PodTEXT Vamos a Contas | Onde devo investir se já estou perto da reforma?

Escrito por Inês de Almeida Fernandes

22.06.24

}
8 min de leitura

Publicidade

O podcast de sempre, agora mais inclusivo!

Como a literacia financeira é um aspeto fundamental para a boa gestão das finanças pessoais, os podcasts do Contas-poupança tornam-se agora mais inclusivos e passarão a ser publicados também em texto, nomeadamente para incluir a comunidade surda, pessoas que – não sendo surdas – têm dificuldades auditivas e, claro, todos os que ainda não perceberam como funcionam os podcasts ou que simplesmente preferem ler. Estamos também a trabalhar a possibilidade de traduzir o podcast para Língua Gestual Portuguesa, mas essa vai demorar mais tempo.

É o seu podcast de sempre, mas a partir de agora pode escolher lê-lo ou ouvi-lo. Aguardo as vossas criticas e sugestões.

Onde é que o dinheiro rende mais?

[Introdução]

[Pedro Andersson]

Olá! Sou o Pedro Andersson, jornalista especializado em finanças pessoais, e este é o Vamos a Contas, um episódio bónus, especial e semanal do Podcast Contas-poupança. Respondo às vossas perguntas em áudio que enviaram para o número do Whatsapp 92 775 37 37. A sua pergunta é muito importante! Vamos à dúvida desta semana?

[Manuel, ouvinte do podcast]

Bom dia, senhor Pedro Andersson! Daqui fala Manuel Lima e a minha pergunta é a seguinte: tenho algum dinheiro investido em certificados de aforro, classe E, como sabe, é um investimento seguro, mas também sabe aquilo que rende. A minha pergunta é se acha que devo investir em produtos mais arriscados? Por outro lado, tenho um certo receio de perder devido à minha idade, que são 60 anos, e que depois se torne tudo mais difícil para recuperar o dinheiro que até agora consegui amealhar. Gostava de saber a sua opinião sobre isto. Obrigado!

[Pedro Andersson]

Olá Manuel! Muito obrigado pela sua pergunta e achei sobretudo interessante, porque quando disse a sua idade e disse que já estava nos 60 anos, de facto, há uma altura na nossa vida em que temos de ter cuidados adicionais em relação à forma como lidamos com o dinheiro.

Quem segue o Contas-poupança já há muitos anos, sabe que há uma altura da nossa vida em que devemos arriscar bastante ou podemos arriscar bastante. Devemos porque temos muitos anos pela frente, 10, 15, 20, 30 ou 40 anos pela frente para compensar os momentos de queda nesses investimentos mais voláteis, normalmente relacionados com a bolsa ou com o imobiliário. Mas há uma altura em que temos de começar a reduzir esse risco e diria que os 60 anos são uma idade em que já não deve arriscar demasiado.

Ainda pode arriscar alguma coisa, mas que alternativas é que tem aos certificados de aforro da série E, que rendem 3,5% mais os prémios de permanência, portanto, com o passar dos anos, pode chegar aos 4%, portanto, diria que deve manter lá esse seu dinheiro.

Que alternativas é que tem? Tem, por exemplo, um depósito no Bankinter que no primeiro ano rende 5% à ordem, mas tem de transferir 800 euros por mês. Não tem de ser o seu salário, faz uma transferência de no mínimo 800 euros por mês e depois pode voltar a retirar se quiser, mas tem de fazer essa transferência e durante esse primeiro ano não tem comissões de manutenção da conta.

Ou seja, recebe os 5% ao ano, o que é muito bom, e no segundo ano, mantendo essa transferência mensal que fiz de forma automática para não me esquecer, passa para 2% ao ano. Portanto, aí volta a compensar ter os certificados de aforro, mesmo que sejam da série F, que rendem no máximo 2,5%.

Mas aquilo que quero dizer é que se tiver dinheiro novo, dinheiro fresco, para já não mexa nos certificados de aforro. Não sei quais são os valores que lá tem, mas partindo do princípio que são valores razoáveis e que são aqueles com os quais está a contar para a sua reforma, diria para não mexer nesse dinheiro se tiver dinheiro fresco.

Porque para esse dinheiro fresco tem, por exemplo, depósitos ainda a rondar os 4% do Banco BAI Europa, o Banco Atlântico Europa também com 4%, ou perto disso, também tem o Open Bank com depósitos de 3,6%, portanto, um bocadinho melhor do que os certificados de aforro, e depois daí para baixo tem ainda mais alguns depósitos que pode considerar.

Quero referir-lhe também que se tiver literacia digital, souber mexer na Internet, nos telemóveis, em computadores, pode abrir conta, por exemplo, na Trade Republic, que é um banco alemão supervisionado pelo Banco Central alemão, que está a render 3,75% à ordem, portanto, é dinheiro que não fica parado e rende ao dia, mas depois anualizado dá 3,35% até há bem pouco tempo era 4%. O melhor que conseguirá nesta altura é 4% para o seu dinheiro em depósitos a prazo, que dependerão do valor disponível e do tempo que fica parado. Mas mais do que isso, dificilmente conseguirá.

Aquilo que quero dizer é, partindo do princípio que nós, depois da nossa reforma, ainda vamos viver mais 20 anos, diria que se quiser arriscar uma pequena parte do seu património, vamos imaginar 10% ou 20% do dinheiro poupado que tem e quiser arriscar, por exemplo, num ETF SP500, por exemplo, poderá fazê-lo.

Poderá investir num fundo PPR que já não será para a sua reforma, mas que tem um gestor, tem uma entidade que controla, pode olhar para os rendimentos passados e sabendo que nos próximos anos pode haver uma nova crise, uma ameaça de uma terceira guerra mundial, uma hecatombe económica no mundo e que esse dinheiro não lhe fará falta nessa altura, porque se precisar, pode ir buscar aos certificados de aforro, se isso for confortável para si, é uma possibilidade, é sempre possível pôr o nosso dinheiro a render.

Também tem plataformas de crowdfunding que também têm o seu risco, por exemplo, a Raise, a Go Parity, a Bondora, a Housers, pesquise na Internet estes nomes e vai perceber o que é. Também tenho artigos sobre todas elas em contaspoupanca.pt, e rendem 5, 6 ou 7%, em média, por ano. Mas lá está, tem um risco de haver entidades a quem está a emprestar o dinheiro que depois não lhe devolvam a totalidade do dinheiro ou que deixem de pagar aquilo que ficou combinado, mas diria que poderá sempre arriscar alguma coisa, mas uma pequena parte do seu património.

Com 60 anos já não é a idade ideal para correr grandes riscos. É encarar isto como normal, é pensar que tive o meu tempo, não tinha literacia financeira na altura para aproveitar da melhor maneira possível, fiz o meu melhor e este dinheiro que tenho agora vou viver com ele e com a rentabilidade que tiver.

Em resumo, não arrisque mais do que 10%, 15%, 20% do seu património, sabendo que poderá ter sobressaltos nos próximos anos e que poderá não conseguir recuperar a tempo se houver quebras muito grandes nesses investimentos. Se isso for demais para si, então não arrisque nada.

Procure todos os anos os melhores depósitos a prazo, os melhores certificados de aforro ou do Tesouro, conforme a altura em que o seu dinheiro ficar disponível e vá investindo, o pouco que for, em produtos que tenham um risco adequado ao seu perfil, é a resposta que lhe posso dar. Cada caso é um caso, depende dos valores, mas sobretudo fica este alerta: a partir dos 60, não corra riscos desnecessários. Já bem basta o risco que a vida nos traz quando chegamos a essa altura.

Muito obrigado! Não se esqueça de subscrever este podcast, de partilhar com outros, de dar as estrelinhas que entender, de acionar o sininho para ser avisado sempre que existir um episódio novo e de subscrever a Newsletter do Contas-poupança em contaspoupanca.pt, para receber um e-mail semanal às terças-feiras com os artigos todos que foram publicados na semana anterior. Envie as suas perguntas em áudio, não há perguntas demasiado simples, todas são importantes, para o número do Whatsapp do Contas-poupança, que é o 92 775 37 37.

Boas poupanças!


Subscreva a Newsletter “Contas-poupança”, para não perder nenhuma dica

Subscrever

*Ao subscrever, a informação partilhada será usada de acordo com os nossos Termos e Condições e a nossa Política de Privacidade e Política de Cookies


Ao deixar a sua pergunta está a autorizar que ela seja utilizada publicamente. O objetivo é que a resposta seja útil não apenas para si, mas para todos os outros que nos escutam.

Partilhe este podcast com os seus amigos. Juntos, vamos conseguir vencer mais esta crise.

O que é um podcast?

Aproveite a minha boleia financeira (gravo em áudio uma “conversa” no carro enquanto faço as minhas viagens e faço de conta que você vai ali ao meu lado) e veja como pode aumentar-se a si próprio. São uma espécie de programas de rádio para escutar enquanto faz outras coisas. Subscreva o podcast na plataforma em que estiver a ouvir para ser avisado sempre que houver um episódio novo. Não estranhe ouvir o motor do carro, buzinadelas e o pisca-pisca. Faz parte da viagem.

Aprenda a gerir melhor o seu dinheiro

Boa viagem e boas poupanças!


Um livro com 5 passos simples que vão mudar a sua vida

Finalmente, um livro que ensina tudo o que a Escola, o Estado e as famílias não ensinam sobre Dinheiro. Em apenas 5 passos, tem o caminho com a estratégia mais eficaz para criar riqueza com o seu salário.

   

Publicidade

Sobre mim: Pedro Andersson

Ir para a página "Sobre Mim"

Siga-nos nas Redes Sociais

Para si | Artigos Recentes 

EURIBOR HOJE | Taxas descem em todos os prazos

Euribor Diariamente, divulgamos aqui na página "Contas-poupança", o valor das taxas Euribor a três, seis e 12 meses. Embora as alterações diárias não tenham um impacto direto na sua prestação do crédito à habitação, são um indicador precioso para perceber a tendência...

PODCAST | #257 – Você tem medo de ganhar dinheiro?

Tem medo de ganhar dinheiro (e não sabe)? Por muito estranho que lhe possa parecer, há pessoas que têm medo de ganhar dinheiro. Talvez faça parte deste grupo, mas nunca se apercebeu disso. Trata-se de um receio muito comum que várias pessoas têm que é: "Não vale a...

PPR | Quanto estou a ganhar (ou a perder) com os meus PPR (Junho de 2024)

Vale a pena fazer um PPR como investimento? (Mês #44) Junho voltou a bater o recorde de mais-valias na soma dos meus 10 PPR. Até ao momento tenho uma valorização média de 12%. Naturalmente, cada um dos PPR tem um desemprenho diferente. Tenho dois que ainda estão...

Famílias carenciadas vão receber um cartão com dinheiro em vez de cabaz alimentar

Cabaz Alimentar passa a cartão com dinheiro É uma questão de dignidade, diz o Governo. Até agora, as famílias identificadas pela Segurança Social como carenciadas recebiam um cabaz alimentar físico (com mantimentos para um mês) mas nem sempre esses bens eram o que a...

PodTEXT | Vou ter de pagar 20 mil€ de IRS e não estava à espera. O que faço?

O podcast de sempre, agora mais inclusivo! Como a literacia financeira é um aspeto fundamental para a boa gestão das finanças pessoais, os podcasts do Contas-poupança tornam-se agora mais inclusivos e passarão a ser publicados também em texto, nomeadamente para...

EURIBOR HOJE | Taxas descem em todos os prazos

Euribor Diariamente, divulgamos aqui na página "Contas-poupança", o valor das taxas Euribor a três, seis e 12 meses. Embora as alterações diárias não tenham um impacto direto na sua prestação do crédito à habitação, são um indicador precioso para perceber a tendência...

COMBUSTÍVEIS | Preços na próxima semana (15 a 21 de julho)

Preços dos combustíveis na semana que vem A informação dos preços dos combustíveis é baseada nos cálculos que têm em conta a cotação nos mercados internacionais e outros fatores considerados na formação do preço dos combustíveis em Portugal. São dados que recolho...

TOP 10 | Qual a marca de COMBUSTÍVEIS mais barata esta semana? (8 a 14 de julho)

Quem subiu e quem desceu os preços esta semana A ERSE definiu para esta semana como preço eficiente (que traduzo livremente por preço "justo") uma subida de 1 cêntimo/l no gasóleo simples e de 1,3 cêntimos na gasolina simples. Abaixo tem os preços que as várias marcas...

160 mil idosos podem receber pelo menos 600 € de reforma – Tem direito? (Vídeo)

Reforma mínima de 600 € e medicamentos grátis Mais de 160 mil idosos com reformas baixas podem passar a receber pelo menos 600 euros por mês e a ter medicamentos grátis na farmácia. Na reportagem desta semana do Contas-poupança, explicamos-lhe como funciona o...

PodTEXT | Uma dica para descobrir onde anda a desperdiçar dinheiro

O podcast de sempre, agora mais inclusivo! Como a literacia financeira é um aspeto fundamental para a boa gestão das finanças pessoais, os podcasts do Contas-poupança tornam-se agora mais inclusivos e passarão a ser publicados também em texto, nomeadamente para...

Publicidade

Comentar

Siga-nos nas redes sociais

Artigos relacionados

1 Comentário

  1. Carlos

    Cuidado ao falar na Housers. Eu descartava qualquer investimento la.
    Ultimamente o portal da queixar esta cheio de reclamacoes deles.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Partilhe o Artigo!

Partilhe este artigo com os seus amigos.