Poupar no combustível: as contas ao detalhe




Só faltou ir ao decilitro

Como já vos disse, a reportagem que fiz para o Contas-poupança sobre poupar combustível com a nossa forma de condução mudou definitivamente a minha maneira de conduzir.

Depois disso, contei-vos AQUI que, para testar as dicas, fui de Lisboa a Viseu sem ultrapassar os 110 km/h. Confirmei a poupança enorme que representa e que medi “a olho” porque o meu carro não tem computador de bordo. Como parti com o depósito na altura sem estar completamente cheio, fiquei com algumas dúvidas.

Voltei a Viseu esta semana e desta vez medi o consumo do carro da forma mais rigorosa que conheço. Enchi o depósito até deitar por fora e fiz a viagem. Desta vez “abusei” um bocadinho e cheguei em alguns momentos aos 120 km/h. Um stress para os nervos outra vez. Mas consegui.

Poupar combustível: A pisar ovos

A viagem foi de exatamente 296 km. Assim que cheguei lá abasteci novamente até deitar por fora. Gastei 15,06 litros de gasóleo. Dá uma média de consumo de 5,08 l/100 km.

A partir os ovos

No regresso, passei pela Serra da Estrela (o meu mais novo viu a neve pela primeira vez…) e depois regressei a Lisboa desta vez sem qualquer preocupação com a poupança na condução.

Fiz exatamente 572 km. Gastei 38 litros de combustível. Ou seja uma média de 6,64 l/100.

Fiz mais quantos km?

Portanto, no meu caso, com um VW Golf TDI de 2002 poupo 1,56 l/100 só por conduzir estritamente dentro dos limites de velocidade. Consigo fazer mais 247 km. Como a viagem até casa da minha sogra é de 297 km, quer dizer que se conduzir de forma “poupada” quase consigo regressar de “borla” (ficam a faltar 50 km). A mim faz-me pensar…

O Hugo ainda faz mais contas do que eu

Não pensem que sou o único a fazer estas contas. Vejam esta mensagem que recebi do espectador Hugo:

Tenho um Ibiza 1.9 TDI 105cv. Habitualmente um depósito de 45 L faz 720 km. Como tenho todos os registos do consumo em Excel é fácil avaliar.

Durante estes sete anos, com um depósito:
– em 55 vezes fiz 600-699 km;
– em 71 vezes fiz 700-799 km;
– em 14 vezes fiz 800-899 km;
– em 4 vezes fiz 900-999 km;
– uma vez fiz mais de 1000 km.

Nesta vez fiz 1026 km com um depósito. Isto implicou circular a cerca de 90 km/h em auto-estrada. Claramente o consumo está muitíssimo dependente da velocidade.

Claro que conduzir assim exige uma enorme autodisciplina a que não estamos habituados. Mas é só para que saibam que isto não é teoria. Quando falamos de carros, o pé manda mesmo na nossa carteira. E o pé é seu.

Reveja aqui a reportagem com as dicas:

VÍDEO – Dicas para poupar combustível

 

Sobre Pedro Andersson 252 artigos
Jornalista responsável pela rubrica "Contas-poupança" na SIC

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.