Governo acaba com os Certificados do Tesouro Poupança Crescimento e baixa os juros

Escrito por Pedro Andersson

11.09.21

}
5 min de leitura

Publicidade

Governo cria Certificados do Tesouro Poupança Valor e corta nos juros

Lamento informar, mas acabou o principal produto de poupança dos portugueses com capital garantido. Durante 4 anos, sugeri os Certificados do Tesouro Poupança Crescimento como uma das melhores opções sem risco para ter o seu dinheiro pelo menos a render alguma coisa (embora pouco) para compensar a inflação. Rendiam durante 7 anos, em média, 1,38% brutos.

Tal como aconteceu quando o governo acabou com os certificados do Tesouro Poupança Mais (que rendiam 5%), o anúncio foi feito ao fim do dia de uma sexta-feira para não dar hipótese a que os portugueses aproveitassem ainda algumas horas para aderir no “último minuto” a uma poupança que ainda rendia um pouco mais do que os tristes depósitos a prazo.

Mesmo as adesões online já estão suspensas. Portanto, quem os subscreveu continua com eles até atingirem os 7 anos sem nenhum problema, já não pode é subscrever novos.

Quero recordar-lhe que já tinha avisado aqui no blogue, em janeiro, que era previsível que isto acontecesse. Sugeri que quem tivesse algumas poupanças provenientes do confinamento da pandemia aproveitasse porque era uma questão de tempo até acabarem. Assim aconteceu. Tem aqui a foto desse meu aviso há 9 meses.

Os novos Certificados do Tesouro Poupança VALOR

O Conselho de Ministros aprovou ontem a resolução que cria os Certificados do Tesouro Poupança Valor (CTPV), um novo produto de poupança com “taxa fixa garantida”.

“O Conselho de Ministros aprovou, por via eletrónica, a resolução que cria os Certificados do Tesouro Poupança Valor, um instrumento de poupança que permite o acesso a dívida pública por parte dos cidadãos, com taxa fixa garantida e características que se aproximam das atuais condições de financiamento da República”, pode ler-se o comunicado do Conselho de Ministros.

As condições dos novos Certificados (que começam a ser comercializados na segunda-feira) foram já publicadas em Diário da República. Tem aqui a Resolução do Conselho de Ministros na íntegra.

As características acerca deste novo produto vão aproximar-se das condições de financiamento do Estado, que estão a níveis muito baixos (em alguns casos até com valores negativos). Logo, se o Estado pode ir buscar dinheiro de graça lá fora (e às vezes até ganhando dinheiro) porque é que há-de estar a pagar 1,38% aos portugueses para lhe emprestar dinheiro? Lógico. Eu faria o mesmo. Era apenas uma questão de tempo. Até estou admirado por não ter sido mais cedo.

Os Certificados do Tesouro Poupança Crescimento (CTPC) tinham sido lançados em 2017, com uma taxa fixa que começava nos 0,75% e que chegava aos 2,25% no último ano. Tinha ainda um prémio de 40% do PIB a partir do segundo ano com um limite máximo de 1,2%. Podia ser bom. No último ano, podia chegar a um acumulado de 3,45% brutos.

Os CTPC foram emitidos por prazos de sete anos e são amortizados na respetiva data de vencimento ou antecipadamente, ao valor nominal, e os aforradores podiam investir entre 1.000 e um milhão de euros.

Quanto vão render os Certificados do Tesouro Poupança Valor?

Tal como nos anteriores, vai poder subscrever os novos CTPV nas estações dos Correios ou no IGCP. Os CTPV são produtos destinados a cidadãos com menor necessidade de liquidez, dado que dispõem de uma maturidade longa (de sete anos) e de um prémio adicional em função da evolução da economia nacional.

Este novo produto de aforro, diz o governo, continua a permitir que o Estado ofereça condições atrativas para as famílias face a outros instrumentos de poupança comercializados pelo sistema financeiro. Mas cada vez menos, acrescento eu.

Os juros

  • 1.º ano – 0,70 % (o anterior começava em 0,75%);
  • 2.º ano – 0,70 %;
  • 3.º ano – 0,80 %;
  • 4.º ano – 0,90 %;
  • 5.º ano – 1,00 %;
  • 6.º ano – 1,30 %;
  • 7.º ano – 1,60 % (o anterior ia até 2,25%)

Ou seja, enquanto os Poupança Crescimento em média rendiam 1,38%, agora os Poupança Valor vão render em média apenas 1%. MIserável, portanto. E abaixo da inflação atual. Mesmo assim é 10 vezes acima dos depósitos a prazo normais dos bancos.

A partir do 3º ano (e não do segundo) passa a ter um prémio de 20% (e não de 40%) do crewscimento do PIB em cada um dos anos, limitado a um máximo de 1,50%. Não capitaliza os juros e só pode resgatar o dinheiro após um ano. O capital é garantido pelo Estado português.

Certificados continuam a ser uma opção

Os Certificados do Tesouro são um produto de poupança do Estado dirigido aos pequenos aforradores. E são populares por serem simples e praticamente sem risco. Ao longo dos anos, a taxa de juro foi descendo de 2,25% para 1,38% e agora para 1%.

Como sabe, ao longo do tempo tenho aqui dito que deve manter o seu fundo de emergência numa conta à ordem (ou nos Certificados de Aforro ou do Tesouro) mesmo que não rendam nada ou quase nada e o resto pode investir em produtos financeiros simples sem capital garantido para ganhar alguma coisa acima da inflação e começar a pôr o dinheiro a trabalhar para si.

Este é só mais um passo que demonstra que quem não investe perde cada vez mais dinheiro.



 

Publicidade

Sobre mim: Pedro Andersson

Ir para a página "Sobre Mim"

Siga-nos nas Redes Sociais

Para si | Artigos Recentes 

ÚLTIMO AVISO | Já só tem 1 dia para validar as suas faturas para o IRS!

Já validou as faturas pendentes de TODO o seu agregado familiar? Já só tem até amanhã (meia-noite de segunda-feira, dia 26 de fevereiro de 2024), para validar as suas faturas pendentes do portal e-fatura. É muito importante que o faça. Quando fui ver o e-fatura dos...

CRIPTOMOEDAS | Estou a ganhar ou a perder dinheiro? (Mês #26 – Fevereiro 2024)

O meu investimento em Criptomoedas - Balanço de Fevereiro de 2024 Cá estou eu para fazer mais um balanço do meu "investimento" em criptomoedas. Tenho algum dinheiro em Ethereum, que comprei através da plataforma Binance. Quero antes de mais relembrar que está em ampla...

Prémio Salarial | Formulário para fazer pedido já está disponível

Jovens têm até 31 de Maio para fazer o pedido de devolução de propinas, mas tempo de espera é elevado Contas-poupança | Inês de Almeida Fernandes No final do ano passado, o Governo anunciou uma medida que previa a devolução de propinas aos jovens que tivessem entrado...

EURIBOR HOJE | Taxas descem a três meses, mas sobem a seis e 12 meses

Euribor desce a três meses, mas sobe nos prazos de seis e 12 meses Contas-poupança | Inês de Almeida Fernandes Diariamente, divulgamos aqui na página "Contas-poupança", o valor das taxas Euribor a três, seis e 12 meses. Embora as alterações diárias não tenham um...

COMBUSTÍVEIS | Preços na próxima semana (26 de fevereiro a 03 de março)

Preços dos combustíveis na semana que vem A informação dos preços dos combustíveis é baseada nos cálculos que têm em conta a cotação nos mercados internacionais e outros fatores considerados na formação do preço dos combustíveis em Portugal. São dados que recolho...

EURIBOR HOJE | Taxas descem a três e seis meses, mas sobem a 12

Euribor Contas-poupança | Inês de Almeida Fernandes Diariamente, divulgamos aqui na página "Contas-poupança", o valor das taxas Euribor a três, seis e 12 meses. Embora as alterações diárias não tenham um impacto direto na sua prestação do crédito à habitação, são um...

Cheque + Digital | A Lista das entidades que têm cursos de formação digital “grátis” (até 750 €)

A lista das entidades certificadas elegíveis para o apoio dos 750 € Antes que comecem a chover as críticas, relembro que coloquei "grátis" entre aspas porque vai ter de pagar primeiro o curso, ou cursos, do seu próprio bolso, mas depois esse dinheiro é devolvido pelo...

Painel solar fotovoltaico – Balanço Janeiro de 2024 (Mês #86)

Balanço de Janeiro de 2024 Janeiro foi um mês anormalmente baixo. No que diz respeito à produção de eletricidade, os primeiros meses do ano já são de recuperação e de aumento progressivo até atingir novamente o pico no Verão. Enfim, houve apenas uma maior sucessão de...

PODCAST | #216 – Vamos a contas | Quase não fiz descontos para a Segurança Social, qual vai ser a minha reforma?

Esta ouvinte do podcast (que quer ficar anónima) tem apenas 29 anos de descontos para a Segurança Social. Trabalha muito e recebe o seu salário, mas os "patrões" recusam-se a fazer descontos para a Segurança Social. Ela tem 64 anos e está muito preocupada com a...

Arrendamento | Rendas acessíveis alargadas a quem tem rendimentos mais altos

Limite de rendimentos máximos anuais para aceder a apoios ao arrendamento foi alargado para abranger mais cidadãos O valor máximo de rendimento anual para aceder ao Programa de Apoio ao Arrendamento foi aumentado, de acordo com uma portaria publicada em Diário da...

Publicidade

Comentar

Siga-nos nas redes sociais

Artigos relacionados

8 Comentários

  1. Amadeu Varandas

    Boa noite,

    Será agora mais acertado investir em Certificados de Aforro, ainda que a EURIBOR esteja negativa?

    Ou os mesmos, já não existem?

    Responder
    • Pedro Andersson

      Olá. Sim. Existem. Tem de comparar os dois, o resultado melhor depende do tempo que tiver lá o seu investimento.

      Responder
      • Carlos Manuel da Silva Caravela

        Caro Pedro, se me permite informação concreta adicional, desde agosto do ano passado que “tomo conta” das poupanças dos meus pais. Fiz a coisa “fifty-fifty”. Neste primeiro ano os certificados de aforro possíveis de fazer, creio que “E”, renderam 0,35% líquidos, naturalmente correspondente a uma valorização igual dos próprios certificados, e os CTPC 0,54%, também líquidos. Obrigado.

        Responder
    • Sónia

      Boa tarde, há alguma aplicação para simular o valor anual? Ou seja, saber quanto se ganha em juros em cada ano e ao fim dos 7 anos. Obrigada

      Responder
  2. sergio manuel rodrigues fernandes dantas

    Boa noite:)
    Situação previsivel.
    0 site do IGCP tem um simulador: por exemplo, 1000€ em CTPC rendem ao fim de 1 ano 5,40€.
    fiquem bem, saude

    Responder
    • Euzinho da Silva

      Bem verdade, mas infelizmente o simulador dos CA do IFCP parece não estar a funcionar (apresenta-me tudo a zeros, ao passo que o do CTPV funciona), pelo que não é possível a comparação directa por essa via.

      Responder
  3. Filipe Santos

    Boa noite Pedro,
    Antes de mais obrigado pelos artigos que escreve assim como os seus episódios do podcast.
    Permita-me apenas acrescentar que existiram entre o ano de de 2010 e 2012 os Certificados do Tesouro a 10 anos que em média no final do 10° ano rendiam 7,1%.

    https://www.igcp.pt/pt/menu-lateral/certificados-do-tesouro/descricao/

    Responder
    • Manuel

      Bom dia
      Filipe Santos,é isso. Eu tenho a “caderneta” completa dos certificados. Infelizmente os do ano 2010 já atingiram a maturidade e os de 2011 estão quase todos a expirar.Bons tempos.
      Agora, compensa mais comprar um T0 e arrendá-lo…

      Responder

Trackbacks/Pingbacks

  1. VÍDEO | Vale a pena colocar as minhas poupanças nos Certificados do Tesouro? - […] Os Certificados do Tesouro são uma forma de nós cidadãos emprestarmos dinheiro ao Estado e ele paga-nos juros. Subscrevem-se…

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Partilhe o Artigo!

Partilhe este artigo com os seus amigos.