Dão-me licença que diga uma coisa?

Deixar as coisas para o último minuto tem muito mais piada

Não tem? Estou a escrever este texto quando passam 24 minutos da meia-noite. Portanto, já acabou há cerca de meia-hora o prazo para a atualização do agregado familiar no Portal das Finanças. Estive a ver algumas mensagens no Facebook de pessoas que reclamavam que o site estava a bloquear e que não conseguiram.

Isso só quer dizer que milhares (muitos) pensaram da mesma maneira. “Depois vou lá e despacho isso num instante…”.

Eu sei que não tenho o direito de criticar ninguém, nem tenho nada a ver com a vida de cada um, mas permitam-me (já que estou no meu blogue) dar a minha opinião e concordarão ou não como entenderem. Há mais de 9 anos que passamos por isto…

Vamos mudar de atitude?

Os portugueses em geral são um povo fantástico. Cada povo tem as suas características e nós temos características absolutamente maravilhosas. Outros terão outras. Uma dessas características maravilhosas NÃO É a organização e a pontualidade. E, ao contrário do que possa parecer, isso não prejudica em primeiro lugar os outros, prejudica em primeiro lugar a cada um de nós.

Aquilo que podíamos fazer com calma, ponderação, equilíbrio, de forma sensata e com tempo para afinar detalhes e ainda dar uma vista de olhos antes de entregar o trabalho final, é (quase) sempre feito à pressa, no último instante, confiando que estará tudo “mais ou menos” bem.  Nunca contamos com o imprevisto, que quase sempre acontece e é mais do que previsível. Normalmente andamos sempre a correr atrás do prejuízo. E as multas e juros que pagamos sem necessidade?

O prazo para verificar o e-fatura acaba no próximo dia 25 de Fevereiro. Quantos de nós não irão lá às 23h00 do último dia e perceber que faltam lá faturas importantes e já não podem fazer nada? (Volto a avisar que faltam 9 dias).

Este ano vai ter 3 meses (3!!!) para entregar o IRS. É fácil de prever que milhares vão entregar no último dia e bloquear o sistema. A culpa será toda do sistema informático?

Mas é na nossa vida toda…

Os estudantes só estudam para os testes na véspera.

Os professores só corrigem os 80 testes quando têm de entregar as notas amanhã (quando podiam corrigir calmamente 10 por dia a seguir ao jantar enquanto bebem um café (longo, claro).

Eu, jornalista, só acabo de escrever a reportagem quando falta uma hora para ela ir para o ar (porque só me sai bem assim).

E a inspeção do carro, quantas vezes não vamos já depois do prazo (quando temos 3 meses para o fazer antes)?

Arranjamos sempre uma desculpa (eu também).

Parece que gostamos de fazer noitadas para podermos dizer que trabalhamos muito e apresentamos as olheiras como uma espécie de troféus profissionais.

Era tudo tão mais fácil com um pouco de organização e planeamento na nossa vida. Basta, por exemplo, delegar algumas tarefas se aplicável.

Vamos pôr mais alarmes no nosso telemóvel. Vamos estabelecer a meta de pagarmos as contas/impostos/multas sempre 10 dias antes do fim do prazo. Não deixe tudo para o último minuto. Sempre 10 dias antes. O que custa?

Eu sei que pareço um lírico, ou um tipo a pregar sozinho no deserto. Mas volto ao ponto inicial: em 90% dos casos quem se prejudica com esta atitude somos NÓS e não os outros. Se pertence a este grupo, trate já do e-fatura amanhã. Fica já despachado. Não deixe para dia 25. Sabe porquê? Porque o sistema vai bloquear e não vai conseguir validar nada. Escreva (pode fazer print screen) o que eu estou a  dizer.

Vamos lá mudar isto!

Acompanhe-nos AQUI

NOVO LIVRO “CONTAS-POUPANÇA”

34 dicas para poupar muito mais e fazer crescer o seu dinheiro em 2018.

É um livro que se paga a ele próprio apenas com uma dica.

Se quiser um resumo claro e prático das dicas que demos nos primeiros 5 anos de programa, pode adquirir o livro “Contas-poupança I”.

É só clicar AQUI abaixo.

Registe-se AQUI para receber a Newsletter do Contas-poupança.

(Todas as dicas da semana num só e-mail).


23 comentários em “Dão-me licença que diga uma coisa?

  1. Fernando Contreiras Reply

    Mil perdões Pedro
    Merece-me uma imensa admiração e respeito e não estou zangado com ninguém!
    Já passei essa fase agora não me zango “por dá cá aquela palha” hehehe.
    Obrigado um abraço

    P.S. Outro para o Luís também naturalmente.

  2. Fernando Contreiras Reply

    …não é nada um mito Luis mas era o que faltava eu ir discutir isso consigo;nem morto!
    E diz Você que o “nosso futuro somos nós que o construímos,somos nos que o escolhemos”?
    Fazer investimentos???Onde?…BPN…?BES…?
    Você é um brincalhão Luis!!!Tive 75000 euros no BES sim mas aquilo que poderia ser uma reserva para qualquer aflição no tal FUTURO que Voce diz que somos nós que o construímos e tal e tal e tal foi-se “à viola”…aconselhe-me já agora como descalço esta bota…explique-me S.F.F. como com a minha idade vou agora conseguir juntar outra vez para o tal FUTURO…hehehe o Luis é de facto “muito tenrinho” ainda e por favor deixe de fumar que isso faz-lhe mal homem.
    Saúde e bons filmes no netflix (desse modo poupa o bilhete do cinema )

    • Pedro Andersson
      Pedro Andersson Post authorReply

      Olá Fernando e Luis. Acho que já percebemos os pontos de vista de ambos. Amigos como dantes? Obrigado :). Não tenho nada contra que continuem por mensagem privada. Gosto de manter o blogue num nível estritamente prático para ajudar as pessoas. Espero que não levem a mal o meu comentário nem o considerem “censura”. Abraços

  3. Fernando Contreiras Reply

    Luis Filipe Reis:
    Sim pra si agora que diz assim a terminar e que pelos vistos já se tinha esquecido; Ah! E esqueci-me do mais importante: O Sr. Pedro já escreveu dois livros que ensinaram milhares de portugueses a poupar! Compre, será um excelente investimento para o seu futuro!”
    Já comprei já li e dispenso-lhe o conselho porque se calhar terei eu mais idade para aconselhá-lo a si, do que o Luís a mim…enfim são outros quinhentos
    Quanto ao meu futuro num País como este em que vivemos ( e que apesar de tudo me dá um tremendo,um enorme orgulho,um fantástico gozo por ter nascido nele) receio bem que não tenha aquele que desejo…(:-(( )
    Talvez quando um dia se conseguirem mudar mentalidades possamos todos ter uma vida mais digna!

    • Luis Reis Reply

      Sr. Fernando, essa crença de que “a idade é um posto”, é um mito mas, como você mesmo disse: “…isso são outros quinhentos…”.

      O nosso futuro, seja em que país for, somos nós que o construimos, somos nós que o escolhemos. Actualmente temos mais informação disponível do que em qualquer outro momento da história deste planeta. Hoje você consegue ir ao portal da segurança social e ter acesso a uma previsão realista de quanto será a sua reforma (se for caso disso). É um valor baixo? Tem duas hipóteses:
      a) Enfiar a cabeça na areia e não fazer nada.
      b) Fazer investimentos afim de eliminar esse problema no futuro.

      O dinheiro não chega para tudo? Há que reorganizar, repensar, renegociar! Esse comportamento de dizer que estamos mal e que isto é injusto, nunca foi coisa que me agradasse. Nós somos seres inteligentes, capazes de fazer coisas incríveis quando queremos, poupar é uma delas! Ser um “coitadinho” nunca foi o meu ponto forte e sempre desincentivei esse comportamento.

      Faça o seu orçamento mensal antecipadamente. Desde Dezembro de 2018 que eu tenho o meu orçamento de 2019 feito, mês a mês. Se dá trabalho? Certamente que sim! Mas deu-me trabalho um dia para andar descansado nos outros 364.

      Acredito que o sr. Fernando, como todos nós, é capaz de se organizar e criar uma poupança, por muito que lhe pareça insignificante a início “…grão a grão…”. Não se deixe derrotar, hoje em dia temos informação por todo o lado, só temos de a saber utilizar da melhor forma para o nosso caso específico.

      Uma simples troca de um jantar num restaurante ou uma ida ao cinema por um jantar em família em casa ou uma sessão de cinema em casa são euros, muitos euros. Mas lá está, são escolhas que é você que tem de fazer. Pode até estudar gestão e administração até ao nível de mestrado e escolher não usar o que aprendeu.

      No final do dia, somos reféns das nossas más escolhas e teimosias. “Se o meu vizinho pode, porque é que eu não posso?”, não é?

      Desejos de melhores escolhas sr. Fernando, é o que este miúdo de 35 anos lhe deseja.

  4. Fernando Contreiras Reply

    …dão-me licença que diga uma coisa…?
    Refiro-me ao Pedro Correia e não ao andersson (!!!) Hehehe
    Depois e além de associado da Deco Proteste (que acho útil) tenho os livros do P.Andersson e nunca falho o programa dele na t.v. (!!!) e que aliàs me tem feito imenso jeito.
    Mais;eu não ganho (nunca ganhei) o O.M.N. pese embora o facto de ter estado por duas vezes desempregado (que foi bem pior) durante alguns anos (sim anos porque apanhei o tal período que para alguns foi de ouro da apelidada crise…2008 em diante) ainda por cima com mais de 50 anitos idade bonita.Demasiado cedo prá reforma demasiado velho pra trabalhar ( bla bla bla bla) Portanto não há que confundir os Pedros.Continuo a achar mágico que um dos elementos do casal a auferir o O.M.N. e o outro pouco mais se consiga resultados tão extraordinários e ainda por cima pôr alguns dinheiritos ao canto da gaveta…eu sei que pra uns ele é fêmea e pra outros é macho.

  5. Fernando Contreiras Reply

    Pedro,Pedro…Você não será antes “mágico”…?
    Com as rendas de casa (compradas ou não) ao preço a que estão,com o preço que todos (ou quase todos) pagamos de electricidade e àgua e gaz e net tv e voz + telelés tendo em atenção que ainda temos que nos vestir (e nada de luxos) e calçar e comer (pelo menos as 3 refeicõezitas da ordem por dia)mandar a “miudagem” à escola com lanche,livros,mochila… encher o depósito de duas (!!!) viaturas (às vezes mais que uma vez por mês) e pagar-lhes o seguro respectivo,oficina,inspecções,i.u.c.’s (acho graça a este nome hehehe).
    Óh homem Você só pode mesmo ser mágico,desculpará…e ainda não lhe falei de um almocito ou 1 jantarito fora (que a vida não é só trabalho) uma idazita ao cinema um teatro um concerto (repito que a vida não é só trabalho) levar a criança de quando em vez ao zoológico comprar-lhe um jogo um tablet enfim..e não vejo aqui nada de luxos ou dinheiros mal empregues!!!
    E agora a “bomba”; P O U P A R ! ! ! Você Pedro ainda consegue esse verdadeiro milagre???!!
    Então escreva um livro e ensine aos Portugueses (a centenas de milhar deles) como consegue tal proeza!!!
    Abraço

    • Luís Filipe Reis Reply

      Sr. Fernando, poupar (seja muito ou pouco) é uma questão de opção. O que você refere como coisas que não são um luxo, são um luxo para mais de 90% das pessoas que eu conheço. O Sr. Pedro tem ajudado muito os portugueses a, pelo menos, ficarem mais esclarecidos, mais informados. O que cada um escolhe fazer com essa informação adquirida, é um problema pessoal de cada um.

      As recomendações do Sr. Pedro enquanto jornalista e do “Contas-poupança” enquanto programa televisivo são apenas isso mesmo: recomendações. Da minha parte, posso afirmar, com bastante orgulho, que com muitas das dicas que já aprendi aqui, poupei alguns milhares de euros nos últimos 3/4 anos e que a longo prazo poupei mais de 60 mil euros!

      As “bombas” que o sr. Pedro larga são, efectivamente, de efeito nefasto para os maus hábitos, especialmente quando optamos por optar a energia libertada na sua explosão.

    • Luís Filipe Reis Reply

      Ah! E esqueci-me do mais importante: O Sr. Pedro já escreveu dois livros que ensinaram milhares de portugueses a poupar! Compre, será um excelente investimento para o seu futuro!

    • Luís Filipe Reis Reply

      Sr. Fernando, subscreveu algum produto de investimento complexo sem saber o que estava a subscrever? Lei toda a documentação do que subscreveu? Se subscreveu um produto sem capital garantido, pouco ou nada há a fazer.

      Não sei a sua idade nem o seu nível de conhecimento financeiro, no entanto, vejo que cometeu um erro básico: colocar os ovos todos na mesma cesta. É um erro de principiante sr. Fernando. Ter ou não idade cronológica não é sinónimo de ter ou não bons conhecimentos de gestão/investimento; o sr. Fernando aprendeu isso da pior forma possível.

      O que o sr. Pedro faz com este programa é mesmo combater esse tipo de desinformação. Todas as semanas o programa “Contas-poupança” informa o público acerca de algo que poderá estar menos informado, algo que significa mais euros na carteira. Informação é poder.

      No meu portfólio de investimento eu tenho 5% (SÓ 5%) investidos em operações SEM GARANTIA DE CAPITAL, e eu sei o que isso significa: posso perder aquele dinheiro a qualquer momento, assim como o você perdeu esses 75.000€. Os restantes 95% estão em PPR, certificados do tesouro, investimento mobiliário com retorno mensal, conta a prazo (esta última é uma forma de perder dinheiro por via da inflacção ser superior à remuneração). Esses 75.000€ nunca deveriam de ter sido colocados numa só aplicação, por muito “bonita” que lhe parecesse. A diversificação entre instituições e aplicações é mais uma segurança para qualquer investidor.

      Vou seguir a única recomendação acertada que me fez: ver um filme no NetFlix, pois por 10,00€ mensais eu posso “ir ao cinema” todos os dias, sem ter de assistir a publicidade de 20 minutos, sem perder 15 minutos numa fila para comprar o bilhete, sem perder 10 minutos à procura de estacionamento…

      Espero que ainda vá a tempo de aprender que a idade não é um posto.

      Bem haja.

  6. Maria José Reply

    Bom dia,
    Agradeço desde já as dicas que nos ajudam imenso. gostaria de lhe perguntar se as multas das portagens também entram nas despesas do IRS?
    Muito grata.
    Maria José

  7. Paulo Simão Reply

    Sr. Pedro Anderson,
    Dou-lhe os parabéns por mais um excelente artigo mas Permita-me só uma correção ao seu artigo. Quando diz que só nos prejudicamos a nós próprios não é totalmente correto. Muitas vezes essas pessoas por serem assim, também prejudicam os outros, e eu já tenho ficado prejudicado até a nível profissional por causa das irresponsabilidades e falta de senso de outras pessoas.

  8. Pedro Correia Reply

    Levanto-me é bato palmas…!
    Eu não diria melhor! E partilho muito da sua ideologia!
    É que viver não custa… Custa é saber viver…!

    Tenho 37 anos, sou casado e tenho um filho de 5 anos, ganho neste momento o ordenado mínimo e a minha esposa pouco mais! E não temos ajudas de mais ninguém!
    E posso dizer que tenho uma casa(a crédito) com condições e confortável, conseguimos dar tudo ao nosso filho para que ele se desenvolva como Homem, conseguimos ter 2 carros pagos, ir jantar/almoçar fora e passear sempre que possível! Entre outras coisas…
    E não sou rico, sei viver com o que tenho e mexer-me de forma a ter as despesas que todos temos o mais baixo possível.
    E ainda consigo juntar algum dinheiro no final do mês! É lógico que faço opções! porque não tenho a árvore das patacas, e sei gerir muito bem o meu dinheiro, as oportunidades, promocoes!

    Nós Queixamos-nos mas grande parte das vezes, somos nós os próprios culpados, e seguir somos uns coitados que não têm sorte nenhuma!
    A vida não se trata de sorte…
    Trata de ter capacidade de gestão, ter capacidade de fazer opções e ter capacidade de antecipação!

    Sigo o Contas Poupança, que já me ajudou em muito!
    Mas a idealogia o conceito deste blogue escrito por um grande jornalista, já eu eu o tenho desde muito jovem!
    E como o meu avô me dizia: “queres ter dinheiro? Poupa-o!”

    Bem haja a todos!

  9. Teresa Ribeiro Reply

    Muito obrigada pelas suas informações e alertas, isto é um verdadeiro serviço público!

  10. Vitor Tavares Reply

    A mais pura realidade! O Português é assim; porquê fazer hoje, se ainda tenho amanhã?

    No meu local de trabalho a frase que mais ouço é “task force”… que na verdade significa: não planeamos com cuidado e atempadamente, e agora todos (mesmos os que não contribuíram para esta situação), têm de deixar as suas tarefas de lado, e fazer horas extras para correr atrás de um qualquer prejuízo!

    Já se perguntaram porque é que o País não evolui? Esta é uma das razões!

  11. Isabel Reply

    Olá
    Tudo validado no final de janeiro, meu e das minhas 3 filhas… e mensagem para o pai delas a lembrar de tratar pelo menos do agregado, que é a parte que me afeta… eu que não gosto de chegar atrasada a lado nenhum, e odeio esperar pelos atrasados… também já padeci desse mal, mas já me curei

  12. Luis Reis Reply

    Eu já padeci desse mal em jovem, as “finanças” deram-me umas “lições” de alguns milhares de euros algures em 2009 e criei uns anticorpos fantásticos! NUNCA mais me esqueci dum prazo, nunca mais recebi algo para pagar que não fosse imediatamente pago.

    Podia queixar-me e dizer que as coimas que levei na altura foram uma brutalidade, mas como o Pedro diz, a culpa foi só minha e quem levou a “ripada” fui eu! Foi mau na altura, mas revelou-se muito educativo.

    Outra característica do português: levar tudo na brincadeira!

    Bem haja e obrigado pelas dicas milionárias que nos tem dado ao longo dos anos.

  13. Vitor Madeira Reply

    Ahhh… Eis um dos “problemas” de viver num país com excelente clima…
    “Se posso estar a fazer coisas boas, porque escolho fazer coisas chatas?”

    Na verdade, acho que precisamos ainda de (mais) pessoas como o Pedro, que nos vão ajudando a ganhar um pouco mais essa consciência de que a vida não pode ser sempre vivida dessa forma maravilhosa, sob pena de o deixar de ser…

    Sem dúvida, aprender a colocar as prioridades em primeiro lugar é bom para a saúde e para o bolso.

    Um grande bem haja.

  14. Miguel Reply

    Olá Pedro,

    Tudo validado no final de Janeiro.

    Sou português e com muito gosto mas desse mal não padeço 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *