COVID-19 | Crianças com 10 anos obrigadas a usar máscara




A partir de 10 anos têm de usar máscara

O uso das máscaras ou viseiras por crianças nas escolas e nos transportes públicos passa a ser obrigatório a partir dos 10 anos, foi decidido esta sexta-feira pelo Governo.

Na primeira fase de desconfinamento, que se iniciou a 4 de Maio, a obrigatoriedade de máscaras era a partir dos seis anos de idade. Agora aligeirou um pouco.

O comunicado do Conselho de Ministros clarifica que “a obrigatoriedade do uso de máscaras ou viseiras nas escolas e na utilização de transportes coletivos de passageiros se aplica às crianças com idade igual ou superior a dez anos”.

Esta clarificação é uma das medidas incluídas na nova fase de desconfinamento que se inicia na segunda-feira.

Entre as medidas estão a retoma das visitas em lares, a reabertura das creches e dos equipamentos sociais de apoio à deficiência, aulas presenciais para os 11.º e 12.º anos, e a reabertura de algumas lojas de rua, cafés, restaurantes, museus, monumentos e palácios.

Eu sei que a maior parte das crianças está em casa e, por isso, não estão a usar máscaras. Mas será uma questão de tempo até começarem a sair. Devem começar a prever (creio que já o estão a fazer) essa despesa diária e semanal, caso usem transportes públicos. Basicamente, passa a ser uma despesa do tipo um café (50 ou 60 cêntimos) para  todos sempre que saírem de casa para um sítio público.

Hoje fui a um Minipreço e na caixa estavam a vender 10 máscaras a 5,40 €. Ou seja, fica a 54 cêntimos cada uma.  Comprei, mas ainda acho caro.

Gostava que deixassem nos comentários como conseguiram (se já têm) as vossas máscaras e quanto pagaram por elas e onde para podermos comparar e percebermos onde estão mais baratas.



Acompanhe-nos AQUI

NOVO LIVRO “CONTAS-POUPANÇA” 34 dicas para poupar muito mais e fazer crescer o seu dinheiro em 2019. É um livro que se paga a ele próprio apenas com uma dica. Se quiser conhecer também as dicas que demos nos primeiros 5 anos de programa, pode adquirir o livro “Contas-poupança I”. É só clicar AQUI ou nas fotos dos livros.

12 comentários em “COVID-19 | Crianças com 10 anos obrigadas a usar máscara

  1. Avatar
    Armando Gonçalves Reply

    Meu caro Gonçalo Madureira, só hoje reparei neste seu comentário e desde já lamento que tenha interpretado desta forma tão agressiva as minhas palavras. Quando digo que, se não fosse o seu comentário não teria feito o meu, é porque o post do Pedro era basicamente para saber sobre a experiência de cada um acerca das compras de máscaras descartáveis, o seu preço e o local de compra, isto tudo numa lógica de poupança à qual as intervenções do Pedro estão sempre subjacentes. No entanto o seu comentário vai mais além e vem ao encontro da minha opinião, que é da possibilidade de comprar máscaras reutilizáveis, porque na minha modesta opinião, podem ser mais baratas no custo por utilização e até terem um nível de proteção mais elevado, sendo que eu próprio e dei esse exemplo adquiri duas máscaras de nível 2 a um preço de 10 € a unidade, na expectativa de que as mesmas fossem reutilizáveis 50 vezes, o que daria um preço por utilização de 0,20 €, no entanto verifiquei que no mercado não existiam máscaras deste nível certificadas pelo Citeve com capacidade para proteger durante mais de 10 lavagens, embora agora já existam máscaras de uso geral nível 3 que estão certificadas para as 25 lavagens. Portanto Gonçalo, espero estarmos esclarecidos e só lhe peço que não seja tão emotivo nas suas apreciações, ao participarmos nestas redes sociais ou de partilha de informação, não poderemos esperar que todos tenham uma opinião igual à nossa, o que não faz dessas pessoas alguém menos válido ou muito menos de quem não se possa gostar. Existe uma frase de Martin Luther King que diz: Para criar inimigos não é necessário declarar guerra, basta dizer o que pensa. Espero que não seja esse o n/ caso, ainda por cima convergimos em vários pontos.
    Cumprimentos

  2. Avatar
    Bruno Reply

    boa tarde.
    alguém sabe onde encontrar legislação para justificar o uso, ou não, de máscaras em bébe de 2 anos?!
    Obrigado.

  3. Avatar
    Paula Barbosa Reply

    Ainda em Abril pesquisei na página do CITEVE e encomendei máscaras reutilizáveis na LaMask. Com a descida do IVA custam 26 € / 10 máscaras – 2,60 € cada uma. Para mim faz muito mais sentido do que usar descartáveis.

  4. Avatar
    Gonçalo Madureira Reply

    Boa noite, parece que alguém, Sr. Armando Gonçalves, referiu o meu nome e porque? Não sei muito bem o porque visto que eu não referi nem refiro nomes ou marcas.
    Eu disse o que estava na ficha de identificação do produto que comprei, esta ao menos têm ficha de identificação e ficha de como manusear a mesma correctamente e como proceder à sua lavagem, e sim é de uma empresa nacional.
    Nunca referi e até porque o meu comentário foi bastante curto e sucinto, que acreditava ou deixava de acreditar se a mascara faz 25x ou 50 ou apenas 5x, comprei por ser reutilizável e pelo menos por 5x será de certeza. Não estou para andar a comprar caixas de máscaras cirúrgicas, que são indicadas para pessoal da área médica, e que são para ser usadas uma vez e não repetir, se forem retiradas por algum motivo terão de ser imediatamente eliminadas do seu uso, e não usadas 5 ou 10x como algumas pessoas o fazem.
    Será que o material que vem da China está assim tão bem certificado? Seja este material cirúrgico ou de uso social, muitas chegam ao mercado sem qualquer certificado, preocupa-o esta situação?
    Sabe porque é que a referida entidade que refere ainda só certificou para 5x e não mais? Sabe porque a mesma entidade tem em mãos dezenas de processos de máscaras que foram produzidas segundo normas para durarem mais de 5x e ainda não foram as mesmas certificadas?
    Já que parece ser um entendido na matéria sugeria que responde-se, se possível, às questões que aqui deixo.
    Mas atenção que a questão do Sr. Pedro foi para deixar comentários sobre se já adquirimos máscaras e a que preços, e penso que seja importante referir que sejam as mesmas cirúrgicas ou sociais e reutilizáveis ou não porque acho que isso influência o seu respectivo preço.
    Peço desde já desculpa ao Sr. Pedro pelo comentário de resposta a um senhor, que para dar uma resposta teve de referir um nome de outra pessoa que não conhece nem sequer viu ou sabe que tipo de máscara foi comprada, e que depois fala em testes e não refere o porque de uma entidade ter ainda só testado produtos nacionais para cinco utilizações quando tem processos para certificação de várias empresas para vários tipos de máscaras com maiores capacidades de reutilização mas aos quais ainda não foram dados resposta e portanto até poderemos ter no mercado nacional máscaras com grande capacidade e de muito boa qualidade mas que não sabemos ainda porque ainda não foram testadas na verdadeira capacidade de quem as produziu sabe que possam durar e por isso pediram a dita certificação, até porque as empresas que as produziram cumprindo normas europeias usaram o que tinham de usar para que as mesmas tivessem a capacidade que dizem ter (e muitas colocam na ficha que acompanha o seu produto que já deram entrada do processo de certificação das mesmas mas que o processo ainda não foi finalizado) e por isso pediram a sua respectiva certificação, de nada valeria pedir a mesma se achassem que o material não aguentaria determinada condição porque saberiam de antemão que se assim fosse o mesmo não seria aprovado.
    Para finalizar, pedir ainda desculpa a quem gosta ou utiliza o novo acordo ortográfico, visto que não utilizo no meu discurso o mesmo.

  5. Avatar
    Armando Gonçalves Reply

    Este assunto das máscaras, é um tema muito interessante, mas que ainda não mereceu das autoridades uma abordagem séria e consistente. Provavelmente nada comentaria se o Gonçalo Madureira não o tivesse feito. Na verdade, o Pedro trouxe à conversa o custo das máscaras, mas neste comentário do Gonçalo, vem referido não só o preço como a sua reutilização e número de lavagens. Este é um tema como disse que tem prendido a minha atenção e que me tem feito perder/ganhar algum tempo. Assim, parece que posso concluir, na existência de um grande número de máscaras e que a maioria dos portugueses olha para elas como se fossem todas iguais ……. máscaras são máscaras, mas não é bem assim. As máscaras inicialmente, nem sequer eram recomendadas, isto porque seriam escassas e faltavam aos profissionais de saúde. Então uma série de fábricas em parceria com outras entidades pensaram, desenvolveram e executaram a feitura das mesmas. Até aqui tudo bem, mas a reboque destas iniciativas surgiram outras, muitas delas ofertas online de venda de material que não tem as mínimas condições quer de proteção quer de higiene. Mas não fugindo ao tema, comprar uma máscara por 1,80 € e ser reutilizável até 25 vezes é aparentemente uma grande compra, mas na realidade, aquilo que é importante, é saber da qualidade da mesma, quantas camadas de proteção, tipo de tecido, capacidade de respirabilidade, capacidade de retenção das partículas e se tem certificação para as lavagens indicadas. Em Portugal é o Citeve (Centro Tecnológico Têxtil) sediado em Famalicão que faz essa certificação e até agora nenhuma máscara está certificada para 25 lavagens, nem perto disso. Acredito sim, que possam existir modelos, que possam chegar e até ultrapassar esse número de lavagens, mas por 1,80€ ninguém vai produzir material com qualidade aceitável. A título de exemplo adquiri 2 máscaras à MO, a marca MO, integra o grupo Sonae, que estabeleceu uma parceira com a ESTAMPARIA TÊXTIL ADALBERTO PINTO DA SILVA, S.A. para fabrico da AD-PROTECT P MASK V1, supostamente e muito badalada pela comunicação social como a máscara de uso profissional nível 2 que resiste a 50 lavagens e que seria um Ferrari das máscaras. Ela neste momento está esgotada, embora esteja a ser comercializada por 10 € a unidade. Conclusão: A Citeve só a certificou até agora como resistente a 5 lavagens e eu depois de a usar (só têm uma medida) acho-a pequena para o meus rosto e muito desconfortável. A vossa pergunta pode ser esta, mas e então onde quer chegar com isto? Sugeria que o Pedro poderia aprofundar um pouco mais este tema e chamar a atenção a quem de direito com a rebaldaria que existe neste segmento. Posso colaborar e dar muitas mais indicações sobre o tipo de máscaras e a capacidade geral de proteção. Pedro, quem poderia fazer uns testezinhos seria a Deco….. não?

  6. Avatar
    Nelson Reply

    Sem intenção de fazer publicidade, apenas recebo no email e já comprei outros produtos (perfumes) nesta loja, sem problemas.
    https://maisperfumes.com/pt/home/1510-mascara-de-protecao-textil-lavavel.html
    https://maisperfumes.com/pt/home/1518-blister-1-mascara-menina-tecido-lavavel-alcool-gel-25ml.html
    A minha opinião é que é preferível utilizar as laváveis que as descartáveis… E até são fáceis de fazer em casa, desde que se tenha uma máquina de costura e algum tecido…

    A máscara pode ser substituída pela viseira a pesar de não ser tão fiável…

  7. Avatar
    Sonia matos Reply

    Boa tarde tambem comprei no mercadona 10 mascara 5.40€ mas arrependi me quando cheguei a casa e vi que eram made china…
    Alguem sabe onde se vende mascaras portuguesas ?

  8. Avatar
    Sílvia Tereso Reply

    Comprei no continente 50 máscaras por 19.99€, au seja 0.40€, foi há mais de 1 semana, agora eles têm mais são mais caras e diferentes.

  9. Avatar
    Margarida Reply

    Comprei de tecido para os adultos a 4,99 euros cada no intermarche.

  10. Avatar
    Gonçalo Madureira Reply

    Comprei a 1,80€ mas são sociais laváveis e reutilizáveis até 25x

      • Avatar
        Gonçalo Madureira Reply

        Boa tarde Rita, foi por intermédio de pessoa amiga, que arranjou umas feitas por uma empresa de tecidos Nacional, J. F. Almeida, SA., agora não sei onde ela as comprou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *