As melhores dicas de 2018 no Dia Mundial da poupança

As melhores dicas de 2018 no Dia Mundial da poupança

Aqui no Contas-poupança todos os dias são dias mundiais/nacionais/locais/pessoais da Poupança. Temos provado isso ao longo de quase 9 anos. Desde 2011 que damos pelo menos semanalmente sugestões que melhoram a sua vida financeira. Normalmente aproveito esta data para na rubrica na SIC recordar as dicas mais relevantes que divulgamos ao longo do ano.
Portanto, se perdeu alguma dessas reportagens, estas são – na minha opinião – algumas das mais relevantes que foram emitidas em 2018. Claro que há dezenas que ficaram de fora. Mas se recordar estas já não fica mal de todo.
Pode ver ou rever a reportagem de hoje aqui em Vídeo. Mas deixo-lhe também aqui nos links abaixo os artigos mais aprofundados sobre cada um dos assuntos que refiro neste “best of”.
https://sicnoticias.sapo.pt/programas/contaspoupanca/2018-10-31-As-melhores-dicas-do-Contas-Poupanca-em-2018

Ainda e sempre o IRS

Estamos quase no fim de mais um ano. É altura de começar a pensar no IRS do ano que vem. Se é daqueles consumidores que não liga nada às faturas, lembre-se de que pedir faturas com o seu Número de Contribuinte: é mais de meio caminho andado para receber mais de reembolso de IRS. Aproveito para recordar que deve ir assim que possível ao e-fatura para ver se tem lá faturas pendentes. podem ser centenas. Não deixe para  o fim do prazo.

Em separado ou em conjunto?

No campo dos impostos, uma das reportagens do Contas-poupança com mais impacto em 2018 foi a da diferença entre entregar o IRS em separado ou em conjunto. Cláudia e Leonel começaram a receber mais 300 euros por ano só por passarem a entregar em conjunto. Outros casais receberam milhares de euros a mais. Simule sempre as várias opções antes de entregar o IRS.

Englobo ou não englobo?

Lembre-se de testar o englobamento no IRS do ano que vem.

O spread já não é o mais importante

Vamos ao crédito à habitação. Se precisar de pedir um crédito ao banco para comprar casa, não se esqueça que o spread não é o critério principal para escolher o banco mais barato. Às vezes o spread é mais baixo mas acaba por pagar mais por causa dos seguros de vida, cartões de crédito e afins. O que conta é a TAEG e o MTIC. Duas siglas que devem começar a fazer sempre parte do seu vocabulário quando vai aos bancos. Compare sempre as várias propostas pela TAEG e não pelo spread. Pode poupar dezenas de milhares de euros ao longo do crédito.

Cuidado com os débitos diretos

Continuando nos bancos, cuidado com os débitos diretos. Facilitam muito a nossa vida, mas os abusos acontecem.  Um mês tiraram 700 euros de eletricidade da conta de Mónica Carvalho.
Felizmente há formas de nos protegermos. Nesta reportagem, mostramos como pode no multibanco ou no homebanking colocar limites em todos os seus débitos diretos. E caso tirem mais dinheiro da sua conta do que o que está à espera, tem sempre o direito de ligar para o banco e pedir para que lhe voltem a pôr o dinheiro na conta. E depois entende-se com a empresa. Como consumidores, é importante conhecer estes seus direitos.

Impostos por débito direto

As Finanças avisam antes que vão tirar o dinheiro da conta e desde que tenha lá o dinheiro disponível tudo decorrerá sem sobressaltos. Pode facilitar muito a sua vida. Basta ir ao portal das Finanças com a sua password e subscrever este serviço.

Qual vai ser a sua reforma?

Qual é o melhor PPR?

E como o que o espera provavelmente não é uma notícia agradável, ao longo do ano demos-lhe várias sugestões sobre como ter mais dinheiro quando se reformar. Alertamos para a necessidade fazer um PPR e sobretudo saber escolher o melhor para si. Se aceitar o que o banco ou seguradora lhe propõe, o mais provável é que seja a melhor escolha para eles e não para si.
Há PPR que cobram mais em comissões do que os juros que lhe possam dar. Ou seja, há PPR que lhe dão prejuízo em vez de lucro. Informe-se junto do seu banco ou seguradora sobre quanto rendeu o seu PPR nos últimos 5 anos e talvez fique surpreendido.  É importante que saiba também que pode transferir o seu PPR para outro que tenha rendido mais no passado. Informe-se sobre todas as opções.

Alternativas para pôr o seu dinheiro a render mais

E já que falamos em ter mais dinheiro, este foi o ano em que no Contas-poupança começámos a apresentar alternativas de investimento para pôr o seu dinheiro a trabalhar para si. Podem render dezenas de vezes mais do que os depósitos a prazo, mas obviamente não têm capital garantido. Mas, mesmo que recuse este tipo de ferramentas de poupança, o importante é conhecer as várias opções.

Fundos de Investimento

Tem os Fundos de Investimento, em que entrega o seu dinheiro ao banco ou corretoras e eles investem na bolsa por si com os critérios que definir.

A Raize

O risco que corre é alguma delas não pagar e aí perde esses 5, 10 ou 15 euros. Mas o conceito é muito interessante. Qualquer cidadão pode transformar-se num minibanqueiro.

Housers – Comprar casa a partir de 50 euros

Como vê, há muita coisa a mudar na área dos investimentos. Os bancos já não têm o monopólio do dinheiro.
Em resumo, ser um consumidor informado tem os seus desafios mas não é assim tão complicado. Basta ter os olhos abertos e fazer muitas perguntas.

Acompanhe-nos AQUI

NOVO LIVRO “CONTAS-POUPANÇA”

34 dicas para poupar muito mais e fazer crescer o seu dinheiro em 2018.

É um livro que se paga a ele próprio apenas com uma dica.

Registe-se AQUI para receber a Newsletter do Contas-poupança.

(Todas as dicas da semana num só e-mail).

Se quiser um resumo claro e prático das dicas que demos nos primeiros 5 anos de programa, pode adquirir o livro “Contas-poupança I”.

É só clicar AQUI abaixo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *