PODCAST | #32 – Qual é o segredo para escolher o melhor PPR? (Não vá na publicidade dos benefícios fiscais)

Escrito por Pedro Andersson

07.12.20

}
3 min de leitura

Publicidade

Há tantos PPR – Qual é o melhor?

Recebo dezenas de perguntas de pessoas que me perguntam qual é o MELHOR PPR. A pergunta faz sentido porque há, em Portugal, centenas de PPR em comercialização. Há os seguros PPR e os Fundos PPR, e já nem falo nos Fundos de pensões e outros produtos de investimento.

Vem este episódio a propósito da “chuva” de publicidade de bancos e seguradores para o tentar convencer a fazer um PPR antes do fim do ano apenas para receber os benefícios fiscais.

Ora, embora isso seja bom, não devia ser esse o principal motivo para fazer um PPR. Se for só isso, só os bancos é que vão ganhar realmente com o SEU dinheiro.

Acompanhe-me em mais esta viagem de carro. Aproveite a boleia para melhorar a sua vida financeira.

Veja todas as dicas de poupança em www.contaspoupanca.pt
Assine a Newsletter no blogue
Facebook facebook.com/contaspoupanca
Instagram www.instagram.com/pedroandersson_contaspoupanca/

O que é um podcast?

Aproveite a minha boleia financeira (gravo em áudio uma “conversa” no carro enquanto faço as minhas viagens e faço de conta que você vai ali ao meu lado) e veja como pode aumentar-se a si próprio. São uma espécie de programas de rádio para escutar enquanto faz outras coisas. Subscreva o podcast na plataforma em que estiver a ouvir para ser avisado sempre que houver um episódio novo. Não estranhe ouvir o motor do carro, buzinadelas e o pisca-pisca. Faz parte da viagem.

Aprenda a gerir melhor o seu dinheiro

Tem a seguir os links para o Spotify, Soundcloud e iTunes. Para quem não percebe nada disto, deve ir à loja de aplicações do seu telemóvel e instalar gratuitamente a app “Spotify” ou “iTunes” ou outra que dê para ouvir Podcasts. No caso do SoundCloud basta clicar e começa logo a ouvir.

Boa viagem e boas poupanças!

 

Subscreva o Podcast e partilhe-o com os seus amigos ou familiares que se queixam de ter pouco dinheiro e muitas despesas.


natal-billboard


Acompanhe-nos AQUI

NOVO LIVRO “CONTAS-POUPANÇA” – Dezenas  dicas para poupar muito mais e fazer crescer o seu dinheiro em 2020. Estes 3 livros vão ajudá-lo a vencer qualquer crise financeira na sua vida. É só clicar AQUI ou nas fotos dos livros.

Publicidade

Sobre mim: Pedro Andersson

Ir para a página "Sobre Mim"

Siga-nos nas Redes Sociais

Para si | Artigos Recentes 

PodTEXT Vamos a Contas | Onde invisto 100€ todos os meses para os meus filhos?

O podcast de sempre, agora mais inclusivo! Como a literacia financeira é um aspeto fundamental para a boa gestão das finanças pessoais, os podcasts do Contas-poupança tornam-se agora mais inclusivos e passarão a ser publicados também em texto, nomeadamente para...

EURIBOR HOJE | Taxas sobem em todos os prazos

Euribor Diariamente, divulgamos aqui na página "Contas-poupança", o valor das taxas Euribor a três, seis e 12 meses. Embora as alterações diárias não tenham um impacto direto na sua prestação do crédito à habitação, são um indicador precioso para perceber a tendência...

COMBUSTÍVEIS | Preços na próxima semana (15 a 21 de abril)

Preços dos combustíveis na semana que vem A informação dos preços dos combustíveis é baseada nos cálculos que têm em conta a cotação nos mercados internacionais e outros fatores considerados na formação do preço dos combustíveis em Portugal. São dados que recolho...

PodTEXT | 5 sinais de alerta de que as suas finanças não estão bem

O podcast de sempre, agora mais inclusivo! Como a literacia financeira é um aspeto fundamental para a boa gestão das finanças pessoais, os podcasts do Contas-poupança tornam-se agora mais inclusivos e passarão a ser publicados também em texto, nomeadamente para...

Quer fazer um Workshop gratuito de finanças pessoais? (Inscrições abertas)

Aprenda finanças pessoais gratuitamente Estão abertas as inscrições para a próxima edição do Finanças para Todos, da universidade NOVA SBE. O curso tanto pode online, como presencial (em Carcavelos) ou na área metropolitana do Porto. O curso terá lugar entre Outubro...

EURIBOR HOJE | Taxas descem a três meses, mas sobem a seis e 12

Euribor Diariamente, divulgamos aqui na página "Contas-poupança", o valor das taxas Euribor a três, seis e 12 meses. Embora as alterações diárias não tenham um impacto direto na sua prestação do crédito à habitação, são um indicador precioso para perceber a tendência...

VÍDEO | Como está a educação financeira nas escolas em Portugal? (Um bom exemplo)

Um bom exemplo de educação financeira nas escolas em Portugal Portugal está nos últimos lugares da Europa em literacia financeira. Isso quer dizer que, para além de ganharmos pouco, ainda por cima temos muita dificuldade em gerir bem o pouco dinheiro que temos. A...

Inflação voltou a aumentar em março para 2,3%

Inflação em Portugal volta a subir pela segunda vez em 2024 A taxa de inflação homóloga em Portugal passou de 2,1% em fevereiro para 2,3% em março, confirmou esta quarta-feira o Instituto Nacional de Estatística (INE), depois de ter lançado os valores provisórios a 28...

EURIBOR HOJE | Taxas descem em todos os prazos

Euribor Diariamente, divulgamos aqui na página "Contas-poupança", o valor das taxas Euribor a três, seis e 12 meses. Embora as alterações diárias não tenham um impacto direto na sua prestação do crédito à habitação, são um indicador precioso para perceber a tendência...

PODCAST | #230 – Vamos a contas | Onde invisto 100 € todos os meses para os meus filhos?

Onde ponho a render o dinheiro dos meus filhos? Uma ouvinte tem a disponibilidade de colocar 100 euros por mês de lado para o futuro dos seus dois filhos pequenos. Ela pergunta qual é a melhor maneira de pôr esse dinheiro a render. Esta é uma dúvida comum e que pode...

Publicidade

Artigos relacionados

10 Comentários

  1. João Rodrigues

    Acabei por não perceber o porquê de não declarar o PPR no IRS. Que vantagem tem?

    Responder
    • Pedro Andersson

      Olá. Assim levanto dinheiro quando quiser sem ter de devolver o que me deram (com multa). É opção minha. Se usar no IRS, só pode levantar sem penalização nas condições previstas na lei.

      Responder
    • Pedro Andersson

      Espero ganhar com os meus PPR muito mais do que os 350 euros que me estão dispostos a dar 🙂

      Responder
  2. Joana Sousa

    Tem a certeza que o capital não é garantido e que podemos perder tudo caso a seguradora vá à falência? Isto no caso de seguros PPR, claro. Não me refiro a fundos PPR. Ainda no outro dia fiz essa pergunta a uma amiga minha, bancária, que me disse que as seguradoras funcionam mais ou menos como os bancos (os tais 100 mil euros) a nível da garantia do capital de produtos sem risco. Mas também disse o mesmo que o Pedro disse, que não conhecia nenhuma seguradora que tivesse falido.

    Responder
    • JRJordao

      A garantia de capital dada pelas seguradoras baseia-se num rácio de solvabilidade, que lhes é exigido e fiscalizado por parte da entidade reguladora. Básicamente, é-lhes exigida uma situação financeira que lhes permite fazer face aos compromissos assumidos perante os clientes. E não está limitado a 100 mil euros ou a qualquer outro montante por cliente.

      Responder
  3. Pedro

    Faz-me alguma confusão o facto de o Pedro não querer, de todo, usufruir dos benefícios fiscais dos PPR, decisão legítima e, que obviamente respeito.
    Parte-se do princípio de que quem faz um PPR é para juntar dinheiro para a reforma, pelo menos até aos 60 anos, ou, em caso de necessidade, poder resgata-lo num dos casos previsto na lei e, neste caso, sem penalizações.
    Com base nestas prorrogativas e existindo ainda a possibilidade de transferir um PPR para outro no caso de ter-se chegado á conclusão que se escolheu um mau PPR, ou, que este por algum motivo não mantem uma rentabilidade satisfatória, parece-me um erro, tanto mais, que muito dificilmente algum PPR consegue bater a rentabilidade dos benefícios fiscais para o mesmo intervalo de valores aplicados e dedutíveis.
    Só vejo vantagens nessa opção no caso em que as deduções fiscais do PPR já nada acrescentem aos nosso reembolso em sede de IRS.

    Responder
    • Pedro Andersson

      Olá. É mesmo uma questão pessoal. Eu não estou a fazer os PPR para a reforma. Quero ganhar mais dinheiro com esses valores antes. Quero juntar o mais possível entretanto, para depois investir em imobiliário por exemplo, que me renderia mais na reforma do que “só” o PPR. Quero ter liberdade total para gerir o meu dinheiro. Se ficar lá até à reforma, melhor. Não é por 300 euros que fico mais rico. Se surgir uma boa oportunidade de investimento em que possa ganhar mais do que 300 euros tenho o dinheiro disponível. Espero ter explicado bem…

      Responder
  4. Ruben Silva

    Olá Pedro, antes de mais deixe-me agradecer por partilhar esta informação connosco. É bom aprender sobre estes temas em português e não em “banqueirês”.

    Ainda assim, tenho uma dúvida: no caso dos seguros PPR.,existe alguma vantagem em fazer reforços mensais ou apenas um anual? Isto é, no caso dos fundo PPR existe vantagem porque assim tiramos partido das quedas de mercado ao mesmo tempo que mitigamos o “problema” de entrar quando os mercados estão em alta. No caso de seguros PPR isto também se aplica, ou podemos aproveitar e utilizar os subsidio de Férias/Natal.

    Responder
    • Pedro Andersson

      Olá. O critério é o mesmo. Se colocou 50 euros em fevereiro vai estar a render 10 meses até dezembro. Se colocar tudo junto em dezembro perdeu 11 meses de rendimento…

      Responder
  5. AAntunes

    Bom dia,

    Gostaria de esclarecimento relativamente ao PPR, no seguinte:
    Quando o fiz, o motivo foi para no futuro funcionar como apoio financeiro e também porque o banco o colocou como produto para baixar o crédito habitação.
    -Assim, como faço para saber se obtive, ao longo destes anos (16 anos) ao nível do IRS alguma vantagem? ,Em que entidade posso consultar? Sim, sempre coloquei o valor anual na declaração de IRS, ao longo destes anos, cálculo que não foi o caso deste ano, porque não fui eu que a fiz, e consideraram não existir essa necessidade;
    – um dos elementos do agregado familiar necessita com urgência de realizar um tratamento dentário/saúde, cujo orçamento é bastante elevado, não existindo outra possibilidade, poderei utilizar o PPR para esse efeito, e como ainda faltam alguns anos para terminar o empréstimo continuar?
    – no caso de utilizar o PPR, quais serão as penalizações?
    Um muito obrigada pela atenção

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Partilhe o Artigo!

Partilhe este artigo com os seus amigos.