MB Way – Vai passar a ser pago?

MB Way – Grátis ou pago?

Confesso que sou utilizador diário do MB Way. Várias vezes por dia. Aliás, praticamente só pago através do MB Way. Encosto o telemóvel ao multibanco e já está. É assim que pago o café todos os dias na SIC. E o almoço, e tudo o resto. Já nem ando com a carteira no bolso. É, na minha opinião, uma das melhores invenções dos últimos anos. E quando preciso pagar a minha parte de um almoço ou de um jantar é assim que transfiro o dinheiro para os meus colegas e amigos. E sempre de graça, sem pagar comissões. Pois. Mas até quando?

BPI anuncia comissões nas transferências por MB Way

Já somos 1 milhão de utilizadores do MB Way. Ficamos todos alarmados com a notícia de que o BPI ia começar a cobrar 1,20 € por transferência a partir de Maio. Podem até dizer que não vão cobrar e que só está no preçário por estar. Tudo bem, mas está. E também está nos preçários de outros bancos. Para mim isto não é surpresa. Já previa isto desde o primeiro dia. Um serviço é gratuito até ter “massa crítica”. Assim que tem muitos utilizadores, passa a ser pago. É um percurso perfeitamente normal.

Antes de vos apresentar a “minha” solução, há algumas coisas que é preciso deixar claro:

  • a app MB Way é ótima
  • a app MB Way é grátis (os bancos é que cobram – ou podem cobrar – comissões pelas transferências)
  • as compras online com número de telefone são grátis
  • as compras com cartão MB NET são grátis
  • as compras com QR code ou encostando o telemóvel são grátis
  • os levantamentos no multibanco são grátis
  • há 14 bancos aderentes (e só um é que está a pensar cobrar comissões já)

Portanto, embora não seja cliente do BPI a única coisa que posso aconselhar é que, se o BPI começar a cobrar em Maio, simplesmente retire o seu cartão do BPI do MB Way e que coloque outro de um banco que não cobre comissões. Simples. Se há bancos que não cobram, usemos os que não cobram enquanto assim for.

Tenho 3 cartões “inscritos” no MB Way.  Uso aquele que me dá mais jeito (em termos de saldo) no momento em que tenho de o usar. Qualquer um que comece a cobrar comissões “Adeus e até qualquer dia…”.

Não é obrigado a pagar…

É de facto uma pena que uma app tão útil esteja a ser “ameaçada” por comissões. Mas, enfim, o mercado é o que é e os bancos estão aflitos por dinheiro. E nós enquanto consumidores ou aceitamos as regras ou não aceitamos. Não somos obrigados a pagar só porque eles (os bancos) dizem que sim. Enquanto tiver alternativas uso as alternativas. Por exemplo, sou cliente do Activobank há muitos anos e nunca paguei 1 cêntimo em comissões do que quer que fosse. Se um dia não tiver alternativas grátis, terei de decidir se pago ou não conforme a comodidade e necessidade que eu entender. Não tenho nada contra pagar por bens e serviços. Aliás é normal que assim seja.

Mas se posso ter grátis porquê pagar?

A mesma coisa com as comissões “normais” dos bancos. Um dia que me cobrem, fecho a conta. É só dizerem. Já abri conta no “Revolut” (pesquisem no google). Claro que um dia até o Revolut “normal” será pago, mas um dia de cada vez. Os bancos tradicionais estão a ver que estão em risco com o avanço dos novos bancos online. Mas é a vida. Todos nós nos temos de adaptar ao que está aí e ao que aí vem. Aqui na TV e no jornalismo também.

Em resumo, não temos de ter “medo” da comissões do BPI (ou dos outros). Quem deve ter “medo” é o BPI (ou os outros) porque vão perder muitos clientes que vão passar a usar outros bancos no dia a dia e com isso vão perceber que há alternativas mais baratas (e grátis) no mercado. E correm o risco de se tornarem inúteis especialmente junto dos clientes mais jovens. São estratégias de marketing ultrapassadas, na minha opinião. Enfim, pela minha parte nada muda. MB Way todos os dias (até ser pago, claro). Aí, logo vejo o que faço.

Acompanhe-nos AQUI

NOVO LIVRO “CONTAS-POUPANÇA”

34 dicas para poupar muito mais e fazer crescer o seu dinheiro em 2019.

É um livro que se paga a ele próprio apenas com uma dica.

Registe-se AQUI para receber a Newsletter do Contas-poupança.

Se quiser um resumo claro e prático das dicas que demos nos primeiros 5 anos de programa, pode adquirir o livro “Contas-poupança I”.

É só clicar AQUI abaixo.


20 comentários em “MB Way – Vai passar a ser pago?

  1. Filipa Reply

    Boa tarde Pedro,
    Peço desculpa por apresentar esta questão numa publicação que em nada tem a ver com a questão.

    Relativamente à apresentação de dec. IRS 2018, sou trabalhadora por conta de outrem , confirmei todas as pendencias no que concerne a faturas, acedi hoje ao separador “IRS automático” e surge-me esta informação:

    “Por não reunir todas as condições previstas para ser abrangido pela Declaração Automática de Rendimentos, deve proceder à entrega de uma declaração de IRS, modelo 3, nos termos gerais. (+ info) ”

    Se perante o decreto regulamentar que regulamenta o acesso ao IRS automático, estou abrangida por tal, porque me surge este bloqueio?

    Melhores cumprimentos,
    Filipa

  2. J Carvalho Reply

    ATENÇÃO, no BPI se utilizar a BPI APP, opção MBway, as transferências, pagamentos e levantamentos vão continuar a ser gratuitos e nos mesmos moldes que são feitos na APP MBway, de imediato! Apenas é uma questão de utilizar a APP correcta

  3. Vitor Tavares Reply

    Excelente artigo.
    Nesta altura, em que a oferta é tão diversificada, são os Bancos que têm que ponderar muito bem antes de cobrar alguma comissão.
    A PSD2 veio ajudar o consumidor a estar, cada vez mais, independente da Banca tradicional.
    E quando escrevo independente, quero dizer, mesmo nas situações de fraude.
    Pois, não há bela sem senão!

  4. jorge Reply

    Também adorei o MBWAY, simples e seguro e prático.
    Contudo, reconheço que não há almoços grátis e deixei de usar a aplicação.
    Mais cedo ou mais tarde, todos os bancos irão cobrar comissões.
    Faço um paralelismo com os carros eléctricos:
    O consumidor deixa de pagar os impostos no diesel, ou gasolina, e transferem para o consumo eléctrico.

    • Marco Lopes Reply

      Não precisa de deixar de usar já… pedi esclarecimentos ao MBWay/SIBS, e eis a resposta:
      ——– Forwarded Message ——–
      Subject: RE: EXTERNO | 22879 Formulário de Contacto
      Date: Tue, 5 Feb 2019 00:21:27 +0000
      From: mbway@sibs.pt
      To: marcolopes
      Boa noite Marco Lopes,
      Agradecemos desde já o seu contacto.
      O download, adesão e utilização da app MB WAY não têm custos associados. Atualmente nenhum banco está a aplicar qualquer tarifário na utilização do MB WAY. Será notificado no MB WAY sobre as condições de uso da sua conta bancária no serviço antes de concluir a operação.
      Para informações adicionais consulte o seu banco.
      Cumprimentos,
      Margarida Henrique
      Digital Services & Network Support
      Departamento de Operações e Serviço a Clientes
      mbway@sibs.pt
      Estrada Casal do Canas, Lote 3 – 2720-092 Amadora
      http://www.mbway.pt

      From: marcolopes
      Sent: 4 de fevereiro de 2019 22:03
      To: Margarida Henrique
      Subject: EXTERNO | 22879 Formulário de Contacto – Consumidor
      Gostaria de saber se o CUSTO associado às transferência MBWAY, que depende DO BANCO, está CLARAMENTE definido no ECRÃ DA APLICAÇÃO no momento da confirmação da operação, ou se, esse ecrã de confirmação NÃO REFLECTE EVENTUAIS COMISSÕES definidas no preçário de cada banco (por outras palavras, se a comissão do banco pode ser debitada à posteriori na conta à ordem associada, de acordo com o preçário do BANCO).
      Nem as condições do serviço MBWay do banco, nem as encontradas nas páginas do MBWay esclarecem este ponto de forma cabal.
      Cumprimentos,
      Marco Lopes

  5. Miguel M. Reply

    Bom dia a toda a comunidade dos “poupados” 🙂
    Eu tenho 4 contas bancárias nacionais todas no MBWay e mais 2 cartões no MBWay de dois familiares próximos (mãe e irmão) para transferir dinheiro sempre que seja necessário de forma imediata sem custos e para meu uso pessoal, uso-o para gerar cartões “descartáveis” para compras online. Começa a crescer também o universo de sítios da internet que para pagar produtos comprados nas páginas dos comerciantes a opção MBWay. E só introduzir o número de telemóvel na página aquando do pagamento, recebo de imediato uma mensagem push no telemóvel, escolho o cartão (dos 4) onde quero que seja efetuado o débito e confirmo que aceito a compra (e que sou eu que estou a faze-la). Além disso tenho também 2 contas no Banco N26 e no Revolut. Instalei primeiro o N26 porque e mais antigo e apesar de ter os dois prefiro o Revolut por permitir criar mais “sub-contas” para onde envio mensalmente ou quando posso algum dinheiro por exemplo para pagar despesas anuais para não custar tanto no mês do mesmo, por ex. seguro carros e IMIs. Faço as contas aos duodécimos e transfiro mensalmente o valor calculado na operação de divisão.
    Bem, mas quanto ao MBWay, não sei se têm reparado que Millennium BCP, ActivoBank, CGD e Santander ( que são os que estão na minha carteira do MBWay) estão a implementar nas suas próprias Apps uma cópia do que e o MBWay. E só entrarem e explorar as opções… O meu Banco principal e o Santander e este peculiarmente está a fazer o seguinte:
    Se quisermos continuar com as transferências normais, pacífico, continuamos a fazê-las (no meu caso a zero) mas temos que aceitar a demora habitual (1 dia útil e às vezes até aos 3 ou 4, quando surgem fins de semana e feriados). Mas o Santander, criou pacotes que passo a detalhar:
    – Pacote Simples e paga € 2,60/mês e tem 5 transferências imediatas gratuitas
    – Pacote Plus e paga € 4,68 e tem 15 transferências imediatas gratuitas
    – e por último, um Pacote Total que inclui 25 transferências imediatas providências € 6,24.
    Há muita oferta e muito por onde escolher. E como o Pedro diz, eles podem cobrar taxas e taxinhas e os que não querem compactuar com estas situações e enquanto existirem alternativas no mercado e só dizer, foi um prazer e até sempre!

  6. Paulo Lopes Reply

    Revolut ou N26, são boas alternativas ao sistema bancário português. A primeira é uma empresa britânica e a segunda é alemã.
    Os cartões base que emitem não têm comissões nas transações e transferências entre cartões da mesma companhia. Nos levantamos em ATM no estrangeiro também são muito ventajosos, até 200€/mês é gratuito no caso da Revolut, depois desse valor paga uma comissão muito mais baixa comparativamente com os cartões nacionais.
    A N26 já tem licença bancária na Europa e quando é criado a conta é fornecida com o respectivo IBAN alemão e tem a garantia bancária. A Revolut recebeu a licença bancária para operar na Europa como banco, pelo que brevemente irão ter IBAN e garantia bancária em toda Europa.
    Para se ter uma ideia, quando passamos um cartão de débito português como o ActivoBank no Reino Unido o banco cobra 3% de comissões mais o imposto de selo. Com o Revolut não paga essas comissões. No meu caso particular consegui poupar mais de 80€ em comissões no tempo que fiquei no RU.
    Mesmo usando o cartão Revolut em Portugal tem as suas vantagens, por exemplo nas estações de serviço não paga a comissão de 0,50€. Além disso, a aplicação para telemóveis é fenomenal, com toda a informação das transações efectuadas ao instante no seu telemóvel, e a possibilidade de criar cartões de crédito virtual para fazer compras na internet mais seguras ao estilo MB Net.
    Em quanto houver estas alternativas eu não utilizarei mais os cartões bancários portugueses.
    Não podemos ser nos consumidores, a pagar a crise bancária que eles mesmos criaram!
    Cumprimentos.

    • Marco Lopes Reply

      Cartão de crédito / MB para mim é o COFIDIS. ponto!
      Pago 12 euros por ano, recupero em média 200 (chega por vezes aos 250 ou mais!)
      ISENTO DE COMISSÕES em TODO o MUNDO! (em TODAS as operações!)
      No fundo: ZERO TAXAS e comissões em tudo!
      A única questão é mesmo “transferir $ para alguém”… é isso que lhe falta.
      Tenho o REVOLUT há 1 ano? mas ainda não usei. Irei usar caso necessite de enviar ou receber $ noutras moedas. De resto, COFIDIS é o melhor que usei até hoje e vou continuar a usar todos os meses!

  7. Marco Lopes Reply

    Muito bem! Há anos que pergunto porque razão os bancos NÃO APLICAM os tarifários! NUNCA usei o MBWay exactamente porque vejo que NO MEU banco (BCP) sempre existiu um valor ridículo (1 euro, agora 1,30 euros) a aplicar nas transferências. Diziam-me que não era cobrado (os amigos!) mas eu nunca percebi se o banco poderia cobrar DEPOIS quando lhe desse na veneta! (já vi de tudo na minha vida!). Os bancos que se metam a pau, pois vão perdendo clientes… Só se safam nas comissões que inventam ás quais não podemos fugir (COMISSÃO de processamento do CRÉDITO!!!!!! veja-se!)

    Já agora, faça uma reportagem para ensinar os clientes a ABDICAR dos cartões de DÉBITO (que custam hoje em dia valores estúpidos na cada dos 18 a 20 euros anuais) e ficarem apenas com um cartão de DÉBITO / CRÉDITO, geralmente isento de comissões! É o que eu faço no BCP: CANCELEI o meu cartão de débito, que para nada me servia, e passei a usar exclusivamente um cartão VISA DÉBITO / CRÉDITO isento de anuidade (que raramente uso, diga-se! Apenas nas interacções com as caixas do banco e operações MB – que são raras!)

  8. Sérgio Reply

    Pedro, o ActivoBank já publicou a 5 Fev que vai cobrar 1,50€ por transação no MBWAY para contas noutras instituições bancárias. Aconselho usar a App do ActivoBank e pedir o NIB, como se fazia antes.

    • Inês Santos Reply

      Tentei por o meu cartão do ActivoBank no mbway e não deu. Liguei para lá e disseram que não dava. Para eu usar o activopay que é a APP deles, mas pelo que percebi isso tem taxas apesar deles me certificarem que não.

  9. João Reply

    Pedro, parabéns mas queria deixar só um comentário relativamente a uma coisa que se tem dito injustamente.
    O MBWay não é grátis…cada vez que alguém faz um pagamento o banco paga à SIBS…daí o pensar-se cobrar um valor que são os bancos que estão a cobrar.

    Continue com o ótpimo trabalho

    • Vitor Tavares Reply

      Cada vez que efetua um levantamento em ATM, o seu banco também paga… à SIBS e ao Banco de apoio do ATM.
      Nada é graça… mas desta forma a Banca pode reduzir o números de funcionários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *