Novas regras Cartão Continente a partir de 30 de Abril

Cartão Continente com novas regras

Nota prévia: Também faço compras noutros hipermercados, mas como tenho um Continente a 100 metros de casa é normal que faça mais compras no Continente. Não é nenhum conselho, sugestão, crítica ou “perseguição” a quem quer que seja. Como uso mais, conheço melhor e como já expliquei variadíssimas vezes aqui, este blogue é sobre as minhas experiências enquanto cidadão e consumidor. Nada mais do que isso.

A partir de agora, só com 16 anos

Para mim, esta é a principal novidade destas alterações. O Continente mandou para nossas casas juntamente com os cupões de desconto uma folha com imensas novidades (presumo que muitas delas por causa das novas regras da Proteção de Dados Pessoais que vai entrar em vigor no final de Maio).

Como sabem, durante anos tenho dado aqui a dica de que cada família podia ter um cartão Continente por cada elemento do agregado familiar. Cá em casa cada um tem um: eu, a minha mulher, o meu filho mais velho e o meu mais novo. Portanto, recebemos 4 vezes mais descontos do que uma família em que só tem um (apesar dos dois terem um cartão há um que tem aquela versão miniatura).

Ter 4 cartões na família tem gerado uma poupança de muitas centenas de euros ao longo dos anos. Tenho escrito imensos artigos sobre isso. Não é teoria…

Quem me alertou para a novidade foi o Daniel Mesquita do Caça-promoções neste artigo. Passados uns dias também recebi a carta em casa.

As alterações

A alteração mais importante (para mim) é o ponto 6.

6. “Apenas podem aderir ao Cartão Continente os maiores de 16 anos”.

Até agora não havia nenhuma limitação legal ou contratual de idade para aderir ao Cartão.  Milhares de clientes usam há anos os cartões dos filhos como ferramenta de poupança.

A partir de 1 de maio, já só pode pedir cartão para os seus filhos maiores de 16 anos. Não tenho nada contra. É só uma questão de nos adaptarmos. O Continente tem todo o direito de estabelecer as suas regras e nós total liberdade de comprar lá ou não.

No ponto 9, passou a ser estabelecido um prazo para gastar o saldo – 12 meses. Mas não me parece preocupante porque o regulamento diz que esses 12 meses são prorrogados sempre que use o cartão. Ou seja, sempre que fizer uma compra, todo o saldo em cartão passa a ter mais 12 meses. Por outro lado, se deixar de usar totalmente o cartão durante 12 meses, perde o saldo. Tem de estar atento a isto.

No ponto 17, o Continente diz claramente aquilo que já todos sabemos. Que analisam os nossos consumos para saber que descontos nos devem oferecer para nos fazer voltar lá.

E os cartões atuais dos meus filhos?

Eu ia ligar para o Continente para perguntar, mas o meu amigo Daniel Mesquita já o fez e disseram-lhe o que para mim parece óbvio e não esperava outra coisa.

Estas regras são só, para já, para novos aderentes. Ou seja, vou continuar a usar o saldo e os cartões dos meus filhos apesar de terem menos de 16 anos. Isso foi referido claramente nesta resposta.

Já sei que alguns vão criticar esta posição. Já por várias vezes me criticaram por ter feito o Cartão para os meus filhos (ou a quem o fez também). Tudo bem. Não querem fazer, não fazem.  Eu uso as ferramentas de marketing para meu benefício enquanto consumidor (dentro da legalidade) da mesma forma como as empresas usam as ferramentas de marketing para benefício delas. De vez em quando eles mudam as regras (com todo o direito) e de vez em quando eu mudo para a concorrência se não estou satisfeito. Assim, as regras são claras e simples. Eles usam os direitos deles e eu enquanto consumidor, uso os meus.

Se pedir para os seus filhos menores de 16 anos aderirem ao Cartão Continente antes de 30 de Abril, não vejo razão para recusarem. Avalie.

Outra crítica que já me fizeram várias vezes é que não devia (eu e todos os outros que partilham estas dicas) divulgar estas dicas porque depois as empresas “apercebem-se” e acabam com essas possibilidades de desconto. Esses dirão que mais uma vez têm razão.

Meus amigos, divulgarei aqui todas as dicas que encontrar e que eu sei que funcionam desde que sejam perfeitamente legais. Se funciona comigo e é bom para mim, quero que outros também saibam. É a minha filosofia de vida. Mesmo que depois as coisas mudem. Nós mudamos também. Quem não quiser ler, não lê. Simples.

Creio que assim, a relação é saudável. Com este hipermercado e com todos os outros.

 

12 comentários em “Novas regras Cartão Continente a partir de 30 de Abril

  1. Antonio Reply

    Lé em casa a minha filha com 9 anos já tinha cartão continente e esta heee até os funcionarios se admiram.

  2. Fernando Fonseca Reply

    Obrigado pela informação e, já agora, por todas as suas dicas e conselhos. Enquanto consumidor, agradeço a sua contribuição. Ótima semana.

  3. Liliete Pinho Reply

    Obrigado Sr. Pedro Andersen por nos dar estas e muitas mais dicas. Por vezes somos desconhecedores de muitas leis e regras.

  4. Marques Reply

    Não é, (deixou de ser) o cartão de eleição!…
    Os cartões de desconto, são pouco aliciantes. Quem tem pachorra, (exemplo) ir ao Continente comprar um pacote de batatas fritas com 25%de desconto no dia tal?!…, da marca Y.
    Combustíveis com desconto, será que é compensa?… tudo serve de chamariz!!!!!!
    Na concorrência existem artigos (produtor), de qualidade/ preço mais apelativo . Porque comprar mais caro?
    Uma boa selecção e pesquiza é possível poupar muito ….
    Fidelização uma falsa questão.

    • celso Reply

      Compreendo o que diz, mas no meu caso, ente ter que pagar tudo por completo ou ter desconto, prefiro ter desconto. Não podemos é comprar coisas só porque estão em desconto mas estando mais caras que noutros sitios. Existe técnicas para evitar cair nessas práticas e como é óbvio, não vou sempre ao continente ou sempre ao lidl ou intermarche só pelas promoções.
      É uma questão de cada um avaliar o que é melhor para si próprio em cada superficie comercial e não se deixar cair em “falácias” comerciais.

    • Vitor Madeira Reply

      Estou totalmente com o Marques. Cheguei a ser quase um escravo das promoções do Continente há uns 8 anos atrás, mas desde que passei a fazer as compras na Lidl, passei a adquirir produtos com tanta ou mais qualidade do que aqueles de marca conhecida no Continente e passei a gastar menos uma média de 20% nas minhas compras.
      Resumindo: Deixei de ir ao supermercado quando eles queriam que eu fosse e passei a viver menos ansioso.
      O cartão continente ainda é usado para algumas promoções (principalmente brinquedos) mas deixou de ser uma prioridade.

  5. António Aragão Reply

    Pedro Andersson, acho muito bem o que disse. É importante a transparência na informação. Eu por exemplo sabendo disso mesmo assim não irei colocar os meus filhos com o cartão continente. É a minha escolha. Há pessoas gostam sempre do obscurantismo infelizmente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *