Atestado Multiuso – Vale a pena marcar uma consulta no privado para fazer o Relatório?


Consulta de danos corporais

Muitas pessoas têm uma doença ou incapacidade mas a junta médica, pela avaliação que faz, atribui um valor muito menor do que aquilo que acha que deveria receber. Em alguns casos nem os 60% são atribuídos.

Como já sabe, para ter direito a qualquer benefício tem de ter no mínimo os tais 60%. É muito importante que as pessoas percebam que a Junta médica decide com base nos relatórios médicos que recebe, com os respectivos exames. E que essa análise é feita antes da pessoa lhes chegar à frente. É quase uma fórmula matemática baseada nas “queixas” comprovadas que constam no relatório.

A minha intuição é que em muitos casos os relatórios médicos estão incompletos ou são mal redigidos. Basta isso para ser prejudicado em casos em que a sua incapacidade é real. Não é na Junta médica que vão olhar para si e ver o que tem ou não tem. É quase só exclusivamente a análise dos documentos que levar.

Ora, isso significa que deve ter o máximo cuidado com quem faz o seu relatório médico e a forma como está escrito. Deve ser extremamente pormenorizado e rigoroso no que diz respeito às dificuldades que tem no dia-a-dia por causa da doença ou acidente.

Houve duas pessoas que me contactaram a falar de uma consulta que não conhecia e que confirmei que existe em algumas clínicas e hospitais (para já só encontrei em privados) que pode ter vários nomes: Consulta de desvalorização, Avaliação de Danos Corporais ou Peritagem médica. Já vos digo os preços e se vale a pena.

Esta consulta pode ser especialmente útil em casos em que está em conflito com uma seguradora. Não vou dizer em que locais há, porque há em vários hospitais e clínicas privadas. É só pesquisar no Google com os termos que mencionei acima.

A opinião do JP Branquinho (partilhada no Grupo de Facebook “Contas-poupança – As suas dúvidas”) é polémica, mas é uma alternativa que devem conhecer:

“Atestado multiusos”

Vejo imensas dúvidas e ainda mais opiniões. Por favor, isto é um assunto muito sério com implicações enormes na vida dos envolvidos.

A minha única sugestão é a seguinte, quando forem à delegação de saúde requerer o atestado multiusos vão munidos de um relatório elaborado por um médico competente, isto é, um médico especialista em desvalorização.

A consulta de Desvalorização é feita por médicos com formação específica nesta área, muitas vezes trabalham com seguradoras e conhecem a tabela como ninguém.

Um relatório elaborado pelo seu médico vale tanto como ir a tribunal defender-se sozinho, sem advogado. Procurem no privado.

Um médico destes faz as contas todas, junta os problemas/limitações todos que eventualmente tenha, apresenta respectivas percentagens e valor de Desvalorização proposto. É com isto que se vai à junta médica. O resto é euro milhões.

Resolvi publicar porque constato que o Pedro Anderson não incluiu este detalhe na reportagem e além disso vejo muita gente responder apenas com opiniões, sugiro que não o façam. Acredito que haja muita gente com direito que não chega lá por falta de informação.

Público vs Privado

Como é evidente, é uma opinião polémica e deve ser vista como tal. No público, tal como no privado, há médicos extremamente competentes e outros menos. Haverá também médicos que se preocupam com os seus pacientes como se fossem da sua família e os que os tratam a despachar.

É muito importante que fique claro que qualquer relatório médico é válido para ser entregue na Junta Médica para pedir o Atestado Multiuso. Se for passado por um médico do SNS não é nem melhor nem pior do que se for passado por um médico privado. O que conta é o conteúdo do relatório e não quem o passa. Há médicos no público que são o topo dos topos na medicina em Portugal. Não é preciso recorrer a privados obrigatoriamente ou como primeira opção.

A questão que o espectador coloca é que – é a minha interpretação – pode ser útil pagar (estamos a falar de várias centenas de euros) para que um médico no privado especializado na Tabela Nacional de Incapacidades pesquise e “procure” até incapacidades que o paciente nem sabia que tinha.

Conhecendo cada décima que consta da tal tabela pode atingir mais “facilmente” os 60% de incapacidade que lhe dá acesso a vários dieitos, como temos vindo a divulgar.

Também pode conseguir o mesmo resultado com o relatório de um médico do SNS? Claro que sim. Depende da sua relação com ele, o conhecimento de todos os seus problemas e do tempo que ele dispõe para se dedicar ao seu caso e a escrever o seu relatório com a intenção de que receba a percentagem de incapacidade o mais justa possível.

Quanto custa?

Na breve pesquisa que fiz, no hospital privado que contactei, a consulta de Danos Corporais custa 90 euros e o relatório custará mais cerca de 300 euros (ficaram de me confirmar).

Ora, isto, já é um grande impedimento para quem tem dificuldades financeiras e não garante de todo que a Junta médica lhe dê o valor que acha que corresponde ao seu caso. A única coisa que garante é que o relatório que vai entregar no Centro de Saúde corresponderá em princípio à “formula” que é suposto ter quando é pedida uma avaliação de incapacidade.

Há situações em que o quadro clínico é tão claro que quase nem é preciso relatório: se foi amputado, se tem um cancro diagnosticado, se é paraplégico ou tetraplégico, cego ou surdo, por exemplo.

Estou a partilhar esta informação, não porque tenha algum interesse em “promover” um serviço de hospitais e clínicas privadas, mas porque é uma alternativa que as pessoas devem conhecer. Pode ser útil caso seja importantíssimo que possa ter a possibilidade de atingir mais 2 ou 3 décimas ou mais 1 ou 2% para chegar aos 60% ou, no caso de muitos seguros de vida, os 66,6% para ficar com a casa paga.

Esta consulta pode ser especialmente útil em casos em que está em conflito com uma seguradora.

Esta é a informação que encontrei num hospital privado escolhido ao acaso da lista que me apareceu no Google:

Avaliação de Dano Corporal é uma consulta especializada, na área da Medicina Legal, efetuada no âmbito das Peritagens Médico-Legais aos sinistrados que tenham sofrido acidentes de trabalho, acidentes de viação, acidentes pessoais, ou quaisquer outros tipos de acidentes que impliquem a fixação dos valores de Incapacidades Permanentes e/ou Temporárias.

É efetuada esta avaliação especializada, quer no âmbito do Direito do Trabalho (relativamente a Acidentes de Trabalho e/ou Doenças Profissionais), quer no âmbito do Direito Civil.

Muitos sinistrados acabam por não ser ressarcidos convenientemente e de forma justa pelas sequelas de que ficam afetados, na sequência de vários tipos de acidentes, por falta de informação, por desconhecerem esse seu direito, ou por serem sujeitos a avaliações incorretas, as quais lhes atribuem incapacidades inferiores às que realmente deveriam ser atribuídas.

Nota: também proporcionamos o acompanhamento dos sinistrados a Juntas Médicas, sempre que necessário.

CONSULTA:

Valores:

Serviços Médicos – Acompanhamento: 300 € |

Aconselhamento Médico-Legal: 100 € |

Consulta de Avaliação de Dano Corporal: 200 € |

Cada caso é um caso

Suponho que nesses casos possa valer a pena “investir” 400 ou 500 euros para aumentar as probabilidades de lhe atribuírem uma incapacidade maior, porque tem um relatório alegadamente mais completo. Atenção que ninguém pode garantir isso.
Mas se no público acha que não tem essas condições, pagando, tem esta alternativa no privado. O tema é polémico, todas as opiniões são bem-vindas, mas em última instância é você que decide e ninguém tem nada a ver com isso.

E peço, por favor, que não entrem na questão se os médicos do privado ou do público são melhores do que os outros. É uma discussão que não faz qualquer sentido. Em muitos casos até trabalham nos dois sítios. Cada caso é um caso. Fica mais uma opção. Paga e bem paga.



Acompanhe-nos AQUI

NOVO LIVRO “CONTAS-POUPANÇA” 34 dicas para poupar muito mais e fazer crescer o seu dinheiro em 2019. É um livro que se paga a ele próprio apenas com uma dica. Se quiser conhecer também as dicas que demos nos primeiros 5 anos de programa, pode adquirir o livro “Contas-poupança I”. É só clicar AQUI ou nas fotos dos livros.

Registe-se AQUI para receber a Newsletter do Contas-poupança.

(Todas as dicas da semana num só e-mail).



Acompanhe-nos AQUI

NOVO LIVRO “CONTAS-POUPANÇA” 34 dicas para poupar muito mais e fazer crescer o seu dinheiro em 2018. É um livro que se paga a ele próprio apenas com uma dica.


6 comentários em “Atestado Multiuso – Vale a pena marcar uma consulta no privado para fazer o Relatório?

  1. Avatar
    Cristina Reply

    Pergunta rápida: quem tem ADSE também tem algum direito com incapacidade multiusos?

  2. Avatar
    Claudia Gonçalves Reply

    Tenham muita atenção em relação aos Atestados Multiusos e à ideia de que a casa fica paga porque na hora de pedir o reembolso à seguradora começam a surgir os verdadeiros problemas. As seguradoras “instituiram” abusivamente que, para o reembolso ao abrigo da cobertura de ITP (Invalidez Temporária e Permanente), é necessário o grau de incapacidade de X% (varia de seguradora para seguradora entre os 60% e os 67%) mas também a Reforma por Invalidez. Ora, muitos portadores de atestado de incapacidade, felizmente, tiveram a possibilidade de regressar ao seu trabalho (como é, aliás, desejável). Nesse caso, esqueçam a casa paga e lembrem-se que os custos que suportaram ao longo de anos com a cobertura complementar de ITP foram absolutamente inúteis. A Reforma por Invalidez só deveria ser requisito para reembolso no caso da cobertura da IAD (Invalidez Absoluta e Definitiva) mas parece que todos preferem fechar os olhos, inclusivé a Autoridade para os Seguros. É o país que temos!

      • Avatar
        Carlos Reply

        Se não estou em erro, penso que li aqui no, contaspoupança, que, quem tem um cancro é lhe atribuída logo de imediato 60% de incapacidade!?. Não sei se é assim, mas quando me foi diagnosticado um cancro na tiróide, metastizado na cervical em 2013, foi essa a incapacidade que me foi dada. Mas passadas 48 horas fui novamente para o bloco operatório, e mais umas horas a ser operado a uma peritonite. Cortaram me o nervo espinhal e e fiquei com muitas sequelas, dores até à presente data, polimedicado com fentanilo, gabapenrinas, etc.. E ninguém se importa com isso. Não tenho força no meu braço esquerdo, foi feito um esvaziamento cervical e outras coisas que só Deus sabe; passado um ano apareceu um novo módulo, mas que felizmente era benigno, também me tiraram das costas um lipoma… Na renovação do atestado médico multiusos passado 5 anos, está escrito basicamente que fui operado e que tomo a medicação e pouco mais…. Deram me 62%. Só Deus sabe como é que ainda aqui estou. Desempregado, sempre com dores, com dois filhos e divorciado… Estou cansado de procurar trabalho, mesmo sem poder, e recebo o psi apenas.. Desde bebé, que tenho uma fistula no rabo, criou um abcesso em 2016 e fui operado de urgência, e posteriormente, fui operado à fistula, também ouço mal e fiz um exame no IPO aqui em Coimbra, em 2013 que comprova isso, desde bebé que os médicos disseram aos meus pais que com o passar do tempo a audição iria ser menor, também tenho outras enfermidades,… Não consigo escrever mais. Só quero dizer que há tanta gente a sofrer e ninguém faz nada. Não sei como é que há médicos e enfermeiros,… que conseguem dormir com a consciência tranquila.

        • Pedro Andersson
          Pedro Andersson Post authorReply

          Olá. A lei diz que tem prioridade alguns concursos públicos de emprego. Informe-se. Mas uma coisa é a lei e outra a realidade, como sabemos…

  3. Avatar
    Maria Perez Reply

    Leio sempre os conselhos e dicas para tentar resolver problemas. Mas depois de tantos desaires sofridos e injustos há uma carta ou duas que até me deram vontade de rir; dizia que ía ser aumentada 1,05 na reforma se não estou erro foi Agosto de 2018 , parece anedota mas foi verdade ainda devo ter essa mesma e outra idêntica de Janeiro deste ano.Mas até aqui chegar foi todo um rol de incapazes ,injustiças e de falta de respeito por quem começou a trabalhar nos anos 50 e,de 74 a 75 tudo perdido nas longíquas Áfricas. Fico por aqui muito havia a dizer e da zanga que fica dentro de cada um quando um quando injustiçado.Boa noite

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *