Como baixar a sua fatura do gás para quase metade


Basta rodar um botão

Às vezes a solução de poupança está mesmo à frente dos nossos olhos.

Sim, sei que muitos de vocês dirão (e escreverão) que esta dica é óbvia e que fazem isto há décadas. Mas pela ronda que fiz junto de muitas pessoas à minha volta verifiquei que ou não sabiam, ou já há muito tempo que não verificavam se estavam a poupar ou não.

Já olhou para o seu esquentador?

Milhões de portugueses têm em casa um esquentador como este. Esta dica aplica-se a quem tem gás canalizado, a quem usa botijas ou garrafas (como lhe queira chamar) ou cilindros elétricos. Quem tem painéis solares para aquecimento de água não tem de fazer estas contas. No caso dos cilindros elétricos, dizem-me que devem ter cuidado para não baixar de uma determinada temperatura por questões de bactérias que podem desenvolver-se. Terão de ver isso junto do vosso fornecedor de equipamentos. Se renovarem a água todos os dias não me parece que isso aconteça mas terão de avaliar por vocês. No caso dos esquentadores, como a água está sempre a correr, essa questão não se coloca.

É que normalmente preocupamo-nos com a fatura da eletricidade, mas esquecemo-nos de olhar com atenção para a fatura do gás.

Fomos a casa de Gonçalo Lima, um consumidor absolutamente comum, que tem um esquentador para aquecer água. E mexemos no esquentador para ver se era possível poupar. Já vamos aos resultados.

Gustavo gasta cerca de 35 euros por mês em gás. São 420 euros por ano. E há famílias que gastam duas ou mais botijas de gás por mês.

Gustavo nunca mexeu no esquentador desde que mora nesta casa. Há muitos anos que, todos os dias, tem de misturar água fria para não se queimar na cozinha e no banho. Usámos o termómetro do banho do Francisco, o bebé cá de casa, só para testar. A água saiu a quase 60 graus. Está no nível perigoso e até para nós adultos está demasiado quente. Queima mesmo.

A pergunta, muito simples, é: Porquê gastar desnecessariamente vários m3 de gás (ou kWh no caso da eletricidade) para ter água quase a ferver se depois é obrigado a misturar água fria?

Fizemos o teste

Deixámos a água quente a correr durante alguns minutos e filmamos o contador do gás durante esse tempo. Na primeira situação deixámos o esquentador na temperatura máxima como tem estado desde que Gustavo mora nesta casa.

Depois baixamos a temperatura do esquentador para o mínimo e voltamos a filmar o contador para contabilizar a diferença e perceber se podemos poupar alguma coisa simplesmente rodando os botões do esquentador.

Na reportagem em vídeo (tem o link mais abaixo) em tempo real o vídeo dos contadores tem 3 minutos. aceleramos de propósito as duas imagens para perceber a diferença.

O consumo de gás é reduzido de forma drástica sem mudar praticamente nada na sua vida. Até poupa trabalho porque não tem de estar a calibrar a temperatura da água.

Com a temperatura máxima, durante 3 minutos Gustavo gastou 0,090 m3 de gás. Baixando a temperatura da água, nos mesmos 3 minutos, gastou apenas 0,051 m3. Menos 57% do que o gasto inicial. Ou seja, uma poupança de 43% (na reportagem errei ao confundir o conceito de redução do gasto real com a percentagem de poupança). Fica feita aqui a correção.

Se gastasse 35 euros de gás (fora impostos) só para banhos e água quente, sem fogão, poderia poupar cerca de 20 euros por mês. Não é brincadeira. São mais de 200 euros por ano. Sem mudar nada na nossa vida.

O corpo humano considera confortável a água a 40 graus e no Verão muito menos. Mas depende dos gostos de cada um. Alguns estudos dizem que por cada grau de temperatura que baixarmos, reduzimos o consumo de gás em 7%.

Encontrar o ponto de equilíbrio

O objetivo, obviamente, não é passar a tomar duche de água fria para poupar no gás. Tem de encontrar uma temperatura que seja confortável para toda a família. E a poupança pode ser maior ou menor dependendo da eficiência do seu esquentador.

Em resumo, os mesmos banhos da família com a mesma qualidade, podem ficar por metade do que paga agora se nunca fez isto.

Um espectador com 2 filhos pequenos disse no Facebook do Contas-poupança que depois de fazer isto, a botija que durava menos de um mês passou a durar quase dois meses. Faça o teste e veja se está a desperdiçar gás sem necessidade.

Pode ver ou rever a reportagem do Contas-poupança desta semana aqui:

https://sicnoticias.pt/programas/contaspoupanca/2019-04-17-Basta-rodar-um-botao-para-baixar-a-fatura-do-gas-em-cerca-de-60

Acompanhe-nos AQUI

NOVO LIVRO “CONTAS-POUPANÇA”

34 dicas para poupar muito mais e fazer crescer o seu dinheiro em 2018.

É um livro que se paga a ele próprio apenas com uma dica.

Se quiser um resumo claro e prático das dicas que demos nos primeiros 5 anos de programa, pode adquirir o livro “Contas-poupança I”.

É só clicar AQUI abaixo.

Registe-se AQUI para receber a Newsletter do Contas-poupança.

(Todas as dicas da semana num só e-mail).



Acompanhe-nos AQUI

NOVO LIVRO “CONTAS-POUPANÇA” 34 dicas para poupar muito mais e fazer crescer o seu dinheiro em 2018. É um livro que se paga a ele próprio apenas com uma dica.


18 comentários em “Como baixar a sua fatura do gás para quase metade

  1. Avatar
    Luís Mendes Reply

    Caro Pedro, agradeço imenso pelas suas dicas. E neste caso concreto, resultou com poupanças bem visíveis.
    No meu caso em concreto, somos uma família de 4, numa moradia, onde usamos botijas de gás para o fogão e esquentador, e ao ouvirmos esta reportagem, imediatamente reduzimos a temperatura do esquentador de 60º para os 42º, (variamos ás vezes, pois o nosso filho precisa de agua mais quente. mas nunca passa dos 50º). Com esta alteração na temperatura, não precisamos mais de regular a temperatura com agua fria, o que tornou também os banhos mais rápidos.
    Pelo menos, em 1 mês desde esta reportagem, verificamos a redução no gasto com gás…Obrigado mais uma vez, pois são sempre mias uns centimos ou euros, que poupamos ao fim do mês

  2. Avatar
    João Ferreira Reply

    Boa tarde Pedro,
    Já pensou em fazer uma comparação esquentador/caldeira a gás VS cilindros/caldeiras a electricidade?

    Cumprimentos

  3. Avatar
    Teresa Carneiro Reply

    Boa tarde
    Eu tenho caldeira em casa por causa do aquecimento central, neste caso como faço para poupar água?
    Cumprimentos
    Teresa Carneiro

  4. Avatar
    Pedro Oliveira Reply

    Sou técnico de instalação de equipamentos solares e AQS. Não aconselho acumulação de água a nunca a menos de 50ºC para evitar desenvolvimento de bactérias, embora a legislação indique uma temperatura mínima de 60ºC. Não há um limite mágico. O tempo de vida das bactérias é uma curva função de temperatura e tempo. Em relação aos consumos, quer a fonte de água esteja a 50ºC ou 80ºC, para termos por exemplo 10 litros de água a 40ºC por minuto na torneira vamos gastar em teoria exactamente a mesma energia. Só que com o depósito a 80ºC, para uma saída igual em temperatura e caudal na torneira, há mais banhos disponíveis no depósito.

    Onde a redução de temperatura dos depósitos/esquentadores pode de facto poupar algo (5-10%): água mais fria num depósito implica menos perdas térmicas no isolamento para o ambiente. Numa caldeira/esquentador, com modulação de chama, menos temperatura significa menos gás por minuto, o que pode elevar ligeiramente o rendimento da permuta (talvez 5%). O factor mais importante pode ser não perder tempo a regular a temperatura e caudal na torneira, ou “lutar” para que um esquentador não se desligue por falta de caudal. ^Mas o factor mais importante é a disciplina de quem usa. Há quem não saiba ou queira reduzir o caudal da torneira. Se já estiver limitado na fonte em temperatura e caudal, é abrir a torneira e já está. Mas a energia não se poupa do nada. Pagamos de facto o que usamos e 20 litros por minuto na torneira custam o dobro de 10 litros por minuto, para a mesma temperatura final, salvo as pequenas economias marginais referidas.

  5. Avatar
    JPC Reply

    A dica também se aplica a quem tem painel solar pois nem sempre há sol suficiente para aquecer a água. No meu caso, a temperatura do painel está definida para 50C e no esquentador entre 38 e 40C dependendo da altura do ano

  6. Avatar
    M Conceição Pereira Reply

    Tenho um termo-acumulador já há muitos anos O esquentador não era suficiente para alimentar mais de uma casa de banho em simultâneo. Mas mesmo assim o consumo de água e energia eléctrica continuavam a ser elevados. O que deu mesmo resultado foram torneiras com termostato! Reduziu especialmente o consumo de água.

  7. Avatar
    Alfredo Duarte Reply

    Eu não sou um expert na matéria, mas deduzo que ao baixar (muito) a temperatura no esquentador, vamos aumentar o consumo de água para se atingir a temperatura (ideal) desejada… penso eu de que 😉

    • Pedro Andersson
      Pedro Andersson Post authorReply

      É baixar até a temperatura confortável tendo em conta as questões sanitárias. Se a água estiver parada muito tempo abaixo de determinada temperatura pode criar bactérias. Tem de se informar junto de quem lhe instalou a caldeira.

  8. Avatar
    Nuno Rocha Reply

    Posso acrescentar que tenho painéis e quando tinha a caldeira em 50ºc “eco” gastava 6 m3 por mês, baixei a temperatura para o mínimo, no meu caso são 40ºc e baixamos o consumo para 3 m3 por mês. Não notei aumento na fatura da água que descompensasse isto.

  9. Avatar
    Miguel Reply

    Reduzindo no esquentador não teremos mais consumo de água visto demorar mais tempo para a aquecer???

    • Pedro Andersson
      Pedro Andersson Post authorReply

      Olá. Não me parece. Mas faça o teste. Ligue a água 5 minutos nas duas situações e verifique no seu contador a diferença.

  10. Avatar
    Nuno Fernandes Reply

    Outra dica é reduzir o.caudal de água das torneiras, fechando um pouco o passador ou instalar redutores nas torneiras. Quanto menor o fluxo de água, menos gás é preciso para aquecer a água…

  11. Avatar
    Sérgio Reply

    Não será antes poupança de 43% em vez de 57%. Mas mesmo assim é uma grande poupança.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *