Pagar 180 € para pedir um apoio GRÁTIS à Segurança Social?

Escrito por Pedro Andersson

17.05.19

}
4 min de leitura

Publicidade

Pagar 180 euros para pedir uma bengala que custa 40?

Há coisas que me surpreendem. Esta foi uma delas. Como sabem, nas últimas semanas as reportagens do Contas-poupança têm sido sobre direitos que as pessoas mais frágeis da nossa sociedade têm e que ou são desconhecidos ou não são fáceis de perceber.
A primeira das reportagens sobre estes temas (mais virão) foi sobre os apoios financiados a 100% pela Segurança Social a pessoas com pelo menos 60% de incapacidade. São centenas de apoios/ajudas técnicas (Cadeiras de rodas, bengalas, andarilhos, colchões, almofadas, tabuleiros, talheres adaptados, computadores, carros adaptados, etc) que podem ser pedidos por quem precisa e que após aprovação da Segurança Social são financiados a 100%.
Logo desde o início percebi que o grande problema é a demora na atribuição desse financiamento. Quando é aprovado já passou 1 ano ou mais e a pessoa já não precisa ou preciso de outro diferente porque a doença é degenerativa ou até (nos casos mais graves) já não é preciso de todo porque, enfim. Mas esta mensagem que recebi tirou-me do sério.

Pagar 180 euros para fazer o pedido?

Na entrevista que me deram na Segurança Social disseram-me que o procedimento mais rápido e eficaz é recorrer aos “Centros de prescrição” destes produtos. São normalmente Associações de doentes ou Centros de Reabilitação de doenças específicas. Tudo bem. Parece-me razoável. Quem mais percebe é quem decide.
Confesso que, enquanto jornalista e cidadão, nunca questionei os custos do pedido. Pensei que ou era de graça ou no máximo pagariam a chamada Taxa moderadora, como no Centro de Saúde.
Eis senão quando recebo a mensagem de um espectador que me diz que por exemplo numa das capitais de Distrito, uma Associação que é um Centro Prescritor (E QUE É A ÚNICA ENTIDADE NO DISTRITO QUE FAZ ESSA PRESCRIÇÃO NESSAS CONDIÇÕES) cobra 80 euros para abertura de processo (como os bancos e financeiras) e mais 80 pela consulta em que a pessoa (muitas vezes com graves condições financeiras) pretende fazer o pedido.
Tem aqui a foto que me mandaram.

Nesta fase não estou a referir a entidade de propósito porque não a contactei ainda. Pretendo primeiro saber se conhecem casos semelhantes e quero saber quanto pagaram para fazer o pedido de uma ajuda técnica e onde. Estou a preparar reportagem.
Já contactei o Ministério da Segurança Social que me confirmou a situação (por isso estou a escrever este artigo), conhecem o problema e já fizeram um levantamento. Chegaram à conclusão que as Associações cobram o que querem aos cidadãos desde os tais 80 euros (?????) a NADA.

Mas os cidadãos não são todos iguais?

Não há um protocolo que limita e obriga a que o acesso às ajudas seja igual em todo o país e para todas as doenças? Pelos vistos não.
Neste caso é ridículo que para pedir GRÁTIS um andarilho ou uma bengala, ou um apoio para o banho ou outra coisa qualquer que custe menos de 80 (ou 180 euros) eu tenha de pagar um valor superior ao que ele custa. A uma Associação que tem por objetivo ajudar as pessoas com incapacidade. Não é normal.
Portanto, serve este artigo de alerta para que perguntem primeiro quanto custa o pedido, que me informem da situação que encontraram para fazer reportagem e alertar o Ministério (outra vez) se for o caso e que RECLAMEM por escrito na Associação respectiva e por e-mail para a Segurança Social, INR (Instituto Nacional para a Reabilitação) e para a Provedoria de Justiça para que esta situação mude. Repito, não é normal.
Pagar 180 euros para pedir um apoio GRÁTIS da Segurança Social? Como?!
 

Acompanhe-nos AQUI

NOVO LIVRO “CONTAS-POUPANÇA”
34 dicas para poupar muito mais e fazer crescer o seu dinheiro em 2018.
É um livro que se paga a ele próprio apenas com uma dica.

Se quiser um resumo claro e prático das dicas que demos nos primeiros 5 anos de programa, pode adquirir o livro “Contas-poupança I”.
É só clicar AQUI abaixo.

Registe-se AQUI para receber a Newsletter do Contas-poupança.

(Todas as dicas da semana num só e-mail).


 
 
 
 

Publicidade

Sobre mim: Pedro Andersson

Ir para a página "Sobre Mim"

Siga-nos nas Redes Sociais

Para si | Artigos Recentes 

EURIBOR HOJE | Taxas sobem a 3 e 6 meses e descem a 12

Euribor Diariamente, divulgamos aqui na página "Contas-poupança", o valor das taxas Euribor a três, seis e 12 meses. Embora as alterações diárias não tenham um impacto direto na sua prestação do crédito à habitação, são um indicador precioso para perceber a tendência...

COMBUSTÍVEIS | Preços na próxima semana (3 a 9 de junho)

Preços dos combustíveis na semana que vem A informação dos preços dos combustíveis é baseada nos cálculos que têm em conta a cotação nos mercados internacionais e outros fatores considerados na formação do preço dos combustíveis em Portugal. São dados que recolho...

PODCAST | #244 -Vale a pena investir em ouro? (A pergunta do Pedro)

Subscreva a nossa Newsletter, para não perder nenhuma dica *Ao subscrever, a informação partilhada será usada de acordo com os nossos Termos e Condições e a nossa Política de...

Jovens vão poder decidir a cada ano que regime de IRS preferem

Opção pelo IRS jovem é anual e poderá ser alterada ou renovada O novo modelo de IRS Jovem aprovado recentemente pelo governo é diferente daquele que ainda vigora atualmente, na medida em que prevê uma redução das taxas do imposto que incidem sobre os escalões de...

Rendas de pessoas deslocadas em trabalho vão poder ser deduzidas

Medida aplica-se a deslocados a mais de 100 quilómetros de casa As pessoas que tenham de ir trabalhar para mais de 100 quilómetros de distância da sua residência habitual e pretendam rentabilizar a sua habitação enquanto estão fora vão poder deduzir a esse rendimento...

Garantia pública extingue-se quando jovens pagarem primeiros 15% do empréstimo

Garantia pública de até 15% aplica-se a casas até 450 mil euros O governo aprovou recentemente uma garantia pública de até 15% para ajudar os jovens até aos 35 anos a conseguir financiamento para comprar casa. Na segunda-feira, ao terminar o Conselho de Ministros...

EURIBOR HOJE | Taxas descem em todos os prazos

Euribor Diariamente, divulgamos aqui na página "Contas-poupança", o valor das taxas Euribor a três, seis e 12 meses. Embora as alterações diárias não tenham um impacto direto na sua prestação do crédito à habitação, são um indicador precioso para perceber a tendência...

COMBUSTÍVEIS | Qual é o preço justo esta semana? (27 de maio a 2 de junho)

Qual deveria ser o preço justo? A ERSE faz semanalmente as contas para o consumidor saber qual é o preço "justo" dos combustíveis face ao preço das matérias-primas e transportes de combustível. Esse preço "justo" já inclui uma margem de retalho de cerca de 10% para as...

Medicamentos grátis a partir de 1 de junho para quem tem CSI

Publicada em Diário da República comparticipação a 100% em medicamentos para idosos com Complemento Solidário O diploma que estabelece que os idosos que recebem complemento solidário passam a partir de 1 de junho a ter direito a medicamentos comparticipados sujeitos a...

Prazo para pedir devolução de propinas termina esta sexta-feira

Mais de 158 mil pessoas já pediram o prémio salarial O prazo para pedir o Prémio Salarial, que prevê a devolução aos jovens do dinheiro que investiram na sua educação superior, termina esta sexta-feira, dia 31 de maio. Os licenciados e mestres que tenham concluído os...

Publicidade

Comentar

Siga-nos nas redes sociais

Artigos relacionados

6 Comentários

  1. Ricardo Gomes

    Triste país este…
    Força Pedro.

    Responder
  2. aníbal

    Eu em Janeiro de 2018 fiz o pedido á Segurança Social de Vila Real, uma cadeira de rodas. Tive de ir a Gaia a um centro de prescrição, consulta gratuita no (centro de prescrição do Norte), e em vila Real, existe este centro de prescrição, A.P.P.C. – ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE PARALESIA CEREBRAL, mas tinha de pagar 160 euros para a consulta de uma Fisiatra. E ia lá uma empresa privada, para eu escolher 3 orçamentos de cadeiras. Depois da consulta em Gaia tive de entregar 3 orçamentos de 3 empresas de cadeiras rodas diferentes e apresentá-los na Segurança Social de Vila Real. Só foi deferido o meu pedido em Novembro de 2018, e creditado o valor da cadeira de rodas manual na minha conta, aí tive de enviar 50% desse valor para a empresa que foi escolhida, e passado 1 mês em Dezembro fui buscar então cadeira de rodas.

    Responder
  3. Alda Silva

    Boa tarde Sr Pedro,
    Cada vez mais eu passo a palavra a toda a gente para não deixar de ver o seu programa , é extraordinário .
    Mas não é só nisto que cada entidade pede o que quer…e vou dizer lhe já.
    O meu marido infelizmente doente teve de realizar uma colonoscopia e uma endoscopia com sedação , pois ele não consegue de outra maneira
    Por incrível que pareça , os dois exames são feitos na mesma altura , sendo que a sedação da colonoscopia também serve para fazer a endoscopia , até aqui tudo bem .
    A questão levanta-se quando estamos tentar marcar e nos pedem só pela sedação da endoscopia os valores mais díspares que possa imagina..
    O SNS não comparticipa esta sedação, vai daí pedem desde € 40,00 até € 180,00 só pela sedação
    Pergunto: Mas afinal cada um cobra o que bem lhe apetece ? Não deveria haver uma tabela para taxar esta sedação ? Ninguém faz estes exames por prazer , tão triste…….

    Responder
  4. Carlos Gonçalo

    Como disse a Sra. Alda e muito bem, “ninguém faz estes exames por prazer” é claro que não, eu próprio já os fiz e tive tudo menos prazer. Que eu saiba ninguém gosta de estar doente.. é realmente muito triste. Em 2013 fui operado a um cancro, que me tirou aquilo a que chamamos, qualidade de vida. Aos 35 anos a minha vida deixou de ter sentido, por consequência da cirurgia fiquei com sequelas na cervical e braço, no início fizeram vários exames e tratamentos, tudo para as dores;.. Já lá vão mais de 6 anos e o que sinto é que, apesar de todo este sofrimento ninguém quer saber. Hoje tive consulta e disse o mesmo de sempre, (a verdade) que o meu estado de saúde, as minhas dores não desaparecem,… e a resposta da médica é a mesma de sempre, “teve azar” blá blá blá
    Para terminar este desabafo, eu fui visto por um neurocirurgião à cerca de 2 ou 3 anos atrás, na esperança de que me tirassem as dores, aguardei um ano e a resposta foi, só estamos à espera do aval da administração (HUC) tentei falar com o médico para saber se sabia como é que estavam as coisas, e não houve qualquer resposta, disse que não tinha ainda conhecimento de nada, o tempo sempre a passar, até que no final do ano passado, veio a resposta, ao fim de de dois anos de espera.. “Lamento mas não é possível fazer a cirurgia, não há dinheiro para isso…” Os meus sinceros parabéns pelo seu trabalho, Pedro Andersson

    Responder
    • Pedro Andersson

      Olá Carlos. Lamento muito a sua situação. Posso sugerir mais uma queixa na Provedoria de Justiça? Vale o que vale…

      Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Partilhe o Artigo!

Partilhe este artigo com os seus amigos.