Fundos de Investimento | TOP 10 dos Fundos Nacionais Mais Rentáveis (APFIPP) – Semana de 31 de Julho

Escrito por Pedro Andersson

10.08.20

}
8 min de leitura

Publicidade

Semana de 31 de Julho de 2020

Semanalmente partilho convosco o TOP 10 dos Fundos de Investimento NACIONAIS divulgado pela Associação Portuguesa de Fundos de Investimento e Patrimónios (APFIPP). Estes dados são públicos. O meu objetivo é simplesmente que vá acompanhando a rentabilidade dos Fundos de Investimento como ferramenta para pôr o seu dinheiro a crescer (muito) mais do que apenas nos depósitos a prazo. Não quer dizer que invista, mas pelo menos fica a conhecer. Estes produtos não têm capital garantido.

Como pode ver esta semana, há 3 novas entradas no TOP 10. E ao mesmo tempo dá para ver também que as rentabilidades gerais desceram. A maioria anda a render agora cerca de 4%. Isso deve-se naturalmente às quedas nas bolsas nos últimos meses por causa da Covid-19 que fizeram descer bastante a média das rentabilidades nos últimos 365 dias.  É por estarmos agora numa altura de “queda” que deve ponderar investir, antes que as bolsas recuperem totalmente. Nessa altura já irá tarde, porque não vai aproveitar estes “saldos”. Mas confirme sempre estas informações com o gestor de conta do banco onde pretender investir.

Atenção às comissões de guarda de títulos e manutenção de contas de investimento e afins. É de fugir a todo o custo a menos que compense o rendimento apesar disso tudo. Eu opto por bancos que não me cobram isso.

O que são Fundos de Investimento? Quais os fundos nacionais mais rentáveis?

Esta informação semanal é para os poucos portugueses que estão dispostos a subscrever produtos financeiros sem capital garantido. Se nem quer pensar em arriscar um pouco do dinheiro que tem, não perca tempo a ler esta informação. Os Fundos de Investimento são “cabazes” de ações e obrigações geridos por profissionais nos bancos e corretoras. Compra um “cesto” e o valor dele vai subindo ou descendo conforme o comportamento do conjunto de ações selecionadas nas bolsas. É estar na Bolsa sem estar diretamente. É ótimo para quem não percebe nada disto começar a investir uma pequena parte das suas poupanças. Tem o meu exemplo aqui.

O ponto que deve fixar é que se quer pôr o seu dinheiro a trabalhar para si e ganhar dinheiro com o seu dinheiro terá de um dia arriscar um pouco. Normalmente entregamos o nosso dinheiro aos outros (aos bancos, nos depósitos a prazo) para eles ganharem dinheiro com o nosso dinheiro. Em parte, eles pegam no nosso dinheiro, colocam neste tipo de produtos (e outros muito mais complexos) e ganham eles com o esforço do seu trabalho. Se for você a investir o seu dinheiro há uma inversão dos papéis.

O que vai encontrar neste artigo semanal?

Os Fundos de Investimento são um mundo de altos e baixos diários. Semanalmente recebo informação da APFIPP (Associação Portuguesa de Fundos de Investimento e Fundos de Pensões) com os 10 Fundos nacionais mais rentáveis nos últimos 365 dias. Esta informação é pública e está no site deles. Reproduzo apenas o que recebo. Não faço análises nem dou conselhos de investimento. O meu objetivo é incentivar a literacia financeira, para que perceba como funcionam estes produtos e suscitar a sua curiosidade. As decisões sobre como gere o seu dinheiro são exclusivamente suas.

O meu objetivo com estes artigos é que passem a ACOMPANHAR a evolução dos fundos que vos interessam (estes e muitos outros) para depois saberem quando é boa altura para comprar ou para vender. Se nunca começarem a olhar, nunca perceberão como funciona. Nunca invista dinheiro de que pode vir a precisar nos próximos meses ou anos. É a regra “sagrada”.

Ao olhar semanalmente para a lista vai verificar que muitos fundos que estavam no Top 10 na semana passada deixaram de estar e que muitos novos entraram nesta semana. O segredo, se é que há algum, é escolher dois ou 3 fundos de vários níveis de risco por exemplo um de risco 3, um de risco 5 e um de risco 6 e ir investindo ao longo do tempo com regularidade. Se começar a trocar de fundos só porque vê outros a crescer mais do que o seu isso só vai trazer-lhe stress e não chega a ver os fundos a fazerem o seu trabalho. Cada um deles tem uma estratégia diferente. Numa semana em que as bolsas caem, os fundos moderados vão crescer mais do que os arrojados e vice-versa.

Nesta fase, é apenas este detalhe que gostava que percebesse. Este Top 10 da APFIPP não é uma corrida para ver quem chega em primeiro lugar. Eu uso-o só para perceber que tipo de ganhos é possível ter com Fundos de Investimento em geral. Claro que é interessante saber quais são os que estão ao longo do tempo sempre nos primeiros lugares, esse detalhe pode ser importante na altura de escolher, como é óbvio. Mas não é num mês que vai ter essa noção. Dê tempo ao tempo. Vá acompanhando e tirando as suas próprias conclusões. Quando decidir arriscar e investir peça ajuda a um consultor financeiro do banco que escolher de preferência sem comissões, claro.


Avisos e Advertências

Antes de investir em Fundos de Investimento, deve informar-se bem junto do seu gestor de conta (no banco ou corretora/Gestora de fundos) sobre os riscos que corre e fazer a sua avaliação do perfil de risco (tem de preencher sempre um questionário primeiro). Investimentos de risco não são brincadeira. Pode perder parte do seu dinheiro se agir precipitadamente ou não souber lidar com momentos de crise/queda dos mercados.

Este Top 10 tem apenas os Fundos nacionais mais rentáveis. Não inclui os que mais perderam, que serão muitos. Há Fundos que todas as semanas entrarão em terreno negativo. A APFIPP não faz esse TOP 10. Antes de comprar/subscrever um Fundo (há unidades a partir de 25 euros ou até menos), deve ouvir as recomendações de profissionais da área e agir segundo as normas do setor que lhe serão transmitidas.

O que vai encontrar nesta lista não são recomendações de investimento, até porque há muitos outros fundos de investimento internacionais com rendibilidades superiores e inferiores e alguns destes mencionados na lista da APFIPP serão negociados junto de quem tem conta em determinados bancos e você pode não ser (nem querer ser) cliente desse banco. O meu objetivo é apenas que perceba de que tipo de rentabilidade estamos a falar quando nos referimos a fundos de investimento, sempre relativamente a quem os subscreveu há um ano.

Outra informação relevante é que devem ver sempre a evolução destes e de outros fundos nos últimos 5 anos. O facto de estarem a subir muito agora (no último ano) não quer dizer que continuem a subir assim no futuro. Mas veja sempre o passado.

Outro alerta: Os fundos da APFPP são só dos que estão inscritos nesta Associação. Há milhares de outros Fundos (nacionais e internacionais) que não fazem parte desta lista e que são melhores e piores do que os desta reduzidíssima lista de 10 fundos. São apenas um exemplo do que podem render alguns fundos. Isto são investimentos SEM CAPITAL GARANTIDO, ou seja, no limite pode perder todo o dinheiro que investiu e são dos mais arriscados. Há outros menos “perigosos” mas que rendem muito menos.

Alertas da APFIPP:

– Estes resultados não consideram comissões de subscrição e resgate, bem como outras comissões e encargos eventualmente suportados diretamente pelos participantes, que variam de acordo com as condições estabelecidas no regulamento de gestão de cada fundo.

– As informações constantes deste documento não consubstanciam qualquer tipo de aconselhamento a investidores o qual deverá ser prestado por entidades profissionais, nem dispensam a consulta de outra informação, nomeadamente a publicada oficialmente pelas Entidades Gestoras ou pelas entidades encarregues da colocação e comercialização dos valores mobiliários em causa.

-As rendibilidades divulgadas representam dados passados, não constituindo garantia de rendibilidade futura, porque o valor das unidades de participação pode aumentar ou diminuir em função do nível de risco que varia entre 1 (risco mínimo) e 7 (risco máximo).

– As informações contidas neste documento foram elaboradas tendo em conta os dados transmitidos pelas entidades gestoras ou divulgados pela CMVM. A APFIPP não se responsabiliza pela inexatidão ou deficiência dos dados que são transmitidos pelas entidades em causa nem pelos resultados das análises ao classificações elaboradas tendo por base dados deficientes ou incorretos.


 

Acompanhe-nos AQUI

Podcast

Leia os livros “CONTAS-POUPANÇA”. É só clicar AQUI ou nas fotos dos livros.

 

 

Publicidade

Sobre mim: Pedro Andersson

Ir para a página "Sobre Mim"

Siga-nos nas Redes Sociais

Para si | Artigos Recentes 

PODCAST | #216 – Vamos a contas | Quase não fiz descontos para a Segurança Social, qual vai ser a minha reforma?

Esta ouvinte do podcast (que quer ficar anónima) tem apenas 29 anos de descontos para a Segurança Social. Trabalha muito e recebe o seu salário, mas os "patrões" recusam-se a fazer descontos para a Segurança Social. Ela tem 64 anos e está muito preocupada com a...

Arrendamento | Rendas acessíveis alargadas a quem tem rendimentos mais altos

Limite de rendimentos máximos anuais para aceder a apoios ao arrendamento foi alargado para abranger mais cidadãos O valor máximo de rendimento anual para aceder ao Programa de Apoio ao Arrendamento foi aumentado, de acordo com uma portaria publicada em Diário da...

EURIBOR | Taxas sobem a três e 12 meses, mas baixam a seis

Euribor subiram hoje a três e 12 meses, mas recuaram no prazo de seis meses Contas-poupança | Inês de Almeida Fernandes Diariamente, divulgamos aqui na página "Contas-poupança", o valor das taxas Euribor a três, seis e 12 meses. Embora as alterações diárias não tenham...

COMBUSTÍVEIS | Qual é o preço justo esta semana? (19 a 25 de fevereiro)

Qual deveria ser o preço "certo"? A ERSE faz semanalmente as contas para o consumidor saber qual é o preço "justo" dos combustíveis face ao preço das matérias-primas e transportes de combustível. Esse preço "justo" já inclui uma margem de lucro de cerca de 10% para as...

EURIBOR | Taxas Euribor sobem em todos os prazos

Euribor subiram hoje a três, seis e 12 meses Contas-poupança | Inês de Almeida Fernandes Diariamente, divulgamos aqui na página "Contas-poupança", o valor das taxas Euribor a três, seis e 12 meses. Embora as alterações diárias não tenham um impacto direto na sua...

Segurança Social | Atribuição do Abono de Família já é automática

Segurança Social passa a atribuir automaticamente o Abono de Família, logo após registo do bebé na maternidade Contas-poupança | Inês de Almeida Fernandes Desde a passada sexta-feira, 16 de Fevereiro, o Abono de Família passou a ser atribuído automaticamente pela...

BURLAS | Não atenda telefonemas do “Banco de Portugal”

Banco de Portugal alerta para telefonemas fraudulentos que imitam o seu número telefónico O Banco de Portugal emitiu um alerta sobre chamadas telefónicas feitas por indivíduos que dizem ser seus colaboradores, usando um sistema que imita o número de telefone do BdP,...

Remuneração | Aumento real dos salários em 2023 foi de 2,3%

Salários subiram 6,6% em 2023, mas os ganhos reais para os trabalhadores foram apenas de mais 2,3% Contas-poupança | Inês de Almeida Fernandes O Instituto Nacional de Estatística (INE), revelou recentemente que o valor dos salários em 2023 aumentou 6,6% em termos...

EURIBOR | Taxas Euribor descem a três meses e sobem nos prazos de seis e 12

Euribor desceu hoje a três meses, mas subiram a seis e 12 meses Contas-poupança | Inês de Almeida Fernandes Diariamente, divulgamos aqui na página "Contas-poupança", o valor das taxas Euribor a três, seis e 12 meses. Embora as alterações diárias não tenham um impacto...

PODCAST | #215 – Como receber 750 € “grátis” para fazer um curso de formação na área digital

Qualquer trabalhador em Portugal pode receber 750 euros para fazer um curso de formação na área do digital. E se fizer a candidatura já, pode repetir mais 750 € no ano que vem. Chama-se Cheque Formação + Digital e no episódio desta semana explico-lhe quem tem direito,...

Publicidade

Comentar

Siga-nos nas redes sociais

Artigos relacionados

3 Comentários

  1. Antónia Pinto

    Os fundos de investimentos nacionais não valem a pena.

    Responder
  2. Constâncio

    Mais que investir em fundos é preciso investir na economia do País. Bens e criar empregos.. Depois o gestor dos fundos, foge e os meninos não podem perder o Investimento e o contribuinte é que tem de injetar dinheiro.
    Muitos desses fundos nem pagam impostos!
    Parem esses vícios das percentagens e trabalhem como os outros.
    É hora de construir património em vez de especulação e de confiar dinheiro a impostores…
    Já agora deixo uma pergunta:
    Esses magníficos fundos, não sofreram desvalorização de 25% na fase da pandemia ou já recuperou subitamente??

    Responder
    • Pedro Andersson

      Olá. Sim, perderam e já recuperaram. No meu caso.

      Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Partilhe o Artigo!

Partilhe este artigo com os seus amigos.