VÍDEO – O que é a Chave Móvel Digital e como funciona

Acabe com as passwords esquisitas nos portais do Estado

Pode ver ou rever neste artigo a reportagem desta semana do Contas-poupança. Se não dá conta de tantas senhas diferentes para cada Portal do Estado, o problema está resolvido: a Chave Móvel Digital.

Basta ter um telemóvel e uma senha de 4 dígitos, como no Multibanco. É verdade que a Chave Móvel Digital já funciona há vários meses, mas há novidades em relação aos portais onde pode usá-la e aos locais onde a pode pedir.

Se está habituado às senhas atuais ou as alterou para senhas que não vai esquecer, pode mantê-las sem problema.  Usar a Chave Móvel Digital é apenas mais uma alternativa.

Como funciona?

Simples. Depois de ir uma vez a um Espaço do Cidadão (ou com o leitor de cartão do cidadão em casa) pedir a primeira senha e confirmar o seu telemóvel, em cada portal vai encontrar um logo que diz “Gov.pt”. Carrega aí. Perguntam-lhe qual é o seu número de telemóvel e o seu PIN de 4 números (que deu na primeira vez que pediu a senha). Recebe um SMS. Insere esse código que recebeu no telemóvel e já está. Entra assim em todos os Portais.

No meu entender, é uma excelente forma de aceder aos serviços do Estado porque posso usá-la em TODOS os portais e entidades. Não preciso estar a pedir senhas diferente em cada instituição. Uma chave dá para todas as portas.

Veja AQUI como funciona e como pode pedi-la:

http://sicnoticias.sapo.pt/programas/contaspoupanca/2017-12-06-Chave-Movel-Digital—o-que-e-e-como-funciona-

Como pedir a sua Chave?

Neste momento, se tiver um leitor de cartão de Cidadão pode pedir a Chave Móvel Digital em casa, se não tem, basta ir a uma Loja do Cidadão ou a um Espaço do Cidadão (há 400 nos país) e levar o seu telemóvel e o cartão do Cidadão. Demora 2 ou 3 minutos e nunca mais precisa voltar a fazer isso. Fica já para “sempre”.

A partir de final de Janeiro também já vai poder fazer o pedido da sua Chave em qualquer Conservatória e totalmente online através do seu Portal das Finanças. Neste último caso, basta pedir a senha e quando ela chegar pelo correio insere os dados e já está. É exatamente o mesmo processo que fez quando pediu a sua senha para o Portal das Finanças.

Pelo que me explicou a Secretária de Estado da Modernização Administrativa, a ideia é depois passar a usá-la nos serviços privados para assinar qualquer documento ou contrato através da Chave Móvel Digital. Acho que é uma daquelas coisas que vai simplificar a nossa vida enquanto cidadãos e consumidores.

Se tem profissões que exigem reconhecimento de assinatura, vai poupar dinheiro porque deixa de precisar reconhecer a sua assinatura. É o próprio Estado que a reconhece automaticamente.

Experimente e veja como é fácil e prático.



4 comentários em “VÍDEO – O que é a Chave Móvel Digital e como funciona

  1. Vitor Canejo Reply

    Fiquei preocupado com a segurança desta nova forma de autenticação. Agora com o roubo de um telemóvel, o transgressor passa a ter acesso facilitado a todos os portais a que o dono do equipamento tem acesso através deste novo método.
    Podemos argumentar que o telemóvel introduz uma determinada camada de segurança que dificultará o acesso, mas as pessoas que não se conseguem lembrar de senhas/passwords de acesso a estes portais, muito naturalmente também terão uma configuração de segurança debilitada/vulnerável no próprio telemóvel, como por exemplo senhas gráficas simples de desbloqueio do Android.
    Perco conta das vezes que reparei em pessoas na fila à minha frente que não têm qualquer cuidado em ofuscar o ecrã do telemóvel nem o gráfico que usam para o desbloquear. A seguir põem o equipamento no bolso e seguem mais uns paços… depois o carteirista/”telemóvelista” perdoem-me a expressão, faz o que já sabemos.
    Aliás, se o transgressor souber o numero de telemóvel do equipamento, nem precisa desbloquear-lo, apenas necessita esperar que a notificação que cai sobre o ecrã de bloqueio, apareça durante aqueles breves instantes com o “preview” da mensagem, tempo suficiente para decorar os 4 algarismo.
    Admito que introduzi aqui alguns “Se’s”, mas no mundo moderno qualquer adolescente delinquente (desculpem o estereotipo) percebe do que estou a falar e sabe como contornar os controlos básicos de segurança nos telemóveis. Para além de que, quem se quiser apoderar de um equipamento com o intuito de aceder a estes portais em nome do proprietário do equipamento, terá feito o seu trabalho de casa.
    Acho que deveria de haver uma sensibilização dos utilizadores deste método para os cuidados de segurança a ter na forma como configuram e usam os seus equipamentos com números subscritos ao serviço. Para além de que também deveriam ser sensibilizados a solicitar o bloqueio do serviço em caso de perda ou roubo do equipamento.

    São estes os meu dois tostões… sou um feliz e satisfeito utilizador de passwords complexas, leitor de cartões C&P e PINs secretos, em MAC e Windows.

    • Luis Manuel Reply

      Se ler o artigo com olhos de ler verificará que para além de fornecer o numero de telemóvel, terá de fornecer o PIN que criou na altura da adesão. Só depois é que receberá um código para introduzir no site. A perda, e ou uso, do equipamento electrónico encontra-se assim salvaguardada por um PIN, da mesma maneira que qualquer vulgar cartão de débito.

  2. Marco Lopes Reply

    A CHAVE MÓVEL DIGITAL foi criada simplesmente para resolver o FLOP completo que é a COMPLEXIDADE de autenticação através do CARTÃO DO CIDADÃO! Tão simples quanto isso!

    O cartão do cidadão, para além de estar à frente do seu tempo, é TÃO complexo, tem tantos níveis de segurança (alguns deles absurdos) e tem software / sistema de autenticação com uma implementação tão complexa, que 99% das pessoas simplesmente não usa, não sabe usar, ou não quer usar!

    É uma pena que, por exemplo, funcionalidades como a ASSINATURA ELECTRÓNICA de documentos ou emails seja completamente desaproveitada (tou técnico de informática, e sinceramente até hoje consegui assinar um documento com muito custo, com instalação de add-ons, configurações e mais configurações…)

    Talvez daqui a alguns anos o software e o sistema estejam simplificados ao ponto em que, bastará introduzir o leitor no cartão para enviar um email assinado através do Thunderbird ou do GoogleMail… até lá, a CHAVE DIGITAL veio colocar um ponto final no CAOS que era a autenticação online através do CC.

  3. Francisco Gouveia Reply

    Boa noite Pedro, parabens por mais uma excelente reportagem como sempre com assuntos muito uteis a todos nos…
    Tenho a chave movel digital quase desde o inicio da sua disponibilizaçao mas tive diversos entraves para a concretizar pois sou teimoso e decidi fazer em casa e nao aparecer num qualquer balcao publico, tipo loja do cidadao para activar o serviço…
    Entao mandei buscar um leitor de cartoes a china, tipo +-10€ e ligar a um tablet ANDROID…
    Eis que quando vou descarregar o SOFTWARE do CARTAO CIDADAO que me deparo que o ANDROID nao esta contemplado pelo governo…
    Tinha para WINDOWS, LINUX E APPLE, mas para o sistema que mais maquinas tem presentemente em todo o mundo, NADA…
    UMA VERDADEIRA VERGONHA…
    Os nossos governos e administracao publica teimam em continuar a utilizar alguns sistemas, programas e tecnologias obsoletas, teimam em GASTAR O NOSSO PRECIOSO DINHEIRO a garantir algumas actualizacoes desses sistemas e equipamentos (nalguns casos valores exorbitantes…) ao inves de investir em tecnologia nova, mais segura e rapida e sem CUSTOS ELEVADOS ASSOCIADOS tal como o BALURDIO que gastam em desenvolvedores para poder manter este mundo tecnologico obsoleto onde teimam em alimentar tudo o que deveria ja ter sido retirado…
    Ps. Acabei pedindo um PC emprestado e assim nao apareci no balcao…lol

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *