De 1.300€ de fatura de luz passou para 800 €

Sabe como funciona um Centro de Arbitragem de Conflitos?

Sérgio Fonseca recebeu uma fatura de 1.300 € de eletricidade. Reclamou junto da empresa, mas a empresa não cedeu. Era mesmo para pagar. Recorreu à DECO, mas o esforço da DECO não surtiu efeito. Por sugestão da própria DECO, Sérgio recorreu a um Centro de Arbitragem de Conflitos.

O caso foi a julgamento (mesmo por um juiz) e a sentença ditou que o valor estava errado e que só deveria pagar cerca de 800 € e em 10 prestações. Sérgio ficou satisfeito.

Caso não tivesse feito nada, provavelmente nesta altura já tinha advogados à perna e contas penhoradas.

Um julgamento por 10 euros?

Na reportagem desta semana do Contas-poupança filmámos uma sessão de julgamento no Centro de Arbitragem de Conflitos de Lisboa. Não é muito habitual mostrar como funcionam estes Centros de Arbitragem e quanto custa recorrer a eles. Sabia que pode resolver o seu caso rapidamente (2 meses) por apenas 10 euros?

Eu fiquei surpreendido com a simplicidade do processo e os custos reduzidos para que possa tratar uma empresa “gigante” de igual para igual.

As empresas de serviços essenciais são obrigadas a ir a este Centro sempre que o consumidor apresentar um caso.

Pode ser uma solução para muitos consumidores que andam à volta de reclamações há meses ou anos.

A sentença tem o mesmo valor de um tribunal de primeira instância

Veja mais logo no Jornal da Noite, na SIC, como pode defender os seus direitos enquanto cliente. Esta informação vai fazer-lhe muita falta um dia (espero que o mais tarde possível).

Explico timtim por timtim o que tem de fazer, como funcionam, onde estão, que casos pode trazer aqui e quanto custa.

É daquelas reportagens “chatas” mas muito importantes.

O outro caso que vou referir é o de um consumidor que viu o contador da luz vandalizado (estava na rua e não dentro de casa) e a quem a EDP pediu 800 euros de indemnização.

Saiba como terminou o caso mais logo, no Jornal da Noite, na SIC!

É muito mais simples do que eu próprio pensava.

Conto consigo!

 



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *