Painel solar fotovoltaico – Balanço de Setembro de 2020 (mês 46)




Balanço do mês de Setembro de 2020

Isto é um pouco com um relógio. Assim que acaba Agosto, a produção do painel solar começa a baixar. E vai ser assim até à primavera. Depois volta a subir. Confirmou-se mais uma vez.

No caso deste ano (2020) o melhor mês até foi Julho e não Agosto. O meu painel solar produziu em Setembro quase 37 kWh (37 horas a usar o aspirador de “graça”).

Mensalmente, divulgo aqui no blogue como está a correr esta minha aventura elétrica para o ajudar a avaliar se deve comprar ou não um painel solar. Faço este balanço há quase 4 anos, mensalmente, sem interrupção. Já dá para perceber muitas coisas.

O painel produziu em Setembro 36,957 kWh, menos 6 kWh que em Agosto. Ou seja, quase 7 euros de desconto na fatura de eletricidade se a tivesse consumido toda no momento em que foi produzida.

Como já sei que 10 pessoas vão perguntar, comprar baterias custar-me-ia cerca de 5 mil euros. Eu não tenho esse orçamento e demoraria décadas a recuperar o investimento. Assim, o “acordo” com a EDP Distribuição é consumir em tempo real o que o painel fotovoltaico produz e o que não consumir é oferecido para a EDP vender aos outros consumidores. Entretanto a lei do auto-consumo foi alterada e estou a preparar uma reportagem sobre o que mudou, mas ainda vai demorar várias semanas.

Os números de Setembro de 2020

Tem aqui o gráfico da produção do painel ao longo dos meses mais recentes. Para quem está aqui pela primeira vez, ou recentemente, quero relembrar que o painel solar instala-se no telhado (aparafusa-se), aponta para sul e a tomada que sai do painel liga a uma tomada normal em sua casa. Sempre que há sol ele produz eletricidade e injeta a energia em sua casa.

A sua casa consome sempre primeiro a energia do painel. Portanto, se ele produzir o suficiente para o frigorífico e uma ou duas luzes ligadas, não vai buscar nada à “EDP”. É eletricidade de “graça”. Só tem de levar em conta o investimento. Como poderá analisar no gráfico, a produção do painel ao longo do ano tem o formato “montanha russa” e não sai disto. Menor produção no outono/inverno, maisor produção na primavera/verão.

Tem a seguir o gráfico que mostra os dias. Como pode ver, Setembro já teve alguns dias muito nublados e até de chuva. Isso afeta a produção de eletricidade, como é óbvio.

As contas

O que o painel fotovoltaico de 250 W produziu em Setembro representou 6,69 € de poupança na minha fatura da luz, se tivesse consumido tudo o que o painel produziu no mês passado. O preço do meu kWh atualmente é tarifa simples de 0,1810 € (com IVA). Já renegociei, mas ainda não recebi a fatura com os novos preços.

Se tivesse consumido tudo o que o painel produziu teria já poupado até agora 303,40 €. O retorno do investimento continua abaixo dos 8 anos. Pelo preço dos painéis hoje, já estaria pago. O meu foi barato na altura, mas caro para os dias de hoje (tudo ficou-me em 620 euros, com instalação e material extra).

No gráfico abaixo tem a produção total do painel em kWh. Não é influenciado pelo preço que pago pela eletricidade. Este gráfico é importante porque a poupança em dinheiro é uma coisa, mas a eletricidade que ele produz é outra. Eu posso produzir mais eletricidade, mas se o preço da eletricidade baixar, a minha poupança vai ser igual ou inferior. Assim consigo comparar as duas coisas.

Compensa comprar um painel solar?

Como não consumo tudo o que o painel produz, com o aparelho de medição de consumos que tenho instalado e que mede a exportação de eletricidade, sei que em Setembro “desperdicei” muitoi pouco. Menos de 5% da produção. Porque já temos gente em casa novamente durante parte do dia.

As barras são a quantidade de eletricidade que desperdiço para a rede. Se não gastar aquela eletricidade no segundo em que é produzida vai para a EDP vender a si. E eu não ganho nada com isso.

Aqui tem o meu desperdício por mês. Como pode verificar, Agosto por ser mês de férias e com a casa mais vazia, o desperdício foi quase de 25%. Nos meses normais, com apenas um painel, tenho um desperdício de 5%. Agora imagine alguém que tem 4 ou 6 paineis (por indicação da empresa instaladora)  a quantidade de desperdício que tem, pensando que está a poupar.

Feitas as contas, dei à rede em Setembro 0,40 € (que não poupei). Não me parece ser muito relevante.

É por estas contas que deve avaliar bem se precisa mesmo mais do que um painel solar. Um, pode e deve ter de certeza, diria. Dois ou mais, só os deve instalar se tiver a certeza de que tem gente ou equipamentos elétricos suficientes para gastarem a energia que vai estar a produzir.

Assim, o retorno real (o chamado break even) continua pelas minhas contas perto dos 10 anos (reais). Depois de passado esse tempo, o painel estará pago e terei pelo menos mais 15 anos de “lucro”. Veremos se é assim. Mensalmente continuarei a fazer aqui o balanço para o ajudar a avaliar se deve ou não comprar um (ou vários) painéis solares.

Na foto acima tem o “eletrocardiograma” da minha casa. Consigo perceber exatamente em que minutos o painel esteve a produzir para o “boneco”. Saber isto permite-me por exemplo programar as máquinas de lavar para essa hora mesmo não estando em casa.

Com informação e meios de medição podemos afinar todas as despesas de nossa casa e baixar as nossas faturas. A da eletricidade também. 



Acompanhe-nos AQUI

NOVO LIVRO “CONTAS-POUPANÇA” – Dezenas de dicas para poupar muito mais e fazer crescer o seu dinheiro em 2020. Estes 3 livros vão ajudá-lo a vencer qualquer crise financeira na sua vida. É só clicar AQUI ou nas fotos dos livros.

 

33 comentários em “Painel solar fotovoltaico – Balanço de Setembro de 2020 (mês 46)

  1. Avatar
    Nuno Reply

    Boa noite Pedro,

    Antes de mais, muitos parabéns pela iniciativa.
    Gostaria de compartilhar a pergunta do Ricardo Faria, tal como ele já contactei várias empresas do sector e só obtenho valores acima dos 750€ (nem os 706€ que ele refere).
    Pelo que também agradecia que me disponibilizasse o contacto da empresa que lhe fez o orçamento de 620€ (ainda que os preços possam ter sido actualizados).
    Também já reparei que há alguma “má vontade” das empresas em instalar apenas um painel, ou referem que o mínimo é dois ou que não compensa ou dão preços exorbitantes (como 1000 por um painel) ou sem sequer respondem.

  2. Avatar
    Ricardo Faria Reply

    Boa noite Pedro Anderson.
    Sigo atentamente as suas dicas de poupança. Têm sido uma grande utilidade para as minhas finanças. Grato por isso.
    Confesso que não consigo entender quando diz que 620€ por um painel solar de 250w é caro para os dias de hoje. Tenho solicitado a inúmeras empresas do sector, orçamentos para um painel solar e o melhor que consegui foi 706€ com 280w mas o que na pratica equivale apenas 250w por causa da capacidade do inversor.
    É capaz de fornecer contacto de alguma empresa que faça mais barato que 620€?
    Obrigado

    Ricardo Faria

  3. Avatar
    João Pereira Reply

    Boa tarde,

    Parabéns pelos posts. São de extrema utilidade para uma pessoa que é nova nestas andanças.

    Em relação ao novo decreto lei quanto ao auto-consumo (162/2019 se não estou em erro) o que parece mudar então é que a energia produzida não-consumida e injetada na rede passa a poder ser vendida (ou reembolsada). Estou a perceber bem?

    Entretanto pedi um orçamento indicativo à EDP para compra e instalação de 3 painéis, tendo o orçamento ficado em 1777€ (parece-me um exagero e vou certamente pesquisar outras alternativas). No entanto liguei a pedir informações sobre este novo regime de auto-consumo, no qual posso ser simultaneamente consumidor e vendedor, mas não me conseguiram de forma alguma dizer quanto mais teria que pagar para vender energia.

    Suponho que tenha que ter um contador bidirecional ou 2 contadores. Além disso é preciso mais alguma coisa? Estou curioso em saber qual o procedimento e em quanto dinheiro me ficaria a mudança de consumidor apenas para consumidor + vendedor.

    Cumprimentos,

    João

  4. Avatar
    Joao Correia Reply

    Pergunto se com a mudança da “lei do auto-consumo” toda a energia gerada pelos painéis solares que é desperdiçada actualmente e doada a rede por não poder ser consumida instantaneamente se não passará a ser contabilizada como credito para ser descontada na factura do consumidor no mês seguinte?

  5. Avatar
    Amelio Corsa Reply

    Faz hoje um ano que instalei 2 painéis fotovoltaico por € 1.000,00

    Num ano poupei € 213.00 . Sendo assim tive uma rentabilidade superior a 20% num ano.

    No meu caso esta a ser um óptimo investimento , se tudo correr bem terei o “Break-even´´ dentro de 5 anos .

  6. Avatar
    Guilherme Fortes Reply

    Olá Pedro,
    Obrigado pela partilha dessa informação.

    Tenho instalados 2 painéis, há coisa de 2 anos, mas não tenho como ver o histórico da minha produção e consumo.
    Podes partilhar o(s) software(s) que usas para criar os gráficos que partilhou?

  7. Avatar
    Afonso Reply

    Bom dia, instalei 3 painéis e vejo que quando não uso a energia produzida, o contador está a andar com aquela rodinha para trás. Na prática isso não é estar a ser reembolsado?

  8. Avatar
    Albino Rodrigues Reply

    Boa noite, tenho um consumo de energia por mês por volta de 60 euros. Será que compensa investir em paineis solares.
    Obrigado Albino

  9. Avatar
    Gumercindo Ferreira Reply

    Boa tarde
    Eu investi mais de 2000 euros em painéis fotovoltaicos , para aproveitar 75% da produção, isto com muito controlo no consumo.
    A EDP com investimento de ZERO fica com 25% da que me sobra.
    Será que o governo não poderia
    Obrigar a EDP a devolver pelo menos 50% dessa energia que entra na REDE a custo zero.
    Desta forma no meu caso passava de 4×250 w para 8x250w de emediato, e penso que muitas outras pessoas fariam o mesmo, isto pelo País inteiro imaginem a quantidade de energia verde que se iria produzir

  10. Avatar
    Luís Fonseca Reply

    Boa tarde Pedro! Sinceramente não sei como é que estava a pagar 0,1810 €/KWh, em tarifa simples ?! Parabéns pela sua iniciativa de divulgação. Abraço

    • Pedro Andersson
      Pedro Andersson Post authorReply

      Olá. Eu sei que há mais barato. Mas compensa-me por causa dos “códigos amigo”. Como tenho mais de 40 amigos quase não pago eletricidade 🙂

  11. Avatar
    José Rocha Reply

    Bom dia estimado Pedro Andersson,
    Desde já os meus parabéns pela iniciativa, a sua perseverança é de louvar, as sua análises e gráficos que partilha são um contributo para clarificar este tema.
    Tal como você, eu também instalei energia solar com cedência gratuita ao comercializador, o estudo que me foi apresentado indicava um retorno a 5 anos… não foi porém essa estimativa que me levou ao investimento, a decisão foi considerando:
    i) viver na área geográfica com mais horas de sol, o Algarve; o que implica mudança no paradigma de consumo idêntico ao longo do ano, por reduzir necessidade de aquecimento e aumentar a de refrigeração;
    ii) optar pelo consumo em exclusivo de energia elétrica (aquecimento água e para cozinhar);
    iii) a não remuneração das poupanças no sistema bancário! Pelas suas contas tem obtido um rendimento dos seu investimento (620€) superior a 10% líquidos, o que só por si, para quem tenha disponibilidades financeiras, leva que seja uma opção racional e vantajosa.
    Mais vantajosa será quando o despacho datado de 18 de junho deste ano, que isenta em 50% os consumidores que produzam e cedem gratuitamente à rede o excesso de produção dos CIEG! É neste ponto que peço indague e reproduza as suas conclusões aqui, ainda que eu não tenha tido sucesso, porque nem a ERSE nem a DGEG me responderam quanto ao modo de solicitar / beneficiar da isenção.
    Cordialmente,
    José Rocha

  12. Avatar
    Vítor Santos Teixeira Reply

    Pelas contas nao compensa. Poupar 5€/mês em média por ano. Melhor investir numa bomba de calor que o retorno é muito mais ou mudar os hábitos. Não ligar a torradeira e já poupei os 5€.

  13. Avatar
    Rui Brito Reply

    Boa tarde, Sr. Pedro,

    Relativamente à produção gerada pelos painéis solares e não consumida, este excesso pode ser vendido a um comercializador? Será que compensa? Estou a pensar instalar dois painéis numa moradia.
    Obrigado!

  14. Avatar
    LUIS MONTEIRO Reply

    Boa tarde caro Pedro.
    Depois de ler mais uma vez o teu relatório mensal, pergunto-me a mim mesmo se fiz bem em investir em 5 paineis fotovoltaicos de 400 W cada um.
    São, portanto, 2000 W de produção por hora, o que me tem dado, segundo valores na app, na ordem dos 400 kwh mensais.
    Contudo, na verdade apenas estou a consumir uma pequena parte desta produção, sendo que nem sequer estou a injetar na rede pública qualquer sobra, por não querer.
    Estou a ponderar instalar baterias, para poder usufruir durante a noite e nos períodos menos bons de produção com o que foi acumulado, contudo estas rondam os 3 a 5 mil euros, o que é uma exorbitância.
    A minha pergunta é se fiz bem instalar tantos paineis (assim foi recomendado pela empresa que instalou e que avaliou os meus consumos durante os últimos 12 meses antes da instalação) e mais ainda, se compensará mesmo gastar mais 3 ou 4 ou 5 mil euros para instalar duas ou 3 baterias.
    Obrigado

    • Pedro Andersson
      Pedro Andersson Post authorReply

      Olá Luís. O meu conselho é que ponha todas as máquinas que conseguir a funcionar durante o dia para não desperdiçar tanto. Sim, parece-me que investiu demais. As empresas querem é vender…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *