Os meus fundos de investimento – Balanço da semana de 17 de Agosto

Escrito por Pedro Andersson

21.08.20

}
8 min de leitura

Publicidade

Fundos de investimento – Balanço semanal

Todas as semanas venho aqui dizer-lhe – enquanto tiverem essa curiosidade – quanto estou a ganhar ou a perder com os meus Fundos de Investimento.

Há cerca de um ano e meio decidi começar a investir em Fundos de Investimento. Nunca na minha vida tinha investido em produtos sem garantia de capital. Sempre tive medo destas coisas. Mas decidi arriscar e estou aqui, como um cliente bancário “normal” a partilhar consigo a minha experiência.

Algumas pessoas estão a criticar-me por estar a falar deste tipo de investimentos de risco sem ser profissional da área. Mas acredito que é isso mesmo que dá algum interesse a estes meus artigos. São MESMO as experiências de uma pessoa normal que está a aprender e a dizer-lhe o que estou a descobrir e o que estou a ganhar e a perder com isso. Para que você aprenda também. Depois o que você faz é consigo.

Concluí que de facto, para fazer crescer o nosso dinheiro, em algum momento, terá de colocar parte do seu dinheiro em produtos sem capital garantido.

Para perceber como funcionam na prática estas ferramentas de investimento, semanalmente digo-lhe se estou a ganhar ou a perder dinheiro. São dados reais e não simulações de um banco ou corretora.

Expliquei neste artigo AQUI porque estou a fazer isto, onde tem vários avisos e explicações – que deve ler – sobre porque deve conhecer várias alternativas de investimento, semanalmente vou dizer-vos como está a evoluir a minha carteira de fundos de investimento para que perceba que, ao contrário dos depósitos a prazo, o seu dinheiro sobe e desce todos os dias. 

Quando ganhar dinheiro digo, quando perder também digo. Não lhe estou a vender nada, apenas quero partilhar informação. Nenhum artigo neste blogue é pago por ninguém. O meu objetivo é unicamente contribuir para a nossa literacia financeira.

Semana de 17 de Agosto de 2020

Comecemos como habitualmente com o desempenho semanal dos meus 3 fundos “Poupança Covid-19”.

Continuo a perder dinheiro

Como em minha casa eu e a minha mulher poupamos várias centenas de euros (porque ambos continuámos a trabalhar) durante esses meses da Covid-19, decidimos pegar nesse dinheiro e (já que seria dinheiro que seria entregue às gasolineiras, restaurantes, escolas, portagens, etc.) investi-lo com mais risco. Felizmente conseguimos dar-nos a esse “luxo”. Há famílias que devem colocar este dinheiro num Fundo de emergência e NUNCA os colocar em produtos de capital não garantido.

Subscrevi um fundo com o que a minha mulher não gastou durante o Estado de emergência (combustíveis e alimentação = 225,75 €), outro com o que o meu filho mais velho não gastou (passes e alimentação na escola = 153,12 €) e outro com o que o meu filho mais novo não gastou (a mensalidade da escola privada baixou e não teve atividades extracurriculares = 248,26 €).

Esta semana

Semana anterior

Se comparar com o balanço da semana passada, verificará que dois subiram e um desceu. O “American growth” depois de ter crescido na semana passada quase 2%, agora desceu para um crescimento de apenas 1,68%. O “MSS US Advantage” voltou a crescer, para 3%. O “UBS-CAD” subiu de 1,65% para 2%.

Em resumo, nestas primeiras 6 semanas, os 3 fundos recuperaram praticamente tudo o que perderam logo no princípio. Mesmo assim, na soma dos 3 fundos AINDA continuo a NÃO GANHAR DINHEIRO, como poderá ver neste gráfico. A explicação está no câmbio porque dois deles estão em moedas estrangeiras (dólares americanos e dólares canadianos).

A média dos meus 3 fundos de investimento “Poupança Covid” continua negativa. Se resgatasse neste momento os fundos que subscrevi no início de Julho, perderia 1,25€. Em todas as situações, ainda é preciso descontar os 28% para o IRS ou de taxa liberatória se forem fundos nacionais (nos depósitos a prazo seria a mesma coisa). Mas os 28% são só sobre as mais valias, neste caso seriam menos valias, portanto não pagaria nada de impostos.

Para quem está a ler este tipo de relatos pela primeira vez pode ser assustador. Então eu ponho lá o dinheiro e passados uns dias estou a perder dinheiro? Quero que perceba que é perfeitamente normal. Isto é uma coisa para ter a 5 ou mais anos, ou até atingir o seu objetivo. Se chegar aos 20 ou 30% nada o impede de resgatar nesse dia :).

Nestes exemplos, quando falamos em percentagem de crescimento tem de levar em conta o câmbio. Isso tanto pode favorecê-lo como prejudicá-lo. Portanto, se um dia subscrever Fundos de Investimento pela primeira vez escolha em euros para ter uma leitura mais fácil para si.

Neste caso, os valores que lhe dou já são depois do câmbio diário. O Banco faz essas contas automaticamente.

No total dos 3 fundos, no dia 16/7/2020 subscrevi 627,13 € e se resgatasse neste momento só me devolviam 625,88 €.

Repito o alerta de sempre que esta estratégia é APENAS para uma pequena parte das suas poupanças a que se possa dar o “luxo” de perder.

Os meus outros fundos

Tenho um fundo “principal” que tento reforçar todos os meses, independentemente do que estiver a acontecer nas Bolsas. Interessa-me o longo prazo e não o curto prazo.

Como pode ver, a unidade (valor 1 no gráfico) que tem vindo a crescer mais (que subscrevi a 13 de Março) esteve a crescer 30,49%, depois desceu para 26,79%, na semana passada esteve a crescer “apenas” 27,30% e esta semana voltou a 29,38%.

A unidade que comprei mais caro neste período de 1 ano (valor 2 no gráfico) está a crescer 2,58%. A conta que tenho de fazer é a média de todos eles. Mensalmente recebo um extrato do banco com esse valor. Não tenho de estar a fazer essa conta.

Repare como aqueles 60 euros em 3 semanas estão a crescer 25 vezes mais do que um depósito a prazo a 1 ano. Foi isto que me pôs a pensar no início. Também podia estar a perder (como aliás estou nos meus fundos Covid-19).

O outro fundo que mantenho neste banco, voltou a crescer para 15,44%, como pode ver no print screen acima.

É mesmo assim. Depende de como as ações contidas nos respetivos “cabazes” se comportaram na bolsa nos últimos dias.

Podem ser pequenas poupanças. Não é preciso ser rico para ter um fundo de investimento (bastam 15 ou 20 euros). No print screen acima tem lá os valores que investi.

Cada fundo, sua rentabilidade

Nestes outros fundos, noutro banco, todos estão atualmente positivos. Todos cresceram esta semana cerca de 1%.

O que pretendo mostrar-lhe é que o que conta verdadeiramente ao longo do tempo é a MÉDIA de todos os seus investimentos e não apenas um que cresce muito ou um que desce muito. O fundo “melhor” neste momento está a crescer 14,02% e o “pior” apenas 2,63%. Repito, todos estes fundos NÃO TÊM garantia de capital.

Esta semana

Na semana passada

Nesta fase dos meus investimentos (cerca de 1 ano e meio) sinceramente não sei ainda quando os vou resgatar. É importante que perceba que posso (e já o fiz no ano passado) resgatar qualquer destes fundos total ou parcialmente.

Vamos imaginar que por exemplo 12% de crescimento do fundo “MFS” acima para mim já é óptimo e quero “garantir” esse dinheiro. É só clicar no fundo no homebanking e clicar em vender e passados 4 ou 5 dias o valor está na minha conta. Só isso. É muito menos complicado do que eu imaginava.

E pronto, depois faço com esse dinheiro o que eu quiser. Gasto, guardo ou volto a investir num outro fundo ou em produtos de capital garantido como Certificados de Aforro ou do Tesouro. Você é que sabe.

É importante fazer constantemente esta avaliação porque na semana que vem podem estar todos em queda 10 ou 15% e perder todos estes “ganhos”. Quando isso acontecer, o “segredo” é não vender e esperar que recupere.

A outra estratégia é deixar isto crescer até 5 ou 10 anos antes da reforma. Nessa altura deve garantir que não perde o que já ganhou.

Repetirei estes avisos em todos os balanços semanais. Estou a achar esta experiência muito interessante. Espero que vocês também.

Alguns leitores do blogue sugerem também a subscrição de ETF (pesquise no Google) que terão menos comissões do que estes Fundos e são menos voláteis (mexem mais lentamente para cima e para baixo). Também estou a testar esse produto (subscrevi 3 sempre com valores muito pequenos para experimentar) e estou a ver como corre para vos falar da minha experiência. Estiveram todos negativos, mas neste momento já estão todos positivos e cresceram mais um pouco esta semana.

Veja neste vídeo como subscrevi os meus fundos.

Avisos

Nunca deve ver a minha carteira de investimentos ou o que eu digo como um conselho sobre como e onde deve investir ou que fundos deve escolher. Há milhares de fundos. 

Não tenho qualquer formação financeira e sou um simples cliente bancário com muita curiosidade. Quando quiser subscrever fundos pela primeira vez deve contactar um gestor especializado no seu banco ou corretora. Nunca invista dinheiro de que vai precisar. Pode perder dinheiro, se precisar levantá-lo numa altura em que estiver com valores negativos e não puder esperar meses ou anos até que eles recuperem.


 

Acompanhe-nos AQUI

Podcast

Leia os livros “CONTAS-POUPANÇA”. É só clicar AQUI ou nas fotos dos livros.

 

 

Publicidade

Sobre mim: Pedro Andersson

Ir para a página "Sobre Mim"

Siga-nos nas Redes Sociais

Para si | Artigos Recentes 

Apanhei um Uber… e o motorista “ganhou” 4.797 euros

Uma viagem que deu lucro... Apresento-vos o José Silva. É condutor de Uber. O meu carro (um GOLF IV que tem 22 anos e está aí para as curvas) foi pintado todo de uma ponta à outra e ficou pronto hoje. Chamei um Uber para o ir buscar à oficina. Assim que entro no Uber,...

EURIBOR HOJE | Taxas descem em todos os prazos

Euribor Diariamente, divulgamos aqui na página "Contas-poupança", o valor das taxas Euribor a três, seis e 12 meses. Embora as alterações diárias não tenham um impacto direto na sua prestação do crédito à habitação, são um indicador precioso para perceber a tendência...

PODCAST | #248 – Amortizar o Crédito à habitação faz baixar o IRS? (A pergunta do João Paulo)

Amortizar o Crédito à habitação faz baixar o IRS? O João Paulo este ano quase que pagou IRS em vez de receber reembolso. Ele está preocupado com o ano que vem, porque tem feito muitas horas extraordinárias. Uma das possíveis estratégias dele é amortizar o crédito à...

COMBUSTÍVEIS | Qual é o preço justo esta semana? (10 a 16 de junho)

Qual deveria ser o preço justo? A ERSE faz semanalmente as contas para o consumidor saber qual é o preço "justo" dos combustíveis face ao preço das matérias-primas e transportes de combustível. Esse preço "justo" já inclui uma margem de retalho de cerca de 10% para as...

Nova versão do Cartão de Cidadão já está disponível

Cartão de Cidadão é agora mais tecnológico e seguro A nova versão do Cartão de Cidadão, anunciada em março ainda pelo anterior governo, está oficialmente disponível a partir desta terça-feira. As alterações estão em linha com a mais recente legislação europeia e com...

EURIBOR HOJE | Taxas descem a 3 meses e sobem a 6 e 12

Euribor Diariamente, divulgamos aqui na página "Contas-poupança", o valor das taxas Euribor a três, seis e 12 meses. Embora as alterações diárias não tenham um impacto direto na sua prestação do crédito à habitação, são um indicador precioso para perceber a tendência...

PPR | Quanto estou a ganhar (ou a perder) com os meus PPR (Maio de 2024)

Vale a pena fazer um PPR como investimento? (Mês #43) Maio foi o melhor mês de sempre na soma dos meus 10 PPR. Até ao momento tenho uma valorização de quase 11%. Não consigo neste momento fazer uma conta exata ao juro anualizado ao longo destes 3 anos porque subscrevi...

EURIBOR HOJE | Taxas descem a 3 meses e sobem a 6 e 12

Euribor Diariamente, divulgamos aqui na página "Contas-poupança", o valor das taxas Euribor a três, seis e 12 meses. Embora as alterações diárias não tenham um impacto direto na sua prestação do crédito à habitação, são um indicador precioso para perceber a tendência...

GÁS | A lista das 10 empresas mais baratas (Junho de 2024)

GÁS | As 10 empresas mais baratas este mês Em Junho, o preço do gás natural no mercado regulado continua a ser o mais barato em Portugal. Chega a ser quase metade em relação às marcas mais caras. Está a aproveitar esta poupança? As grandes empresas este mês baixaram...

PODCAST | #247 – Como perder o medo de investir e começar a ganhar dinheiro?

Como perder o medo de investir e começar a ganhar dinheiro? Tenho recebido muitas mensagens de pessoas que dizem que finalmente ganharam coragem e começaram (a medo) a investir. Outras continuam a dizer que "nem pensar" e que nunca vão tirar o dinheiro da conta à...

Publicidade

Artigos relacionados

16 Comentários

  1. Tiago

    Olá Pedro,
    Antes demais, agradecer-lhe pelo excelente serviço público que tem prestado ao longo dos anos. No meu caso particular tenho de agradecer-lhe porque ao acompanhar sobretudo este blog e ao ler um dos seus livros pude aumentar a minha literacia financeira e com isso desenvolver melhores mecanismos de poupança/investimento.

    Relativamente a este tópico, gostaria de saber se o Pedro está a seguir alguma estratégia em particular ou simplesmente está a seguir conselhos do seu gestor ou então a trilhar o seu caminho naquilo que considera como apostas de valor. Pergunto isto porque neste momento também estou a entrar (ainda numa fase de estudo) neste mundo de Fundos/ETFs mas tendo como objectivo aplicar uma estratégia de longo termo em que o objectivo não é bater o mercado mas sim ter ganhos ponderados num intervalo de tempo relativamente grande (20/30 anos).

    Obrigado

    Responder
    • Pedro Andersson

      Olá Tiago, nesse caso aconselho-o a ouvir o conselho dos gestores de conta (de investimento, não sos “normais do balcão”) do banco que escolher. A minha estratégia é baseada no meu “achismo”. Ao longo deste ano vi como se comportavam cerca de 10 fundos aconselhados pelos gestores de conta (nesta caso do ActivoBanco e do Best) (com cerca de 50 ou 100 euros cada um e fui vendo como se comportavam. Desisti de alguns que não aqueciam nem arrefeciam e comece a reformar os 5 ou 6 que todos os meses têm crescido um pouco. No meu caso não é grande ciência :). Seja como for estou contente com os resultados. Até agora claramente muito superiores a qualquer investimento que alguma vez tive. Estou também a arriscar algum dinheiro em ações, mas já percebi que são um pouco um “jogo”. É muito mais arriscado porque estamos a falar de apenas uma empresa de cada vez. SE corre mal, corre MESMO mal, se corre bem, pode correr MUITO bem. Aconselho a começar pelos fundos de investimento com um valor que para si seja relativamente pequeno para conhecer como funciona. Daqui a 6 meses faz nova avaliação. E retira ou reforça. Acho que o segredo é reforçar sempre que possível ao longo do tempo. Como se fosse um porquinho mealheiro que vai engordando. Mas nunca coloque lá dinheiro que não possa perder. Pode estabelecer um limite máximo de lucro e sempre que atinge esse limite de lucro retira para um produto com capital garantido. Por exemplo, sempre que tiver 1.000 euros de lucro resgata esse valor do fundo e mantem o valor base. Ou deixa estar tudo como está até chegar aos tais 20 30 anos e vai ter lá (suponho eu) uma bela maquia como tem mostrado a história a pesar dos graves percalços que acontecem. E vão voltar a acontecer. Desde que perceba isso não se sentirá desiludido. É a minha opinião de não especialista. Isso deve ficar muito claro.

      Responder
  2. Rui Alves

    Boa noite Pedro.
    Efetivamente vejo so referencias a ganhos e perdas referentes a valores base, como exemplo dos 60 euros no seu texto e dos pequenos ganhos percentuais. Mas nao esta a contabilizar os custos de subscricao do fundo, de manutencao do fundo e de resgate que em muitos casos podem ter valores percentuais superiores aos ganhos indicados. Estas despesas nao as esta a incluir pelo que muitos dos fundos com pequenos ganhoa acabam por ser prejuizo face as referidas comissoes. Ou sera que estou a perceber mal?

    Responder
    • Pedro Andersson

      Olá. Por isso é que é importante escolher muito bem os seus fundos. Ler a ficha dele com muita atenção como mostro no vídeo. Não escolho nenhum fundo com comissão de resgate, nos 2 bancos que uso não tenho comissões de manutenção. Só um fundo (que já não tenho) tinha comissão de subscrição mas o gestor disse-me que o rendimento compensava rapidamente e de facto aconteceu. Podia não ter acontecido. A única comissão que pago é a gestão do próprio fundo e esse está incluída na rentabilidade. Ou seja se digo que cresceu 5% é porque ele cresceu 6% (exemplo) e os gestores do fundo foram buscar o 1% combinado na ficha do produto. Até agora o que tenho pago é o IRS ao fim do ano sobre as mais valias descontando as eventuais comissões que paguei ou pagaria. Se escolher mal o fundo pode de facto pagar essas comissões que refere, aliás como tenho alertado em relação aos PPR. O que eu fiz no princípio foi subscreverc100 euros e depois resgatei-os e fiz as contas todas ao que investi e o que entrou de volta na minha conta à ordem. Foi assim que me convenci e percebi como funcionam.

      Responder
  3. Tiago

    Obrigado, Pedro.

    Eu neste momento diria que estou mais virado para uma atitude de investidor passivo, mas estou mais aberto a diferentes possibilidades e diversificar.
    Durante meia dúzia de anos apenas olhei para os DPs, isto enquanto ia acumulando poupança, e os DPs iam saltando de banco em banco. Basicamente diria que neste momento para aí 90% do meu das minhas poupanças está aí investido, sendo que a minha ideia será diminuir essa percentagem sem diminuir a reserva (na prática irei procurar investir noutras vertentes, já que este dinheiro um dia poderá ser útil para dar entrada numa casa).

    Mais recentemente abri-me ao campeonato dos PPR/Fundo de Pensões. Estou neste momento com um Fundo de Pensões alocado ao NB (por motivos profissionais compensa-me) e também ao PPR Fundo AR para poder diversificar. Basicamente a ideia é deixar os dois fundos esquecidos a trabalhar e ter o benefício fiscal associado. Adicionalmente estou a criar um terceiro PPR de seguro da PSN não numa lógica de arriscar mas sim de rendimento superior aos DPs, sendo que aqui fico com maleabilidade para futuramente poder aplicar o dinheiro em diferentes cenários (tanto pode ficar esquecido a render, como o posso usar no futuro como fundo de maneio).

    Chegado aqui, estou neste momento numa terceira fase que é tentar entrar numa nova via de investimento passivo usando ETFs. A ideia em princípio será numa primeira fase investir em ETFs de acções vs obrigaçoes, preferencialmente 1 de cada, e basicamente “esquecer” o dinheiro, numa lógica de investimento a longo prazo (20/30 anos), fazendo balanceamentos esporadicamente (tipo de X em X meses). Basicamente o meu objectivo antes de entrar neste campeonato é aumentar a minha literacia financeira, mas sobretudo tentar perceber quais as percentagens ideais para mim de forma a aguentar os momentos de queda abrupta do meu património (num cenário tao long term serão inevitáveis) sem que isso interfira com o meu sono e sem “panicar”. Basicamente é um exercício que implica ganhar conhecimento técnico mas sobretudo conhecer-nos a nós próprios…

    E mais uma vez parabéns pelo excelente trabalho que tem desempenhado no sentido de “educar” financeiramente os protugueses (é nitidamente uma pecha no nosso sistema de educação…).

    Responder
  4. Pedro Sousa

    Olá Pedro, fora do tema, o seu programa na Sic e na Sic Notícias, com a covid, deixou de existir, já é tempo de voltar, será que em hora e meia a duas horas do Jornal da Noite não há espaço de cinco minutos para o programa Contas Poupança? Reduzem o tempo dedicado à Covid, que já cansa, e utilizem esse tempo para outros temas.
    Cumprimentos.

    Responder
  5. Pedro Batista

    Bom dia Pedro,

    Graças as anteriores análises sobre este tema acabei também eu por me aventurar nesta coisa dos fundos de investimento.

    Investi inicialmente em dois fundos geridos pela GNB, sendo o NB Momentum e o NB Obrigações Europa.

    Estou como o Pedro disse.. achava que isto ia ser bem mais complicado.

    Para já está a correr bem mas ainda não têm 2 semanas…

    Um abraço e obrigado!

    Responder
    • Pedro Andersson

      Abraço. Não se esqueça de que passará muitos momentos em que “correrá mal” mas é normal 🙂

      Responder
  6. Nuno Ferreira

    Olá Pedro,
    Antes de mais queria dar-lhe os parabéns pelo excelente trabalho que tem realizado.
    Queria perguntar-lhe se a conta é cartão do activobank tem custos associados?
    Obrigada

    Responder
    • Pedro Andersson

      Olá. Até hoje paguei zero de tudo. Sou cliente há cerca de 10 anos.

      Responder
  7. Helena

    Olá Pedro.

    Muito obrigada por todos os ensinamentos e partilha de experiência neste mundo de investimento. Por favor continue com este excelente trabalho. Só temos a ganhar com mais literacia financeira nas nossas vidas.
    Gostaria de perguntar se tem alguma forma de gerir os seus investimentos sem ser só pelo que é fornecido pelo banco, isto é, algum excel onde vai acompanhando estes valores? Se sim, poderia partilhar connosco o Template?

    Responder
    • Pedro Andersson

      Olá. É uma coisa simples. Uma vez por mês anoto o valor total de todos os fundos e faço um gráfico. É uma linha com a data e o valor :). Não é nada de complicado. Até tinha “vergonha” de lhe mandar esse Excel 🙂

      Responder
  8. Tânia Roberts

    Olá Pedro,
    Obrigada pelo trabalho e partilha!
    Uma dúvida relativamente à fiscalidade, a retenção na fonte é feita pelo Banco ou temos de ter um registo dos ganhos/perdas para depois declarar no IRS?
    Como declara no IRS? O Banco fornece algum extrato anualmente?
    Muito Obrigada

    Responder
  9. dispensador de sabão em cobre

    hello, I’m very grateful after googling and found some interesting articles on this website, keep writing and later I will come again to see your latest posts.. Isso é bem interessante …

    Responder
  10. Oscar Gouveia

    Olá Pedro,

    Os seus ensinamentos e partilhas são essenciais para a literacia financeira de todos aqueles que se dão ao trabalho de ver o programa, o canal do YT e este blog.
    Relativamente a este tema dos fundos e apesar de os especialistas dizerem que devemos diversificar tanto no que respeita ao tipo de fundo como nos mercados, creio que para os valores que se apresentam aqui investir em fundos de moeda estrangeira é pouco recomendável. Ter de lidar com o câmbio acaba por “comer” a recuperação que os fundos têm, como você mesmo já constatou e especialmente numa altura em que o euro está mais forte do que o dólar. Isto até pode levar a pensar que é a altura ideal para entrar em força no mercado americano, mas sinceramente não estou a ver o dólar a valorizar acima do euro. Pessoalmente, opto por fundos em euro (alguns apesar de serem em mercados fora da zona euro são pagos em euros sem ter de se lidar com câmbios). Considero como excepção a compra de acções no mercado americano, mas apenas de empresas específicas. Por exemplo, no auge da pandemia e do confinamento (março) as acções da Tesla estavam a 361,22$, comprando uma acção apenas e mesmo tendo em conta o pagamento de uma comissão ao banco, hoje essa ação está nos 2049,98$. São umas valentes paletes de pacotes de leite!

    Responder
    • Pedro Andersson

      Olá. Absolutamente de acordo. Para iniciar, só fundos em euros. Como andava à procura de fundos que coubessem especificamente naqueles mini orçamentos da poupança covid o leque de escolha foi menor. Só depois de os subscrever, ao fazer os primeiros balanços para quem segue o blogue é que me apercebi da dificuldade do câmbio. Não atrapalha mas dificulta a leitura mais direta. Agora imagine, as ações da Tesla foram das primeiras que comprei há uns meses. Vendi-as quando ganhei 100 euros em cada uma. E fiquei todo contente :).

      Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Partilhe o Artigo!

Partilhe este artigo com os seus amigos.