ELETRICIDADE | Preço da eletricidade no mercado regulado volta a aumentar 3% em outubro

Escrito por Pedro Andersson

15.09.21

}
5 min de leitura

Publicidade

Eletricidade no mercado regulado volta a aumentar 3% em outubro

Já vos tinha avisado que os preços da eletricidade vão aumentar e não é pouco. Em Julho já tinham aumentado 3%. Cá está a confirmação e não vai parar por aqui. Preparem-se.

ERSE aumenta preço do kWh no mercado regulado

O preço da eletricidade vai voltar a aumentar, a partir de 1 de outubro, com a Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) a determinar uma subida de 1,05 euros por mês ou de 2,86 euros (conforme os consumos) para os consumidores em mercado regulado. É o equivalente a mais 3% de aumento, depois do aumento de julho. E devo dizer-lhe que mesmo assim é um aumento “pequeno” face à situação atual no mercado ibérico de eletricidade.

Numa nota, hoje publicada, a ERSE explicou que a “tarifa de energia reflete o custo de aquisição de energia do Comercializador de Último Recurso (CUR) nos mercados grossistas, sendo uma das componentes que integra o preço final pago pelos consumidores no mercado regulado”.

A entidade disse ainda que, com a subida continuada dos preços grossistas no Mibel, “a estimativa atualizada para o ano de 2021 aponta para um custo de aquisição do CUR de 73,24 EUR/MWh [megawatt/hora], o que corresponde a mais 41% que o valor refletido nas tarifas em vigor”, segundo a mesma nota.

Para que perceba o que está a acontecer – de uma forma simplista – o que a Lei diz é que sempre que o preço na “produção” aumentar pelo menos 10 euros, a ERSE é “obrigada” a aumentar o valor fixo de  5 euros (por mega Watt/hora) aos clientes do mercado regulado. Esses preços na origem já aumentaram cerca de 150 euros desde o início do ano, portanto façam as contas…

A ERSE já tinha feito um aumento a 1 de julho. Agora vai voltar a fazer. E, naturalmente, se a situação se mantiver, vai ter de o fazer outra vez a 1 de janeiro e depois a 1 de abril e assim sucessivamente. Claro que se os preços baixarem (neste momento estão a chegar aos 200 euros o MWh), os preços no mercado regulado também voltarão a baixar. Mas isto está complicado.

Feitas as contas, a sua fatura de eletricidade no mercado regulado está a aumentar 1 euro ou quase 3 euros por mês (conforme os seus consumos) de 3 em 3 meses. Para um casal com 2 filhos a ERSE estima que a fatura em outubro já pode ser de 95 euros. Assustador. 

As explicações da ERSE

Estes aumentos da SU – Serviço Universal vão afetar 993 mil famílias. Ainda é muita gente. Os aumentos nas outras empresas no mercado liberalizado ainda não se estão a sentir em força (embora já haja algumas a aumentar), mas os empresários já estão em pânico com os novos preços. É que no mercado empresarial, as coisas funcionam de maneira diferente dos consumidores domésticos.

A atualização da tarifa de Energia tem impacto direto nas tarifas de Venda a Clientes Finais dos clientes do mercado regulado em Portugal continental e nas Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira.

Tendo por base os consumidores-tipo do simulador de preços de energia da ERSE, o impacto estimado da atualização da tarifa de Energia para os consumidores do mercado regulado é de aproximadamente mais 3%, em relação aos preços em vigor, no total da fatura de eletricidade (com IVA). Atendendo à redução de 0,6% ocorrida em janeiro, com as atualizações de julho e de outubro próximo, a variação tarifária média anual entre 2021 e 2020 será cerca de 1,6%.

As outras empresas não são obrigadas a aumentar os preços

Esta alteração não “obriga” o mercado livre a repercutir a mesma atualização de preços, já que cada comercializador segue a sua própria estratégia de aprovisionamento de eletricidade e procura oferecer as melhores condições comerciais em ambiente concorrencial. Mesmo após a revisão em alta das condições de preço para novos contratos de fornecimento de eletricidade, já ocorridas em muitos comercializadores desde o início do ano devido à subida dos preços no MIBEL, ainda há várias ofertas mais baratas do que o mercado regulado.

A ERSE aconselha os consumidores a procurarem potenciais poupanças na fatura de eletricidade junto dos comercializadores no mercado, disponibilizando para tal um simulador de preços de energia que facilita a escolha da oferta mais vantajosa.

O conselho da ERSE é o mesmo conselho que lhe dou e que sigo há vários anos. Sempre que encontro um preço melhor/mais barato, mudo. 

E aproveito todas as ferramentas de marketing e descontos que as empresas oferecem. No mês passado paguei 2,5 € de eletricidade, graças aos “códigos amigo” de uma empresa. Temos de ser consumidores inteligentes para fugir aos aumentos normais e anormais que fazem parte da realidade incontornável que enfrentamos. 

Se você nunca se mexer, estará sempre a pagar mais do que devia pelos mesmos serviços. A eletricidade é só mais um exemplo.

Vou REPETIR: Os aumentos são inevitáveis. PROTEJA-SE mudando JÁ para uma empresa do mercado liberalizado (você escolhe qual) que garanta o preço que contratar pelo menos durante os próximos 12 meses.

Se seguir este meu conselho vai poupar muitas dezenas de euros. Você é que sabe…

Leia também:

Podcast – Está preparado para os aumentos da eletricidade?

VÍDEO | Deve ter cuidado com os contadores inteligentes de eletricidade?


 

Publicidade

Sobre mim: Pedro Andersson

Ir para a página "Sobre Mim"

Siga-nos nas Redes Sociais

Para si | Artigos Recentes 

PodTEXT Vamos a Contas | Onde invisto 100€ todos os meses para os meus filhos?

O podcast de sempre, agora mais inclusivo! Como a literacia financeira é um aspeto fundamental para a boa gestão das finanças pessoais, os podcasts do Contas-poupança tornam-se agora mais inclusivos e passarão a ser publicados também em texto, nomeadamente para...

EURIBOR HOJE | Taxas sobem em todos os prazos

Euribor Diariamente, divulgamos aqui na página "Contas-poupança", o valor das taxas Euribor a três, seis e 12 meses. Embora as alterações diárias não tenham um impacto direto na sua prestação do crédito à habitação, são um indicador precioso para perceber a tendência...

COMBUSTÍVEIS | Preços na próxima semana (15 a 21 de abril)

Preços dos combustíveis na semana que vem A informação dos preços dos combustíveis é baseada nos cálculos que têm em conta a cotação nos mercados internacionais e outros fatores considerados na formação do preço dos combustíveis em Portugal. São dados que recolho...

PodTEXT | 5 sinais de alerta de que as suas finanças não estão bem

O podcast de sempre, agora mais inclusivo! Como a literacia financeira é um aspeto fundamental para a boa gestão das finanças pessoais, os podcasts do Contas-poupança tornam-se agora mais inclusivos e passarão a ser publicados também em texto, nomeadamente para...

Quer fazer um Workshop gratuito de finanças pessoais? (Inscrições abertas)

Aprenda finanças pessoais gratuitamente Estão abertas as inscrições para a próxima edição do Finanças para Todos, da universidade NOVA SBE. O curso tanto pode online, como presencial (em Carcavelos) ou na área metropolitana do Porto. O curso terá lugar entre Outubro...

EURIBOR HOJE | Taxas descem a três meses, mas sobem a seis e 12

Euribor Diariamente, divulgamos aqui na página "Contas-poupança", o valor das taxas Euribor a três, seis e 12 meses. Embora as alterações diárias não tenham um impacto direto na sua prestação do crédito à habitação, são um indicador precioso para perceber a tendência...

VÍDEO | Como está a educação financeira nas escolas em Portugal? (Um bom exemplo)

Um bom exemplo de educação financeira nas escolas em Portugal Portugal está nos últimos lugares da Europa em literacia financeira. Isso quer dizer que, para além de ganharmos pouco, ainda por cima temos muita dificuldade em gerir bem o pouco dinheiro que temos. A...

Inflação voltou a aumentar em março para 2,3%

Inflação em Portugal volta a subir pela segunda vez em 2024 A taxa de inflação homóloga em Portugal passou de 2,1% em fevereiro para 2,3% em março, confirmou esta quarta-feira o Instituto Nacional de Estatística (INE), depois de ter lançado os valores provisórios a 28...

EURIBOR HOJE | Taxas descem em todos os prazos

Euribor Diariamente, divulgamos aqui na página "Contas-poupança", o valor das taxas Euribor a três, seis e 12 meses. Embora as alterações diárias não tenham um impacto direto na sua prestação do crédito à habitação, são um indicador precioso para perceber a tendência...

PODCAST | #230 – Vamos a contas | Onde invisto 100 € todos os meses para os meus filhos?

Onde ponho a render o dinheiro dos meus filhos? Uma ouvinte tem a disponibilidade de colocar 100 euros por mês de lado para o futuro dos seus dois filhos pequenos. Ela pergunta qual é a melhor maneira de pôr esse dinheiro a render. Esta é uma dúvida comum e que pode...

Publicidade

Artigos relacionados

16 Comentários

  1. Carlos Cosat

    ” Os aumentos são inevitáveis. PROTEJA-SE mudando JÁ para uma empresa do mercado liberalizado (você escolhe qual) que garanta o preço que contratar pelo menos durante os próximos 12 meses ” — ERRADO !

    Ninguem garante preços por 12 meses , V. Exa ja deveria de saber isso.

    Fiz um contrato em Janeiro com um operador e em Agosto fui informado que os valores iriam aumentar se quisesse mudar de operador poderia faze lo ..! – Ora tenho mais que fazer ! Voltei para a SU .

    Este mercado liberalizado é uma farsa , uma historia que se repete :
    _ liberalizacao dos combustíveis ? Lembram-se ?
    – liberalização das telecomunicações (ISP ´s)
    ….

    Responder
    • Pedro Andersson

      Olá. Mas mudando, vai mudar para a que está a aumentar mais?!

      Responder
      • Carlos Cosat

        Lamento mas cada caso é um caso , para mim é a melhor opção .

        E a SU nao é a que esta a aumentar mais .

        NOTA:
        Nem todos tem a conta de electricidade paga por patrocinadores …

        Responder
        • Pedro Andersson

          Se é a melhor opção para si, está a fazer muito bem :). Nota: Não tenho patrocinadores. Uso as ferramentas disponíveis a qualquer consumidor.

          Responder
  2. D3M

    Olá Pedro Andersson e restantes leitores, escrevo apenas para relatar a minha realidade, tenho contrato no mercado liberalizado com a empresa YLCE agora YES ENERGY, e o preço do Kwh cobrado por esta empresa nas minhas facturas em Junho (dia 9/6) o valor unitário do Kwh que era de 0,146€ subiu para 0,172€ um aumento de 17,81%.
    De seguida no mes de Julho (dia 28/7) voltaram a aumentar o valor unitário do Kwh para 0,2122€ (23,37%). A YES eENERGY subiu em menos de dois meses a tarifa do Kwh em 45,34%. Irei regressar tendo em consideração o actual contexto de incerteza ao serviço universal, parece-me demasiado romancista apostar no mercado liberalizado de energia em Portugal. Cumps.

    Responder
    • Pedro Andersson

      Olá. Também mudaria. Mas tem mais barato do que o regulado (ainda).

      Responder
  3. Vítor

    Viva Pedro,
    Acabo de ouvir o podcast #72.
    Apenas referiu a importância de verificar o valor do kWh. É muito importante, principalmente para clientes de menor consumo, olhar para o preço da potência contratada, €/dia.
    Estou certo que sabe disto. Talvez não tenha referido por esquecimento.
    Mas é importante passar essa mensagem porque as comercializadoras, sabendo que as pessoas são distraídas, em vários casos, dão com uma mão e tiram com a outra, isto é, até podem fazer um valor de kWh interessante mas poderão estar “a carregar” no valor da potência contratada.
    Este valor deveria ser igualmente aplicado por todos os comercializadores, à semelhança do que se passa noutros níveis de tensão. Mas por qualquer motivo que ainda não percebi, cada comercializador aplica o preço que entender, sendo certo que, independentemente do valor que cobrem aos clientes, todos eles entregarão o mesmo valor (fixado pela ERSE) ao sistema elétrico nacional.
    Muito obrigado pelo trabalho.
    Um abraço!

    Responder
    • Pedro Andersson

      Olá. Tem toda a razão. É uma opção minha. Falei muito sobre esse pormenor nos meus artigos, vídeos e vídeos iniciais. Neste momento prefiro destacar a importância de comparar o kWh por facilidade de comunicação. Claro que podia referir isso, e certamente fa-lo-ei nos próximos episódios, mas sem fazer disso algo importante. É que é uma parte minúscula da fatura. Só tem relevância em faturas reduzidíssima. Obrigado pela sua crítica atenta.

      Responder
  4. Alice Correia

    Bom dia, Pedro e restantes leitores. Obrigada por todas as suas dicas, que considero de grande valor, pela ajuda que proporciona a quem quer poupar e, sobretudo, para que todos possamos estar mais conscientes da forma como usamos os nossos recursos financeiros e o impacto que isso pode trazer à sociedade. Tenho estado atenta aos conselhos relativamente à eletricidade, mas confesso que me sinto muito confusa, porque se uns são mais baratos num aspeto, são mais caros no outro. Sou cliente SU, mas considero seriamente mudar, decidir para qual, é o que considero mais difícil.
    Obrigada.
    Abraço.
    Alice Correia

    Responder
  5. Paula

    Olá Pedro Andersson,

    A minha última fatura da Yes energy, de 8 de outubro, tem um valor total de €64,01. Na última página da fatura está escrito:

    Se optasse pela tarifa regulada, pagaria pelo mesmo consumo de eletricidade desta fatura -16,32 € (não incluindo taxas e impostos).
    A ENFORCESCO SA não disponibiliza uma oferta comercial equiparada ao regime de tarifa regulada.

    Fiquei confusa pois entendi, pelo seu artigo e pelos comentários, que a tarifa regulada é mais cara que a do mercado livre. O que me aconselha a fazer?

    Obrigada,

    Paula

    Responder
    • Pedro Andersson

      Olá. Não. O que eu disse é que no mercado liberalizado tem empresas mais caras e mais baratas do que no regulado. Tem de escolher de 6 em 6 meses uma que seja mais barata do que a sua. No seu caso compensa-lhe mudar para o regulado, mas tem empresas AINDA mais baratas do que o regulado. Só tem de procurar porque todas as semanas mudam os tarifários.

      Responder
      • Paula

        Há uns anos mudei para a Ylce para poupar uns cêntimos por mês. E nunca mais pensei no assunto…
        Posso mudar de 6 em 6 meses?

        Responder
          • Paula

            Muito obrigada pelos esclarecimentos!

    • Pedro Andersson

      Ou seja, se mudar parava SU vai poupar 16 euros por mês, se mudar para uma mais barata que a SU vai poupar 18 ou 20… Mas desde que poup 16 já não é mau, claro. Não fique é parada. 16 euros por mês são quase 200 euros pela janela fora por ano.

      Responder
      • Paula

        Depois de mudar para a Ylce nunca mais pensei no assunto pois assumi que as perdas e ganhos continuavam a ser de poucos cêntimos. Até que ontem li as duas últimas linhas da minha fatura!

        Não vou ficar parada não.

        Muito obrigada por me ter respondido 🙂

        Paula

        Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Partilhe o Artigo!

Partilhe este artigo com os seus amigos.