Eletricidade – Continua a compensar estar no mercado liberalizado?

No meu caso, sim.

Sublinho que cada caso é um caso. Tudo depende da empresa, do tarifário que contrataram e quando. Basicamente, tudo se resume ao preço que está na vossa fatura de eletricidade nas linhas “Potência contratada” e Termo de energia”.

Neste artigo AQUI expliquei que em Janeiro era mais barato estar no mercado regulado de eletricidade do que no mercado liberalizado. Uma situação muito estranha.

Se há mais barato, faço questão de mudar. Na Endesa prometeram-me em Janeiro (ver artigo no link no parágrafo anterior) que iam baixar os preços para ficarem mais baratos do que na EDP “antiga” – Serviço Universal. Aguardei. Já tenho os resultados.

Prometeram baixar 6,3% mas só baixaram 4%

Todas as contas que farei a seguir são sem IVA e já com os descontos de 12% da Endesa. Terão de fazer as contas com os valores que aparecem na fatura da empresa que vos fornece a eletricidade.

Tenho potência contratada de 4,6 kVa. Até Janeiro, estava a pagar 0,22 € por dia de potência contratada e 0,16 € por cada kWh (1.000 W). Com a descida dos preços na EDP Serviço Universal, no mercado regulado em 2019 a potência contratada está a 0,21 € por dia e a 0,1557 € o kWh. Portanto, estava a perder dinheiro. Já tenho os preços atualizados da Endesa (estão na página deles na internet). Os da vossa empresa também lá devem estar.

A potência contratada SUBIU AINDA MAIS!?, para 0,2283 €. Representa mais 6,8% do que na EDP Serviço Universal. Bom, na prática é menos de 1 cêntimo por dia a mais que no mercado regulado. Estamos a falar de menos de 30 cêntimos por mês a mais.

Portanto, espero que compense no que vou poupar no consumo de eletricidade. De facto, após a atualização, agora na Endesa é mais barato (novamente) do que no mercado regulado. Como gasto cerca de 400 kWh por mês, compensa-me continuar no liberalizado. Vamos a contas. Prometeram uma descida de 6,3% (no apoio ao cliente) mas a descida foi para 0,1495, ou seja, menos 4%. No mercado regulado está a 0,1557 €.

Conclusão

Moral da história: continua a valer a pena continuar no mercado liberalizado. Há preços ainda mais baixos em empresas mais pequenas. Ainda não me aventurei nessas empresas mas é só uma questão de tempo. Recordo-vos que a eletricidade vem toda do mesmo sítio. A única coisa que muda é a fatura que vem de empresas diferentes que “compram” a eletricidade e estão dispostas a vendê-la a nós lucrando menos do que as grandes distribuidoras.

Há diferenças no apoio ao cliente e na qualidade dos call centers e nos programas de faturação (que por vezes fazem grandes disparates).

Estejam sempre atentos e avaliem.

Acompanhe-nos AQUI

NOVO LIVRO “CONTAS-POUPANÇA”

34 dicas para poupar muito mais e fazer crescer o seu dinheiro em 2019.

É um livro que se paga a ele próprio apenas com uma dica.

Registe-se AQUI para receber a Newsletter do Contas-poupança.

Se quiser um resumo claro e prático das dicas que demos nos primeiros 5 anos de programa, pode adquirir o livro “Contas-poupança I”.

É só clicar AQUI abaixo.

 


13 comentários em “Eletricidade – Continua a compensar estar no mercado liberalizado?

  1. Marco Caetano Reply

    Boa noite.

    Chamo-me Marco Caetano e, tal como muitos portugueses, já estou no mercado liberalizado de energia há algum tempo. Todos os anos revejo os preços de energia praticados pelos diversos fornecedores e, se me for vantajoso, procedo à alteração de operador. Este ano, neste processo de mudança, acabei por ser vítima daquilo que eu considero ser uma burla pela minha atual fornecedora de energia – IBERDROLA.

    Passo a detalhar.

    Em Janeiro, com os dados de consumo de 2018, procedi a uma simulação no web site da ERSE, onde pude verificar que existia um produto muito mais vantajoso que aquele que estava a usar. Confirmei então o preçário e condições de serviço na página da Iberdrola , e em meados de Janeiro procedi ao pedido de subscrição do serviço de energia por via de um formulário web disponibilizado por essa empresa.
    No decorrer do processo de transição do meu anterior fornecedor de energia (Endesa) para o atual (Iberdrola), contactei por diversas vezes o apoio da Iberdrola no sentido de me confirmarem e anexarem ao contrato o preçário a que iria estar sujeito, coisa que nunca me fizeram. Entretanto, já em Fevereiro, o processo de transição de operador de energia fica concretizado e o apoio ao cliente da Iberdrola confirma-me que o preçário a que iria estar sujeito iria ser diferente daquele que eu tinha contratado, mais desfavorável para mim, alegando que a campanha que estava em vigor na altura do pedido de adesão já tinha terminado.
    Para a Iberdrola o relevante foi a data de início de contrato (Fevereiro) e não a data da adesão ao serviço (18 de Janeiro).

    Transpondo para um exemplo prático do nosso quotidiano. Quantos de nós já não fomos ao supermercado e ao chegar à caixa para pagar um produto verificamos que o valor não está concordante com o preço afixado… Neste caso o operador de supermercado, após verificar o preço marcado, procede à retificação da conta, prevalecendo sempre o preço publicitado, sendo esse o valor válido na transação.
    Pelos vistos este princípio não se aplica à Iberdrola… O que esta empresa de energia faz é praticar o preço que lhe é mais conveniente, sendo totalmente irrelevante a data em que o contrato é feito e o tarifário a que lhe estará associado, que devia, no meu entender, ser sempre aquele em vigor na data de subscrição do produto.

    Entretanto esta semana já recebi a primeira fatura e nela verifico que o preço da energia que está a ser cobrado (0,1509€/kw) difere quase em 0,02€/kw daquele que tinha sido anunciado (0,1345€/kw). Num consumo anual de 5000 kw a diferença chega aos 100€!!!!!

    Já procedi à abertura de uma reclamação de forma a que a ERSE possa intervir e já estou em processo de alteração de operador. O próximo passo que darei será alertar, pelas vias mais eficientes possíveis, o maior número de pessoas possíveis.

    Utilizem e se caso disso for necessário divulguem esta prática burlesca, para evitar que novos episódios destes se repitam!
    Melhores cumprimentos

  2. José Reply

    Olá, Pedro.

    Eu continuo na GoldenEnergy (têm excelente app mobile, site apelativo, e uma das faturas mais bonitas que conheço). E voltei ao regulado, até por sugestão dessa empresa, em bi-horário. Estive a comparar com endesa, dado ter mostrado os valores, e a diferença a meu favor de quase 1€, se optasse por tarifa simples. Claro que depende dos consumos. Também o tarifário do bi-horário da endesa verifico ser superior ao regulado. Por isso continuo no regulado…

  3. Liliana Reply

    Tenho uma questão: têm ideia se o simulador da ERSE está permanentemente atualizado com os valores? Tenho feito as simulações lá e dá-me, no meu caso, sempre a opção mais barata como sendo a Galp+Continente.

  4. José Reply

    Boa tarde a todos.
    Eu tenho sido um pouco “salta-pocinhas”, a mudar de um lado para o outro, sendo que agora estacionei, sempre temporariamente, na Iberdrola. Comecei como todos, na EDP; passei para a EDP Comercial; desta passei para a Endesa (durante cerca de 7/8 meses), que me fazia uma redução efetiva na fatura em cerca de 2/3 euros, devido aos valores de 0,1777 para o termo da energia e de 0,2514 para a potência. Tenho 4,60 kVA de potência contratada.
    Recentemente (ainda não recebi nenhuma fatura) mudei para a Iberdrola devido aos preços que apresentavam no sítio deles e que, após contacto telefónico, me foi dito que os preços já não seriam aqueles, sendo mais baixos agora. Decidi contratar a proposta, que dizia respeito à versão com o serviço de PEL (proteção elétrica do lar) e que implica 16% de desconto, com 3 meses grátis do PEL e sem fidelização deste, com os valores de 0,1314 para a energia e de 0,3166 para a potência. Houve um pequeno precalço uma vez que quando o contrato me chegou a casa, os preços eram ligeiramente mais altos que os que me foram comunicados por telefone ( mas ainda assim mais baixos que a Endesa), pelo que reclamei de imediato, sendo que demoraram menos de uma semana a comunicarem-me que os valores estavam errados no sítio e na proposta que me enviaram, tendo eles retificado o erro (à exceção do preço da potência, que subiram, mas que eu aceitei uma vez que estes valores não têm grande influência no preço final). No fundo, em relação às minhas faturas de inverno da Endesa, calculo que irei ter um valor de fatura com cerca de menos 15/20 euros.
    Quando chegar a primeira fatura, confirmarei os valores.

    Um abraço,
    José

  5. I Rodrigues Reply

    Boa noite.
    A EDP de 1 a 14 de janeiro baixou o valor por kWh, mas a 15 de janeiro voltou a aumentar. O mesmo aconteceu com o valor cobrado pela potência 3,45.

    Será que alguém consegue explicar ?

    • Paulo Vieira Reply

      Rodrigues, reparei nisso na fatura de uns amigos.
      Mas tb não percebi
      Cumprimentos

      • i. rodrigues Reply

        Bom dia Paulo.

        Perguntei no balcão da EDP o porquê destas descidas e subidas de preços, e disseram que se referia a um período intermédio entre o valor que era praticado e o valor a praticar a partir de 15 de janeiro 2019.

        Devo dizer que é uma explicação estranha.
        Pode ser que o Pedro Andersson consiga explicar melhor um dia destes.

  6. Cristina Pereira Reply

    Olá Pedro,
    Falou-se na lei do orçamento de estado que o iva ia descer de 23 para 6% na potência contratada de 3,45. Foi efetivamente implementado? Na minha fatura aplicam o iva de 23%.

  7. Maria Ferreira Reply

    Bom dia Pedro Andersson, aventure-se na ENAT, é uma empresa portuguesa, com protocolo com a Deco, muito certinha nas contas, consegue-se falar com os funcionários para dar as leituras, em vez de falarmos para uma máquina, são rápidos no atendimento telefónico, sem fidelização, não precisamos de nos deslocar para fazer o contrato, tratam de tudo por e-mail. Tenho em casa e também na empresa onde trabalho, o que posso dizer é que tanto em casa como no trabalho o valor das faturas mensais é sempre inferior ao que costumava pagar na EDP.

  8. Isabe Castro Reply

    Bom dia.
    Uma dúvida, a EDP tinha diminuido os preços no incio de 2019, e entre o dia 1 e o dia 5 de janeiro realmente praticaram uma tarifa inferior, no entanto a partir do dia 6 de janeiro voltaram a aumentar, aconteceu com mais alguém? Alguém sabe a explicação para isto?
    Obrigada

    • Paulo Vieira Reply

      Olá Isabel
      Como já escrevi acima ao Rodrigues,
      Também constatei isso na fatura de uns amigos, mas não sabemos a explicação
      Cumprimentos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *