Painel solar fotovoltaico – Balanço Abril de 2019 (mês 29)


Balanço do mês de Abril de 2019

Abril foi um mês bom e mau ao mesmo tempo. Foi mau porque foi pior do que o mês anterior (Março) mas foi bom porque apesar disso foi melhor do que o mesmo mês no ano passado. Por isso não me posso queixar.

Seja como for, o que já percebi nestes mais de 2 anos com o meu painel solar fotovoltaico é que não adianta ter expectativas ou fazer previsões. Ninguém manda no tempo e será sempre o que for e por mais que eu queira sol ele só aparece se as nuvens não aparecerem. É deixar correr os dias sem stress. É a parte boa do painel estar no telhado longe da vista. Só dou por mim a fazer estas contas porque quero partilhá-las convosco. Caso contrário nem dava por nada.

Painel solar fotovoltaico

As contas

O painel fotovoltaico de 250 W produziu em Abril 36,261 kWh (foram 41,653 kWh em Março). Representa 6,67 € de poupança na fatura da luz, se tivesse consumido tudo o que o painel produziu no mês passado.

Como podem ver Abril foi um mês muito instável com dias de nuvens e chuva. Foram assim os dias de Abril.

A seguir pode ver o gráfico com o total de eletricidade produzido mensalmente. Estamos a entrar nos meses de maior produção do ano. Eu estava à espera que Abril tivesse mais produção do que em Março como em 2018, mas isso não aconteceu. Imponderáveis do clima.

Por curiosidade, partilho convosco a importância de ter um painel solar. Meço todos os consumos de minha casa minuto a minuto e meço também minuto a minuto a produção do painel solar. Reparem como no mesmo minuto a minha casa está a consumir 149 W (sem ninguém em casa: o frigorífico, o router e os standby).

Exatamente ao mesmo tempo (isto foi esta tarde) o painel estava a produzir 162 W de eletricidade. Ou seja, neste minuto especificamente a minha casa foi completamente auto suficiente. O painel produziu mais eletricidade do que a casa estava a consumir. Aliás até produziu em excesso. A diferença que não gastei foi “oferecida” à rede. Aqueles Watts a mais produzidos pelo meu painel solar podem até ter sido consumidos por si que está a ler este artigo. É assim que funciona.

Pode achar também interessante o diagrama do consumo de uma casa (neste caso a minha). Este gráfico foi de hoje. Levantamos o pessoal todo cedo porque é dia de escola. É o pico logo de manhã. Luzes, microondas, TV, rádio, etc. É aquela montanha de eletricidade gasta entre as 7 e as 8 da manhã. Assim que saímos de casa é aquela maré vazia. Os picozinhos são quando o frigorífico e a arca congeladora ligam e desligam. Como podem ver, a casa vazia gasta mas relativamente pouco. Por isso é que ter 3, 4, 5 ou 6 painéis solares pode ser um desperdício completo de investimento.

Mas imagine que está sempre gente em casa todo o dia. Ah! Aí sim, pode valer a pena ter mais painéis. Vejam aqui como foi por exemplo o meu Domingo.

Como podem ver houve consumos altos praticamente todo o dia. Se tivesse mais painéis fotovoltaicos consumiria o que o sol produz e não iria buscar à rede. Tem de fazer esta avaliação caso a caso e casa a casa.

E o desconto na fatura?

Estas são as contas de Abril de 2019. Se tivesse consumido tudo o que o painel produziu teria poupado na fatura da luz exatamente 6,67 euros (já com IVA).

Nestes 29 meses (já passaram mais de 2 anos) teria poupado 192,80 euros. Como investi 620 euros no painel e na instalação, neste momento o retorno do investimento continua nos cerca de 8 anos.

Compensa comprar um painel solar?

Como não consumo tudo o que o painel produz (porque não estou em casa durante o dia durante a semana), tenho estimado o meu desperdício para a rede em cerca de 25%.

Assim, o retorno real  (o chamado break even) continua pelas minhas contas perto dos 10 anos (reais). Depois de passado esse tempo, o painel estará pago e terei pelo menos mais 15 anos de “lucro”. Veremos se é assim. Mensalmente continuarei a fazer aqui o balanço.

Recordo também que há leitores que me dizem que já conseguem comprar painéis solares fotovoltaicos de 250 W com tudo incluído e pronto a funcionar por menos de 500 euros. Aí o retorno é muito mais rápido. Quando comprei eram mais caros (e os 620 euros incluem a instalação e equipamentos adicionais que adquiri).

Para os que chegaram agora ao blogue, relembro que como não tenho baterias, tudo o que não consumir em tempo real é oferecido à rede. As baterias são demasiado caras para mim. Com baterias, todo o sistema fica em cerca de 5 mil euros. E sim, vivo num prédio com outros condóminos. Não é impedimento.

Até agora, não tive nenhuma avaria nem precisou de qualquer manutenção. Sempre que tenho ido ao telhado o painel está limpo e neste 2 anos só o limpei uma vez com um paninho porque tinha alguma poeira acumulada.

Acompanhe-nos AQUI

NOVO LIVRO “CONTAS-POUPANÇA”

34 dicas para poupar muito mais e fazer crescer o seu dinheiro em 2018.

É um livro que se paga a ele próprio apenas com uma dica.

Se quiser um resumo claro e prático das dicas que demos nos primeiros 5 anos de programa, pode adquirir o livro “Contas-poupança I”.

É só clicar AQUI abaixo.

Registe-se AQUI para receber a Newsletter do Contas-poupança.

(Todas as dicas da semana num só e-mail).



Acompanhe-nos AQUI

NOVO LIVRO “CONTAS-POUPANÇA” 34 dicas para poupar muito mais e fazer crescer o seu dinheiro em 2018. É um livro que se paga a ele próprio apenas com uma dica.


15 comentários em “Painel solar fotovoltaico – Balanço Abril de 2019 (mês 29)

  1. Avatar
    José Ribeiro Reply

    Boa tarde Pedro
    Comprei dois painéis fotovoltaicos com uma capacidade de 500W. Com a instalação ficou cerca de €900, e pela informação prestada é o ideal para colocar uma máquina de roupa a lavar durante o período de maior produção, ou uma máquina de lavar loiça. Nestas situações a produção dos painéis é totalmente aproveitada. Assim espero poupar na electricidade consumida, tenho um contrato com tarifa bi-horário que no vazio vai desde as 22h às 8h da manhã, que se poupa metade do preço em electricidade. Como as máquinas têm programa diferido, ou seja podem começar a trabalhar nas horas que mais me convém dá a possibilidade de gerir os consumos. O resultado vou ver depois nas leituras e facturação mensal. E um obrigado pelas dicas.

  2. Avatar
    Rui Reply

    Boa tarde,

    Tenho várias questões quanto ao fator contratual com a EDP/outros adquirindo um sistema fotovoltaico. Para quem tem a tarifa fixa mensal, e depois se dão os acertos ao final do ano, como se vai buscar o retorno do investimento? Qual é a melhor tarifa a contratar com um fornecedor de rede para obter o melhor retorno? E outra questão, porque é que o excedente é oferecido à RESP e não vendido?
    Encontro muita informação acerca do lado técnico e números na poupança esperada, mas nenhuma informação acerca do processo contratual com um sistema destes. Para quem não tem nada, como tem de alterar o contrato com o seu fornecedor para instalar um sistema destes?
    Cumprimentos

  3. Avatar
    António Silva Reply

    Olá, Pedro. Gostava de saber que passos precisa de dar um condómino que vive no 1° de 7 pisos para instalar no telhado (placa) um painel solar. Legislação, administração do condomínio, etc. Grato.

    • Pedro Andersson
      Pedro Andersson Post authorReply

      Olá. No meu caso foi só pedir para ficar em ata que a maioria concordou. Comprometi-me a usar só os meus espaços para isso. Mas está na lei que pode colocar nas zonas comuns do telhado. Pesquise no Google painel solar condominio legislação. Tem tudo 🙂

  4. Avatar
    Carlos Campos Reply

    Caro Carlos Neves;
    Pode fazer o teste com qualquer equipamento, dei o exemplo do secador de cabelo, porque têm normalmente consumos de 980W, 1.000W a 1.600W.
    E quanto maior for o consumo, maior será a visibilidade das diferenças.
    Aspirador, placa eléctrica de fogão, Climatização, etc. Quaisquer consumos após o contador de electricidade, servem para visualizar este “fenómeno”.

  5. Avatar
    Carlos Campos Reply

    Boas a todos,

    Caro Carlos Neves;
    Não sendo o Pedro Andersson a responder-lhe, (com certeza que lhe responderá) informo-o com uma certeza de que estamos a consumir a energia produzida pelos nossos painéis fotovoltaicos de que necessitamos, ou na sua totalidade ou parcial.
    Ou seja, se houver excedente de produção e sem consumos imediatos, ela passa-se para a RESP (Rede Eléctrica de Serviço Público).
    Se tiver a produzir e não chegar vai buscar a RESP a potência em falta, (diferença) é sempre assim, porque está a injectar na sua rede interna/pessoal, ou seja, depois do contador e diferencial da companhia eléctrica.
    Se a energia fosse injectada a montante, (antes do contador de electricidade) essa energia eléctrica iria toda para a RESP.
    O Pedro Andersson, têm equipamentos que lhe permite verificar este “fenômeno” eléctrico, porque dispõe de um equipamento de monitorização, e ainda um contador de última geração, (apelidados de Inteligentes) que permitem verificar a potência em Watts vs kWh importados da RESP, Assim, e para efeitos de teste do “fenómeno”, poderá com um simples secador de cabelo fazer um teste;
    Liga só o secador na potência máxima, vai verificar a potência de consumo instantânea ao contador “inteligente”, sem ter o painel ligado na sua rede eléctrica pessoal (dentro da sua habitação) depois pede a alguém lá de casa para ligar o painel solar, (verificável em bons dias de radiação solar) e irá constatar que os valores em Watts desceram, muito ou pouco, consoante o Número de painéis solares Fotovoltaicos instalados.
    Espero ter ajudado.
    Cumprimentos,

  6. Avatar
    Carlos Neves Reply

    Excelente artigo, tenho seguido com interesse esta sua análise ao seu caso concreto.
    Ando a ponderar adquir um sistema idêntico. No meu caso, durante a manhã tenho a empregada em casa, para além do ferro de engomar por vezes liga a máquina de secar roupa. São os electrodomésticos que mais usa. Para estes eletrodomésticos é dificil prever o seu consumo mensal. Não os vou considerar para o caso. Tenho um sistema de domotica que me diz os consumos instantâneos e sei que quando não está ninguém em casa (todas as tardes dias úteis) o consumo é de 420W.
    Se perceci bem, a opção mais equilibrada seria adquirir 2 paines de 250W.
    No entanto gostaria de perceber como é que tem a certeza que está a consumir a energia que está a produzir e que só vai buscar á rede o restante? É possível verificar isso em tempo real? Obrigado.

    • Pedro Andersson
      Pedro Andersson Post authorReply

      Sim. Vejo isso quase segundo a segundo em tempo real. Tenho dois aparelhos medidores. Um para a casa e outro para o painel.

  7. Avatar
    José Reply

    Excelente reportagem, parabéns.
    Gostava de saber qual o programa / equipamentos, que utiliza para medir os consumos.
    Obrigado

  8. Avatar
    Marcos Reply

    Os meus parabéns e agradecimento pelo excelente trabalho que faz, com a partilha de informação.
    Em relação ao Painel solar fotovoltaico, provavelmente já teve esta ideia, mas não será possível “oferecer” a energia que não utiliza na rede do prédio, ao invés da rede publica?
    Obrigado

  9. Avatar
    Carlos Campos Reply

    Boas as todos,
    Muito bem Pedro Andersson,
    Venham mais anos, com saúde, sucessos e boas energias!
    O seu Módulo Fotovoltaico, continuará a produzir ao sabor do Sol!
    Bem-haja pelo seu contributo, e pelo extraordinário e generoso serviço público que nos presta a toda a sociedade civil.
    Cumprimentos,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *