Aceito os termos e condições.

Email Marketing by E-goi

COMBUSTÍVEIS | Compensa abastecer com o diesel aditivado de marca? (Depósito #5 e #6))

Escrito por Pedro Andersson

19.09.22

}
6 min de leitura

Diesel aditivado de marca – GALP Evologic e Repsol (Setembro 2022)

Desde o meu último artigo sobre este tema (se compensa pagar mais por gasóleo de marca aditivado para fazer mais quilómetros) já consumi na totalidade mais 2 depósitos.

Não escrevi nenhum artigo sobre o depósito anterior a este porque não consegui chegar a nenhuma conclusão e, portanto, achei que não devia fazer-vos perder tempo. É que o depósito de Galp Evologic que pretendia testar em circuito apenas e exclusivamente urbano acabou por não o ser porque tive de ir à Figueira da Foz inesperadamente e por isso acabei por fazer 534 km em circuito urbano e 392 km em autoestrada. Logo, não consigo fazer uma análise ao tipo de consumo para comparar posteriormente com outras marcas. 

Assim, deixo aqui registados os valores para memória futura e abasteci com outra marca que nunca tinha testado, a Repsol. E, com este, sim, fiz apenas os meus circuitos urbanos normais do dia-a-dia. Portanto, já fico com uma bitola para comparar com o próximo que – já abasteci hoje – será da Prio Top Diesel. 

O meu “teste” da vida real

Estou a testar combustíveis de marcas diferentes para tentar perceber se me compensa abastecer combustíveis aditivados de marca ou aditivados low cost (ou mesmo só os simples). 

Recordo e sublinho que se não concordar com a minha metodologia não precisa criticar.Tenho plena consciência de que isto não é um “teste” científico, está cheio de subjetividade e não pode ser replicado em laboratórios. São apenas contas que estou a fazer e que partilho, sem nenhuma segunda intenção. 

Qualquer resultado destes “testes” nunca serão publicidade a nenhuma marca, nem nenhuma tentativa de prejudicar outra. Será o que for.

Sou um cidadão normal que está a tentar perceber – com os recursos que tem, que neste caso é o próprio carro – o que é mais vantajoso: combustíveis simples mais baratos ou combustíveis aditivados de marca (mais caros), mas que aparentemente fazem mais quilómetros, conferem mais potência ao motor e são mais “limpos”.

O que pretendo fazer (e mostrar) é que se quiser tirar essa dúvida também vai ter de fazer o que estou a fazer: testar e comparar – depósito a depósito – durante vários meses. Eu gasto um depósito por mês. Logo, testar várias marcas vai ser um projeto longo e com percursos diferentes, condições de trânsito diferentes, tipos de condução diferentes. Só eu é que poderei no final chegar às minhas próprias conclusões. E o que eu concluir pode ser muito diferente do que você concluiria com o seu veículo, o seu estilo de condução, percursos e das marcas que você tem disponíveis perto de si.

Não vos quero convencer de nada, nem a mudar de marca ou de tipo de combustível. Nunca saberei (nem vocês)  sequer se os meus resultados são realmente “cientificamente” fiáveis porque pode acontecer pelo caminho uma alteração de uma ou mais variáveis que desconheço. 

O que você vai fazer depois com esta informação é consigo. Se acha que isto é totalmente despropositado, pouco rigoroso, influenciador no mau sentido ou outra coisa qualquer, não precisa ler. Simplesmente ignore. Mas não precisam dizer repetidamente o que já sei e que digo desde o primeiro minuto: tento que os percursos sejam o mais semelhantes possível, mas isso nunca será totalmente conseguido, como é óbvio. Procuro uma tendência e não dados fixos. 

Só agora, que regressei ao trabalho, é que vou começar o “teste” com os circuitos urbanos. Os anteriores foram exclusivamente em autoestrada.

Se eu verificar que os aditivados de marca, ao longo de vários meses, fazem de facto mais quilómetros do que os simples (com que sempre abasteci nos últimos 10 anos) e que compensam financeiramente, mudarei sem qualquer problema. Porquê? Porque é bom para mim. Se ficarem ao mesmo preço, de facto, verifiquei em duas das marcas um aumento de potência do carro e um trabalhar mais “suave” do motor. 

A minha sugestão é que tente fazer o mesmo. Não se baseie apenas num “achismo” ou num teste de que lhe falaram. A vida não é um laboratório esterilizado. Tenho de decidir com base nas minhas circunstâncias, limitações e recursos. 

Vamos às contas de agosto e setembro.

Neste artigo AQUI, expliquei que estou a tentar tirar a dúvida se compensa pagar mais por combustível aditivado de marca porque compensaria no maior número de quilómetros percorridos. 

A cada abastecimento, encho o depósito mesmo até ao máximo possível (até sair por fora). Desta forma, quando abastecer novamente saberei exatamente quantos litros gastei do combustível anterior. Já estou a fazer isto há 5 depósitos, por isso os valores abaixo são bastante rigorosos.

Até agora, o resumo é este (sempre com o preço à data sem qualquer espécie de descontos):

MêsMarcaLitrosCircuitoKm percorridos€/100 km
JulhoGALP51,59AE97210,63 €
JulhoBP50,39AE94310,95 €
AgostoAuchan (simples)52,12AE+200 km9459,81 €
AgostoGALP50,95(U) 534 km

(AE) 392 km

92611,25 €
SetembroRepsol52,33Urbano79313,75 €
SetembroPrio Top??

 

Estes resultados só começarão a fazer sentido quando tiver vários depósitos com o mesmo tipo de percurso (Autoestrada e/ou urbano). Este foi o primeiro mês com um valor “urbano” exato. Vai agora servir de bitola para os próximos.

Até ao momento as minhas conclusões (preliminares) são as seguintes:

  • A média de consumo da Galp e da BP são bastante semelhantes em autoestrada (ambas me deram um consumo de 5,3 l aos 100).
  • Com o Diesel simples do Auchan (Ex-Jumbo) gastei mais 2 litros de combustível para fazer os mesmos quilómetros que com o aditivado da GALP (mas fiz mais 200 km em circuito urbano do que com o da GALP, o que pode explicar a diferença). Vou ter de afinar este “duelo”.
  • O depósito da Repsol (deste mês) é o primeiro que gasto com circuito completamente urbano, por isso ainda não posso fazer uma avaliação. Teve uma média de consumo de 6,8 l/100 km.
  • Noto diferença para melhor no rendimento do motor e no “trabalhar” com o premium da GALP e da BP em relação ao low cost, mas não no número significativo de quilómetros. O premium da Repsol não tem esse rendimento melhor e é mais ruidoso. Neste aspeto, comparo o premium da Repsol ao do simples do Auchan. 
  • O próximo depósito é da Prio Top Diesel. Já estou a consumi-lo.

Não sei se acham piada a este tipo de testes, mas eu divirto-me imenso a fazer estas comparações porque tiro as minhas conclusões e acabo por perceber quais são as melhores opções financeiras para mim. Mesmo que não partilhasse convosco estas “aventuras”, fazia isto na mesma. Se acharem que é interessante acompanharem, fico contente. Se acham que é uma perda de tempo e que nada disto faz sentido, por mim não há problema. Basta não lerem estes balanços. Leiam só os outros artigos.


 

Publicidade

Sobre mim: Pedro Andersson

Ir para a página "Sobre Mim"

Siga-nos nas Redes Sociais

Para si | Artigos Recentes 

COMBUSTÍVEIS | Preços na próxima semana (3 de outubro a 9 de outubro)

Preços dos combustíveis na semana que vem A informação dos preços dos combustíveis é baseada nos cálculos que têm em conta a cotação nos mercados internacionais e outros fatores que são considerados na formação do preço dos combustíveis em Portugal. São dados que...

PODCAST ESPECIAL | #131 – O que tenho de fazer para receber o apoio dos 125 euros do Estado?

O QUE TENHO DE FAZER PARA GARANTIR QUE RECEBO OS APOIOS DO ESTADO PARA COMBATER A INFLAÇÃO? Será que tenho de registar o meu IBAN para receber os 125 euros do Estado em outubro? A resposta é sim e não, depende se vai receber os 125 euros através das Finanças ou da...

Já pode mudar ONLINE o seu contrato de gás para a EDP do mercado regulado

EDP Serviço Universal é a primeira a ter o formulário online pronto Recordo-lhe que o Governo deu 45 dias para todas as 12 empresas do mercado regulado do gás terem uma plataforma online para fazer a mudança do contrato de gás do mercado livre para o mercado regulado....

VÍDEO | Como vão ser pagos os apoios do Estado em Outubro para ajudar a combater a inflação?

Como vão ser pagos os apoios do Estado em Outubro para ajudar a combater a inflação? Embora não seja nenhuma fortuna, os 125 euros por pessoa e os 50 euros por filho, e a meia pensão adiantada para os reformados e pensionistas, vão ser uma boa ajuda para pagar algumas...

APOIOS DO ESTADO | Tenho de registar o meu IBAN para receber os 125 euros do Estado?

Tenho de registar o meu IBAN para receber os 125 € do Estado em outubro? A resposta é sim e não, depende se vai receber os 125 euros através das Finanças ou da Segurança Social. Para ajudar a combater a inflação, o governo vai oferecer 125 euros a cada cidadão e mais...

PODCAST | #130 – Qual é o primeiro passo para vencer a inflação?

Como faço para superar a INFLAÇÃO? Muitas pessoas olham para os preços altíssimos e sentem-se perdidas porque acham que não há outra solução a não ser aceitar os preços cada vez mais altos e esperar pelos apoios do Estado ou por aumentos salariais que compensem o...

COMBUSTÍVEIS | Preços na próxima semana (26 de setembro a 2 de outubro)

Preços dos combustíveis na semana que vem A informação dos preços dos combustíveis é baseada nos cálculos que têm em conta a cotação nos mercados internacionais e outros fatores que são considerados na formação do preço dos combustíveis em Portugal. São dados que...

VÍDEO | Como faço para mudar o gás para o mercado regulado?

Como se faz para mudar para o mercado regulado do gás? Se é cliente de gás natural da EDP ou da GALP, a sua fatura vai disparar a partir de outubro. As outras empresas do mercado livre ainda estão à espera para ver o que acontece, mas deve estar atento porque a...

GÁS | Como é que sei se estou no mercado regulado e se vale a pena mudar?

O que é isso do "mercado regulado"? A partir de 1 de outubro, algumas empresas (não são todas) vão aumentar o preço do gás natural quase para o dobro ou o triplo. A melhor opção para fugir a esses aumentos é mudar o gás para o mercado regulado. Vou explicar-lhe mais...

GÁS | A lista das 10 empresas mais baratas (Setembro de 2022)

GÁS | As 10 empresas mais baratas este mês Sim, vem aí um autêntico tsunami nos preços do gás natural para quem é cliente da EDP e da GALP. Se é o seu caso, aconselho-o fortemente a mudar o mais depressa possível para o mercado regulado (presencialmente, por e-mail ou...

Publicidade

Publicidade

Artigos relacionados

47 Comentários

  1. Carlos

    Ok. Vou então ler os outros artigos.

    Responder
    • Nuno

      Eu experimentei várias vezes e só senti a carteira mais vazia, por isso não recomendado abastecer com aditivado. Na América analisarem e os aditivos e que ao serem expelido pela escape notaram ainda substâncias ainda mais perigosas.

      Fácil perceber, se metes ácido no combustível, ele tem de sair e vai para o ambiente.

      Responder
    • rute Duarte

      Adorei a leitura

      Responder
    • Luís Bonifácio

      Já fiz essa comparação, pois durante 3 meses realizei 3 x por semana o mesmo percurso (EN; AE; Urb) e, em termos de consumo não consegui chegar a nenhuma conclusão válida.

      Responder
    • Alf

      Espero que no final da análise entre em conta com os valores que realmente pagou pelos dois tipos de combustíveis ( reais após descontos), pois a análise que é útil é litros vs valor por litro.

      Pois é isso que realmente interessa – o Custo por km…

      Responder
  2. Márcio

    Bom dia,
    Para mim faz todo o sentido a leitura, nem que tire só uma pequena frase ou ideia para aplicar no meu dia-a-dia.
    Obrigado pela partilha!

    Responder
    • Sérgio

      Boa tarde a todos! A minha opinião e experiência diz-me o seguinte:
      A base de todo o gasóleo simples produzido em portugal é igual para todos os revendedores, sendo que o processo quimico de produção tem diferenças de qualidade (perto de 5%) em cada lote. A incorporação obrigatória de biodiesel é igual para todos (7%). Com a implementação do biodiesel, as propriedades de limpeza e lubrificação do enxofre (não biodiesel), foram substituidas pela adição de cetano. As quantidades de cetano adicionadas ao combustivel, não foram essencialmente suficientes para manter a limpeza dos sistemas bomba, e melhorar a combustão, principalmente em tragetos urbanos e ao longo do tempo (corrusão). A adição de uma percentagem superior de cetano, desenvolvendo aditivos que quando adicionados evitasse esse flagelo, foi a solução encontrada pelas marcas principais para poder ajustar e responder os problemas dos seus principais parceiros de desenvolvimento (marcas automóveis). Cada marca de combustivel desenvolveu ou comprou o aditivo a empresas especializadas com as especificações “certas” para o seu modelo de negócio, daí o pack de aditivos que adicionam ao produto depois de refinado terem tecnologias diferentes e desempenhos diferentes.
      Cumprimentos.

      Responder
      • Rui Pinto

        “A incorporação obrigatória de biodiesel é igual para todos (7%).”
        Atenção que essa é a percentagem minima. No caso da Prio, o fenómeno de combustivel “premium” mais barato, deve-se à adição de muito mais que 7% de biodiesel na mistura. A percentagem ronda os 10%. O biodiesel por sua vez é pior para os injetores e por isso verá muitos comentários anti-prio mesmo que não saibam bem a origem do problema. Cp

        Responder
        • Sérgio

          Certíssimo!

          Responder
    • Mário Barros

      Tenho um Fiat 500 L a gasoleo de 2017. com extras, teto de abrir, a/c automatico. 4 vidros electricos, etc.. Os pneus tiveram de ser mudados,paguei eu., pois eram de neve pois o carro veio de origem.
      O
      Nunca consegui fazer uma média pois os numeros são sempre uma barafunda.
      Tem 47000 km e já teve de mudar duas vezes o filtro particulas, uma vez o turbo e duss vezes o cataluzador.
      O carro a “pronto” custou- me em Feverei de 2017 €21.000,00 sendo dado na retoma um Fiesta que a Santogal avaliou em €150,00.
      0 carro hoje, em percurso urbano, o painel diz que consome 6,2 l aos 100.
      Pergunto, dado o historial citado que até peca por nao estar completo, se fui enganado

      Responder
    • Nuno Lopes

      Boa tarde Pedro. Gostei muito do artigo, tenho uma empresa de plataformas eletrônicas, chego a colocar 1000 litros ou mais mês e tenho chegado a conclusão que para um usuário que gaste 1 depósito por mês mais 10 ou menos 10 kilometros não faz grande diferença, depende muito do bolso de cada um, todos eles cumprem o seu propósito. Passo a salientar na minha experiência e para o meu consumo extremo misto, um bom gasóleo faz sempre mais uns kilometros, mas acho que depende muito do nosso pé, isto quer dizer, depende muito de cada indivíduo, situação, trânsito e principalmente a pressa de cada um.
      Tenho uma carrinha que comigo faz 5.2 aos 100 kilometros e com o meu motorista faz 5.9, é uma pequena diferença mas em 1000 litros torna se muito grande.
      Vou seguir a sua experiência com muito agrado. Obrigado por esta análise. Cumprimentos

      Responder
  3. Luis Coito

    Olá Pedro. Consumo a Prio há já algum tempo por uma razão tão válida como outra qualquer. É que a Prio tem o “TOP” Diesel mais barato que o regular: A razão, tanto quanto me informaram, prende-se como facto daquela marca fabricar o seu próprio aditivo e assim conseguir colocar o combustível mais barato no mercado.

    Responder
    • Jorge Ferreira

      O top diesel da prio não é um diesel aditivado, mas sim um diesel misturado com biodiesel, daí ser mais barato que o normal!

      Responder
      • Rui Pereira

        Exatamente. Tem biodiesel misturado.

        Responder
      • Antonio Pereira

        A que fonte de informação recorreu para emitir essa opinião? Antecipadamente grato pelos seo comentários

        Responder
      • Miguel

        Boa Tarde.
        Obrigado por mais teste.
        Que mesmo não sendo algo feito em laboratório ou científico, é algo real.
        Algo, que qualquer cidadão comum, deveria de ter interesse em saber o resultado.
        Obrigado.

        Responder
        • JOSÉ ROSEIRO

          Olá Pedro,

          Também procuro fazer alguns testes e da experiência em relação ao combustivel diesel de marca, o que me tem apresentadopiores resultados é o da Repsol. Consumo por melhores resultados, GALP evologic, simples, CEPSA premium, e com estes faço pelo menos mais 150 km do que com Repsol.

          Responder
        • Rui Duarte

          Olá Pedro, é exagerado quando diz que o combustível low cost é comparável com o de a marca Premium 10+.
          São na sua refinação idênticos, mas na sua intenção comercial e compostos muito diferentes.
          Nos meus carros nota se bem a diferença de rendimento em klm de um para o outro, o curioso é que o combustível líder no monopólio deste negócio evapora como água num dos meus carros!!!

          Responder
      • Fernando

        A indicação oficial de prio é de que é aditivado…

        Responder
    • Eugénio carvalho

      Tenho acompanhado a sua experiência, no meu caso pessoal sentir mais potência e suavidade no motor já é relevante, por isso mesmo que o low coste fique mais barato não mudo, porque uma avaria na bomba ejetora lá vai a poupança toda. Mas continuarei a acompanhar a sua experiência com espetativa.

      Responder
    • Vasco Eloi

      Os meus parabéns pelo estudo, claro que tem toda a subjectividade, ate porque nem sempre fazemos os mesmos caminhos, nem com as mesmas condições de transito mas bate certo com os meus resultados. Sempre achei que BP respondia melhor e com menos ruido, Galp logo a seguir, mas que o consumo não era muito melhor do que as low cost e Repsol. Ja ha varios meses abasteço low cost, devido tambem a desfaçatez nos lucros das outras. Prio é uma opção mas o preço elevado ( devido a falta do cartão para empresa ) coloca uma barreira.

      Responder
  4. JTeixeira

    Vejo aditivados mais numa perspetiva de lubrificação.

    Responder
    • Liliana

      Também acaba sendo essa a minha opção de colocar combustível aditivado no carro que já conta com 20 anos.

      Responder
  5. Rui

    É interessante o seu teste.
    Ficarei a aguardar os próximos artigos.

    Responder
    • Alexandre Oliveira

      Exatamente, e a quantidade de cetano no diesel melhora muito, incluindo inverno muito melhor arranque e obviamente o desempenho em toda a linha desde a combustão, eficiência, potência etc… Portanto melhorando o desempenho e potência do motor, logo menos desgaste, menor consumo e o esforço do conjunto garantindo a médio prazo mais durabilidade dos componentes do motores que por sinal são os mais dispendiosos aquando de desgaste prematuro e avarias…

      Responder
  6. André

    olá Sr. Pedro, tente verificar ae nota que ao atestar na Prius consegue colocar mais litros dentro do depósito… comentei há uns tempos sobre esta questão que eu verifiquei que quando atestava na Prius, conseguia sempre colocar mais litros no depósito do que em outra bomba… atestar ate ver o gasoleo no tubo isto para ter um grau de comparação aproximado… entendo que isto vale o que vale pois nao é nada científico como refere mas de algumas vezes que o fiz, luz acende da reserva, e vou atestar, na prius consigo sempre colocar mais litros do que em outra bomba. Veja se consegue constatar esta situação também. Obrigado

    Responder
    • António

      Caro André,

      Para fazer uma comparação válida, terá de encher os depósitos em momentos em que a temperatura do combustível seja similar.

      Sim, o volume do combustível varia com a temperatura.

      Responder
    • Alexandre Oliveira

      André é impossível haver assim diferenças de densidade … O que pode estar a acontecer é as diferenças de temperatura quando atesta… Em temperaturas altas resulta em menos alguma quantidades mas nada discrepante… Não são essas condições que provocam assim muda mas nas moléculas…

      Responder
  7. Antonio Henriques

    Marketing, simplesmente marketing é o que penso. Até hoje nunca ninguém, mt menos os representantes das diversas marcas de combustíveis, conseguiram provar os benefícios anunciados. Mas ok, fazem pela vida e se fôssemos nós no lugar deles faríamos igual. O próprio ACP já em tempos tentou provar a ineficácia dia referidos aditivos e não chegou a conclusão de benefício algum. Da minha parte, fico lhe grato pelo serviço(experiência, esclarecimento, paciência e posts) aqui mencionados. Obrigado

    Responder
  8. João Paulo

    Bom dia,
    Compensar, compensa, mas se colocar combustível barato durante meses ou até anos, acaba por danificar os bicos injetores.
    Cada bico injector é 400€ + mão de obra + banco de ensaio.
    Para além da for de cabeça que é, é uma despesa bastante elevada.
    Falo por experiência própria, nunca mais coloquei, seja em que posto de combustível, combustível low cost.
    De momento coloco sempre EVOLOGIC da GALP ou em alternativa da Repsol.
    Já coloquei premium da CEPSA e não vale nada.

    Responder
    • José Leitao

      Na minha terra o barato sai caro. A Prio é o pior combustível para os motores.

      Responder
      • Vitor Madeira

        O MEU MÉTODO:
        A cada quatro depósitos xom gasóleo simples (Auchan) coloco um quinto depósito con gasóleo aditivado para ajudar a limpar os injetores.

        Há vem mais de 10 anos que o faço e tem sido uma preciosa ajuda na carteira.

        Mas a regra de ouro é mesmo esta: mais quilómetros por depósito, só com o pé mais leve no acelerador.

        Boas viagens.

        Responder
  9. Eugénio carvalho

    Tenho acompanhado a sua experiência, no meu caso pessoal sentir mais potência e suavidade no motor já é relevante, por isso mesmo que o low coste fique mais barato não mudo, porque uma avaria na bomba ejetora lá vai a poupança toda. Mas continuarei a acompanhar a sua experiência com espetativa.

    Responder
  10. ARMÉNIO FREITAS FERREIRA

    Bom dia Pedro, o artigo é interessante e reflete a realidade de muitos Portugueses, fazer contas, muitas contas.
    O único factor que não é analisado, e também não seria possível, prende-se com a manutenção das viaturas.
    Por experiência própria e conhecimento de vários casos, o combustível low – coast mais cedo ou mais tarde fica caro em reparações.
    Parabéns pelo artigo e por muitos outros sobre outras temáticas.l

    Responder
  11. João Martnho

    O combustível diesel base é todo (todas as marcas e tipos) proveniente da mesma “bica” em Sines. Mesmo nas próprias instalações as diferentes marcas acrescentam umas “gotas”de detergentes (visando muito teoricamente a limpeza dos sistemas de injecção) e anti espuma q permite uma resposta do motor ligeiramente mais rápida para a mesma posição do acelerador e talvez (depende do motor) uma maior regularidade de funcionamento quase indetectável (devido a menor presença de bolhas no combustível). As marcas acrescentam também uma forte dose de marketing q tem d ser paga …
    Com combustíveis d diferentes refinarias usando ramas petrolíferas de diferentes origens podem existir outras diferenças o q não sucede em Portugal como expliquei no início …

    Responder
  12. Daniel Almeida

    Boa tarde Pedro e caros leitores,
    Eu sempre abasteço em AUCHAN antes JUMBO desde que começaram a disponibilizar combustíveis, antes já usava combustíveis Low Cost de outros tipo InterMarché, L’eclerc, mas onde gosto mais de abastecer é Auchan, cheguei a usar até o aditivado, mas depois pensei melhor e continuei a comprar aditivo diesel da Liqui Moly de 250ml (+/- 7€), uso 125ml a 2.500km, e assim sei que aditivo tem no combustível. Percorro muitos kms, já fiz 120.000 kms ano, hoje felizmente nem metade, mas mesmo assim ando bastante comparativamente com algumas pessoas, e haverá quem faça mais obviamente. Na minha experiencia, os combustíveis Low Cost só me fazem poupar, nunca tive stress com bombas injetoras, ou injetores, revisões sempre oficiais a tempo e horas que nem relógio suíço, neste momento o carro do dia a dia, Peugeot Partner Asphalt Longa 1.5 HDi 100cv de 31/12/2020, médias 5 a 5,5L/100Km com citadino, Nacionais e AE, em AE sempre com velocidade cruzeiro 125km/h. Já fiz teste com BP Ultimate e não compensa nos consumos muito menos na carteira comparando com Low Cost mesmo trajeto e condições climatéricas, atestado até vero o diesel no bocal!
    Tenho 46 anos e è a minha experiencia enquanto condutor, vale o que vale, mas já tenho alguns milhões de Kms, se tiver tempo ainda pego na minha sebenta onde tenho apontado a minha lista de 48 viaturas que já tive e os kms que percorri com cada um 😉 só falhei em não apontar os kms que fiz em viaturas rent-a-car que quando vou para fora de Portugal adjudico.
    Boa viagem a todos e por favor mundo, que os combustíveis voltem a preços abaixo de 1,5€ pelo menos!!!

    Responder
  13. João Faria

    Boa tarde Pedro. Muito obrigado pela sua partilha. No entanto, já lá vão uns anos que só coloco aditivado, mesmo quando não existiam, usando aditivo adquirido em loja. A diferença tem a ver com o rendimento e bom funcionamento do motor, também deixava ir à reserva, mas comecei a ter problemas com o funcionamento do motor. Conselho de um amigo, gasta 3/4 de depósito e volta a encher. Acabaram os problemas do motor. Assim, aconselho a todos usem 3/4 de depósito e voltem a atestar. Uso uma Carrinha Mégane de 2007 de 80cv e com 3/4 de depósito normalmente percorro 1000 ou mais quilómetros. Tudo isto associado a uma condução Eco, usar mais a caixa não fazer arranques bruscos e não fazer travagens bruscas, se assim fazer, vai poupar ainda mais. Cumprimentos Pedro.

    Responder
  14. Tiago

    Pois pois, mas não demonstra cientificamente o nexo de causalidade entre um combustivel barato e a danificação desses sobressalentes mecânicos!. Podia dizer que tenho cerca de 1 milhão de km em 3 carros, sempre coloquei onde é mais barato e nunca tive um problema mecânico. Agora se fosse na sua lógica, diziam que tinha uma oficina, mas não tenho. A sua resposta é tipica de indicios da existência de conflito de interesses a favor de determinado agente económico, enfim, infelizmente, tendo em conta a fraca literacia da maioria dos portugueses, irá conseguir convencer muita gente com essa falácia, e ao fim de milhares de km os acréscimos de cêntimos por litro já ofereceram em euros o preço dos injetores e continuam a dar ao agente economico que referiu, enfim!

    Responder
    • Fernando Galvão Jesus

      300000 km low cost. Astra gtc 2.0

      Responder
  15. Bruno

    Viva Pedro, depois de ler o seu artigo fiquei curioso para saber os resultados. No meu caso tenho dois carros, um ja antigo que consome todo o tipo de gasóleo que lhe puser, apesar de notar diferença de desempenho entre simples e qualquer aditivado. Mas tenho também uma carrinha de injecção eletrónica que não permite abastecer com simples, uma vez que acusa logo erro de injetores. Tenho feito também experiências conforme a carteira também permite e noto diferença significativa nos evologic. Espero por mais resultados das suas experiências.

    Responder
  16. Hugo Dâmaso Lima

    Tenho curiosidade em saber mais acerca do diesel da repsol. Eu uso repsol porque tenho vantagens no preço porque sou cliente Santander. Mas será que tenho assim tantas vantagens?
    Outro teste que podia fazer será com o diesel do intermarche.
    Vou seguindo para ver os resultados.
    Bom trabalho.

    Responder
  17. Nilza Freitas

    Boa tarde. Eu já fiz o mesmo teste que o Pedro fez e cheguei à mesma conclusão. Em termos de ‘qualidade’ Galp e BP são as melhores que, pelo menos, cumprem o que espero para o uso que dou ao carro (a gasóleo já agora). Por outro lado, estou supreendida com o combustível da Q8. Se não conseguir abastecer nenhum dos que gosto (de preferência galp) prefiro ir à Q8. Em relação à Prio, já abasteci mas não fiquei satisfeita com o desenvolvimento no carro (regeneração do filtro de partículas não ajuda), mas atenção em termos de carteira é o melhor sem dúvida.

    Responder
  18. Joao Carlos Lages

    É importante referir que o gasóleo aditivado, em princípio, tem menos impurezas e contém uma fórmula que a longo prazo cuida dos injectores

    Responder
  19. Fernando Fernandes

    Boas,
    O combustível aditivado “protege” melhor o sistema de injeção o que melhora a sua longevidade.
    Existe muitos motores, e é transversal a várias marcas, que utilizando o combustível “low cost” danificam injetores e bombas injetoras o que se traduz em reparações dispendiosas.

    Responder
    • Tiago

      Dito assim até parece saber do estado da arte da engenharia da termodinâmica da combustão interna, fadiga, tribologia e fiabilidade, claro uma fundamentação com lógica politica é sempre mais assertiva que técnica, enfim, o nosso país é isto!.
      A nível de economia, as contas não são difíceis, investir em aditivado representa sensivelmente um acréscimo de 0,15€/L para um consumo normal de 5L/100km ao fazer 100 mil km, investe em aditivo 750€, o risco de ter problemas de injeção não é nulo, mas os 750€ já os investiu em aditivo. Com os combustíveis mais baratos, o risco de ter um problema de injeção também não é nulo, mas se ainda não teve problemas de injeção, os 750€ ainda não os gastou. É uma questão de análise de investimentos, e quantificar o risco. Eu já tenho quase 1 milhão de km em 3 carros diferentes, sempre com os mais baratos, e ainda não tive problemas de injeção nem outros de manutenção corretiva. Existe um Engenheiro Mecânico, especialista na área, penso que da UC, que explica que o efeito dos aditivos existe, mas é residual, é só uma questão de procurar na net……

      Responder
  20. João Paulo Antunes

    Bom comparativo. Aguardo resultados do teste da Prio.

    Responder
  21. Guilherme J. F. Pinto

    Em primeiro lugar, os meus parabéns por se dar ao trabalho de elucidar os poucos leitores portugueses que se interessam por estes assuntos. Quanto aos seus testes acho muitissimo util. Pela parte que me toca, também tenho andado a procurar o melhor rendimento/preço e as diferenças que já verifiquei parece-me não compensarem a diferença de preço por litro. Continuarei a seguir as suas sugestões.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Partilhe o Artigo!

Partilhe este artigo com os seus amigos.