PodTEXT Vamos a Contas | Porque não deve entregar o IRS nos primeiros dias?

Escrito por Inês de Almeida Fernandes

23.03.24

}
8 min de leitura

Publicidade

O podcast de sempre, agora mais inclusivo!

Como a literacia financeira é um aspeto fundamental para a boa gestão das finanças pessoais, os podcasts do Contas-poupança tornam-se agora mais inclusivos e passarão a ser publicados também em texto, nomeadamente para incluir a comunidade surda, pessoas que – não sendo surdas – têm dificuldades auditivas e, claro, todos os que ainda não perceberam como funcionam os podcasts ou que simplesmente preferem ler. Estamos também a trabalhar a possibilidade de traduzir o podcast para Língua Gestual Portuguesa, mas essa vai demorar mais tempo.

É o seu podcast de sempre, mas a partir de agora pode escolher lê-lo ou ouvi-lo. Aguardo as vossas criticas e sugestões.

O Manuel quer saber se há algum problema em entregar o IRS durante os primeiros dias. Vamos conversar sobre o assunto.

[Introdução]

[Pedro Andersson]

Olá! Sou o Pedro Andersson, jornalista especializado em finanças pessoais e este é o Vamos a Contas, um episódio bónus especial, semanal, do Podcast Contas-poupança, em que respondo às vossas perguntas em áudio que enviaram para o número do WhatsApp 92 775 37 37.

A sua pergunta é muito importante, por isso, vamos à dúvida desta semana.

[Manuel, ouvinte do podcast]

Boa tarde. A minha dúvida é o seguinte. Entregar o IRS logo nas primeiras horas ou dias pode ser prejudicial? Ou não tem qualquer problema?

[Pedro Andersson]

Olá, Manuel! Muito obrigado pela pergunta. É uma pergunta simples, também com uma resposta simples e que é comum sempre que entramos na época de entregar o IRS: devo entregar logo nos primeiros dias ou não?

A minha opinião é conhecida, mas vou repeti-la mais uma vez e explicar porquê. Deve esperar sempre mais de uma semana, uma semana a duas semanas pelo menos, até entregar o seu IRS. Vamos agora às justificações.

Há centenas ou até milhares de portugueses que entregam o IRS um ou dois dias antes do prazo. E porquê? Porque o sistema já lá está e permite. Todos os anos, antes da entrega, a partir do dia um de abril de cada ano a Autoridade Tributária (AT) e os departamentos informáticos têm de preparar o programa de acordo com as regras que foram aprovadas no Orçamento do Estado do ano anterior para que tudo bata certo.

Portanto, todos os anos, sem excepção, há alterações ao cálculo do IRS, há deduções que aumentam, há deduções que surgem de novo, há deduções que desaparecem e, portanto, aquilo tem de estar tudo lá nas fórmulas matemáticas naquele programa informático, para que depois tudo decorra de acordo com a legislação. Tem de ter lá as linhas correspondentes a cada despesa, a cada rendimento e há situações novas que entram.

No IRS jovem, por exemplo, passou de uma determinada percentagem para outra percentagem e entraram deduções novas. Já perceberam que há muitas, muitas alterações todos os anos.

Portanto, todos os anos o programa informático do IRS, do Modelo 3, é mexido. Quando mexemos em alguma coisa, e se temos um computador em casa e temos uma atualização a fazer, seja correr um programa ou o antivírus, instalamos um programa novo e aquilo começa a ficar com bugs.

Então, se achamos que isso é normal em nossa casa, no nosso computador e às vezes no nosso próprio telemóvel, com o programa informático do IRS é exatamente a mesma coisa. Ou seja, quando é que a AT começa a perceber se há erros ou não? Com as primeiras entregas. Basicamente, os primeiros contribuintes, os que começam a entregar nos primeiros dois ou três dias, até na primeira semana, são as cobaias do sistema.

Posso garantir-lhe que se entregar o IRS nos primeiros dias vai ter algum problema? Claro que não. O mais provável é que corra bem e é suposto isso acontecer, mas se houver alguém que entregue antes do início legal do prazo, acho que está a brincar com o fogo.

Mas é problema dessas pessoas, essas pessoas farão o que entenderem. Há quem diga que já o faz há muitos anos e nunca teve problemas. Tudo bem, ainda bem que assim foi, também não quero que tenha problemas, só estou a dizer que é brincar com o fogo.

Como é que entregar o IRS nos primeiros dias me pode prejudicar?

Haverá um ano, e já houve no passado, não sei se vocês se recordam dos famosos “encalhados do IRS”, mas foram pessoas que, em parte devido ao facto de terem entregado o IRS num determinado período, enfrentaram uma falha no sistema. Isto é, de repente, aquele conjunto de 50 mil declarações foram parar a um limbo, uma nuvem qualquer, e depois foi preciso andar à caça das declarações ou até a tratar delas manualmente.

Também pode ter sido simplesmente um azar, não foi por terem sido entregues nos primeiros dias. Se calhar isso pode acontecer a um lote, a dois ou três que sejam entregues na terceira semana, na quarta ou na quinta, ou até mesmo no último dia do prazo. O que estou a querer dizer é há uma fortíssima probabilidade de na primeira semana, ou na primeira quinzena de entrega do IRS, as coisas não correrem como deveriam se vivêssemos num mundo perfeito.

Há algum problema em entregar? Não. Está dentro do prazo legal e se houver algum problema, ele terá de ser corrigido, como é óbvio. Mas já sabem, e eu sei por experiência própria, que uma coisa é entregar tudo bem logo desde o princípio e aguardar os passos normais nos prazos normais. Mas outra coisa diferente é perceber que há um erro e depois andar a correr atrás do prejuízo, a ligar para as finanças ou a mandar e-mails para o e-balcão.

E depois? Depois, o seu reembolso não é aquele que estava à espera ou vai recebê-lo muito mais tarde. Porque é que é preciso ter cuidado? Por prudência, é melhor evitar fazer isso logo no primeiro dia ou nos primeiros dias da entrega do IRS. Por vezes, as simulações que fazemos não vão corresponder ao resultado final.

O ideal é que quando simulamos a entrega do IRS, quando validamos aquilo, dá-nos um resultado expectável. Ou seja, vai dizer-nos que temos o reembolso de X ou vai ter de pagar Y. Muito bem, eu conto com isso e entrego com essa expectativa, mas no passado já aconteceu o simulador estar a dar uma conta errada e depois, imagine, por exemplo, alguém que usa o simulador para decidir se entrega em conjunto ou separado.

Faz a simulação com o marido sozinho com a esposa sozinha, soma os dois e dá um resultado. Depois, simula em conjunto e faz uma escolha. Mas mais tarde, quando finalmente recebe o reembolso, verifica que afinal não era aquilo que esperava ou que estava previsto na simulação.

Lá está, o resultado está certo, só que os pressupostos estavam errados. Portanto, por esta razão, que não é nenhuma razão legal, não há aqui nenhuma má vontade, nem nenhuma intenção de denegrir o trabalho da AT, nada disso. Nem estou a dizer que eles são incompetentes ou que fazem mal o seu trabalho, não. É simplesmente a realidade, porque por muito bem que façam o seu trabalho, há sempre falhas no início de um processo. Como é assim com o trabalho deles, poderá ser assim também com o seu.

Manuel é esta a justificação para lhe dizer que esta é a minha opinião que, claro, vale o que vale. No entanto, a Ordem dos Contabilistas também partilha a mesma opinião, assim como outros cidadãos pensam certamente o mesmo e outros têm uma opinião contrária.

De qualquer forma, postos aqui os argumentos, pode chegar à sua própria conclusão, que é aquela que realmente lhe interessa.

Não se esqueça de partilhar este podcast, de lhe dar as estrelinhas que entender, de acionar as notificações, subscrever o podcast e falar sobre ele a outras pessoas. Envie as suas perguntas em áudio para o WhatsApp do Contas-poupança, que é o 92 775 3737.

Muito obrigado e boas poupanças!

O que é um podcast?

Aproveite a minha boleia financeira (gravo em áudio uma “conversa” no carro enquanto faço as minhas viagens e faço de conta que você vai ali ao meu lado) e veja como pode aumentar-se a si próprio. São uma espécie de programas de rádio para escutar enquanto faz outras coisas. Subscreva o podcast na plataforma em que estiver a ouvir para ser avisado sempre que houver um episódio novo. Não estranhe ouvir o motor do carro, buzinadelas e o pisca-pisca. Faz parte da viagem.

Se preferir ouvir o podcast 🙂

Boa viagem e boas poupanças!


Um livro com 5 passos simples que vão mudar a sua vida

Finalmente, um livro que ensina tudo o que a Escola, o Estado e as famílias não ensinam sobre Dinheiro. Em apenas 5 passos, tem o caminho com a estratégia mais eficaz para criar riqueza com o seu salário.

   

Publicidade

Sobre mim: Pedro Andersson

Ir para a página "Sobre Mim"

Siga-nos nas Redes Sociais

Para si | Artigos Recentes 

PPR | Quanto estou a ganhar (ou a perder) com os meus PPR (Junho de 2024)

Vale a pena fazer um PPR como investimento? (Mês #44) Junho voltou a bater o recorde de mais-valias na soma dos meus 10 PPR. Até ao momento tenho uma valorização média de 12%. Naturalmente, cada um dos PPR tem um desemprenho diferente. Tenho dois que ainda estão...

Famílias carenciadas vão receber um cartão com dinheiro em vez de cabaz alimentar

Cabaz Alimentar passa a cartão com dinheiro É uma questão de dignidade, diz o Governo. Até agora, as famílias identificadas pela Segurança Social como carenciadas recebiam um cabaz alimentar físico (com mantimentos para um mês) mas nem sempre esses bens eram o que a...

PodTEXT | Vou ter de pagar 20 mil€ de IRS e não estava à espera. O que faço?

O podcast de sempre, agora mais inclusivo! Como a literacia financeira é um aspeto fundamental para a boa gestão das finanças pessoais, os podcasts do Contas-poupança tornam-se agora mais inclusivos e passarão a ser publicados também em texto, nomeadamente para...

EURIBOR HOJE | Taxas descem em todos os prazos

Euribor Diariamente, divulgamos aqui na página "Contas-poupança", o valor das taxas Euribor a três, seis e 12 meses. Embora as alterações diárias não tenham um impacto direto na sua prestação do crédito à habitação, são um indicador precioso para perceber a tendência...

COMBUSTÍVEIS | Preços na próxima semana (15 a 21 de julho)

Preços dos combustíveis na semana que vem A informação dos preços dos combustíveis é baseada nos cálculos que têm em conta a cotação nos mercados internacionais e outros fatores considerados na formação do preço dos combustíveis em Portugal. São dados que recolho...

TOP 10 | Qual a marca de COMBUSTÍVEIS mais barata esta semana? (8 a 14 de julho)

Quem subiu e quem desceu os preços esta semana A ERSE definiu para esta semana como preço eficiente (que traduzo livremente por preço "justo") uma subida de 1 cêntimo/l no gasóleo simples e de 1,3 cêntimos na gasolina simples. Abaixo tem os preços que as várias marcas...

160 mil idosos podem receber pelo menos 600 € de reforma – Tem direito? (Vídeo)

Reforma mínima de 600 € e medicamentos grátis Mais de 160 mil idosos com reformas baixas podem passar a receber pelo menos 600 euros por mês e a ter medicamentos grátis na farmácia. Na reportagem desta semana do Contas-poupança, explicamos-lhe como funciona o...

PodTEXT | Uma dica para descobrir onde anda a desperdiçar dinheiro

O podcast de sempre, agora mais inclusivo! Como a literacia financeira é um aspeto fundamental para a boa gestão das finanças pessoais, os podcasts do Contas-poupança tornam-se agora mais inclusivos e passarão a ser publicados também em texto, nomeadamente para...

EURIBOR HOJE | Taxas descem em todos os prazos

Euribor Diariamente, divulgamos aqui na página "Contas-poupança", o valor das taxas Euribor a três, seis e 12 meses. Embora as alterações diárias não tenham um impacto direto na sua prestação do crédito à habitação, são um indicador precioso para perceber a tendência...

Inflação caiu para 2,8% em junho

O Instituto Nacional de Estatística (INE) confirmou esta quarta-feira que a taxa de inflação homóloga foi de 2,8% no passado mês de junho. Trata-se de um abrandamento face ao mês de maio, altura em que os preços dos hotéis dispararam devido aos dois concertos de...

Publicidade

Comentar

Siga-nos nas redes sociais

Artigos relacionados

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Partilhe o Artigo!

Partilhe este artigo com os seus amigos.