VÍDEO | Poupança de 50% na eletricidade com os tarifários indexados

Escrito por Pedro Andersson

29.03.23

}
7 min de leitura

Publicidade

Poupança de 50% na eletricidade com os tarifários indexados

(ESTE ARTIGO É DE 29 de MARÇO de 2023)

Depois da eletricidade ter atingido máximos históricos, neste momento está a preços tão baixos que houve milhares de portugueses que em janeiro chegaram a ter eletricidade quase de graça. Mas só os que arriscaram ter tarifários indexados. Na reportagem desta semana do Contas-poupança explicamos-lhe o que são estes tarifários e os riscos que corre.

A eletricidade nunca esteve tão baixa

Por causa da guerra na Ucrânia, do preço altíssimo do gás e da falta de chuva, no ano passado a eletricidade atingiu valores nunca vistos. Mas a situação entretanto acalmou e os preços têm vindo a baixar muito. Em alguns meses próximos de zero.

Neste momento, as energias renováveis estão a produzir bem, as reservas de gás estão praticamente cheias e o governo decidiu fazer um corte histórico nas tarifas de acesso às redes, com um desconto em 2023 de 9,5 cêntimos negativos. Ou seja, ao preço da eletricidade que todos nós devíamos pagar, o Estado desconta 9 cêntimos e meio e nós só pagamos o resto.

Por esta razão, milhares de portugueses clientes de algumas empresas em janeiro tiveram eletricidade não apenas a custo zero, como ainda lhes pagaram por consumirem eletricidade.

Não é normal, mas aconteceu… Clientes com consumos de centenas de kWh em janeiro pagaram valores extremamente baixos, na casa dos 10, 20 ou 30 euros, em vez de 80, 100 ou até centenas de euros, como seria normal.

Quando ouvir falar em 95 euros o megawatt, é preciso explicar que as empresas compram a eletricidade em quantidades gigantes para depois nos vender a nós. É como se comprassem às toneladas, para depois nos venderem ao quilo. Portanto, quando ouvir falar em 95 euros o megawatt de eletricidade, é o equivalente a 9 cêntimos e meio o kilowatt/hora, que é a medida que aparece na nossa fatura. 150 € o megawatt é o equivalente a 15 cêntimos e assim sucessivamente.

Só para ter uma ideia de como os preços andam baixos, em Janeiro muitos clientes com tarifários indexados pagaram um valor negativo pelo kWh, em fevereiro pagaram 7 cêntimos, e perto do final de março, a média era de 3 cêntimos e meio. E a previsão é que continue até dezembro entre os 6 e os 7 cêntimos, com algumas exceções como agosto, em que pode chegar talvez aos 9 cêntimos. Para que possa ter um termos de comparação, o preço no mercado regulado está a rondar os 16 cêntimos o kWh.  Estamos a falar do dobro e às vezes do triplo.

Por exemplo, fui ver o preço da eletricidade amanhã (30 de março) e estará a ser vendida a 30 € Megawatt hora, ou seja, 3 cêntimos o kilowatt hora, tirando os 9 centimos e meio negativos do acesso às redes, quer dizer que a eletricidade que gastasse amanhã seria não só de graça como lhe “pagariam”  cerca de 5 cêntimos por cada 1.000 W que gastasse. Surreal! Mas é mesmo assim.

E neste gráfico vê como a eletricidade tem vindo a baixar progressivamente ao longo do último ano. Aproveite que isto não vai durar sempre.

A Luzboa – que entrevistei para a reportagem – é apenas um exemplo de uma empresa que tem tarifários indexados. Não estou a fazer publicidade. Há muitas mais empresas com preços igualmente baixos.  Dei esta como exemplo porque esta é a que aparece em primeiro lugar como a empresa mais barata no simulador da ERSE. 

No dia em que fizemos a simulação, em segundo lugar estava a Plenitude, depois a Coopérnico, a Yes, a Repsol, a Luzigás, a Muon, a Alfa e só no nono e décimo lugares é que aparecem as primeiras empresas com tarifários fixos. Todas as outras marcas ditas “normais” são neste momento mais caras do que os tarifários indexados.

Como funcionam os tarifários indexados

A esta hora deve estar a perguntar como é que isto funciona… É simples. Paga todos os meses o preço da eletricidade ao preço que ela está a ser vendida ao preço de fábrica, digamos assim, e a empresa acrescenta uma pequena margem de lucro para ela seja qual for o preço. No caso da Luzboa é meio cêntimo, esteja no mercado grossista ao preço que estiver.

Se lhe faz confusão um tarifário que mexe todos os meses para cima e para baixo, tem também as empresas com tarifários fixos entre os 8 e os 14 cêntimos por kWh, mas a maior parte deles impõem imensas condições para ter esses valores mais baixos. Tem de ser sócio de uma associação, tem de ter códigos amigo, tem de aderir a um seguro, etc…

 

O ponto a fixar é que se quiser poupar, tem de estar atento e ser uma pessoa informada. Como as pessoas que estão atentas ao boletim meteorológico.

Para começar a ficar preocupado, a média do OMIE (Mercado Ibérico de Eletricidade) tinha de começar a rondar os 200 euros.

Sublinho que empresas também podem aderir a estes tarifários.

Como estar atento aos preços no mercado grossista para saber quando sair

Se quiser ter grandes poupanças na eletricidade, estar atento é muito, muito simples. Tem duas maneiras: uma é ir de vez em quando à página OMIE.es e tem o preço da eletricidade todos os dias em tempo real. Por exemplo, neste dia estava a 101 euros, portanto, o equivalente a 10,1 cêntimos na origem. Como ouviu, para começar a ficar preocupado, este valor precisava chegar aos 200 euros. Tem o gráfico a uma semana, um mês, 6 meses e a 1 ano. 

Também tem a aplicação para instalar no telemóvel que se chama OMI. Ainda é mais simples. Até pode ver hora a hora, tem as médias de cada mês, e tem sobretudo a previsão do mês seguinte, dos próximos trimestres e até a previsão para o próximo ano. E também tem o valor do ajuste MIBEL todos os dias, que nos primeiros meses de 2023 está a zero ou negativo.

Se quiser pode colocar um alerta e se a eletricidade subir para os tais 200 euros recebe um alerta e nesse momento deve ponderar sair do indexado para um tarifário fixo, no regulado ou noutro melhor.

Avalie se esta opção é boa para si. Se é uma pessoa desatenta e que se esquece das coisas e tem dificuldade em interpretar números e a ser rápido quando for tempo de sair este tipo de tarifários não é para si.

Se estar atento é o seu nome do meio, aderir a este tipo de tarifários agora pode ajudá-lo a poupar centenas de euros este ano. é também uma forma de se aumentar sem ter de pedir ao patrão.

Andamos todos a pedir apoios e mais apoios do Estado e dão-nos uns euros aqui e uns euros ali. Só com esta decisão deste tipo muitos de vocês vão apoiar-se a si próprios com centenas de euros que ficam nos vossos bolsos sem ter de pedir nada a ninguém.

Mas perceba, por favor, que assim que o preço da eletricidade começar a subir (basta estar atento) tem de sair para um tarifário fixo que seja melhor nesse momento para manter essa poupança. É assim que funciona.

Pode ver ou rever a reportagem aqui no link da página da SIC Notícias:

https://sicnoticias.pt/programas/contaspoupanca/2023-03-29-Poupar-na-eletricidade-o-que-sao-os-tarifarios-indexados–748e6ec6


5 passos simples para GANHAR DINHEIRO

Finalmente, um livro que ensina tudo o que a Escola, o Estado e as famílias não ensinam sobre Dinheiro. Em apenas 5 passos, tem o caminho com a estratégia mais eficaz para criar riqueza com o seu salário, e não com o salário dos outros ou com o que gostava de ter. Pode comprar aqui o livro que vai mudar a sua vida financeira (Já na 3ª Edição):

https://bit.ly/GanharDinheiro_ComoCriarRiquezaComUmSalárioNormal

 

Publicidade

Sobre mim: Pedro Andersson

Ir para a página "Sobre Mim"

Siga-nos nas Redes Sociais

Para si | Artigos Recentes 

COMBUSTÍVEIS | Qual é o preço justo esta semana? (15 a 21 de abril)

Qual deveria ser o preço justo? A ERSE faz semanalmente as contas para o consumidor saber qual é o preço "justo" dos combustíveis face ao preço das matérias-primas e transportes de combustível. Esse preço "justo" já inclui uma margem de lucro de cerca de 10% para as...

EURIBOR HOJE | Taxas sobem em todos os prazos

Euribor Diariamente, divulgamos aqui na página "Contas-poupança", o valor das taxas Euribor a três, seis e 12 meses. Embora as alterações diárias não tenham um impacto direto na sua prestação do crédito à habitação, são um indicador precioso para perceber a tendência...

EURIBOR HOJE | Taxas descem em todos os prazos

Euribor Diariamente, divulgamos aqui na página "Contas-poupança", o valor das taxas Euribor a três, seis e 12 meses. Embora as alterações diárias não tenham um impacto direto na sua prestação do crédito à habitação, são um indicador precioso para perceber a tendência...

PODCAST | #231 – Como vai usar de forma (mais) inteligente o seu reembolso do IRS?

Como posso rentabilizar o reembolso do IRS Milhares de famílias contam com o reembolso do IRS como fonte de rendimento extra todos os anos. Quase como se fosse um décimo quinto mês. Mas, como é um dinheiro que aparentemente não nos sai do esforço diário, é visto quase...

PPR | Quanto estou a ganhar (ou a perder) com os meus PPR (Março de 2024)

Vale a pena fazer um PPR como investimento? (Mês #41) Em Março atingi o máximo de valorização histórica com o conjunto dos meus 10 PPR.  A minha "história" com Planos Poupança Reforma como forma de investimento tem cerca de 3 anos. Comecei em finais de 2020, e durante...

PodTEXT Vamos a Contas | Onde invisto 100€ todos os meses para os meus filhos?

O podcast de sempre, agora mais inclusivo! Como a literacia financeira é um aspeto fundamental para a boa gestão das finanças pessoais, os podcasts do Contas-poupança tornam-se agora mais inclusivos e passarão a ser publicados também em texto, nomeadamente para...

EURIBOR HOJE | Taxas sobem em todos os prazos

Euribor Diariamente, divulgamos aqui na página "Contas-poupança", o valor das taxas Euribor a três, seis e 12 meses. Embora as alterações diárias não tenham um impacto direto na sua prestação do crédito à habitação, são um indicador precioso para perceber a tendência...

COMBUSTÍVEIS | Preços na próxima semana (15 a 21 de abril)

Preços dos combustíveis na semana que vem A informação dos preços dos combustíveis é baseada nos cálculos que têm em conta a cotação nos mercados internacionais e outros fatores considerados na formação do preço dos combustíveis em Portugal. São dados que recolho...

PodTEXT | 5 sinais de alerta de que as suas finanças não estão bem

O podcast de sempre, agora mais inclusivo! Como a literacia financeira é um aspeto fundamental para a boa gestão das finanças pessoais, os podcasts do Contas-poupança tornam-se agora mais inclusivos e passarão a ser publicados também em texto, nomeadamente para...

Quer fazer um Workshop gratuito de finanças pessoais? (Inscrições abertas)

Aprenda finanças pessoais gratuitamente Estão abertas as inscrições para a próxima edição do Finanças para Todos, da universidade NOVA SBE. O curso tanto pode online, como presencial (em Carcavelos) ou na área metropolitana do Porto. O curso terá lugar entre Outubro...

Publicidade

Artigos relacionados

130 Comentários

  1. Miguel

    Viva! Só um pequena ressalva: é preciso saber qual é o ciclo de faturação de cada cliente pois é com base na média dos dias que decorrem entre o 1º dia e último dia do ciclo de faturação que se pode ter uma ideia de qual vai ser o preço do Kwh a usar na fórmula de cálculo que as comercializadoras usam para chegar ao preço final do Kwh.
    De facto, não basta analisar o preço a que se está a vender o Mwh no momento em que vamos à página da OMIE, temos é de selecionar , no canto superior direito, o 1º dia do presente ciclo de faturação e o dia em que estamos a consultar para termos ideia de como vai a média do Mhw.
    Por exemplo, o meu ciclo vai de 6 de março a 5 de abril, então quando vou à página interessa-me é ver a média do dia 6 de março ao dia 30 de março, para ter uma ideia.
    Mas só no dia 5 de abril, ao selecionar de 6 mar a 5 abr é que vou ter ideia do valor do Mhw médio, esse sim o valor que vai ser usado pela comercializadora para calcular o valor final.

    Responder
    • Vítor Barbosa

      MIGUEL :
      Mudei para a LUZBOA.
      O primeiro dia do contrato é 11 de Março, e o ciclo é entre dia 9 de cada mês.
      Assim, a primeira factura será de 11 de março a 09 de Abril.
      Com defino desde o dia 11 de Março até hoje para ter uma ideia dos valores ?
      É na roda dentada ou nos filtros?

      Obrigado

      Responder
        • Vítor Barbosa

          @ Tiago:

          Obrigado pela pronta resposta.
          Já fiz esses meus valores.
          Dá 0,07873€, o que descontando a TRA de 0,095€ dá um valor negativo (valor a receber).
          Vou aguardar os valores finais.

          Responder
          • Miguel

            @Vítor Barbosa: Falta acrescentar a margem de lucro da Luz Boa e outras pequenas parcelas como MIBEL, perdas, etc. Mas pode fazer uma estimativa desse modo. Já consegue ter uma ideia.

          • Tiago

            @Vítor Barbosa,

            Com a média de 78,73 €/MWh, aplicando a formula de cálculo da Luzboa, com outros custos e margem de lucro da empresa, o valor daria 0,09939 €/kWh ao qual junta as TAR em -0,0958 €/kWh, e daria um valor final de 0,036 €/kWh.

          • Tiago

            *valor final de 0,0036 €/kWh e não 0,036 €/kWh.

        • Vítor Barbosa

          @Tiago & Miguel:

          Obrigado pelas ajudas.
          a minha última factura antes da mudança para a LUZBOA, na GOLDENERGY e no tarifário equivalente ao do mercado regulado, foi de 32,66 € por 122Kwh.
          A primeira na LUZBOA será certamente menor, muito menor….
          Obrigado

          Responder
      • Carlos Alberto Roldão Violante Fernandes

        Boa tarde Vitor
        Gostava de mudar para a Luzboa, tarifário indexado, mas ainda não consegui que atendessem.
        posso saber com fez?
        Obrigado

        Responder
          • Fátima Barroso

            Eu estou na SU EDP.Agora tem ligado da iberdola a dizer que fazem mais barato. Sou de Viana do Castelo

    • Virgílio Freitas

      Olá.
      Se mudar para o indexado, e o gás, será que o que for o fornecedor também faz para o gaz?.
      Não irei pagar mais caro o gás se mudar só a eletricidade?
      O meu atual fornecedor é obrigado a manter o preço do gás que tenho agora, ou nem é obrigado a me fornecer.
      Cumprimentos.
      Virgílio de Freitas

      Responder
  2. Miguel Cunha

    Boa noite, refere na publicação que existe uma aplicação para telemóveis chamada OMI que permite consultar e controlar os preços da energia indexada e da taxa OMIE, no entanto não encontro essa aplicação na Playstore, para Android. Será que só está disponível para IOS?
    Obrigado

    Responder
  3. Manuel

    Bom dia Pedro,

    Gostaria de referir que isto não acontece apenas nos indexados, pois mantive-me na Endesa e pago meio cêntimo em vazio. Ainda estou à espera da fatura de Março, mas a operadora disse-me que ia ter esse preço até ao fim do ano. Isto porque me mantivee como cliente, pois se tivesse saído e voltado a entrar, pagaria muito mais.

    Isto para dizer que é preciso cuidado com estas mudanças, pois se o preço no mercado indexado sobe, nada impede as outras operadoras de subir também na mesma altura.

    Poderá quiçá ser boa altura para entrar na Endesa, até. É um pouco como taxa fixa vs taxa variável no CH. Tudo contente com spreads baixos para Euribor baixa, mas se soubessemos o que sabemos hoje, teriamos ido para taxa fixa…

    Isso cada um terá de decidir por si. Entretanto, se alguém quiser aderir à Endesa, deixo o meu código amigo: 309023360.

    Cumprimentos.

    Responder
    • José Fernandes Lopes

      Olá Pedro,
      Apenas uma pequena questão. O meu fornecedor de energia é uma cooperativa local. Posso mudar para qualquer outro fornecedor? Indexante, liberalizado, ou outro? Obrigado,
      Cumprimentos,
      José Lopes

      Responder
      • Pedro Andersson

        Olá. O que lhe responderam quando perguntou na empesa para onde quer ir?

        Responder
        • Paulo Silva

          Boa tarde Pedro. Nesta sequência temos mais um preocupado com o mercado indexado que tem como solução o seu código amigo…
          Porque será que os preocupados têm sempre um código amigo?

          Responder
          • Pedro Andersson

            Olá. Cada um tem as suas preocupações. Isso é normal. Eu tenho código amigo e digo a todos que se o codigo amigo nao compensa mude para o indexado. Se os meus amigos saírem, vou para indexado enquanto compensar. Mas por enquanto ainda tenho eletricidade de graça todos os meses graças ais meus 50 amigos 🙂 . So nao quero que a minha pagina se transforme numa montra de codigos. Isso é noutras páginas.

      • António Gouveia

        Quais as empresas no norte (grande Porto)?

        Responder
    • JRJordao

      Manuel, se quem entra agora na Endesa fica a pagar muito mais (do que você paga atualmente), qual o interesse de aderir agora?
      A mudança de taxa/banco no CH é complicada. Já a mudança de fornecedor de eletricidade é simples, rápida e pode ser feita tantas vezes quando se queira. Quando o indexado se tornar caro, será altura de voltar para um tarifário não-indexado. Até lá, poupa-se.

      Responder
      • Manuel

        Certo, os mecanismos de mudança são diferentes, no entanto nada impede uma operadora não indexada de subir os preços futuramente. Basta ver o caso da Endesa, que no ano passado chegou a ter preços na ordem dos 20 cêntimos, e agora está a cerca de metade.

        Aqui a questão comparativa com os CH é mais com a taxa; há dois anos arranjava-se bem taxa fixa talvez a 1.5%, mas com Euribor negativa e spreads a 1%, não fazia grande sentido. E agora estamos quase todos a pagar muito mais pela casa…

        Mais uma vez, apresento apenas os argumentos para uma estratégia, agora, e como em tudo, cada um por si pensará e decidirá se concorda com ela ou não.

        Responder
        • Jorge

          Concordo com o Manuel. Para quê mudar para uma que pode de um dia para o outro disparar? Prefiro estabilidade.

          Vou aderir com o seu código amigo.

          Responder
          • JRJordao

            Porque há vários meses que é mais barata, e as perspectivas apontam para que assim continue nos próximos.
            Você nas lojas não aproveita para comprar quando o artigo que pretende tem desconto?
            Se prefer a segurança de pagar sempre bastante, está no seu direito.

      • Diogo

        Alerto para algumas situaçoes que me contam relativas a mudança de comercializador de indexado para fixo. Dependendo do contrato e do que assinam no indexado….cuidado… já ouvi historias de particulares que corre tudo bem inicialmente…. mas depois quando mudam para outro comercializador aparecem-lhes “acertos” do comercializador antigo de 1500 euros ou mais…. :S

        Estamos a falar de clientes particulares e se a primeira vez que ouvi falar disto nao liguei muito da segunda vez foi quando estava para mudar para indexado em Fevereiro. Comecei a fazer contas ao meu consumo e acabei por nao mudar e manter-me no fixo. Curiosamente estava a dar na TV os bombardeamentos da central de Zaporizhzhya. Logo a seguir a agencia de energia atomica a dizer que andam a brincar com o fogo. E comecei a pensar se acontece algum acidente ou acertam num reator o que acontecerá ao preço da energia electrica? É a maior central nuclear da Europa…e nisto optei por uma ideia de estabilidade e continuar afinal pago 15 a 20 euros quando antes da Endesa pagava cerca de 35 ou 40 euros. É um pouco o meu ponto de vista….

        Se quiserem experimentar a tarifa simples da Endesa nao tem fidelizaçao. Sao 12 centimos o kwh é fixo nao mexem no preço por mais de 1 ano (estou ha ano e meio com eles) Podem mencionar o meu codigo de amigo xxxxxxx adicionam tambem desconto de 1 euro por mes na vossa factura.

        O meu consumo é baixo pago cerca de 16 a 20 euros na endesa com 12 centimos por KWH.

        Responder
        • Tiago

          @Diogo, acertos podem acontecer se o consumidor ou a E-Redes não enviar as leituras.
          Esses valores que refere são irreais… não sei qual a razão do seu comentário, mas é impossível o que relata ser verídico, só se houver erro na comunicação das leituras, algo que é sempre possível corrigir.

          Responder
        • JRJordao

          Os comentários mais preocupados com a mudança para o indexado frequentemente incluem um código de amigo Endesa 😀

          Responder
    • Rafael

      Nesta mensagem está aqui também um codigo de amigo para remover, nao se esqueça….
      Obrigado!

      Responder
  4. Alexandre Santos

    Muito obrigado pela informação!

    Mudei agora mesmo para a Luzboa Spot, vamos ver se a poupança se materializa.

    Já agora, uma dúvida. Instalei a app OMI para, como sugerido, seguir os preços da electricidade. O alerta a definir é “Preço horário de ajuste dos consumidos no mercado” superior a 200€/MWh?

    Responder
  5. Vera

    Olá Pedro,

    Como chegou ao valor de -0,095€ no seu exemplo ?

    “Por exemplo, fui ver o preço da eletricidade amanhã (30 de março) e estará a ser vendida a 30 € Megawatt hora, ou seja, 3 cêntimos o kilowatt hora, tirando os 9 centimos e meio negativos do acesso às redes, quer dizer que a eletricidade que gastasse amanhã seria não só de graça como lhe “pagariam” cerca de 5 cêntimos por cada 1.000 W que gastasse. Surreal! Mas é mesmo assim.”

    Obrigada
    Vera

    Responder
    • Tiago

      @Vera
      No caso da Luzboa não é assim, porque o valor a ter em consideração é o da média do período de faturação.
      Mas se por acaso, a média do período de faturação fossem os 31,40 €/MWh do OMIE de hoje, o valor que efetivamente a -0,0489 €/kWh, ou seja este valor ser-lhe-ia creditado.

      Responder
  6. Armando

    Bom dia, hoje foi publicado o Decreto Lei (Decreto-Lei n.º 21-B/2023, de 30 de março), alguém sabe as implicações que isto poderá ter no preço da energia.
    Cumprimentos

    Responder
    • Pedro Andersson

      Olá. Esta definido por lei. É a tarifa de acesso às redes definida pela erse para 2023. No ano que vem sera outro valor e talvez até positiva.

      Responder
      • Armando

        Olá Pedro, sem querer desmerecer a sua opinião, parece-me que este DL diz respeito ao MIBEL e à fixação de um preço de referência para o gás natural consumido na produção de energia elétrica, com vista à redução dos respetivos preços. No anexo vem a indicação dos preços por MWh do gás natural, desde Abril até Dezembro de 2023. De qualquer forma, essa sua informação que as TAR possam ser positivas no próximo ano, assusta qualquer mortal, estamos a falar em cerca de 10 cêntimos por KWh, Jesus …………

        Responder
  7. carla Oliveira

    Boa tarde a todos,

    acabei de contatar a minha operadora (iberdola) que só tem a tarifário indexado disponível para potências compreendidas entre 27,60 e os 41,40KVA. Sendo um cliente doméstico com uma potência de 6,90kva, não poderei aderir!

    Responder
    • Tiago

      @carla Oliveira,
      Tem outras empresas com indexado:
      – Luzboa
      – Coopérnico
      – Repsol
      – …

      Responder
      • carla Oliveira

        Certo @Tiago, mas não deveria ser um tarifário disponível para todos os clientes? Quem é o cliente doméstico que tem o kva de 27,60?

        Responder
        • Tiago

          @carla Oliveira, cada empresa comercializadora é livre de escolher as opções que quer disponibilizar ao mercado, e o consumidor é livre de escolher a comercializadora com que quer trabalhar, com as condições que eles oferecem.
          Se quer um tarifário indexado e a Iberdrola não disponibiliza para as suas condições, tem de ir procurar outro comercializador, não vale a pena “lutar” por aí!

          Responder
    • JRJordao

      Carla, isso quer apenas dizer que está na altura de mudar de fornecedor (ex: Luzboa).

      Responder
      • Leonel Sousa

        Pedro, sigo incansavelmente o seu excelente trabalho na verdadeira defesa do consumidor. Sendo eu um conservador, estou tentado a mudar para a Luzboa… o contrato tem fidelização ou posso voltar a mudar daqui a 2 ou 3 meses??

        Responder
        • Tiago

          @Leonel Sousa, não há qualquer fidelização na Luzboa.
          As condições do contrato mantêm-se por 12 meses, mas pode sair quando quiser.

          Responder
  8. Paulo

    Boa tarde,
    O ajuste MIBEL, também aparece nestas empresas com tarifa indexada?

    Responder
    • Tiago

      @Paulo, sim.
      Mas pelo menos desde o inicio do ano, é algo que praticamente não se refletiu na fatura.

      Responder
  9. Nuno Nogueira

    Bom dia! Alguém sabe se tendo eu painéis solares e contador bidirecional, poderei mudar para estes tarifários ou uma coisa não tem nada a ver com a outra?

    Responder
    • Tiago

      @Nuno Nogueira, pode mudar, tenha ou não painéis fotovoltaicos ou contador bidirecional.

      Responder
  10. António

    Enquanto se mantiver a TAR negativa é impressão minha ou investir em painéis é neste momento um mau investimento? É que com tarifas negativas vale mais a pena consumir da rede do que consumir do sol…

    Responder
    • Pedro Andersson

      Ola. A tarifa de acesso às redes é negativa.a eletricidade não:). A do sol é de graça MESMO…

      Responder
      • Tiago

        @Pedro Andersson, em 2023 a eletricidade tem sido negativa para muitos consumidores com tarifa indexada da Luzboa que tenham acesso à Tarifa Social.

        A energia do sol é gratuita, mas obriga a um investimento avultado, difícil de justificar se os valores dos tarifários indexados da Luzboa em 2023 se mantivessem a médio/logo prazo (não é previsível que venha a acontecer em 2024).

        A titulo de exemplo, os valores mensais do tarifário indexado da Luzboa.
        Janeiro [01 a 31] -> -0,0023 €/kWh
        Fevereiro [01 a 28] -> 0,0747 €/kWh
        Março [01 a 31] -> 0,0204 €/kWh

        O investimento no autoconsumo fotovoltaico deve ser encarado para o médio/longo prazo e na minha opinião é aconselhável a quem tenha a possibilidade de o fazer.

        (comentário agora no sitio correto)

        Responder
        • Vina

          Bom dia

          Será que há tarifa social no mercado indexado? não encontrei nada sobre isso.
          Obrigada

          Responder
          • JRJordao

            Há sim.
            No caso da Luzboa, funciona como um desconto sobre os preços da tarifa indexada (ou outra que se tenha contratado, suponho).
            https://luzboa.pt/tarifasocial/

      • António

        Boa tarde,
        Estou a falar em dias como o de amanhã. Preço OMIE 16.17 mwh o que dá fazendo as contas dá -0,0591 kWh já com a TAR incorporada. Quer dizer que com sol é zero mas pela rede ainda se ganha dinheiro…

        Responder
    • Tiago

      @António, efetivamente assim é neste momento, mas não deve pensar que as TAR se vão manter indefinidamente negativas, pois não vão. Não havendo outras situações extraordinárias, deve ser só durante este ano 2023.
      O investimento no autoconsumo fotovoltaico deve ser encarado para o médio/longo prazo.

      Responder
  11. Tiago

    @Pedro Andersson, em 2023 a eletricidade tem sido negativa para muitos consumidores com tarifa indexada da Luzboa que tenham acesso à Tarifa Social.

    A energia do sol é gratuita, mas obriga a um investimento avultado, difícil de justificar se os valores dos tarifários indexados da Luzboa em 2023 se mantivessem a médio/logo prazo (não é previsível que venha a acontecer em 2024).

    A titulo de exemplo, os valores mensais do tarifário indexado da Luzboa.
    Janeiro [01 a 31] -> -0,0023 €/kWh
    Fevereiro [01 a 28] -> 0,0747 €/kWh
    Março [01 a 31] -> 0,0204 €/kWh

    O investimento no autoconsumo fotovoltaico deve ser encarado para o médio/longo prazo e na minha opinião é aconselhável a quem tenha a possibilidade de o fazer.

    Responder
    • Sónia Reis

      Olá Tiago, mudei para a ERSE em novembro. Estou tentada a mudar para indexada, visto que se pode poupar um pouco na luz… estive a ver a APP da OMI e queria saber com a potência contratada de 6.9 se ainda consigo poupar se mudar segunda feira dia 3 de Abril, a tendência não é para subir até Agosto? Qual empresa aconselha? Vivo no Porto. Obrigada

      Responder
      • António

        Podes mudar as vezes que quiseres. Se o preço OMIE subir acima dos 200mwh deixa de valer a pena a indexada

        Responder
      • Tiago

        @Sónia Reis, não terá mudado para a SU Eletricidade, comercializador do mercado regulado? A ERSE não comercializa eletricidade, é a entidade reguladora do setor.
        Em principio tem tendência de subida, mas de acordo com os futuros deste ano, terá valores inferiores aos do mercado regulado. (a reportagem também fala nesse assunto)
        Mas nunca esquecer que são tarifas indexadas, e se optar por contratualizar, convém estar atenta ao mercado, não vá aparecer aí uma nova surpresa… e se aparecer, reagir e mudar novamente para uma tarifa fixa.
        Quando a aconselhar uma empresa… deixo claro que não tenho ligação comercial com empresas de energia, mas a aconselhar seria aquela onde tenho atualmente contrato, que é a Luzboa.
        Nesta empresa a tarifa de potência 6.9 kVA é de 0,2290 €/dia que pode comparar com os 0,3210 €/dia da SU Eletricidade, são cerca de 3€ (+IVA) de diferença por mês.
        No entanto tem outras empresas com tarifas indexadas, tais como Coopérnico, Repsol e outras, todas elas operam a nível nacional.

        Responder
        • Armando

          Fantástico grupo? Penso que tem aqui mais informação e de melhor qualidade, masco Marco já nos habituou a estes extremismos.

          Responder
        • Miguel

          Marco Lopes, de que lhe serve os preços diários finais se não há comercializadores que os usem?
          A Luzboa, para o cálculo do preço a pagar usa a média do período de faturação e a Coopérnico usa o valor horário.

          Responder
  12. Óscar

    Caro Pedro Andersson,
    Vi que no Facebook colocou o fator de perdas da Luzboa como sendo 1,1581. Como chegou a esse valor?

    Responder
      • Óscar

        Obrigado pela resposta mas, sinceramente, não encontro no site da Luzboa qualquer referência a esse valor. O máximo que encontro é isto:
        “PT = Perdas de Rede de acordo com a regulação em vigor (perfis publicado) (média%)”
        Há algum tempo atrás disseram-me da Luzboa que o acréscimo das perdas seria de 16% e é o que tenho assumido. Mas não sei até que ponto isto é preciso nem se pode variar ao longo do ano.

        Responder
        • Pedro Andersson

          Olá, esse valor que coloquei são os 16% :). Multiplicar por 1,1581 é o mesmo que acrescentar 16% (arredondados). Só fui ao detalhe das centésimas porque queria fazer mesmo ao cêntimo. Foram eles que me deram esse valor exato.

          Responder
          • Óscar

            Agradeço mais uma vez a resposta mas confesso que tentar acertar com exatidão o valor que é cobrado parece missão impossível. Consegue-se uma aproximação muito razoável, algo na ordem da décima da cêntimo. Mais do que isso nunca funciona. Não parece ser devido a arredondamentos mas antes a alguma pequena variação que não consigo identificar.
            Esta última fatura de março na Luzboa foi mesmo assim cerca de um terço do que tinha antes na Endesa.
            Quanto ao futuro, hoje o simulador da ERSE apresenta uns valores aparentemente inflacionados para os tarifários indexados. Toma por base um preço dos futuros para os próximos 12 meses de 0,1295€/kWh, tal como o mês passado. No entanto dá valores completamente diferentes do que apresentava anteriormente. Por exemplo, no caso da Luzboa está a dar um preço de 0,0953€/kWh quando antes estava a 0,0640€/kWh. Houve alguma alteração recente que justifique este salto?

          • Pedro Andersson

            Olá. A formula é complicadissima.

        • Tiago

          @Óscar, o perfil de Perdas de Rede é publicado anualmente pela ERSE e é relativo à distribuição por períodos de 15 minutos das perdas da RESP por nível de tensão e por tipo de consumo.

          Pode consultar aqui:
          https://www.erse.pt/media/sp3jna5c/perfis-de-perdas-2023.xls

          Depois tem de aplicar um cálculo para ter o valor para Baixa Tensão, que é o caso do cliente particular, que será algo do género:
          (1+BT)*(1+MT)*(1+AT)*(1+AT/RT)-1
          (se não subtrair o 1, obtém logo o 1+PT)

          Responder
          • Tiago

            O 1,1581 utilizado pelo Pedro Andersson é o valor da média anual das Perdas, obtido pela fórmula do comentário anterior (1+PT=1,158147 média 2023)

          • Óscar

            @Tiago, agradeço o esforço no entanto essa fórmula de pouco serve sem se saber ao certo quais os valores que foram fixados.
            Em todo o caso, creio que a questão mais importante de momento nem é essa. O importante é saber se houve alguma alteração este mês, eventualmente no cálculo das perdas, que tenha motivado o aumento em cerca de 3 cêntimos por kWh este mês em todos os tarifários indexados, dado que isso é o que se constata no simulador da ERSE.

          • Tiago

            @Óscar, se consultar o link que deixei no comentário onde escrevi a fórmula, verá todos os perfis de perdas para o ano 2023.
            Com a fórmula que coloquei, calcula o (1+PT) de todos os 15 minutos.
            Da percepção que tive quando analisei o custo do kWh em períodos de faturação anterior da Luzboa, o valor a imputar é o da média de todos (1+PT) de 15 minutos, correspondentes ao período de faturação.

            Não houve nenhuma alteração substancial nas perdas, até porque a média de abril será 1,1479 em comparação com a média de março de 1,1601.
            O que poderá ter mudado é o valor dos futuros para os próximos 12 meses…. agora têm em consideração 129,50 €/MWh, antes não sei qual era o valor.
            Para mim, o simulador da ERSE deve ter algum erro… no caso da Luzboa, para 129,50 €/MWh, e utilizando o valor da média anual das perdas, o valor daria 0,06690 €/kWh, mesmo somando o custo do mecanismo de ajuste em 0,0148 €/kWh, daria 0,0817 €/kWh e não os 0,0953 €/kWh que o simulador refere.

          • Armando

            Diogo, se acontecer um desastre nuclear, o seu…… o nosso menor problema será a fatura da eletricidade, já pensou nos valores que as empresas teriam de pagar para produzir os artigos da qual todos somos consumidores? Acha que existindo uma explosão nuclear na central ou uma guerra nuclear generalizada o nosso problema maior seria o preço da eletricidade? E por fim, com os seus consumos mensais eu não estaria muito preocupado, a não ser que o seu objetivo, seja publicitar o seu código amigo o que é deveras muito mais preocupante.

          • João Cunha

            Olá Tiago, tenho andado a tentar perceber como se obtém o valor “PT” e mesmo já conhecendo há muito tempo esses perfis de perdas, os publicados pela ERSE, não sabia que/como valores utilizar no caso de consumos particulares. Assim, pergunto onde obteve essa fórmula, já que não a consegui “descobrir” em lado nenhum. Obg

          • João Cunha

            @Tiago, ok, obg pela resposta

          • L Matias

            Ao importar os dados da tabela de Perdas apercebi-me que no dia 29/10/2023 as horas 01:00, 01:15, 01:30 e 01:45 aparecem repetidas e com valores diferentes para as diferentes tensões…
            É mesmo assim ou algo está errado?

          • Nuno

            @Tiago

            Muito obrigado por esta explicação. Vim aqui ter depois de outro membro me recomendar este post que me deixou finalmente perceber os cálculos na totalidade.

            Uma vez mais, muito obrigado!

          • L Matias

            @L Matias no 28 de abril de 2023 a partir do 11:17 am
            Ao importar os dados da tabela de Perdas apercebi-me que no dia 29/10/2023 as horas 01:00, 01:15, 01:30 e 01:45 aparecem repetidas e com valores diferentes para as diferentes tensões…
            É mesmo assim ou algo está errado?

            Tendo questionado a ERSE sobre este assunto recebi a seguinte resposta:

            “Em resposta ao solicitado, cumpre esclarecer que, devido à mudança da hora legal Portuguesa, que ocorre nas madrugadas do último domingo de março e de outubro, no próximo dia 29.10.2023 vai ocorrer mudança da hora: 2h00 -> 1h00, pelo que o referido ficheiro com os perfis de perdas para 2023 já reflete esta realidade.”

            Verifiquei novamente os dados e no dia 26/03/2023 (último Domingo de Março) não existem valores para as horas 01:00 / 01:15 / 01:30 / 01:45. Neste dia a hora avança da 01:00 para as 02:00

  13. Sérgio

    Pedro, boa tarde e parabéns pelo blog
    Estive esta semana em contacto com um comercializador de energia ligado ao mercado Indexado, mas disse-me que para ir para esse regime (estou no regulado no momento), tinha de ter um contador “inteligente”.

    Pergunto: é mesmo assim? o regime indexado só funciona com contadores inteligentes?

    Se alguém me puder esclarecer agradeço

    Obg

    Sérgio

    Responder
    • JRJordao

      Claro que não!
      Apenas se torna altamente aconselhável comunicar a leitura no dia após pedir a mudança de comercializador (e se tiver paciência repetir diáriamente até saber que está na nova empresa), para evitar uma estimativa abusiva na fatura final da empresa atual.
      Pode também acontecer que a e-redes aproveite a ocasião para lhe substituir o contador. Nesse caso terá que arranjar disponibilidade para a visita de um técnico.

      Responder
    • Tiago

      @Sérgio, o contador inteligente é necessário para a faturação dos consumos reais hora a hora em alguns comercializadores com tarifa indexada. (é o caso, por exemplo da Coopérnico)
      Mesmo nestes comercializadores, se não tiverem acesso aos consumos hora a hora, eles faturam pelo total de consumo.
      Os contadores inteligentes não são obrigatórios na contratação de tarifa indexada, se tiver interesse contrate.

      Responder
      • Óscar

        @Tiago, agradeço a paciência e pelo menos consegui obter os valores que refere. O valor global de 1,158147 para o ano de 2023 parece absolutamente plausível de ser o que é utilizado pela Luzboa. Já os valores mensais ou referentes a períodos parciais não fazem sentido: claramente não são os aplicados em cada fatura. No caso de períodos parciais na verdade é difícil de perceber o procedimento exato no cálculo.

        Quanto ao simulador da ERSE posso dizer o seguinte:
        1. O valor assumido para os futuros baixou relativamente ao mês passado, ou seja, os tais 129,50 €/MWh vêm substituir os anteriores 134,20 €/MWh, o que supostamente até deveria diminuir as estimativas de preços;
        2. Acho muito estranho que a ERSE apenas tenha inflacionado os tarifários indexados e não os outros. Deve haver alguma explicação mas não entendo qual.

        Responder
        • Tiago

          @Óscar, a sua afirmação “os valores mensais ou referentes a períodos parciais não fazem sentido: claramente não são os aplicados em cada fatura.” é baseada em alguns cálculos seus?
          Pode demonstrar-me esses cálculos para o período de alguma fatura da Luzboa, sua ou de alguém, à qual tenha acesso?

          Responder
          • Óscar

            Sim, fiz os cálculos. Vou dar exemplos tais como aparecem na fatura de preços sem tarifa de acesso às redes:
            1. 1/2 a 28/2: 0,16831€/kWh
            2. 1/3 a 29/3: 0,12113€/kWh
            3. 30/3 a 31/3: 0,03922€/kWh

          • Tiago

            @Óscar, acompanho alguns contratos na Luzboa, e com os valores das perdas dos períodos de faturação tenho os valores certos com o faturado.
            Mas para não estar a encher os comentários com cálculos desnecessários aos outros participantes do Contas Poupança, convido-o a aderir ao grupo de facebook “Tarifas Energia Portugal”:
            https://www.facebook.com/groups/647955793752578
            ou ao seguinte tópico do Fórum Finanças:
            https://www.forumfinancas.pt/topic/10897-qual-a-melhor-escolha-no-mercado-liberalizado-luz-e-gás/

            (se estiver a infringir alguma regra do Contas Poupança, agradeço que o Pedro Andersson remova os links)

      • Óscar

        @Tiago, como complemento ao que escrevi a ERSE tinha no início do mês passado apresentado o tal valor de 0,1342€/kWh mas foi certamente um engano. O valor correto deveria ter sido 0,1265€/kWh e até pode ter sido corrigido a certa altura mas não me lembro. Assim, em abono da verdade até houve um ligeiro aumento nos futuros embora não o suficiente para justificar os preços que estão a ser apresentados.

        Responder
  14. Óscar

    Entretanto a ERSE alterou os valores do simulador e os tarifários indexados já estão outra vez no topo. Não me parece que estejam bem calculados mas isso é outra história.

    Responder
  15. Rogerio

    E no caso de aderirmos, podemos continuar a usufruir da tarifa social?

    Responder
    • Tiago

      Se tiver direito à Tarifa Social, esse direito acompanha o consumidor, seja qual for o comercializador escolhido.

      Responder
  16. Óscar

    @Tiago, agradeço os convites, mas em princípio não irei aparecer.
    Quanto aos cálculos que faço para os períodos indicados posso explicitar o que obtenho.

    1. 1/2 a 28/2: 0,16832€/kWh (preço sem TAR na fatura da Luzboa)
    PMD = 134,23€/kWh
    (1+PT) = 1,15815 (Valor anual)
    –> 0,16829€/kWh (valor obtido difere em 0,0003€/kWh relativamente à fatura)
    (1+PT) = 1,17371 (Valor de fevereiro)
    –> 0,17049€/kWh (valor obtido difere em 0,00217€/kWh relativamente à fatura)
    Por este exemplo percebe-se que valor anual das perdas é o mais plausível de estar a ser utilizado.

    2. 1/3 a 29/3: 0,12113€/kWh (preço sem TAR na fatura da Luzboa)
    PMD = 94,51€/kWh
    (1+PT) = 1,15815 (Valor anual)
    –> 0,12137€/kWh (valor obtido difere em 0,00024€/kWh relativamente à fatura)
    (1+PT) = 1,16022 (Valor do período)
    –> 0,12158€/kWh (valor obtido difere em 0,00043€/kWh relativamente à fatura)
    Neste exemplo as diferenças são mínimas ainda que o valor anual das perdas funcione melhor.

    3. 30/3 a 31/3: 0,03922€/kWh (preço sem TAR na fatura da Luzboa)
    PMD = 23,99€/kWh
    (1+PT) = 1,15815 (Valor anual)
    –> 0,03806€/kWh (valor obtido difere em 0,00116€/kWh relativamente à fatura)
    (1+PT) = 1,15774 (Valor do período)
    –> 0,03805€/kWh (valor obtido difere em 0,00117€/kWh relativamente à fatura)
    Ambos os casos são muito semelhantes mas com uma diferença na ordem de 0,001€/kWh que leva a pensar se não foi de algum modo englobado aqui o Imposto Especial sobre o Consumo de eletricidade (IEC) que tem precisamente esse valor.

    Responder
    • Óscar

      Onde está 0,0003€/kWh devia estar 0,00003€/kWh.

      Responder
  17. Mariana

    Boa tarde

    Gostava de partilhar que este mês o meu valor com a Luz Boa foi de 10,70€ (para 106 kwh). Assim:
    – energia 2,74€
    – potência 4,03€ (3,45kvA)
    – taxas várias 2,99€
    Total de 9,76€ aos quais juntamos dps o IVA.

    O kwh ficou assim, no mês de março por 0,0258€

    Responder
  18. JRJordao

    Também acedi hoje à minha nova fatura Luzboa (03-03-2023 a 02-04-2023)
    – energia: 1,51€ por 134 kWh (0,0113€/kWh)
    – potência: 4,31€ por 31 dias (3,45 kvA)
    – taxas: 3,05€

    Total: 8,87€ + IVA = 9,76€

    Responder
    • Mariana

      Qual será o motivo pela diferença no kWh? A minha é de 6/3 a 4/4 o que se cifrou numa média de 74.94Mhw

      No seu caso de de 3/3 a 2/4 a média até foi superior 82.29MhW mas no fim acabou por pagar menos por kWh do que eu….

      No meu caso em que a média era de 74.94Mhw paguei 0.0258kwh e no seu caso com uma média de comercialização de 82.29Mhw pagou 0.0113kwh

      Responder
      • Mariana

        Corrijo o que disse anteriormente… o meu período de faturação foi 1-29 março logo 94.51MHw e agr faz sentido a diferença de preço 🙂

        Responder
        • Óscar

          @Mariana, o preço que a parece na fatura sem TAR é 0,12137€/kWh ou 0,12158€/kWh?

          Responder
          • Mariana

            0,12165€ kwh. Pode ser? 🙂

        • Óscar

          @Mariana, está muito próximo do que me dá. Tinha uma terceira estimativa a dar 0,12172€/kWh.
          No entanto, é curioso que na minha fatura para esse mesmo período entre 1/3 e 29/3 o preço foi de 0,12113€/kWh, como já tinha mencionado acima. Creio que essa diferença é causa por haver adicionalmente uma parte estimada na fatura mas não sei ao certo como fazem o cálculo.
          Em todo o caso são diferenças mínimas que acabam por ser quase irrelevantes.

          Responder
  19. Divv

    Desde que mudei para tarifas indexadas no final de Janeiro, tenho estado de olho na página do OMI. Na maioria das vezes, a tarifa para Espanha e Portugal tem sido a mesma, mas vejo nos últimos dias que tem divergido bastante.
    Estou curioso em saber por que razão isto pode ser?

    Responder
    • Óscar

      A Espanha anda com excedentes de produção de energia (nuclear, eólica e solar) que não é facilmente ajustada em baixa. Da mesma forma que nos primeiros dias do ano Portugal teve excedentes de produção de energia hídrica por necessidade de diminuir o nível das barragens que estavam cheias. Esses excedentes explicam as diferenças ocorridas nos preços entre os dois países.

      Responder
  20. Óscar

    @Tiago, também tenho acesso a várias faturas da Luzboa e encontrei aqui uma onde a fórmula seguida bateu completamente certa com o cálculo do ajustamento para as perdas para o período faturado.
    É curioso porque isto não é uniforme em todas as faturas.

    19/2 a 18/3: 0,14316€/kWh (preço sem TAR na fatura da Luzboa)
    PMD = 112,34€/kWh
    (1+PT) = 1,15815 (Valor anual)
    –> 0,14243€/kWh (valor obtido difere em 0,00073€/kWh relativamente à fatura)
    (1+PT) = 1,16432 (Valor de 19/2 a 18/3)
    –> 0,14316€/kWh (valor obtido igual à fatura)

    Por este exemplo fico sem saber o critério, dado que por vezes parece estar a ser usado o valor de perdas anual e noutras vezes (como aqui) é usado o valor respeitante ao período específico.

    Responder
  21. João Filipe

    Boa tarde,

    Procuro uma solução semelhante para Luz e Gás.
    O que sugerem?

    Responder
    • Óscar

      O simulador da ERSE é sempre um bom ponto de partida.
      Cada caso é um caso mas, de forma geral, o mais recomendável é Luzboa indexado para eletricidade (desde que com um mínimo de acompanhamento do mercado) e tarifa regulada para o gás. Para tarifa fixa na eletricidade talvez o da Repsol.

      Responder
  22. Filipe

    Bom dia. Têm alguma experiência com a linha de suporte da Luzboa? Estou a tentar aderir, mas preciso de esclarecer uma questão com eles e os telefonemas ficam sempre em fila de espera, deixo o número para me contactem e nada, nem através de mail. Já ando nisto há 5 dias…

    Responder
    • Orlando Lopes

      Já tentei tambem por telefone e por mail ate hoje passado quase um mes (mudei dia 22 de Abril)nem mesmo o acesso a
      area ainda tenho, ainda estou a espera parece que ainda vou receber a fatura primeiro alias, ja foi cliente da LUZBOA
      ha perto de 10 anos e o serviço era de qualidade como diz o Sr. Anderson deve ser muita gente mas isso penso que
      não é desculpa coloquem mais gente deve andar por ai gente a precisar
      de trabalhar, so uma sugestao.

      Responder
  23. Luís

    Boa tarde,

    Têm tido facilidade em contatar a Luzboa? Por telefone já estive mais de 20 minutos em espera e não me atenderam, e por e-mail estou à espera de resposta já há dois dias.

    Responder
      • Filipe

        Boa tarde!. Online de que forma? Se se refere ao email já tentei e não responderam. Contactei há 6 dias e já repeti o contacto. desisti e contactei com a Plenitude hoje de manhã, que já respondeu e já enviou tudo para eu fazer a mudança.

        Com aquele tipo de suporte na Luzboa, deixou de ser opção para mim.

        Cumpts

        Responder
      • Luís

        Para fazer contrato, sim. Agora para solicitar esclarecimentos o apoio ao cliente não funciona, não atendem telefone nem respondem ao e-mail.

        Responder
        • Pedro Andersson

          Olá. O apoio ao cliente é muito importante. Se nao achou bem tem muitas alternativas:)

          Responder
        • Filipe

          Foi o que me aconteceu e parti para outra alternativa como diz o Pedro Andersson

          Responder
          • Pedro Andersson

            Amigo não empata amigo 🙂

  24. Deolinda Costa

    Caro Pedro,
    Permita-me uma sugestão. Que tal falar sobre a Copérnico – Cooperativa de Energia? Sobre como funciona e se tem ou vantagens para os consumidores.
    Aproveito para agradecer o seu emprenho em todo o trabalho que faz e publica. Ajuda bastante a melhorar os conhecimentos sobre poupanças e outros assuntos em geral.
    Fique bem.

    Responder
    • Pedro Andersson

      Olá Deolinda.
      Sei que tem bons preços, mas como obriga a ser associado da empresa, não entra nos critérios que utilizo. Quem não se importar de assumir esse compromisso pode ser uma boa opção.

      Responder
  25. Nuno Rosa Rodrigues

    Boa noite a todos,

    Estou a pensar seriamente alterar o meu contrato de electricidade para o mercado indexado e em consulta do simulador da ERSE penso optar pela Luzboa, apesar de ser a 4.º opção em termos de valores. A 1.ª opção “Plenitude” tem um período de fidelização e cobra pela quebra antecipada do contrato, a 2.ª opção “Copérnico” obriga à compra de títulos de participação e a 3.ª opção “Repsol” apresenta valores próximos da Luzboa, mas baseia-se em descontos em gasolina e gás de botija, os quais não utilizo.
    No entanto, tenho algumas dúvidas relativamente à Luzboa. Qual a diferença entre Luzboa Spot BTN e Luzboa BTN? Qual aconselham?
    Ontem, ao iniciar a adesão à Luzboa Spot BTN surguiu a opção de optar por Tarifa Simples, Bi-horária e Tri-horário e pelo Ciclo Diário ou Semanal. De acordo com o que tenho lido relativamente ao mercado indexado, o valor a ser cobrado ao cliente corresponde à média dos valores diários relativos ao período de facturação. Se assim é, e a estar correcta a minha análise, que sentido faz a empresa questionar qual o tipo de tarifa e ciclo que pretendemos.?
    Agradeço antecipadamente todos os esclarecimentos possíveis.
    Boa noite a todos e continuação de bom trabalho

    Responder
  26. Tiago Ramalho

    Bom dia!
    Alterei de comercializador, da SU Eletricidade para a Luzboa, em Abril depois de ver a reportagem e de fazer também a minha análise.
    Só tenho pena de não o ter feito ou de não saber à mais tempo, pois para o mesmo consumo real passei de faturas de 100€ para 12€, que foi a primeira fatura da Luzboa. Uma poupança gigantesca!
    Enquanto der para poupar desta forma é aproveitar!
    Muito obrigado Pedro pela informação simples, direta e sem rodeios que todos os dias nos faz poupar centenas e até milhares de euros!
    Obrigado!

    Responder
  27. Miguel Carneiro

    Boas tarde, tenho um restaurante e preciso de baixar os custos com eletricidade (tenho contrato com EDP). Alguém me pode dizer se mercado indexado ainda compensa?Li que muitos contratos que contemplam a tarifa indexada apresentam a cláusula de fidelização, é verdade? O que poderei fazer?

    Responder
    • ANTONIO REINALDO MARTINS DE CARVALHO

      Boa tarde. Por enquanto compensa e muito mas tudo indica que temos aumentos (anunciado pela erse) para todos os fornecedores apartir de 1 de Julho. No site da erse poderá, entre outras coisas, simular os custos nos diversos fornecedores existentes, indexados ou não, assim como verificar os que têm fidelização e os que não têm fidelização…

      Responder
  28. Gilberto Santos

    Bom dia, mudei para a luzboa o mês passado e recebi agora a fatura.
    O meu contrato é bi-horario e vou colocar aqui o valor das tarifas pagas.
    O preço em cheia e ponta é um e em vazio é outro, no meu caso o vazio ate foi negativo. Preço valor
    En.fora de vazio medido 24-05-2013 15-06-2023 117 Kwh 0,10615€ 12,42€ 23%
    En.vazio medido 24-05-2013 15-06-2023 62 Kwh 0,11463€ 7,11€ 23%
    TAR En.fora de vazio medido,mesmo periodo 117 Kwh -0,0842€ -9,85€ 23%
    TAR En. Vazio medido mesmo periodo 62Kwh -0,1185€ -7,35€ 23%
    Embora o valor em vazio seja mais elevado, o mesmo acontece com a TAR e por isso acaba por compensar.
    Vou pagar 2,57€ mais iva em fora de vazio, e vou receber 0,24€ em vazio porque
    este valor está negativo.
    Se fizerem simulação no site da erse em tarifário bi-horario constatam que tanto a tarifa entre vazio e fora de vazio é diferente, o mesmo acontece com a TAR.
    Abraço

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Partilhe o Artigo!

Partilhe este artigo com os seus amigos.