Onde posso investir 10.000 € e ganhar 60 euros por mês?




Mais uma alternativa para ganhar dinheiro com o seu dinheiro

Uma das perguntas que mais vezes recebo da vossa parte é: “Tenho “x” no banco e não sei onde o pôr a render mais. Pode dar algumas sugestões?” E depois lá explicam que tem de ser com capital garantido, etc., etc. Sempre que digo que vão ter de arriscar mais um pouco para porem o dinheiro a trabalhar para vocês, começam logo a torcer o nariz. É normal.

Mas esta sugestão é um pouco diferente. Como sabem, historicamente, as duas formas mais rentáveis de ganhar dinheiro (obviamente com risco) são o imobiliário e as bolsas. Ora, se nas bolsas pode comprar e vender ações com algumas centenas ou milhares de euros e começar a ganhar algum dinheiro (e também a perdê-lo), no caso do imobiliário há sempre na nossa cabeça um travão qualquer que nos diz que não é para mim porque é sempre preciso ter dezenas ou centenas de milhares de euros para investir em imobiliário, ou então endividar-me com mais um crédito e isso não é para mim.

Certo. Eu também pensava assim. Para mim, falar em imobiliário era comprar uma casa para depois vender ou alugar. E está certo. É disso que estamos a falar, sim. Mas. Há sempre um “mas” e uma janela que se abre quando se fecha uma porta.

E vem isto a propósito de uma mensagem eu recebi de uma leitora chamada Raquel Maravalhas (ela autorizou que divulgasse o nome), e que eu quero partilhar porque pode servir de exemplo para outros. E verá que ser investidor imobiliário não é assim tão difícil e que é um investimento acessível a centenas de milhares de pessoas.

Olá Sr. Pedro! Não sei se vai ler, mas aqui vai: depois de ler o seu livro apercebi-me do quanto poupada eu sou (e não é para me gabar). Pois grande parte dos seus conselhos alguns eu já o fazia, outros não… Mas a ideia de investir em ações é uma ideia para depois desta crise. Só para ter ideia tive uma herança de cerca de 10.000 e fui saber dos juros no banco, o que não me interessou. O que foi que fiz? Ora como sabia que existe um grande interesse na minha zona em aluguer de garagens, então comprei uma por esse valor e agora cai todos os meses 60€ na minha conta . Espero que continue o seu bom trabalho e que tenha muito sucesso! Obrigada.

Qualquer um pode ser um investidor imobiliário

Ora, a Raquel foi muito inteligente. De facto, ser um investidor imobiliário não é só para quem compra ou constrói prédios no centro de Lisboa ou Porto. Ela recebeu sem esperar uma verba de 10.000 euros – que não é nenhuma fortuna gigante – e em vez de a colocar no banco a ganhar mofo ou em vez de trocar logo de carro ou passar umas férias em algum sítio, pensou: “Como é que eu vou fazer para ganhar dinheiro com este dinheiro?” Pensou no banco, mas verificou que era um juro miserável. Igual a zero. E começou a pensar em opções.

E é aqui que chegamos ao imobiliário. Imobiliário significa apenas que se trata de algo que não sai do sítio. Não precisa ser um apartamento, um prédio ou uma moradia. Pode ser, como foi, uma pequena garagem. Podia ser até um lugar de estacionamento. Verificou qual era a necessidade das pessoas naquela zona, procurou o que podia comprar com o dinheiro que tinha e investiu. Arriscou.

Podia não conseguir ninguém a quem arrendar a garagem? Sim. Podia demorar até encontrar? Sim. Podia ficar com a garagem sem utilização? Sim. Qual era o pior cenário? Colocá-la à venda novamente e esperar que aparecesse um comprador. Mas a questão é que conseguiu rentabilizá-la. Quero analisar consigo esta situação com mais detalhe.

Primeiro, o Fundo de Emergência

Não sei se é o caso, mas antes de investir qualquer dinheiro que tenha ou receba, ANTES tem de ter OBRIGATORIAMENTE um Fundo de emergência. Estamos a falar de 5 mil euros ou mais (são 6 meses ou 1 ano de todas as suas despesas mensais essenciais). Só depois de ter esse dinheiro numa conta a prazo (sim, a render nada) é que pode começar a sonhar em começar a investir. Espero que tenha sido o caso da Raquel.

Segundo ponto: Ter o dinheiro no banco parado 1 ano ou ter o dinheiro “parado” numa garagem tem de facto diferenças. Mas basta que 11 meses depois tenha conseguido arrendar a garagem para em apenas um mês ter conseguido lucrar nessa renda mais do que se tivesse 60 mil euros num depósito a prazo.

Não estou a contabilizar o IRS que a dona da garagem terá de pagar se passar recibo, tal como não estou a contabilizar os 28% de taxa liberatória dos juros do depósito a prazo. Estou sempre a falar em valores brutos. Tal como ainda não estou a contabilizar o IMI que a Raquel terá de pagar por ser proprietária da garagem, mas é um valor muito baixo.

Vamos a algumas contas. Com 10.000 euros, a Raquel vai receber por ano 720 euros. Nenhum depósito a prazo lhe renderia esse dinheiro. Teria de ter 720 mil euros no banco (a juro de 0,1%).

-“Ah, mas se precisar do dinheiro não o tem…”

Certo. Está imobilizado e com pouca liquidez. Mas tem um valor. Teria de colocar a garagem à venda e poderia demorar até a conseguir vender. É o risco que corre. Mas aqueles 10.000 euros caíram na conta dela sem ela estar à espera. Aproveite estas oportunidades para tentar melhorar a sua vida se não tiver outras prioridades absolutas.

Conheço um senhor (é pai de uma amiga minha) que apesar de reformado, ao longo da sua vida foi comprando garagens no bairro onde vive. Não sei exatamente quantas tem, mas são algumas. Vamos imaginar que são 5. A 60 euros de renda por mês, são 300 euros por mês que lhe entram na conta. Ou seja, 3.600 euros por ano.

Vamos complicar um pouco mais. Com esses 300 euros por mês pode muito facilmente pedir um crédito para comprar mais uma (e ainda sobra dinheiro) e as outras pagam a compra da sexta garagem e assim por diante. Se o senhor precisar de dinheiro, vende uma das garagens.

Estão a perceber como o dinheiro é uma ferramenta tremendamente útil quando nos dispomos a arriscar um pouco e a decidir fazer alguma coisa com o que temos? Tenho mais um ponto interessante que quero partilhar consigo. A Raquel procurou e encontrou uma garagem no sítio onde vivia e conhecia a necessidade das pessoas. É isso mesmo.

Mas um de vocês pode estar a pensar: “Mas onde eu vivo, ninguém precisa de uma garagem…”. Aí é que você se engana. Mas porque carga de água é que você só pode investir no bairro ou cidade onde vive? Se tem dinheiro disponível porque não procura uma “garagem” num sítio onde as pessoas precisam? Porque é que não pode ser noutra cidade? Alguma coisa o impede? O que tem de procurar é um bom negócio. Porque é que eu, estando em Lisboa, não posso comprar e arrendar a outros uma box em Coimbra, Setúbal, Loures, Gaia ou Beja?

Lembro-me que estive “vai, não vai” para comprar uma box num leilão das Finanças numa localidade perto de mim (em Queluz). Estava com o preço base de 3.500 euros. Hoje estou arrependido de não ter licitado. Não me tinha apercebido na altura de forma tão clara desta forma de investimento. Tive medo de não a conseguir arrendar. Hoje, acho que teria arriscado.

Imobiliário é capital garantido?

Mais uma achega. A Raquel vai ganhar 720 euros por ano. Ora, isso quer dizer que daqui a 5 anos, já terá ganho 3.600 euros. Portanto, no pior dos cenários, se daqui a 5 anos precisar vender a dita garagem, pode pedir cerca de 6.400 euros para a vender rapidamente que não terá perdido dinheiro (teria de fazer as contas também ao que gastou em escrituras, condomínio, etc.).

Mas isto para mostrar que acaba por ter de alguma forma satisfeito o conceito de “capital garantido”, apesar de por portas travessas. Naturalmente, nenhuma venda está garantida. Nem as rendas todos os meses. Estou só a tentar fazê-lo pensar no assunto.

E repare, esta sugestão de investimento não é daquelas que é só para ricos. Qualquer um de nós pode ser um investidor imobiliário. Até uma dona de casa pode fazer isto (tendo essa poupança). Não tem de ser médico, engenheiro, ter uma quantidade de lojas ou ser um magnata local do imobiliário. Um professor, enfermeiro ou até um jovem com algumas poupanças pode aventurar-se cedo neste tipo de investimentos.

Pense no exemplo da Raquel Maravalhas. Às vezes o dinheiro (a mais) está à frente dos nossos olhos e não o vemos…



Acompanhe-nos AQUI

NOVO LIVRO “CONTAS-POUPANÇA” – Dezenas de dicas para poupar muito mais e fazer crescer o seu dinheiro em 2020. Estes 3 livros vão ajudá-lo a vencer qualquer crise financeira na sua vida. É só clicar AQUI ou nas fotos dos livros.

18 comentários em “Onde posso investir 10.000 € e ganhar 60 euros por mês?

  1. Avatar
    Fernando Ribeiro Reply

    E quem tem uma garagem, porque não alugar durante o dia a quem trabalha na zona? Pode, por exemplo, alugar entre as 09:00 e as 18:00 nos dias de semana, mantendo utilização no restante período.

  2. Avatar
    Nuno C Reply

    ou partilhar.

    No inicio do ano, em pleno inicio de COVID, também comprei um lugar de garagem numa zona nobre da cidade por menos do que 10 000€.

    A oportunidade apareceu num site de leiloes. O edficio semi novo ainda não tem Licença de habitação, e por isso estou a aguardar essa parte.

    No meu cao preferi fazer o invstimento a mediolongo prazo, pois sei que só no final do ano 2020 ou 2021 é que vou poder alugar.
    ^
    Mas sim, conto obter um retorno prximo dos 10% ao ano. E se não conseguir manter o aluguer coloco à venda.

  3. Avatar
    Nuno Ribeiro Reply

    Pedro, em primeiro lugar parabéns pelo blog e todo o “movimento” contas poupança. Estou a ficar viciado 🙂

    Aqui o único problema que encontro é o de encontrar uma garagem a 10k num local onde exista muita procura. De resto acho uma excelente ideia.

  4. Avatar
    Jorge Reply

    Parabéns dr. Pedro Andersson pela sua análise de investimento com pouco dinheiro, e parabéns também à sr.ª D. Raquel Maravalhas pela opção inteligente de investimento, mas à que ter em conta o pagamento do condomínio e alguma despesa que seja necessário para a manutenção do prédio para além de todos os fatores que já foram apresentados, tem alguns riscos, mas se tudo correr bem é uma excelente opção comparativamente com os depósitos a prazo, que garantem o capital mas os juros miseráveis que os bancos pagam não chegam para pagar a manutenção da conta, e se fizermos as contas no fim do ano se os juros forem poucos ainda temos que pagar (retirar do capital ) para ter o dinheiro no banco. Com esta lógica dos bancos os pequenos aforradores têm que negociar com o banco a tarifa de manutenção da conta , caso contrário o seu dinheiro evapora-se ao fim de alguns anos. À dias li no jornal que as famílias deveriam fazer uma poupança para com esse dinheiro os bancos ajudarem as empresas nos seus investimentos, não me parece que esta ideia colha porque não há incentivos à poupança , muito pelo contrário.

      • Avatar
        Tiago Ferreira Reply

        Os noite Pedro.

        Li este seu artigo, muito interessante, sobretudo quando diz que já esteve para comprar uma box via leilão das finanças. Poderia fazer um artigo sobre como comprar bens em leilão das finanças e que cuidados a ter? É seguro comprar por esta via? Obrigado

  5. Avatar
    PRocha Reply

    Falta a dedução de 28% em sede de IRS dos rendimentos prediais….Ou seja ao valor da renda recebido terá de descontar esse montante, caso tudo seja feito legalmente.

  6. Avatar
    I. Rodrigues Reply

    Boa tarde Pedro Andersson

    Por acaso não é uma ideia que já não me tenha passado pela cabeça, comprar uma garagem ou até mesmo uma pequena loja para depois arrendar, se tivesse alguns euros extra.
    Acrescento às despesas que o Pedro referiu, e para além da mensalidade do condomínio e do seguro, a despesa que se poderá ter eventualmente com obras no prédio onde se situa a garagem. A qualquer momento podemos ser surpreendidos com alguma obra de reparação ou manutenção do edifício, por exemplo telhado, fachadas, infiltrações, etc. Por isso , ao comprar uma garagem, será bom também pensar na idade do prédio e nas condições de manutenção do mesmo.
    No entanto, não deixa de ser uma boa ideia.

  7. Avatar
    Celso Reply

    Não sei que custos tem, mas penso que se a garagem for num prédio, não tem que pagar condomínio e ter um seguro multirriscos?
    Porque como não é lugar comum, deve ter esses custos, penso eu.

    • Avatar
      Celso Reply

      E mesmo que seja comum, penso que a lei obriga a ter pelo menos um seguro…

      • Avatar
        Celso Reply

        Ops, desculpem. Devo ter saltado e não li a parte em que fala das contas de condomínio.

  8. Avatar
    António José Reply

    Boa-tarde a todos.

    Já o comentário do Sr. César Monteiro, ao não fazer qualquer discriminação apreciativa sobre os engenheiros (ao contrário daquilo que fez para os médicos), dá como certo/garantido/factual que os engenheiros “têm muito dinheiro”.

    Saudações.

    • Pedro Andersson
      Pedro Andersson Post authorReply

      Vá. Não é preciso começarmos a partilhar as nossas folhas de ordenado :). De acordo com o INE são profissões com salários médios mais altos. Para uns ganharem 3 mil, outros ganham 700. É assim em todas as profissões. Não era o meu objetivo lançar essa discussão, ok? Ou têm dinheiro na poupança disponível ou não têm. Cada um gere o dinheiro como pode ou deseja.

  9. Avatar
    César Monteiro Reply

    Muito bom artigo, mais uma vez caro Pedro Andersson!

    Só há uma coisa com a qual discordo neste artigo, qué quando o sr diz: “E repare, esta sugestão de investimento não é daquelas que é só para ricos. Qualquer um de nós pode ser um investidor imobiliário. Até uma dona de casa pode fazer isto (tendo essa poupança). Não tem de ser médico, engenheiro, ter uma quantidade de lojas ou ser um magnata local do imobiliário.”
    Dá a entender que os médicos têm muito dinheiro e neste país, não é assim!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *