Seguro automóvel – reveja a quebra de vidros

Escrito por Pedro Andersson

06.07.17

}
3 min de leitura

Publicidade

Um dia tinha de acontecer…

É bom saber o que cobre o seu seguro de quebra de vidros. Há muitos meses, uma pedrinha saltou de um carro qualquer e atingiu o meu pára-brisas. Fez uma lascazinha que foi reparada e que se manteve estável durante quase 2 anos. Na semana passada, por um motivo qualquer (talvez o calor), acabou por estalar completamente e ficou como podem ver na foto abaixo. Deixava de ter condições para andar na estrada.

Quebra isolada de vidros

Acionei o seguro e foi super-rápido. Quase de um dia para o outro, o vidro foi substituído. Não paguei (como estava à espera) nada por isso. Tudo normal, portanto.

Mas como já sei o que a casa gasta, perguntei ao instalador se é sempre assim tão simples. Não era.

Há ainda muitos casos em que os condutores chegam à oficina e afinal descobrem que no seguro não têm a cobertura de quebra isolada de vidros. E há outros que têm, mas têm de pagar franquia ou o plafond que têm não chega para a reparação.

Acho importante ficarem com uma ideia dos valores envolvidos para verificarem se têm um bom seguro ou não atualmente, e avaliarem se devem alterar as coberturas que têm neste momento.

Os preços dos vidros

Substituir completamente o vidro do pára-brisas (tenho um monovolume) fica em 350 € + IVA. Dá 430 euros. Foi a despesa que evitei por ter essa cobertura. Há vidros que custam 1.000 euros.

Quanto ao plafond que tenho, pelo que verifiquei, é de 1.000 euros por ano. Ou seja, dá para 2 quebras de vidros totais por ano e ainda sobra para mais qualquer coisa.

Às vezes, o plafond de quebra de vidros é curto

Mas o instalador na oficina disse-me que há muitos clientes que só têm 400 ou 500 euros de cobertura para a quebra de vidros. Isto quer dizer que se acontecer ter este “azar” duas vezes no mesmo ano, da segunda vez já vai ter de desembolsar a diferença.

Claro que ninguém é obrigado a ter esta cobertura no seu seguro automóvel, e a questão de ter franquia ou não é puramente pessoal. Mas achei interessante partilhar esta minha experiência porque há muitas pessoas que não fazem ideia sequer das coberturas que têm quanto mais da especificidade da cobertura da quebra isolada de vidros.

Pode valer a pena a diferença

Depende das seguradoras, mas provavelmente a diferença da cobertura de vidros e de ter franquia ou não, é de poucos euros e pode compensar em situações como esta. Avaliem. Podem decidir não ter, como é óbvio, mas pelo menos ficam a saber a despesa que vão ter se acontecer isto convosco.

Nota: Foi a primeira vez que me aconteceu ter de substituir um vidro por ter partido completamente. E conduzo há 26 anos. Pode estar a pagar esta cobertura e nunca a usar até ao fim da sua vida. É assim mesmo a teoria dos seguros. Um dia pode acontecer

Vejam AQUI esta reportagem que fiz para o Contas-poupança sobre o que deve ter o seu seguro automóvel.

E este artigo AQUI sobre como renegociei os meus dois seguros e AQUI sobre o plafond dos reboques (que é outra história).

Publicidade

Sobre mim: Pedro Andersson

Ir para a página "Sobre Mim"

Siga-nos nas Redes Sociais

Para si | Artigos Recentes 

CRIPTOMOEDAS | Estou a ganhar ou a perder dinheiro? (Mês #26 – Fevereiro 2024)

O meu investimento em Criptomoedas - Balanço de Fevereiro de 2024 Cá estou eu para fazer mais um balanço do meu "investimento" em criptomoedas. Tenho algum dinheiro em Ethereum, que comprei através da plataforma Binance. Quero antes de mais relembrar que está em ampla...

Prémio Salarial | Formulário para fazer pedido já está disponível

Jovens têm até 31 de Maio para fazer o pedido de devolução de propinas, mas tempo de espera é elevado Contas-poupança | Inês de Almeida Fernandes No final do ano passado, o Governo anunciou uma medida que previa a devolução de propinas aos jovens que tivessem entrado...

EURIBOR HOJE | Taxas descem a três meses, mas sobem a seis e 12 meses

Euribor desce a três meses, mas sobe nos prazos de seis e 12 meses Contas-poupança | Inês de Almeida Fernandes Diariamente, divulgamos aqui na página "Contas-poupança", o valor das taxas Euribor a três, seis e 12 meses. Embora as alterações diárias não tenham um...

COMBUSTÍVEIS | Preços na próxima semana (26 de fevereiro a 03 de março)

Preços dos combustíveis na semana que vem A informação dos preços dos combustíveis é baseada nos cálculos que têm em conta a cotação nos mercados internacionais e outros fatores considerados na formação do preço dos combustíveis em Portugal. São dados que recolho...

EURIBOR HOJE | Taxas descem a três e seis meses, mas sobem a 12

Euribor Contas-poupança | Inês de Almeida Fernandes Diariamente, divulgamos aqui na página "Contas-poupança", o valor das taxas Euribor a três, seis e 12 meses. Embora as alterações diárias não tenham um impacto direto na sua prestação do crédito à habitação, são um...

Cheque + Digital | A Lista das entidades que têm cursos de formação digital “grátis” (até 750 €)

A lista das entidades certificadas elegíveis para o apoio dos 750 € Antes que comecem a chover as críticas, relembro que coloquei "grátis" entre aspas porque vai ter de pagar primeiro o curso, ou cursos, do seu próprio bolso, mas depois esse dinheiro é devolvido pelo...

Painel solar fotovoltaico – Balanço Janeiro de 2024 (Mês #86)

Balanço de Janeiro de 2024 Janeiro foi um mês anormalmente baixo. No que diz respeito à produção de eletricidade, os primeiros meses do ano já são de recuperação e de aumento progressivo até atingir novamente o pico no Verão. Enfim, houve apenas uma maior sucessão de...

PODCAST | #216 – Vamos a contas | Quase não fiz descontos para a Segurança Social, qual vai ser a minha reforma?

Esta ouvinte do podcast (que quer ficar anónima) tem apenas 29 anos de descontos para a Segurança Social. Trabalha muito e recebe o seu salário, mas os "patrões" recusam-se a fazer descontos para a Segurança Social. Ela tem 64 anos e está muito preocupada com a...

Arrendamento | Rendas acessíveis alargadas a quem tem rendimentos mais altos

Limite de rendimentos máximos anuais para aceder a apoios ao arrendamento foi alargado para abranger mais cidadãos O valor máximo de rendimento anual para aceder ao Programa de Apoio ao Arrendamento foi aumentado, de acordo com uma portaria publicada em Diário da...

EURIBOR | Taxas sobem a três e 12 meses, mas baixam a seis

Euribor subiram hoje a três e 12 meses, mas recuaram no prazo de seis meses Contas-poupança | Inês de Almeida Fernandes Diariamente, divulgamos aqui na página "Contas-poupança", o valor das taxas Euribor a três, seis e 12 meses. Embora as alterações diárias não tenham...

Publicidade

Comentar

Siga-nos nas redes sociais

Artigos relacionados

9 Comentários

  1. António Rocha

    Boa tarde.
    Efetivamente existem muitos “quês”.
    Eu tenho um seguro normal, apenas com uma cláusula extra, contra roubo, e sim já me assaltaram o carro sete ou oito vezes e o seguro pagou sem nenhuma objeção.
    Já o caso do meu pai foi diferente. Assaltaram-lhe o carro, partindo um vidro e embora tenha seguro com quebra isolada de vidros, se for por roubo a companhia não paga.
    Não sei se são rodas ou só aquela em particular.
    Obrigado.
    Cumprimentos,

    António Rocha

    Responder
  2. Filipe Rodrigues

    Obrigado pela informação

    Responder
  3. Francisco

    Boa noite.
    Parabéns pelos artigos publicados. Todos de grande qualidade e sempre úteis.
    Só um Apontamento. Quebra isolada de vidros é diferente de atos de vandalismo. Muitas vezes partem vidros para roubar objetivos que se encontram dentro da viatura.

    Responder
    • Pedro Andersson

      Sim. Nesse caso não se aplica.

      Responder
  4. Ana Almeida

    Boa Tarde, Existem no mercado seguros com 2 coberturas diferentes “Quebra de Vidros” e “Quebra Isolada de Vidros”. Apesar de pelo nome parecem iguais são completamente diferentes, tanto no limite da cobertura como na amplitude das coberturas associadas à quebra de vidros. Deixo uma sugestão, numa próxima reportagem explicar aos consumidores as diferenças entre “Quebra de Vidros” e “Quebra Isolada de Vidros”.

    Responder
  5. Lyla

    Bom dia
    Recentemente cheguei ao carro e :
    Vidro do lado do pendura todo partido
    Certamente acto de vandalismo
    Mas liguei logo para a seguradora e sem muitas perguntas resolveram logo o assunto ,
    Alias no dia a seguir fui logo de manha ao sitio para com o qual tinham parceria mostrei a carta verde somente.

    Responder
  6. Bento Abreu

    Boa tarde,
    Tive o azar de num espaço de 3meses o vidro do carro levou duas pedradas na autoestrada. Na primeira ainda era reparavel a fissura, mas na segunda o vidro teve mesmo que ser substituido.
    A companhia de seguros assumiu os encargos sem qualquer problema, no entanto no momento de renovação do seguro, recebi uma carta da mesma a informar-me que por motivos comerciais não me iam renovar o seguro. Depois de contactar o callcenter a operadora não querendo se comprometer la foi informando que como tinha tido 2 ocorrencias de quebra de vidro, não me iam renovar o seguro.
    Conclusão: As companhias de seguro só pretendem a subscrição das clausulas de quebra de vidro, mas que nao tenhamos ocorrências seguidas, senao ficamos sem seguro.

    Responder
    • Pedro Andersson

      Correto. É o mundo de seguros que temos. É mudar de seguradora e esperar que não o penalizem por isso porque elas têm o acesso a todos esses dados umas das outras.

      Responder
  7. Marta

    Eu ainda tive uma situação diferente.
    Quando aconteceu a tempestade ANA, tive o azar de se partir o vidro pára-brisas e também o tecto panorâmico da minha 3008 de 2010.
    A cobertura de vidros era de 750€, que não chegou para pagar o estrago de cerca de 1600€ dos dois vidros.
    Na renovação do seguro aumentei a cobertura de quebra de vidros para 1500€ e o valor do seguro não aumentou nada de especial.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Partilhe o Artigo!

Partilhe este artigo com os seus amigos.