Painel solar fotovoltaico – Balanço Maio 2018 (mês 18)


Balanço do mês de Maio de 2018

Já passou 1 ano e meio desde que instalei o painel solar fotovoltaico.

Estamos a regressar aos melhores meses de produção do ano. A partir de agora é sempre a subir outra vez até Setembro. Depois voltará a descer.

Em Maio, o painel produziu 43,638 kWh.  Para perceber o que isto é, significa que podia aspirar durante este mês 29 horas seguidas de “graça”. Claro que não é assim que funciona porque a produção é para ser consumida de imediato e o máximo que o painel produz é 250 W no pico do sol e um aspirador  gasta 1.500 W quando está a funcionar, portanto o máximo desconto que teria seria de 16% (1500 – 240 W). Não é mau. É um desconto de 16% real na fatura da eletricidade.

Foi um mês bom, com vários dias no máximo da produção.

Aproveito para explicar como funciona esta poupança com o painel solar. Este é um dia normal (bom). Como poderão observar, se não existirem nuvens, a produção é constante ao longo do dia cumprindo sempre um mínimo de 50 W das 08h00 às 18h00, de 100 W das 9h00 às 17h00, de 150 W das 10h30 às 16h30 e de 200 W entre as 12 e as 15h00.

Por outro lado num dia normal (em que não tenho ninguém em casa) isto é o que a minha casa gasta:

Ou seja, praticamente tenho eletricidade de “graça” na maior parte desse tempo. Enquanto está a gastar o que o painel produz, o contador não vai buscar nada à EDP (ou quem for).

Por aqui já vê que não lhe adianta de nada ter 3,4,5 ou 6 painéis solares porque pura e simplesmente está a oferecer toda essa produção à rede elétrica nacional sem nenhum retorno financeiro. A menos que tenha gente em casa ou equipamentos a funcionar nesse período de sol (máquinas de lavar e secar, ou servidores, por exemplo).

Continua a compensar?

Estas são as contas de Maio de 2018.

Até agora, se tivesse gasto tudo o que o painel produziu, já teria poupado na fatura da luz 119,75 euros, em 18 meses. Como investi 620 euros no painel e na instalação, neste momento o retorno do investimento continua nos 7,8 anos.

Compensa comprar um painel solar?

Como não consumo tudo o que o painel produz (porque não estou em casa durante o dia durante a semana), tenho estimado o meu desperdício para a rede em cerca de 25%.

Assim, o retorno real  (o chamado break even) estará neste momento perto dos 10 anos (reais). Depois de passado esse tempo, o painel estará pago e terei pelo menos mais 15 anos de “lucro”. Veremos se é assim. Mensalmente farei o balanço.

A ideia é ajudar os curiosos a perceber se no vosso caso é um investimento útil ou não e como funciona.

Até agora não tive nenhum problema e não fui nenhuma vez ao telhado. Vejo pela medição da produção que está tudo normal. Talvez daqui a umas semanas passe por lá a limpar o painel com um pano, para tirar a poeira.

Acompanhe-nos AQUI

Registe-se AQUI para receber a Newsletter do Contas-poupança. Assim não perde nenhuma dica.

YouTube 

Facebook do Contas-poupança

 Pergunte no Grupo “Contas-poupança – As suas dúvidas”

Instagram

Twitter  

Se quiser um resumo muito claro e prático das dicas que demos nestes anos todos, pode adquirir o livro “Contas-poupança”. Escrevi-o com esse propósito.

É só clicar AQUI abaixo.



Acompanhe-nos AQUI

NOVO LIVRO “CONTAS-POUPANÇA” 34 dicas para poupar muito mais e fazer crescer o seu dinheiro em 2018. É um livro que se paga a ele próprio apenas com uma dica.


19 comentários em “Painel solar fotovoltaico – Balanço Maio 2018 (mês 18)

  1. Avatar
    Carlos Campos Reply

    Caro Pedro Quental,
    Não sendo eu o Pedro Andersson, respondo-lhe;
    Não é necessário nenhuma autorização, …
    Para estas potências 200W a 250W.
    E a partir destas potências, até ao máximo de 1.500W, é obrigatório por Lei, um simples registo via On-Line, chamado também de “Informação Prévia”. No portal da DGEG, sítio do SERUP.
    Em caso de dúvidas, ou saber um pouco mais sobre a “coisa” (UPAC e UPP) sugiro que consulte e leia com atenção o DL153/2014. E ainda as respectivas Portarias.
    Saudações Solares.
    Cumprimentos,

  2. Avatar
    Pedro Quental Reply

    Boa noite senhor Pedro o que teve de fazer para instalar o painel de 250W em termos legais? Onde se dirigiu?

  3. Avatar
    Henrique Manuel Reply

    Bem, gostaria mais uma vez de perguntar, onde é que compram? Porque, hoje, tudo é feito na china. Tudo tem etiqueta “made in china”.
    Acho que me expliquei mal, vou escrever outea vez.
    Na minha autocaravana, de 7.50mts, tenho 6 painéis, mono, flexiveis, total de 630W. Passam pelo regulador mppt de 60amps. Carregam uma bateria de 280amps, gel, estacionária, descarga lenta. A bateria alimenta um inversor de “ONDA PURA” 2000/4000w.
    Em casa, 5 painéis, mono, rígidos, total de 500W. Passa por um grid tie 1000W, “ONDA PURA”, para depois alimentar um regulador mppt e 2 baterias.
    O sistema está feito a que fica só o gridtie a funcionar. Como tenho muita coisa ligada, a energia que sai do grid tie é toda aproveitada.
    Quando estou em casa, estou pouco tempo em casa, ligo a autocaravana directo na rede da casa e tenho 220 do inversor. Com 630w de potência, dá para ligar muita coisa. Como vivo no sul, tenho sol quase todo o ano.
    Ahhh, claro que desligo o disjuntor da edp quando tenho o inversor ligado, senão lá se ia o dito cujo.
    Assim, com os 2 lados, tanto da casa, como da autocaravana, faço a gerência da coisa sem muitos percalços.
    Quanto aos links, desculpem, mas eu também ganho uns trocos com algumas coisas. Aos meus colegas autocaravanistas, que muitos deles não sabem como a electrónica funciona, vêem e querem igual.
    Bem, acho que esclareci algumas coisas.
    Agora, quanto ao ser chinês, até já fazem mulheres que não chateiam, eheheheheh.
    Qualquer dia, andamos todos de olhos em bico.
    Abraço e vivam felizes(meu lema).

  4. Avatar
    Carlos Campos Reply

    Caro Celso,
    O sistema fotovoltaico que o Pedro Andersson tem, não permite a interligação de baterias, para isso o Pedro Andersson teria de ter um outro tipo de Inversor de rede.
    O que tem actualmente instalado, é um Micro-inversor de rede sincronizado (só Output) sem possibilidades de conectar baterias.
    Além disso, para poder carregar baterias, com a energia que desperdiça actualmente no período diurno, teria de investir em mais 2 módulos Fotovoltaicos (3 no total), mais inversor Híbrido com entrada e saída 230Vac, mas com injecção Zero (0) na rede eléctrica (RESP).
    E, 2 ou 4 baterias (24V ou 48V) de 12V, no máximo com 160Ah de capacidade vs autonomia.
    Cumprimentos,

  5. Avatar
    Carlos Campos Reply

    Caro Enrique Manuel,
    Parece-me que ninguém está a mencionar os seus investimentos como depreciativos!?
    Mas informo-o que os equipamentos utilizados na sua caravana não servem para interligação com a rede eléctrica de serviço público.
    Para isso teria sempre de desligar o Diferencial principal da EDP.
    E Provávelmente alguns equipamentos não funcionariam, pois pelo preço que indicou do Inversor, (1000W) este é de Onda transformada, e o indicado para conexão à RESP, será de Onda Sinusoidal Pura.
    Aconselho-o a nunca efectuar este tipo de interligação. Irá queimar o Inversor e Provávelmente algum outro equipamento doméstico.
    São Inversores com tecnologias e aplicações destintas.
    Desejos de bons investimentos e energias positivas.
    Cumprimentos,

  6. Avatar
    Carlos Campos Reply

    Caro Pedro Andersson,
    Não sei de quem era este comentário? Não está visível neste espaço, mas recebi-o logo a seguir ao último comentário do Henrique Manuel.
    Leia-se:
    “Sim, mas meta os links s.f.f. para podermos comparar.
    Mas atenção com o que se compra. Meter alguns equipamente baratos mas rascos a injetar na rede da nossa casa, pode fazer pior e sair mais caro do que o dinheiro que se poupa. É o mesmo que comprar as melhores peças para um computador, motherboard, processador, etc, mas depois meter uma fonte de alimentação do “chinês”.”
    O que é aqui referido faz muito sentido!
    E é de levar em linha de conta.

  7. Avatar
    Henrique Manuel Reply

    Penso que retiraram o meu comentário desta magnífica informação jornalística.
    Referi preços tanto de painéis, como de gried tie, como de baterias estacionárias(porque são as melhores para estes casos). Se procurarem bem na internet e aconselho a procurarem bem, não é só entrar na net e procurar cá no santo burgo. É preciso tempo, paixão pela tecnologia, vão ver preços alucinantes. Equipei a minha autocaravana com 6 paineis flexiveis, monocristalinos, 3 a 110W, 3 a 100W, preço de cada 1, 110€. A bateria, com 280amps, estacionária, custou 300 e pouco “aéreos.
    Em casa, tenho 5 paineis normais, mono, custaram 100 “aéreos”
    O gried tie de 1000W, custou 140€.
    Atenção, tudo a sair da caixa, novo.
    Procurem e vão ver que encontram.
    Não percam a esperança, é a última a morrer.
    Desde já, os meus parabéns pelo artigo. Resulta.

    • Pedro Andersson
      Pedro Andersson Post authorReply

      Caro Henrique. Só preciso que coloque os links desses locais. Pode fazê-lo? Essas informações é que são preciosas para os consumidores…

    • Avatar
      Celso Reply

      Sim, mas meta os links s.f.f. para podermos comparar.
      Mas atenção com o que se compra. Meter alguns equipamente baratos mas rascos a injetar na rede da nossa casa, pode fazer pior e sair mais caro do que o dinheiro que se poupa. É o mesmo que comprar as melhores peças para um computador, motherboard, processador, etc, mas depois meter uma fonte de alimentação do “chinês”.

  8. Avatar
    Carlos Campos Reply

    Bom dia,
    Caro Henrique Manuel;
    Se já investiu nos equipamentos que referiu, só podem ser para uma aplicação de consumos muito baixos!
    E provavelmente onde não existe rede eléctrica RESP!?
    Só não entendo como tem 3 baterias de 280Ah C100, de 12V!?
    O Inversor é com entrada 12Vdc?
    Neste caso será com uma ligação das 3 baterias em paralelo, totalizando 840Ah C100, correcto?
    Porque se for um Inversor com entrada 24Vdc, sobra uma bateria, correcto?
    No entanto se for como digo 840Ah C100 12Vdc., e só com 500W de módulos Fotovoltaivos, dificilmente, (quase impossivel) conseguirá carregar na totalidade o banco de baterias. Isto com a agravante de existirem durante o carregamento consumos.
    O preço que refere das baterias, é caro!
    Já no que diz respeito aos restantes equipamentos referidos, têm preços super bons! Esses preços, são preços abaixo dos de REVENDA.
    Do Inversor, não sei mesmo que tipo será!?
    Só sabendo a marca e modelo saberia se é o Inversor indicado para trabalhar em padalelo com a sua rede interna de consumos.
    Se ainda não fez o investimento, não o faça nunca, tal como o descreveu, pois irá arrepender-se muito rápidamente de o ter feito!
    Em suma, os valores que o Pedro Andersson tem referifo ao longo deste período, (desde o seu investimento pessoal) em cerca de 5.000,00€, para aquisição de equipamentos com baterias, está actualizado.
    Neste caso ajustado e face aos seus consumos, porque não são muito elevados!
    Se fossem mais elevados, teria além de dimensionar para > o banco de baterias, investir em pelo menos 6 a 9 módulos Fotovoltaicos, e um inversor Híbrido com apoio de rede eléctrica (RESP) ou gerador, para uma potência mínima de 5kW a 10kW monofásico.
    E isso faria disparar em muito os tais cinco mil Euros!
    Espero ter contribuído com informação útil.
    Estejam todos bem atentos, e peçam sempre os conselhos a quem muito sabe destas questões vs dimensionamentos e cálculos precisos.
    Mas, e só, a empresas devidamente qualificadas e com provas dadas!!
    Cumprimentos a todos (as),

    • Pedro Andersson
      Pedro Andersson Post authorReply

      Caro Carlos. Obrigado. Penso que será útil eu escrever um artigo sobre isso. Pode enviar-me um orçamento com o valor mais baixo possível para uma moradia ou apartamento com o mínimo de painéis possível mas que sejam necessários para que as baterias funcionem no máximo da sua capacidade e que compense em relação a EDP? Com os preços de cada equipamento especificado com os valores de mercado atuais. Agradecia muito em nome de todos nós. Abraço. Pedro Andersson

  9. Avatar
    Henrique manuel Reply

    5 mil euros para quê?
    Ao preço da uva mijona que estão os painéis e baterias.
    5 paineis mono de 100W, 500€.
    Um gried tie de 1000W, 140€.
    3 baterias de 280amps, estacionarias, gel, 1200€.
    Cabo electrico, de 9mm, nao me lembro quanto custou, mas vamos meter 500€.
    Agora, vou fazer como o outro: “é só fazer as contas”.
    Eu não sei onde compram as coisas, mas alguém anda a enganar alguém.

    • Avatar
      Celso Reply

      Há-de dizer onde compra essas coisas a esse preço. O mais baixo que tenho visto são painéis de 250w a 190€ cada, sem contar com os inversores. Penso que se o Pedro utilizasse 2 baterias, talvez fosse suficiente para não desperdiçar nada para a rede mas os preços que você indica, a procurar na net, não encontrei nada.

  10. Avatar
    Manuel Pereira Reply

    Pode considerar que o retorno é melhor do que apresenta no estudo.
    Quando aplicar impostos vai encontrar um preço do kwh proximo dos 0,22€.

  11. Avatar
    Manuel Ramos Reply

    Artigo simples e muito interessante. Como há coisas simples que são espetaculares! Tenho acompanhado… Sugeria que no início do segundo ano de atividade, seja feito o mesmo, mas agora com bateria(s) e mais painéis, até porque este modelo tende a ser repetitivo. Isso introduzirá variação é evolução do formato.

    • Pedro Andersson
      Pedro Andersson Post authorReply

      Obrigado Manuel. Não podia concordar mais consigo. Fico a aguardar que o Manuel transfira os 5 mil euros necessários para fazer isso. É só pedir-me o IBAN :).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *