ÚLTIMA HORA | Super e hipermercados não vão poder vender roupa, livros nem objetos de decoração

Hipermercados só podem vender o que no comércio local também pode ser vendido

Os supermercados e hipermercados vão ficar impedidos a partir da próxima semana de vender artigos não alimentares, como roupa, livros e objetos de decoração, disse hoje o ministro de Estado e da Economia.

A foto no início destes artigo é de um país onde já fizeram a mesma opção. É uma questão de justiça em relação ao comércio local.

O diploma que vai limitar a venda de alguns produtos nas grandes superfícies deverá ser publicado esta sexta-feira e entrará em vigor na próxima semana, dando tempo ao setor para os retirar das prateleiras.

“Determinámos o encerramento de um conjunto de atividades comerciais, de lojas comércio retalho e o que está previsto é que seja possível limitar a venda nos super ou hipermercados, grandes superfícies de distribuição alimentar, o tipo de produtos que é comercializado nas lojas cujo encerramento se determina [neste novo confinamento geral]”, disse hoje Siza Vieira.

O ministro da Economia, que falava numa conferência de imprensa conjunta com a ministra da Cultura de apresentação das medidas de apoio às empresas cuja atividade se encontra suspensa por determinação legal ou administrativa devido ao novo confinamento geral que começa às 00:00 desta sexta-feira, precisou que a medida está “neste momento a ser regulamentada” e entrará “em vigor a partir do início da próxima semana”.

Em causa estão, segundo adiantou Siza Vieira citado pela LUSA, produtos de decoração, desportivos, livros ou têxteis, ou seja, artigos vendidos nas lojas de retalho que estão obrigadas a encerrar portas a partir desta sexta-feira.

O governante disse ainda que o diploma deverá ser publicado esta sexta-feira de forma a dar tempo aos supermercados e superfícies comerciais semelhantes para retirarem das suas prateleiras os produtos cuja venda será proibida, lembrando, contudo, que para todas as empresas continuam disponíveis as modalidades de venda online ou ‘ao postigo’.

“Estas medidas de saúde pública não podem ser medidas de distorção de mercado”, referiu. A fiscalização do cumprimento desta medida será feita pela Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE).



Acompanhe-nos AQUI

NOVO LIVRO “CONTAS-POUPANÇA” – Dezenas de dicas para poupar muito mais e fazer crescer o seu dinheiro em 2021. Estes 3 livros vão ajudá-lo a vencer qualquer crise financeira na sua vida. É só clicar AQUI ou nas fotos dos livros.

PODCAST | #29 – Livros que o ajudam a pôr as suas contas em ordem

Livros que aumentam o seu salário?

Muitas pessoas perguntam-me como é que podem começar a poupar e por onde é que se começa. Outros dizem-me que já tentaram, mas por mais que se esforcem, não conseguem fazer esticar o dinheiro até ao fim do mês. Tem aqui o meu contributo para ajudar quem são sabe muito bem o caminho para pôr as contas pessoais em ordem. A papinha está toda feita e partilho a receita nesta boleia financeira. Oiça e avalie. É por si, não é por mim.

Explico tudo isto e mais algumas coisas no episódio desta semana do podcast “Pedro Andersson – Contas-poupança”. Clique nas fotos mais abaixo para ouvir.

(LINKS que refiro no Podcast)

Livro “Contas-poupança – Vença a crise com inteligência”

https://www.wook.pt/livro/contas-poupanca-venca-a-crise-com-inteligencia-e-aprenda-tudo-sobre-os-seus-direitos-pedro-andersson/24053340?a_aid=591048d86d39d

Livro “Contas-poupança – Poupe ainda mais, Invista melhor” https://www.wook.pt/livro/contas-poupanca-poupe-ainda-mais-invista-melhor-pedro-andersson/22064351?a_aid=591048d86d39d

Livro “Contas-poupança – Viva melhor com o mesmo dinheiro”
https://www.wook.pt/livro/contas-poupanca-pedro-andersson/18443616?a_aid=591048d86d39d

 

O que é um podcast?

Aproveite a minha boleia financeira (gravo em áudio uma “conversa” no carro enquanto faço as minhas viagens e faço de conta que você vai ali ao meu lado) e veja como pode aumentar-se a si próprio. São uma espécie de programas de rádio para escutar enquanto faz outras coisas. Subscreva o podcast na plataforma em que estiver a ouvir para ser avisado sempre que houver um episódio novo. Não estranhe ouvir o motor do carro, buzinadelas e o pisca-pisca. Faz parte da viagem.

Aprenda a gerir melhor o seu dinheiro

Tem a seguir os links para o Spotify, Soundcloud e iTunes. Para quem não percebe nada disto, deve ir à loja de aplicações do seu telemóvel e instalar gratuitamente a app “Spotify” ou “iTunes” ou outra que dê para ouvir Podcasts. No caso do SoundCloud basta clicar e começa logo a ouvir.

Boa viagem e boas poupanças!

 

 

Subscreva o Podcast e partilhe-o com os seus amigos ou familiares que se queixam de ter pouco dinheiro e muitas despesas.




Acompanhe-nos AQUI

NOVO LIVRO “CONTAS-POUPANÇA” – Dezenas  dicas para poupar muito mais e fazer crescer o seu dinheiro em 2020. Estes 3 livros vão ajudá-lo a vencer qualquer crise financeira na sua vida. É só clicar AQUI ou nas fotos dos livros.

Leu o livro Contas-poupança… poupou 8 mil euros, mas teve de comprar uma máquina de lavar

“Leu o livro Contas-poupança… seguiu a dica, poupou 8 mil euros, mas teve de comprar uma máquina de lavar”

Este título parece um dos títulos do Nuno Markl, no “Homem que mordeu o cão”, na rádio Comercial. Quem ouve regularmente percebe a piada 🙂

Aprendo muito com as vossas experiências. E partilho-as aqui porque podem ser muito úteis para centenas ou milhares de vocês. Todos os dias recebo mensagens de pessoas que seguiram alguma das dicas que vou dando aqui no blogue ou nas reportagens e que fazem questão de dizer que resultaram e como. Algumas dicas mudam vidas. Fico muito feliz com isso. É o que me motiva a continuar. Obrigado por isso.

O estranho caso da máquina de lavar loiça

Recebi esta semana a mensagem de uma espectadora (que não quer ser identificada, a quem chamarei “Maria”) que, depois de ler o mais recente livro Contas-poupança, decidiu ir ao banco e tentar baixar o spread do crédito à habitação. Ela tinha um spread de 1,306. Fez o que aconselhei.

Foi pesquisar o que estava a oferecer a concorrência do banco dela e encontrou ofertas abaixo do spread que tinha. Pegou nas simulações e foi falar com o gestor de conta.

Para surpresa dela, igualaram imediatamente as ofertas dos outros bancos. Mas ainda foi melhor.

Bastava, no caso do banco dela, que comprasse um eletrodoméstico ou computador do catálogo deles com o cartão de crédito e baixavam o spread para 1. Por mero acaso, ela estava a precisar de uma máquina de lavar. Aproveitou e comprou a máquina. Usou o cartão de crédito com o pagamento (obviamente) a 100% no fim do mês e assim não pagou juros.

 

Como acabou de ler, ela passou a pagar menos 40 euros por mês, comprou uma máquina de lavar que teria de comprar de qualquer maneira e poupou assim mais de 8 mil euros até ao fim do crédito à habitação.

Eu até iria mais longe, mesmo que não precisasse da máquina de lavar eu arriscaria comprar a máquina, vendia-a no OLX por menos 100 euros nova a estrear com garantia e em 3 meses (com a poupança dos 40 euros por mês) já tinha a máquina mais do que paga. É só uma questão de fazer uma breve conta de cabeça.

Resumindo, a “Maria” comprou uma máquina de lavar e o banco “pagou-lhe” 8 mil euros. Porquê? Porque viu (leu) uma das dicas aqui no Contas-poupança e fez o mais importante: METEU OS PÉS A CAMINHO E TENTOU!

Ah! Mais uma coisa. A “Maria” já vendeu a máquina de lavar antiga no OLX . Nada se perde quando temos cabeça.

Tem aqui um exemplo parecido, mas com um crédito automóvel.

Leu o livro Contas-poupança… vai receber 273 euros por mês

Valeu a pena ter lido o livro Contas-poupança

Estamos a falar de 3.276 euros por ano, todos os anos, daqui para a frente. Foi a pensar em casos como este que escrevi um capítulo especificamente sobre a Prestação Social para a Inclusão no livro “Contas-poupança – Vença a crise com inteligência e aprenda tudo sobre os seus direitos”.

Recebi esta semana esta mensagem.

O diferimento a que este leitor se estava a referir é a PSI (Prestação Social para a Inclusão). Estou absolutamente convencido de que ainda há milhares de portugueses que têm direito a este dinheiro e não fazem a mínima ideia.

Basta terem um Atestado Médico de Incapacidade Multiuso com pelo menos 60% antes dos 55 anos, ou terem tido a doença ou acidente antes dos 55 anos – mesmo que o Atestado só tenha sido pedido depois dos 55 anos – para poderem pedir esta prestação.

Reparem como este senhor, através da Segurança Social Direta conseguiu inscrever-se, pedir a prestação e receber o OK em apenas 2 dias!

No caso deste senhor, vai receber a totalidade da prestação: 273 euros por mês. Mas depende dos seus rendimentos. Se ganhar acima de um determinado valor a prestação vai baixando e pode até acontecer ser deferida (aprovada) mas o valor ser zero. Pelo menos fica aprovada e se os seus rendimentos baixarem começa logo a receber. Fica o trabalho feito.

Outra coisa que me chocou foi saber que esta pessoa podia ter tido a casa paga há 14 anos e não recebeu um cêntimo porque não sabia. Quando soube (agora) já foi tarde demais. Já tinha a casa paga na totalidade. Desperdiçou 14 anos de prestações, seguros, taxas e taxinhas.

Espero que muitos de vocês ainda vão a tempo de acionarem os vossos direitos.

Fica aqui mais um exemplo de como a informação é poder e que o conhecimento e a informação pode melhorar a vida de todos nós. Neste caso, foi por ter lido um livro. Fico muito feliz por ter ajudado.

Em alguns locais o livro já está esgotado, mas pode encontrá-lo nas livrarias Bertrand, na FNAC e sempre nas livrarias online, como na WOOK, Bertrand e na FNAC online. Vai ter a sua casa.



Acompanhe-nos AQUI

NOVO LIVRO “CONTAS-POUPANÇA” – Dezenas de dicas para poupar muito mais e fazer crescer o seu dinheiro em 2020. Estes 3 livros vão ajudá-lo a vencer qualquer crise financeira na sua vida. É só clicar AQUI ou nas fotos dos livros.

Livro Contas-poupança | ‘Vença a crise com inteligência’ já está na segunda edição

Obrigado!

Uma das maiores satisfações para quem faz alguma coisa é perceber que o que está a fazer é útil e que isso é reconhecido. É o meu caso e por isso tenho a agradecer-vos a confiança.

Escrever um livro (seja ele qual for) é uma experiência inesquecível independentemente do livro vender ou não. No caso dos livros Contas-poupança, têm sido “best-sellers” na área das Finanças pessoais em Portugal. As reações e críticas da vossa parte têm sido extraordinárias.

Ainda esta semana recebi o relato de uma pessoa que leu o livro e que descobriu que o tio podia estar a receber 273 euros por mês há 8 anos e só descobriu agora porque o sobrinho leu o meu livro mais recente. Fez o pedido na Segurança Social Direta e foi aprovado em 2 dias. Este mês já vai começar a receber.

Infelizmente, essa pessoa podia ter tido também a casa paga há 14 anos pelo seguro de vida, mas entretanto, agora que descobriu, já vai tarde porque já a acabou de pagar ao banco. Talvez você ou algum conhecido seu ainda vá a tempo.

Já na segunda edição

O meu editor, Rui Couceiro, da Contraponto acaba de me informar que o livro “Contas-poupança – Vencer a crise com inteligência e aprenda tudo sobre os seus direitos” acaba de imprimir a segunda edição, passado cerca de um mês desde o seu lançamento.

Em alguns locais já está esgotado, mas pode encontrá-lo nas livrarias Bertrand, nas FNAC e sempre nas livrarias online, como na WOOK, Bertrand e na FNAC online.

A prenda mais rentável que pode oferecer este ano

Agora a parte mais extraordinária. Algumas empresas este ano decidiram oferecer como prenda ao seus funcionários e clientes o mais recente livro Contas-poupança, em vez de calendários, porta-chaves, canetas ou pisa-papéis. Uma empresa decidiu encomendar MIL LIVROS de uma vez! E mandaram-me uma foto do momento em que os receberam.

Outra empresa – neste caso a KuantoKusta – decidiu “aumentar” os 60 funcionários oferecendo-lhes um exemplar do livro. É outra forma de aumentar os trabalhadores todos os meses com um investimento bem pequeno. Também me mandaram uma foto. Foi a foto com mais gente a ler o livro ao mesmo tempo que já recebi até hoje. Espero que seja de facto útil a quem o ler.

Várias outras empresas estão a encomendar dezenas de livros para oferecer e aumentar a literacia financeira dos seus funcionários. Isto, como devem imaginar, para mim é um enorme incentivo no sentido de continuar a lutar pelo melhoria da literacia financeira dos portugueses.

Aos poucos, estamos juntos a começar a mudar a forma como lidamos com o dinheiro e com as empresas e o Estado. Estamos mais conscientes dos nossos direitos (e deveres também) e com o conhecimento que vamos adquirindo a cada mês vamos ficando com mais dinheiro na carteira para gerirmos como nós quisermos e não como os outros querem.

Gostava muito de ler os vossos comentários ao livro (e aos outros dois de 2016 e de 2018). Gostava também de receber críticas negativas (construtivas), sobre o que acham que falta ou o que podia estar melhor. É que escrevo estes livros para vocês e não para mim.

É uma empresa e gostava de oferecer este livro aos seus funcionários?

A editora Contraponto, consciente da importância de fazer chegar estes livros ao maior número de pessoas nesta altura de crise e com a minha insistência também,  aceitou fazer preços especiais para empresas que podem chegar aos 50% de desconto. Tem o contacto do editor na foto abaixo se tiver esse interesse. Caso seja trabalhador/particular, pode sempre sugerir à sua empresa uma prenda/investimento no bem-estar financeiro dos seus funcionários diferente este ano :). Envie-lhes este artigo.

Em resumo, fico muito feliz por estarem a gostar do livro “Contas-poupança”. A coleção dos 3 livros é, na minha opinião, a melhor Enciclopédia financeira de poupança para a realidade portuguesa. Quem me dera tê-los lido quando tinha 20 anos…

Basta fazer o que explico nestes 3 livros e a sua vida financeira melhorará de certeza. Como sabe – e prometo isto desde o primeiro livro – se não poupar pelo menos o valor do livro com apenas um capítulo devolvo-lhe o dinheiro.

Quer melhor investimento com capital garantido do que este?



Acompanhe-nos AQUI

NOVO LIVRO “CONTAS-POUPANÇA” – Dezenas de dicas para poupar muito mais e fazer crescer o seu dinheiro em 2020. Estes 3 livros vão ajudá-lo a vencer qualquer crise financeira na sua vida. É só clicar AQUI ou nas fotos dos livros.

MANUAIS ESCOLARES | Já se pode inscrever no portal MEGA para receber os livros grátis

Já se pode inscrever no Portal MEGA

Já se pode inscrever ou verificar se continua inscrito (se já usou o portal nos anos anteriores) mas recordo que ainda não poderá levantar os vouchers para ir buscar os livros dos seus filhos. Ainda é cedo. Só a partir de 3 ou 13 de Agosto, conforme os ciclos de ensino.

Em todo o caso, deve entrar no portal e ver o que já pode fazer. Eu já entrei e está tudo OK. Só falta a escola colocar o meu filho na respectiva turma.

Tem aqui as principais perguntas e dúvidas que poderá ter. Leia para que faça tudo bem à primeira, se possível.

Perguntas frequentes

Não foi possível encontrar alunos associados ao NIF do encarregado de educação

Esta associação é feita na escola onde o(s) seu(s) educando(s) estão inscritos/matriculados.

Porque não consigo ver os meus educandos?

A informação constante do portal dos manuais escolares está diretamente relacionada com a informação registada na inscrição/matricula do(s) seu(s) educando(s). Certifique-se junto da escola do seu educando que:

1) As listas das turmas já se encontram publicadas
2) Está registado na escola como encarregado de educação e o seu NIF está corretamente inserido.

Não consigo visualizar os vouchers para os meus educandos, o que faço?

Irá receber uma notificação por email, assim que os vouchers dos manuais dos seus educandos estiverem disponíveis, para consulta no portal MEGA ou através da APP.

Onde consigo levantar os manuais após já ter vouchers atribuídos?

Os vouchers para manuais novos não podem ser trocados por manuais em 2.ª mão, ou seja, estes só podem ser trocados, exclusivamente, por manuais novos numa das livrarias da rede aderente. Pode consultar a lista atualizada de livrarias aderentes no seguinte link.

Quando poderei ter acesso aos vales relativos aos manuais escolares do meu educando?

A partir do dia 3 de agosto, terá início a emissão de vales para os alunos dos anos de escolaridade de continuidade:
1º Ciclo – 2º, 3º e 4º anos;
2º Ciclo – 6º ano;
3º Ciclo – 8º e 9º anos;
Secundário – 11º e 12º anos.

A partir do dia 13 de agosto, para os alunos dos anos de início de ciclo:
1º Ciclo: 1º ano;
2º Ciclo: 5º ano;
3º Ciclo: 7º ano;
Secundário: 10º ano.

Em qualquer dos casos, deve aceder ao sítio www.manuaisescolares.pt e registar-se. Os vales só ficam disponíveis a partir do momento em que as escolas carreguem todos os dados necessários para a sua emissão.

É obrigatório o número de identificação fiscal (NIF) para aceder aos vales, através da APP Edu ou do sítio do MEGA?

Sim. Só com o preenchimento do NIF, na APP ou em www.manuaisescolares.pt, conseguirá aceder aos vales. No caso do NIF não estar registado na base de dados da escola do seu educando, será necessário dirigir-se à escola para levantar os vales.

Qual o NIF que deve ser considerado?

O NIF do/a encarregado/a de educação. Por questões de segurança, este NIF é validado automaticamente, através do sítio da Autoridade Tributária.

O meu educando ainda não tem vales, como devo proceder?

Nesta situação, deve confirmar junto da escola:

Se a turma do(a) educando(a) está constituída;
Se o seu NIF se encontra corretamente associado ao(a) seu(sua) educando(a).

Já me registei no ano passado, mas esqueci-me da palavra-passe. Como devo proceder?

A partir do dia 3 de agosto, basta clicar no espaço “Recuperação da palavra-passe (password)”. Ser-lhe-á enviada uma nova palavra-passe.

Quem fica responsável por guardar os vales?

A responsabilidade recai sobre o/a encarregado/a de educação.

Os alunos que frequentam as escolas privadas têm direito aos manuais escolares gratuitos?

São abrangidos pela gratuitidade dos manuais escolares os alunos que frequentam a escolaridade obrigatória na rede pública do Ministério da Educação, e nos colégios particulares com contrato de associação.

Posso resgatar o mesmo vale mais do que uma vez?

Não. O vale é apenas resgatado/utilizado uma vez.

Podem os estabelecimentos de ensino cobrar algum valor pecuniário a encarregados/as de educação pela recolha presencial dos vales?

Não. Em momento algum pode haver lugar a cobrança de qualquer valor, pela disponibilização dos vales.

Tenho de devolver à escola os manuais que me foram entregues para poder usufruir dos vales no próximo ano letivo?

Não. Na sequência da aprovação do Orçamento Suplementar para 2020, no Parlamento, no dia 3 de julho, ficou “suspensa a obrigatoriedade de devolução dos manuais escolares gratuitos entregues no ano letivo 2019/2020, a fim de serem garantidas as condições para a recuperação das aprendizagens dos alunos”.

Assim sendo, a reutilização será retomada no ano letivo 2021/2022, nos moldes em que funcionou no ano letivo 2018/2019. Desta forma, no final do ano letivo 2020/2021, os manuais escolares devem ser devolvidos, em data e condições a especificar futuramente. A devolução terá de ser feita à escola onde o(s) aluno(s) estava(m) matriculado(s), no momento do resgate dos vales.

Em caso de transferência do meu educando, no decurso do ano letivo, para outra escola, tenho direito a manuais escolares gratuitos na escola de destino?

Não. Os manuais são garantidos uma única vez. Se na escola de destino os manuais forem os mesmos, o aluno poderá manter os manuais até ao final do ano letivo, devendo posteriormente devolvê-los à escola de origem.

Se for igual ao ano 2018/19 tem aqui o passo-a-passo para fazer o seu registo e associar os seus educandos. Atenção que poderá haver diferenças este ano. Mas não deve fugir muito a isto, digo eu.

Aproveite para ver aqui o Calendário escolar já definido para o próximo ano letivo.

Todos os manuais vão ser gratuitos

Todos os alunos do ensino obrigatório (do 1.º ano ao 12.º ano) de escolas públicas e privadas com contratos de associação (as outras não) vão receber manuais escolares gratuitos.

Quem vai receber manuais escolares gratuitos novos?

Excecionalmente, este ano letivo, os manuais escolares gratuitos novos vão ser distribuídos a todos os alunos, porque o Parlamento decidiu suspender a obrigatoriedade de devolução às escolas dos manuais escolares gratuitos entregues no ano letivo de 2019-2020 para garantir condições para a recuperação das aprendizagens dos alunos no início do ano letivo durante as primeiras 5 semanas.

Os alunos do 1º ciclo do ensino básico já tinham garantida a distribuição gratuita de manuais escolares novos.

O que tem de fazer para receber os manuais gratuitos

A atribuição gratuita de manuais escolares é efetuada pela plataforma MEGA, através de um sistema de vouchers (vales).

Primeiro tem de registar-se na plataforma MEGA e imprimir ou “salvar” em pdf os vales.

Deve clicar em “Escolas com vouchers” e selecionar o agrupamento e a escola do aluno. Se a escola não aparecer, isso quer dizer que os vouchers ainda não forem emitidos.

Com esses vouchers deve dirigir-se às livrarias aderentes (físicas ou online) para fazer o levantamento dos manuais escolares.

Os vouchers incluem os cadernos de atividades e de fichas?

Não. Apenas são emitidos vouchers para os manuais escolares. Os cadernos de atividades e de fichas têm de ser encomendados e comprados por si.

Os manuais escolares gratuitos têm de ser devolvidos no fim do ano?

Sim. Os manuais escolares distribuídos gratuitamente devem ser devolvidos à escola, em bom estado, para voltarem a ser reutilizados no ano letivo seguinte. Aliás era o que estava previsto para este ano que passou, caso não tivesse acontecido a pandemia da Covid-19.

Bom ano letivo!


estudoemcasa-billboard


Acompanhe-nos AQUI

NOVO LIVRO “CONTAS-POUPANÇA” 34 dicas para poupar muito mais e fazer crescer o seu dinheiro em 2019. É um livro que se paga a ele próprio apenas com uma dica. Se quiser conhecer também as dicas que demos nos primeiros 5 anos de programa, pode adquirir o livro “Contas-poupança I”. É só clicar AQUI ou nas fotos dos livros.

  

MANUAIS ESCOLARES | As datas para começar a pedir os vouchers para os livros grátis

Já há datas para começar a pedir os vouchers para os manuais grátis

Acabam de ser publicadas as datas a partir das quais os encarregados de educação podem pedir os vouchers (vales para trocar pelos manuais escolares gratuitos) para os vossos filhos.

As datas estão no Portal Mega, que deverá seguir com atenção nas próximas semanas.

ANO LETIVO 2020/2021

ACESSO AOS VALES RELATIVOS AOS MANUAIS ESCOLARES:

A partir do dia 3 de agosto, para os alunos dos anos de escolaridade de continuidade:

1º Ciclo: 2º, 3º e 4º anos;​
2º Ciclo: 6º ano;
3º Ciclo: 8º e 9º anos;
Secundário: 11º e 12º anos;

A partir do dia 13 de agosto, para os alunos dos anos de escolaridade de inicio de ciclo:

1º Ciclo: 1º ano;
2º Ciclo: 5º ano;
3º Ciclo: 7º ano;
Secundário: 10 ano;

O formulário online para fazer a sua inscrição AINDA NÃO ESTÁ DISPONÍVEL. Apenas as livrarias já se podem registar neste momento. Vai ter de aguardar. Não precisa ir já a correr para o portal no momento em que escrevo este artigo porque não poderá fazer ainda nada, apenas ver as datas que leu acima.

Para se inscrever terá de usar – se for como no ano passado – o NIF do encarregado de educação e password do Portal das Finanças.

Se for igual ao ano 2018/19 tem aqui o passo-a-passo para fazer o seu registo e associar os seus educandos. Atenção que poderá haver diferenças este ano. Mas não deve fugir muito a isto, digo eu.

Aproveite para ver aqui o Calendário escolar já definido para o próximo ano letivo.

Todos os manuais vão ser gratuitos

Todos os alunos do ensino obrigatório (do 1.º ano ao 12.º ano) de escolas públicas e privadas com contratos de associação vão receber manuais escolares gratuitos.

Quem vai receber manuais escolares gratuitos novos?

Excecionalmente, este ano letivo, os manuais escolares gratuitos novos vão ser distribuídos a todos os alunos, porque o Parlamento decidiu suspender a obrigatoriedade de devolução às escolas dos manuais escolares gratuitos entregues no ano letivo de 2019-2020 para garantir condições para a recuperação das aprendizagens dos alunos no início do ano letivo durante as primeiras 5 semanas.

Os alunos do 1º ciclo do ensino básico já tinham garantida a distribuição gratuita de manuais escolares novos.

O que tem de fazer para receber os manuais gratuitos

A atribuição gratuita de manuais escolares é efetuada pela plataforma MEGA, através de um sistema de vouchers (vales).

Primeiro tem de registar-se na plataforma MEGA e imprimir ou “salvar” em pdf os vales.

Deve clicar em “Escolas com vouchers” e selecionar o agrupamento e a escola do aluno. Se a escola não aparecer, isso quer dizer que os vouchers ainda não forem emitidos.

Com esses vouchers deve dirigir-se às livrarias aderentes (físicas ou online) para fazer o levantamento dos manuais escolares.

Os vouchers incluem os cadernos de atividades e de fichas?

Não. Apenas são emitidos vouchers para os manuais escolares. Os cadernos de atividades e de fichas têm de ser encomendados e comprados por si.

Os manuais escolares gratuitos têm de ser devolvidos no fim do ano?

Sim. Os manuais escolares distribuídos gratuitamente devem ser devolvidos à escola, em bom estado, para voltarem a ser reutilizados no ano letivo seguinte. Aliás era o que estava previsto para este ano que passou, caso não tivesse acontecido a pandemia da Covid-19.

Em resumo, esteja atento às datas. Ainda faltam mais de 15 dias para poder fazer os pedidos dos vouchers. Antes disso, deverá fazer a inscrição no Portal Mega que, como já lhe disse, ainda não está disponível. Assim que estiver e eu souber, aviso. O ideal é fazer isso com calma para depois não ter de o fazer no último dia e o sistema “crashar” como por vezes acontece porque deixamos sempre tudo para a última. O ideal é organizar-se e fazer tudo sem stress.

Bom ano letivo. Vai correr tudo bem… Esperamos.


estudoemcasa-billboard


Acompanhe-nos AQUI

NOVO LIVRO “CONTAS-POUPANÇA” 34 dicas para poupar muito mais e fazer crescer o seu dinheiro em 2019. É um livro que se paga a ele próprio apenas com uma dica. Se quiser conhecer também as dicas que demos nos primeiros 5 anos de programa, pode adquirir o livro “Contas-poupança I”. É só clicar AQUI ou nas fotos dos livros.

  

Quer fazer parte do livro Contas-poupança III (e ganhar um livro autografado)?

Preciso da sua ajuda

Milhares de portugueses estão, mais do que nunca, a precisar de ajuda para pôr as contas em ordem de forma a pagar todas as contas ao fim do mês. Outros têm dinheiro mas querem aprender a geri-lo melhor e a multiplicá-lo. Outros precisam conhecer os seus direitos para viverem um pouco melhor.

Por isso, já estou a escrever o terceiro livro “Contas-poupança” que trará dezenas de dicas novas a acrescentar às dos dois livros anteriores (lançados em 2016 e 2018).

Quer participar?

Tal como fiz no livro anterior, peço-vos que me mandem o vosso testemunho para o e-mail info.contaspoupanca@gmail.com. Preciso de um parágrafo (não mais) em que expliquem como uma dica do “Contas-poupança” melhorou a vossa vida financeira.

Sei que várias pessoas ficaram com a casa paga porque acionaram o seguro de vida, que muitos renegociaram o crédito à habitação e o seguro de vida. Que baixaram o IMI ou pagaram menos impostos ou receberam mais de reembolso do IRS. Que renegociaram as telecomunicações, que passaram a receber apoios da Segurança Social que não sabiam que existiam.

Preciso desses testemunhos com valores reais para colocar no livro para que sirvam de exemplo para outros. É a vossa vez de me ajudar, se quiserem.

Podem dar-me o vosso nome real ou – se quiserem manter o anonimato – respeitarei e colocarei apenas as iniciais do vosso nome ou basta que digam que querem ficar anónimos e não colocarei nada.

Caso escolha o vosso testemunho terei todo o gosto em oferecer-vos um exemplar do livro novo, autografado se quiserem (podem não querer) assim que estiver editado.

Fico a aguardar com muita expectativa.

info.contaspoupanca@gmail.com

Caso ainda não tenham os livros já lançados podem adquiri-los aqui neste links:

Contraponto, 2018

Contraponto, 2016

Os dois formam uma verdadeira enciclopédia da poupança para a realidade portuguesa. Não têm dicas repetidas e complementam-se em todos os aspectos. Se não tem dinheiro comece pelo “branco”; se tem algum dinheiro comece pelo “vermelho”. Ainda não sei qual vai ser a cor do terceiro :). Se não poupar com apenas uma dica o dinheiro que o livro lhe custou, devolvo-lhe o dinheiro.

Já pode reclamar do seu banco no livro de reclamações eletrónico

Um dia bom para os clientes bancários

Reclamar é um direito nosso. Mas conheço tanta gente que tem vergonha de pedir o Livro de Reclamações no banco. É que são as pessoas que nos emprestam dinheiro, que conhecem a nossa vida financeira, não queremos conflitos com quem decide se nos faz um crédito ou não e a que preço. Compreendo. Não devia ser assim, mas compreendo.

Sempre que me contactam com queixas graves de um banco que dá informações erradas sobre as Contas de Serviços mínimos bancários, ou que não respondem a um pedido de informação, ou que prometerem trocar um cartão e não o fizeram, ou que pediram para fechar uma conta e continuam a cobrar comissões e não devolvem o dinheiro, sugiro sempre que vão ao balcão e que escrevam no Livro de Reclamações.

É a forma mais eficaz de apresentar uma reclamação porque eles são obrigados a enviar uma cópia para o Banco de Portugal e assim o supervisor fica a saber as “asneiras” (ou não) que andam a fazer.  Mas há a vergonha, a preguiça e a falta de tempo.

Agora já não tem desculpa

A partir de hoje, 1 de julho de 2019, passa a ser possível utilizar o livro de reclamações eletrónico ( pode ver a reportagem em VÍDEO AQUI), disponível em www.livroreclamacoes.pt, para apresentar ao Banco de Portugal reclamações sobre a atuação de instituições financeiras. (O texto seguinte é do próprio Banco de Portugal)

Se entender que uma instituição ou um intermediário de crédito não agiu corretamente na comercialização de produtos e serviços bancários, pode apresentar uma reclamação ao Banco de Portugal.

A reclamação pode ser apresentada no livro de reclamações, seja em formato físico, disponível nos balcões das instituições, seja em formato eletrónico, disponível em www.livroreclamacoes.pt.

Também pode enviar a reclamação diretamente ao Banco de Portugal, através de e-mail, de carta ou do formulário disponível no Portal do Cliente Bancário, em clientebancario.bportugal.pt.

Qualquer que seja o canal que utilize para apresentar a sua reclamação, insira os seus dados, identifique a entidade em causa e descreva, de forma clara e exata, os factos que justificam a reclamação.

A apresentação de reclamações não tem custos para os clientes.

O Banco de Portugal é responsável por analisar as reclamações relativas à comercialização de produtos e serviços bancários de retalho, incluindo depósitos bancários, crédito à habitação e ao consumo, crédito a empresas, cartões de pagamento, cheques e transferências. Cabe ainda ao Banco de Portugal a análise das reclamações relativas à atividade dos intermediários de crédito no processo de concessão de crédito à habitação ou de crédito aos consumidores.

Pode apresentar ao Banco de Portugal reclamações relativas à atuação de:

Instituições de crédito, sociedades financeiras, instituições de pagamento e instituições de moeda eletrónica, no âmbito da comercialização de produtos e serviços bancários de retalho; Intermediários de crédito relativamente à prestação de serviços no âmbito da concessão de crédito à habitação ou de crédito aos consumidores.

O Banco de Portugal analisa todas as reclamações que lhe sejam remetidas, independentemente de as mesmas terem sido apresentadas no livro de reclamações da instituição visada, no livro de reclamações eletrónico, ou enviadas diretamente ao Banco de Portugal através do Portal do Cliente Bancário.

Caso detete irregularidades, o Banco de Portugal exige às entidades visadas que corrijam a situação e aplica sanções se as faltas forem graves.

Na análise das reclamações, o Banco de Portugal verifica se as entidades cumpriram as normas aplicáveis à comercialização de produtos e serviços bancários. Se detetar irregularidades, o Banco de Portugal exige às entidades visadas que as corrijam e aplica-lhes sanções se as faltas forem graves.

Caso o cliente tenha sofrido danos e entender que lhe é devida uma indemnização, terá de recorrer aos tribunais ou a meios de resolução extrajudicial de litígios. O Banco de Portugal não tem poderes para definir eventuais indemnizações.

Pode consultar o estado da sua reclamação.

Se apresentou uma reclamação ao Banco de Portugal, saiba que pode consultar, a qualquer momento, o estado dessa reclamação no Portal do Cliente Bancário. Neste Portal, pode também adicionar informação a uma reclamação já apresentada.

Se submeteu a sua reclamação através do livro de reclamações eletrónico, saiba que também pode consultar o estado dessa reclamação em www.livroreclamacoes.pt.

O Banco de Portugal transmite sempre aos reclamantes o resultado da análise às reclamações relacionadas com a comercialização de produtos e serviços bancários.

Para saber mais sobre o livro de reclamações eletrónico, consulte a informação de apoio disponível em https://www.livroreclamacoes.pt/apoio-utilizador.

(Fim do texto do Banco de Portugal).

Portanto, perca a vergonha. Sempre que achar que não foi bem tratado ou bem informado no seu banco, RECLAME por aqui. É uma nova ferramenta que pode e deve conhecer e USAR. É a forma que temos enquanto consumidores de fazermos valer os nossos direitos. E de saber se temos ou não razão nas nossas queixas. Muitas vezes somos nós que não temos razão, mas mesmo nessas situações é importante termos a certeza disso. Evitamos mal entendidos na próxima vez.

Olhe que esta informação é mesmo muito importante. Pode não lhe dar jeito hoje, mas um dia destes vai ser muito útil.

Acompanhe-nos AQUI

NOVO LIVRO “CONTAS-POUPANÇA” 34 dicas para poupar muito mais e fazer crescer o seu dinheiro em 2019. É um livro que se paga a ele próprio apenas com uma dica. Se quiser conhecer também as dicas que demos nos primeiros 5 anos de programa, pode adquirir o livro “Contas-poupança I”. É só clicar AQUI ou nas fotos dos livros.

Registe-se AQUI para receber a Newsletter do Contas-poupança.

(Todas as dicas da semana num só e-mail).

Vencedores do Passatempo “Livro Contas-poupança” – Semana 4

E os vencedores da quarta semana (e última) são…

Antes de mais quero dizer-vos que fiquei muito sensibilizado com a quantidade de pessoas interessadas nos meus livros. Foram cerca de 6 mil os inscritos no passatempo para sortear 8 livros “Contas-poupança” (2 por semana durante um mês).

O que posso dizer a quem não os conseguiu desta vez? Que quero mesmo muito que leiam estes dois livros. São muito importantes para quem quer pôr em ordem as suas contas e ajudar os pais ou os filhos ou avós. São os livros que gostava de ter lido quando tinha 20 anos. Faria muitas coisas diferentes. Teria hoje muito mais dinheiro.

Digo em primeiro lugar que, se a questão é o dinheiro podem requisitá-los em qualquer biblioteca pública. NÃO PAGAM NADA. Requisitem os livros. Se a vossa biblioteca pública não os tiver, peçam o formulário para encomendar o livro. Podem fazer isso para qualquer livro que queiram ler mesmo que tenha acabado de sair no mercado, de qualquer autor. Mas leiam-nos!

Se acharem que merecem ser comprados, tem os links para os encomendar no fim deste artigo.  E estão à venda nas livrarias e hipermercados. Pergunte por eles aos funcionários.

Os vencedores da quarta semana

  1. Rui Dantas (Livro Contas-poupança – Edição de 2018)
  2. Isidro Figueiredo (Livro Contas-poupança – Edição de 2016)

Os dois vencedores do Passatempo já foram contactados por e-mail. Fico a aguardar os dados para o envio dos dois livros.

E terminou o passatempo. Muito obrigado a todos. E obrigado pelos elogios de quem já os leu. Sabe bem saber que estamos a ser úteis. Muitas felicidades e boas poupanças!
Contas-Poupança (2018). Clique AQUI para conhecer o conteúdo do livro.
Se quiser um resumo claro e prático das dicas que demos nos primeiros 5 anos de programa, pode adquirir o livro “Contas-poupança” (2016). É só clicar AQUI abaixo.