PODCAST | #15 – Está no lado BOM ou no lado MAU da crise (e como lidar com isso)?




Afinal a Covid-19 não é tão “democrática” como se pensava inicialmente

Confesso que nos primeiros dias da crise pensei (e transmiti essa opinião) que esta pandemia trazia uma novidade: Atingia todos por igual. Ricos e pobres, de todas as raças, credos e graus de educação. É verdade que a nível sanitário ninguém pode dizer que está livre, nem primeiros-ministros, reis, rainhas e estrelas do desporto ou do espetáculo. Nesse aspeto, o virus é realmente democrático. Mas financeiramente não.

O Barómetro Covid-19 da Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP), revela que os cidadãos com menos recursos financeiros e menos escolaridade são os mais afetados. A Covid-19 está a contribuir para aumentar o fosso das desigualdades.

Quem ganha menos de 650 euros sofre mais

Segundo o estudo, as pessoas que ganham menos de 650 euros mensais reportam até quatro vezes mais dificuldade em adquirir máscaras por estas serem caras, e as pessoas com menor escolaridade são as que mais referem não saber, ou não se terem informado sobre como utilizar as máscaras protetoras. Simultaneamente, é este o grupo que mais precisa de sair para exercer a sua atividade profissional, diz a ENSP, da Universidade Nova de Lisboa.

Da amostra de inquiridos cujo rendimento mensal é inferior a 650 euros, dois em cada três referem tê-lo perdido durante a crise da covid-19, e um em cada dois jovens com idade entre os 16 e os 25 anos diz ter perdido rendimento, bem como metade dos que têm apenas o 9º ano.

Segundo o barómetro, a nível nacional, é no Algarve que se verifica a maior proporção de pessoas que perderam rendimentos (57%), e de pessoas que suspenderam a atividade profissional (30%).

Falei sobre este tema (o Banco de Portugal fez um estudo que diz basicamente que metade está bem e que só a outra metade perdeu tudo ou uma fatia importante do rendimento) no episódio desta semana do podcast “Pedro Andersson – Contas-poupança”. Clique abaixo para ouvir.

O que é um podcast?

Aproveite a minha boleia financeira (gravo no carro enquanto faço as minhas viagens e faço de conta que você vai ali ao meu lado) e veja como pode aumentar-se a si próprio. Para ouvir, basta clicar nos links mais abaixo. São uma espécie de programas de rádio para escutar enquanto faz outras coisas. Subscreva o podcast na plataforma em que estiver a ouvir para ser avisado sempre que houver um episódio novo.

Não estranhe ouvir o motor do carro, buzinadelas e o pisca-pisca. Faz parte da viagem.

Comente e dê a sua opinião.

De que lado da crise está e como está a lidar com isso?

Tem aqui os links para o Spotify, Soundcloud e iTunes.

Boa viagem e boas poupanças!

Subscreva o Podcast e partilhe-o com os seus amigos ou familiares que se queixam de ter pouco dinheiro e muitas despesas.



Acompanhe-nos AQUI

NOVO LIVRO “CONTAS-POUPANÇA” 34 dicas para poupar muito mais e fazer crescer o seu dinheiro em 2019. É um livro que se paga a ele próprio apenas com uma dica. Se quiser conhecer também as dicas que demos nos primeiros 5 anos de programa, pode adquirir o livro “Contas-poupança I”. É só clicar AQUI ou nas fotos dos livros.

3 comentários em “PODCAST | #15 – Está no lado BOM ou no lado MAU da crise (e como lidar com isso)?

  1. Avatar
    Marisa Cruz Reply

    eu e maridos temos dois fundos de emergência um equivalente a 8 meses de salarios e para a universidade dos garotos, o marido e eu viemos para layoff, estamos com os dois filhos em casa e ainda 2 cães labradores e…pedimos o apoio bancário!Não sabemoso que aí vême esta pareceu-nos a melhor solução! Achamos quando chegar o inverno…ou tal segunda vaga que falam vai ser bem mais duro…eque aí já ninguem (nem Estado) conseguirá ajudar, por isso fomos na carruagem agora do pedido de ajuda! Aos que são contra só tenho a dizer que dou o meu nib de boa vontade e conheço muita gente que tambem o dará:P

  2. Avatar
    José Reply

    Muito bem fiquei muito mais esclarecido, vamos todos vencer esta Luta, se haver juízo no povo eu acredito que isto não está no fim não, está no início de uma brutal crise jamais vista no mundo, nem nas guerras mundiais foram duas, esta é a terceira, boa noite abraço,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *