Crédito Automóvel – Mudou de banco e poupou 7 mil euros


Se está a pagar o carro leia isto

Dezenas de milhares de portugueses estão ainda a  pagar o carro. Pediram um crédito pessoal ou automóvel e estão a pagar durante 3, 5, 7 ou 8 anos. Uma enormidade de tempo.

Primeiro ponto, quantos mais anos estiverem a pagar um crédito automóvel mais carros estão a pagar. Em vez de um carro estão a pagar dois ou três. É bom que percebam isso. Não há nada como pagar um carro a pronto e um destes dias falar-vos-ei disso porque é uma estratégia que funciona. Acabei de o fazer. Não é teoria. É preciso foco, objectivo e perseverança. Palavras que “aterrorizam” muitos portugueses, não é? Mas não é disso que vos vou falar hoje.

Poupou 7 mil euros por mudar o crédito automóvel de banco

Recebi na semana passada uma mensagem de um leitor/espectador a agradecer uma reportagem que fiz sobre a transferência de créditos à habitação para poder poupar muitos milhares de euros. Ele pensou: Se dá para as casas, será que dá para o carro? Claro que dá!

Pode ver essa reportagem sobre a transferência do seu crédito à habitação AQUI.

Partilho então convosco esta mensagem na primeira pessoa de alguém que deitou mãos à obra e que trocou um crédito automóvel caro por outro bem mais barato.

Bom dia. Desde já agradeço as suas dicas têm dado muito jeito. Há uns meses atrás vi a reportagem do crédito à habitação e como ao trocar de banco havia poupança, e foi aí que me lembrei: E porque não no automóvel?

Eu comprei um SUV e como não podia perder tempo (era um bom negócio o carro estava mais barato cerca de 4.000 €) fiz o crédito pela Credibom e a TAEG foi 10.83 e a TAN 9.25.

O meu banco na altura não me aprovou o crédito porque a conta ainda era muito recente. Deixei passar três meses, pus mãos à obra e fiz um crédito pessoal no Novo Banco com uma TAEG de 5.95 e a TAN de 8.30.

Tive uma redução em juros de cerca 7.000 euros com um seguro melhor e com mais capital.

Contras

Valor da prestação (Vou pagar mais por mês mas em 84 meses em vez de 120)
Tive de pagar 0,5% do valor em dívida de penalização mas vai compensar nos juros que vou poupar.

Eu fiz o inicialmente crédito automóvel na Credibom e depois fiz um pessoal no valor 23.000 (na condição que liquidava o outro crédito) e paguei o da Credibom . Fiquei a trabalhar com o Novo Banco.

Posso ter perdido, do que já estava pago, entre 100 a 200 euros mas no final o saldo é positivo porque poupei muito mais em juros.

O que me falta resolver (estou a espera de resposta da Credibom) é como vão funcionar os retroativos do seguro de vida que foi pago na totalidade no início do crédito

Como eu paguei o crédito antecipadamente, o seguro deixa de fazer a sua função porque o crédito já está pago.

Tendo em quanto que eu só tive o crédito durante 5 meses e ele era 120 meses, estou à espera que me devolvam a diferença.

Só tenho a agradecer. Há dicas que se aplicam noutras situações.

O estorno do seguro de vida

Está questão do seguro de vida é FUNDAMENTAL. Nunca se deve esquecer deste pormenor sempre que liquidar um crédito pessoal (no Crédito à Habitação é diferente porque paga mensalmente).

Sempre que faz um crédito pessoal, os bancos e financeiras “obrigam-no” a fazer um seguro de vida. Em muitos casos tem de o pagar à cabeça, incluem esse valor no empréstimo e fica a pagar tudo nas mensalidades.

Se porventura liquidar o empréstimo antes do prazo previsto, o seguro de vida continua, a menos que peça para o anular e peça a devolução do valor que não vai usar.

Atenção, felizmente há bancos e financeiras que assim que o empréstimo é liquidado, eles próprios fazem isso automaticamente. Mas há instituições em que tem de ser o cliente a pedir e são tantos os que se esquecem deste pequeno grande pormenor. Podem perder centenas de euros sem necessidade. Pode ver a reportagem que fiz sobre este tema AQUI.

Lembre-se que só há direito ao estorno do seguro de vida que já pagou e não utilizou em casos previstos legalmente: Liquidação dos empréstimos, venda do veículo, alteração de titularidade, perdas totais, abates, etc. Caso contrário, as companhias não estornam.

Cuidado com os custos do fim de um crédito ou do seguro

Antes de liquidar um crédito peça SEMPRE uma simulação de quanto terá de pagar por todo o processo para depois não ter surpresas.

Uma espectadora viu na altura a reportagem e mandou-me o seguinte testemunho. Ela tentou mudar o seguro de vida do leasing do carro porque arranjou mais barato noutras seguradoras, mas a coisa não correu bem. Atenção aos detalhes e que sirva de aviso para fazerem as coisas bem à primeira.

“Há um ano contratei um leasing para aquisição de um automóvel com o banco XXXX, no dia em que fui ao banco assinar a documentação fiquei surpreendida que a proposta vinha condicionada a contratar o seguro com o banco.
Nesse momento disse que não era esse o meu propósito, até porque já tinha várias simulações todas mais baratas que a proposta do banco. No entanto, o funcionário do banco disse-me que se não pretendia com seguro haveria que fazer um novo pedido de leasing e esperar mais 3 semanas pela resposta…
O seguro só teria de o manter 1 ano e no final do ano podia mudar sem qualquer problema!!!!!! Assinei os documentos e nem me apercebi que o contrato do leasing trazia uma tabela com a listagem de custos administrativos relacionados com o leasing. Ora, uma das rubricas dizia respeito à alteração do seguro. Então pela módica quantia de 90€ + IVA poderia alterar o seguro.
Ora no final do primeiro ano dirigi-me ao banco para fazer a alteração do seguro e fui confrontada com o pagamento da despesa da alteração que agora já não é de 90€ +IVA mas sim 110,15€ mais IVA.
Quando questionei o banco sobre o montante disseram-me que se tratava da atualização dos preços dos serviços. Ora se no contrato, em nenhum momento falam na atualização de preços, pode o banco cobrar-me desta forma? Para não falar que perdi uma bonificação do leasing por ter retirado o seguro ao banco, claro que esta informação estava no contrato que eu assinei , mas não li com o devido cuidado.”

Acabe com um contrato sempre que encontrar melhor

Em resumo, mesmo depois de estar a pagar um Crédito seja ele qual for isso não é um contrato para a vida. Assim que o contratar procure SEMPRE na concorrência créditos melhores (mais baratos) para acabar com esse e mudá-lo para outro em que fique a pagar menos. Em teoria, durante o crédito de uma casa pode mudar de banco 5 ou 6 vezes e durante um crédito de um carro, duas ou três. O segredo é andar sempre com o radar ligado e não ter medo de mudar e de ter trabalho para pagar menos pelo que quer ou precisa ter. O dinheiro é seu e custa a ganhar, não é?
Então os bancos que se desunhem também para que faça um crédito com eles. Se eles andarem atrás de si e não você atrás deles é porque está a fazer tudo bem.
Um cliente “tótó” que paga o que eles dizem para pagar sem questionar nada e que não faz nada para ter melhor por menos ao longo do tempo é o sonho de qualquer empresa.
Você quer pertencer a que grupo?
(Estou a provocá-lo de propósito)

Acompanhe-nos AQUI

NOVO LIVRO “CONTAS-POUPANÇA” 34 dicas para poupar muito mais e fazer crescer o seu dinheiro em 2018. É um livro que se paga a ele próprio apenas com uma dica.

Se quiser um resumo claro e prático das dicas que demos nos primeiros 5 anos de programa, pode adquirir o livro “Contas-poupança I”. É só clicar AQUI abaixo.

Registe-se AQUI para receber a Newsletter do Contas-poupança.

(Todas as dicas da semana num só e-mail).



Acompanhe-nos AQUI

NOVO LIVRO “CONTAS-POUPANÇA” 34 dicas para poupar muito mais e fazer crescer o seu dinheiro em 2018. É um livro que se paga a ele próprio apenas com uma dica.


3 comentários em “Crédito Automóvel – Mudou de banco e poupou 7 mil euros

  1. Avatar
    Vitor Madeira Reply

    Cada vez mais sinto que preciso de tirar uma espécie de curso para conseguir compreender melhor todos os termos financeiros, económicos e contabilísticos, eh, eh…

    Obrigado Pedro Andersson.

  2. Avatar
    Weilla Reis Reply

    Boa noite Pedro,
    Em dezembro de 2018 e com ainda 5 anos para pagar de Leasing, liquidei a divida que tinha com a financeira. O carro foi vendido e assim sendo acha que teria direito a receber a diferença do seguro de vida? Como proceder para tal?
    Obrigada

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *