pedro, são baseados nos valores do kWh actual, e não daqui a 1, 2, 10, 20 Anos, porque nessa altura, (dentro de 10 anos no mínimo) o preço REAL do kWh estará em valores de 0,65€ a 0,75€, ou >.
    Não sou de forma nenhuma “adivinho”, mas como a minha profissão é de consultor internacional em energias, acumuladas e de redes, tanto das tradicionais, (de origem fóssil) e das RENOVÁVEIS, posso afirmar com alguma convicção “moderada” que não estarei longe da realidade, tanto eu, como os demais que se dedicam a estes temas, sempre com o relacionamento à profissão e como bons profissionais.
    Eu não tenho dúvidas, (o Pedro Andersson, e outros tantos ilustríssimo, …) que foi uma boa atitude e investimento, que o Pedro fez!
    Quanto à dita chaminé, pode sempre alterar a posição do módulo, e, inclusive alterar um pouco mais> a sua inclinação.
    A sombra NÃO deve ser um grande problema, porque na altura em que existe a dita sombra sobre cerca de metade do módulo fotovoltaico, o Pedro não tem ninguém em casa, e é precisamente nessa altura em que oferece a energia não consumida à rede RESP, seja à edp, deco, endesa, etc., a energia segue o caminho onde é solicitada, …. os electrões são assim mesmo,….
    Cumprimentos,
    Carlos Campos

  17. José Pinto Reply

    Caro Pedro,

    No seu blogue faz uma comparação de potenciais ganhos comparativos entre ter o dinheiro no banco ou no painel, afirmando:
    “Vamos imaginar que tinha deixado os 620 euros num depósito a prazo num banco. Quanto me estariam a render neste momento? A 0,5% de juros, renderiam 2,23€ líquidos por ano. O painel pode render-me 88 €.”
    Ora estas contas estão mal, a meu ver, pois o dinheiro no banco estará lá ao fim de 20 anos, enquanto o do painel desapareceu pois o painel já não vale nada ao fim de 20 anos. Como outro bloguista afirma, para fazer as contas é preciso ir amortizando todos os anos o dinheiro do painel.
    Nota: É uma pena aquela chaminé!!!

    • Julio Reply

      Concordo, as contas devem ser feitas desta maneira.
      Imaginando que o painel vai durar 20 anos, somam-se as poupanças que obteve com o painel e subtrai-se o custo do mesmo. A diferença obtida é que dará para comparar com um deposito no banco (e aqui não se podem usar as taxas actuais apenas, durante 20 anos vão oscilar muito e neste momento estão em minimos historicos).

      Ainda assim, considerando uma poupança na energia de 80 euros por ano com o painel (pelo que aqui leio poderá ser maior) e uma taxa liquida média de 2% num deposito no banco (é dificil prever) o painel compensa largamente.

      Acho que não me enganei no raciocinio e vou pensar seriamente neste investimento.

  18. Carlos Campos Reply

    Caro Rui,
    Se o seu pensamento em relação ao dinheiro é o que demonstrou, então não é um pensar de bom senso!
    Se comprar um carro, um bom sofá, uma grande TV, etc., os resultados vão exactamente dar ao mesmo, ou não é?
    O dinheiro só existe para duas coisas, Investir e gastar, nos bancos paga-se para o lá ter, não há uma certeza absoluta de o poder reaver, mesmo à ordem, … .
    E a energia, quer seja ela electricidade, gás, etc., nunca se mantém ao mesmo custo, acaba sempre por aumentar.
    ———————–
    Caro António,
    Em relação à sua pergunta principal, o Solar Térmico para aquecimento de AQS (Águas Quentes Sanitárias), o valor dos equipamentos depende sempre da tecnologia instalada, se é Termossifão ou Forçado, quantos litros de água dispõe o depósito, etc.
    Quanto ao retorno, nunca poderia ser 2 meses, o que o Guilherme quiz dizer foi, que em 12 meses, só utilliza gás ou electricidade em 2 meses, pois como temos em território continental cerca de 3.200 horas de exposição solar, chega-lhe perfeitamente para ter sempre AQS a uma TEMPERATURA suficiente =50° ou <45°. Mas depende sempre e em muito o número do agregado familiar, e, se não são uns "patinhos" a tomar banho/duche, se bem me faço entender!?
    O retorno de um investimento bem dimensionado e de boa qualidade, ronda actualmente os 6 a 8 anos, dependendo sempre do montante investido, e da quantidade de AQS, utilizada pelo sistema/consumida. Por isso, aconselho sempre a colocar um contador de AQS na entrada de água fria a ser aquecida pelo sistema solar térmico, assim podemos saber com precisão quais os m3 de AQS utilizados.
    Posso deixar um contacto para o solar térmico e também fotovoltaico Autoconsumo com e sem Baterias:

    geral@eurosisnergia-norte.com

    Fazem instalações em todo o país, Incluindo as Ilhas dos Açores e Madeira.

    Nota Final:
    O investimento em Baterias, só faz sentindo se quiserem investir em fotovoltaivo ou Eólico, e não conseguirem consumir toda a energia eléctrica produzida, e, se esta energia produzida e não consumida for igual ou superior a 50%, logo, oferecida ao operador da rede eléctrica, RESP (Rede Eléctrica de Serviço Público).
    O melhor mesmo é; Consultar uma empresa que disponha de parecer técnico para poder analisar o perfil de consumo de cada utilizador, e, isso pode ser fácilmente verificado pelas facturas de consumos dos últimos 7 a 8 meses.
    Espero ter ajudado a melhor compreender as "coisas".
    Cumprimentos.

    • orlando lopes Reply

      Eu ate sou uma pessoa que ha muito investi em Solar Térmico para aquecimento de AQS (Águas Quentes Sanitárias), e sou do tempo da microgeraçao em que eles os orçamentos iam para perto de 29 mil euros ainda os tenho e o estado dava perto de 0,63 centimos durante 15 anos acho ja nao me lembro muito bem mas depois de ver so coloquei o aquecimento de aguas vejamos depois de 10 anos que o tenho durante 5 anos deram me a manutençao gratis depois desse tempo eu poupo de gas perto de 8 euros por mes pois pagava perto de 20 nestes ultimos 5 anos anos tive de pagar manutençao de 95 euros mais iva anual façam as contas e digam me onde tenho o lucro depois de 10 anos passados. Mas nao me arrependo de o ter feito ainda so vao 10 mas o que poupo num ano tenho de pagar em manutençao .
      Se cá tivesse o sr. Fernando Pessa ELE DIRIA e esta.

      Cumprimentos.

      • Pedro O Reply

        Pois 95€ + IVA para manutenção é uma barbaridade e totalmente injustificado, porque está basicamente a pagar uma deslocação, eventualmente reposição de algum liquido primário (nenhum aparelho em condições necessita de mais do que isso todos os anos) e se necessitar de peças de substituição, serão cobradas à parte, certamente. .
        É o custo de quem usa as multinacionais (presumo) em vez de empresas locais.

        • orlando lopes Reply

          Bem que tu o dizes é uma barbaridade mas se fosse uma empresa como dizes ia para 170 mais iva mas se fizer por 5 anos fica em 120 mais iva nao tenho comprovativos pk fiquei logo aziado quando me falam do outro lado do telemovel que a simulaçao para isso fica nesses preços para veres que td nao sao aquilo que se diz.
          Meu sistema é da vulcano mas a vulcano acabou ou virou bosche e na altura tive de procurar o mais barato na zona se tiver mais barato me avise.

          Cumprimentos

  19. Nuno Araújo Reply

    solarimpact.pt ou solarshop.pt pelo que tenho visto tem os melhores preços.

  20. Sérgio Reply

    Boa noite Sr Pedro Anderson, grato pelo seu trabalho em prol de todos nós.
    Gostaria de deixar aqui dois reparos que beneficiam o custo/benefício do projecto apresentado.
    Neste momento, os kits estão muito mais baratos e juntar um kit de 250/275w custa cerca de um 1€ por watt e baixaria o custo do seu conjunto e a instalação estaria muito mais facilitada, bastando ligar o micro inversor do kit novo ao do seu painel existente e fazer a montagem física.
    Outra é que me parece que está a cometer um erro nos seus cálculos de amortização, estando a contabilizar o preço de kwh a 0,19€ de grosso modo, quando a esse valor é somado Iva que a grande maioria dos portugueses não deduz.
    Não querendo entrar na discussão que é possível baixar os valores da eletricidade que apresenta em cerca de 1 cêntimo por kw em vazio e cheio e em cerca de 3 cêntimos no valor da potência contratada de 6,9kva ( a mais comum no cliente doméstico em Portugal)

  21. Rui Correia Reply

    Pedro Andersson,
    Gostaria que me indicasse onde soube o valor de 5000€ para um conjunto de baterias.
    Eu sei que estão esgotadas e só disponíveis por encomenda, e não sei se há distribuidor cá em Portugal, mas a Tesla tem a Powerwall por 3500$.
    Sou leigo na matéria mas presumo que os valores dos restantes fabricantes comecem a descer para patamares semelhantes.

    Cumprimentos e boas festas.

  22. Rui Reply

    Ora vejamos as coisas pelo lado cru.
    Gastamos o dinheiro no investimento.
    Ficamos à espera 7 anos que a redução da conta da EDP anule o investimento.
    Rezamos para que a “coisa” não fique inutil antes disso.

    E mesmo que venha a ser algo diferente de um prejuizo nunca será um valor significativo (se investir maia do que consome instantaneamente é prejuizo garantido).

    O unico tipo com sorte é o que vendeu o equipamento. Recebeu à cabeça.

    Entretanto, tenha cuidado pra não cair do telhado.

    • orlando lopes Reply

      Boa tarde.
      Acho td isto uma cabala tambem depois de alguma analise vejo que quem vai continuar a ganhar com isto
      sao as companhias de energia que ja nao precisam de gerar energia com seus equipamentos vem de graça
      para encher mais os milhoes que ganham a custa de energia carissima e muita taxa acredito que pelo pouco que poupem quase nem vale apena.
      O chineses agradecem e ganham mais socios da energia fotovoltaica gratis pois nunca se consegue gastar td o que se consome numa habitaçao eles tem o monopolio disto td enquanto nao houver regras sim nada de borucracias tem sistema fotovoltaico tem de receber pelo que produz seja pouco pois investiram no sistema devem receber o que lhes é devido nem que seja a 0.038 como ouvia ai falar estam produzindo imaginem ja os milhares de particulares pois empresariais eles estam bem guardados, falo mais pelos particulares andam a ver tipo bitcoin nos solares mas é um engano.
      Mais nao é pela publicidade mas se querem poupar 70 euros anuas basta ir para a endesa tem uma fatura gratis no final do ano.
      Cumprimentos

      • Carlos Campos Reply

        Caro Orlando,
        “Cabala”???
        Este bloogue serve para mostrar os prós e contras, nada mais!
        Cabe a cada um investir ou não!?
        Nada mais, … Se para o Orlando o melhor é não investir, e ficar com a Endesa, então é assim mesmo, quem decide é o Senhor!
        Esta resposta deveria ser dada pelo Pedro Andersson, mas não me contive em dar também a minha!
        São Bloogues deste género e de iniciativas idênticas que nos mostram na realidade os prós e os contras, e também, só prós ou só contras!!
        Cumprimentos

        • orlando lopes Reply

          Acredito que exagerei um pouco nessa palavra sei que é td uma causa para ajudar
          este planeta que nao vai ter muito remedio se nao houver alguma iniciativa mas tem um ponto que acredito quantos mais socios nisto a dar energia gratis a esses ladroes para encher mais o papo com milhoes de lucro e gente que por causas alheias cortam a luz por 10 ou 15 euros a familias que tem agregado de 3 ou mais pessoas, um exemplo quando eles tem os tais socios a dar lhes energia gratis vindo desses investimentos deveriam ver estas coisas se recebem gratis tem por ai muita familia neste pais que passa por isso nao deveria haver um departamento que com essa energia gratis que recebem ajudassem essas pessoas nao é so ver lucro ainda no final do ano apareceu ai um caso na tv. Sao tds uma cambada so vem lucro.
          Cumprimentos.

  23. Pedro Dias Reply

    Boa noite Nelo Dias
    será que me podia enviar as características do inversor para o meu mail ?
    como fez com o contador da edp ? o seu não contabiliza a electricidade que vai para a rede ?
    pmsadias@gmail.com

  24. Guilherme Reply

    Se quiser adicionar painéis sem comprar baterias basta: orientar o segundo painel mais para Oeste caso tenha mais consumos perto do final do dia. Ou para Este se no início.
    Adicionando assim um pico de produção nessas horas.
    Há outro investimento mais rentável: água quente solar. No meu caso do gasto em aquecimento em dois meses. Nos outros o duche é grátis.

    • antonio Reply

      Boa tarde.
      Que tipo de “água quente solar” aconselha? precos e marcas e vendedor?
      Em 2 meses paga o investimento?

      Obrigado.

  25. José Santos Reply

    Bond dias então, de referir que não tenho qualquer ligação com a loja em questão, até porque não foram eles que me instalaram os meus painéis mas serviram de referência na hora de comprar. http://www.solarimpact.pt. 310€ com tudo incluído. Mão de obra caso seja necessário são 200€. Boas produções para todos.

  26. Nelo Dias Reply

    Boa noite
    Eu montei inicialmente 3 painéis fotovoltaicos de 250w 36v á cerca de ano e meio, a montagem foi feita por mim (poupei mão de obra).
    Valores de custo:
    3 painéis + suporte telhado e cabo até ao inversor 750€ com iva incluido
    Inversor 1000 w 75€ + 50€ (Taxas alfandegárias ) porque encomendei via ebay
    Total gasto: 875 €
    No primeiro semestre baixei a fatura da luz de 80€ para 60€ mensais, neste momento tenho 5 painéis (coloquei mais 2 de 250w 36v por 230 € c/iva incluido cada um), durante o ano de 2017 tive facturas de luz desde 36€ a 45€, (reduzi praticamente para metade a fatura), para baixar estes consumos passamos a ligar máquina de lavar roupa e louça entre as 10h e as15h (hora de maior produção de energia elétrica fotovoltaica ).
    Para ver a produção de energia momentânea, diária ou mensal existe um aplicativo da efergy que pode instalado no Telemovel , deve comprar uma tomada inteligente da efergy com Wi-Fi e utilizá-la como leitor de produção de energia ( o inversor liga á tomada efergy e esta á rede dando assim a leitura no Telemovel , tablete ou pc ). A minha produção excedente vai para a rua mas recupero alguma(pouca) cerca de 2a3 kW á noite.
    Antes dos painéis os consumos de energia mensais rondavam os 300kw, actualmente é de 100 a 150 kW tudo depende da época do ano.

  27. joao Reply

    SEM saber quanto consume das +/- 9h as 17h em media nao é possivel calcular se é rentavel ou nao….

  28. joao Reply

    bom dia
    estive a ver as suas contas e (percebendo um pouco do assunto) tudo depende do quantidade do consumo e preço que paga por kw. e taxa de deposito que conseguia na altura que fiz o investimento. se optar pelo preço mais barato por kw 0.18€ (preço com IVA) e consumir a totaliade da produçao (muito deficil para uma familia tipica portugesa)e 1.8TANL (deposito do banco bni)e fazendo as contas 443.737kw x 0.182€ igual a 81€ è quanto poupa . matendo os 620€ no deposito rende 11.80€ ou seja 81€ menos 11.80€ igual 69.20€, ou seja no maximo poupou 70€ . vai demorar 8anos e 10 meses para começar a tirar rentabilidade. e isto se conseguir gastar a totalidade de kw produzidos . (gastar 1.8kwh das 10h as 16h é muito deficil para uma casa em que “tipicamente ninguem esta em casa”). no meu caso(familia de 3) e utilizando uma medidador, gasto em “media” 0.3kwh das 09h as 16h por mes (-20% do total de 1.8kwh) ( os unicos aparelhos que tenho,sao os “stand-bys” ..e eventualmente o frigorifico que liga +/- 15 minutos durante esse periodo)

    ((no meu caso em especifico ia demorar mais de 25 anos para começar a tirar rentabilidade….. +/- na mesma altura que tinha que comprar um panel novo… nao ia compensar ))

  29. Cláudio Franco Reply

    Também tenho e aconselho, mas no entanto nas contas do investimento do painel VS investir numa conta a prazo é preciso ter outra coisa em questão.

    Numa conta a prazo ou certificado ou whatever, além dos juros (baixo é certo) recebemos de volta o capital investido.

    No painel solar não, e é preciso ver que o painel vai de facto estragar, quanto tempo é uma incógnita, o meu para água por ex durou 12 anos.

    Ou seja na verdade é preciso primeiro pagar o painel e só a partir daí é que vamos tirar os “juros” da conta poupança.

  30. Pingback: Painel solar fotovoltaico. Compensa?! - Conselhos no Plural

  31. antonio Reply

    Também aguardo melhores informações para saber onde comprar melhor e mais barato. Obrigado

  32. JQueiros Reply

    Boa tarde a todos,
    Tenho um painel de 250w a funcionar desde Março 2016 na minha casa na zona norte mais precisamente em Gondomar.
    As minhas contas chegam precisamente a essa conclusão.
    A energia que “dou à edp” representa menos ,cerca de 10%, pois trata-se de uma casa e há consumos que não podem ser desligados quando estamos ausentes.
    Verifico que a possibilidade de montagem de um segundo painel não terá a mesma vantagem , mas estou a ponderar.
    De qualquer forma recomendo sempre o autoconsumo desenhado para o perfil energetico de cada um.
    Um abraço a todos.

  33. Helena Reply

    Qual o modelo e marca disponível com boa relação preço/qualidade? Estou interessada em adquirir um. Obrigada!

  34. Rui reis Reply

    Pedro, tenho 3 painéis e dados muito detalhados que gostaria de partilhar pessoalmente com evidence vias de retorno mais rápido. Deixo o meu mail, se me contactar terei muito gosto

  35. José Santos Reply

    Poderia dizer, mas não sei se posso fazer publicidade aqui. 310 € com oferta de medidor Wi-Fi.

  36. Luis Faustino Reply

    E máquinas de lavar, roupa e louça está a programa-las para o horário diurno se forma a aproveitar os painéis?

  37. Sílvia Pereira Reply

    Boa tarde. Sou leiga nestes assuntos. Mas e se investir nas tais baterias? Ou não compensa o investimento.? Obrigada por todos os esclarecimentos. De facto, sempre pensei que os painéis compensavam mais. Obrigada

  38. Mário Reply

    Viva,

    o segredo da “coisa” é o valor do investimento ser o mais barato possivel para que o ROI seja o menor possível.
    Consegue atualmente, um valor muito próximo da metade que investiu por um sistema de 250W.
    Logo, o ROI passa logo para a metade do tempo.
    Se realmente o consumo de standby é assim tão baixo, não vejo nenhuma vantagem em desligar as boxes e afins para reduzir esse valor.

    Continuação de boas produções.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *