ELETRICIDADE | Qual é o preço médio do mercado indexado este mês? (Abril)

Escrito por Pedro Andersson

09.04.23

}
5 min de leitura

Publicidade

A forma mais simples de baixar a fatura de eletricidade

Sei que isto lhe pode fazer muita confusão, mas neste momento (nos primeiros meses de 2023) a maior poupança está nas empresas mais baratas do mercado que têm tarifários indexados.  As poupanças podem chegar aos 70 ou 80%. Pergunte a quem segue esta página e as redes sociais quando estão a pagar depois de terem mudado e se estão arrependidos. Mas atenção, esta poupança é só para quem está atento ao preço da eletricidade no mercado OMIE (no mercado grossista) para sair quando já não compensar. Neste momento, compensa e não é pouco.

Para quem não sabe, os tarifários de eletricidade indexados são aqueles em que você paga a eletricidade a “preço de fábrica” (na origem – chama-se OMIE – onde todos os fornecedores a compram para a vender a si) e paga uma pequena margem de lucro fixa a esse fornecedor.

Qual é o risco que corre? É que se a eletricidade subir repentinamente de preço na origem, nesse mês você vai pagar muito; mas se a eletricidade baixar muito você vai também poupar muito. É o que está a acontecer neste momento em que escrevo este artigo. A eletricidade está quase de graça. Em Março, o preço do kWh foi de 2 cêntimos. No mercado regulado está a cerca de 16 cêntimos. Vê a diferença?

Como sei que isto é um bicho de 7 cabeças para muitos de vocês vou dar uma ajuda. Todas as semanas vou fazer as minhas contas e vou publicar aqui (idealmente todos os domingos) o preço médio do kWh que pagariam se estivessem no mercado indexado. Assim, neste primeiro artigo vou dizer-vos qual é a média do preço que vão pagar relativamente aos primeiros 7 dias de abril. Daqui a uma semana dir-vos-ei qual a média que vão pagar com base nos primeiros 14 dias de abril, depois a média das primeiras 3 semanas e depois, na última semana, já terei o valor mais exato que conseguir do valor que pagarão no mês seguinte.

Este acompanhamento semanal vai permitir-vos avaliar quando estará na altura de começarem a ponderar sair do tarifário indexado para um tarifário fixo que seja melhor do que o indexado nessa altura. O limite que traçarei é a média de 200 euros por MegaWatt/hora (o equivalente a 15 cêntimos por kWh, que é o valor do mercado regulado). Só para terem uma ideia, a média no indexado nestes primeiros 7 dias é negativa. Ou seja, correm o risco de não pagarem quase nada, como em Janeiro. Houve pessoas a pagarem faturas de 8, 10 ou 15 euros com consumos muito elevados de centenas de kWh (só pagaram a potência contratada, impostos e a Taxa Audiovisual).

Pode ver ou rever essa reportagem neste link, para perceber que isto não é “banha da cobra”:

VÍDEO | Poupança de 50% na eletricidade com os tarifários indexados

Média do mercado indexado de eletricidade – 1 a 7 de abril

Como é que pode ir acompanhando o preço da eletricidade? Basta ir www.omie.es e ir vendo de vez em quando se o preço da eletricidade no tal OMIE começa a superar os 200 €/MWh. Se a média mensal chegar a esse valor é só voltar para a sua empresa antiga. Até que isso aconteça estará a poupar dezenas e dezenas de euros por mês. Como pode ver abaixo, na primeira semana de abril a média é de 68,09 MWh.

Assim, pelos meus cálculos, este valor – aplicando um cálculo APROXIMADO – se o mês completo fosse apenas esta média até ao momento, faria com que o valor a pagar no próximo mês relativamente aos seus consumos fosse negativo. Sei que é estranho e surpreendente, mas é mesmo assim. Ninguém está a tentar enganar ninguém.

O mecanismo de ajuste MIBEL (que soma a este preço) também está a zero há vários meses. Portanto, o risco dessas subidas neste momento é reduzido.

O kilowatt/hora, para quem não sabe, é cada conjunto de 1.000 watts que você consome. Por exemplo, se usar um aspirador que tem uma potência de 1.000 W, se aspirar durante uma hora, vai gastar 1 kWh. Aspira na mesma, mas se for cliente de uma empresa vai pagar 4 ou 5 cêntimos, se for cliente de outra vai pagar – pelo mesmo consumo – mais do dobro ou o triplo. É por isto que é tão importante mexer-se e estar atento aos preços da eletricidade no mercado e mudar sempre que encontrar mais barato. 

A maioria dos portugueses gosta de saber com o que conta e detesta surpresas, por isso normalmente prefere pagar mais mas ter a garantia de saber o que vai acontecer. O importante, nesta fase de inflação altíssima, é não desperdiçar 1 euro que seja. Se pode pagar 30, porque é que prefere pagar 80? Não fica fidelizado. Assim que o preço subir, sai e regressa aos que forem melhores nessa altura.

Se poupar 60 euros por mês durante 10 meses são 600 euros que ficam no seu bolso que o podem ajudar a suportar, por exemplo, o aumento de 100 euros na sua prestação da casa durante meio ano.  

Para encontrar as empresas que têm tarifários indexados use o simulador da ERSE ou pesquise no google “tarifários eletricidade indexado”, contacte as empresas e compare o preço do kWh que está a pagar com os preços que lhe oferecerem. 

O ponto a fixar é que se quiser poupar, tem de estar atento e ser uma pessoa informada. Como as pessoas que estão atentas ao boletim meteorológico. Para o ajudar, se quiser, vou fazer de “homem do tempo” :). Por enquanto, o tempo está muito bom para o mercado indexado de eletricidade!


 

Publicidade

Sobre mim: Pedro Andersson

Ir para a página "Sobre Mim"

Siga-nos nas Redes Sociais

Para si | Artigos Recentes 

PodTEXT Vamos a Contas | Onde invisto 100€ todos os meses para os meus filhos?

O podcast de sempre, agora mais inclusivo! Como a literacia financeira é um aspeto fundamental para a boa gestão das finanças pessoais, os podcasts do Contas-poupança tornam-se agora mais inclusivos e passarão a ser publicados também em texto, nomeadamente para...

EURIBOR HOJE | Taxas sobem em todos os prazos

Euribor Diariamente, divulgamos aqui na página "Contas-poupança", o valor das taxas Euribor a três, seis e 12 meses. Embora as alterações diárias não tenham um impacto direto na sua prestação do crédito à habitação, são um indicador precioso para perceber a tendência...

COMBUSTÍVEIS | Preços na próxima semana (15 a 21 de abril)

Preços dos combustíveis na semana que vem A informação dos preços dos combustíveis é baseada nos cálculos que têm em conta a cotação nos mercados internacionais e outros fatores considerados na formação do preço dos combustíveis em Portugal. São dados que recolho...

PodTEXT | 5 sinais de alerta de que as suas finanças não estão bem

O podcast de sempre, agora mais inclusivo! Como a literacia financeira é um aspeto fundamental para a boa gestão das finanças pessoais, os podcasts do Contas-poupança tornam-se agora mais inclusivos e passarão a ser publicados também em texto, nomeadamente para...

Quer fazer um Workshop gratuito de finanças pessoais? (Inscrições abertas)

Aprenda finanças pessoais gratuitamente Estão abertas as inscrições para a próxima edição do Finanças para Todos, da universidade NOVA SBE. O curso tanto pode online, como presencial (em Carcavelos) ou na área metropolitana do Porto. O curso terá lugar entre Outubro...

EURIBOR HOJE | Taxas descem a três meses, mas sobem a seis e 12

Euribor Diariamente, divulgamos aqui na página "Contas-poupança", o valor das taxas Euribor a três, seis e 12 meses. Embora as alterações diárias não tenham um impacto direto na sua prestação do crédito à habitação, são um indicador precioso para perceber a tendência...

VÍDEO | Como está a educação financeira nas escolas em Portugal? (Um bom exemplo)

Um bom exemplo de educação financeira nas escolas em Portugal Portugal está nos últimos lugares da Europa em literacia financeira. Isso quer dizer que, para além de ganharmos pouco, ainda por cima temos muita dificuldade em gerir bem o pouco dinheiro que temos. A...

Inflação voltou a aumentar em março para 2,3%

Inflação em Portugal volta a subir pela segunda vez em 2024 A taxa de inflação homóloga em Portugal passou de 2,1% em fevereiro para 2,3% em março, confirmou esta quarta-feira o Instituto Nacional de Estatística (INE), depois de ter lançado os valores provisórios a 28...

EURIBOR HOJE | Taxas descem em todos os prazos

Euribor Diariamente, divulgamos aqui na página "Contas-poupança", o valor das taxas Euribor a três, seis e 12 meses. Embora as alterações diárias não tenham um impacto direto na sua prestação do crédito à habitação, são um indicador precioso para perceber a tendência...

PODCAST | #230 – Vamos a contas | Onde invisto 100 € todos os meses para os meus filhos?

Onde ponho a render o dinheiro dos meus filhos? Uma ouvinte tem a disponibilidade de colocar 100 euros por mês de lado para o futuro dos seus dois filhos pequenos. Ela pergunta qual é a melhor maneira de pôr esse dinheiro a render. Esta é uma dúvida comum e que pode...

Publicidade

Artigos relacionados

94 Comentários

  1. Filipe Correia

    Mudei para o indexado, após ver a vossa reportagem. Obrigado pelo vosso trabalho.
    No texto,
    “O kilowatt/hora, para quem não sabe, é cada conjunto de 1.000 watts que você consome.”
    Se me permite a sugestão de correcção:
    O kilowatt-hora, para quem não sabe, é cada conjunto de 1.000 watts-hora que você consome.

    Cumprimentos

    Responder
      • Marta Costa

        Gostaria de saber como mudar para o mercado indexado de energia, dado que não encontro informação sobre como o fazer. Pode disponibilizar o link, por favor?

        Responder
  2. António Luís Dias Saraiva

    Meu caro Pedro. Eu mudei para o mercado regulado em 23.12.2022. Tenho que ficar fidelizado ou posso mudar a qualquer momento?. Obrigado.

    Responder
  3. Vítor Barbosa

    Boa noite.
    No caso em que o kWh dá um valor negativo, há lugar ao pagamento de impostos (IVA)?
    Obrigado

    Responder
    • Jorge Assunção

      O problema é que ainda não encontrei nenhuma empresa que comercialize tarifas indexadas que nao imponha fidelização de 12 meses! Existe alguma? Pois em caso das tarifas subirem muito a opção é sair para tarifa fixa mas ao preço pré-estabelecido nesse mesmo comercializador(16 a 19 cêntimos por kwh), o que poderia ser muito superior ao que actualmente estou a pagar no meu tarifario fixo(0,103€/kwh). Em suma, o que recomenda? Existe algum comercializador com tarifa indexada sem fidelização?

      Responder
      • Pedro Andersson

        Ola. Nenhuma tem fidelização. Onde foi buscar essa ideia? 🙂

        Responder
        • Rui P.

          Há pelo menos uma que tem fidelização de 12 meses, mas a fee (penalização) é muito baixa: ~5 euros/Mhw da diferença entre a energia consumida e a prevista de fornecer. Se algum dia for necessário rescindir antecipadamente, o que se compensou antes é mais que muito.

          Responder
      • JRJordao

        Deve estar confundir contrato renovável de 12 meses, comum em todas as empresas e que pode ser rescindido antecipadamente sem custos, com fidelização de 12 meses.

        Responder
      • Ivo Tomé

        A Repsol não obriga a fidelização

        Responder
    • Nuno caetano

      Boa noite

      Como transformo o custo indexado, que seja um valor médio mensal, no custo kwh de uma tarifa bi horária?

      Responder
      • Sofia Santos

        Boa tarde
        Pelo que percebi não é aconselhável fazer bi-horário com taxa indexada devido ao preço/hora.

        Responder
  4. Wesley Rosa

    Como mudar para este mercado? Qual as empresas que fazem este serviço?

    Responder
    • JRJordao

      A resposta está no artigo
      “Para encontrar as empresas que têm tarifários indexados use o simulador da ERSE ou pesquise no google “tarifários eletricidade indexado””

      Responder
  5. Helder

    Boa noite Sr. Pedro Andersson,

    Uma dúvida onde escreve quando a media mensal superar 200 euros / Megawatt basta voltar para empresa antiga, mas corremos o risco da última fatura da empresa com tarifa indexada apresentar valores altíssimos ou não?

    Obrigado.

    Helder.

    Responder
    • Pedro Andersson

      Ola, se estiver atento, não… Basta que se aproxime da linha vermelha e sai. Se deixar passar 15 dias ou um mês a preços altíssimos é que fará diferença, sim.

      Responder
      • Marta Ferreira

        E qual será a melhor empresa para ter o tarifário indexado em termos de credibilidade e menor número de reclamações .

        Responder
  6. Francisco Cardona

    Boa noite Sr. Pedro Andersson

    Desde já lhe agradeço pelas dicas de poupança que tem partilhado. Desde Janeiro de 2023 que estou no mercado indexado e a poupança tem sido elevada, bem superior ao iva 0% para o cabaz dos alimentos essenciais. A minha dúvida está relacionada com o cálculo que fez. A base de cálculo é o MW/h ou o KW/h? Por exemplo o acesso ás redes é – 95.8 €/MWh e não 0.0958. O mesmo se aplica à comissão de gestão e aos restantes custos. Poderia explicar como fez o cálculo? Obrigado, Francisco Cardona

    Responder
      • Francisco Cardona

        Boa noite, desde já lhe agradeço pela resposta. Mas ainda continuo com a dúvida em relação ao cálculo. O mesmo é aplicado ás restantes rubricas? Perdas e factores de adequação? Assim a soma para tendo em conta o cálculo €/ MWh: 4 € ( desvios)+1.1581 (perdas)+ 1.02€ (factor adequação)+ 5€(margem)- 95.8€(acesso ás redes). O total seria -84.62 €. Considerando a média de 68,09€ para a electricidade Omie. O resultado final seria -16.53 €/ MWh. Em KWh seria -0.01653 €/KWh correcto? Obrigado, Francisco Cardona

        Responder
        • Nuno

          Sou bastante novato e a minha conta dá exactamente o mesmo valor…

          68.09 + 1.1581 + 1.02 = 70.2681
          Passo para Kw e dá 0.0702681
          Acrescento os 0.004 + 0.005 e tenho 0,0792681
          Tiro os -0.0958 e fica -0,0165319€/KWh

          Será isto?

          Responder
          • Pedro Sousa

            Aplicando a formula da luzboa o calculo é feito da seguinte maneira para um KWh:
            (68,09/1000+0,004)*1,1581*1,02+0,005-0,0958=-0,005643 portanto só o valor spot é que é dividido por 1000, os cálculos que o Pedro faz ele soma tudo e divide tudo por 1000 o que dá os 0,07€ mas está errado o calculo, os -0,06 cêntimos no indexado está correto.

          • Francisco Cardona

            Obrigado Nuno e Pedro Sousa pelos esclarecimentos.
            Assim já sei como fazer o cálculos.

            Francisco

        • Armando

          Ainda bem que o Francisco Cardona percebeu as contas do Nuno, mas as mesmas estão erradas. As do Pedro Sousa fazem-me desconfiar que provavelmente depois de velho, preciso de regressar à escola, porque as minhas contas (arredondadas) batem com as do Pedro Andersson. Será que 0,6 cêntimos é igual a 0,06 cêntimos?
          Acho que não, mas podemos dizer que 0,6 cêntimos é igual a 0,006 euros certo? Eu acho que sim e desta forma a conta do Pedro Andersson parecem-me certas e as do Pedro Sousa, salvo melhor interpretação não estão corretas pois o resultado é 0,06 cêntimos.

          Responder
          • Nuno

            Do que percebi (agora depois de todos os comentários e mais algumas leituras) é que as contas certas serão:
            ( 68.09 * 1.1581 * 1.02 ) / 1000 + 0.004 + 0.005 – 0.0958 = -0,006 €/KWh ou seja os tais 0,6 cêntimos negativos.

            A minha dúvida é de onde vêm os 15.81% ? Onde posso obter estes valores? São mensais, diários?

            Outra questão. Se gastar mais luz quando está mais cara há diferenças ou pago os KWh do meu mês de faturação ao valor médio desse mês?

  7. Rui P.

    Nem de propósito, estive ontem a fazer simulações no simulador da ERSE.
    Há duas empresas de tarifário indexado que no meu caso compensam imenso. A melhor (portuguesa) está condicionada a um investimento em títulos de participação no total de 60 euros. Mesmo a segunda (italiana) permite-me poupanças (aos preços de indexados de Março) superiores a 50% da factura final que tenho no regulado. Contratação só deixando o nosso contacto, assim fiz.
    Tinha ido ver esse site da OMIE e também fiquei com a noção que um preço do Mwh abaixo dos 200 euros compensa sempre para o consumidor final. Tem lá os gráficos com o histórico à escolha.
    A sua ideia de publicar regularmente o preço, irá certamente ajudar muitos leitores.
    Thanks!

    Responder
    • André Rodrigues

      “condicionada a um investimento em títulos de participação no total de 60 euros.”

      Onde viu isto?

      Responder
      • Carlos Pereira

        Uma das opções (a https://www.coopernico.org/ ) é uma cooperativa, para fazer contrato é necessário ser cooperante (membro).

        Responder
      • Rui P.

        @André Rodrigues
        Está no site da Coopérnico em https://www.coopernico.org/contratar#aderir .
        Nessa página, em baixo, 1º Passo: Escolha o seu tarifário; 2º Passo: Torne-se membro (“Para se tornar membro registe-se, complete os seus dados e compre pelo menos 3 títulos em Participar -> Os meus Títulos”).
        Depois na página das FAQ´s em https://www.coopernico.org/faq , clicando no separador horizontal “Como me posso tornar membro da Coopérnico?” está escrito: “Para se tornar membro efetivo da Coopérnico terá que adquirir pelo menos três títulos de capital social da Coopérnico (60€). Pode efetuar a aquisição a partir do menu Participar deste site.”

        Responder
        • Nuno

          Qual a vantagem desta Coopérnico em relação, por exemplo, a uma Luzboa onde o lucro cobrado é metade da Coopérnico e tem os mesmos custos de gestão?

          Responder
      • Miguel

        O leitor refere-se ao operador Coopernico, que tem por base uma cooperativa. Em alternativa para não pagar os 60 euros de taxa de adesão á cooperativa tem a ENI (Italiana) e a LuzBoa (portuguesa). Tenho desde 16 de Janeiro na LuzBoa e até agora só poupança.

        Responder
  8. Vasco Pereira

    Excelente informação. Artigo e articulista sérios

    Responder
  9. João Filipe

    Bom dia,

    Ando há monitorizar a evolução deste tema nas ultimas semanas e ainda não avancei para adesão porque nos simuladores da ERSE junto ao comercializador PLENITUDE aparece claramente escrito “Fidelização”.

    Já vi outro comentário aqui a questionar o mesmo, até agora fico sem perceber se temos de ficar fidelizados ou não, tal como acontece nos contratos de Televisão, Telefone e Internet.

    Obrigado!

    Responder
    • Nuno

      Se escolher esse com fidelização tem fidelização… Eu aderi ao Luzboa Spot (sem fidelização) e em 2 meses gastei menos de metade de 1 mês normal… Ou seja, estou a gastar aproximadamente 22% do que gastava antes.

      Responder
  10. João Filipe

    Bom dia,

    Ando a monitorizar a evolução deste tema nas ultimas semanas e ainda não avancei para adesão porque nos simuladores da ERSE junto ao comercializador PLENITUDE aparece claramente escrito “Fidelização”.

    Já vi outro comentário aqui a questionar o mesmo, até agora fico sem perceber se temos de ficar fidelizados ou não, tal como acontece nos contratos de Televisão, Telefone e Internet.

    Obrigado!

    Responder
    • JRJordao

      Nos resultados da simulação ERSE, desligar do lado esquerdo as opções “Ofertas condicionadas” e “Ofertas com fidelização”.

      Responder
  11. João Cunha

    Gostaria de assinalar que os 200 €/MWh não são o único factor a acompanhar, já que se o “Ajuste MIBEL” deixar de ser tendencialmente zero, como já aconteceu num passado recente, poderá fazer com que mesmo para valores francamente abaixo dos 200 €/MWh o tarifário indexado não seja o mais económico.

    Responder
    • Armando

      João Cunha, em época de Páscoa eu diria que, o verdadeiro cego é aquele que não quer ver.

      Responder
      • João Cunha

        Armando, pode ser dos doces da Páscoa, mas confesso que não percebi…

        Responder
        • Armando

          É fácil, hoje estamos vivos mas sabemos que um dia vamos morrer, mas na sua ótica, mais vale morrer hoje (já que é para morrer e é), do que aproveitar os muitos possíveis anos que teremos pela frente. Ou seja, devemos aproveitar o indexado, porque é a melhor opção no presente, o futuro não é hoje é amanhã. Espero que entenda a minha missiva, ou melhor que ela seja explícita, porque também comi doces na Páscoa. :).

          Responder
          • João Cunha

            Olá Armando, percebi, agora, o que queria dizer, mas talvez o Armando não tenha percebido o que eu tentei dizer. Eu estou no indexado e enquanto for vantajoso vou lá permanecer. O que eu tentei alertar, principalmente para aqueles que não aprofundem tanto o funcionamento do indexado, é que ficar apenas alerta para o valor da energia no mercado Ibérico, pode ser curto. Antes do meu comentário, e depois também, o foco era o preço da energia no mercado Ibérico, e apesar do “Ajuste MIBEL” este ano ter sido sempre zero, ou de valor desprezável, não significa que não deixe de ser assim.
            Como disse estou no indexado (Luzboa) e quase que sou um embaixador deste sistema junto de familiares e amigos.

            Nota: Também sei que uma boa parte das Comercializadoras refere que adiciona o “Ajuste MIBEL” ao valor do kWh, embora não saiba se realmente o fazem/farão (a Goldenergy diz que este ano não aplica o Mibel, mas está cara quando comparada com a concorrência). Se o fizerem, então poderá não ser necessário estar preocupado com o Mibel já que subiria em qualquer um dos sistemas.

    • Nuno

      O preço para hoje anda abaixo de 1 cêntimo por KWh… O resto do mês teve média negativa…
      O MIBEL anda a zero ou negativo desde início de Fevereiro…

      Responder
  12. Sónia Reis

    Boa tarde, mudei para o mercado regulado em dezembro, vi na aplicação da Omie que o preço por MW está a subir em relação a meses anteriores, a minha pergunta é: será que ainda vale a pena mudar e poupar? Qual a tendência nos próximos meses? Obrigada

    Responder
    • JRJordao

      A tendência é para o regulado continuar como um dos tarifários mais caros. 🙂
      Mude “ontem” para o indexado. Como pode ver, não haverá falta de acompanhamento para percebermos quando estiver para ficar caro.

      Responder
    • Rui P.

      Os mercados de futuros são um indicador de “tendência”.
      Na app Grupo OMI (logo no ecrã inicial, puxando um pouco para baixo) verifica-se que a 6 de Abril era transacionado:
      102,00€/MWh para Maio-2023
      120,00€/MWh para o 3º trimestre 2023
      128,50€/MWh para o 4º trimestre 2023
      105,44€/MWh para o ano 2024
      Mas vale o que vale; por exemplo em Fevereiro 2023 contratava-se para Março ao preço de 105€/MWh e depois o preço médio de Spot (à vista) de Março ficou-se pelos 89,96€/MWh

      Responder
      • PChaves

        Excelente Dica! A App é de optima leitura!

        Responder
    • Nuno

      Recebi a nova fatura ontem com o preço médio final de 0,0010€/KWh…
      Ou seja, paguei 0,34€ de eletricidade mais o acesso à rede e a potência contratada…
      Na EDP teria pago uns 60€ a mais pelo mesmo consumo…

      Responder
  13. Mariana

    Bom dia

    Uma questão… o acesso às redes vai mudar em breve? Deixar de ser negativo?

    Tenho essa ideia mas posso estar a confundir.

    Obrigada

    Responder
    • João Cunha

      Penso que o governo já comunicou que esse valor se mantém até ao final de 2023.

      Responder
    • Tiago

      @Mariana, a TAR foi definida pela ERSE para o ano 2023, no entanto pode haver alguma atualização trimestral e que a haver será anunciada pela ERSE a 15 de junho.

      Responder
  14. VITOR BARBOSA

    Recebi hoje a primeira factura da LUZBOA, referente a um mês de consumo…
    São 9,77€ por 142Kwh.

    Responder
    • Carla Macedo

      Li algures que na APP omi, poderíamos colocar um alerta para quando chegasse a valor mais preocupante por exemplo os tais 200kwh.
      Alguém sabe onde se coloca esse alerta, lua ela, como se coloca.

      Obrigado.

      Responder
      • Rui P.

        Ecrã inicial —> clicar no sininho —> clicar nas três linhas dentadas —> clicar em “+” dos Meus alertas —> seleccionar a primeira linha “Preço horário do mercado diário” —> seleccionar a variável Preço diário marginal —> seleccionar Portugal —> deixar seleccionado o valor absoluto “>” —> escrever “200” (sem as aspas) —> clicar Criar alerta.

        Responder
  15. Marco

    Excelente artigo. Será que é possível partilhar o seu excel com a fórmula que utiliza? Sei que é só um valor aproximado mas já me ajudaria bastante a prever os meus custos.

    Responder
  16. Joao Ascençao

    Boa tarde caro Pedro Andersson,

    obrigado antes de mais por esta excelente iniciativa.
    Eu também mudei para a tarifa indexada, contudo apenas consigo ter acesso aos preços praticados em acumulado mês.
    Pode pf indicar-me o caminho a seguir dentro do site omie para obter o “print sceen” que utilizou neste post?

    Muito obrigado desde já,

    João Ascenção

    Responder
  17. Pedro Chaves

    Para quem quiser ver o mesmo “Quadro” que o PA mostra, tem de escolher o separador SPOT HOJE e alterar o intervalo de datas para 1 de Abril a 7 de Abril. Ou para outro intervalo. https://www.omie.es/pt/spot-hoy

    Responder
  18. Alexandra ‘Monteiro

    Muito obrigada pela partilha de informação. Nunca comento este tipo de coisas, mas de facto, q poupança foi enorme. Em 37 dias faturados, paguei 15€. Mudei no início de março, quem me dera ter sabido mais cedo!

    Mais uma vez, obrigada pelo trabalho e divulgação.

    Cumprimentos.

    Responder
  19. Filipe Almeida

    Das empresas a operar no mercado indexado, qual a mais fiável em termos de preço, serviço, atendimento, etc? A luzboa?

    Responder
  20. Nuno Melo Rosa

    Bom dia
    Obrigado pelas dicas Pedro Andersson, e restantes participantes neste forum.
    Já mudei para o indexado, no meu caso a Luzboa desde 23 de fevereiro deste ano, mas até hoje ainda não recebi nenhuma fatura, já questionei por mensagem e por telefone não atendem. Alguém também já teve este problema?
    Obrigado

    Responder
    • João Cunha

      Aderi dia 11/03 e tb não recebi qualquer factura, apesar de me terem dito que o meu ciclo de facturação se (re)inicia no dia 26 de cada mês…

      Responder
      • Carlos Santos

        Pronto….acabei de mudar também da SU- Eletricidade para a Luzboa.
        Ontem, domingo preenchi os dados online e enviei o comprovativo de nib, a última fatura da SU e CC digital.
        Hoje logo ás 08:00 da manhã já tinha um email Luzboa e um link para ativar o contrato subscrito e solicitado por mim.
        Tudo muito simples, rápido e facil.
        É daquelas coisas que nós portugueses não estamos habituados.Ou seja desbocraticamente falando.
        Agora é ver o que isto cais dar.
        O único fantasma que me assusta é apenas a taxa Mibel que criaram, e que anda a zeros, e que ia acabar no final deste mês de Maio, mas afinal alguém se lembrou de a prolongar, acho que atè ao dia 31 de Dezembro.

        Tenho uma dúvida.
        A taxa MIBEL foi criada a título de compensação aos produtores de energia elètrica, pelo uso do gás.Certo?

        Porque é aplicada tambèm aos fornecedores de energia elètrica, cujo perfil de venda institucional, é 100% proveniente de energias renováveis?

        Tal como custa menos a admirar-me, hoje em dia, com esta taxa a zeros, faz meses, a Goldenenergy ser a única a não aplicar esta taxa, no mercado liberalizado.

        Acho eu, que se uma empresa, diz não ir aplicar a mesma aos seus clientes, então, salvaguardo a minha opinião, que seria já sabido que, ela teria um futuro mèdio de linha zero de custos?

        É que se um institucional diz não ir aplicar determinada medida ( mas nào é de decreto lei ???? ) aos seus clientes, não iria certamente se prever que esses mesmos custos fossem subir a pique ( como se publicitou tanto ).
        Se isso fosse previsivel, o institucional tinha um grande prejuizo? Tou a divagar em…pensamentos ?

        Tudo bem que podem dizer que são ações de marketing estratégico do institucional, mas penso que seria um risco de custos de “corda banda”!

        O que pensam de tudo isto ?

        Responder
    • Tiago

      Aderi a 15 de Março e já recebi a 1ª fatura hoje (dia 12), fecharam a contagem a 10 de Abril, tenho acesso à fatura na área de cliente.
      Não recebi nenhum aviso até agora, só vi porque fui à área de cliente regularmente para dar uma contagem para evitar estimativas já que na resposta que me deram sobre a data a que devia dar a contagem mandaram um email pré-formatado mas sem a data preenchida.

      De 15 de Março a 10 de Abril com um consumo de 320 medido + 102 estimado (422kWh) o valor total foi de pouco mais de 13€.

      Responder
      • Marisol

        Boa noite, antes de mais muito obrigada pelo seu artigo. Foi muito esclarecedor. Restou-me uma dúvida, para quem usufrui de desconto de tarifa social no mercado indexado não se aplica? Obrigada.

        Responder
    • Miguel

      Veja no spam/lixeira se não tem lá nenhum e-mail da LuzBoa. Pode verificar também o balcão digital e ver se tem lá as faturas

      Responder
  21. Filipe

    Com tudo isto chego a uma conclusão. O mercado indexado irá compensar sempre no longo prazo! Se as empresas de preço fixo compram neste mercado grossista e ainda têm de acrescentar uma margem de lucro, concerteza não fazem um preço fixo a ter prejuízo!

    Responder
    • João Filipe

      Ora lá está!

      Até porque se estivessem a comercializar determinado produto a preço inferior ao custo de aquisição seria uma infração.
      Acho que o termo técnico que se usa é o “dumping”.

      Responder
  22. Pedro Cabral

    Boa tarde.
    Parte importante é também saber qual o FEE/GO/K de cada fornecedor (a margem)
    Pelas contas que o Pedro aqui apresenta, o FEE do seu fornecedor penso que serão 5€/MWh.
    Obrigado e continuação de bom trabalho.

    Responder
  23. João Filipe

    Boa tarde,

    alguém tem um ficheiro excel com a formula de cálculo da tarifa indexada da LuzBoa?

    Responder
    • JRJordao

      Fiz um semelhante ao que o Pedro mostra no artigo. Posso-o enviar por email, se quiser.

      Responder
      • João Filipe

        pode partilhar o link através do weshare (é gratuito)
        acredito que será uma ferramenta extremamente útil para muitos de nós.

        Responder
        • JRJordao

          Convido primeiro o Pedro Anderson a partilhar o excel dele, penso que faria mais sentido 🙂

          Responder
    • Armando

      Basta esta fórmula numa calculadora. Por exemplo para 100 € o Mwh.
      ((100/1000+0.004)*1,16)*1.02+0.005+(-0.0958)

      Responder
  24. Tiago

    Para aderir ao indexado terei de ter contador inteligente? Se nao, terei à mesma vantagens em ter contador inteligente?

    Responder
    • JRJordao

      Não precisa ter contador inteligente para aderir ao indexado. Nesse caso, deve comunicar uma leitura no dia em que pedir a adesão ao novo comercializador, para evitar estimativa na fatura de acerto.
      Independentemente do comercializador, um contador inteligente permite o envio automático de leituras (quando a rede no local já o permite) e determinar a potência que realmente necessita.

      Responder
  25. luis jose

    Boa noite Pedro !
    Desde já obrigado pelo seu contributo. Tem sido de facto uma grande ajuda para os mais variados assuntos.
    A minha questão é eu tenho a eletricidade com a EDP Comercial. Mudando para a Luzboa – e só ainda não mudei por causa desta questão – terei penalizações com a EDP Comercial ?
    Ainda não consegui perceber, mas acho que o contrato que efetuei com a EDP tem fidelização.

    Desde já obrigado.

    Responder
    • Pedro Andersson

      Olá. Ja experimentou perguntar à EDP? Só vocês sabem o que assinaram 🙂

      Responder
  26. João Filipe

    Muito obrigado Pedro e comunidade!

    O meu contrato com a LuzBoa ficou ativo hoje e não sei porquê sinto que me tivessem tirado 100Kg das costas.

    A minha situação é a seguinte:
    tinha contrato Luz + Gás com a EDP Comercial e tinha a conta certa ativa, pagando 61,20 € todos os meses. (60€ para consumos Luz & Gás) e 1,20€ para o serviço Fatura Segura.

    A fatura de acerto chega sempre em Abril, e por tradição, os acertos leva-me todo o reembolso do IRS.
    Por isso, ao contrario de muitos portugueses que faziam as contas ao reembolso do IRS para custear por exemplo, as férias. Eu, por norma, vinha canalizando todo o valor para liquidar a fatura da EDP.
    É revoltante!

    Neste ano 2023, apesar de ter tido um aumento dos meus rendimentos em cerca de 50%, decidi tomar decisões mais acertadas com o intuido de aumentar a minha margem de poupança enquanto minimizo os impactos da inflação.

    As resoluções que tomem e já as implementei foram:
    > constituição de fundo de emergência
    > transferir o fundo de emergencia para os Certificados de Aforro serie E
    > mudança da contrato da Luz da EDP para o mercado indexado
    > mudança do contrato do Gas da EDP para o mercado regulado
    > transferência da conta bancaria da CGD para o ActivoBank
    > Subscrição de um PPR
    > como estou em Teletrabalho, passei a usar mais vezes transportes públicos

    > resumindo, falamos em poupanças anuais na ordem de centenas de euros

    Responder
    • JRJordao

      Muito bem! Parabéns! 🙂

      Responder
    • Pedro Andersson

      E sempre daqui para a frente a multiplicar. Só tem de estar atento para sair do indexado quando deixar de compensar, ok?

      Responder
  27. Marisol

    Boa noite, muito obrigada pelo seu artigo. Foi bastante esclarecedor. No entanto fiquei com uma dúvida, quem ususfrui de desconto tarifa social não se aplica no mercado indexado certo? Obrigada.

    Responder
      • Marisol

        Obrigada pelo esclarecimento. Nesse caso não perco a tarifa social. O meu medo era se mudasse para o indexado e depois se tivesse que voltar ao mercado livre perdesse a tarifa social. Obrigada.

        Responder
  28. Paulo R

    Boa noite

    Uma pergunta para quem mudou para a LuzBoa.
    Recebem as contagens diárias da e-Redes, temos de ser nós a dar ou são estimativas?

    Obrigado,

    Responder
  29. Sidney

    Boa tarde,
    É possível explicar como chega ao valor de -0,6€ cêntimos? Mesmo após ler todos os comentários continuo sem perceber. Estou a usar excel para ter uma fórmula mas por muitas somas, multiplicações ou subtrações que faça não consigo lá chegar… Está-me a faltar algo mas não estou a conseguir perceber o quê… Obrigada.

    Responder
  30. João Cunha

    Sidney, para os valores apresentados, o cálculo do kWh é feito do seguinte modo (68.09/1000+0.004)*(1+0.1581)*1.02+0.005+(-0.0958)+0 (valor sem IVA), que dá o valor de -0.0056428 €/kWh, que arredondado dá os -0.6 cêntimos por kWh.

    Responder
    • Sidney

      Boa noite, obrigada pelo esclarecimento José Cunha. Vou passar para o Excel mais tarde para ficar com a fórmula e assim saber a quantas ando 👍.

      Responder
  31. Joao Pinto

    Pelas minhas contas, em abril, para um consumo de 300 KWh em 30 dias (contagem de 30 dias), tarifário SPOT simples, o montante a pagar de custo de energia é de 1,27 euros. Energia mais potência contratada (6,9) = 8,14 euros. Fatura total com todas as alcavalas (Taxa DGEG + IECE + Mibel + AudioVisual+ IVA) = 13,37 € . No bi horário ainda seria mais barato.
    No regulado seria superior a 60 euros (se as contas não me falham).

    Responder
  32. Sergio Santos

    Boa tarde Pedro,

    Obrigado pelo seu artigo.

    O preço Spot (OMIE) varia a cada hora.
    Os operadores faturam o consumo à hora, ou seja consumir 2 KWh por exemplo entre as 10h e as 11h será em principio diferente de 2 KWh entre as 16h e as 17h. A minha questão é: Quando o preço (operador) numa determinada hora for negativo, como é faturado? Conta como consumo zero ou negativo?

    Responder
  33. Nuno Moreira

    Bom dia Pedro

    Pelo que verifiquei no simulador da ERSE para o fornecimento de energia para o mercado indexado, as condições contratuais de fidelização são para 1 ano.
    Há fidelização ou não há,?
    Depois de estar no mercado indexado podemos tornar a mudar quando quisermos sem custo?
    Obrigafo

    Responder
  34. Ricardo

    Boa tarde,

    Fiz a simulação de empresas no site ERSE e no momento a empresa que oferece o menor custo para tarifa indexada de energia é a Ibelectra. Alguém conhece? Ela é confiável?

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Partilhe o Artigo!

Partilhe este artigo com os seus amigos.