O carro estava impecável e só tinha 200 mil km… mas afinal tinha 500 mil km

Estava como novo e tinha poucos quilómetros (era bom, não era?)

Continuo convencido de que uma percentagem gigantesca de carros em Portugal tem o dobro dos quilómetros do que o conta-quilómetros marca. É uma fraude nacional.

A reportagem que fiz sobre como pode saber se foi enganado ou evitar ser enganado teve um impacto enorme. Pode revê-la AQUI se ainda não viu e tem também AQUI alguns vídeos que mostram como os burlões fazem esta adulteração nos Conta-quilómetros.

Afinal tinha 500 mil km

Continuo a receber testemunhos de espectadores que ou evitaram uma má compra, ou descobriram a falcatrua e conseguiram corrigir o negócio. Leia mais este caso que acabei de receber:

Já algum tempo que andava a procura de um carro familiar e entretanto encontrei um anúncio de um Skoda Octavia de 2008 1.9 TDI na minha zona. O valor de mercado dele num stand era de 8.000€ e particular 7.000.

Fui ver o carro, muito sujo mas a nível mecânico e pintura bastante aceitável. Entretanto fomos negociando e acertamos 5.800€. O carro estava barato. Apresentava 217 mil km.

No dia antes da compra lembrei-me dos seus alertas e como o carro estava barato fui ao IMT online e fiz o pedido do certificado das inspeções mas não consegui logo na hora pois tinha de esperar 24h para a referência ficar disponível.

Como o rapaz era conhecido de uns familiares meus e tal comprei o carro. Passei o carro para meu nome e à noite recebi o certificado. Pimba. O carro tinha +- 500 mil km. Caiu-me tudo.

A minha mulher ligou ao vendedor e disse-lhe para vir buscar o carro que o carro tinha 500 mil km. Negociamos e recebi de volta 1.300€. Fiquei com o carro por 4.500 €.

Estes 1300€ agora estão de parte para reparar tudo o que o carro precisa. Mas pelo que me parece nem metade vou gastar.

Nem todos os casos acabam bem

No caso deste espectador, ele decidiu ficar com o carro. Mas nem todos os casos acabam bem e há vendedores que não assumem a diferença, sejam culpados ou não de fraude ou burla. Um vendedor também pode ser enganado.

Mas aqui a moral da história é: Espere pela Certidão do IMT antes de comprar o carro. São 27 euros que lhe podem poupar muitas chatices.

Para a próxima já sabe. Pela matrícula ou pelo VIN tente saber o máximo sobre a viatura antes de a comprar. Se está barata e impecável e com poucos quilómetros desconfie. Conselho de vendedor.

Acompanhe-nos AQUI

Registe-se AQUI para receber a Newsletter do Contas-poupança. Assim não perde nenhuma dica.

YouTube 

Facebook do Contas-poupança

 Pergunte no Grupo “Contas-poupança – As suas dúvidas”

Instagram

Twitter  

Se quiser um resumo muito claro e prático das dicas que demos nestes anos todos, pode adquirir o livro “Contas-poupança”. Escrevi-o com esse propósito.

É só clicar AQUI abaixo.

6 comentários em “O carro estava impecável e só tinha 200 mil km… mas afinal tinha 500 mil km

  1. António Sarmento Reply

    Pela 2 inspeções que teve em 2016 esse veículo não teve só uma alteração de kms, teve sim envolvido num desastre automóvel que obrigou a nova reinspeção para poder circular, não acham ? Se o veículo data de 2008 qual a razão de fazer uma inspeção em 2009 ? Não seria 2012 (4 anos após matrícula) ? Há muita coisa por explicar para mim mau negócio. Querem comprar e confiar em quem compram ? Fácil peçam a capa de todas as intervenções (revisões, reparações, inspeções) no veículo mais as fotos+comunicações da seguradora ao proprietário. Se a venda não começar pelo negativo (riscos, amolgadelas, acidentes etc, reparações) enquanto compradores querem ser enganados, haverá algum veículo com 10 anos que não tenha nenhum arranhão ? Impossível, vejam o que acontece nas estradas acham isso possível ? Comprar novo é uma coisa usado tem histórico. Se não querem saber do histórico é porque querem ser enganados. 😉

  2. Pedro Silva Reply

    Mas ha um problema , pelo que sei os centros de inpecção não levam a sério os kms da viatura . Já me aconteceu várias vezes , o inspector pedir-me para ser eu a dizer-lhe os kms . Numa das vezes , o inspector deve ter percebido mal o que eu disse e apontou 1 000 kms a mais . Claro que não foi grave , mas imaginem se apontasse 100 000 kms a mais , eu passaria por vigarista quando fosse vender o carro ! Penso que a legislação deveria levar este assunto mais a sério e obrigar não um , mas dois inspectores a verem e a registarem os kms , isto para o bem de todos , até porque os inspectores também são consumidores !

  3. Miguel Maio Reply

    Com é que os Centros de Inspecção detetam isto (como provado na certidão) e nada fazem? Só servem para inspeccionar pingas de óleo e coletes refetores? Como é que se levam as mão disto e ninguém responsabiliza os centros? Esse carro devia ficar automaticamente confiscado a não ser que o dono provasse o motivo da mudança de kms. Mas, em Portugal, pagamos para nada. É preciso é pagar.

  4. Marco Lopes Reply

    E impressionante a quantidade de fraudes que vamos tendo conhecimento!
    Estes casos deveriam dar penas de CADEIA…
    E o estado é em parte culpado, pois deveria tomar medidas… uma vez que obriga os carros a serem inspeccionados, também deveria ZELAR pelos interesses dos contribuintes, criando sistemas de ALERTA IMEDIATOS quando um veículo fosse a um centro de inspecções com QUILOMETRAGEM INFERIOR à inspecção ANTERIOR!

    O que tem o estado a dizer sobre estes CRIMES??

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *