Tem a certeza de que sabe quanto ganha?

Escrito por Pedro Andersson

08.01.17

}
5 min de leitura

Publicidade

Sabe mesmo quanto ganha?

Ao longo dos anos, tenho-me apercebido que são poucas as pessoas que sabem exatamente ao cêntimo qual é o salário que recebem mensalmente. É estranho porque todos os meses cai na conta e, com a exceção de quem ganha comissões ou recebe bónus mensais, esse valor é sempre o mesmo

Normalmente, sabemos que ganhamos mais ou menos “x”, que é o valor que guardamos de memória do tempo em que negociámos o ordenado ou de algum momento marcante mais recente em que fixámos um valor.

Se não acredita, faça o teste: tente dizer de cabeça o valor do seu ordenado com o valor exato das dezenas de euros. E a seguir compare com o valor real que recebeu no mês passado. Talvez tenha uma surpresa (agradável ou desagradável). O mesmo em relação a um casal. É muito comum o outro “achar” que sabe quanto dinheiro entra em casa todos os meses e por vezes tomam decisões de compra pensando que dá e afinal não é bem assim. Ambos sabem qual é o orçamento exato dos rendimentos mensais do agregado?

Isto apenas para chegarmos ao objetivo desta crónica: só podemos gerir bem o nosso dinheiro se soubermos exatamente quanto ganhamos e quanto gastamos.

Sabendo quando recebemos mensalmente, passamos a outro desafio. Uma coisa é o que recebe, outra é o seu salário real. Como?

Quanto tem de pagar para trabalhar?

Faça as contas ao que tem de pagar todos os meses apenas para poder trabalhar. Pegue no seu salário “limpo” e subtraia o valor dos combustíveis, da portagem, da alimentação que paga a mais em relação ao que pagaria se levasse de casa, do estacionamento, vestuário específico, etc. Vai ficar surpreendido com o resultado. Esse é o valor que tem disponível para TUDO o que resta e não o que cai na conta.

GETTY

Um exemplo prático: vamos imaginar uma pessoa que more na margem sul do Tejo (Alcochete, por exemplo) e que trabalhe no centro de Lisboa e que ganhe €1000 limpos. Terá provavelmente estes gastos:

• portagem Ponte Vasco da Gama: €2,75 x 22 dias = €60,50 por mês

• combustível: €120 por mês

• estacionamento: €5/dia = €110 por mês

• alimentação (almoço fora): €7/dia x 22 dias = €154 por mês

• alimentação (lanche): €3 x 22 dias = €66

As despesas são aproximadas e pode acrescentar mais alguma despesa, se for o caso, mas acho que já percebeu o conceito. Esta pessoa paga todos os meses mais de €510 só para trabalhar e ganhar €1000.

É possível ganhar menos e ter mais dinheiro?

Claro que podem considerar este argumento demagógico, mas a verdade é que uma pessoa que ganhasse “apenas” €700 e conseguisse um trabalho na própria localidade onde mora, em que pudesse deslocar-se para o trabalho por exemplo a pé, de bicicleta ou transporte público e se pudesse ir comer a casa, ganharia o mesmo ou mais (e com mais qualidade de vida) do que quem trabalha no centro de Lisboa a receber €1000.

Claro que depois tem de contar com o subsídio de férias e de Natal – quanto maior o salário, maiores serão estes dois subsídios, como é óbvio. E há que pensar na reforma e nos descontos para a Segurança Social. E há profissões em que ter trabalho (mesmo com prejuízo) é importante. Conheço uma professora que deu aulas durante um ano numa localidade fora da grande Lisboa com prejuízo todos os meses porque precisava do tempo de serviço para concorrer no ano seguinte. E há a realização profissional de cada um. Não tem preço.

E sei como é difícil encontrar empregos e manter os que temos.

GETTY

Este exemplo é apenas para alertar que devemos ter a noção exata de qual é a nossa realidade financeira. Pode não ser tão boa como julgamos e isso pode ser decisivo na altura de fazer compras mais avultadas e que nos sufocam o orçamento durante meses ou anos. Uma coisa é o que ganhamos mensalmente (que entra na conta bancária), outra é o nosso salário “real”.

Quando receber uma proposta de emprego (ou estiver à procura), faça estas contas para saber se o salário que lhe estão a propor é realmente bom, face às despesas que vai passar a ter. Gastar mais 100 euros por mês para ser aumentado 200 pode não ser um negócio assim tão bom. Chama-se a isto “literacia financeira”.

Lamento se esta crónica não é propriamente agradável para começar o ano, mas se quisermos ter o nosso orçamento em ordem, temos de começar por estas contas mais difíceis. E por vezes temos de tomar decisões complicadas, mas que podem fazer todo o sentido do ponto de vista financeiro.

Faça uma lista de todas as despesas “obrigatórias” que tem relacionadas com o seu trabalho. Subtraia ao seu salário líquido. Esse é o seu salário real. É com esse que tem de contar.

(Escrevi esta crónica no Expresso em 2017)


feiralivro-billboard


Acompanhe-nos AQUI

NOVO LIVRO “CONTAS-POUPANÇA” 34 dicas para poupar muito mais e fazer crescer o seu dinheiro em 2019. É um livro que se paga a ele próprio apenas com uma dica. Se quiser conhecer também as dicas que demos nos primeiros 5 anos de programa, pode adquirir o livro “Contas-poupança I”. É só clicar AQUI ou nas fotos dos livros.

Publicidade

Sobre mim: Pedro Andersson

Ir para a página "Sobre Mim"

Siga-nos nas Redes Sociais

Para si | Artigos Recentes 

PPR | Quanto estou a ganhar (ou a perder) com os meus PPR (Junho de 2024)

Vale a pena fazer um PPR como investimento? (Mês #44) Junho voltou a bater o recorde de mais-valias na soma dos meus 10 PPR. Até ao momento tenho uma valorização média de 12%. Naturalmente, cada um dos PPR tem um desemprenho diferente. Tenho dois que ainda estão...

Famílias carenciadas vão receber um cartão com dinheiro em vez de cabaz alimentar

Cabaz Alimentar passa a cartão com dinheiro É uma questão de dignidade, diz o Governo. Até agora, as famílias identificadas pela Segurança Social como carenciadas recebiam um cabaz alimentar físico (com mantimentos para um mês) mas nem sempre esses bens eram o que a...

PodTEXT | Vou ter de pagar 20 mil€ de IRS e não estava à espera. O que faço?

O podcast de sempre, agora mais inclusivo! Como a literacia financeira é um aspeto fundamental para a boa gestão das finanças pessoais, os podcasts do Contas-poupança tornam-se agora mais inclusivos e passarão a ser publicados também em texto, nomeadamente para...

EURIBOR HOJE | Taxas descem em todos os prazos

Euribor Diariamente, divulgamos aqui na página "Contas-poupança", o valor das taxas Euribor a três, seis e 12 meses. Embora as alterações diárias não tenham um impacto direto na sua prestação do crédito à habitação, são um indicador precioso para perceber a tendência...

COMBUSTÍVEIS | Preços na próxima semana (15 a 21 de julho)

Preços dos combustíveis na semana que vem A informação dos preços dos combustíveis é baseada nos cálculos que têm em conta a cotação nos mercados internacionais e outros fatores considerados na formação do preço dos combustíveis em Portugal. São dados que recolho...

TOP 10 | Qual a marca de COMBUSTÍVEIS mais barata esta semana? (8 a 14 de julho)

Quem subiu e quem desceu os preços esta semana A ERSE definiu para esta semana como preço eficiente (que traduzo livremente por preço "justo") uma subida de 1 cêntimo/l no gasóleo simples e de 1,3 cêntimos na gasolina simples. Abaixo tem os preços que as várias marcas...

160 mil idosos podem receber pelo menos 600 € de reforma – Tem direito? (Vídeo)

Reforma mínima de 600 € e medicamentos grátis Mais de 160 mil idosos com reformas baixas podem passar a receber pelo menos 600 euros por mês e a ter medicamentos grátis na farmácia. Na reportagem desta semana do Contas-poupança, explicamos-lhe como funciona o...

PodTEXT | Uma dica para descobrir onde anda a desperdiçar dinheiro

O podcast de sempre, agora mais inclusivo! Como a literacia financeira é um aspeto fundamental para a boa gestão das finanças pessoais, os podcasts do Contas-poupança tornam-se agora mais inclusivos e passarão a ser publicados também em texto, nomeadamente para...

EURIBOR HOJE | Taxas descem em todos os prazos

Euribor Diariamente, divulgamos aqui na página "Contas-poupança", o valor das taxas Euribor a três, seis e 12 meses. Embora as alterações diárias não tenham um impacto direto na sua prestação do crédito à habitação, são um indicador precioso para perceber a tendência...

Inflação caiu para 2,8% em junho

O Instituto Nacional de Estatística (INE) confirmou esta quarta-feira que a taxa de inflação homóloga foi de 2,8% no passado mês de junho. Trata-se de um abrandamento face ao mês de maio, altura em que os preços dos hotéis dispararam devido aos dois concertos de...

Publicidade

Comentar

Siga-nos nas redes sociais

Artigos relacionados

1 Comentário

  1. Lurdes Lopes

    Ora… muito bem visto!!!
    Muito obrigada por me ensinar a pensar!!!!

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Partilhe o Artigo!

Partilhe este artigo com os seus amigos.