Painel solar fotovoltaico – Balanço Maio 2018 (mês 18)

Balanço do mês de Maio de 2018

Já passou 1 ano e meio desde que instalei o painel solar fotovoltaico.

Estamos a regressar aos melhores meses de produção do ano. A partir de agora é sempre a subir outra vez até Setembro. Depois voltará a descer.

Em Maio, o painel produziu 43,638 kWh.  Para perceber o que isto é, significa que podia aspirar durante este mês 29 horas seguidas de “graça”. Claro que não é assim que funciona porque a produção é para ser consumida de imediato e o máximo que o painel produz é 250 W no pico do sol e um aspirador  gasta 1.500 W quando está a funcionar, portanto o máximo desconto que teria seria de 16% (1500 – 240 W). Não é mau. É um desconto de 16% real na fatura da eletricidade.

Foi um mês bom, com vários dias no máximo da produção.

Aproveito para explicar como funciona esta poupança com o painel solar. Este é um dia normal (bom). Como poderão observar, se não existirem nuvens, a produção é constante ao longo do dia cumprindo sempre um mínimo de 50 W das 08h00 às 18h00, de 100 W das 9h00 às 17h00, de 150 W das 10h30 às 16h30 e de 200 W entre as 12 e as 15h00.

Por outro lado num dia normal (em que não tenho ninguém em casa) isto é o que a minha casa gasta:

Ou seja, praticamente tenho eletricidade de “graça” na maior parte desse tempo. Enquanto está a gastar o que o painel produz, o contador não vai buscar nada à EDP (ou quem for).

Por aqui já vê que não lhe adianta de nada ter 3,4,5 ou 6 painéis solares porque pura e simplesmente está a oferecer toda essa produção à rede elétrica nacional sem nenhum retorno financeiro. A menos que tenha gente em casa ou equipamentos a funcionar nesse período de sol (máquinas de lavar e secar, ou servidores, por exemplo).

Continua a compensar?

Estas são as contas de Maio de 2018.

Até agora, se tivesse gasto tudo o que o painel produziu, já teria poupado na fatura da luz 119,75 euros, em 18 meses. Como investi 620 euros no painel e na instalação, neste momento o retorno do investimento continua nos 7,8 anos.

Compensa comprar um painel solar?

Como não consumo tudo o que o painel produz (porque não estou em casa durante o dia durante a semana), tenho estimado o meu desperdício para a rede em cerca de 25%.

Assim, o retorno real  (o chamado break even) estará neste momento perto dos 10 anos (reais). Depois de passado esse tempo, o painel estará pago e terei pelo menos mais 15 anos de “lucro”. Veremos se é assim. Mensalmente farei o balanço.

A ideia é ajudar os curiosos a perceber se no vosso caso é um investimento útil ou não e como funciona.

Até agora não tive nenhum problema e não fui nenhuma vez ao telhado. Vejo pela medição da produção que está tudo normal. Talvez daqui a umas semanas passe por lá a limpar o painel com um pano, para tirar a poeira.

Acompanhe-nos AQUI

Registe-se AQUI para receber a Newsletter do Contas-poupança. Assim não perde nenhuma dica.

YouTube 

Facebook do Contas-poupança

 Pergunte no Grupo “Contas-poupança – As suas dúvidas”

Instagram

Twitter  

Se quiser um resumo muito claro e prático das dicas que demos nestes anos todos, pode adquirir o livro “Contas-poupança”. Escrevi-o com esse propósito.

É só clicar AQUI abaixo.

19 comentários em “Painel solar fotovoltaico – Balanço Maio 2018 (mês 18)

  1. Carlos Campos Reply

    Caro Pedro Quental,
    Não sendo eu o Pedro Andersson, respondo-lhe;
    Não é necessário nenhuma autorização, …
    Para estas potências 200W a 250W.
    E a partir destas potências, até ao máximo de 1.500W, é obrigatório por Lei, um simples registo via On-Line, chamado também de “Informação Prévia”. No portal da DGEG, sítio do SERUP.
    Em caso de dúvidas, ou saber um pouco mais sobre a “coisa” (UPAC e UPP) sugiro que consulte e leia com atenção o DL153/2014. E ainda as respectivas Portarias.
    Saudações Solares.
    Cumprimentos,

  2. Pedro Quental Reply

    Boa noite senhor Pedro o que teve de fazer para instalar o painel de 250W em termos legais? Onde se dirigiu?

  3. Henrique Manuel Reply

    Bem, gostaria mais uma vez de perguntar, onde é que compram? Porque, hoje, tudo é feito na china. Tudo tem etiqueta “made in china”.
    Acho que me expliquei mal, vou escrever outea vez.
    Na minha autocaravana, de 7.50mts, tenho 6 painéis, mono, flexiveis, total de 630W. Passam pelo regulador mppt de 60amps. Carregam uma bateria de 280amps, gel, estacionária, descarga lenta. A bateria alimenta um inversor de “ONDA PURA” 2000/4000w.
    Em casa, 5 painéis, mono, rígidos, total de 500W. Passa por um grid tie 1000W, “ONDA PURA”, para depois alimentar um regulador mppt e 2 baterias.
    O sistema está feito a que fica só o gridtie a funcionar. Como tenho muita coisa ligada, a energia que sai do grid tie é toda aproveitada.
    Quando estou em casa, estou pouco tempo em casa, ligo a autocaravana directo na rede da casa e tenho 220 do inversor. Com 630w de potência, dá para ligar muita coisa. Como vivo no sul, tenho sol quase todo o ano.
    Ahhh, claro que desligo o disjuntor da edp quando tenho o inversor ligado, senão lá se ia o dito cujo.
    Assim, com os 2 lados, tanto da casa, como da autocaravana, faço a gerência da coisa sem muitos percalços.
    Quanto aos links, desculpem, mas eu também ganho uns trocos com algumas coisas. Aos meus colegas autocaravanistas, que muitos deles não sabem como a electrónica funciona, vêem e querem igual.
    Bem, acho que esclareci algumas coisas.
    Agora, quanto ao ser chinês, até já fazem mulheres que não chateiam, eheheheheh.
    Qualquer dia, andamos todos de olhos em bico.
    Abraço e vivam felizes(meu lema).

  4. Carlos Campos Reply

    Caro Celso,
    O sistema fotovoltaico que o Pedro Andersson tem, não permite a interligação de baterias, para isso o Pedro Andersson teria de ter um outro tipo de Inversor de rede.
    O que tem actualmente instalado, é um Micro-inversor de rede sincronizado (só Output) sem possibilidades de conectar baterias.
    Além disso, para poder carregar baterias, com a energia que desperdiça actualmente no período diurno, teria de investir em mais 2 módulos Fotovoltaicos (3 no total), mais inversor Híbrido com entrada e saída 230Vac, mas com injecção Zero (0) na rede eléctrica (RESP).
    E, 2 ou 4 baterias (24V ou 48V) de 12V, no máximo com 160Ah de capacidade vs autonomia.
    Cumprimentos,

  5. Carlos Campos Reply

    Caro Enrique Manuel,
    Parece-me que ninguém está a mencionar os seus investimentos como depreciativos!?
    Mas informo-o que os equipamentos utilizados na sua caravana não servem para interligação com a rede eléctrica de serviço público.
    Para isso teria sempre de desligar o Diferencial principal da EDP.
    E Provávelmente alguns equipamentos não funcionariam, pois pelo preço que indicou do Inversor, (1000W) este é de Onda transformada, e o indicado para conexão à RESP, será de Onda Sinusoidal Pura.
    Aconselho-o a nunca efectuar este tipo de interligação. Irá queimar o Inversor e Provávelmente algum outro equipamento doméstico.
    São Inversores com tecnologias e aplicações destintas.
    Desejos de bons investimentos e energias positivas.
    Cumprimentos,

  6. Carlos Campos Reply

    Caro Pedro Andersson,
    Não sei de quem era este comentário? Não está visível neste espaço, mas recebi-o logo a seguir ao último comentário do Henrique Manuel.
    Leia-se:
    “Sim, mas meta os links s.f.f. para podermos comparar.
    Mas atenção com o que se compra. Meter alguns equipamente baratos mas rascos a injetar na rede da nossa casa, pode fazer pior e sair mais caro do que o dinheiro que se poupa. É o mesmo que comprar as melhores peças para um computador, motherboard, processador, etc, mas depois meter uma fonte de alimentação do “chinês”.”
    O que é aqui referido faz muito sentido!
    E é de levar em linha de conta.

  7. Henrique Manuel Reply

    Penso que retiraram o meu comentário desta magnífica informação jornalística.
    Referi preços tanto de painéis, como de gried tie, como de baterias estacionárias(porque são as melhores para estes casos). Se procurarem bem na internet e aconselho a procurarem bem, não é só entrar na net e procurar cá no santo burgo. É preciso tempo, paixão pela tecnologia, vão ver preços alucinantes. Equipei a minha autocaravana com 6 paineis flexiveis, monocristalinos, 3 a 110W, 3 a 100W, preço de cada 1, 110€. A bateria, com 280amps, estacionária, custou 300 e pouco “aéreos.
    Em casa, tenho 5 paineis normais, mono, custaram 100 “aéreos”
    O gried tie de 1000W, custou 140€.
    Atenção, tudo a sair da caixa, novo.
    Procurem e vão ver que encontram.
    Não percam a esperança, é a última a morrer.
    Desde já, os meus parabéns pelo artigo. Resulta.

    • Pedro Andersson
      Pedro Andersson Post authorReply

      Caro Henrique. Só preciso que coloque os links desses locais. Pode fazê-lo? Essas informações é que são preciosas para os consumidores…

    • Celso Reply

      Sim, mas meta os links s.f.f. para podermos comparar.
      Mas atenção com o que se compra. Meter alguns equipamente baratos mas rascos a injetar na rede da nossa casa, pode fazer pior e sair mais caro do que o dinheiro que se poupa. É o mesmo que comprar as melhores peças para um computador, motherboard, processador, etc, mas depois meter uma fonte de alimentação do “chinês”.

  8. Carlos Campos Reply

    Bom dia,
    Caro Henrique Manuel;
    Se já investiu nos equipamentos que referiu, só podem ser para uma aplicação de consumos muito baixos!
    E provavelmente onde não existe rede eléctrica RESP!?
    Só não entendo como tem 3 baterias de 280Ah C100, de 12V!?
    O Inversor é com entrada 12Vdc?
    Neste caso será com uma ligação das 3 baterias em paralelo, totalizando 840Ah C100, correcto?
    Porque se for um Inversor com entrada 24Vdc, sobra uma bateria, correcto?
    No entanto se for como digo 840Ah C100 12Vdc., e só com 500W de módulos Fotovoltaivos, dificilmente, (quase impossivel) conseguirá carregar na totalidade o banco de baterias. Isto com a agravante de existirem durante o carregamento consumos.
    O preço que refere das baterias, é caro!
    Já no que diz respeito aos restantes equipamentos referidos, têm preços super bons! Esses preços, são preços abaixo dos de REVENDA.
    Do Inversor, não sei mesmo que tipo será!?
    Só sabendo a marca e modelo saberia se é o Inversor indicado para trabalhar em padalelo com a sua rede interna de consumos.
    Se ainda não fez o investimento, não o faça nunca, tal como o descreveu, pois irá arrepender-se muito rápidamente de o ter feito!
    Em suma, os valores que o Pedro Andersson tem referifo ao longo deste período, (desde o seu investimento pessoal) em cerca de 5.000,00€, para aquisição de equipamentos com baterias, está actualizado.
    Neste caso ajustado e face aos seus consumos, porque não são muito elevados!
    Se fossem mais elevados, teria além de dimensionar para > o banco de baterias, investir em pelo menos 6 a 9 módulos Fotovoltaicos, e um inversor Híbrido com apoio de rede eléctrica (RESP) ou gerador, para uma potência mínima de 5kW a 10kW monofásico.
    E isso faria disparar em muito os tais cinco mil Euros!
    Espero ter contribuído com informação útil.
    Estejam todos bem atentos, e peçam sempre os conselhos a quem muito sabe destas questões vs dimensionamentos e cálculos precisos.
    Mas, e só, a empresas devidamente qualificadas e com provas dadas!!
    Cumprimentos a todos (as),

    • Pedro Andersson
      Pedro Andersson Post authorReply

      Caro Carlos. Obrigado. Penso que será útil eu escrever um artigo sobre isso. Pode enviar-me um orçamento com o valor mais baixo possível para uma moradia ou apartamento com o mínimo de painéis possível mas que sejam necessários para que as baterias funcionem no máximo da sua capacidade e que compense em relação a EDP? Com os preços de cada equipamento especificado com os valores de mercado atuais. Agradecia muito em nome de todos nós. Abraço. Pedro Andersson

  9. Henrique manuel Reply

    5 mil euros para quê?
    Ao preço da uva mijona que estão os painéis e baterias.
    5 paineis mono de 100W, 500€.
    Um gried tie de 1000W, 140€.
    3 baterias de 280amps, estacionarias, gel, 1200€.
    Cabo electrico, de 9mm, nao me lembro quanto custou, mas vamos meter 500€.
    Agora, vou fazer como o outro: “é só fazer as contas”.
    Eu não sei onde compram as coisas, mas alguém anda a enganar alguém.

    • Celso Reply

      Há-de dizer onde compra essas coisas a esse preço. O mais baixo que tenho visto são painéis de 250w a 190€ cada, sem contar com os inversores. Penso que se o Pedro utilizasse 2 baterias, talvez fosse suficiente para não desperdiçar nada para a rede mas os preços que você indica, a procurar na net, não encontrei nada.

  10. Manuel Pereira Reply

    Pode considerar que o retorno é melhor do que apresenta no estudo.
    Quando aplicar impostos vai encontrar um preço do kwh proximo dos 0,22€.

  11. Manuel Ramos Reply

    Artigo simples e muito interessante. Como há coisas simples que são espetaculares! Tenho acompanhado… Sugeria que no início do segundo ano de atividade, seja feito o mesmo, mas agora com bateria(s) e mais painéis, até porque este modelo tende a ser repetitivo. Isso introduzirá variação é evolução do formato.

    • Pedro Andersson
      Pedro Andersson Post authorReply

      Obrigado Manuel. Não podia concordar mais consigo. Fico a aguardar que o Manuel transfira os 5 mil euros necessários para fazer isso. É só pedir-me o IBAN :).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *