Mais uma casa paga, porque viu o Contas-poupança





Mais uma casa paga, porque viu um Contas-poupança

Não há nada como o conhecimento dos nossos direitos (e já agora, também dos nossos deveres). Apercebo-me cada vez mais de casos de pessoas que pagam serviços e depois não os usufruem. Por exemplo:

  • Pessoas que pagam o Ginásio todos os meses e não põem lá os pés. PORQUÊ?
  • Pessoas que contratam a tarifa bi-horária de eletricidade e depois metem a máquinas a trabalhar antes das 10 da noite. Estão a pagar o dobro do que poderiam… Acabem lá com o bi-horário ou mudem de hábitos.
  • Fizeram um seguro de saúde e depois esquecem-se de enviar as despesas para serem reembolsados (ai o dinheiro que eu já perdi com esta preguiça… mas este ano já estou a portar-me direitinho)
  • E os seguros que pagamos e que depois não acionamos quando precisamos. É o caso que lhe vou contar a seguir.

Demos mais uma casa

Estas mensagens que recebo são absolutamente extraordinárias e só o facto de as receber já faz o nosso trabalho valer a pena. É que as reportagens do Contas-poupança fazem MESMO a diferença na vida de algumas pessoas. Vejam esta.

Reparem como isto é verdade: numa situação de morte ou doença grave, ninguém está preocupado em acionar qualquer seguro que seja. Mas é preciso que tenham cabeça fria passadas umas semanas. Não se esqueçam que as seguradoras cobram-vos dinheiro porque vocês têm medo de que o pior aconteça. E quando o pior acontece, vocês não se lembram das seguradoras. Ora isto não faz sentido. Temos de abrir os olhos.

A questão dos seguros de vida associados aos créditos

Fazer um seguro de vida é quase obrigatório sempre que pedimos dinheiro emprestado a um banco ou a instituição financeira. O que muitos não sabem é que há muitos seguros de vida que nunca chegam a ser reclamados porque as pessoas não se lembram das coberturas, os herdeiros esquecem-se ou não sabem que o seguro foi feito. Fiz uma reportagem em 2016 (é a reportagem a que se refere a espectadora que ficou com a casa paga e tem o link para a ver no fim deste artigo). Há uma forma de descobrir quantos seguros tem ativos neste momento (mesmo sem saber) e se é beneficiário de algum, mesmo que ninguém o tenha avisado. Há pessoas que podem ter a casa ou o carro pago e não sabem. Mostrei nessa reportagem o caso de Maria João que tem também neste momento a casa paga. O seguro pagou ao banco os 86 mil euros que faltavam porque ela e o marido tinham um seguro de vida associado ao crédito à habitação, com cobertura de Incapacidade Total e Permanente. Há 14 anos, quando o marido teve o primeiro AVC, acionaram o seguro, mas como só ficou com 62% de incapacidade, não era suficiente para lhe pagarem a casa. Maria João sabia que tinham um seguro mas pouco mais do que isso. Em conversa com a senhora do banco, por mero acaso, soube que podia acioná-lo. Naquela altura o caso não deu em nada, porque a incapacidade era de apenas 62%. Mas se a funcionária do banco não soubesse do AVC e tivesse tentado ajudar, Maria João, como muitas o outras pessoas, não teria sequer avisado a seguradora. Em 2014, quando ocorreu o segundo AVC, Maria João não sabia que podia tentar acionar o seguro outra vez. Foi um familiar que trabalhava em seguros que a avisou que devia voltar a tentar. Ou seja, se não tivesse um familiar a trabalhar nos seguros nunca se lembraria que podia ter a casa paga. Falou com a seguradora e o processo foi muito rápido. Desta vez, como a incapacidade já era superior a 66%, o seguro aceitou pagar.

E ter o carro pago?

Mas há casos que passam bem mais despercebidos. Por exemplo se comprar um carro a crédito há muitas empresas que exigem um seguro de vida. Se o segurado morrer ou ficar incapacitado, o próprio ou os herdeiros (se for o caso) podem ter o empréstimo pago. É para isso que servem os seguros. O marido de Maria João acabou por falecer. Neste caso, Maria João ainda acabou por pagar as últimas prestações que faltavam sem perguntar se o seguro pagava o resto que faltava pagar. Neste caso o empréstimo do carro não tinha nenhum seguro de vida associado. Se tivesse, teria (em princípio) direito à devolução das últimas duas mensalidades pagas após o falecimento do marido ou mesmo do valor total do carro, conforme o que estivesse contratado. Há muitas pessoas que não sabem sequer que têm seguro de vida em créditos pessoais, porque pagaram tudo à cabeça quando compraram o carro ou receberam o dinheiro e nunca mais pensaram no assunto. Se ninguém acionar o seguro a indemnização nunca é paga porque a seguradora não adivinha que o segurado adoeceu ou faleceu. Não há uma lista em Portugal das pessoas que morreram, que as seguradoras estejam obrigadas a consultar para saber se têm lá clientes, para depois avisarem os beneficiários.

A solução

Vamos agora à solução. É muito pouco conhecido, mas a Autoridade de Supervisão das Seguradoras e Fundos de Pensões, a ASF, tem um serviço de pesquisa de seguros de vida. Se quiser saber quantos seguros de vida tem ou se os herdeiros quiserem saber se um falecido tinha algum seguro de vida basta ir à página da ASF na internet e preencher um formulário. Tem os formulários AQUI. Tem de ser à moda antiga. Imprime os formulários, preenche com todos os seus dados , remete fotocópias dos documentos pedidos e envia pelo correio para a sede da ASF em Lisboa. A morada é esta. Não pode ser por e-mail. Tem mesmo de ser por carta.

ASF – Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões Av. da República, 76 1600-205 Lisboa

Dentro de 15 dias a um mês recebe uma carta com os dados pedidos. Em resumo, se conhece alguém com uma incapacidade superior a 60% pode muito bem ter a sua casa paga. Informe-se junto do seu banco ou seguradora. Depois depende o que constar na sua apólice do seguro. O mais usual é o valor rondar os 66% de incapacidade. Se faleceu alguém da sua família confirme se não tem seguros de vida por acionar, seja da casa, do carro ou de um crédito pessoal. Para a maioria, felizmente, neste momento, esta informação não se aplica. Mas todos nós estamos sujeitos amanhã a enfrentar estas situações. Por isso, é importante que saiba o que tem de fazer se o imprevisto bater à porta. Pode ver ou rever esta reportagem aqui: https://sicnoticias.pt/programas/contaspoupanca/2016-04-20-Sabe-se-tem-um-seguro-de-vida-para-reclamar-  

Acompanhe-nos AQUI

NOVO LIVRO “CONTAS-POUPANÇA” 34 dicas para poupar muito mais e fazer crescer o seu dinheiro em 2018. É um livro que se paga a ele próprio apenas com uma dica.
Se quiser um resumo claro e prático das dicas que demos nos primeiros 5 anos de programa, pode adquirir o livro “Contas-poupança I”. É só clicar AQUI abaixo.

Registe-se AQUI para receber a Newsletter do Contas-poupança.

(Todas as dicas da semana num só e-mail).


7 comentários em “Mais uma casa paga, porque viu o Contas-poupança

  1. João Reply

    Em caso da pessoa ainda ser viva, mas já não saber todos os seguros de vida que tem activos.
    Há alguma forma de saber directamente na ASF ?

  2. Paula Loureiro Reply

    Olá Pedro. Perdi o meu filho João de 20 anos ha 5 meses e ele estudava na Universidade, ips em Setúbal, tinha um seguro anexo a sua matrícula e contactei a escola e dizem que é so no caso de acidentes, mas no site menciona seguro de vida. Pode dar-me uma ajuda. Obrigada

  3. Carlos Reply

    Boa trade , li toda a página sobre os seguros e emcapacidades esse caso também e aplicável a seguros de trabalho ? Pois sofri acidente de trabalho e perdi uma parte da falange do dedo a seguradora a dita seguradora não quer pagar , só pagando os dias de baixa eu pergunto ! E normal obrigado

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *