Onde é que eu encontro o melhor PPR para mim?

Escrito por Pedro Andersson

06.12.19

}
6 min de leitura

Publicidade

Qual é o melhor PPR?

Em primeiro lugar, obrigado por terem visto o Contas-poupança esta quarta-feira no Jornal da Noite. Foi o programa mais visto na televisão portuguesa nos minutos em que foi emitido. Foi visto por 1 milhão e 100 mil pessoas. Ou seja, por 1 em cada 5 portugueses que estavam a ver televisão nessa altura. Espero que tenha ajudado a compreender como funcionam os PPR. Há centenas de milhares de pessoas que têm PPR e não fazem ideia se estão a ganhar ou a perder dinheiro.

Se não viu, pode ver ou rever AQUI a reportagem.

Como é normal, recebi dezenas de comentários depois da reportagem. Uns a dizer que acharam interessante e muitos também a criticar porque parecia publicidade ao simulador da DECO para promover os PPR com os quais eles têm parceria.

Quero esclarecer o seguinte. Ao longo destes anos corro (assumidamente) o risco de falar em peças jornalísticas de empresas, produtos e serviços públicos e privados. Falo de aplicações para telemóveis, de grandes empresas e lojas de bairro. Para mim o que é relevante é que a informação seja útil para as pessoas. Para as pessoas comuns, que normalmente não têm acesso a informação privilegiada ou mais ou menos “secreta”.

Neste caso, assumo completamente a divulgação do simulador da DECO (mesmo que isso seja vantajoso para eles) porque é o ÚNICO simulador que conheço que compara realmente TODOS os PPR com uma referência (que neste caso são os dois PPR mais rentáveis do mercado, ou que na opinião da DECO são os melhores, de acordo com os critérios deles).

Há, de facto, um PPR com melhor rendimento do que um dos aconselhados pela DECO mas eles consideram que não oferece uma segurança financeira total. Se têm razão ou não, não sei.

A questão é: Ao usarem o simulador estão apenas a ter noção se o vosso PPR é rentável ou não, comparado com os melhores. E o simples facto de saber que há PPR melhores do que o seu, já é um ENORME abre-olhos para que a seguir se mexa para procurar alternativas. Se é o sugerido pela DECO ou não, para mim enquanto jornalista é completamente irrelevante. Tem é de procurar por si.

Onde procurar os melhores PPR

Como já expliquei, o simulador da DECO só compara com os que eles acham que são bons (se ganham com isso ou não, é com eles). Para mim o importante é que VOCÊ ganhe.

Os Seguros PPR rendem menos mas globalmente têm capital garantido. Como os subscreve em seguradoras, não tem de abrir conta num banco e pagar comissões de manutenção de conta. Confirme

Portanto, repito o que expliquei na reportagem que fiz há 1 ano (e que repeti na reportagem desta semana): se quiser saber quais são os Seguros PPR mais rentáveis na última semana ou mês deve ir à página da ASF (Autoridade de supervisão de Seguros e Fundos de pensões). Clique neste link. 

Depois abre-se esta página com todos os seguros PPR supervisionados pela ASF.

Por ser complicado (na minha opinião) é que chamei a atenção para o simulador da DECO que pega nestes dados para comparar com o seu PPR. Mas se quiser fazer este trabalho, pode e deve fazê-lo. Pode ordenar todos os dados que quiser, rentabilidade, comissões, etc. Na coluna onde tem a seta à esquerda tem quem comercializa o PPR que lhe interessa. Depois é consigo, contacte o banco ou seguradora e subscreva se assim o decidir. Não sou eu que lhe vou dizer o que deve fazer o ou que escolher. Sou só jornalista. Estou a dizer-lhe o que eu faria se estivesse à procura de um PPR.

Onde estão os melhores Fundos PPR

Se quiser mais rendimento (quase 4 vezes mais) do que nos Seguros PPR, tem os Fundos PPR. São vendidos por bancos e corretoras também. Rendem mais mas normalmente não têm capital garantido. Ganha ou perde rentabilidade conforme as bolsas sobem ou descem.

Para conhecer a lista o mais completa possível deve ir à página da APFIPP.

Clica nos relatórios mais recentes e abre-se esta página. Nela encontra variadíssimos tipos de fundos de investimento e tem esta linha que me parece ser de Fundos PPR. Se não for, quem está no setor corrija-me e que indique o link correto. Foi o que eu encontrei enquanto utilizador normal. Confesso que acho poucos.

Portanto, talvez haja outro link mais exato e pode não ser este. Mas pelo menos já tem aqui algumas alternativas. Antes de subscrever deve garantir que são mesmo Fundos PPR e não produtos que têm no nome “PPR” ou “Reforma” e não terem as características legais de um PPR. Lá por dizer “Reforma” não quer dizer que seja um PPR, OK?

“Consultório” Contas-poupança

Esta quinta-feira, na SIC Notícias estivemos durante uma hora a responder a dúvidas de espectadores sobre PPR. Foi muito útil e aprendi muito com o convidado. Pedro Lino é o responsável por uma corretora e domina esta área. Sugiro veementemente que vejam o programa aqui ou que andem com a box para trás. Quinta-feira às 15h.

Atenção às deduções no IRS

Não se esqueça que fazer um PPR pode acrescentar-lhe uma dedução fiscal que pode chegar aos 400 euros conforme a sua idade. Mais velho, o valor é menor.

Isto quer dizer que investindo num PPR, o dinheiro continua a ser seu e pode pagar menos 400 euros de imposto ou receber mais 400 euros de reembolso.

Avalie se é do seu interesse e se tem essas possibilidades financeiras.



Acompanhe-nos AQUI

NOVO LIVRO “CONTAS-POUPANÇA” 34 dicas para poupar muito mais e fazer crescer o seu dinheiro em 2019. É um livro que se paga a ele próprio apenas com uma dica. Se quiser conhecer também as dicas que demos nos primeiros 5 anos de programa, pode adquirir o livro “Contas-poupança I”. É só clicar AQUI ou nas fotos dos livros.

Registe-se AQUI para receber a Newsletter do Contas-poupança.

(Todas as dicas da semana num só e-mail).

Publicidade

Sobre mim: Pedro Andersson

Ir para a página "Sobre Mim"

Siga-nos nas Redes Sociais

Para si | Artigos Recentes 

COMBUSTÍVEIS | Qual é o preço justo esta semana? (19 a 25 de fevereiro)

Qual deveria ser o preço "certo"? A ERSE faz semanalmente as contas para o consumidor saber qual é o preço "justo" dos combustíveis face ao preço das matérias-primas e transportes de combustível. Esse preço "justo" já inclui uma margem de lucro de cerca de 10% para as...

EURIBOR | Taxas Euribor sobem em todos os prazos

Euribor subiram hoje a três, seis e 12 meses Contas-poupança | Inês de Almeida Fernandes Diariamente, divulgamos aqui na página "Contas-poupança", o valor das taxas Euribor a três, seis e 12 meses. Embora as alterações diárias não tenham um impacto direto na sua...

Segurança Social | Atribuição do Abono de Família já é automática

Segurança Social passa a atribuir automaticamente o Abono de Família, logo após registo do bebé na maternidade Contas-poupança | Inês de Almeida Fernandes Desde a passada sexta-feira, 16 de Fevereiro, o Abono de Família passou a ser atribuído automaticamente pela...

BURLAS | Não atenda telefonemas do “Banco de Portugal”

Banco de Portugal alerta para telefonemas fraudulentos que imitam o seu número telefónico O Banco de Portugal emitiu um alerta sobre chamadas telefónicas feitas por indivíduos que dizem ser seus colaboradores, usando um sistema que imita o número de telefone do BdP,...

Remuneração | Aumento real dos salários em 2023 foi de 2,3%

Salários subiram 6,6% em 2023, mas os ganhos reais para os trabalhadores foram apenas de mais 2,3% Contas-poupança | Inês de Almeida Fernandes O Instituto Nacional de Estatística (INE), revelou recentemente que o valor dos salários em 2023 aumentou 6,6% em termos...

EURIBOR | Taxas Euribor descem a três meses e sobem nos prazos de seis e 12

Euribor desceu hoje a três meses, mas subiram a seis e 12 meses Contas-poupança | Inês de Almeida Fernandes Diariamente, divulgamos aqui na página "Contas-poupança", o valor das taxas Euribor a três, seis e 12 meses. Embora as alterações diárias não tenham um impacto...

PODCAST | #215 – Como receber 750 € “grátis” para fazer um curso de formação na área digital

Qualquer trabalhador em Portugal pode receber 750 euros para fazer um curso de formação na área do digital. E se fizer a candidatura já, pode repetir mais 750 € no ano que vem. Chama-se Cheque Formação + Digital e no episódio desta semana explico-lhe quem tem direito,...

SENHORIOS | Tribunal decide que caução de rendas não paga IRS

Tribunal decide que caução de rendas deve estar isenta de IRS. Estará aberto um precedente? Contas-poupança | Inês de Almeida Fernandes O Tribunal Arbitral, a propósito de um processo que estava em curso no Centro de Arbitragem Administrativa (CAAD), decidiu, em...

EURIBOR | Taxas Euribor sobem a três meses e descem nos prazos de seis e 12

Euribor subiram hoje a três meses, mas desceram a seis e 12 meses Contas-poupança | Inês de Almeida Fernandes Diariamente, divulgamos aqui na página "Contas-poupança", o valor das taxas Euribor a três, seis e 12 meses. Embora as alterações diárias não tenham um...

COMBUSTÍVEIS | Preços na próxima semana (19 a 25 de fevereiro)

Preços dos combustíveis na semana que vem A informação dos preços dos combustíveis é baseada nos cálculos que têm em conta a cotação nos mercados internacionais e outros fatores considerados na formação do preço dos combustíveis em Portugal. São dados que recolho...

Publicidade

Artigos relacionados

34 Comentários

  1. André

    Olá Pedro, muito obrigado desde já pela partilha deste artigo, tal como de todos os outros que nos ajudam a estar melhor informados, mais atentos, e com uma maior poupança no final de cada mês.
    No contexto do tema dos PPR, tenho reparado que pouca gente está a par de duas coisas importantes e que por acaso uma delas não é mencionada no artigo mas que para mim são muito relevantes:
    1) O facto do PPR permitir deduções à colecta no IRS até 400€ (consoante a idade, como referido no artigo). Investindo 2.000€, daria potencialmente um reembolso de +400€ no IRS para quem tem até 35 anos.
    2) O facto de 5 anos depois de cada entrega poder-se utilizar esses 2000€ (de 2019) para pagar prestações do Crédito à Habitação (2019+5=2024). E assim sucessivamente (2020 => 2025).
    Isto é bastante importante ao olhar-se para o PPR como um instrumento financeiro como qualquer outro, independentemente do teu propósito literal (poupança reforma), e que permite que a descapitalização para investir aconteça por um prazo muito mais reduzido (5 anos, opcionalmente) em vez e esperar pela reforma (ou alguns azares previstos na lei). E o melhor de tudo, um investimento sem risco (optando por capital garantido) com um retorno líquido de 20%.
    Recomendo um artigo e/ou reportagem sobre esta particularidade, explorando cenários em que o Crédito Habitação está no banco X e o PPR no banco Y, já que está tudo previsto na lei.
    Obrigado e até breve.

    Responder
    • Pedro Andersson

      Olá. Estou justamente a escrever esse texto :). Muito obrigado pela sua partilha. É uma estratégia muito boa e inteligente. Eu diria que paga pelo menos uma prestação por ano “de graça”.

      Responder
    • Pedro Andersson

      Posso perguntar se já fez isso alguma vez? Preciso tirar algumas dúvidas. Obrigado

      Responder
      • André

        Caro Pedro, peço desculpa pela demora, mas só hoje reparei na sua questão.
        Confesso que nunca coloquei em prática o pagamento das prestações via PPR, dado só ter comprado casa este ano.
        Certamente que já o fez mas a leitura que recomendo seria, por exemplo, a do decreto-lei Lei nº 44/2013, de 3 de julho e também do Decreto-Lei nº 158/2002, de 2 de julho.
        Há questões importantes como a hipoteca em questão ser sobre imóvel destinado a habitação própria e permanente, e o facto deste reembolso poder eventualmente ser total “se o montante das entregas efetuadas na primeira
        metade da vigência do contrato (PPR) representar, pelo menos, 35% da totalidade das
        entregas.” Isto é, parece-me que se eu entregar 2.000€ em 2019, e continuar a entregar o mesmo montante até 2019+5=2024, não poderei utilizar imediatamente os valores de 2019 pois representariam apenas 20% (e não 35%) das entregas totais. Parece-me que há vários cenários a explorar. Não entendo se esta regra se aplica a pagamentos ocasionais da prestação, ou se será apenas no caso da utilização “total” do PPR, como mencionado no decreto-lei.
        Obrigado

        Responder
        • Pedro Andersson

          Obrigado. Já estou em campo a investigar. dará uma boa reportagem muito interessante com casos práticos. Abraço.

          Responder
    • Nuno J

      André, sei que não é o seu caso por causa do ponto 2).

      Mas para quem olhe para o ponto 1) apenas, se fizer um resgate do PPR fora dos fins contemplados na lei, vai ter de devolver o benefício fiscal e com uma uma penalização acrescida de 10% por cada ano passado.

      Imaginando que resgata o valor entregue há 5 anos, poderá ter de devolver 600€ quando teve um benefício de 400€ na altura.

      Responder
      • André

        De acordo Nuno. Sem dúvida será importante avaliar ambos os pontos, e também alguns outros que não mencionei mas que estão nos decretos-lei. Possivelmente com o futuro artigo/reportagem do “nosso” Pedro Andersson conseguiremos ter a informação devidamente resumida, pronta a partilhar com o próximo :). Obrigado

        Responder
        • Pedro Andersson

          Já estou a reunir informação :). Mas só para 2020. Vai demorar.

          Responder
  2. Julio

    Eu tenho 2 FPR, o NB PPR e o AR PPR.

    Sinceramente não conhecia o seguro PPR recomendado pela Deco, o Lusitania Poupança Reforma PPR. Estranhei, no simulador da Deco, a pequena diferença de rentabilidade para o AR PPR quando comparado com o meu principal PPR atual (NB PPR).
    Pesquisei e não encontro justificação para aqueles valores. O seguro PPR rendeu em média pouco mais de 4% (nos últimos 8 anos que foi o máximo que consegui encontrar) e o AR PPR rendeu em média nos últimos 10 anos quase 10%.

    Estranho.

    Responder
    • Julio

      Recebi a simulação que fiz e já percebi a diferença. A Deco considera a rentabilidade de 2016 a 2018… o que é simplesmente ridículo! Estão a recomendar PPR’s baseados nas rentabilidades dos últimos 3 anos apenas?!

      Responder
  3. Ana Costa

    Obrigado por toda a sua ajuda… ouvi esta peça com o maior dos cuidados. A verdade é que à entrada temos os benefícios mas e nos anos seguintes? Dá para encostar dinheiro e se chegar aos 2000 receber ou não pagar os 400?
    O resgate ao fim de 5 anos é só para pagar a casa?

    Obrigado

    Responder
  4. Diogo Silva

    Boa noite. Antes de mais muito obrigado pelos artigos que faz. São muito úteis para aumentar os conhecimentos sobre finanças para todos nós.
    No seguimento dos artigos sobre PPR, sobre os quais me interesso muito, fiquei com dúvidas e confuso sobre as comissões que podem ser cobradas nos PPR. Gostava que me tentasse esclarecer :
    1 – as comissões que nos cobram dependem do banco onde subscrevemos os PPR? ou seja, se quiser subscrever um determinado PPR no banco X ou Y, as comissões vão ser as mesmas?
    2 – será que poderia explicar cada comissão? A comissão de subscrição eu percebo que é quanto o que o banco vai cobrar no momento de subscrição, de resgate é quanto nos cobram de levantar, mas a de gestão? É quanto nos cobram por ano só por ter o PPR?

    Muito Obrigado pela atenção e ajuda neste tema financeiro.
    E já agora, apoio completamente e espero ansiosamente o tal artigo sobre a utilidade dos PPR nos créditos habitação visto que mesmo que o PPR tenha rentabilidade 0, se pudermos ir buscar os 20% de benefício acaba por ser um rendimento de 4% por ano se dividirmos pelos 5 anos que temos o dinheiro “parado” (na verdade é este o único interesse que tenho nos PPR)

    Responder
    • Pedro Andersson

      Correto Diogo. Será sempre vantajoso a 5 anos. Cada banco ou corretora cobra o que quiser por cada ppr. Vai ter de estar muito atento e comparar bastantes Notes de subscrever um PPR. Mas vale a pena!

      Responder
  5. Maria Relvas

    Boa Tarde, gostaria antes de mais de o parabenizar e de agradecer o serviço prestado aos cidadãos com as suas pertinentes reportagens.
    Tenho um PPR/E NB Garantido II, constituído em 2004. No ano passado contactei o banco para saber de que forma poderia efectuar reforços ao meu PPR. Foi-me transmitido que tal não era possível dadas as atuais taxas de juro. Como passados todos estes anos não consigo encontrar o contrato, fico sem certezas de que a informação transmitida seja correcta.
    Gostaria de lhe perguntar como poderei aferir a veracidade da informação que me foi prestada pelo banco.
    Com os melhores cumprimentos,
    Maria Relvas

    Responder
  6. João Vieira

    Estava a ver na listagem da ASF mas não encontro o fundo recomendado pela DECO: Alves Ribeiro

    é normal ou estou a fazer alguma coisa mal?

    Responder
      • Tania

        Boa noite. Estou a tentar perceber qual a melhor opção para subscrever um PPR. Estou com 29 anos, mas as dúvidas são muitas. Deve ser um motivo de “preocupação” Alves Ribeiro nao fazer parte das ASF? Desde já grata pelo esclarecimento

        Responder
  7. AJ

    Gostaria de saber porque o plano “com melhor rendimento do que um dos aconselhados pela DECO … não oferece uma segurança financeira total”? É porque a Deco não conseguiu fazer parceria…?

    Responder
    • Pedro Andersson

      Pelo que me explicaram essa instituição está no limite da solvabilidade. Se é desculpa deles ou não, não sei.

      Responder
  8. Catarina Lucas

    Boa tarde!
    Há alguns anos utilizei o PPR que tinha para amortizar prestações de crédito habitação. O PPR e o crédito estavam em bancos diferentes. Apesar das questões burocráticas entre bancos, só vi vantagens.
    Pelo que acabei de ler nos posts anteriores, gostaria de apenas confirmar se a regra dos 5 anos ainda se mantem atualmente e se existe mais alguma restrição.

    A data do início do crédito habitação pode ser posterior à data de adesão do PPR, certo?

    Grata pela atenção.

    Responder
  9. Márcia

    Pedro,

    Tenho 35 anos e pretendo fazer um PPR, e vi a sua peça e fiquei mais esclarecida e por isso agradeço desde já. No site da asf notei que existem dois PPR da Lusitania exactamente com as mesmas condições, é possível isso?
    Gostava que me ajudasse a perceber como faço as contas para perceber se faz ou não sentido declarar no irs desde ano a subscrição do PPR que poderei adquirir visto ter visto um telespectador a comentar que no resgate poderá ter de devolver o que descontou.
    Obrigada.

    Responder
  10. Luís Santos

    Bom dia
    Nasci em 19 de Junho de 1957.
    Sou desempregado de longa duração ( a SS atribuiu-me 1140 dias de subsídio de desemprego a partir de 20 de Set de 2019)
    Tenho vários PPR com mais de 5 anos
    O que devo fazer para resgatar dinheiro para complemento de rendimento mensal?
    Obrigado.

    Responder
  11. Jose Ribeiro

    Obrigado pelos comentários elucidativos.
    No entanto não encontro sugestões sobre os contratos de seguro para reformados e maiores de 65 anos. Em 2018 no orçamento de Estado para 2019, diz que os maiores de 65 ou reformados podem beneficiar da isenção do pagamento de mais-valias na venda da casa própria caso invistam
    “”””no caso de reinvestimento em contrato de seguro ou adesão individual a um fundo de pensões aberto, estes visem exclusivamente proporcionar ao adquirente ou ao respetivo cônjuge, uma prestação regular ou periódica de montante máximo anual igual a 7,5% do valor investido””””
    Algum dos leitores sabe esclarecer quais os seguros ou fundo de pensões que tenha estes requisitos da lei?

    Responder
  12. Olinda Mendes

    Boa noite,

    Para uma pessoa com mais de 60 anos e com possibilidade de ter a quantia investida num PPR “congelada” durante pelo menos 5 anos para evitar penalizações no resgate este continua a ser um produto (sendo um seguro PPR de capital e rentabilidade garantidos) interessante correto? Quais são as desvantagens nesta situação?

    Obrigado

    Responder
  13. SamuelG

    Olá!
    Gostaria de saber qual o Banco que oferece melhores “taxas” para subscrever o PPR Alves Ribeiro…
    Sei que o Banco Invest tem essa opção. Mas existem outras opções?
    Reparei que existe também uma boa opção chamada NB PRR ? Qual seria a melhor sabendo que Alves Ribeiro é mais arriscada que a NB ?
    Desde já agradeço o excelente trabalho feito, a desmistificar temas tão complicados para os portugueses

    Responder
    • Pedro Andersson

      Olá Daniel. Não sei a resposta. Creio que bastará ir ao Google 🙂

      Responder
    • André

      Olá SAMUELG,
      Tanto o Fundo NB PPR como o Fundo AR PPR têm risco 4 (em 7), portanto de momento estes fundos terão o mesmo risco associado, em teoria. Encontrei esta informação nos sites do Novo Banco e do Banco Invest, respectivamente.
      Quanto ao critério para escolher entre eles, recomendo utilizar um simulador Online em que possa introduzir o montante inicial, um montante de reforço, a frequência de reforço e as respectivas taxas/custos associadas a cada um dos fundos (está tudo disponível nas fichas comerciais de cada produto). À parte desta análise, não se esqueça de considerar eventuais custos de gestão de conta caso ainda não tenha conta nestas instituições.
      (Subscrevi a ambos estes produtos este ano, com objectivos diferentes)
      Cumprimentos

      Responder
  14. Vitor

    Olá Pedro Andersson, antes demais muito obrigado por toda a tua partilha de conhecimento.
    Gostava de fazer um PPR e estou direcionado a fazer um PPR Seguro (PSN) e outro PPR AR. Verifiquei na sua partilha na página ASS o PPR Seguro PSN é o que tem melhor taxas de rentabiliade, no entanto tenho allgum receio uma vez que a deco não o colocou na sua lista de opções! Considera um PPR seguro?

    Responder
    • Pedro Andersson

      Olá. Não me permito responder a essas perguntas. Tem de decidir por si :). A DECO tem algumas dúvidas. Veja com eles.

      Responder
  15. fernando

    Boa tarde, o ppr mais dos ctt é seguro?
    cumprimentos

    Responder
  16. Lídia Garanito

    Boa Tarde
    Caro Pedro Andersson.

    Tenho a seguintes Esclarecimentos a solicitar:
    1 – Em 2022 posso efetuar o resgate dos PPR com mais de cinco anos para pagar o crédito à habitação?;
    2 – a partir dos 60 anos, a nível de IRS ainda se pode investir em PPR (1500 €) para dedução de até 300€ no valor do IRS a Pagar?

    Atentamente
    Lídia Garanito

    Responder
  17. Daiquiri

    O site parece que mudou completamente. Há algum sitio que dê para consultar as comissões de gestão como tinhamos antigamente?

    Responder

Trackbacks/Pingbacks

  1. VÍDEO – PPR pode servir para pagar a prestação da casa - […] Bom, a verdade é que mal não faz ter um PPR. Todos os portugueses que trabalham deviam ter um.…

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Partilhe o Artigo!

Partilhe este artigo com os seus amigos.