Como atualizar o agregado familiar no Portal das Finanças

Atualize o agregado e a habitação no Portal das Finanças

Na reportagem do Contas-poupança sobre o que muda este ano no IRS, referi que esta semana estaria disponível uma aplicação no Portal das Finanças para atualizar o seu agregado familiar (ou confirmar se está tudo bem) e para inserir também a identificação da sua habitação permanente.

Tem até dia 15 de Fevereiro para o fazer, para que o seu IRS apareça pré-preenchido com os dados mais atualizados.

Muitas pessoas me têm perguntado se já está pronto, porque não o encontram. O Portal das Finanças está a ser todo remodelado, mas está a dar problemas de vária ordem. Está muito confuso e até já foi necessário adiar prazos para a entrega de determinados documentos.

Mas o link para a atualização do agregado familiar já lá está.

Como chegar ao link

Assim que abre o seu Portal das Finanças do lado esquerdo tem uma ligação que diz “Todos os serviços”. Clica aí.

 

Depois tem de procurar por ordem alfabética o “D” de “Dados pessoais relevantes”.

Neste momento já está a (aparentemente) a funcionar, depois de alguns problemas. Primeiro atualizam o agregado familiar. Não se esqueçam de que precisam dos NIF e passwords de todos os elementos do agregado. Sem isso não conseguem atualizar.

Depois, se tiverem de acrescentar mais um filho é só clicar aqui.

O passo seguinte que aparece automaticamente é atualizar a habitação permanente. Atenção que tem de ter à mão o número do artigo e da fração. Estão na sua Caderneta Predial que pode imprimir a qualquer momento no Portal das Finanças.

Depois é submeter e já está. O Portal continua a dar erros. Espero que consiga à primeira. Eu tive de insistir.

Fazer esta atualização não é obrigatória, mas é muito importante para que o vosso IRS automático bata certo com as vossas expectativas. Pode ter nascido um filho em 2017 ou podem já não ter um dependente em casa. Podem ter-se casado ou separado. E assim, já aparecerá tudo como deve ser com as contas certas.

Não se esqueçam de que qualquer dúvida específica podem e devem ligar para o apoio telefónico das Finanças 217 206 707.

Subscreva AQUI o meu canal do YouTube. Brevemente haverá novidades :). Carregue no sininho para ser alertado sempre que tiver uma nova dica de poupança.

Registe-se AQUI para receber a Newsletter do Contas-poupança. Assim não perde nenhuma dica.

80 comentários em “Como atualizar o agregado familiar no Portal das Finanças

  1. Belkis Amorim de Oliveira Reply

    Boa tarde.
    Somos pais de dois filhos. Eu e o meu “marido” (pois não somos casados, mas temos morada fiscal semelhante há 7 anos) realizamos o IRS em separado, ficando os nossos filhos agregados ao pai. Hoje quero matricular o filho mais velho no primeiro ciclo e foi-me dito que a minha declaração de IRS não servia, pois não possuo agregado familiar. Pergunto…como devo fazer para conseguir provar que apesar dos meus filhos estarem agregados ao pai, somos uma família unida, a viver na mesma casa e poder ser a encarregada de educação que sempre fui e serei?????

    Grata!

    • Pedro Andersson
      Pedro Andersson Post authorReply

      Olá. Já tentou pedir declaração nas finanças a dizer que tem a mesma morada fiscal? Ou as duas declarações com a mesma morada fiscal?

  2. Filipe Reply

    Sou trabalhador independente e tenho dois filhos. Sou solteiro e a minha morada fiscal é diferente da morada fiscal dos meus filhos que vivem com a mãe (que não faz IRS por ausência de rendimentos). Posso adicionar no IRS 2018 o contribuinte dos meus filhos ou terei problemas?

  3. Jose M Reply

    Bom dia
    Contactei hoje as finanças para me esclarecerem porque tinha a minha declaração anomalias. Vim a saber que a mãe não fez a declaração do agregado familiar, e como tal, não posso declarar a morada alternada do meu descendente (aceitando a guarda conjunta) e fico assim prejudicado em cerca de 300€00 por uma falta que me é alheia. Parece-lhe certo e justo por parte da AT criar mecanismos que permitam este tipo de situações? Sou obrigado a alterar o tipo regime parental, ainda que esta seja mentira. Não haverá forma de contornar esta situação?
    Obrigado
    Jose M

  4. Marina Morais Reply

    Boa tarde Pedro,
    Obrigado pelo seu post. Nesse caso, uma vez que não atualizei o agregado familiar, não há qualquer possibilidade de colocar o IRS com o meu conjugue (unidos de facto)? Ou poderei colocar e prestar esclarecimentos à posteriori? Obrigado.

  5. Luís Dias Reply

    Por falta de conhecimento antecipado, não consegui registar no agregado familiar uma filha que nasceu em Dezembro de 2017, apesar desta já ter número de contribuinte e password de acesso ao portal das finanças. Gostaria de saber se posso me deslocar a uma repartição das finanças e lá conseguem adicionar a minha filha ao agregado familiar? Até porque se não o fizerem penso que não consiga obter desconto no IMI deste ano, verdade?

  6. Marta Silva Reply

    Boa noite,
    Estou a tentar autenticar o meu filho, que vive apenas comigo. Faço os passos para autenticar. Da-me o comprovativo e o confirmado. Se faço novamente comunicar o agregador familiar, o meu filho aparece novamente para autenticar. Estarei a falhar com algo ou é mesmo assim?

  7. Miguel Reply

    Sim, isto é tudo muito giro mas gostava de saber quem é que, morando na casa dos pais, sabe o tal artigo e fração que o portal obriga a validar? Está na caderneta Predial… pois claro que está! Até é coisa que anda comigo todos os dias na carteira… E porque raio tem o contribuinte que saber esses dados para entrega do IRS? Não deveriam ser os serviços tributários a terem as suas tabelas de correspondência? A pessoa indica a morada e a AT identifica, internamente, a tal fração e artigo… mas não… é melhor complicar que assim sempre se pode prejudicar mais um pouco quem apenas pode pagar os impostos. “Sujeito passivo” e está tudo dito…

  8. Helena Rodrigues Reply

    Bom dia,

    a atualização do agregado familiar deve ser feita pelos dois membros ou basta ser feita por apenas um, dado que depois é pedido o NIF e password do outro membro?
    Obrigado.

  9. Catarina Reply

    IMPORTANTE:

    Quando aparece a mensagem de que não encontram o prédio no período indicado verifiquem o artigo da vossa casa. No meu caso, com a junção das freguesias, o numero do artigo alterou e dai aparecer a mensagem. Verifiquem a vossa caderneta predial no portal e vejam o novo número.

  10. Carolina Reply

    Bom dia,

    tentei fazer a confirmação da habitação permanente e qdo se fecha o modo de edição surge a mensagem de que o prédio não foi encontrado no período indicado…

    A minha casa é a mesma desde sempre e habitação própria. Coloquei os dados que constam na caderneta predial. …

    E com este erro não consigo retirar o dependente que tenho no agregado.

    Alguem pode ajudar?

    • Andreia Cunha Reply

      Também me esta a acontecer o mesmo e não sei como resolver.
      já liguei para o numero de apoio mas dizem que a chamada vai ser encaminhada e desligam.
      quero concluir isto e não estou a conseguir.
      também aguardo resposta.

      • Marina Esteves Reply

        Boa Noite , eu ainda não consigo . Entretanto tiveram alguma resposta ?? Obrigado

        • Carolina Reply

          Marina, já consegui sim. Estava a introduzir erradamente o código do Imóvel. O correcto está na caderneta predial. Espero que consiga

        • Andreia Cunha Reply

          Eu acabei por não conseguir atualizar, repeti várias vezes confirmei o número do artigo na caderneta predial e nem assim. Quando for entregar os documentos ao meu contabilista por causa do IRS ele vai ter que tratar desse assunto…
          Cumprimentos

  11. Cristina Pombal Reply

    Boa noite, necessito da seguinte ajuda:
    Quando tento colocar os dados da habitação permanente do agregado familiar, nomeadamente o tipo de habitação, o artigo, a fração, o distrito, o concelho e a freguesia sou surpreendida com esta indicação “Ocorreram os seguintes erros na validação da Matriz Predial:
    O prédio não é propriedade do contribuinte.”
    Pago a casa ao banco há mais de 12 anos e agora fico a saber que a mesma não me pertece, só pertence para pagar o IMI. Este erro aconteceu a mais alguém?
    Obrigada pela ajuda

  12. Carol Reply

    Boa noite,

    Mudei a minha morada fiscal no fim de 2017 por motivo de arrendamento. Apesar da mudança, no portal das finanças mantém-se a minha morada anterior pelo que os recibos de arrendamento já passados pelo senhorio não aparecem no e-fatura.
    Como poderei fazer para que os recibos de arrendamento que me foram passados no fim de 2017 possam entrar para as minhas despesas de IRS de 2017. Será correto alterar a morada sendo que esta mudança ocorreu apenas no fim do ano?
    Desde já agradecida pela sua atenção

    Com os melhores cumprimentos

  13. Joaquim Costa Reply

    Bom dia

    Divorciei-me há um ano atrás. Segui os seus passos para confirmar o agregado familiar, mas apareceram os contribuintes dos meus filhos assim como da minha ex-mulher a dizer “Por Autenticar”. Se não os autenticar, as finanças irão considerar que o meu agregado familiar se resume só a mim?

    Atentamente

    Joaquim Costa

  14. Élia Chainho Reply

    Bom dia, gostaria de saber qual o numero do artigo e da fracçao a colocar, a casa é da avó do meu marido e esta em nome do avô que ja faleceu temos a caderneta predial em papel mas nao tem la esses numeros e nao temos acesso no portal das finanças para pedir online como posso fazer? muito obrigada.

  15. Ana Soares Reply

    Bom dia. Se me puderem ajudar agradecia…
    Estou numa habitação arrendada mas não tenho contrato e, por isso, não contabilizo as rendas para efeitos de irs. Mas ao validar o agregado familiar e ,consequentemente, a morada, depois sou obrigada a declarar a renda da habitação?

    Obrigado.

  16. PL Reply

    Bom dia,

    tentei fazer a confirmação da habitação permanente e qdo se fecha o modo de edição surge a mensagem de que o prédio não foi encontrado no período indicado… Percebi que na seleccção da freguesia o nº não é o mesmo, que consta na caderneta perdial… possivelmente na sequência da união das freguesias. Como faço???

  17. Maria José Filipe Reply

    Bom dia. A casa não é minha…. não é arrendada, já que é do meu filho… na actualização tenho que por Outro e na mesma o artigo e a fracção?

    Muito Obrigado

  18. J M Domingues Silva Reply

    O mesmo problema na validação do imóvel.
    Casa arrendada. Tem numero matricial mas não tem fracção.
    O que fazer ? Aguardar a correcção dos erros da AT ou não actualizar ?

  19. Ana Santos Reply

    Boa tarde! A que se refere o artigo nos dados relativo à Habitação? Obrigada

  20. Joana Reply

    Boa tarde,

    Estou numa casa arrendada e no contrato não vem nr de fracção, diz apenas “fracção correspondente ao 1º andar inscrito na matriz urbana sob o artigo X”. Trata-se de um prédio antigo, construido em 1952… Agora ao fazer a validação da morada do agregado familiar, coloco os dados que tenho do imóvel e aparece-me a seguinte mensagem:

    Ocorreram os seguintes erros na validação da Matriz Predial:
    Prédio não encontrado no período indicado.

    Como posso proceder?
    Obrigada

  21. Luis Santos Reply

    Boa noite Pedro, peço desculpa pelo incomodo, fui Pai em Novembro, moramos juntos com moradas diferentes, vivemos na morada da Mãe onde o nosso filho também está registado,sendo solteiros basta a minha companheira agregar o filho e eu não !! Um bem haja

  22. Patricia Reply

    Boa Noite, Pedro

    Tenho uma duvida a casa onde habito é alugada aos meus pais, como faço para preencher nos dados da habitação que me são pedidos na habitação permanente do agregado familiar?
    E entrego o irs sozinha.

  23. Nuno Luís Reply

    Boa noite. Vivo com a minha companheira e a filha dela a 5 anos na minha casa (a casa está só no meu nome). Gostaria de saber se as posso acrescentar ao meu agregado familiar e como fazer no caso da minha companheira. Também actualizo o agregado familiar dela? E a residência dela, posso meter a mesma que a minha, mesmo a casa não estando no nome dela?
    Obrigado. Cumprimentos.
    Nuno

  24. Márcio Pinto Reply

    Boa noite
    Vivo numa casa arrendada como sei qual é a fração da habitação se nao tenho acesso à cardeneta predial?

  25. Mónica Ribeiro Reply

    Boa noite,
    Gostava de pedir um esclarecimento ainda que não tenha a ver com este tópico, contudo agradeço desde já.
    Verifiquei na plataforma online do Portal das Finanças que tenho como pendentes algumas facturas de uma empresa cujo o nome é, Household Investments SA, ao que tudo indica sedeada em Ermesinde. Não consigo encontrar nenhum contacto na internet e a informação existente é quase nula. Acho estranho pois não me recordo (ainda que sejam facturas de meses anteriores) de ter realizado alguma transação com tal empresa. Alguém tem conhecimento desta empresa?
    Obrigada

  26. Diana Reply

    Boa noite, enganei me a colocar a minha filha no agregado familiar, pus como dependente em guarda conjunta, mas não é porque não está nada em tribunal, ficou autenticado. Hoje quando sobe afinal ela é só minha dependente, gostaria de saber como eliminar o que fiz e fazer de novo??

  27. Bruno Reply

    Bom dia,
    Eu e a minha companheira vivemos na mesma casa, com a mesma morada há 6 meses.
    Não somos casados e temos um filho.
    Temos feito IRS separado porque tinhamos moradas separadas. agora com a mesma morada, podemos já fazer em conjunto ou temos de esperar 2 anos?
    O nosso filho fica como dependente do pai e da mãe? Só de um dos pais? ou como dependente em guarda conjunta dos dois?

  28. Tiago Correia Reply

    Bom dia,

    Atualmente estou a viver em casa dos meus pais, mas à alguns anos que faço o meu IRS separado deles.
    Logicamente o meu agregado familiar é com eles (vivo na mesma morada), no entanto no portal apareço sozinho, e na conta dos meus pais estão eles dois juntos.

    A questão é, tenho de dizer no portal que sou eu mais eles, ou fica tal como está?? Se me juntar, terei de fazer o IRS com eles?

    Estará correcto?

    • Pedro Andersson
      Pedro Andersson Post authorReply

      Se entrega o IRS sozinho o Tiago é o único membro do seu agregado. É agregado do ponto de vista das finanças e não do ponto de vista social.

  29. Andrea Colonia Reply

    Boa tarde alguém me sabe dizer na parte da habitação permanente onde vamos buscar o “artigo” e a “fracção”?
    Fui ver na escritura da casa e não sei ao que se refere o “artigo” quanto à fracção aparece “F” será isso?

    obrigada

  30. sara Reply

    Caro Pedro,
    Queria perceber se me pode ajudar a esclarecer uma dúvida. Ao confirmar a minha habitação permanente só me aparece a minha antiga casa. No entanto dia 18 de Dezembro de 2018 fiz escritura de nova habitação. Eu gostaria de colocar esta nova morada como habitação permanente e não estou a conseguir. Confirmei que a morada fiscal é esta nova e tambem alterei no cartao de cidadao mas nao estou a conseguir alterar no portal das finanças. pode me ajudar? obrigada

  31. Felisberto Silva Marçal Reply

    Boa tarde Sr Pedro
    Tenho um filha com 41 anos de idade portadora de Multideficiência com 60% de invalidez.
    No final do ano de 2016 adquiri um apartamento na província em nome dela para beneficiar de alguns impostos sobre o empréstimo bancário, sendo eu o responsável pagador.
    Para ter direito aos benefícios a aquisição tinha que ser para habitação própria e permanente.
    A minha filha neste momento tem morada diferente da minha, no entanto faz parte do nosso agregado familiar, porque não tem capacidade de subsistência sozinha.
    O que aconselha em relação ao IRS . Agradeço

    • Pedro Andersson
      Pedro Andersson Post authorReply

      Ola Felisberto. Sou só jornalista. Isso é pergunta para um contabilista. Lamento não poder ajudar. Tente no Facebook “Contas-poupança – As suas dúvidas”

  32. João Fernandes Reply

    Boa tarde
    Hoje, 29 de janeiro 2018, ainda não consigo entrar na nova funcionalidade para verificar dados do agregado.

  33. Filipa Moeda Massapina Reply

    Boa tarde, como se pode incluir despesas de saúde e educação de um menor que são pagas pelo pai mas a guarda está com a mãe?? Obrigada

  34. Tânia Belo Reply

    Boa tarde. Antes de mais muito obrigado pela informação que nos disponibilizam. Deparando-me com um dos vossos artigos, gostaria de perguntar como posso fazer a actualização dos meus dados em relação ao agregado familiar e habitação tal como é solicitado até dia 15 de Fevereiro visto que, ora não consigo aceder e dá-me uma mensagem de erro, ora não tenho qualquer hipótese de acrescentar e actualizar a minha situação actual tal como descreve acima.
    No ano de 2017 tive um filho (para o qual solicitei a senha de acesso e estou a aguardar o envio da mesma) e adquiri a habitação onde agora resido. Contudo, após ler vários artigos a tentarem explicar como o fazer, confesso que não consigo perceber como fazer. É possível indicar-me ou dar-me os passos para proceder a esta tarefa da melhor forma? È possível que o site não esteja ainda preparado para funcionar como deve ser e até ao dia 15 de Fevereiro eu não consiga proceder de acordo com o solicitado? Quais as consequências?
    Muito obrigado uma vez mais pela disponibilidade e atenção.

  35. Nelia Reply

    Estou a fazer uma situaçao em que o dependente tem mais de 25 anos tendo um grau de invalidez de 90% e nao me deixa clicar nesse campo… Sendo assim so assinalei o retangulo em que esta escrito declaro que o dependente se encontra inapto para trabalhar…. Ja alguem aqui fez assim ou tem outra forma obrigada

  36. Gonçalo Ribeiro Reply

    Boa tarde o acesso já está disponível, no entanto não tem opção para identificação da habitação permanente.

  37. Nuno Ricardo Costa Reply

    A mim dá-me este erro ao introduzir os restantes dados da morada:

    “O período total associado as moradas indicadas como morada do agregado é superior a 1 ano”, embora tenha na data: 2017-01-01 a 2017-12-31

    – Já liguei para o n.º de apoio e não me solucionaram o problema, tendo remetido a questão para o e-balcão ao recorri tendo exposto o problema e para o qual me encontro a aguardar resposta.

    Já alguém se confrontou com esta questão? Se sim, que solução obtiveram?

  38. ferdinando Reply

    Bom dia Jorge S a mim também me aparece a mesma msg! “O período total associado as moradas indicadas como morada do agregado é superior a 1 ano” como se resolve esta questão? Já deixei no e-balcao esta questão. Se alguém souber como se resolve por favor partilhe obrigado

    • Bernardo Santos Reply

      eu tirei num dos elementos do agregado o visto onde diz “declaro que esta é a morada do agregado familiar”. O sistema deve estar a somar o periodo de data dos 2. Desta forma já me deixou submeter.

  39. Cátia Alves Reply

    Bom dia Sr. Pedro.

    Apenas tenho que alterar a residencia alternada do meu enteado.
    Atualmente está como negativa, mas neste momento é alternada.
    Como faço?

    Obrigada

  40. Miguel Dinis Reply

    Bom dia
    quem vive em casa alugada, como pode consultar o artigo e fração da habitação?
    Obrigado

  41. Miguel Reply

    Bom dia,
    quem vive numa casa alugada como pode consultar o artigo e fração da habitação?
    Obrigado.

  42. Jorge S Reply

    A mim dá-me este erro ao introduzir os restantes dados da morada:

    “O período total associado as moradas indicadas como morada do agregado é superior a 1 ano”, embora tenha na data: 2017-01-01 a 2017-12-31

    Alguém com o mesmo erro?

  43. Fatima Reply

    Quem habita em casa de familiares e não possui os dados relativos ao artigo e fracção, como deve proceder?

  44. Amadeu Pereira Reply

    Sou casado em comunhão de bens, tenho dois filhos, um tem estatuto trabalhador estudante universitário e o outro só estuda, devo fazer o IRS em conjunto ou devo fazer o Irs do que já trabalha em separado?
    Cmp
    Amadeu

  45. Fátima Reply

    Boa tarde.
    Vivo há cinco anos com o meu companheiro, ele tem dois filhos de duas mulheres diferente -um em guarda conjunta e outro não- contudo não podemos colocar nenhum como dependente no irs, pois apesar da certidão de sentença de regulamentação poder paternal a criança vive com a mãe, mas, as despesas são todas divididas a meias, sendo que a mãe não declara a totalidade da pensão paga nem das despesas e no final a AT obriga sempre a colocar igual ao irs da mãe, mesmo sendo falacioso. Como resolver?
    Por outro lado, não consigo atualizar agregado ou morada no site.
    Já fomos a advogados e contabilistas, ninguém nos sabe responder.

      • Fátima Reply

        Simplesmente que tínhamos que entregar igual ao da mãe, que não justificou com documentos nada xo que declarou. Temos faturas pagas na íntegra pelo pai que não conseguimos deduzir. Os valores pagos de pensão são mais elevados dos que declarados por tribunal e nenhuma das mães declara o que é pago efetivamente. Fomos com os comprovativos à AT e ignoraram as provas.

  46. Pedro Reply

    Viva,

    fiz todos os passos e consegui actualizar o meu agregado familiar.
    (sem conseguir associar habitação própria permanente ao meu cônjuge)

    A questão que coloco é;
    Na confirmação da habitação própria permanente, consegui confirmar a minha habitação própria permanente, mas quando tento confirmar para o meu cônjuge, o mesmo informa-me que não existe nenhum imóvel associado ao mesmo. (O imóvel foi comprado por empréstimo bancário e ambos somos proprietários, mas só aparece visível na minha conta das finanças) Como consigo actualizar esta questão?

    Obrigado

  47. Mónica Silva Reply

    Eu não consigo adicionar o meu bebé.. fiz os passos tal como descritos é mesmo assim não atualiza… E o mesmo acontece à validação da morada familiar.. será que pode dar-me uma ajuda extra!?

  48. Bárbara Reply

    “A funcionalidade a que tentou aceder está temporariamente indisponível
    Pedimos desculpa pelo incómodo, seremos tão breves quando possível.”
    Agora mesmo…. 🙁

  49. Roniglei Lima Reply

    Bom dia, vivo com minha esposa em regime de união de fato, mas o meu contabilista cometeu o erro de colocar no IRS do ano passado como se fossemos casados, como modificar isto este ano e será que posso ser penalizado (multado)?

  50. Tiago Ângelo Reply

    Boa tarde,

    Após alguns “tropeções” lá consegui aceder à área para alterar/confirmar o Agregado Familiar.
    Encontro-me neste momento divorciado e com uma filha menor em regime de “Guarda Conjunta”. Já iniciei o preenchimento dos dados mas deparo-me com algumas dúvidas no quadro “”Dependentes, Dependentes em Guarda Conjunta e Afilhados Civis”:
    – NIF Outro Sujeito Passivo: suponho ser da minha ex-esposa (mãe da menor), certo?
    – Agregado que Integra: “Outro Sujeito Passivo”? “Próprio”? Parto do princípio que estando separados, seja a opção “Outro Sujeito Passivo”…
    – Residência Alternada – Residência da menor neste regime de “guarda conjunta”, certo?

    No passo seguinte, mais uma dúvida em “Dados de Habitação Permanente”. Se já lá está a habitação permanente no ano de 2017, porque é necessário confirmar/definir os campos “Tipo de habitação”, “Artigo”, “Fracção”, “Distrito”, “Concelho” e “Freguesia”?…

    Grato pela ajuda que possam vir a dar e por todas as que já foram dando desde sempre. Bem hajam!

  51. Ricardo C Reply

    Boa tarde Pedro,

    Queria perceber se me pode ajudar a esclarecer uma dúvida que me continua a atormentar relativamente ao IRS e ao eFatura, e em particular à obrigatoriedade de guardar as faturas em suporte original (nomeadamente o físico).

    Leio, escrito por várias entidades, tais como a DECO:

    “E-fatura
    As faturas de restauração, alojamento, com cabeleiros e oficinas que inserir por iniciativa própria na sua conta do e-fatura têm de ser guardadas durante quatro anos.” in https://www.deco.proteste.pt/familia-consumo/orcamento-familiar/noticias/faturas-guarde-as-para-acionar-uma-garantia-ou-comprovar-despesas-no-irs/tempo-minimo-para-guardar-as-faturas

    No entanto, quando questionei a AT, a resposta foi mais curta e simples:
    “A Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) agradece o seu contacto.
    Deve manter na sua posse por 4 anos os documentos de suporte.
    Com os melhores cumprimentos
    AT- Autoridade Tributária e Aduaneira”

    A minha dúvida prende-se com a simplicidade da resposta da AT quando comparada à da DECO (não é só a DECO que se refere apenas às faturas registadas pelo consumidor). Havendo registo no portal, verificado pelo consumidor, é mesmo obrigatório guardar as centenas de faturas que foram inseridas para obtenção do beneficio no IRS, via dedução de IVA?
    Tenho dezenas de faturas com cerca de meio ano, nas quais já não há tinta para se validar o que quer que seja. Quererá isso dizer que para além de as guardar em papel, vou ter de começar a digitaliza-las antes que percam a cor?
    Refiro-me a faturas sem valor para exercer garantias, tais como restauração, veterinária, cabeleireiros, etc.

    Se me conseguir ajudar a perceber se são instituições como a DECO ou a Banca (que dizem o mesmo nos seus sites) quem tem razão, ou se é o funcionário da AT que me respondeu.

    Melhores cumprimentos.
    Muito obrigado.

    • Pedro Andersson
      Pedro Andersson Post authorReply

      Dou-lhe a minha resposta. Nesses setores se entrou no portal pode destruir. Se inserir guarda 4 anos. Foi o que me disse o secretário de estado.

      • Ricardo C Reply

        Obrigado pela resposta Pedro,

        Eu tinha quase a certeza absoluta que tinha visto uma peça onde ouvira o Secretário de Estado a dizer isso mesmo. Tentei procurar esse video, mas não infelizmente não o encontrei.
        Fico mais descansado por essa entrevista não ser uma alucinação minha.

        Uma vez mais, muito obrigado pela sua opinião.

  52. Pedro Reply

    Clica-se no link e dá erro 404 (página não encontrada). Mais valia não terem colocado lá o link ou pelo menos colocar como “disabled”… Portal das Finanças no seu melhor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *