Painel solar fotovoltaico – Balanço Julho de 2019 (mês 32)


Balanço do mês de Julho de 2019

Notas iniciais. Como estou de férias não tenho neste momento acesso aos meus ficheiros de Excel para fazer os gráficos do costume. Depois atualizo. Mas ficam com a informação essencial. Depois, gostava que, passados estes 32 meses, me dissessem nos comentários a este artigo ou no Facebook quais são as vossas grandes dúvidas em relação a este tema. Façam as vossas perguntas para eu juntar as dúvidas principais e eventualmente escrever um artigo ou um vídeo a esclarecer as dúvidas que sei responder (questões técnicas deixo para os profissionais).

Os números de Julho

O painel solar fotovoltaico de 250 W produziu em Julho 42,273 kWh, Para ter uma ideia, este valor daria para aspirar a casa 28 horas sem parar com um aspirador de 1500 W. Obviamente, não poderá fazer as contas assim porque no máximo o painel produz 250 W, por isso o máximo que consegue é um desconto de 250 W nos 1500 W do aspirador quando estiver a aspirar e no pico do sol (entre o meio dia e as duas da tarde). Para produzir 1500 W em tempo real teria de ter no mínimo 6 painéis. Só tenho um.

Julho foi melhor do que Junho mas pior do que Maio. Está a ser um Verão esquisito. Seja como for, como podem ver no gráfico abaixo, dá para ver que a média é mais ou menos semelhante à do ano passado. Ou seja, a partir de Dezembro a produção elétrica vai sempre subindo mês a mês (com variações). Agosto será o pico (se tudo correr bem) e depois volta a descer. É perfeitamente normal. Tem a ver com a rotação da Terra à volta do Sol. Não depende de nós nem do equipamento.

Tem aqui o gráfico que mostra como dia-a-dia tem sido um Verão muito atípico. No ano passado eram quase todos os dias com a produção máxima. Neste Julho, muitos dias estiveram chuvosos ou muito enevoados. E isso fez-se sentir na produção de eletricidade.

 

Painel solar fotovoltaico

As contas

O que o painel fotovoltaico de 250 W produziu em Julho representou 7,77 € de poupança na minha fatura da luz, se tivesse consumido tudo o que o painel produziu no mês passado. O preço do meu kWh atualmente é tarifa simples de 0,1839 (com IVA).

Se tivesse consumido tudo o que o painel produziu teria já poupado até agora 216,41 €. O retorno do investimento mantém-se nos quase 8 anos.

Compensa comprar um painel solar?

Como não consumo tudo o que o painel produz (porque não estou em casa durante o dia durante a semana), tenho estimado o meu desperdício para a rede em cerca de 25%.

Assim, o retorno real  (o chamado break even) continua pelas minhas contas perto dos 10 anos (reais). Depois de passado esse tempo, o painel estará pago e terei pelo menos mais 15 anos de “lucro”. Veremos se é assim. Mensalmente continuarei a fazer aqui o balanço.

Para os que chegaram agora ao blogue, relembro que como não tenho baterias, tudo o que não consumir em tempo real é oferecido à rede. As baterias são demasiado caras para mim. Com baterias, todo o sistema fica em cerca de 5 mil euros. Vivo num prédio com outros condóminos. Instalei o painel com a autorização dos outros condóminos registada em ata.

Reforço o pedido inicial. Coloquem as vossas questões e dúvidas para ter uma ideia do que sabem ou não sobre painéis solares fotovoltaicos.


Acompanhe-nos AQUI

NOVO LIVRO “CONTAS-POUPANÇA” 34 dicas para poupar muito mais e fazer crescer o seu dinheiro em 2019. É um livro que se paga a ele próprio apenas com uma dica. Se quiser conhecer também as dicas que demos nos primeiros 5 anos de programa, pode adquirir o livro “Contas-poupança I”. É só clicar AQUI ou nas fotos dos livros.

Registe-se AQUI para receber a Newsletter do Contas-poupança.

(Todas as dicas da semana num só e-mail).

 



Acompanhe-nos AQUI

NOVO LIVRO “CONTAS-POUPANÇA” 34 dicas para poupar muito mais e fazer crescer o seu dinheiro em 2018. É um livro que se paga a ele próprio apenas com uma dica.


16 comentários em “Painel solar fotovoltaico – Balanço Julho de 2019 (mês 32)

  1. Avatar
    deSousa Reply

    Boas. Também instalei 4 painéis para a minha moradia à cerca de 20 dias.
    Para já estou a poupar em relação ao que consumia até porque deixo programadas as máquinas de lavar loiça e roupa a lavar uma a seguir à outra nas horas de maior produção.
    Para monitorizar todo o sitema instalei o kit que até agora fez as contabilizações mais corretas inclusivé vemos em tempo real a injeção pelos paineis solares e o consumo da casa e o total (positivo ou negativo) da Wibeee. Tem versão web super completa e versão mobile. Aconselho

    • Avatar
      Tiago Silva Reply

      Bom dia podia me dizer quais são os painéis – que fornecedor e o preço em que ficaram no total da instalação e os respectivos 4 painéis, por favor.
      Obrigado Cumprimentos

  2. Avatar
    Carlos Azevedo Reply

    Boa tarde.
    Antes mais parabéns pelo fantástico trabalho que sigo com assiduidade e cito bastante em conversas.
    Gostava de pedir, se possível que fosse mostrado um gráfico de produção de um dia.
    No artigo referente a maio de 2019 colocou um gráfico onde se vê de forma pouco precisa a produção diária, mas gostava de ver o comportamento durante um dia (sabendo que todos os dias serão diferentes).
    Muito Obrigado.

  3. Avatar
    Nuno Moutinho Reply

    Boa tarde Pedro qual o aparelho que usa contabilizar os watts que o seu painel usa? Montei dois através duma campanha da Ibredrola e gostaria de ter conhecimento de quanto produz e qual a poupança. Obrigado

  4. Avatar
    Diogo Reply

    Caro Pedro,
    Moro num prédio também, e gostaria de instalar um painel solar no telhado (por cima do meu sótão), mas legalmente o telhado lá por estar por cima do meu sótão não é meu é propriedade comum. A minha pergunta é se legalmente poderei instalar lá o painel solar mesmo que os condóminos não aceitem, ou estes não têm que concordar ou discordar, apenas serem informados ?
    Acho que ainda não encontrei nada na lei sobre isto.
    Obrigado e umas boas férias!

    • Pedro Andersson
      Pedro Andersson Post authorReply

      Olá. A minha situação é essa. Levei o tema a reunião de condomínio. Foi aprovado por unanimidade e ficou registado em ata. De seguida instalei. Não sei de cor a lei mas acho que tem de ter pelo menos 50%.

  5. Avatar
    Sérgio Quintella Reply

    Caro Pedro Anderson. No Brasil, onde a insolação é duas ou mais vezes maior que Europa, vale a pena instalar sistemas solares. O sistema off-grid, sem baterias se paga em 6 anos(Há muitas taxas agregados a conta de energia, que deixam de ser pagas).
    Uma pequena fábrica de sorvete(gelado), teve reduzida sua conta, de 1.800 para 400 Reais( É mantida uma taxa mínima para a Cia distribuidora). Um amigo instalou sua residência e por contrato, ficou pagando TX minima na própria casa, na da mãe e no local de trabalho.
    Vale a pena plenamente. Vale tanto, que as cias elétricas começam a “dificultar” a instalação de novos sistemas fotovoltaicos.
    Saudações d’além mar.

  6. Avatar
    Carlos Campos Reply

    Boas,
    Caro Pedro Andersson e restantes leitores, …
    Envio o link do Documento aprovado em CM, e actualmente em consulta pública, ou talvez, já tenha terminado.
    Esperemos agora pelo Documento final a ser aprovado na AR.
    Cumprimentos,
    __________________
    javascript:__doPostBack(‘CEGER_Base_Theme_wt154$block$OutSystemsUIWeb_wt9$block$wtContent$wtMainContent$OutSystemsUIWeb_wt182$block$wtColumn1$OutSystemsUIWeb_wt81$block$wtContent$wtListDocumentosDaConsulta$ctl00$wt73’,”)
    _________________
    https://www.consultalex.gov.pt/Homescreen.aspx

  7. Avatar
    Carlos Campos Reply

    Caro Tiago Santos,
    O projecto de DL que regulará o futuro DL do Autoconsumo, foi aprovado em CM, mas curiosamente encontra-se actualmente em consulta pública, no portal do Governo da República.
    Só após a aprovação na AR, do referido projecto DL, que substituirá o actual DL153/2014, saberemos as regras.
    Em princípio será aprovado, com algumas significantes mudanças, se o mesmo projecto DL, não tiver alterações que espero venha a ter, … Só em finais de Setembro haverá votação na AR para aprovação.
    Depois passados 90 dias da publicação entrará em vigor, julga-se que em inícios de 2020.
    Toda a informação de como proceder para registos, pedidos de informação prévios, etc. Estarão na altura disponíveis no site da DGEG, no sítio do SERUP.
    Até lá, vamos TODOS aguardar, e continuar com as regras do actual DL153/2014 ainda em vigor.
    Cumprimentos a todos,

  8. Avatar
    Tiago Santos Reply

    Como é que funcionam os registos no serup da dgeg e como vai ser agora com as tais novas regras aprovadas em conselho de ministros de dia 25/07?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *