Aceito os termos e condições.

Email Marketing by E-goi

Seguro automóvel – reveja a quebra de vidros

Escrito por Pedro Andersson

06.07.17

}
3 min de leitura

Um dia tinha de acontecer…

É bom saber o que cobre o seu seguro de quebra de vidros. Há muitos meses, uma pedrinha saltou de um carro qualquer e atingiu o meu pára-brisas. Fez uma lascazinha que foi reparada e que se manteve estável durante quase 2 anos. Na semana passada, por um motivo qualquer (talvez o calor), acabou por estalar completamente e ficou como podem ver na foto abaixo. Deixava de ter condições para andar na estrada.

Quebra isolada de vidros

Acionei o seguro e foi super-rápido. Quase de um dia para o outro, o vidro foi substituído. Não paguei (como estava à espera) nada por isso. Tudo normal, portanto.

Mas como já sei o que a casa gasta, perguntei ao instalador se é sempre assim tão simples. Não era.

Há ainda muitos casos em que os condutores chegam à oficina e afinal descobrem que no seguro não têm a cobertura de quebra isolada de vidros. E há outros que têm, mas têm de pagar franquia ou o plafond que têm não chega para a reparação.

Acho importante ficarem com uma ideia dos valores envolvidos para verificarem se têm um bom seguro ou não atualmente, e avaliarem se devem alterar as coberturas que têm neste momento.

Os preços dos vidros

Substituir completamente o vidro do pára-brisas (tenho um monovolume) fica em 350 € + IVA. Dá 430 euros. Foi a despesa que evitei por ter essa cobertura. Há vidros que custam 1.000 euros.

Quanto ao plafond que tenho, pelo que verifiquei, é de 1.000 euros por ano. Ou seja, dá para 2 quebras de vidros totais por ano e ainda sobra para mais qualquer coisa.

Às vezes, o plafond de quebra de vidros é curto

Mas o instalador na oficina disse-me que há muitos clientes que só têm 400 ou 500 euros de cobertura para a quebra de vidros. Isto quer dizer que se acontecer ter este “azar” duas vezes no mesmo ano, da segunda vez já vai ter de desembolsar a diferença.

Claro que ninguém é obrigado a ter esta cobertura no seu seguro automóvel, e a questão de ter franquia ou não é puramente pessoal. Mas achei interessante partilhar esta minha experiência porque há muitas pessoas que não fazem ideia sequer das coberturas que têm quanto mais da especificidade da cobertura da quebra isolada de vidros.

Pode valer a pena a diferença

Depende das seguradoras, mas provavelmente a diferença da cobertura de vidros e de ter franquia ou não, é de poucos euros e pode compensar em situações como esta. Avaliem. Podem decidir não ter, como é óbvio, mas pelo menos ficam a saber a despesa que vão ter se acontecer isto convosco.

Nota: Foi a primeira vez que me aconteceu ter de substituir um vidro por ter partido completamente. E conduzo há 26 anos. Pode estar a pagar esta cobertura e nunca a usar até ao fim da sua vida. É assim mesmo a teoria dos seguros. Um dia pode acontecer

Vejam AQUI esta reportagem que fiz para o Contas-poupança sobre o que deve ter o seu seguro automóvel.

E este artigo AQUI sobre como renegociei os meus dois seguros e AQUI sobre o plafond dos reboques (que é outra história).

Publicidade

Sobre mim: Pedro Andersson

Ir para a página "Sobre Mim"

Siga-nos nas Redes Sociais

Para si | Artigos Recentes 

Prestação da casa sobe em julho nos contratos com Euribor a 3 e 6 meses

Mais quase 50 euros por mês na Taxa Euribor a 6 meses A prestação da casa paga no crédito à habitação vai subir significativamente em julho nos contratos indexados à Euribor a 3 e 6 meses, face às últimas revisões, segundo a simulação da Deco/Dinheiro&Direitos,...

COMBUSTÍVEIS | Preços na próxima semana (4 a 10 de julho)

Preços dos combustíveis na semana que vem A informação dos preços dos combustíveis é baseada nos cálculos que têm em conta a cotação nos mercados internacionais e outros fatores que são considerados na formação do preço dos combustíveis em Portugal. São dados que...

Inflação sobe para 8,7% em junho e atinge máximo desde dezembro de 1992

Inflação sobe para 8,7% em junho - A mais alta dos últimos 30 anos A taxa de variação homóloga do Índice de Preços no Consumidor (IPC) terá aumentado para 8,7% em junho, face aos 8,0% de maio, o valor mais alto desde dezembro de 1992, estimou hoje o Instituto Nacional...

PODCAST | #116 – O preço das casas vai baixar com esta crise? (A pergunta do Rodrigo Martins)

VAMOS TER UMA ONDA DE CASAS BARATAS ESTE ANO? Será que o aumento da Euribor e a previsível subida das prestações das casas vai levar a que haja mais oferta de casas baratas no mercado português? Será que vamos voltar a ver o que aconteceu em 2008 e 2011, com muitas...

PPR | Mês #20 – Quanto estou a ganhar (ou a perder) com os meus PPR (Junho 2022)

Vale a pena fazer um PPR como investimento? Não está fácil. Tenho praticamente todos os meus 7 PPR negativos. Os resultados negativos agravaram-se em junho. Se resgatasse neste momento todos os PPR perderia cerca de 600 euros, depois de ter estado a "lucrar" - antes...

COMBUSTÍVEIS | Preços na próxima semana (27 de junho a 3 de julho)

Preços dos combustíveis na semana que vem A informação dos preços dos combustíveis é baseada nos cálculos que têm em conta a cotação nos mercados internacionais e outros fatores que são considerados na formação do preço dos combustíveis em Portugal. São dados que...

APOIOS | Segurança Social dá mais 60 € às famílias com menos rendimentos

Segurança Social dá mais 60 euros às famílias com menos rendimentos O prolongamento do apoio de 60 euros para famílias vulneráveis vai ser novamente pago em julho, aos beneficiários da tarifa social e da eletricidade e, em agosto, a quem recebe prestações sociais...

PODCAST | #115 – A Euribor a 6 meses também já está positiva – O que é que eu faço?

A Euribor continua a subir - O que posso fazer? A Euribor a 6 meses acaba de entrar também em terreno positivo. A Euribor a 12 meses foi a primeira. Foram 7 anos de descontos inesperados na nossa prestação do crédito à habitação. Acabou, e agora vamos voltar aos...

COMBUSTÍVEIS | Preços na próxima semana (20 a 26 de junho )

Preços dos combustíveis na semana que vem A informação dos preços dos combustíveis é baseada nos cálculos que têm em conta a cotação nos mercados internacionais e outros fatores que são considerados na formação do preço dos combustíveis em Portugal. São dados que...

GÁS | A lista das 10 empresas mais baratas (Junho de 2022)

GÁS | As 10 empresas mais baratas este mês Este é o terceiro mês em que faço este TOP 10 das empresas de gás mais baratas em Portugal. Comecei a fazê-lo a pedido de muitos de vocês, depois de terem visto que estava a fazer um comparativo mensalmente com os preços da...

Publicidade

Comentar

Siga-nos nas redes sociais

Publicidade

Artigos relacionados

9 Comentários

  1. António Rocha

    Boa tarde.
    Efetivamente existem muitos “quês”.
    Eu tenho um seguro normal, apenas com uma cláusula extra, contra roubo, e sim já me assaltaram o carro sete ou oito vezes e o seguro pagou sem nenhuma objeção.
    Já o caso do meu pai foi diferente. Assaltaram-lhe o carro, partindo um vidro e embora tenha seguro com quebra isolada de vidros, se for por roubo a companhia não paga.
    Não sei se são rodas ou só aquela em particular.
    Obrigado.
    Cumprimentos,

    António Rocha

    Responder
  2. Filipe Rodrigues

    Obrigado pela informação

    Responder
  3. Francisco

    Boa noite.
    Parabéns pelos artigos publicados. Todos de grande qualidade e sempre úteis.
    Só um Apontamento. Quebra isolada de vidros é diferente de atos de vandalismo. Muitas vezes partem vidros para roubar objetivos que se encontram dentro da viatura.

    Responder
    • Pedro Andersson

      Sim. Nesse caso não se aplica.

      Responder
  4. Ana Almeida

    Boa Tarde, Existem no mercado seguros com 2 coberturas diferentes “Quebra de Vidros” e “Quebra Isolada de Vidros”. Apesar de pelo nome parecem iguais são completamente diferentes, tanto no limite da cobertura como na amplitude das coberturas associadas à quebra de vidros. Deixo uma sugestão, numa próxima reportagem explicar aos consumidores as diferenças entre “Quebra de Vidros” e “Quebra Isolada de Vidros”.

    Responder
  5. Lyla

    Bom dia
    Recentemente cheguei ao carro e :
    Vidro do lado do pendura todo partido
    Certamente acto de vandalismo
    Mas liguei logo para a seguradora e sem muitas perguntas resolveram logo o assunto ,
    Alias no dia a seguir fui logo de manha ao sitio para com o qual tinham parceria mostrei a carta verde somente.

    Responder
  6. Bento Abreu

    Boa tarde,
    Tive o azar de num espaço de 3meses o vidro do carro levou duas pedradas na autoestrada. Na primeira ainda era reparavel a fissura, mas na segunda o vidro teve mesmo que ser substituido.
    A companhia de seguros assumiu os encargos sem qualquer problema, no entanto no momento de renovação do seguro, recebi uma carta da mesma a informar-me que por motivos comerciais não me iam renovar o seguro. Depois de contactar o callcenter a operadora não querendo se comprometer la foi informando que como tinha tido 2 ocorrencias de quebra de vidro, não me iam renovar o seguro.
    Conclusão: As companhias de seguro só pretendem a subscrição das clausulas de quebra de vidro, mas que nao tenhamos ocorrências seguidas, senao ficamos sem seguro.

    Responder
    • Pedro Andersson

      Correto. É o mundo de seguros que temos. É mudar de seguradora e esperar que não o penalizem por isso porque elas têm o acesso a todos esses dados umas das outras.

      Responder
  7. Marta

    Eu ainda tive uma situação diferente.
    Quando aconteceu a tempestade ANA, tive o azar de se partir o vidro pára-brisas e também o tecto panorâmico da minha 3008 de 2010.
    A cobertura de vidros era de 750€, que não chegou para pagar o estrago de cerca de 1600€ dos dois vidros.
    Na renovação do seguro aumentei a cobertura de quebra de vidros para 1500€ e o valor do seguro não aumentou nada de especial.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Partilhe o Artigo!

Partilhe este artigo com os seus amigos.